The Happy Mess editam “Horas Dias Meses Anos”

The Happy Mess estão de regresso aos originais com “Horas Dias Meses Anos”, do qual já são conhecidos os singles “Sol da Toscânia”, “Film Noir” e “Dançar no Escuro”. Com edição marcada para 19 de Abril, o sucessor de “Jardim da Parada” (2021) explora novos territórios estéticos onde a banda se reinventa sem pudor.

Composto por 11 temas que ousam ir mais além na estética ‘pop elegante’ a que a banda nos habituou, “é um disco do prazer pelo prazer”. Feito em ambiente de preguiça, indolência, mas também de inquietação e revolta, “Horas Dias Meses Anos” está carregado de sintetizadores analógicos e guitarras atmosféricas, e resulta numa reflexão sobre a ditadura do tempo, as urgências, as incertezas, a ansiedade das horas marcadas. A incapacidade de viver além da espuma dos dias…

As letras, definitivamente em português, escritas por Miguel Ribeiro, são como colagens de instantes de euforia e tristeza: “Falam das subtilezas de amor e compaixão, dos pequenos e grandes nadas. Cada canção é como uma fotografia que imortaliza desejos, dúvidas e certezas de homens e mulheres que vivem na mais deliciosa inquietação.”

Horas Dias Meses Anos” é um disco sobre a linha do tempo. As urgências, as escolhas, os caminhos, os sonhos e as desilusões.

Pela primeira vez, a banda assumiu a produção do disco e teve a participação especial da voz de Emmy Curl, no tema “Dançar no Escuro”, a colaboração nas baterias de João Correia, do acordeão de João Barradas e dos arranjos de cordas do Rui Ribeiro.

A 12 de Abril, The Happy Mess – Afonso Carvalho, Hugo Azevedo, João Pascoal, Maria Luísa, Miguel Ribeiro e Paulo Mouta Pereira – apresentam ao vivo “Horas Dias Meses Anos” no Cineteatro de Amarante. As restantes datas da digressão serão anunciadas em breve.

Partilha