“Mãe” é o novo disco de Cristina Branco

Cristina Branco chamou “Mãe” ao seu novo registo e não podia ser de outra forma.

“Ser mãe é como um caminho de volta a casa, é como recomeçar uma civilização. Neste disco, quis enfrentar a minha própria batalha ao debruçar-me sobre o que me foi dado viver através da música, de como ela me acolheu, de como ela derrubou todos os obstáculos que me impediam de sair da minha ilha. Ao ter esta mãe como companheira de muitos anos aprendi a ser apenas eu, abrindo espaço para criar músicas, um fado fora do fado tradicional e dentro dele”, explica.

Mãe” é, então, a música, o seu porto seguro, o lugar onde sempre se aconchegou – mas no disco, que é editado a 22 de Setembro, Cristina Branco tem o Fado Tradicional como ponto de partida. E de homenagem.

“O fado é quase magia, é um processo pelo qual se tem de passar – de viver, de aprender, de respeitar. Fui olhando sempre para o fado com imenso respeito mas também com medo. De há uns anos a esta parte, voltei a cantar mais fados, como processo de aprendizagem, e fui ganhando uma paixão imensa pelo fado. Muito mais do que tinha no início. Hoje, faz mesmo parte de mim e era muito importante fazer um disco apenas de fado”.

 

É de fado, e de Fado Tradicional, que se fala em “Mãe”, do Fado Cravo ao Fado Rosita, do Fado Santa Lúzia ao Fado Carriche. “Quando se começa, e se vem com a frescura da juventude, pensa-se ‘eu sou do fado, vou fazer fado’ mas, à medida que o tempo foi passando, fui-me distanciando dessa linguagem e começando a perceber que o fado era muito mais do que aquilo que eu lhe estava a dar. Precisei de aprender e respeitar, com humildade, o género para o poder abordar”, conclui Cristina Branco.

Mãe”, o 18º álbum de Cristina Branco em 26 anos de carreira, movimenta-se na solenidade que envolve o fado, na magia que se encontra quando se mergulha na música mas também na emoção que as palavras traduzem, nas respirações das suas vírgulas, na intensidade dos seus silêncios.

 

Cristina Branco subirá ao palco da Casa da Música, no Porto, no dia 30 de Novembro seguindo no dia 1 de Dezembro para Lagoa, onde actuará no Auditório Carlos do Carmo.
 

📸 Augusto Brázio

Partilha