As trevas de Angel Olsen em Janeiro no Hard Club

As trevas são um enredo comum na história, literatura e filmes, uma protagonista que mergulha cada vez mais, deixa-se afundar, mas por cima existe um abismo. Uma escada branca e sinuosa que sobe em direcção ao desconhecido, cada etapa exige ousadia, e é nesta jornada que encontramos Angel Olsen. Um voo sem direcção, um momento de levitação sem subida, sem descida.

O seu início como colaboradora mudou radicalmente quando lançou o seu trabalho a solo. Posteriormente formou bandas para tocar as suas canções e a sua audiência cresceu exponencialmente. No novo álbum “All Mirrors”, assistimos a uma viagem introspectiva por destinos e revelações íntimas e incertas. No processo de criação deste disco a artista encontra um novo som e uma nova voz, uma mistura explosiva entre fúria e aceitação.

 

All Mirrors” é o quarto longa-duração da artista editado no passado dia 4 de Outubro via Jagjaguwar, um disco de incursões à intimidade mergulhado em fantasiada introspecção. São retoques sombrios como brecha de luz numa porta entreaberta em que Angel Olsen nos sugere para entrar, sentar e escutar. Há muito que a sua voz criou laços com o público português, aqui tem um porto de abrigo e uma audiência repleta de amigos.

O reencontro torna-se portanto inevitável, numa noite de contemplação pura, onde se apresentará num registo invulgar, acompanhada por sete músicos, dia 24 de Janeiro de 2020 no Hard Club, no Porto.

Partilha