Volkan Diyaroglu é o novo artista em residência no Maus Hábitos – Glam Magazine

Volkan Diyaroglu é o novo artista em residência no Maus Hábitos

Volkan Diyaroglu é o artista escolhido para integrar mais um dos ciclos de residência artística do Maus Hábitos, no Porto, e estará até ao início de Agosto a criar um conjunto de obras inéditas que serão apresentadas naquela que será a sua vigésima exposição individual: Eu nunca emergi | emergir para afundar. Explorando o duplo significado da palavra emergir, Volkan retrata o estado de emergência que se instala sobre a política e a economia mundial e os seus efeitos sobre o ambiente e o quotidiano dos cidadãos. Pela pintura, impressão digital e escultura, Diyaroglu reflecte sobre a permeabilidade do tecido democrático às questões nacionalistas, ataques à liberdade e ao imperialismo monetário.

 

A inauguração está marcada para as 21h30 de dia 9 de Agosto, na sala de exposições do espaço portuense. A iniciativa integra o ciclo Caravana, um projecto levado a cabo pela Saco Azul Associação Cultural em parceria com a Câmara Municipal do Porto.

Nascido em Istambul, Volkan formou-se na Faculdade de Artes da Universidade Mimar Sinan e na Faculdade de Belas Artes de San Carlos de Valência. Aos 20 anos participou na VIII Bienal de Istambul, tendo, desde então, participado em mostras colectivas com nomes como Gary Hill, Gordon Matta-Clark, Paul McCarthy e Dennis Oppenheim. Em 2008 ganhou um dos mais importantes prémios espanhóis, o prémio XXXV Bancaja de Pintura, Escultura e Arte Digital. Em 2011, aos 29 anos, foi incluído no Leilão de Arte Turca Contemporânea da Sotheby’s em Londres.

 

Com um corpo de trabalho que cruza diversas áreas artísticas, da escultura, à pintura ou arte digital, Volkan tem vindo a explorar temas com forte veio político, da ecologia, ao capitalismo, da mercantilização da arte até à ditadura da crítica, tendo sido alvo de censura no país de origem. Sobre isto Volkan afirma: “num estado ditatorial como esse [Turquia], ninguém, nenhum jornalista, quer falar muito sobre a censura”. Ironicamente, o editor Altan A. Marcelli está a preparar para o ano de 2019 uma compilação de 5 volumes com mais de 1.200 páginas sobre o trabalho do artista, que será publicado em turco, inglês e espanhol.

A exposição ficará patente ao longo de seis semanas, tendo já agendada a finissage para o dia 22 de Setembro.

Partilha