Vetusta Morla regressam a Portugal em Maio – Glam Magazine

Vetusta Morla regressam a Portugal em Maio

Oriundos de Tres Cantos, norte de Madrid, os Vetusta Morla – Pucho (voz), David “el Indio” (bateria), Álvaro B. Baglietto (baixo), Jorge González (percussão), Guillermo Galván (guitarra e teclados) e Juanma Latorre (guitarra e teclados) – juntaram-se no final dos anos 90, mas só editaram o primeiro disco em 2008. “Un Día En El Mundo” – que saiu em edição de autor – foi Disco de Platina por vendas superiores a 40 mil exemplares, conquistando não só o público mas também a crítica especializada. Em 2011 lançaram “Mapas”, trabalho que veio confirmar o talento do sexteto. Disco de Ouro, valeu-lhes o prémio da Rolling Stone para melhor digressão em 2012, ano em que deram mais de 100 concertos.

Em 2014 editam “La Deriva” que entrou directamente para o primeiro lugar dos discos mais vendidos e tem contado com lotações esgotadas nas apresentações ao vivo em Espanha mas também no México, Argentina e Colômbia. Vencedores de sete prémios da Música Independente em 2015 – melhor artista, álbum, canção “Fuego”, melhores ao vivo, melhor produção, fotografia e design, os Vetusta Morla, foram ainda distinguidos com dois prémios pela revista Rolling Stone – “Melhor Disco do Ano” e “Grupo do Milénio”, um galardão comemorativo do 15 aniversário da revista. Em 2016, acumularam mais três distinções nos Prémios MIN da Música Independente: Melhor Artista, Melhor Banda ao Vivo e Melhor Videoclip (“Cuarteles de Invierno”).

Depois de uma intensa digressão, que os levou à América do Sul, Inglaterra, Alemanha, França e a Portugal, a banda editou no final de 2015 o disco duplo ao vivo “15151”, gravado no Barclaycard Center em Madrid. Em Abril desse mesmo ano foi editado o primeiro livro dos Vetusta Morla, “Memoria Instantánea”.

Disco de Ouro em Espanha, “Mismo Sitio, Distinto Lugar” será editado em breve em Portugal. Resultado de uma emocionante viagem entre a sala de ensaios da banda, em Madrid, e os míticos Hansa Studios em Berlim, os recônditos Tarbox Road Studios em Cassadaga, no norte dos Estados Unidos, e o lendário Sterling Sound de Nova Iorque, em “Mismo Sitio, Distinto Lugar” os Vetusta Morla concretizam o desejo de trabalhar com músicos e produtores como Campi Campón (Jorge Drexler, Natalia Laforucade, Xoel López), Dave Fridmann (Mercury Rev, Tame Impala, The Flaming Lips, Spoon) e Greg Calbi (The National, Bon Iver, Arcade Fire, Fleet Floxes).

​Dez anos depois da edição do álbum de estreia, “Un Día en El Mundo” (2008), os Vetusta Morla regressam aos originais com o esperado “Mismo Sitio, Distinto Lugar”, o sucessor de “La Deriva”, álbum que os trouxe pela primeira vez a Portugal em 2015 e os consagrou no palco principal do NOS Alive em 2016. Ao longo de dois anos de digressão, com mais de 120 concertos em uma dezena de países da Europa e da América, mais de meio milhão de pessoas aplaudiram o sexteto madrileno. Em 10 anos, receberam dois discos de Platina (“Un Dia en El Mundo” e “15151”) e três discos de Ouro (“Mapas”, “La Deriva” e “Mismo Sitio, Distinto Lugar”), sendo ainda considerados pela Rolling Stone a banda do milénio em Espanha.

 

Partilha