Nuno Lanhoso… estreia-se na Casa da Música

Ontem, dia 27 de janeiro, pelas 21:30, a sala 2,  da Casa da Música, recebeu calorosamente, o cantor/compositor Nuno Lanhoso . A sala encontrava-se cheia para ouvir o músico portuense.

Esta atuação, foi para mim uma estreia, uma vez que desconhecia por completo o seu trabalho. Foi a primeira vez, que fui a um concerto sem fazer qualquer tipo de pesquisa sobre um músico. Entrei na Casa da Música de mente aberta, para ser surpreendida, sem opinião já preconcebida, quer pela positiva, quer pela negativa.

 

Fui, claramente, surpreendida. Não contava com um homem jovem, na casa dos trinta anos, muito comunicativo na introdução de cada tema e, super à vontade em palco. Apresentou diversos temas, todos cantados em português, como por exemplo, “Saudades” ; “A Toca”; “Até Lisboa”; “Jogo de Cartas”, entre outros.

Destaco, “Tótó”; “Caso apareças…”, letra inspirada na vivência de um primo, que a namorada deixou para dar um tempo na relação, e foi viajar, e o primo deixou o apartamento, onde viviam, exatamente igual como no dia em que ela partiu, para o caso de ela regressar; “Ócio”, interpretado em parceria com Teresa Aleixo, e “Pájaro Azul”, tema escrito e interpretado em castelhano, resultado da sua vivência em Barcelona.

Destaco, sobretudo, o tema “Pájaro Azul”, interpretado sem banda, por uma questão de gosto pessoal, dá-nos a sensação que nos estão a sussurrar ao ouvido.

 

A noite passada, foi uma agradável surpresa, quem não conhece Nuno Lanhoso, procure nas plataformas digitais, e ouça com atenção, vão ser surpreendidos, pela positiva, por este jovem “trovador”.

Foi uma noite bastante agradável, a de ontem, passada na Casa da Música. Não são, somente, os nomes de grande cartaz e sobejamente conhecidos, que nos aquecem o coração e alimentam a alma.

Cultura é isto, é ir à descoberta, é ir ser-se surpreendido e dar a conhecer a quem não conhece. A Cultura é segura, e precisa de todos nós.

 

Reportagem: Ana Cristina
Fotografia: DR (promocional)

Partilha