Festa do Jazz regressa a Lisboa em Dezembro

De 18 a 19 de Dezembro de 2021 decorre a 19.ª Edição da Festa do Jazz, o mais importante festival de jazz feito por músicos portugueses a nível mundial com o melhor da música improvisada actual. O evento retorna a Lisboa em formato presencial e aberto ao público.

 

Os concertos profissionais desta edição realizam-se, pela segunda vez, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, e volta a contar com a RTP Palco como parceira. Desta forma, todos os conteúdos Festa do Jazz 2021 estarão disponíveis nesta plataforma, além dos concertos serem transmitidos em directo.

 

A Associação Sons da Lusofonia (ASL) com direcção artística do músico Carlos Martins, programa, organiza e produz a Festa do Jazz que culmina num fim-de-semana de concertos e outras actividades que permitem reflectir sobre o momento que esta área da cultura vive atualmente.

 

Este ano a Festa conta, pela primeira vez, com a colaboração de Beatriz Nunes e Pedro Melo Alves na programação do evento, através da curadoria de um grupo musical/projecto artístico escolhido por cada um deles que integra a programação principal de concertos da Festa do Jazz 2021.

 

Sobre estes convites, Carlos Martins acrescenta “enquanto director artístico tenho desde sempre procurado incluir as várias tendências musicais presentes na comunidade jazzística nacional. Creio agora ter chegado o momento de ir mais longe e por isso decidi chamar outros ouvidos para propor novas músicas e novas tendências porque isso é essencial à Festa do Jazz e a qualquer festival que queira manter a beleza a frescura criadas e cuidadas durante praticamente 20 anos. E já sentimos esse impulso na programação deste ano.”

 

Nesta edição, regressa também o Encontro Nacional de Escolas de Jazz em formato presencial e ao vivo numa programação que decorre na sua totalidade no Espaço Espelho D’Água, muito próximo do CCB.

Neste encontro, escolas de norte a sul do país tocam para um público diferente, num momento único em que os participantes se podem ouvir uns aos outros, ter os professores juntos a vibrar com os seus combos, falar sobre o ensino da música em Portugal ou ainda ter os músicos mais velhos a escutar os seus potenciais sucessores.

 

A Festa do Jazz continua também nesta edição a fomentar os debates e a construção de massa crítica no jazz português. Para isso o evento promove duas conversas também no Espaço Espelho de Água, uma sobre o Ensino do Jazz em Portugal, dia 18 às 15 horas e outra sobre a necessidade de trabalhar em rede numa conversa intitulada de Portugal Jazz (a Rede Portuguesa de Jazz), no mesmo espaço dia 19 também a partir das 15 horas. Momentos essenciais para a construção e consolidação da comunidade jazzística portuguesa.

 

A Festa do Jazz é também o último evento dedicado a este género musical a acontecer este ano em Portugal e, por isso, a programação obedeceu ainda ao princípio elementar de dar visibilidade e oportunidade de apresentação pública a grupos que não tiveram presenças noutros festivais de jazz na região da Grande Lisboa.

 

A Festa, desde sempre na vanguarda das questões sociais, privilegia ainda na programação a igualdade de género dando oportunidade a performers e líderes femininos de apresentarem os seus projectos. Continua ainda uma prática comum no Jazz, a do encontro espontâneo de improvisadores, ao fomentar desde o ano passado os Encontros entre músicos e que nesta edição tem André Fernandes como curador do Encontroa que chamou “Foca”.

 

Ainda nesta edição acontecem os prémios Lurdes Júdice (a inesquecível Vice-Presidente da Associação Sons da Lusofonia) para o Encontro de Escolas de Jazz e os prémios RTP/Festa do Jazz que celebram o melhor do jazz português em 5 diferentes

Partilha