Em 2018… Novo record com 311 festivais em Portugal

Ao longo de 2018 realizou-se um total de 311 festivais de música em Portugal, um novo número recorde (o ano passado, o número foi de 272 festivais) representando um aumento de 14,3% face ao ano transato. Para esta evolução muito contribuíram os festivais suportados e/ou desencadeados por municípios com recurso a entidades e associações locais. A generalidade dos festivais espalhou-se no tempo, de janeiro a dezembro (mais de 50% ocorreram de 15 de junho a 15 de setembro), ocorrendo em todos os distritos (incluindo ilhas) sendo a sua proporção sido superior junto ao litoral, como se pode ver no mapa abaixo.

 

Para esta contabilização foram apenas considerados festivais em que o cerne da sua ação fosse exclusivamente a música ou a música fosse a expressão artística por pelo 2/3 da sua programação cultural.

Da análise da área dos festivais de música e todos os seus stakeholders verificou-se que, em 2018, existiu um maior budget para implementação de novos projetos nomeadamente os ligados à sustentabilidade (democratização copos reutilizáveis; utilização água potável; painéis solares) e a novas tecnologias (cashless; acessos bilhética). Existiram apenas 3 cancelamentos (após o anúncio de datas ou lançamento de artistas para o alinhamento) e a ocorrência de incidentes graves foi praticamente nula, o que valida e reforça os cuidados no planeamento e gestão de segurança adstritos aos festivais, nomeadamente os de recinto ao ar livre. Existiu um aumento do nº festivais pagos, que reflete a valorização deste tipo de eventos enquanto cultura.

Ficaram adstritos a financiamento público (linhas de apoio do Turismo de Portugal, Ministério do Ambiente e Ministério da Cultura) um maior número de festivais de música portugueses, ao invés de nova retração de mecenas e financiamento privado que mantiveram as suas apostas de naming e sponsorização em relação aos anos anteriores.

A comunicação dos festivais passou a ser agregadora de vários públicos procurando assim chegar a mais públicos (dias específicos para crianças; espaços de Babysitting), assim como apostar na antecipação da informação das datas de ocorrência e primeiras novidades de forma a gerar um fluxo de vendas com maior longevidade.

 

Fonte: Aportfest

Partilha