Dapunksportif apresentam “Soundz of Squeeze’o’Phrenia” ao vivo – Glam Magazine

Dapunksportif apresentam “Soundz of Squeeze’o’Phrenia” ao vivo

Em Fevereiro de 2018 é editado o quarto (4º) disco de longa duração “Soundz of Squeeze’o’Phrenia” dos Dapunksportif pela Rastilho Records e este é o concerto de lançamento do novo disco, dia 17 de Fevereiro no Sabotage Club

Entre a edição do último disco (“Fast Changing World”- Outubro, 2012) e o novo, passaram seis anos em constante actividade. Durante este hiato editoral, a banda continuou a tocar ao vivo um pouco por todo o país e, paralelamente, desenvolveu novos projectos: Lena d´Água & Rock n Roll Station (disco “Carrossel”, 2014) e Ladrões do Tempo (disco “Primeiro Assalto”, 2015).

Durante as mini-férias do Carnaval e Páscoa de 2017, a banda juntou-se a Fred Ferreira (bateria) e Ricardo Riquier (som) nos Estúdios YA (Meiofumado/Kambas) em Lisboa e procederam à gravação/registo de novos temas.

Os “esqueletos musicais” já vinham trabalhados de casa, em Peniche. Agora, o momento era para ganhar músculo, no ginásio rock Dapunksportif. Nestes dez dias de gravações, gravaram-se onze temas sempre a bom ritmo, em sessões ao vivo. O entrosamento e química entre todos fez com que tudo saísse de forma natural e verdadeira, como se de um concerto se tratasse!

Na audição destes 11 temas propõe-se uma viagem conduzida por guitarras em riste e suportadas por grooves frenéticos que culminam na procura e essência da canção. A identidade mantém-se caracterizada pelo binómio riffs/ beats, com as vocalizações a darem-nos as coordenadas certas, para uma viagem neste mundo cada vez mais inconstante e imprevisível.

É Rock puro e duro, como se quer e se recomenda!!!
Não se conhecem ainda os seus efeitos secundários mas poderá a dar por si a aumentar o volume/dosagem (posologia).

“Soundz of Squeeze’o’phrenia” – SOS – é um disco de canções rock, por vezes musculado q.b. com uma batida rápida – “Holidays”, “Trouble”, ”Neurological Mess” mas explora também ambientes densos numa toada mais calma e introspectiva – “Ghost Town”, ”Downer”, “Start Again (Dapunk Mantra)”.

 

 

Partilha