Bandida… com Marta Dias & Carlos Barreto Xavier

Raivas, dores, doçuras e contradições numa voz que junta ao fado, e ao jazz, a garra do timbre mestiço para afirmar o ser mulher. Marta Dias e Carlos Barreto Xavier criaram 12 canções em Português feitas para cantar com ternura, atrevimento e ousadia. Ah, Bandida.

 

Com o primeiro single “A Canção da Bandida” já disponível em todas as plataformas digitais, a partir de hoje dia 6 de Julho poderá encontrar o álbum numa loja perto de si…. As doze canções são fruto da parceria entre Marta Dias e Carlos Barreto Xavier e nasceu da composição, “Esse Meu Amor”, que integrou o “Best Of” da cantora.

Para acompanhar a voz de Marta Dias e o piano de Carlos Barreto Xavier, Bandida conta com a cumplicidade de Ruca Rebordão, nas percussões e de Yuri Daniel (baixo elétrico) cujo percurso musical é bem conhecido de todos e que acompanha Jan Garbarek em concerto.

  

Bandida
Ela vive de noite e perde-se de dia.
O caminho da Bandida é feito de muitas memórias, saudades, lamentos e raivas.
A Bandida, como um tigre, já não tem ilusões. Habita a crueza da realidade, crava garras nos artifícios, e rebenta todos os altares antigos. É má e orgulha-se disso.
Quando sobe ao palco para contar a sua história, a Bandida traz uma arca cheia de contos e poemas. Traz a Canção que lhe dá o nome, traz o Lamento da Princesa Errante, traz a Cantiga da Loba da Noite, e muitas mais, com travo ao vinho e aos charutos que nunca bebeu nem fumou, mas que soube imaginar com maestria.
A Bandida não pede desculpa. Vai entrar pela vossa porta e instalar-se nos vossos corações. Agradeçam-lhe. Vai valer a pena.

Partilha