A noite de Daniel Catarino Trio ao vivo em Leiria

Daniel Catarino é um cantautor natural de Cabeção, uma vila do Alto Alentejo que não fica de caminho para lado nenhum. Enquanto a cassete de Creedence Clearwater Revival rodava em modo infinito na Vanette do pai, foi pela antena parabólica da loja de electrodomésticos da família e pelo rádio-despertador que acabou por conhecer muita da música que o viria a influenciar.

Presença habitual pelos palcos nacionais, com cerca de 60 concertos por ano desde 2011, acabou por se perder numa digressão pela Alemanha em 2015. Como viajar sozinho não tem a mesma graça, apresenta-se agora em trio, acompanhado de Manuel Molarinho no baixo (O Manipulador, Baleia Baleia Baleia, Madrasta, Burgueses Famintos) e Xinês na bateria (Awaiting The Vultures, Ao Lado, 1986), bons amigos que trazem mais rock para o seu cançonetismo de rebeldia poética adulta.

Pelo caminho abandonou os pseudónimos com que assinava a sua música (Landfill, Long Desert Cowboy e Oceansea), fundou as bandas Uaninauei, Bicho do Mato, Alentexas, Cajado, O Rijo, Seven Thousand e Ao Lado, bem como a editora e produtora de eventos Capote Música.

Sangue Quente Sangue Frio” é o seu novo álbum, editado neste mês de Abril pela Capote Música, com apoio da Fundação GDA e da SlowDriver. Os singles “Meio Trono e um Rei” e “Vou Fugir da Cidade” deram a conhecer o novo disco. Foram essas canções que Daniel Catarino, em trio, apresentou em Leiria na noite de sexta feira 19 de Abril.

 

Fotografias: Iolanda Pereira

Partilha