47 de Fevereiro anunciam edição em vinil de “Luta pela manutenção” – Glam Magazine

47 de Fevereiro anunciam edição em vinil de “Luta pela manutenção”

Estreado o álbum em CD e em formato digital a 19 de Março de 2018 (47 de Fevereiro), os 47 de Fevereiro formados em 2015 no Porto (de Palermo) preparam-se para editarem em vinil no próximo dia 5 de Outubro, dia da Implantação da República, o seu álbum de estreia “Luta pela Manutenção” (produzido por Rui “Caps” Ferreira) por acreditarem que esse formato faz parte da história da música e, dessa forma, lançar um novo desafio à Torcida 47 a partir do Outono deste ano.

 

La Favorita” é o single/ videoclip escolhido para anunciar esta edição em vinil! Este tema tem dois lados sobrepostos mas que se complementam: por um lado, debruça-se sobre as máfias e os seus tráfegos e tráficos, da sua presença nas ruas e das suas óbvias conexões aos gabinetes; por outro lado, o negócio que é feito com os refugiados de guerra (e não só…), guerras essas provocadas e negociadas em alguns desses mesmos gabinetes. O vídeo, mais uma vez da autoria de 1/2 Pirata Mau (Augusto Lado), aborda esses temas de uma forma sublime, remetendo para elementos do primeiro vídeo “In Extremis” que, em última análise, são o mote desta banda: liberdade e independência!

A segunda volta da apresentação de “Luta pela Manutenção” dará lugar a mais uma série de concertos, estando por agora confirmados: 14 de Setembro no Festival Viana Bate Forte (Viana do Castelo), 16 de Setembro na Festa di Celada in Strada (Bergamo, Italia), 26 de Outubro no Barracuda (Porto), 3 de Novembro em Vitória-Gasteiz, 9 de Novembro no Sabotage (Lisboa) e 10 de Novembro na DRAC (Figueira da Foz), sendo que estão em vias de se confirmar outras datas em cidades como Coimbra, Braga, Madrid, Barcelona, etc.

Provenientes de projectos tão díspares como Touro, Retimbrar, Zen, Anger, Souq, Fadomorse, Mi Ku Bô, Teia, Funkyard, Turn Off, Stopestra, Xícara, Mina, Miguel Araújo, André Indiana, etc, os membros dos 47 de Fevereiro juntaram-se para dar seguimento à vontade comum de exprimir a música que lhes corre nas veias, sem filtros ou condicionalismos, e assim detonarem palavras sob a forma de Fute-Rock Mediterrânico.

Saiu assim à rua o novo contra-golpe da intertugalidade, em forma de rock de barricada. Guerrilheiros, caciques, mafiosos e outros que tais têm a palavra, ou as palavras de livros e crónicas sobre eles escritos. Em várias línguas, em vários tons de voz, na ilharga dos que criaram e perpetuam esta situação. 47 de Fevereiro baralha e volta a dar.

 

 

Partilha