Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

ModaLisboa Luz… O 1º dia visto à lupa

Foi com o talento de Patrick de Pádua que inaugurámos ontem o calendário de desfiles da ModaLisboa Luz. No jardim do Pavilhão Carlos Lopes, o jovem designer apresentou uma coleção inspirada no Cante Alentejano de Vila Nova de São Bento, que cruzou o ADN streetwear com elementos e técnicas tradicionais. Silhuetas desconstruídas, variando entre o justo e o oversize, foram predominantes assim como as sobreposições de materiais e a conjugação de cores fortes. 

00.jpg

Também no jardim, Duarte levou-nos numa viagem exótica à Índia. Seguindo o conceito de sportswear luxury, a designer Ana Duarte procurou o equilíbrio entre um estilo desportivo e a qualidade, tendo conjugado materiais naturais como sedas estampadas, algodões e linhos com tecidos técnicos. Na paleta cromática apostou em tons de lilás, violeta, rosa, laranja, esmeralda, azul marinho e preto.

02.jpg

Sangue Novo inaugurou a passerelle do Pavilhão Carlos Lopes e apresentou-nos uma nova forma de ver e interpretar o mundo da moda. As obras de Jean Michel Basquiat e José Romussi, o espetro emocional de ser-se humano, o artista Jean Michel, o filme "Lost in Translation" de Sofia Coppola, as 7 saias da Nazaré, o dependurado (XII carta do tarot)... Foram múltiplas as inspirações dos dez jovens designers: Alexandre Pereira, Carla Campos, Daniela Pereira, David Pereira, Federico Cina, Filipe Augusto, Ivan Almeida, Rita Afonso, Rita Carvalho e Rita Sá.

O juri do Sangue Novo, constituído por Eduarda Abbondanza (Presidente da ModaLisboa), Cláudia Barros (Editora de Moda da Vogue Portugal), Filipe Faísca (Designer de Moda) e Alberto Caselli (Diretor de Moda da Sport&Street), avaliou atentamente todas as coleções e atribui o prémio ModaLisboa a David Pereira. O designer vai receber uma bolsa de 5000 euros concedida pela ModaLisboa, um summer course na Domus Academy atribuído pela prestigiada academia de moda de Milão, e terá também entrada direta no Sangue Novo da edição de março 2018. Filipe Augusto, Rita Afonso e Rita Sá, distinguidos com menções honrosas, também terão entrada direta no Sangue Novo de março 2018.

Filipe Augusto e Rita Afonso foram os vencedores dos prémios FashionClash e The Feeting Room, respetivamente. Filipe Augusto vai representar Portugal na próxima edição do reconhecido festival de moda holandês, FashionClash, a decorrer em Maastricht, em junho de 2018. A coleção de Rita Afonso foi eleita pelos representantes da concept store portuguesa The Feeting Room, Edgar Ferreira e Guilherme Oliveira, para ser produzida e vendida nas lojas de Lisboa e Porto da marca.

Estão todos de parabéns!

03.jpg

Depois da apresentação dos trabalhos dos novos talentos da moda portuguesa, assistimos ao desfile da criadora Kolovrat, que continua a apostar na mistura de diferentes estilos e materiais. Peças assimétricas e oversized construídas a partir da junção e cruzamento de duas peças, casacos abertos nas costas, bordados e uma paleta de cores fortes como o roxo e o vermelho são as suas propostas para a próxima estação.  

04.jpg

Valentim Quaresma apresentou uma coleção inspirada por “pensamentos, sentimentos e sensações”, fundindo a luxúria e o romantismo num ambiente oriental. Nas suas joias únicas trabalhou materiais tão diversos como filigrana industrial, fotografia, plexiglas, pedras e latão. Na coleção de vestuário usou algodão, malha e brocados.

05.jpg

A noite terminou com a apresentação da coleção “Whole Lotta Love” de Ricardo Preto. O criador propôs-se “procurar o amor dentro de nós” e encontrou-o nas flores e animais que representou em delicadas estampagens. Silhuetas trapézio e “fit and flare” em tecidos fluídos e numa paleta de vermelho, amarelo e terra são as suas apostas para o verão 2018

 

Mais fotografias no página do facebook da Glam Magazine
Texto: Helena Dias
Fotografias: Paulo Homem de Melo

Exposição… 15 anos da Operação Nariz Vermelho (ONV)

Nas comemorações dos 15 anos, a Operação Nariz Vermelho (ONV) leva a cabo diversas iniciativas, com destaque para uma exposição de arte contemporânea que, entre 14 de outubro e 19 de novembro, tem como palco a Gare Marítima da Rocha Conde d’Óbidos, em Alcântara. Sendo o tema central o humor e o palhaço, “Debaixo do seu nariz” retrata a história de missão da ONV, evidenciando os marcos principais, através de fotografia, vídeo e ilustração, mas também de objetos emblemáticos da arte do palhaço.

cartaz_exposição

A exposição pretende reunir um conjunto combinado de conceitos referentes ao palhaço, ao humorístico e ao absurdo. Conta com curadoria de Luiza Teixeira de Freitas e João Fernandes, atual vice-diretor e curador principal do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Madrid) e ex-diretor do Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Tem o Alto Patrocínio da Presidência da República, estando entregue a exposiografia ao gabinete SIA Arquitectura e Aires Mateus.

 

Com recurso a filmes, performance, escultura, literatura, desenho e pintura, a exposição pretende representar o cómico e o riso, quer seja de forma mais direta ou mais abstrata. Sendo o palhaço, no caso o Doutor Palhaço, uma figura complexa e de diversas interpretações, as obras de arte escolhidas para a exposição abordam as diferentes facetas de ser um palhaço – o figurino, a construção da personagem, as inspirações e o mundo maravilhoso de trabalhar com crianças.

 

“A exposição investiga certas práticas artísticas contemporâneas em que a presença do humor é enfatizada de muitas maneiras diferentes. Seja através do uso de formas e objetos que recriam a dinâmica dos jogos, seja através da ironia e do absurdo, ou seja gerando dinâmicas relacionais e participativas. As obras apresentadas compreendem uma exposição polvilhada com humor e ironia, formulada como uma breve exploração de certos conceitos que nos permitem analisar o lúdico, enquanto ilustramos como o absurdo, as brincadeiras e o riso podem ser ferramentas poderosas para avaliar a realidade de cada um e das suas contradições inerentes.” sublinha a curadora da exposição, Luiza Teixeira de Freitas. A curadora acrescenta ainda que “de forma implícita e poética, a exposição encobre os limites entre o trabalho e o lazer, a produtividade e a improdutividade, a educação e a instrução, quase como uma ponte para um mundo de criatividade e pura imaginação.”

“15 anos é uma celebração muito especial para a Operação Nariz Vermelho, por isso queremos espalhar a alegria e fazer sorrir mais e mais portugueses. Na rua, nos centros comerciais, no trânsito, nas janelas dos escritórios. Em todo o lado. Entre o trabalho e o lazer, o humor e a arte, procuramos despertar olhares curiosos e ávidos - olhares de criança, que permitem redescobrir um mundo interdependente, mais criativo e solidário.”, refere Nicole Azevedo, presidente da ONV.

 

O evento inaugural tem lugar no próximo dia 13 de outubro, às 18h30.