Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Mucho Flow de regresso a Guimarães

As portas para a quinta edição do Mucho Flow, o festival que mede o pulso à música emergente, abrem às 16h00 horas do próximo Sábado, 7 de Outubro. Pela frente: 14 as actuações que ocuparão os três palcos do evento, a ter lugar este sábado, dia 7 de Outubro, no Centro para os Estudos da Arte e Arquitectura de Guimarães.

sem nome (7)

À quinta edição do Mucho Flow já sentimos o burburinho da antecipação a fervilhar, como quem está ansioso por mais um daqueles dias longos e memoráveis, com a música no epicentro deste terramoto de rock alternativo, hip-hop e electrónica. Para fazerem parte de tudo isto basta passarem pelo CAAA para desfrutar da música e do ambiente, sempre com mente aberta para absorver o que de bom se vai fazendo por cá e pelo mundo fora, com 14 nomes que irão agitar Guimarães. Como sempre, a festa começa cedo mas acabará tarde.

Música para todos os gostos mas, sobretudo, para quem gostar de música. Desde a sonoridade electrónica industrial de Dedekind Cut, God Colony + Flohio e Sega Bodega, passando pela vocalização furiosa do hip-hop da Nadia Tehran, entrando pelo universo paralelo que são os Horse Lords, levitando no dream-pop de Veer ou nas canções suaves de Filipe Sambado e Chinaskee & Os Camponeses, procurando refúgio no rock de 800 Gondomar e El Señor ou aventurando-se no punk funaná de Scúru Fitchadú, haverá sempre um bom motivo para ficar. Para fechar a noite, DJ Lynce fará as honras de não abandonar as almas sequiosas de um pouco mais de festa.

"Noite Jovem" em Setúbal

Noiserv, Sequin e Loosense fazem esta Noite Jovem, evento com três concertos numa única sala, que se realiza no Fórum Municipal Luísa Todi no âmbito do Mês da Música, programa organizado pela Câmara Municipal. O espetáculo tem como principal objetivo promover junto dos jovens uma noite de música com vários artistas e bilhetes a preços acessíveis.

22042018_10155644363756678_7434426122501299905_o

 

A Noite Jovem começa com a atuação da banda setubalense Loosense, vencedora do prémio de Melhor Banda do Concelho no Concurso de Bandas de Garagem de Setúbal 2015. A música eletrónica de Sequin, projeto de Ana Miró, invade depois o palco do Fórum Municipal Luísa Todi, num espetáculo que termina com os sons dos vários instrumentos do “homem-orquestra” Noiserv.

 

Fórum Municipal Luísa Todi (Setubal)

6 de Outubro 2017 | 21.o0h

“Peregrinar”... Dulce Pontes ao Vivo

Peregrinar é percorrer um caminho para encontrar algo.

Foi o que Dulce Pontes, cantora, instrumentista, compositora, arranjadora, produtora, fez nos últimos 5 anos. Álbum duplo, “Peregrinação” é o resultado deste caminho, uma viagem interior e emocional sobre a vida em momentos difíceis e menos difíceis.

sem nome (5)

Cantado em português, castelhano, galaico-português e com um tema em inglês, Peregrinação reflecte a vivência da artista, conciliando harmoniosamente diferentes autores e estilos musicais

 

Coliseu (Porto)

11 de Outubro 2017

Três presentes para o décimo aniversário do Quarteto de Cordas de Matosinhos

10 anos passados sobre a constituição do Quarteto de Cordas de Matosinhos, não faltam motivos para celebrar aquele que se transformou numa das grandes referências da música erudita portuguesa, considerado em 2014 uma estrela em ascensão pela Organização Europeia de Salas de Concertos. O aniversário vai, de resto, ser festejado a preceito no próximo sábado, com um concerto gratuito no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Matosinhos que juntará o pianista Pedro Burmester ao quarteto formado por Vítor Vieira (1.º violino), Juan Carlos Maggiorani (2.º violino), Jorge Alves (viola) e Marco Pereira (violoncelo).

QCM1

 

Pedro Burmester e o Quarteto de Cordas de Matosinhos interpretarão “Cinco movimentos sobre o mar”, composto em 2006 pelo maestro Carlos Azevedo, precisamente por encomenda do QCM/Câmara Municipal de Matosinhos; “Olhares do acaso”, uma obra recente de Fernando Bessa Valente; e o “Quinteto com piano em Sol menor, op.57”, que Dimitri Schostakovich compôs em 1940. Considerado um dos quinze melhores concertos de outubro pela revista Time Out Porto, a iniciativa constitui um presente triplo, já que, para além do programa musical, será ainda lançado um CD comemorativo do décimo aniversário do QCM, o qual inclui um conjunto de composições encomendadas pela Câmara Municipal de Matosinhos, e apresentada a edição de uma partitura de “Ella… Fantasia para quarteto de cordas”, do pianista e compositor Óscar da Silva (1870-1958), que faz parte do espólio da Biblioteca Municipal Florbela Espanca.

 

O CD a lançar durante o espetáculo conta com outras três obras encomendadas pela Câmara Municipal de Matosinhos: “Da luz nítida da manhã”, de Fernando C. Lapa, “Caged Symphonies”, de Vasco Mendonça, e “In illo tempore”, de Eurico Carrapatoso. A Câmara Municipal de Matosinhos, recorde-se, é uma das instituições públicas portuguesas que mais novas composições encomenda a músicos nacionais, contribuindo decisivamente para a valorização do património musical português.

 

“Beer, Dog Shit & Chanel N°5”… a estreia de Callaz

Callaz é a assinatura de Maria Soromenho, artista visual e designer com um percurso na industria da moda que lhe incute um sentido estético muito próprio e uma preferência por um processo de trabalho guiado pela filosofia DIY. “Beer, Dog Shit & Chanel N°5” é a primeira colecção de canções de Callaz, um baile autobiográfico de feitiços nas teclas.

a1289044294_10

O EP de 5 temas, produzido por Filipe Pães, apresenta-se como um enredo aparentemente solarengo no qual picos de ansiedade, memórias turvas e afectos sobem ao palco sob um filtro retro. Sentem-se ecos do pesar melancólico de Nico e indícios de uma vontade pop experimental que assistiríamos com The Space Lady.

Beer, Dog Shit & Chanel N°5” está disponível para uma viagem única no bandcamp de Callaz em download gratuito.

 

A Grande Vaga de Frio… com Orlando de Virginia Woolf

Orlando continua atraente.

Tem trinta e seis anos há pelo menos cem anos. É homem? É mulher?

Não tem dúvidas sobre os sexos a que pertence e, no entanto, não pode ter certezas. Fazendo o balanço da sua vida de mulher, de mulher casada e de poeta publicada, Orlando ouve o som do vento no carvalho, o mesmo que levou o marido para o Cabo Horn. Adensa-se a nuvem de humidade que tudo permeia no século XIX. Mas é na Grande Vaga de Frio que foi realmente (realmente?) feliz e Orlando prepara-se para o regresso ao Grande Carnaval no Gelo.

untitled-2

Escrito quase exclusivamente com o texto de Virginia Woolf, A Grande Vaga de Frio é um monólogo que dialoga com Orlando, a sua originalidade, a sua influência, a sua memória. Retrata uma figura camaleónica, que suscita apetecíveis abordagens sobre o tempo, a realidade e a ficção, a questão do género, a questão transgénero, a emancipação da mulher, a crítica a uma certa literatura inglesa e a censura ao puritanismo vitoriano.

 

Centro Cultural de Belém / Pequeno Auditório (Lisboa) - 12 a 14 outubro | 21.00h  

TeCA (Porto) - 10 a 19 novembro

 

Omiri ao vivo...

Omiri é um dos mais originais projectos de reinvenção da música tradicional portuguesa. Para reinventar a tradição, nada melhor que trazer para o próprio espectáculo os verdadeiros intervenientes da nossa cultura: músicos e sons de todo o país a tocar e a cantar como se fizessem parte de um mesmo universo. Não em carne e osso mas em som e imagem, com recolhas transformadas e manipuladas em tempo real, servindo de base para a composição e improvisação musical de Vasco Ribeiro Casais.

sem nome (6)

 

Também se propõe um baile onde todos os temas tocados são dançáveis, segundo o ritmo e o balanço das danças tradicionais e não só (Repasseados, Drum n’bass, Malhões, Viras, Break Beat, Corridinhos...). Omiri é, acima de tudo, remix, a cultura do século XXI, ao misturar num só espectáculo práticas musicais já esquecidas, tornando-as permeáveis e acessíveis à cultura dos nossos dias, isto é, sincronizando formas e músicas da nossa tradição rural com a linguagem da cultura urbana. Em Omiri a música e cultura portuguesa é rica e gosta de si própria.

 

Tendo lançado o seu 2ª album “Baile Electrónico” em Abril de 2017, estando já disponivel internacionalmente quer em formato digital quer em formato fisico, ocupa neste momento a 3ª posição do Top das Músicas do Mundo - World Music Charts Europe, sendo assim reconhecido pelos criticos e radialistas a nivel internacional como um dos albuns mais interessantes de 2017.

Omiri apresenta-se no Porto e em Lisboa nos próximos dias 25 e 30 de Novembro respectivamente, concertos integrados na digressão de Baile Electrónico que já passou por Portugal, República Checa, Estónia e Bélgica, mas antes no dia 13 de Outubro regressam a casa, a Setúbal para um concerto no Cinema Charlot

"A Mão Direita" é o novo single dos Madrepaz

A mão exprime, simultaneamente, as ideias de actividade, de poder e de domínio. Simbolicamente, a esquerda corresponde ao não agir, à sabedoria, ao receber e, a direita, associa-se à acção, ao fazer. Através do vídeo para o novo single dos Madrepaz, "A Mão Direita", a banda fez o exercício da privação desta última: o que nos acontece, quando ficamos incapacitados de agir e, consequentemente, de dar?

b70a7723-0b0d-453d-87e6-f1bd7a6b205c

O vídeo, cuja animação foi realizada por Lucas Almeida, tendo a edição ficado a cargo de Diogo Grilo, conta-nos a história do gigante Toñito, e da sanação da sua mão direita partida. Toñito terá que fazer a sua peregrinação de desapego e sacrifício para poder sarar a sua habilidade de dar. Pelo caminho, dá-se conta que tudo se transforma, tudo começa e tudo termina. Toñito aprende que quando se abraça esta aceitação, abre-se espaço para que a cura aconteça. 

"A Mão Direita" sucede a “O Sol Amarelo”, tema que foi inicialmente incluído na compilação “Novos Talentos Fnac 2016”, “Novas Pontes” e "Sopra o Vento", conquistando a aceitação das rádios da especialidade. “Panoramix” está disponível digitalmente nas mais diversas plataformas.  

 

15 Outubro 2017 - CultRua (Lisboa)

21 Outubro 2017 - Lisboa

8 Novembro 2017 - Casa da Música / Café Concerto (Porto)

10 Novembro 2017 - FNAC Sta Catarina (Porto)

10 Novembro 2017 - FNAC Norteshopping (Matosinhos)

 

Exposição internacional “Fazer Sentido” arranca sábado em 5 espaços de Ílhavo

Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré, Casa da Cultura de Ílhavo, Museu Marítimo de Ílhavo, Museu Vista Alegre e Biblioteca Municipal de Ílhavo: são estes os 5 espaços que, de 7 de outubro a 30 de dezembro, acolhem nas suas instalações cerca de uma centena de trabalhos de 34 artistas, nacionais e internacionais, de 13 países diferentes.

IMG_5660

 

A inauguração da exposição é no próximo sábado, dia 7 de outubro, às 15:00, na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré, percorrendo os restantes espaços ao longo da tarde. O desafio partiu da Art-Map, através da curadora Madina Ziganshina, ao projeto cultural 23 Milhas, e vai juntar o resultado de oito residências na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré aos trabalhos de outros artistas convidados. Nas residências artísticas, que aconteceram a partir de abril deste ano, os artistas foram convidados a criar a partir dos materiais e do imaginário do território ilhavense. Algumas das obras presentes na exposição foram trabalhadas a partir de materiais cedidos pela comunidade piscatória, empresas e indústrias da região.

 

Os trabalhos exploram ainda técnicas e expressões distintos, com trabalhos de pintura, escultura, instalação, vídeo, colagem, etc., numa exposição eclética que desafia o público a percorrer os cinco espaços do Município de Ílhavo que fazem parte do projeto. Além disso, paralelamente à exposição, é promovido um ciclo de atividades com participação de artistas, oficinas, apresentações, conversas com os artistas e um concerto. No segundo sábado de cada mês (14 outubro, 11 novembro, 9 de dezembro), entre as 10:30 e as 12:30, há visitas guiadas à exposição, com transporte assegurado entre os espaços. Todas as semanas, um artista presente na exposição estará disponível para visitas à exposição e conversas destinadas tanto aos alunos do Ensino Secundário como ao público em geral.

 

Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré

António J. Rocha, Portugal - Carlos Teixeira, Portugal - Catarina Machado, Portugal  - João Sousa Pinto, Portugal  - José Rosinhas, Portugal  - Maja Kirovska, Macedónia  - Marisa Piló, Portugal  - Patrícia Ferreira, Portugal  - Sandra de Jaume, Espanha  - Sharon Peretz, Israel

 

Casa da Cultura de Ílhavo

Adalberto, Portugal  - Alessandra Sequeira, Costa Rica  - Andreas Gruner, Alemanha  - David Ian Bickley, Irlanda  - Emma Brack, Noruega  - Irena Paskali, Alemanha  - Letícia Larín, Brasil - Luis Filipe Rodrigues, Portugal - Marisa Piló, Portugal - Matej Tomažin, Eslovénia  - Merna Liddawi, Inglaterra - Miguel Neves de Oliveira, Portugal - Mina Kouzouni, Grécia - Pin Vega, Espanha

 

Biblioteca Municipal de Ílhavo

Egle Grunfeld, Israel - Kathleen Kuchera, Estados Unidos - María X. Fernández, Espanha - Piotr Pandyra, Polónia

 

Museu Marítimo de Ílhavo

José Plácido, Portugal

 

Museu Vista Alegre

Alberto Vieira, Portugal - Angela Beth Conte, Portugal/Brasil - Marion Jones, Inglaterra - Sílvia Vale, Portugal

“Sting: Live At The Olympia Paris” lançado a 10 de Novembro

Acaba de ser anunciado o lançamento de “Sting: Live At The Olympia Paris”, a 10 de novembro, em DVD, Blu-ray e para download digital. “Sting: Live At The Olympia Paris” capta a aclamada digressão do músico quando chegou à capital francesa, para um concerto muito especial da icónica sala de espetáculo, em abril deste ano. Descrito como “um espetáculo de uma vida” (The Vancouver Globe & Mail), “Live At The Olympia Paris” celebra os melhores momentos da grande carreira deste músico já premiado com 16 Grammys, com interpretações surpreendentes das novas canções do seu álbum mais recente, “57th & 9th”, incluindo o single “I Can’t Stop Thinking About You”, e a épica “50,000”, além dos êxitos dos The Police e da carreira a solo de Sting. “Sting: Live At The Olympia Paris” demonstra como Sting abrange uma grande variedade de estilos, bem como de influências musicais, num só concerto monumental.

Sting_Paris_2D_blu_ray_lo_1

No concerto, Sting é acompanhado de uma banda de quatro elementos, incluindo o guitarrista de longa data, Dominic Miller, Josh Freese (bateria), Rufus Miller (guitarra) e Percy Cardona (acordeão), com o coro composto por Joe Sumner e Diego Navaira & Jerry Fuentes, dos The Last Badoleros. O DVD e o Blu-ray contêm como material bónus 9 performances de Sting com convidados especiais.

A digressão “57th & 9th World Tour” recebeu uma grande aclamação crítica: “Este é um excelente presente para os fãs” (Vancouver Sun); “Não menos que brilhante” (Mass Live); “A atual encarnação de Sting mostra-o no seu melhor” (The Daily Gazette, Saratoga); “Parece não envolver qualquer esforço – mas ser tão bom durante tanto tempo é porque existe algo de muito especial” (The Independent).

A esgotada digressão “57th & 9th World Tour” foi apresentada pela Live Nation e começou a 1 de fevereiro em Vancouver, no Canadá. Após um total de 115 concertos por toda a América do Norte, Ásia, América Latina e Europa (tendo passado por Portugal, pelo Festival MEO Marés Vivas), a digressão chega ao fim no próximo dia 17 de outubro, na Roménia. O último álbum de Sting, “57th & 9th”, foi lançado em novembro de 2016 e atingiu o top 10 de vendas em vários países um pouco por todo o mundo.

 

“Governar Melhor”… Como Modernizar os Governos para que Consigam Responder aos Desafios do Futuro

A aproximação de mais um aniversário da República portuguesa é uma boa oportunidade para refletir sobre os desafios que se colocam aos governos, independentemente dos partidos ou protagonistas políticos, sobretudo sobre a sua necessidade de modernização e inovação.

untitled

 

Foi isso mesmo que fez Fernando Teigão dos Santos no livro Governar Melhor. Para este especialista em planeamento, que já foi assessor em dois executivos, “os governos estão a ficar anacrónicos nesta época de inovação em que tudo se reinventa para ser mais eficiente. Parecem cassetes na era da música em formato digital. Ou chaimites do tempo da revolução a circular na Avenida da Liberdade. Pouco têm mudado no seu funcionamento interno ao longo de 40 anos, e as limitações são cada vez mais evidentes. Na verdade, a reforma do Estado devia começar pela reforma do Governo”.

 

O livro explora a necessidade de repensar a governação para que esta se torne mais competente, moderna e eficiente, pois só assim será possível “governar melhor”. O autor apresenta propostas concretas para reciclar o funcionamento dos governos, que poderão significar uma poupança anual de 150 milhões de euros. Reduzir a dimensão dos gabinetes e reformar as suas funções, é uma das medidas propostas.

 

Uma edição A Esfera dos Livros

“Arte em São Bento”… Serralves 2017

A partir de hoje, 5 de outubro de 2017, a Residência Oficial do Primeiro-Ministro, em São Bento, Lisboa, acolhe uma seleção de 26 obras de arte dos séculos XX e XXI, entre pintura, fotografia e desenho, incluídas na Coleção de Serralves.

cabecalho2

A exposição inclui um conjunto de trabalhos distintivos de proeminentes artistas portugueses, ou cuja carreira esteja ligada a Portugal, com especial preocupação para o agrupamento e para o diálogo entre as obras expostas em cada espaço.

Com a iniciativa “Arte em São Bento”, a Residência Oficial inicia uma trajetória inédita por museus e coleções portuguesas de arte moderna e contemporânea, em regime de rotatividade anual.

 

A partir desta data, os jardins e as salas principais da Residência estão disponíveis para visitas, todos os domingos, com entrada gratuita até 4 de Outubro de 2018