Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

A viagem pelo choupal do Indie Music Fest 2017

A edição do 5º aniversário do Indie Music Fest começou com El Señor e nem o braço ao pescoço fez com que o concerto não fosse memoriável, digamos um tsunami de boa música surfado com uma prancha de bodyboard. Passamos surf rock para as saias dançantes dos Moda Americana, espalhando as suas flores estampadas por todo o bosque.

DSC_0066 (Cópia)

Trocou-se o disco e passamos para F O Q U E, projeto a solo de Luís Leitão, numa versão mais live na companhia do baterista Luís Dinis e a voz da Catarina Rosso. Sobem ao palco, trazendo o melhor do seu Rock, os The Flying Monkeys e aumentando sempre o ritmo passamos para Flying Cages que são um Novo Talento Fnac.

A noite acabou já de roupão vestido, moches e crowdsurf ao som de The Lazy Faithful que dedicaram o concerto ao padrinho do festival, Álvaro Costa, pelos seus 58 anos realizados no dia 29.

DSC_0073 (Cópia)

No segundo dia ouviu-se, entre as árvores do bosque, a melodia entoada por todos “Eu quero Baltar, ao ponto de partida”. Os concertos começaram com uma vibe intimista dos Lucky Who e, sem perder a energia relaxante os Phanton Trio fizeram soar dos seus instrumentos o jazz que o palco relva precisava. Os Toulouse estrearam o palco principal no seu regresso ao Bosque do Choupal, que fizeram prolongar o pôr-do-sol com o seu rock tão bom de se ouvir. Já com o luar a espreitar, o palco principal teve direito a HidromelKron Silva, O Homem do Robe e, sempre que era possível, todos se juntavam numa só voz a gritar por Gondomar. Os Marvel Lima subiram ao palco principal para apresentar o seu primeiro álbum, homónimo, cheios de boa música e muita dança. Seguindo para o palco cisma onde Rapaz Ego multiplicou-se por quatro e tornou deu boa música aos Indies e ao bosque. No palco principal, Manuel Fúria & Os Náufragos fecham o segundo dia e, mesmo com algum atraso, ninguém se cansou de esperar e até fizeram que Manuel chorasse. Foi deveras um concerto memorável para os Indies, para o Indie Music Fest, para o Manuel Fúria & Os Náufragos.

DSC_0215 (Cópia)

No último dia do festival, para surpresa de todos, Caio caiu de guitarra na mão nas piscinas de Baltar. Seguiu-se The Miami Flu com a apresentação do seu álbum de estreia “Too Much Flu Will Kill You”, fazendo os Indies do palco relva dançar. O dia passou-se quase em câmara lenta para se poder aproveitar todo o sentimento de Moon Peachers, o soul de Eden Lewis II, one man show de Mr. Gallini, o melhor de Paraguaii num cenário obscuro e a eletrónica de Jonny Abbey.

Terminava assim a 5º edição do Indie Music Fest com The Poppers cheios de energia e estilo, seguidos de Stone Dead que deram ao público o aquecimento perfeito para Pás de Probléme fecharem o cartaz da melhor maneira.

 

Mais fotografias nas galerias do facebook da Glam Magazine

 

Reportagem: Mariana Lisboa

Manel Cruz e Songhoy Blues no Vodafone Mexefest

Setembro está aí, mês de recomeços e altura ideal para organizar a agenda para os próximos meses. Tempo de reservar definitivamente os dias 24 e 25 de Novembro, datas da próxima edição do Vodafone Mexefest, que tem mais novidades: a Avenida da Liberdade em Lisboa vai acolher o calor africano dos Songhoy Blues e a poesia inconfundível de Manel Cruz.

manel.jpg

photo: Paulo Homem de Melo


É impossível fazer uma história da música portuguesa sem referir o nome de Manel Cruz. Responsável pelos portuenses Ornatos Violeta, tornou-se a voz de uma geração e, durante muitos anos, a esperança maior do rock cantado em português. Além do sucesso da banda Ornatos Violeta, Manel Cruz sempre fez questão de colocar o seu talento ao serviço de múltiplos projetos: Pluto, Supernada ou Foge Foge Bandido mostram que é possível ser versátil sem nunca perder a identidade.

Nos últimos dois anos, Manel Cruz, com Nico Tricot, Edu Silva e António Serginho, apresentou “Estação de Serviço”, um projeto que entretanto evoluiu para “Extensão de Serviço”. Nos planos de Manel Cruz está também a edição de um novo disco, já no próximo ano, em 2018. Enquanto esse disco não chega, já podemos ouvir uma nova canção: “Ainda Não Acabei”. Uma canção que soa a… Manel Cruz, claro. O público do Vodafone Mexefest não esperaria outra coisa.

 

Sabemos que cada banda tem a sua mitologia, mas poucas podem contar uma história (real) tão forte como aquela que foi vivida pelos Songhoy Blues. Obrigados a fugir do norte do Mali pela violência exercida por fundamentalistas islâmicos, Garba Touré, Aliou Touré, Oumar Touré e Nathanael Dembelé encontraram-se uns aos outros na capital Bamako, onde também reencontraram a preciosa liberdade de fazer música.

A riqueza da música do Mali em conjunto com as melhores referências anglo-saxónicas resulta num magnífico blues do deserto. Depois do sucesso do disco de estreia, “Music in Exile”, os Songhoy Blues voltam a juntar blues, funk e rock & roll no novíssimo “Résistance”, mas arriscam mais ingredientes: uma pitada de hip-hop e reggae fazem com que o convite à festa seja ainda mais irresistível. Temas como “Bamako” ou “Yersi Yada” prometem aquecer o público do Vodafone Mexefest.

 

 

 

 

 

 

 

Porto Best Of… com Clã + Best Youth

O Porto Best Of, iniciativa da Câmara do Porto com curadoria de Miguel Guedes, regressa ao Rivoli dia 19 de Outubro com os Clã e os Best Youth numa noite dedicada à Pop.

15781816_1894241560809791_6935170699952953212_n

photo: Paulo Homem de Melo

 

Editado há 20 anos, o segundo disco dos Clã será recordado na integra ao vivo por Manuela Azevedo, Hélder Gonçalves, Miguel Ferreira, Pedro Rito, Pedro Biscaia e Fernando Gonçalves. Composto por uma cover de "I’m Free", dos Rolling Stones, e 12 originais com letras de Carlos Tê – consolidando uma parceria criativa, indissociável da carreira dos Clã, que dura até aos dias de hoje -, de "Kazoo" fazem parte hinos como "Problema de Expressão", "GTI (Gentle, Tall & Intelligent)" e "Loja de Porcelanas". Com este disco, que sucedeu a "LusoQualquerCoisa", os Clã conquistaram o reconhecimento da crítica e do público, e seguiram em digressão ao longo de mais de dois anos por Portugal, mas também Macau e Brasil.

Desde 1997 muito mudou na música em Portugal e na carreira dos Clã que, entretanto, já editaram cinco discos de originais, um DVD, um disco com Sérgio Godinho e um best of ao vivo.

 

Antes dos Clã é a vez dos Best Youth de Catarina Salinas e Ed Rocha Gonçalves apresentarem o álbum de estreia, "Highway Moon", do qual foram retirados os radiofónicos "Red Diamond", "Mirrorball", "Black Eyes" e "Renaissance". Seis anos depois do lançamento do primeiro EP, "Winterlies", os Best Youth são um dos projectos indie-pop mais interessantes da cena nacional tendo já marcado presença nos principais palcos portugueses.

O passado, o presente e o futuro da música portuguesa, com raíz no Porto, no mesmo palco. 

Concertos na Avenida…

Estão de volta os Concertos na Avenida, momento sempre especial em que a Casa da Música desce aos Aliados para celebrar a rentrée.

Duas noites de grande música, já neste fim-de-semana, com entrada livre e em clima de festa. Sexta-feira, dia 8, depois do sucesso absoluto que foi a digressão nacional de um projecto conjunto, o Remix Ensemble reencontra-se com os Mão Morta, desta vez num concerto que percorre a discografia da banda mais icónica do circuito alternativo do rock nacional, onde clássicos como “Facas em Sangue”, “Berlim” e “Destilo ódio” ou os mais recentes “Pássaros a esvoaçar”, “Tiago Capitão” e “Hipnose de Suicídio” surgem adaptados pelo compositor Telmo Marques.

2307d465-dd58-4227-97a4-1528f07298b3

No sábado, dia 9, a Orquestra Sinfónica despede-se do Verão com uma actuação preenchida por êxitos inesquecíveis da música sinfónica. Da alegria do Can-can de Offenbach ao emocionante Intermezzo da Cavalleria Rusticana de Mascagni, passando pelo emblemático solo de flauta do andamento De Manhã de Grieg, sem esquecer melodias que marcaram a história da canção americana e do jazz ou o brilho das danças latinas de Chabrier, Mejía e Moncayo, há um pouco de tudo num programa que encerra com um dos temas mais emblemáticos do cinema: Star Wars.

Salvador Sobral dia 8 de Setembro nos Jardins do Casino Estoril

O cantor, que trouxe para Portugal o primeiro triunfo na Eurovisão, abandonará temporariamente os palcos até ao completo restabelecimento do seu estado de saúde. Depois de ter cancelado os concertos no Festival F, em Faro, e em Anadia, Salvador Sobral terá que cancelar todos os compromissos profissionais agendados até final de 2017. Os concertos agendados serão repostos com novas datas a anunciar tão breve quanto possível, na sua grande maioria.

21105730_2016213615279251_7751610238622612312_n

photo: Paulo Homem de Melo

 

O último concerto de Salvador Sobral antes de se retirar temporariamente da vida artística realiza-se no âmbito do FIC (Festival Internacional de Cultura), co-organizado pela Câmara Municipal de Cascais e pelo Grupo Leya, a quem agradecemos desde já a disponibilidade e total colaboração na mudança de espaço do concerto que, para acolhimento de maior número de público, se realizará nos Jardins do Casino Estoril, dia 8 de Setembro pelas 22h com entrada livre.

 

Em nome do Salvador Sobral e de toda a equipa que com ele trabalha, agradecemos a compreensão de todos, bem como as manifestações de carinho e apoio ao artista ao longo do intenso percurso dos últimos meses.

Ciclo de Fado no Cineteatro António Lamoso

O Cineteatro António Lamoso promove o seu primeiro Ciclo de Fado, um programa de 3 dias que conta com um workshop e 4 concertos em duas noites. Artistas de renome internacional e acarinhados rostos do território dão voz a esta iniciativa, de 14 a 16 de setembro, uma aposta na oxigenação vibrante desta emblemática expressão nacional.

RicardoRibeiro_divulgação.jpg

Ricardo Ribeiro, em digressão internacional, passa por Santa Maria da Feira para dirigir o workshop Novas Tendências do Fado (14 de setembro) e apresentar o seu mais recente disco “Hoje é assim, amanhã não sei” a 15 de setembro. O músico, que recebeu o prémio revelação masculina da Fundação Amália Rodrigues (2005), foi também eleito o melhor intérprete masculino em 2011 pela mesma fundação.

 

Na noite seguinte (16 de setembro), triplicam-se os artistas e o palco acolhe Celeste Rodrigues, a mais antiga fadista de Lisboa em atividade, e as acarinhadas figuras locais, David Xavier e Mafalda Campos. Celeste Rodrigues, a irmã mais nova de Amália Rodrigues, dispensa apresentações, tem uma carreira que conta com mais de sete décadas enobrecendo o Fado pelo mundo. Depois de ter participado no programa televisivo Uma Canção para ti, David Xavier experimentou diferentes texturas musicais por vários pontos do país até se encontrar nesta sonoridade, que explora atualmente. Mafalda Campos Leite tem-se apresentado nas mais variadas salas do país. Eximia solista, é uma das figuras locais mais acarinhas e dá voz a alguns dos temas musicais mais representativos do Município de Santa Maria da Feira.

Quatro vozes de quatro gerações distintas para quatro abordagens ao Fado, a canção nacional por excelência e Património Cultural Imaterial da Humanidade, numa celebração entre a saudade e o encontro de exortação à insigne alma Lusitana.

 

14 Setembro 2017

21.30h às 23.00h - Workshop Novas Tendências do Fado, com Ricardo Ribeiro (Gratuito mediante Inscrição através de cineteatro@cm-feira.pt)

 

15 Setembro 2017

22.00h - Ricardo Ribeiro

 

16 Setembro 2017

22.00h - Celeste Rodrigues, David Xavier, Mafalda Campos Leite

5º Aniversário Culturarte com edição especial do Sofar Sounds Coimbra

Os anos passam e os momentos infindáveis acumulam-se no saco das memórias. 2017 não é diferente e, pelo contrário, tem sido um ano especial.

Com a marca dos 10 mil seguidores ultrapassada, e com os seus altos e baixos, a Culturarte aqui continua e comemora agora 5 anos de vida.

a0ed224e-520a-415a-985c-44be4f80fd67

Como seria esperado para quem nos acompanha, e se "home is where your heart is", a nossa casa é e será o Salão Brazil, na baixa da cidade. A festa vai ser de arromba e é já no próximo dia 16 de Setembro, como sempre, com a boa música que por cá vemos nascer e crescer. Os pormenores, esses, estão muito próximos de ser transformados no countdown mais excitante deste final de Verão.

 

No dia seguinte, 17, o Sofar Sounds Coimbra abraça as celebrações do V Aniversário da Culturarte e regressa com uma dedicada edição especial de Setembro. Os nomes e o local são, como é hábito, secretos mas, ainda assim, prometem-se novidades

noiserv lança caixinha de música com tema do último disco

A dois meses de comemorar um ano de existência, o disco “00:00:00:00” vê-se agora transposto para uma bonita caixinha de música, ONZE foi o tema escolhido pelo músico lisboeta.

DSCF1286

A delicadeza que caracteriza o piano desta canção é agora "acompanhada" de um ambiente que nos remete para a infância e pela vivência que cada um de nós pode acrescentar ao tocar esta música ao seu próprio ritmo. Citando noiserv...

"não há melhor forma de tornar uma música nossa do que podermos tocá-la à nossa velocidade".

Num ano cheio de concertos um pouco por todo o lado, dentro e fora do nosso país, noiserv considera esta uma boa forma de comemorar a boa receptividade que o disco tem tido junto do público.

 

Próximos concertos:

8 Setembro 2017 - Loftas Fest'17 | Europavox stage, Vilnius (Lituânia)

13 Setembro 2017 - Festival Le Chainon, Laval (França)

16 Setembro 2017 - Cineteatro João verde (Monção)

17 Setembro 2017 - Festival Iminente (Oeiras)

22 Setembro 2017 - Teatro Baltazar Dias (Funchal)

100 Anos de Violeta Parra… Concerto de Isabel Parra e Tita Parra

Um concerto íntimo assinala os 100 anos de Violeta Parra. Em palco a filha, Isabel, e a neta, Tita, revisitam o repertório da cantautora chilena. Este concerto integra-se na programação de Passado e Presente - Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017 e  as comemorações do centenário do nascimento de Violeta Parra, organizadas pela Secretaria de Cultura do Governo do Chile

isabel e tita parra do chile 2 Crédito-Marcelo Ma

O ano em que Lisboa é Capital Ibero-americana de Cultura, 2017, é também o ano em que se assinala o centenário do nascimento da cantora chilena Violeta Parra, figura incontornável na música e na História recente do Chile. Violeta Parra “comoveu públicos para lá das fronteiras do Chile e para lá da sua geração […] o seu trabalho foi um constante compromisso com os direitos humanos e com a justiça social, ambos cantados em versos fluídos e poéticos (…) abordando sempre os mistérios humanos e a condição de mulher”.

 

Violeta Parra tem marcado presença na programação de Passado e Presente- Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017 em diversos momentos. Agora, Isabel Parra e Tita Parra, respectivamente, filha e neta da cantora chilena, acompanhadas pelos músicos chilenos Greco Acuña e Juan Antonio Sánchez, marcam presença em Lisboa. Neste concerto as artistas revisitam as composições mais emblemáticas de Violeta, passando por temas cuja raiz radica na música popular chilena e latino-americana. São ainda apresentadas criações originais de Isabel e de Tita. O espetáculo apresenta uma sonoridade acústica, repleta de ritmos chilenos e latino-americanos reinventados, contando com instrumentos como guitarras acústicas, cuatro venezuelano, charango, percussões e flauta transversal.

 

Violeta Parra é pouco conhecida em Portugal, mas foi graças a ela que, nos anos 50, a música tradicional chilena viveu um período áureo de resgate e valorização: em viagem pelo país, mapeou ritmos, danças e canções, reunindo um espólio de cerca de três mil canções tradicionais. Depois, na década de 60, a sua defesa do património colocou-a na frente do movimento da nueva canción, que não foi mais que a música de intervenção do Chile de Salvador Allende. Violeta Parra pode ser considerada a mãe da canção comprometida com a luta dos oprimidos e explorados, tendo sido autora de páginas inapagáveis como a canção “Volver a los 17”. O lirismo dos versos de canções como “Gracias a la vida” (gravada por Elis Regina) embalou o ânimo de gerações de revolucionários latino-americanos em momentos em que a vida era questionada nos seus limites mais básicos.

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

12 de Setembro 2017 | 21.00h

 

Fotografia: Marcelo Machuca

Kurt Weill de Adriana Queiroz com data extra…

Kurt Weill” de Adriana Queiroz tem agora mais uma data agendada. 17 de Setembro, que se ajunta assim à data de 16 de Setembro já anunciada para o Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa.
O espetáculo percorre a vida e obra do compositor através dos 3 idiomas e 3 países cruzados por ele. A voz principal, concepção e encenação é de Adriana Queiroz, cantora, atriz e bailarina que vos convido a entrevistar.

Image1a.jpg

Adriana tem uma grande ligação com o palco. Começou a estudar dança clássica aos 3 anos e pertenceu à formação do Ballet Gulbenkian e Companhia Nacional de Bailado onde foi primeira-bailarina. Trabalhou com Jorge Salaviza, Olga Roriz e outros nomes maiores da dança Nacional.

 

Em 2009 estreia-se como cantora no espetáculo “NOW” e dois anos depois grava o seu primeiro trabalho discográfico, “Ariadne”, com direção musica de Pedro Jóia e a partir daí tem sido cantora, atriz, bailarina, encenadora nos espetáculos que apresenta.

“KW – Kurt Weill” tem concepção de Adriana Queiroz, que também é a cantora principal e conta com a interpretação da Orquestra Metropolitana e o pianista Francisco Sassetti com orquestrações de Filipe Raposo. Os figurinos são de José Antonio Tenente.

U2… O regresso com “You’re The Best Thing About Me”

You’re The Best Thing About Me” é o primeiro single do muito aguardado 14.º álbum de estúdio dos U2, “Songs of Experience”, e é lançado hoje.

A capa do novo single é uma fotografia de Anton Corbijn tirada à filha de The Edge, Sian Evans.

capafacebook

O lançamento do primeiro single sucede-se à surpresa revelada aos fãs do grupo na semana passada, um vídeo da interpretação do tema “The Blackout”, também retirado deste próximo álbum.

Songs of Experience” é a continuação do álbum de 2014, “Songs of Innocence”, sendo que estes títulos são inspirados na coletânea de poemas do século XVIII “Songs of Innocence and Experience”, da autoria do místico poeta William Blake. Enquanto “Songs of Innocence” fazia referência às primeiras influências e experiências do grupo, datadas de finais dos anos 1970 e início da década de 80, já o novo álbum é um conjunto de canções em forma de cartas íntimas a lugares e pessoas que são muito próximas do cantor; família, amigos, fãs, e ele próprio.

Charles Bradley cancela digressão que inclui concertos em Portugal…

O músico norte-americano anuncia o cancelamento da digressão mundial devido ao agravamento do seu estado de saúde. Depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro no estômago, no outono passado, Charles Bradley concentrou-se no tratamento da doença e na Primavera regressou aos palcos. Recentemente, o músico voltou a sentir-se cansado após os concertos e os médicos descobriram que o cancro se tinha alastrado ao fígado, apesar de já não estar no estômago.

19793201_1ZjR7.jpegphoto: Paulo Homem de Melo

 

Uma vez mais, Charles Bradley vai retirar-se para cuidar da sua saúde, mas o músico fez saber que apesar de se sentir destroçado, não vai desistir. Ele conseguiu vencer o cancro no estômago e está pronto para mais esta nova batalha.  

"Amo-vos, a todos que fazem os meus sonhos se tornarem realidade. Quando voltar, vou voltar mais forte, com o amor de Deus. Se Deus quiser, volto em breve", escreve Charles Bradley no comunicado oficial de cancelamento da digressão mundial.

 

Aos 68 anos, o cantor de soul e funk tinha o regresso a Portugal agendado para dia 23 de Novembro, no Coliseu do Porto, e posteriormente actuaria no Vodafone Mexefest. Concertos muito aguardados, após a passagem por Portugal no EDP COOL JAZZ, em 2013, no festival NOS Primavera Sound, em 2014, e no Vodafone Paredes de Coura, em 2015.

Na bagagem, o músico trazia o terceiro álbum de originais, "Changes", considerado pela crítica como um dos melhores de 2016.

Gregory Porter anuncia novo álbum, “Nat King Cole & Me”

Gregory Porter está de volta com um novo álbum, “Nat King Cole & Me”, que será lançado a 27 de outubro. O disco é um tributo profundamente pessoal a Nat King Cole, o crooner lendário que despontou a Gregory o seu amor pela música. “É natural que vá às raízes da minha inspiração. E essas raízes seriam a minha mãe, a música gospel e Nat King Cole”, diz.

gregory_porter_hb_010917

O novo álbum assinala também a primeira vez que Gregory gravou com uma orquestra completa, tendo o cantor se reunido recentemente com o maestro Vince Mendoza, num evento especial em Londres. Gravado nos AIR Studios, em Londres, o álbum de 12 temas conta com os temas favoritos de Gregory Porter do repertório de King Cole, incluindo “Smile”, “L-O-V-E” e “Nature Boy”. O álbum inclui ainda um tema original de Gregory, “When Love Was King”, com um arranjo inspirado em Nat King Cole, lançado originalmente no seu álbum “Liquid Spirit”.

 

Para Gregory Porter, a influência de Nat King Cole na sua vida é muito profunda, fazendo parte das suas primeiras memórias de infância, culminando agora com o lançamento do seu novo álbum, “Nat King Cole & Me”. Gregory explica: “Quando tinha cinco ou seis anos, a música de Nat preencheu um vazio que sentia. O meu pai não fazia parte da minha vida nem mostrava qualquer interesse em mim ou em criar-me. As palavras de Nat eram como lições de vida, palavras de sabedoria e conselhos paternais que precisava.”

Nat King Cole & Me” é o sucessor dos álbuns vencedores de Grammys “Liquid Spirit” (2013) e “Take Me to the Alley” (2016). “Liquid Spirit” fez com que Gregory passasse de ser o maior nome na cena jazz para um um dos mais populares cantores da atualidade. O talento de Gregory transcende géneros e chegou mesmo à música dança com o surpreendente êxito “Liquid Spirit Claptone Remix”, que se tornou num dos temas mais populares em Ibiza.

Depois de conquistar públicos com a sua voz soul, não pode existir melhor altura para Gregory regressar à música que o inspirou a se tornar num cantor. Sobre o legado e a influência de Nat, Gregory afirma: “Ele era único. Deixou tanta música incrível, temas lindíssimos que se tornou impossível não ser influenciado pelo seu timbre extraordinário e pelo seu estilo.”

Improviral… O novo espectáculo dos Improvio Armandi

Todos os dias, mais de 5 biliões de vídeos são vistos na internet. Alguns desses vídeos tornam-se virais e correm o mundo, de clique em clique sem que ninguém saiba a sua origem. Mas por trás de cada queda, cada gaffe ou cada ato heroico há uma história à espera de ser contada... E é isso mesmo que os Improvio Armandi vão fazer em ImproViral, o seu novo espectáculo

ImproViral.jpg

Depois de esgotar o Auditório Carlos Paredes e as sessões na Comic Con Portugal com as duas edições de Trailer e com Jogo dos Tronos, uma Paródia Medieval Improvisada, o grupo regressa a este palco com mais um conceito que promete proporcionar muitas gargalhadas. ImproViral envolve computadores, vídeos e a promessa de revelar a história por detrás de qualquer vídeo da internet.

 

Neste novo formato original, os Improvio Armandi comprometem-se a improvisar a história de qualquer vídeo que os espetadores escolham. Durante uma hora, o público vai ser sucessivamente desafiado a subir a palco e a escolher um vídeo da internet, seja ele qual for, desde uma coletânea de quedas de 2013 a um gatinho bebé a brincar com um novelo, tudo é válido, porque essa será a base da cena a improvisar. Cada vídeo é uma história.

 

ImproViral vai estar em cena nos dias 8, 9, 15 e 16 de Setembro no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, às 22 horas

Maroon 5 lançam novo single: “What Lovers Do (feat. SZA)”

Os Maroon 5, acabam de estrear o seu novo single, “What Lovers Do (feat. SZA)”, em todas as lojas e plataformas digitais. Com “What Lovers Do”, os Maroon 5 regressam aos tops com um novo tema imediatamente irresistível. Para esta canção, o grupo contou com o talento aclamado pela crítica de SZA, concretizando assim uma colaboração que funde o estilo único da banda com a entrega sedutora de SZA.

maroon-5-1.png

What Lovers Do” é o mais recente de uma série de singles viciantes que os Maroon 5 têm lançado ao longo do último ano. Em fevereiro, a banda lançou o hipnótico “Cold (feat. Future)”. Antes de “Cold”, o grupo lançou o enorme sucesso “Don’t Wanna Know (feat. Kendrick Lamar)”

 

A 16 de setembro, a banda será um dos cabeças de cartaz da edição deste ano do festival Rock in Rio, no Brasil. Nesse mês o grupo concluirá assim a sua atual digressão mundial, que conta com mais de 120 concertos em mais de 30 países, com cerca de 2,5 milhões de espectadores.