Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Charles Sangnoir estreia-se com disco em nome próprio… “Charlie Plays the Blues”

Após 10 anos e 4 albums ao volante de La Chanson Noire, e antes de se mudar de armas e bagagens para o sul de França - Charles Sangnoir revisita as suas raizes de blues, rock e cabaret e estreia-se com um disco em nome próprio: “Charlie Plays the Blues” é isso mesmo, uma visita ao jazz dos anos 30, ao blues que vai de Mississipi a Chicago, com uma piscadela de olho ao cabaret alemão de princípio de século XX e sempre com a adrenalina do rock’n’roll nas veias.

a1741427997_10

O resultado é um blues eléctrico, eclético, intenso e pleno de feeling. Charles Sangnoir é um musico e produtor originário de Portugal. Escreveu música para televisão, rádio e cinema, e tocou em mais de 200 espectáculos em cidades como Lisboa, Porto, Paris, Londres, Madrid ou Vigo.

Enquanto produtor, supervisionou a concepção de mais de 30 álbuns, eps e singles, assim como um número semelhante de videos. Figurou como pianista residente em 2 programas de televisão ('5 para a meia noite' e 'É a vida Alvim') ao longo de mais de 300 episódios. Fundador da Necrosymphnic Entertainment, uma das primeiras netlabels portuguesas, participou também como pintor em diversas exposições colectivas e individuais e desenhou artwork para os discos de diversos artistas portugueses.

 

Time For T editam "Hoping Something Anything" a 15 de Setembro

O novo “Hoping Something Anything” foi gravado ao longo do ano de 2016 nos Spitfire Audio Studios em Londres, produzido pela própria banda e masterizado por JJ Golden (Rodrigo Amarante, Devendra Banhart, Vetiver) em Ventura, California. Vai ser editado dia 15 de Setembro pela Last Train Records, editora que Time For T tem em parceria com a banda amiga de Brighton, Common Tongues.

Hopingsomethinganything_finalcover

Devido à produção própria, conseguiram explorar, sem limitações, as sonoridades que tinham imaginado para este novo trabalho e o som está mais desafiante que nunca, com momentos orquestrais e canções menos pop que o que têm vindo a compor até hoje. De canções calmas folk a rock psicadélico e batidas tropicais, o álbum une-se pelo paladar de sons que atravessam os géneros musicais e oferece uma familiaridade de canção a canção mesmo quando as canções mudam drasticamente de estilo. Em termos da composição, metade das canções foram compostas ao longo de alguns anos desde o último lançamento (Homónimo) e a outra metade foram inspiradas pela viagem de Tiago Saga à India no início de 2016. O processo de composição deste novo registo começa com Tiago e uma guitarra, o qual leva o esqueleto da canção (estrutura, melodia e letras) ou então uma ideia (rabiscos de melodias e letras) à restante banda que depois começam a juntar os músculos e os pormenores com bateria, baixo, pianos e outros instrumentos.

Agora lançam novo single, “Ronda”, inspirado pela visita da banda à cidade de Ronda no Sul de Espanha onde tocaram no Festival Muwart onde foram incrivelmente recebidos por um público com quem criaram imediatamente uma relação especial.

O título remete à cidade e ao amor com que ficaram pela mesma mas a letra vai mais além e fala da necessidade de cada um ter o seu tempo, para estar sozinho, tempo para si próprio como alimento para depois poder estar com os outros.

Time For T foram fundados em Brighton por Tiago Saga, um jovem de herança britânica, libanesa e espanhola que cresceu na Califórnia portuguesa - como o próprio apelida o Algarve. Enquanto estudava Composição Contemporânea na Universidade de Sussex, Inglaterra, Tiago Saga foi criando a sua própria sonoridade assente na world music e folk rock anglo-saxónica com outros músicos que foi conhecendo e com quem foi partilhando as mesmas inspirações: desde Bob Dylan a Ali Farka Toure. Tiago Saga (voz e guitarra), Joshua Taylor (baixo), Martyn Lillyman (bateria), Oliver Weder (teclas) - e outros membros honorários como Andrew Stuart-Buttle (violino), Harry Haynes (guitarra eléctrica) e Louis Pavlo (teclas). De murmúrios a gritos melódicos, de voz rasgada e de guitarradas dedilhadas por ritmos tropicais, Time For T apresentam uma sonoridade única e bem definida capaz de produzir diferentes emoções. Ao vivo, transmitem uma energia invulgar, sendo responsáveis por um espectáculo contagiante que não deixa ninguém indiferente e convida à dança.

Depois do lançamento do primeiro longa duração “Hoping Something Anything” a 15 de Setembro de 2017 pela Last Train Records, a banda vai fazer uma digressão de apresentação pela Europa em Setembro e Outubro, terminando com algumas datas em casa: Portugal.