Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

NEOPOP FESTIVAL ’17… A fina nata da electrónica nacional remata cartaz de luxo

Falta um mês para o regresso daquela que é a mais prestigiada homenagem nacional ao universo da electrónica, o Neopop. Nesta que é já a sua 12ª edição, o festival volta para encher o Forte de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, e trazer para a pista de dança o que de melhor se produz na cena actual. Depois de anunciar um cartaz de peso que não deixa qualquer amante do mundo electrónico indiferente, o Neopop não se deixa calar. Em contagem decrescente para o festival e com um line up irrepreensível, a organização do Neopop anuncia um novo leque de convidados nacionais de excelência.

header_neopop

De Viana para o Mundo, estas são as novas confirmações nacionais para o Neopop Festival '17Alex FX, Cardia, Dexter, Diana Oliveira & Vasco Valente, Frank Maurel, Freshkitos, Glove b2b Trigger, Lewis Fautzi, Magazino, Moses & Nuno, Pixel82, Ramboiage, Rui Vargas b2b Tiago (ACID AKTION), RUUAR, Serginho, Sonja, Switchdance, Terzi, Tiago Fragateiro, TRIKK.

 

Line Up internacional já confirmado: Dixon, DJ Bone, Eric Cloutier, Helena Hauff, Jane Fitz, Maceo Plex, Moderat live, RØDHÅD, Solar, Sonja Moonear, Chris Liebing, Danny Tenaglia, DJ Stingray, Dr. Rubinstein, LOCO DICE, Paco Osuna, Paula Temple, Speedy J, Svreca, Avalon Emerson b2b Courtesy, Kraftwerk 3D, Octave One live, Tale Of Us, The Field live, Dax J, Planetary Assault Systems live, Voiski live, Zadig live.

 

Cardia

Depois uma jornada de quatro anos de estudo em engenharia de som no reconhecido SAE Institute, Cardia leva a sua devoção pela música, talento e engenho além do Djing. Como produtor, deixa na pista de dança uma sonoridade deep de influência techno sob um groove inconfundível. Em 2013, lançou o seu primeiro EP, Mountain Jaguar, com selo da Composite Records. Hoje, é uma das maiores revelações desta editora francesa.

 

Dexter

Foi há mais de 23 anos que, depois de saltar do campo para a cidade, Dexter entrou no universo do Djing. É desde 1999 DJ residente no Lux Frágil e responsável por inúmeros projectos musicais da cena actual. Foi um dos fundadores das festas Stardustballs e das noites Acorde e presença activa nas rádios Voxx e Oxigénio. Esta que é uma das mais sonantes referências no panorama nacional que, mais uma vez, tem nome inscríto no cartaz do Neopop.

 

Diana Oliveira e Vasco Valente

Diana Oliveira nasceu em Lisboa e cresceu em Braga mas só quando foi estudar para o Porto é que se cruzou com a música electrónica. Em 2010 tornou-se um dos maiores nomes da agência RDZ, o mais reconhecido projecto musical do underground nacional. Hoje, Diana é requisito obrigatório nos maiores eventos de electrónica do país: de gosto e elegância intocáveis, a DJ leva à pista a subtileza do deep house entre as mais hipnóticas formas do techno.

Vasco Valente procura, desde 2005, espelhar na música o que lhe vai na alma. Divide a sua vida entre a música electrónica e o néctar dos deuses e, depois de em 2011 se juntar à RDZ, despertou para o panorama nacional. Na música, como nos vinhos, os sets são coloridos de house com aromas de deep maduro, sabores recheados de techno bem fresco e um final longo e persistente, cheio de disco.

Atrás dos discos, os dois juntos, a receita é mistério mas o resultado fácil de prever: delicioso.

 

Frank Maurel

Aos 15 anos iniciou o seu percurso enquanto DJ e aos 20 Frank Maurel era já residente da melhor discoteca dos anos ’90, Rock’s. Hoje, já fundador da Unless Records, desenvolve um papel activo e de extrema relevância no lugar que ocupa a música electrónica em Portugal. Em 2010, foi o vencedor do Career Award MMC.

 

Freshkitos

A dupla Freshkitos nasce em 2004 com profecias lançadas e a ganhar calo no terreno do underground português. Os seus primeiros passos como precursores da música electrónica começaram no mítico The Oporto Official Afterhours e, a partir daqui, Philly aprofundou as suas bases como sócio da conhecida loja de discos Bimotor DJ Porto, enquanto Gustavo assegurava a sua residência e programação musical da discoteca Indústria. É destes projectos paralelos que surge a dupla Freshkitos – jovens, frescos e com vontade, de dinâmica muito própria e marcante.

 

Glove b2b Trigger

Glove é hoje uma das referências do movimento da música electrónica em Portugal. A um estilo muito particular de Djing aliam-se a evolução técnica e a sede de inovar e fundir tendências. É fundador da Flux, uma plataforma para novas concepções musicais e mentor do Refresh, festival de artes e música electrónica.

Tiago Nabais é agora Trigger, presente projecto musical do artista que representa a sua evolução enquanto DJ. Na pista de dança deixa toda a sensibilidade que adquire a andar de mãos dados com a música electrónica: define-se um novo estilo no techno dentro da paixão por grooves intensos e melódicos oriundos de baixos fortes e constantes. Tiago Nabais é ainda CEO e fundador da LX Music.

 

Magazino

Atrás dos pratos? São já 22 anos a dar música dentro e fora de Portugal. Luís Costa tomou conta, durante 17 anos, da cabine do Clubíssimo e foi, durante mais sete, DJ residente do Paradise Garage. Este que é um nome inconfundível na cena electrónica nacional e ainda um dos responsáveis da prestigiada Bloop Recordings.

 

Moses & Nuno

Nascidos e criados em Portugal, Moses & Nuno estabeleceram-se em Tulum, no México. Enquanto Djs, o seu núcleo musical é o house mas as suas sonoridades vão muito além disso: do jazz, ao disco, hip hop e até a passando pelo techno, a dupla tem tdo tudo para dar que falar com os seus sets. Este Verão chegam com novo lançamento e embarcam, finalmente, na primeira tour europeia.

 

Pixel82

Filipe Galante é Pixel82, DJ e produtor há cerca de 15 anos. Depois de algum tempo a viver em Londres, a influência da cidade é notória em todas as suas produções que são, em si, uma forma de explorar o lado cru e punchy do som. Mais recentemente associado à Fuse, Filipe, ou Pixel82, tem tudo para continuar a rodar Portugal e o mundo.

 

Ramboiage

O fascínio e dedicação que desde criança o fazem mover-se pela música fizeram com que, além de presença obrigatória nos maiores e mais reconhecidos eventos de música nacionais, Víctor Silveira seja já uma referência além fronteiras.

 

Rui Vargas b2b Tiago presents ACID AKTION

Ácido. Um timbre. Um som intemporal. 30 anos passados sobre o início de uma revolução musical - o Acid House - que perdurou e vingou.

Rui Vargas e Tiago carregam a autoridade de quem a viu nascer e de quem continua a mantê-la viva: a música e a atitude. Juntos, saltam da residência no Lux-Frágil, onde iniciaram esta festa temática, para o palco do Neopop. Uma dupla que flui naturalmente, unidos neste exercício que, mais do que revivalismo, é de extrema importância para compreender House e Techno contemporâneos. Uma lição com quem sabe do assunto - 1987, 2017, se calhar a diferença não é assim tanta.

 

Ruuar

Amantes de diferentes vertentes musicais no mundo electrónico, desde o house mais abstracto ao techno mais puro e elementar, Pedro Rebelo e Hugo Bastos, procuram a singularidade pela forma como abraçam e fundem as suas influências musicais. A fusão destes elementos culmina numa explosão de ritmo, onde a música proporciona ao ouvinte uma viagem interior.

 

Serginho

Serginho, ainda que sob um assumido low profile, tem vindo a destacar-se como incontornável cultor da vertente mais espacial e estilizada da house sediada no Norte. Desde metade da década de 90 que escolheu ficar atrás dos pratos e incorporar o roster da Bloop Recordings e, mais recentemente, da Frenzy.

 

Sonja

Nascida na ilha da Madeira, Sónia foi criada ao som de Roxy Music, Duran Duran e Prince. Hoje, sob o alter-ego de Sonja, integra o colectivo Fungo, é mentora da editora Labareda e uma das figuras mais activas e que mais agitam e movimentam a cena cultural nacional. Adoptou Lisboa enquanto casa e aí se faz uma artista visceral que sabe como enraizar a sua mensagem através em sonoridades e batidas.

 

Switchdance

Marco Antão é a cara escondida por trás de Switchdance, projecto musical residente no Lux Frágil. Um dos mais reconhecidos e aventureiros Djs e produtores portugueses continua a ser reconhecido pela audácia de desafiar qualquer pista de dança: os sets de switchdance parecem não ver fim à criatividade nem barreiras ao género musical. Marco Antão é uma das maiores promessas actuais no panorama português.

 

Terzi

Terzi é Gonçalo Neto, um dos criadores da reconhecida Extended Records, plataforma de publicação e divulgação de novos artistas. Na pista de dança, do lado de lá dos pratos, expressa-se através das mais diversificadas linguagens a partir de uma compreensão profunda da estética house. Terzi é uma vontade: a de tornar o dia de alguém melhor a partir da sua música.

 

Tiago Fragateiro

Há 20 anos atrás, enquanto manager e director de música nas melhores discotecas do porto, Tiago Fragateiro iniciava a sua viagem: hoje, é uma das grandes vozes da cena underground portuguesa enquanto DJ, produtor e label manager.

Festival Caixa Alfama’17… Alinhamento do Palco Ermelinda Freitas

A quinta edição do Festival Caixa Alfama está a caminho. Dias 15 e 16 de setembro, o grande festival de Fado está de regresso a Lisboa para mais dois dias em que a nossa música vai ser a grande protagonista. Ao longo de 4 edições, o Largo das Alcaçarias recebeu um dos palcos mais concorridos do Festival e o cartaz de 2017 garante novamente lotação cheia..

O Palco Ermelinda Freitas situado neste Largo, apresenta um cartaz irresistível, com destaque para o regresso de uma das vozes mais originais do Fado nos últimos vinte anos: Paulo Bragança.

caixaalfama_mosaico_03

Este é o cartaz completo do Palco Ermelinda Freitas:

No primeiro dia de festival, dia 15, o Largo das Alcaçarias recebe o talento de Diogo Clemente. Compositor, músico e produtor, é o homem por detrás de muitos projetos de sucesso ligados ao Fado. Num espetáculo exclusivo para o Festival Caixa Alfama, o músico mostra agora a sua faceta enquanto “cantautor”. Assumindo uma sonoridade muito sua, fará um passeio entre temas seus, inéditos e revisitados, e as suas influências. É um concerto intimista com muitas histórias para contar.

No mesmo dia, também o fadista Miguel Ramos sobe ao palco. Após uma vida de Fado, editou em 2017 o seu álbum de estreia: “Aqui na Alma”. Espera-se uma viagem entre o repertório do álbum e os Fados que fizeram parte do seu percurso na Alfama de toda a vida, onde cresceu e aprendeu com o bairro.

No dia 16, um dos principais ativos, não só deste Palco, mas do cartaz do Festival: Paulo Bragança. Depois de uma longa ausência de Portugal e de vários anos pela Europa, o Fadista está de regresso e vai trazer ao Caixa Alfama as primeiras novidades de um novo disco, preparado para sair no final de setembro.

Na década de 90, Paulo Bragança foi apelidado pela imprensa internacional de “fadista punk” e é, ainda hoje, um dos rostos mais identificativos de uma nova fase da história do Fado.

Ainda no mesmo dia, outras sonoridades passam pelo Palco Ermelinda Freitas para namorar com o Fado. O Edu Miranda TrioEdu Miranda, Tuniko Goulart e Negry Goulart – traz-nos o chorinho, o samba, o baião, o forró e o maracatu, ritmos que se preparam para juntar ao Fado, num espetáculo marcado pelo virtuosismo e boa disposição.            

Mas neste dia, o Palco Ermelinda Freitas não se fica por aqui e receberá ainda o génio do pianista Júlio Resende. “Fado Ensemble” é um projeto concebido por Júlio Resende para o Festival Caixa Alfama, multiplicando as possibilidades musicais do Fado a partir do piano, contrabaixo, bateria e percussões. E às vezes, de surpresa, como no destino, aparecem convidados para se juntar à festa…

O Palco Ermelinda de Freitas, volta assim a ser um palco obrigatório na 5ª edição do Caixa Alfama.

 

Sérgio Godinho em dose dupla para os "mais novos" no São Luiz

No próximo dia 9 de Julho, Sérgio Godinho repõe o concerto para os “mais novos” programado para o passado dia 18 para a Sala Mário Viegas no São Luiz Teatro Municipal e que foi cancelado em solidariedade com a declaração de luto nacional quando da “tragédia de Pedrogão”.

sergio godinho 0.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

Desta feita e respondendo à forte procura, estão agendadas duas apresentações para o próximo domingo: a primeira, às 15h00; a segunda, a partir das 17h30. Estes espectáculos inserem-se no programa “Mais Novos” que São Luiz Teatro Municipal tem implementado.

 

No caso de Sérgio Godinho, que ao longo da sua carreira centrou algumas vezes a sua actividade nos mais pequenos – em séries de TV com “Os Amigos de Gaspar” ou “A Árvore dos Patafúrdios”; ou na escrita, com o livro “O Pequeno Livro dos Medos” - a realização destes concertos obrigou a uma selecção de repertório especial.

Para além da evocação dos projectos referidos e da “obrigatoriedade” de um percurso pela sua produção musical, o que inclui temas com cerca de 40 anos de vida, Sérgio apostou em canções passíveis de captar e manter o interesse por parte de crianças e adolescentes que, nalguns casos, se estreiam a ouvir a sua música. Um desafio rico e gratificante a avaliar pela experiência já vivida.

 

Com a classificação para “todas as idades”, Sérgio Godinho participa na edição de 2017 das festas populares de Freamunde, as “Sebastianas” no dia 7 de Julho.

 

 

Os Quinta-Feira 12 anunciam novas datas para o Verão

Depois do lançamento de “Dona Chica”, a banda regressa aos palcos com a apresentação do novo single e do primeiro álbum “Fiasco”, que nos fala de amor, do que se nos complica, mas sobretudo da vida em geral.

19642754_814056948751802_4038078749113891143_n

Dia 22 de Julho, a banda atua no Salão Brazil, em Coimbra, na primeira das datas anunciadas. Depois no dia 27 de Julho, apresenta-se nas Festas do Bodo 2017, em Pombal, num cartaz onde surgem também nomes como HMB, Camané e Xutos & Pontapés.

A banda integra ainda o cartaz da oitava edição do Festival Mêda +, na Guarda. O concerto tem lugar no dia 29 de Julho, ao lado de Trêsporcento e Best Youth. Do cartaz fazem ainda parte nomes como First Breath After Coma, Sensible Soccers, Nice Weather For Ducks e Mundo Cão.

Os concertos irão marcar a apresentação ao vivo do novo single “Dona Chica”, a primeira composição da banda enquanto quinteto - onde mostram a sua costela assumidamente mais pop, num tema que mantém a mesma temática e registo dos QF12 - vídeo.

Gizzle | Genes na ZDB

Gizzle é um símbolo de uma nova América que luta para despontar sob Trump, uma nova América que procura um lugar numa realidade pós-digital, numa era em que os géneros se encontram no centro de novas discussões, em que se redefinem identidades, se escolhem novos posicionamentos.

Actualmente, Gizzle prepara a sua estreia como rapper na editora de Puff Daddy / P Diddy, a Bad Boy, mas na verdade a MC já conta com mais de uma década de experiência a aperfeiçoar a arte em estúdios, a trabalhar em canções sentada em sofás ao lado de grandes estrelas, a perceber como funciona agora uma indústria que aprendeu a conhecer desde pequena. Gizzle é mulher, negra, tem 28 anos, assumidamente gay, rapper, compositora, produtora. Gizzle, enfim, pode muito bem ser o futuro.

gizzle1440x720

De South Central, LA, Glenda “Gizzle” Proby aprendeu a lidar com a diferença desde sempre, mas aprendeu igualmente a saber estar ao lado de verdadeiros “players” da indústria: uma das suas tias integrou um grupo criado por Snoop Dogg, Teddy Riley era visita lá de casa, o recreio da escola era campo de batalha com outros MCs em cifras onde quase nunca entravam meninas. Para Gizzle, esta era a sua normalidade.

 

Com “Pessoas” ainda a fervilhar pelas redes após celebrado lançamento, Genes estreia-se no Aquário numa altura em que ‘Veracidade’ terá também já chegado a público, em demonstração intensa e intuitiva da voracidade e urgência que palpita nas suas canções. Prestes a deixar a adolescência – no sentido literal de teen – este rapper do Montijo de seu nome verdadeiro Luís D’Alva Teixeira tem vindo a conquistar um espaço cada vez mais reconhecível. Reflexo de uma persona a cabo com a sua própria identidade e os dilemas que a vivência e os sonhos na urbe da construção dessa mesma acarretam – em histórias, anseios e utopias. Com aquela entrega do “fazer acontecer” dos espíritos mais inquietos, Genes apresenta-se aqui já com a cavalagem de quem actuou no Barreiro Rocks e recebeu os devidos louvores de publicações como a Time Out ou a Vice, num ponto fulcral de uma história ainda muito breve mas a palpitar.

 

Galeria ZDB (Lisboa)

5 de Julho 2017 | 22.00h

Tomar regressa à Idade Média…

Tomar volta a ser um burgo medieval, de 6 a 9 de julho. Durante 4 dias a cidade recebe a Festa Templária e quem a visita será transportado no tempo. A viagem terá por companhia cavaleiros, mercadores, artesãos, saltimbancos, músicos, malabaristas, cuspidores de fogo, entre outras personagens da Idade Média. Esta é uma iniciativa do Município de Tomar em parceria com várias entidades da região.

image002

A Festa Templária tem como atração principal a recriação do cerco ao Castelo que ocorreu em 1190. Nesse ano, a 13 de julho, 900 guerreiros árabes sob o comando do rei de Marrocos, Almançor, cercaram o Castelo Templário. Durante seis dias fizeram várias tentativas para conquistá-lo. Mas lá dentro 200 cavaleiros templários liderados por Gualdim Pais travaram o ataque dos muçulmanos, tornando este um marco histórico da cidade.  

 

O programa não fica completo sem o cortejo noturno que reúne as várias personagens históricas, as recriações do acampamento templário, o treino dos homens de armas, as danças medievais, a feira de artesanato alusivo à época, o festival de gastronomia medieval nos restaurantes locais, os petiscos nas tasquinhas, os jogos medievais, entre muitas outras atividades que devolvem Tomar ao século XII. O programa cultural da Festa inclui ainda a Conferência “Templários – das origens ao terminus”, que terá lugar no Scriptorium do Convento de Cristo, no dia 6 de julho.

 

Na sexta-feira, 7 de julho, o refeitório dos Frades do Convento de Cristo será o palco de um Jantar Real, com ementa e animação medieval. A Festa Templária, que tem lugar em várias zonas da cidade, do Mouchão Parque ao Convento de Cristo, passando pelo centro histórico, pretende recordar o passado mantendo viva a influência da Ordem de Cristo, sucessora da Ordem Templária.

 

Programa

6 de julho 2017

10h00 / 17h00 – Conferência “Templários – das origens ao términus”

18h00 – Abertura Oficial da Festa Templária 2017 / Cerimónia na Praça da República e Cortejo de Abertura da festa pelo centro histórico e Mouchão Parque

18h00 / 24h00 – Feira de Artesanato e Tasquinhas

19h00 / 23h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes

23h00 – Recriação do cerco do Castelo Templário - Mata dos Sete Montes

 

7 de julho 2017

18h00 / 24h00 - Feira de Artesanato e Tasquinhas

19h00 / 23h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes

20h00 – Jantar Real no Convento de Cristo

23h00 – Recriação do cerco do Castelo Templário - Mata dos Sete Montes

 

8 de julho 2017

12h00 / 24h00 - Feira de Artesanato e Tasquinhas

10h00 – Visitas Culturais

12h00 – Festival de Cozinha Medieval

22h00 – Cortejo Noturno

 

9 de julho 2017

10h00 – Visitas Culturais

12h00 / 23h00 – Feira de Artesanato e Tasquinhas

12h00 / 15h00 - 19h00 / 23h00 – Festival de Cozinha Medieval

18h00 - Render da guarda

 

Todos os dias:

Acampamento Templário, personagens históricas, danças medievais, treino dos Homens de Armas, cenas da vida na Taberna e jogos medievais no Mouchão Parque.

Recriações no Centro Histórico (danças medievais e ofícios).

 

 

NEOPOP presents Black Coffee Matiné na Praia do Aterro

Dia 16 de Julho o Neopop Festival ruma ao L'Kodac, na Praia do Aterro em Matosinhos, para mais um episódio da série "Neopop presents..." É a estreia do festival em registo matiné e num cenário deslumbrante, onde o vasto areal se funde com o Atlântico, e os dias quentes que se avizinham convocam-nos para fora dos clubes. E o nosso convidado não podia estar mais à altura do evento.

flyer_lweis fautzi

Black Coffe é um artista à escala global que desde de 2005, a partir de Joanesburgo, dá a conhecer ao mundo a sua visão da música de dança, sofisticada, de ritmos quentes e influências jazzísticas, no que se convencionou chamar Afropolitan House.

Ao Sul-Africano juntam-se ainda Gusta-vo, Rui Trintaeum e Eduardo Duarte.

Festival Sons no Parque em Alijó

O Município de Alijó, em parceria com a Freguesia de Alijó e a Associação Cultural ‘O Plátano de Alijó’, apresenta o festival Sons no Parque, que vai decorrer nos dias 14 e 15 de julho de 2017, no Parque da Vila, em Alijó.

alijo

Com a realização deste evento em Alijó, o municipio pretende contribuir para o enriquecimento, diversidade e dinâmica cultural do Concelho, disponibilizando gratuitamente nesta zona do país o acesso a vários concertos de sonoridades e géneros musicais diferentes, quer de bandas de música de renome nacional, bandas de música originárias de outros países e outros grupos musicais emergentes no panorama artístico nacional e internacional.

 

Este é um festival que teve início em 2016 com a edição do Alijó Summerfest, que decorreu a 30 de julho. O conceito Sons no Parque nasceu da necessidade de criar uma identidade própria, alargar a duração dando-lhe a roupagem de um festival e reforçar a aposta na confluência de vários estilos musicais, desde o rock, à soul passando pelos blues e pelo jazz, através da presença de bandas nacionais e internacionais.

 

14 de julho 2017

- Iron Fist Blues Band

- Freedonia (Espanha)

- Datcha Mandala (França)

 

15 de Julho 2017

- 3 por Jazz

- Multidão Solitária

- YONDER

- The Ramblers

- Blasted Mechanim

- Fogbound (Espanha)

- DJ Nuno Calado (Antena 3)

 

Rogério Godinho apresenta "Eterno Regresso" no Espelho d'água

Rogério Godinho apresentará o espectáculo associado ao seu disco “Eterno Regresso” no Espaço Espelho D’Água, já na noite de 7 de Julho. As suas composições são o reflexo das suas grandes influências, o Fado, o Jazz, a MPB (Música Popular Brasileira) e a música clássica.

19437598_1925036484445424_212849214463901836_n

Para além da música, fazem parte do seu universo artístico, como criador, a poesia, a fotografia e as filmagens. A comunicação resultante do envolvimento destas diversas formas de arte conduz a um trabalho inovador e que se distingue dos demais. Em cada espectáculo, proporciona uma experiência sensorial abrangente e envolvente. A ligação da sua música à obra de Fernando Pessoa, do qual já musicou diversos poemas, nomeadamente “A criança que fui”, tem despertado interesse junto da “comunidade pessoana”, nomeadamente, através da Casa Fernando Pessoa, onde já se apresentou por 2 ocasiões.

 

Rogério Godinho estará no piano e na voz e será acompanhado, neste concerto intimista, pelo violinista Daniel Bolito e pelo violoncelista Ricardo Ferreira. Deste espectáculo fazem também parte a projecção Video e a Exposição de Fotografia, ilustrando esta viagem de “Eterno Regresso”. Conta ainda com o convidado especial, o músico brasileiro Bernardo Lobo

 

Eterno Regresso” é muito mais do que um simples conjunto de músicas.

Vai ser assim o Palco RTP Comédia no MEO Marés Vivas

O Palco RTP Comédia, palco da RTP, televisão oficial do MEO Marés Vivas, está de regresso ao Cabedelo com um cartaz incrível que promete, pelo terceiro ano consecutivo, deixar o público a rir. Eduardo Madeira, Ana Bola e Francisco Menezes, são alguns dos nomes que irão subir ao Palco RTP Comédia no MEO Marés Vivas a 14, 15 e 16 de Julho.

untitled1

E no primeiro dia do festival MEO Marés Vivas, sobe ao Palco Eduardo Madeira, humorista, actor e argumentista, nasceu em Bissau em 1972. Pioneiro da Stand Up Comedy, começou a carreira como argumentista nas Produções Fictícias. Fez teatro e participou em projectos como "Os Contemporâneos" (RTP), "Clube de Comédia" (UAU), "O Paradoxo da Tangência” (CanalQ) e do multi-premiado "Estado de Graça" (RTP), actor e autor de "Anticrise" (RTP), nomeado, em 2012, para melhor Programa (TV7Dias). O humorista foi também nomeado na categoria de Melhor Actor/Humorista. Em 2014, estreia a peça “Tiro e Queda” e desde 2015 está na RTP com “Donos Disto Tudo”.

No mesmo dia e não menos importante é a vez de Joel Ricardo Santos… inicia-se como humorista em 1986, visto que fez rir o pai, quando nasceu. Músico desde os 6 anos, Joel Ricardo Santos, faz o seu primeiro espectáculo de comédia em Janeiro de 2011. Desde então, e com quase seis centenas de espectáculos, tem vindo a marcar a comédia nacional com a energia e entrega que o caracterizam. Com muitas participações em Rádio e Televisão, Joel Ricardo Santos proporciona um espectáculo completo, que vai desde o Stand-Up Comedy até à música, passando pelas tradicionais anedotas.

E a noite do dia 14 de Julho não termina aqui, também Ricardo Couto sobe ao Palco RTP Comédia… nasceu em Gondomar e isso, por si só, é suficientemente triste. Licenciado em Jornalismo e mestre em Cinema desenvolveu, desde cedo, uma aptidão para os recibos verdes. Contudo, a comédia sempre foi motivo maior de uma vida tão miserável. Estreou-se, em 2016, no Palco Comédia do NOS Alive e conta, desde então, com quase meia centena de atuações. É membro residente do Clérigos Comedy Club. Em 2017, integrou a Academia RTP.

O Fábio Pascoal também tem direito a fazer rir – nasceu em Valbom, Gondomar no ano de 1993. Aos 18 anos sai pela primeira vez de Valbom para estudar na Faculdade de Engenharia do Porto. Completa o mestrado em Engenharia Electrotécnica, atividade que exerce desde o ano passado. Porque este quadro de estabilidade e perspectiva de futuro não é consonante com a terra donde provem, decidiu responder a desejos reprimidos de infância e fazer comédia. Decidiu também que esse novo projeto iria passar por tentar fazer rir pessoas alcoolizadas com a idade dos seus pais em bares. Actividade que desempenha, com rejúbilo, desde Fevereiro de 2017.

 

Dia 15 de Julho o Palco RTP Comédia recebe a aclamada Ana BolaSem Filtro”, um monólogo. Uma actriz, Ana Bola. Com 40 de profissão, fez teatro, fez televisão, foi autora de séries de sucesso, apresentadora de programas, jurada de concursos, etc... Aos 62 anos de idade vê-se confrontada com falta de trabalho, apesar de continuar no activo, em forma e acarinhada pelo público. Apresenta propostas, tem reuniões com as direcções de programas, mas não consegue ver nada aprovado. Restam-lhe os castings de um programa de talentos. É-lhe pedido que faça desde dança a culinária, passando por ballet clássico ou até por números de circo. Ainda que de uma forma ligeira e bem-disposta, o espectáculo procura uma crítica directa e sem papas na língua a uma realidade gritante: a total falta de respeito pela arte, pelos artistas e pelo trabalho sério, que é substituído por atentados ao talento e à experiência. O que resulta na ascensão a vedeta da total ausência de talento. Este monólogo chama os bois pelos nomes. Sem filtros. Sem medos!

E no mesmo dia Pedro NevesPedro Neves é natural de S. João da Madeira, nasceu com uma maneira esquisita de falar e com uma enorme apetência para a estupidez. Como nunca foi bonito, restou-lhe apenas ter piada... e saber tocar guitarra. Ficou conhecido pelas suas efusivas participações no extinto programa televisivo “Levanta-te e Ri” da SIC. Apresenta-se regularmente em diversas actuações pelo país, acompanhado da sua irrequieta viola (a Jurema), fazendo rir com o seu humor de requinte lírico. Foi apresentador no programa de televisão “Boa Vida” no Porto Canal. Participou, igualmente, em programas televisivos tais como: Tudo Sobre (RTP), “Sempre em Pé“ (RTP), “Sempre A(b)Rir” (MVM), “Bolhão Rouge” (Porto Canal), “O Último a Rir” (TVI) e apresentou dezenas de festivais de Tunas Académicas por Portugal fora.

E o Palco RTP Comédia não para de surpreender, Joana Santos é o nome que se segue no dia 15 de Julho - tem 25 anos e apesar de ser médica acredita que rir é mesmo o melhor remédio. Gosta de se definir como "uma gaja que faz humor mas que não faz humor de gaja". Divagando entre a crise dos refugiados e o problema ainda mais dramático da falta de mamas, Joana Santos tenta fazer rir homens, mulheres e indecisos. Dizem as más-línguas que, para já, tem conseguido.

E por fim Pedro Mata, é um belo rapaz de Vila Nova de Gaia, tremendamente engraçado e também muito humilde. A sua viagem para o mundo da comédia começou em Jam Sessions onde introduzia os músicos e ninguém do público prestava atenção, desde aí que a reação não melhorou. A partir daí teve a honra de atuar não só com muitos dos novos talentos da comédia portuguesa, mas também grandes nomes como Rui Xará, João Seabra e Rui Cruz. Ah, e está a estudar Medicina Dentária, por isso… tenham pena dele.

 

Palco RTP Comédia, dia 16 de Julho… Francisco Menezes presença assídua no programa ‘Praça’ (RTP1), traz o seu humor para a estrada. Disparates, imitações, música, tudo faz sentido, quando se fala de Portugal e dos Portugueses. Sozinho em palco, Francisco Menezes faz humor acerca de Portugal e dos Portugueses. Actualidades, figuras públicas, hábitos e maneirismos dos Portugueses, a música Portuguesa, a comunicação social (etc., etc.) são vistos por um ponto de vista cómico. Tudo isto é ilustrado com vários momentos musicais, interpretações de temas imortais dos artistas mais conhecidos, músicas tradicionais Portuguesas, hits internacionais que fazem parte de um imaginário colectivo, apropriados pelo humorista.

O Palco RTP Comédia tem espaço ainda para receber João Seabra, actor, guionista e comediante de Stand Up Comedy, que foi revelado pelo programa “Levanta-te e Ri” da SIC, no ano de 2003. Participou em 44 emissões e ganhou fama a sua frase de entrada “Eu bim de Braga…”. Apresentou no Porto Canal os programas “Por Um Canudo”, “Romarias”, “Humor Cão” e “Bolhão Rouge”. Artista prolifero participa em inúmeros projectos humorísticos e com múltiplas actuações pelo país e pelo estrangeiro a solo ou em colectivos. Teve destaque no programa “Got Talent” da RTP com os seus bonecos ventríloquos.

E para terminar, o Palco RTP Comédia recebe ainda Bruno Henriques e Sérgio Duarte: Indivíduo que dá a cara ao projeto coletivo da personagem Jovem Conservador de Direita e co-autor do livro humorístico “A Era do Doutor”. É ainda co-autor da rubrica do Jovem Conservador de Direita no programa “Inferno” do Canal Q. Estudou economia, desistiu no 3.º ano e licenciou-se em História. Porque é inteligente. Gosta de stand up. Gosta de pessoas que gostam de stand up. Gosta de pessoas que gostam do seu stand up. Gosta de dizer gosta. São muitos gostos. Oito gostos. Não são assim tantos. Não é adolescente, mas não descura a insegurança. E os gostos. Não gosta da bolsa de valores. Não usa emojis nas redes sociais. Só gosta. Sérgio Duarte é também um dos autores da personagem satírica Jovem Conservador de Direita e co-autor do livro humorístico “A Era do Doutor”, um manual de auto-ajuda político para a vida em geral. É ainda co-autor da rubrica do Jovem Conservador de Direita no programa “Inferno” do Canal Q, onde interpreta regularmente a personagem do Estagiário. A sua enorme paixão por stand up comedy é suficientemente grande para ultrapassar o seu também enorme pavor de falar em público. E esse é só um dos pontos de interesse da sua actuação.