Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Lightning Bolt, Japandroids e Roosevelt fecham o cartaz da 25.ª edição do Vodafone Paredes de Coura

Os Lightning Bolt surgiram em Rhode Island em 1995 enquanto projecto escolar e foi depois de algumas mudanças na banda que chegou “Wonderful Rainbow”, trabalho que foi bastante bem-recebido no círculo underground e que abriu caminho a “Hypermagic Mountain” (2005) e “Earthly Delights” (2009). Com os membros da banda ocupados com variadíssimos outros projectos, os Lightning Bolt voltaram em 2015 com “Fantasy Empire”, o primeiro álbum de originais em cinco anos e uma lufada de ar fresco que mostra a intenção de se expandirem musicalmente, mas mantendo a estética que definiu não só a banda ao longo dos anos como uma geração inteira. Ao longo da sua existência, os americanos revolucionaram o rock underground de uma forma desmedida e continuam a produzir sons destrutivos e actuações imponentes, como a que levam dia 19 de Agosto à 25.ª edição do Vodafone Paredes de Coura.

line1

Os Japandroids sobem ao palco do festival no dia 18 de Agosto. De Vancouver para Paredes de Coura o duo de indie garage rock vem apresentar “Near To The Wild Heart Of Life”, álbum que pôs fim a um silêncio de quase cinco anos e que voltou a catapultar a banda para a ribalta. Depois de surgirem com “All Lies”, os californianos mantiveram a estratégia de reproduzir o som das actuações ao vivo nas gravações dos trabalhos que se seguiram. O segundo álbum fê-los sentir que tinham finalmente chegado ao que quer que fosse que estavam a tentar atingir e isso obrigou-os a definir uma nova estratégia e a chegar a canções que conseguissem satisfazer o público de grandes actuações. O resultado foi “Celebration Rock”, aclamado pela crítica e visto pela banda como o culminar de uma fase que dá espaço a uma nova era que se inicia com “Near To The Wild Heart Of Life” e com os ritmos frenéticos que vão trazer à Praia Fluvial do Taboão.

 

Por motivos alheios à organização do festival, os Formation cancelaram a actuação prevista para sexta-feira, 18 de Agosto. A banda inglesa será substituída pela sonoridade indie pop e techno de Roosevelt. Marius Lauber passou por várias bandas de garagem enquanto adolescente, antes de se render ao techno de Colónia. Se chegado à cidade não conseguiu sentir a diferença entre a música pop e a electrónica, rapidamente percebeu como esta última permite uma ligação diferente à plateia, transformando-o num devoto da música de dança. Tanto que, em 2012, com 22 anos, introduziu ao mundo o seu projecto de tecnho-indie-pop, Roosevelt, com o single “Sea”. A faixa hipnotizante viajou pela internet e acabou a chegar aos ouvidos da respeitada Greco-Roman, editora que o assinou e pela qual lançou o primeiro EP, “Elliot”. Roosevelt tem sido uma estrela em ascensão desde então. “Sea” foi o primeiro passo na carreira de uma das mais emocionantes perspectivas que a música de dança actual tem para oferecer, comprovado no álbum de estreia homónimo de 2016. Enquanto a explosão da música de dança faz prever uma actuação recheada de computadores, Lauber apresenta-se com uma banda completa. Uma sofisticada apresentação de música electrónica para ver ao vivo no Vodafone Paredes de Coura.

 

Para além das novas confirmações, há pequenos acertos ao cartaz: Ho99o9 passam a actuar na quinta-feira, 17 de Agosto e White Haus mudam para sábado, 19 de Agosto. Bruno Pernadas abre o palco Vodafone no dia 18 de Agosto.

Vai ser um verão Quente em Braga…

A programação cultural para o trimestre julho, agosto e setembro na Praça Conde de Agrolongo já é conhecida e trará um vasto programa para todos os gostos. O verão quente do gnration arrancará já em julho com a terceira edição do ciclo Julho é de Jazz, iniciativa que toma lugar no pátio exterior do gnration e apresenta alguns dos melhores nomes do jazz internacional e nacional.

A 7 de julho, o saxofonista britânico de 73 anos Evan Parker (na foto) apresentar-se-á a solo, noite que dividirá com os portugueses Slow Is Possible. Parker, considerado como um dos melhores instrumentistas vivos, dará também um workshop de improvisação no dia seguinte, a 8 de julho, para apenas 20 participantes. Uma semana mais tarde, a 14 de julho, o ciclo receberá o quarteto de Bristol Get The Blessing, fundado pelos músicos de sessão dos Portishead, Clive Deamer e Jim Barr. A noite contará ainda com Susana Santos Silva, nome de referência do jazz contemporâneo e da música improvisada dentro e fora de Portugal.

parker

A fechar o mês de julho, a 31, o Hong Kong New Music Ensemble (HKNME) juntar-se-á ao Digitópia Collective para interpretar obras de Karlheinz Stockhausen e de três compositores asiáticos (Angus Lee, Charles Kwong e Isang Yun) no pátio exterior do gnration. Fundado em 2008, o HKNME foi considerado pela CNN como um dos mais progressivos grupos musicais de Hong Kong e tem sido alvo de elogios frequentes pelos seus programas inovadores.

 

Em agosto, o novo cinema de português toma lugar no pátio exterior do gnration, com sessões ao ar livre e gratuitas, que decorrerão durante todo o mês. Filmes, documentários e curtas-metragens dos realizadores portugueses Salomé Lamas, João Salaviza, Cláudia Varejão, Leonor Teles ou Gabriel Abrantes, entre outros, vão poder ser vistos no Cinema no Pátio, ciclo de cinema que já se torna hábito nas noites quentes de Braga.

Em setembro, o gnration volta a apresentar palco nas emblemáticas noites da Noite Branca da cidade, a decorrer de 1 a 3 de setembro. A 1 de setembro, o palco gnration@ Noite Branca receberá os portugueses Orelha Negra, grupo que junta Sam The Kid, Cruzfader, Fred, Francisco Rebelo e João Gomes, e os bracarenses Osso, um projeto único, comissariado pelo gnration para o evento, que reúne vários músicos da cidade provenientes de diferentes estéticas sonoras. A 2 de setembro, os britânicos Factory Floor, um dos melhores nomes da eletrónica atual, passam pelo palco situado na Avenida Central para apresentar o mais recente disco, "25 25", editado em 2016 pela conceituada DFA e seguidor do aclamado disco de estreia. Na mesma noite, o reputado produtor britânico de música eletrónica Evian Christ, conhecido também por ter colaborado com Kanye West em Yeezus, apresentará o novo disco, Waterfall. A somar à noite, o trio português Niagara levará a eletrónica biótica que os caracterizou em dois discos pela editora Príncipe e um pelo londrina From The Depths. Todos os concertos terão entrada livre.

 

Também inserido no programa para a Noite Branca de Braga, mas a decorrer na Blackbox, o gnration apresentará ainda em concerto os bracarenses Grandfather’s House, que integraram nos últimos meses o Trabalho da Casa, iniciativa que coloca artistas locais em residência artística e apresentação pública de novo material.

A 22 de setembro, o gnration encerra o trimestre de concertos com os portugueses Três Tristes Tigres. O grupo formado por Ana Deus e Alexandre Soares revisitará Guia Espiritual e Comum, dois dos emblemáticos discos na carreira da banda do Porto.

 

Na continuação do programa colaborativo Scale Travels, entre o gnration e o INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, que alia arte e nanotecnologia num projeto de vanguarda, o artista sonoro português Pedro Rebelo apresentará a instalação sonora Listen to me! na galeria INL, situada no gnration. O resultado da residência artística levada a cabo pelo português no INL poderá ser visitada de 7 de julho a 30 de setembro. A entrada é livre.

Já na galeria gnration, o gnration apresentará WOFL001, uma instalação de luz e som criada pelo Open Field Creative Lab e onde dois muros criam jogos de luz e sombra, potenciando diferentes perceções. Esta instalação está patente para vistia de 15 de julho a 15 de outubro, com entrada livre.

Meatbodies… em Julho no Musicbox

O que acontece na California é impossível de controlar, Meatbodies é a prova disso. A banda norte americana regressa ao Musicbox, depois de ter passado por lá o ano passado deixando boas memórias do mítico concerto que foi, agora voltam para apresentar o novo disco “Alice”, dia 22 de Julho às 22h30.

add71fdd-4701-49e3-94eb-3ce7d0b508f3

Chad Ubovich, rasgou a cena rock em 2011, como guitarrista de Mikal Cronin e baixista de FUZZ. Entre as tours com estes projectos começou por se apresentar em Los Angeles sob a insígnia Chad and the Meatbodies. Daí até dar o salto para a GOD?, editora indie de Ty Segall. Em 2013 passaria a integrar o roster da The Red, que não ficou indiferente à sua característica música. O primeiro EP homónimo foi gravado em San Francisco, e introduz-nos a um universo mais poeirento do psicadelismo e contou com a produção de Eric “King Riff” Bauer. Ousado, “descontrolado”, bonito e estranho, “Meatbodies” consegue prender-nos o olhar e ouvidos e provar que o rock’n’roll é ainda um dos mais poderosos géneros, quando em boas mão.

 

Agora em 2017, Meatbodies aparecem com “Alice” que está a ter atenção merecida pela imprensa internacional, com a Pitchfork a dar quase nota máxima. Um disco que mantêm a velocidade, distorção e o bom rock'roll que já nos tinham habituado.

Mais só dia 22 de Julho, no palco do Musicbox.

Entre Braga e Nova Iorque… Entre a Praia e a Cidade… A Pop dá banho de frescura n’O Sol da Caparica!

Samuel Úria e Trevo em português, Mishlawi e Best Youth em inglês: mas todos de pés bem fincados no entusiasmante terreno das novas sonoridades pop que por cá se vão inventando.

Era António Variações, esse nobre fantasma da modernidade nacional, que dizia sentir que a sua música se situava algures entre Braga e Nova Iorque. Pode dizer-se que a nova pop que também vai marcar presença no cartaz 2017 d’O Sol da Caparica se posiciona algures entre a praia e a cidade, entre o descanso e a azáfama, entre o passeio e o trabalho.

4d5a7ac5-ae3f-43aa-af98-94fcf5eb261c

photo: Gonçalo silva

 

Samuel Úria, que sobe ao palco a 12 de Agosto, promete-nos uma “Carga de Ombro” carregada de carinho: o cantautor tem-se afirmado como uma das grandes vozes da nossa modernidade, claro descendente de um Variações que também veio do interior para a grande cidade, que olhou para o futuro sem nunca esquecer as raízes. É isso que se prevê no concerto em que Samuel Úria vai desfiar o seu novelo eléctrico de canções com palavras maiores sobre coisas ás vezes bem pequenas. Um “Aeromoço” a sobrevoar a Costa da Caparica.

 

De outra praia chega Mishlawi, mais um dos artistas que estará em palco a 12 de agosto: vem de Cascais, traz a experiência da Bridgetown de Richie Campbell, com quem já colaborou, uma série de grandes hits no Youtube, como “All Might” que já soma mais de cinco milhões de visualizações. “É bem provável”, avisa Mishlawi, “que até haja novidades neste concerto”.

 

Os Best Youth também se apresentam a 12 de agosto e poderão trazer novidades. O duo de Catarina Salinas e Ed Rocha Gonçalves vai estrear-se n’O Sol da Caparica.

“Vai ser a nossa primeira vez n’O Sol da Caparica, estamos ansiosos por viver o ambiente de um festival em que o cartaz é exclusivamente nacional, mas que apela a tantos públicos diferentes”, começa por dizer Ed Gonçalves. “Vamos tocar em formato banda completa e o espetáculo que levamos vai passar desde músicas do primeiro EP até aos 2 temas da nova reedição, com direito a algumas surpresas pelo meio. Pode ser que haja um convidado, mas não queremos estragar a surpresa”, alerta antes de nos revelar o que o atrai mais no cartaz de 2017: “No dia em que vamos tocar, estamos muito curiosos para ouvir a direção do material novo do Manel Cruz. Gostávamos também de conseguir apanhar um bocado do Sean Riley e do Samuel Úria”.

 

Os Trevo declaram-se filhos de Peste e Sida e Sitiados e estão preparados para uma estreia em grande n’O Sol da Caparica: “Temos grandes expectativas! Depois do concerto que demos no Caparica Primavera Surf Fest ficámos em êxtase quando soubemos da ida ao Sol da Caparica! É sempre um orgulho estar no meio de um cartaz onde se inserem tantos e tão bons artistas portugueses”, começam por dizer. “Ainda estamos no processo de apresentação do novo disco e esse vai ser o nosso foco. Ainda assim, é possível que surja qualquer coisa nova”, explicam também. Os Trevo sabem também muito bem o que querem ver: “Carlão, Manel Cruz, Os Quatro e Meia, Fogo Fogo e o nosso “brother” Sam Alone”.

 

Minta & The Brook Trout no Super Bock Super Rock

Depois de uma mini-digressão bem sucedida pela Galiza, Minta & the Brook Trout preparam-se para uma série de concertos imperdíveis.

Dia 8 de Julho, actuam no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, e a 13 de Julho inauguram o palco programado pela Rádio SBSR no Festival Super Bock Super Rock. A 22 de Julho trocam Lisboa por Castelo de Paiva e marcam presença no Festival Confluências, e no dia seguinte alargam os horizontes estéticos do Festival de Jazz de Viseu, sobre a relva do Parque Aquilino Ribeiro.

18010337_1475261635877743_2885760616772174686_n

Entretanto, “Old Habits”, da autoria do realizador João Nicolau (John From, Rapace), foi selecionado para a Competição de Vídeos Musicais do Curtas de Vila do Conde. O vídeo do terceiro single de “Slow” responde cabalmente aos critérios do evento. “Na exploração contínua de limites, no quebrar de regras estabelecidas, é importante estender o alcance da música a um meio visual, para sobreviver a fenómenos virais e definir uma identidade estética própria.”

 

Porque continuam a gostar do analógico e de ter a música à mão, os Minta vão lançar “Row” em cassete, no Outono, numa edição limitada da Gaylord’s Party Music e da Friendship Fever, de Oakland, Califórnia, a tempo do Cassete Store Day.

 

8 de Julho 2017 - Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra)

13 de Julho 2017 - Super Bock Super Rock

22 de Julho 2017 - Festival Confluências (Castelo de Paiva)

23 de Julho · Festival de Jazz · Viseu

 

Terceira edição de Baixa Clubbing traz o histórico DJ Sandy Rivera ao Porto

Sandy Rivera, nome que dispensa apresentações no mundo da house music, é o próximo DJ convidado para conduzir a pista do próximo Baixa Clubbing, marcado para o próximo dia 8 de julho. Esta será a 3ª edição de um evento exclusivamente dedicado às origens da house music, e que tem vindo a consolidar o seu posicionamento como evento de culto junto dos apreciadores deste género musical fiel à sua essência, que se tornou um fenómeno global nos anos 80 e 90.

01_Cartaz

Tendo acompanhado de perto a explosão da popularidade alcançada pela house music, Sandy Rivera é reconhecido por manter-se fiel a essas origens, conseguindo a proeza de estender o seu trabalho a outros géneros como a soul, R&B e chill-out, que mistura com mestria, obtendo uma sonoridade única que o identifica e o torna num dos mais versáteis DJs do mundo.

 

Um dos seus maiores hits é o incontornável "Finally", lançado em 2000 sob o nome do seu projeto Kings of Tomorrow, já considerado um dos grandes clássicos da house music e que ainda hoje consegue levar as pistas de dança ao rubro. Lançados em nome próprio, o destaque vai para "Come into my room" e "Changes", dois temas obrigatórios para qualquer seguidor de house music. Sandy Rivera trabalha ainda como produtor e remixer, colaborando com vários nomes conhecidos da indústria musical, entre os quais Craig David, Moby ou Everything But the Girl.

 

Uma vez por mês, o Baixa Clubbing traz ao Porto nomes incontornáveis e globalmente reconhecidos na área da house music, aos quais se juntam equipas de animação arrojada, num ambiente de micro club selecionado. As edições do Baixa Clubbing têm lugar num piso exclusivo do Baixa Bar (piso -1). Simultaneamente, no piso 0, é mantida a pista de música comercial, pop e rock que tradicionalmente caracteriza este espaço de referêcia da noite portuense.

 

A acompanhar Sandy Rivera na terceira edição do Baixa Clubbing estarão dois DJs nacionais - DJ Chadubritt  e DJ Mannara.

Harry Potter a A Câmara dos Segredos… Um Filme-Concerto

A série de filmes-concerto Harry Potter regressa à MEO Arena com “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”, o segundo filme da saga Harry Potter. Em fevereiro de 2018, a Orquestra Filarmonia das Beiras vai interpreter a inesquecível banda sonora de “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”, enquanto o filme é projetado num ecrã de 20 metros em alta definição. A série de filmes-concerto de Harry Potter, que é mais uma experiência mágica do mundo de feiticeiros de J.K. Rowling, arrancou em junho de 2016 com “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e tem já centenas de performances marcadas para 2018 em mais de 35 países.

HPCONCERTO2_Newsletter_600x270px_02

No filme “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”, os carros voam, as árvores retaliam e um misterioso elfo doméstico faz uma visita a Harry para o avisar do que está para vir em mais um ano de feitiçarias. Este ano em Hogwarts, as aranhas falam, há cartas que repreendem e a inquietante capacidade de Harry para falar com cobras causa desconfiança aos seus amigos. Só pode vir aí um ano de aventuras e perigo, quando numa parede se lê, escrita a sangue, a frase: “A Câmara dos Segredos foi aberta”. Salvar Hogwarts vai exigir toda a coragem e habilidades mágicas de Harry, Ron e Hermione.

 

Ao ser nomeada para um Grammy, pela enfeitiçante e incrível música composta por John Williams, a banda sonora de “Harry Potter e a Câmara dos Segredos” tornou-se num clássico instantâneo evocando temas tão bonitos como desafiantes, dando continuidade à história de Harry Potter e das suas aventuras mágicas.

Esta série de filmes-concerto foi criada pela Cine Concerts, em parceria com a Warner Bros. Consumer Products, e vai ser dirigida pelo seu criador e produtor, Justin Freer:o filme-concerto Harry Potter é um daqueles fenómenos culturais que surgem uma vez na vida, e que continua a deslumbrar milhões de fãs em todo o mundo. É com enorme prazer que apresentamos a oportunidade de viver a experiência de assistir ao vivo à interpretação das premiadas bandas sonoras por uma orquestra sinfónica, enquanto o aclamado filme é projetado num grande écrã. Vai ser um evento inesquecível”.

 

Brady Beaubien da CineConcerts e Produtor de Harry Potter Film Concert Series acrescenta ainda: “Harry Potter é sinónimo de entusiasmo mundial e esperamos que ao tocar esta música incrível com o filme completo, o público goste de regressar a este mundo e às magníficas personagens e aventuras que dele fazem parte”.

 

MEO Arena (Lisboa)

3 de Fevereiro 2018

Sopa de Pedra… "Cantiga de La Segada" é o single de estreia

Depois de muita espera e de muitos concertos dados, com plateias completamente rendidas, chega finalmente o primeiro single das Sopa de Pedra, "Cantiga de La Segada". O grupo a cappella estreia-se nos discos ainda este ano, em meados de outubro, sendo “Cantiga de La Segada” o seu primeiro sinal.

54651870-2cca-4f03-b3bb-6f9d3accdff7

"Cantiga de La Segada" é uma popular cantiga de Trás-os-Montes e apresenta as 10 talentosas artistas dentro daquilo que é o seu registo, adornos airosos, arranjos feitos à medida e as harmonias que nos aquecem o peito e que fazem parte da fórmula intemporal que as distingue de qualquer outro tesouro.

Para outubro está finalmente previsto o trabalho que estavam desde sempre predestinadas a cumprir, o de difundir as vozes com que cresceram, como a de Amélia Muge, a de Zé Mário Branco, a de João Loio, a de Zeca Afonso, entre outras. Este novo capítulo, que é também uma janela aberta, é o resultado de anos a desconstruir harmonias, através de processos peculiares de criação musical conjunta e timbres contrastantes, que fazem das Sopa de Pedra um dos atos mais singulares que existe.

 

O primeiro álbum das "Sopa de Pedra" será já apresentado em antecipação no Festival Músicas do Mundo, em Sines no dia 28 de Julho e tem já também marcada, a sua apresentação oficial para o Porto, na Casa da Música, dia 28 de Outubro.

Monção recebe segunda edição de VinCul’Arte

A vila de Monção receberá nos próximos dias 14 e 15 de Julho o VinCul’Arte, a maior mostrar de arte ao ar livre do Alto Minho. O VinCul’Arte é uma mostrar de música, teatro, poesia, exposição e cinema que vai envolver esta vila raiana em todo o seu centro histórico. Nesta edição são muitos os artistas convidados nas mais diversas áreas. Durante os dois dias será possível visitar exposições permanentes de Joana Degues ou Alua Polen, entres outros.

Vincularte (3)

No dia 14 de Julho, na sede da CineClube de Monção estará em exposição a história do cinema Português e, às 22 horas será projetado na rua da Independência o filme: “Cinema Paradiso” de Guisseppe Tornatore realizado em 1988.

o dia 15 de Julho, pelas 17 horas, destaca-se a presença de duas artistas - Andreia Siva e Rita Monteiro, que vêm apresentar “Não é Por Ali”, uma performance que tem como ponto de partida o texto “Cantora Careca” de Eugene Iunesco. Uma hora mais tarde terá lugar o primeiro concerto do dia, O Manipulador, projeto One Man Band experimental de baixo, pedais, loop station e voz.

 

Alameda dos Nerys, Largo de Camões, Largo da Igreja Matriz, Rua da Independência e a Praça Deu-La-Deu receberão concertos de música, exposições de Pintura, escultura, fotografia e ilustração bem como seções de cinema, declamações de poesia, peças de teatro e workshop.

 

HMB comemoram 10 anos com dois concertos…

A comemorar dez anos de existência, os HMB vão subir ao palco do Coliseu Porto, dia 17 de Novembro, para celebrar esta data tão especial com um espetáculo único que apresentam, também, no Campo Pequeno, em Lisboa, a 24 de Fevereiro do próximo ano.

2304d79b-8a68-44dd-b08e-c35cd2a45f1d

Formados em 2007, os HMB lançaram, até à data, 3 álbuns e são responsáveis por alguns dos maiores sucessos de rádio dos últimos anos. Este ano venceram o Globo de Ouro para melhor música com o “O Amor é Assim”. A banda conta com mais de 60 espetáculos até ao final do Verão, no seguimento da tour de “Mais”, o terceiro disco de originais editado em Fevereiro, e têm realizado digressões em Portugal, África e até na Ásia. Em Setembro apresenta-se, pela primeira vez, no Rio de Janeiro, na 7ª edição do Rock in Rio Brasil.

 

É impossível ficar indiferente a um concerto dos HMB. A energia e boa disposição fazem de cada espetáculo um momento único de comunhão e alegria, partilhada por um público de todas as idades. Há adolescentes, jovens adultos, pais e filhos e uma a mensagem de amor transversal a todos. Nestas duas produções, os HMB prometem tocar os seus maiores sucessos - "Dia D", "Naptel XUlima", "Feeling", “Peito", "O Amor é Assim” (e tantos, tantos outros) - e muitas e boas surpresas, que a seu tempo irão ser reveladas.

“Tudo na vida rima, se prestares atenção”.

Ana Bacalhau revela novidades em blogue…

Depois de ter editado "Ciúme", o primeiro single do seu álbum de estreia a solo, "Nome Próprio", Ana Bacalhau lança um blogue, onde pretende mostrar as suas inspirações, influências, paixões, alegrias e tristezas. A escrita foi a sua primeira paixão e a partilha do dia-a-dia, em palco ou fora dele, integram este novo espaço como uma oportunidade de proximidade entre Ana Bacalhau e o seu público, abrindo as portas do seu mundo a quem quiser entrar.

Print

O blogue reúne crónicas escritas por Ana Bacalhau, fotografias oficiais e pessoais, informações sobre a sua carreira, vídeos, clipping. Há ainda espaço para a divulgação de eventos e datas de concertos.

"Nome Próprio" tem edição prevista para dia 20 de Outubro e já se encontra em pré-venda no iTunes e na Fnac, loja que tem uma edição exclusiva com uma canção extra: "Dama da Noite", de António Zambujo e João Monge.

 

Samuel Úria, Jorge Cruz, Nuno Prata, Afonso Cruz, Nuno Figueiredo, Capicua, Márcia, Carlos Guerreiro e Francisca Cortesão são outros dos nomes que constam de "Nome Próprio". Ana Bacalhau também se aventura na composição em "Deixo-me Ir", canção para a qual escreveu a letra, o mesmo acontecendo em "Só Eu" e "Menina Rabina" (ambas com música de Janeiro).

Piratas à vista! Está a chegar mais um ataque de corsários a Leça da Palmeira

Conforme é do conhecimento de qualquer indivíduo minimamente habituado às histórias de piratas, os corsários acabam sempre por se encontrar nos covis e refúgios do costume, zonas portuárias a que não faltam brigas e tabernas. Sendo assim, é bem possível que Jack Sparrow e o seu arqui-inimigo Armando Salazar abandonem no próximo fim-de-semana as projeções do filme “Os Piratas das Caraíbas” e compareçam, em vez disso, no arraial de flibusteiros que estará montado em redor do Forte de Nossa Senhora das Neves, em Leça da Palmeira.

Piratas4

Durante quatro dias, entre 7 e 9 de julho, a recriação histórica “Os Piratas” devolverá o castelo de Leça à época em que a costa de Matosinhos era demandada por corsários como o bravo Sá das Galés, pelo menos tão cruel como o Capitão Blood, o Perna-de-Pau ou o Barba Azul. Não faltará, neste covil de bucaneiros e flibusteiros, diversão para todos os gostos e idades, das caças ao tesouro dedicadas ao mais pequenos às refeições em tabernas, passando por revoltas ao estilo da famosa Bounty, leilões de escravos, aves exóticas e incursões da guarnição real.

 

Tal como vem sendo hábito nas edições anteriores, largos milhares de pessoas são esperados naquela que é uma das maiores recriações históricas organizadas pela Câmara Municipal de Matosinhos. A animação inclui piratas façanhudos que pedem meças a qualquer Barba Ruiva, donzelas da corte, acrobacias, duelos, zaragatas e expiações, mas também visitas guiadas ao forte, música e dança. Para além das caças ao tesouro, os mais pequenos poderão também sequestrar a família inteira e participar nas atividades que os transformarão em terríveis piratinhas de sabre em punho, quais Sandokan em miniatura (deixando os bibelôs de casa livres de perigo ao menos por algumas horas).

 

Os mais dados às façanhas mercantis poderão desfrutar do tradicional mercado de produtos oriundos das mais longínquas paragens, onde sempre podem suceder rixas de corsários, atuações de saltimbancos ou enforcamentos. Para completar o ambiente, diversos estabelecimentos de restauração da zona estarão transformados em tabernas de corsários, ideais para petiscar ou para cantar as épicas cantigas corsárias sobre garrafas de rum e coisas afins.

 

Ergamos, pois, as velas, limpemos as adriças e sigamos a todo o pano para Leça da Palmeira. A viagem há-de ser amena e venturosa

Festival Romano em Alter do Chão

De 7 a 9 de Julho Alter do Chão acolhe o Festival Romano. Evento de enorme relevância na promoção e divulgação do património romano do concelho e da região, a nível nacional e internacional. Segundo a lenda alterense, referida por diversos autores, entre os quais Pinho Leal, no séc. XIX, pretendemos substituir o carácter bélico da mesma por paz e confraternização entre o Imperador e a população abelteriense, realizando 3 dias de festa em homenagem ao divino Adriano, pela sua deslocação à cidade de Abelterium. Para o efeito recria-se historicamente esse evento, através da realização dos Ludi Abelteriensis (Jogos/Festas de Abelterium).

primage_19893

O Festival Romano em Alter do Chão é sem dúvida um extraordinário palco da recriação histórica do período romano valorizando a Educação Patrimonial, numa numa pedagogia viva que se cruza com a História, a Arte e a Cultura.

A atração turística de impacto na economia local é um dos objetivos deste projeto, bem como o seu papel pedagógico, a participação das escolas e das coletividades na promoção da história e da identidade de Alter do Chão.

 

O que visitar em Abelterium… Porta de Abelterium, Muralha da Cidade, Templo do Forum, Mercado (as trocas comerciais serão efectuadas com moeda romana cujo câmbio será realizado nas Casas da Moeda), Via Hadriana (zona de espectáculos), Área pedagógica, Centro Interpretativo da Casa da Medusa (1.º andar), Laboratório de Antropologia, “Imaginarium” (espaço pedagógico), Biblioteca Imperial, Exposição de armamento e jogos lúdicos, Laboratório de Arqueologia / Laboratório de Conservação e Restauro / Reservas de Arqueologia, Casa da Medusa (sítio arqueológico, visitas guiadas teatralizadas), Secretariado / Casa da Moeda / Loja de Turismo.

 

Recriações Históricas… Patrulhamento militar, representações brejeiras do quotidiano, malabarismos, acrobacias, escaramuças, rameiras de Baco, filhas de Hades, ninfas, visitas teatralizadas (Grupo Alterense de Cultura), “A Lenda do Imperador Adriano” – representada pelas crianças de Abelterium (Atividades de Enriquecimento Curricular de Arqueologia), entre outras.