Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Yamandu Costa… foram três concertos inesquecíveis em Portugal

O grande mestre do violão de sete cordas, Yamandu Costa, deu três concertos em Portugal onde encantou o público e a crítica, ao interpretar músicas do seu mais recente álbum “Bem Vindo” e do seu vasto reportório.

pjz3_YamRic123COLLAGE--1

photos: Adriano Fagundes

 

O músico brasileiro abriu o Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo, no dia 22 de Junho em Albergaria-a-Velha com uma actuação genial que deixou todos espectadores impressionados. Também atuou no dia 23 de Junho em Oliveira do Bairro no âmbito do mesmo festival onde foi um dos cabeças de cartaz. No dia 24 de Junho subiu ao palco no Teatro da Trindade em Lisboa para um concerto que contou com a participação especial do fadista Ricardo Ribeiro. O cruzamento destes dois artistas fez deste concerto um acontecimento único, não só pelo talento de ambos, mas também pela sinergia partilhada pelos dois em palco.

 

O público português ficou completamente incrédulo perante a tamanha genealidade e virtuosismo de Yamandu com o seu violão

TT Syndicate apresentam disco de estreia no Porto

Ultrapassar as barreiras nacionais, ter a hipótese de levar a sua música além-fronteiras é o sonho da esmagadora maioria das bandas portuguesas. Muitos investem o que têm (e não têm) para marcar presença nos mais significativos eventos internacionais, centrados na captação de talento, como o South by Southwest ou o Eurosonic, na esperança de terem aí a oportunidade que tanto anseiam. Quando acontece o inverso é, no mínimo, estranho. Quando uma banda deste pequeno canto periférico consegue levar a sua música a palcos de toda a Europa, por muito que isso tenha a ver com o facto de se moverem num nicho muito especifico, e é completamente desconhecida no seu próprio país, é absolutamente contranatura.

19059138_842775329208088_6067176839069252921_n

Os TT Syndicate juntaram-se no Porto, em 2012. Não eram novatos - vinham de projectos com larga experiência internacional como os Mean Devils ou os 49 Special e de bandas de culto como Os Tornados ou Thee Chargers - mas queriam fazer coisas novas, mesmo continuando a reflectir a sua paixão pela música gravada nos 50 e 60. E fizeram. Entre 2013 e o fim do ano passado editaram quatro 7” polegadas de vinil, através da germânica Migraine, todos entusiasticamente recebidos pelas várias fações da comunidade retro europeia e, alguns, já altamente colecionáveis.

Nestes três anos não pararam de dar grandes concertos, um pouco por todo o lado: muitos em Espanha, onde enchem salas atrás de salas e são cabeças de cartaz de festivais, ao lado de nomes como Charles Bradley ou James Hunter Six, mas também em vários outros territórios como Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Suíça, França, Holanda, Suécia ou Rússia. Por cada vinte concertos que dão lá fora, dão um cá dentro, normalmente refundido. Agora que se preparam para editar o seu primeiro longa-duração, está na hora de isso mudar, de lhes reconhecermos o seu talento e nos orgulharmos do seu percurso.

Produzido por Nuno Riviera, o subvalorizado produtor e arranjador de algumas das mais estimulantes aventuras musicais da cidade invicta como o Oliveira Trio ou os Lola Lola, este disco é uma fabulosa coleção de canções que, tendo as suas raízes nas mais clássicas variantes dos Rhythm & Blues, são completamente intemporais e altamente personalizadas.

Porque não estamos perante mais uma competente banda retro. Estamos perante uma banda que reflecte, como poucos neste mundo, a actual abertura “transgénero”, de uma comunidade que procura no passado a constante novidade e de toda a dinâmica que esta quebra de barreiras tem vindo a gerar, ainda que subterrâneamente. Os TT Syndicate vão a jogo em tudo: desde a Soul suja e visceral de “No one’s gonna rule my world”, que junta duas das mais carismáticas vozes portuenses – Marta Ren e o anfitrião Pedro Serra – à deliciosa exótica de “Jungle Eva”, passando pelos sofisticados Rhythm & Blues de “What ever happened to you”, pelo Rock’n’Roll incisivo de “Mighty fine” ou pelo Popcorn, ao melhor estilo crooner, de “Melacholic mood” e, no fim, são só e apenas eles. Fazem música retro, como nunca se ouviu...

Só há uma coisa que os espera, por esse mundo fora: crescimento e consolidação do muito que já conseguiram, à custa de talento puro e duro. Chegou a hora de lhes fazermos justiça cá dentro. Para isso basta deixar-nos levar por este enorme disco…


Pedro Tenreiro

 

Cave 45 (Porto)

8 de Julho 2017 | 22.00h

Paulo de Carvalho ao vivo em Lisboa… com entrada livre

A propósito da celebração dos seus 70 anos de vida e do disco “Duetos”, Paulo de Carvalho irá apresentar um concerto aberto ao público na Praça do Município, em Lisboa, no dia 8 de Julho, às 22h.

UoUd8Sw

No ano em que o intérprete comemora 70 anos de vida e 55 de carreira, Paulo de Carvalho decidiu assinalar esta efeméride com um concerto que irá reunir todos os temas do recém-editado disco “Duetos” e oferecer, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, um concerto a todo o público num local icónico da cidade de Lisboa, a Praça do Município.

Confirmados também estão já alguns dos nomes que participaram no disco “Duetos”, editado o mês passado, como Carlos do Carmo, Tozé Brito, Agir, Mafalda Sacchetti e Tatanka.

O concerto que irá revisitar os maiores temas de Paulo de Carvalho é dirigido a todo o público e terá entrada gratuita.

Tiago Bettencourt… “Partimos a Pedra” é o novo single

Partimos a Pedra” é o nome do novo single de Tiago Bettencourt, que é agora editado. Depois de ter sido lançado o tema “Se me deixasses ser”, “Partimos a Pedra” é o segundo tema a ser apresentado do novo disco do artista cuja edição está prevista para o Outono.

Tiago Bettencourt - Partimos a Pedra - Cover

Segundo Tiago Bettencourt, este foi o ambiente e o processo de composição deste single: “Escrevi esta canção numa camioneta a caminho de Salento na Colômbia. Acho que há poucas coisas melhores que a reclusão de viajar sozinho para voltarmos a olhar para o mundo de maneira mais arejada. Não pode ser uma fuga, tem que ser apenas uma pausa para recarregar.

Esta é uma canção dura, de nome já por si sugestivo dessa materialidade. Começa arfante como uma corrida em pleno endurance. Tentei, no entanto, ir desmaterializando essa dureza áspera da tarola a rosnar por trás do beat, através das cordas de nylon de uma guitarra, e de um piano de Dx7, e de um sintetizador de outros tempos. Quis que a chegada a cada refrão fosse onde a luta incansável descansa, como quem viaja sozinho. Tudo isto tem o sentido da letra, que também respira entre a batalha dos versos. Aqui há também o precipício, existe também a vertigem e o vento, mas o passo está dado, e o salto já está a acontecer. Esta canção fala de consciência da distância a percorrer, fala de coragem frente ao medo, fala de aceitação, de inventar caminho. Fala de avançar, com ou sem cicatrizes, de olhos abertos e atentos, aprendendo e confiando.

Produzida por mim, co-produzida pelo Kid, gravada e misturada pelo Nuno, fomos moldando a música até a percebermos, até a podermos entregar à Mandy para masterizar.”

O vídeo, realizado e produzido pela mesma equipa chefiada pelo Marcos Cosmos, é o episódio seguinte do “Se me deixasses ser”.

Existe um espaço seguro, e um grito de libertação, como salto para o precipício. Obrigado mais uma vez a esta equipa incrível e tão eficaz, ao Marcos pela disponibilidade, à Bruna pela dedicação, e à Dalila pelo toque final, em tom de princípio de mais qualquer outra coisa. 

 

O Incrível Homem Bomba estreia vídeo

Já está disponível no canal da Sister Ray, o video para o tema “Vai” dos O Incrível Homem Bomba. O Incrível Homem Bomba é um projecto que parte do Porto do STOP e do Porto dos Ornatos, cheio de Rock e da filosofia Punk do "Do It Yourself", com procura do seu próprio caminho, através do crescimento de uma banda que se tem feito na estrada e agora em estúdio. As influências estão lá e não são negadas, foram como o passar pela escola, como o aprender som e palavras de heróis que marcaram uma geração, para poderem mostrar ao que vêm.

OIHB_promo_Vai_SR_010_D

"Vai" é o culminar duma primeira fase que, sendo o single de avanço do seu primeiro álbum, cresce a cada nova audição, transformando-se em algo novo mas que parece que sempre esteve lá, como uma linguagem própria a que estamos habituados e a que acabamos sempre por regressar.

Depois do EP de estreia, "Porque o Mundo não é quadrado", editado em 2014 (Edição de Autor), os O Incrível Homem Bomba foram tocando em vários palcos, onde mais do que tocarem as suas canções, procuraram entender as dinâmicas do espectáculo, contagiando o público com a sua energia.

O primeiro álbum tem data de lançamento prevista para Novembro de 2017 e foi produzido nos Estúdios da Aguda, pelo influente produtor Quico Serrano.

O videoclip de “Vai” foi realizado por João Salazar, realizador portuense cuja carreira se desenvolveu nos Emirados Árabes.

Carlinhos Brown revisita “A Namorada” em nova música pela diversidade sexual!

Em 1995, quando a luta pela liberdade de escolha sexual estava longe de inspirar novas leis, ocupar noticiário e ser tema de rodas de discussão mundo afora, o refrão “a namorada tem namorada” de Carlinhos Brown fez do seu primeiro álbum Alfagamabetizado um grande sucesso de vendas, e a canção “A Namorada” virou banda sonora do filme Velocidade Máxima.

untitled

Agora o inquieto Brown volta a se inspirar pelo tema e compõe “Orgulho de nós dois”, que terá lançamento oficial na Parada Gay de Madrid, onde o artista se apresenta no dia 2 de julho. O artista lançou video da música, que traz alguns trechos em espanhol.  “Há 35 anos aproximadamente que eu trabalho com causas sociais e cuidados com crianças e idosos. E, pelo respeito às diferenças, criei “A Namorada”, canção que alerta a favor da causa homossexual e lembra que as pessoas precisam ser respeitadas no seu desejo. Já nos dias de hoje, vendo o casamento homoafetivo virar realidade ao lado de outras conquistas importantes, proponho uma canção que é uma celebração” diz Carlinhos Brown.

Orgulho de nós dois” mistura percussão e batidas eletrônicas com uma forte latinidade dançante e comemora “namorada com namorado, namorada com namorada, namorado com namorado, tem amor por todo lado, se a felicidade incomoda leva ela para o seu lado”. A canção vai marcar o repertório do cantor no World Pride Madrid 2017, uma das grandes festas mundiais do orgulho LGBT.

 

Antes de ir a terras espanholas, Brown apresenta-se em Marrocos no dia 1 de julho e, em seguida, dia 15 de julho, apresenta concerto no Lincoln Center Festival, em NY.