Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Chills & Fever #8 - TT Syndicate Live

A Festa Chills & Fever está de volta em Julho e desta vez com uma grande novidade: concerto de apresentação do álbum de estreia dos TT Syndicate.

19260549_442145992814081_3480199021293461537_n

Nas palavras de Pedro Tenreiro da Antena 3... "Nos seus três anos de existência, os TT Syndicate não pararam de dar grandes concertos, um pouco por todo o lado: muitos em Espanha, onde enchem salas atrás de salas e são cabeças de cartaz de festivais, ao lado de nomes como Charles Bradley ou James Hunter Six, mas também em vários outros territórios como Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Suíça, França, Holanda, Suécia ou Rússia. Por cada vinte concertos que dão lá fora, dão um cá dentro, normalmente refundido. Ou seja, em casa continuam uns perfeitos desconhecidos...

Agora que se preparam para editar o seu primeiro longa-duração, está na hora de isso mudar, de lhes reconhecermos o seu talento e nos orgulharmos do seu percurso.

Porque não estamos perante mais uma competente banda retro.

Estamos perante uma banda que reflecte, como poucos neste mundo, a actual abertura "transgénero", de uma comunidade que procura no passado a constante novidade e de toda a dinâmica que esta quebra de barreiras tem vindo a gerar, ainda que subterrâneamente.

Os TT Syndicate vão a jogo em tudo: desde a Soul suja e visceral à exótica passando pelos Rhythm & Blues, pelo Rock’n’Roll ou pelo Popcorn e, no fim, são só e apenas eles. Fazem música retro, como nunca se ouviu..."

Depois do concerto a festa continua até às 6h com os Djs Pedro Tenreiro e os habituais anfitriões Nuno Rabino e Dj a boy named Sue. Uma noite recheada com os mais excitantes sons das raízes da história do rock'n'roll. Ritmos contagiantes da música negra, hipshakers, popcorn, tittyshakers, rhythm & blues, boogaloo e soul.

“Sem Filtros” ao vivo… A estreia dos Quid

Sem Filtros” é o primeiro álbum de apresentação dos Quid, um projeto de originais, lisboeta, em português, esboçado há cerca de 10 anos e que, agora, avança convicto na cena musical pop/rock/alternativo, em formato acústico. Anabela Tomás dá voz às letras intimistas desta formação de Lisboa, às melodias que ecoam do violoncelo de Margarida Moser, à percussão de Rui Hopffer e aos acordes das violas de Luís Santos.

m_01

Neste primeiro álbum e, com presença ao vivo, teremos Humberto Silva no baixo. Ego, Analepse, noites loucas e Ex-passos são alguns dos cartões de visita para se deixar cativar pelos Quid.

 

Teatro do Bairro (Lisboa)

1 de Julho 2017 | 22.00h

Imagine Dragons lançam nova canção “Walking the Wire”

Os Imagine Dragons acabam de lançar mais uma canção do novo álbum de estúdio, “Evolve”, já disponível nas lojas e plataformas de streaming. “Walking the Wire” sucede-se a “Believer”, o primeiro single, “Thunder” e “Whatever It Takes”, os temas já retirados de “Evolve”.

imaginedragons

O single “Believer” já chegou ao n.º 8 do Top 200 da Billboard, tendo durante 11 semanas liderado a tabela Alternative Radio. A revista TIME descreveu “Believer” “mais um grande hino”, enquanto a Entertainment Weekly realçou “as batidas tribais, um coro massivo e uma linha de baixo diabólica”. A Billboard definiu “Believer” como “um grandioso hino que certamente transformará o mais hesitante dos otimistas num crente (‘Belieber’).”

Os Imagine Dragons encontram-se atualmente em digressão a promover as canções de “Evolve”, disco que será apresentado em Portugal já no próximo dia 8 de julho, no festival NOS Alive, no Passeio Marítimo de Algés.

Fundados em 2009 pelo vocalista Dan Reynolds, pelo guitarrista Wayne Sermon, pelo baixista Ben McKee e pelo baterista Daniel Platzman, os Imagine Dragons conquistaram uma base fiel de fãs através de uma série de EPs editados independentemente.

A banda estreou-se numa multinacional com o EP “Continued Silence”, em 2012, do qual saiu o single “It’s Time”, que foi dupla platina. Um ano depois foi editado “Night Visions”, álbum que atingiu o n.º 2 do top Billboard 200, vendendo quase quatro milhões de cópias em todo o mundo e chegando ao n.º 1 do Spotify Worldwide em 2013. O segundo single de “Night Visions”, “Radioactive”, atingiu 9 platinas e chegou ao n.º 1 da tabela Billboard Rock, além de ter garantido à banda o prémio Grammy para Melhor Performance Rock. O terceiro single, “Demons”, atingiu o n.º 1 das tabelas Alternative e Top 40 de airplay de rádio e vendeu 3,9 milhões de cópias nos EUA. O último lançamento da banda, “Smoke Mirrors”, entrou diretamente para o 1.º lugar do top Billboard 200 e vendeu mais de 1,1 milhões de cópias.

Atualmente os Imagine Dragons são o 13.º maior artista no mundo, segundo o Spotify.

Quarteto de Cordas de Matosinhos homenageia Guilhermina Suggia

Cento e trinta e dois anos após o nascimento, no Porto, da violoncelista Guilhermina Suggia, a data vai ser amanhã assinalada, pelas 19h30, com um concerto do Quarteto de Cordas de Matosinhos. A homenagem terá lugar na Sala 2 de Casa da Música e apresentará exatamente o mesmo programa do último concerto de Suggia com o Quarteto Moreira, ocorrido em 1901, no Salão do Conservatório Nacional, em Lisboa: o “Quarteto de cordas n.º 9, op. 59 n.º 3, em Dó maior”, que Ludwig van Beethoven compôs em 1806, e o “Quarteto n.º 1 em Sol menor, op. 27”, de Edvard Grieg.

QCM

O quarteto composto por Vítor Vieira (1.º violino), Juan Carlos Maggiorani (2.º Violino), Jorge Alves (Viola) e Marco Pereira (Violoncelo) presta deste modo tributo ao extraordinário legado de Suggia, que com apenas 15 anos foi estudar para a Alemanha, terminando a sua precoce colaboração com o Quarteto Moreira. A violoncelista havia de regressar a Portugal em 1903, tendo passado a atuar nos principais palcos europeus e acabando por se fixar em Londres. Só em 1924 voltaria definitivamente ao Porto.

 

O Quarteto de Cordas de Matosinhos (QCM) foi criado pela Câmara Municipal de Matosinhos em 2007. Na temporada de 2014-15 o QCM foi escolhido como um dos ECHO Rising Stars, apresentando-se assim em algumas das mais importantes salas de concerto europeias, como o Barbican de Londres, o Concertgebouw, em Amesterdão, o Musikverein, em Viena, as Philharmonies de Hamburgo, Colónia e Luxemburgo, o Konzerthaus, em Dortmund, o Megaron, em Atenas, ou o Palace of Arts, em Budapeste.

 

Casa da Música (Porto)

27 de Junho 2017 | 19.30h

Sumol Summer Fest 2017… Prepara-te para um fim de semana Wild!

É já esta sexta-feira que arranca a 9ª Edição do Sumol Summer Fest.

O Festival que celebra a chegada das férias de verão, promete momentos inesquecíveis num cenário privilegiado, num dos melhores parques de campismo da Europa, com praia a menos de 500 metros, ao som da melhor música. Os dias 30 de junho e 1 de julho são sinónimo de muita animação, convívio e grandes concertos.

header_geral(2)

O Sumol Summer Fest apresenta este ano o concerto único d’A História do Hip Hop Tuga, que vai reunir em palco um naipe luxuoso para contar a história dos 20 anos da cultura hip hop em Portugal, através das músicas mais emblemáticas do género, interpretadas por grandes nomes como Ace e Presto, Allen Halloween, Bispo, Black Company, Capicua, Chullage, Dealema, Dengaz, Dillaz, GROGNation, Holly Hood, NBC, NGA, Sam The Kid, General D, Tribruto, Sir Scratch, Tekilla e Nel Assassin nos pratos. Absolutamente imperdível!

 

No Palco Sumol vão atuar ainda as estrelas internacionais Sean Paul, Post Malone, Fat Joe e Digital Farm Animals e os lusófonos Valas, DJ Big, DJ Slimcutz e Deejay Telio/ Deedz B.

 

O Skate Parque da Boardriders Ericeira será uma zona de paragem obrigatória e um espaço oficial do Sumol Summer Fest. É lá que vai funcionar o Palco Quiksilver Boardriders, dedicado à nova música nacional, e onde vão atuar DJ Dadda, Sensi, Insch, Zanibar Aliens, Fugly e The Sunflowers. O parque será também palco dos DC Summer Games, que prometem levar até à Ericeira os melhores skaters nacionais.

Está tudo a postos para um fim de semana verdadeiramente Wild!

Neopop Festival… Ask for More

ASK FOR MORE. É este o repto lançado pelo Neopop Festival nos 3 eventos de Verão com que este ano pretende ocupar o Pacha Ofir nas noites de 1 e 15 de Julho, e 19 de Agosto.

São 3 os espaços - Main Room, Open Air e Neolab -  por onde desfilarão alguns dos nomes mais destacados da cena electrónica internacional, para além de artistas emergentes e prodígios nacionais. 

ASK FOR MORE w Monika Kruse_Imagem

Á qualidade e ecletismo da programação musical, foi aliada uma arrojada componente visual , capaz de criar a envolvência única que o cartaz reclama. 

 

O arranque é dado a 1 de Julho com a berlinense Monika Kruse, fundadora da editora Terminal M e com uma carreira que leva já 25 anos de actuações. A 15 de Julho Ben Klock, residente do famigerado Berghain que nos últimos anos teima e deixar o top 10 best DJs da Resident Advisor. Por fim, as festividades encerram a 19 de Agosto com o astro italiano Marco Carola, criador da editora Music On, marca que nos dias de hoje promove dos mais celebrados eventos na noite de Ibiza.  

Discografia de Zeca Afonso em exposição no Museu do Oriente em Julho

A obra discográfica de um dos cantautores mais emblemáticos da música portuguesa do século XX, Zeca Afonso, está em exposição no Museu do Oriente a partir de 7 de Julho, numa iniciativa da Associação José Afonso.

poster expo DESTA CANCAO A3-min

Desta canção que apeteço” mostra partituras, livros, fotografias, recortes de imprensa e uma dezena de instrumentos musicais, a par de registos sonoros e um vídeo. Resultado de um trabalho de pesquisa de Miguel Gouveia e Cláudia Lopes, a exposição compreende toda a obra discográfica de Zeca Afonso desde a edição, em 1953, do seu primeiro registo fonográfico nos estúdios da Emissora Regional de Coimbra, até 1985, data do seu último disco “Galinhas do Mato”. Destaque ainda para o concerto inaugural com Rui Pato e António Ataíde e os testemunhos inéditos de alguns artistas que gravaram com José Afonso como Levy Baptista, Paulo Alão, José Mário Branco, Michel Delaporte, José Luís Iglésias, Octávio Sérgio, Carlos Zíngaro e Júlio Pereira.

 

“O que se apresenta resulta do trabalho possível perante um objecto de estudo revestido de alguma complexidade, que advém do facto de estarmos perante uma obra que atravessa períodos onde o rigor informativo que as editoras colocavam nos seus discos, em particular nos EP, deixa bastante a desejar. Assim, tentar recuperar esse rigor a tantos anos de distância não foi, de facto, tarefa fácil, exigindo um aturado esforço de investigação e, sobretudo, de comparação de fontes, embora muitas delas atraiçoadas pela memória e pela perpetuação de erros na atribuição de datas e autorias de letras e músicas. Consideramos, no entanto, que a panorâmica em exposição em “Desta canção que apeteço – obra discográfica de José Afonso 1953//1985” não deixa de se constituir como uma base sólida para o estudo e discussão de uma das obras mais marcantes da música popular mundial”, afirmam os investigadores.

 

A exposição está patente até 24 de Setembro.

 

“Desta canção que apeteço – obra discográfica de José Afonso 1953/1985”

Inauguração: 6 de Julho 2017 | 18.30

7 de Julho a 24 de Setembro 2017 | terça-feira a domingo - 10.00 - 18.00

Tipo lança "Acção-Reacção"… primeiro single do seu álbum de estreia

Tipo nasceu no início de 2015, quando Salvador Menezes (co-fundador dos You Can’t Win, Charlie Brown) decidiu tirar uma semana e meia de férias da sua aborrecida rotina.

00 Tipo - Capa Acç_o-Reacç_o _weareplastictoo

Tendo à sua disposição o Casio dos anos 80 do tio, a guitarra com 3 cordas dos anos 90 da irmã, a bateria dos anos 2000 do irmão e o seu baixo, computador e voz, criou 4 canções. Concorreu ao apoio fonográfico da GDA e ganhou.

Dois anos depois, este Tipo já mudou de emprego, de casa, lançou o terceiro álbum dos You Can't Win Charlie Brown e foi pai. Já não está aborrecido e tem agora músicas suficientes para lançar o seu primeiro disco.

"Acção-Reacção" é o single de apresentação. O videoclipe foi realizado e produzido pelos "We Are Plastic Too", com direcção de fotografia do João Souza e iluminação dos "Side Effects".

Co-produzido por Afonso Cabral, Luís Nunes e Salvador Menezes, o álbum sairá brevemente com o selo da Pataca discos e o apoio da Vodafone FM. Conta também com alguns convidados, nomeadamente Tomás Sousa neste (single) “Acção-Reacção”.

 

1ª edição do Montepio Fado Cascais… em Cascais

Estreia-se em Cascais, nos dias 20, 21 e 22 de Julho 2017 no Parque Palmela,  Montepio Fado Cascais. Numa parceria com a Câmara Municipal de Cascais, será realizado este novo festival de Fado que conta com a presença de alguns dos maiores nomes do panorama musical português.

António Zambujo, Raízes (Mariza, Jorge Fernando e Pedro Jóia), Camané, entre outros são os nomes confirmados.

2lsvvx8mpc7e

Montepio Fado Cascais nasceu de uma vontade de trazer às ruas aquilo que é tão nosso, de trazer às gargantas do povo o trinado das guitarras e mostrar às gentes quem somos e o melhor que fazemos. Mostrar a história do Fado, como nasceu e porque foi elevado a Património Mundial da Humanidade. Um evento que conta com o apoio da Câmara Municipal de Cascais e da Fundação D. Luis, e que pretende ir mais além e proporcionar uma experiência de Fado a todos os que nos visitarem. O Parque Palmela abre as portas e dá as boas vindas, oferecendo a possibilidade de visitar a exposição de Fado espalhada pelo local, cujos conteúdos foram gentilmente cedidos pelo Museu do Fado - EGEAC. Antes dos concertos, o público poderá ainda aproveitar para jantar - menu tipicamente portugueses, regados com um bom vinho e acompanhado das tradicionais “desgarradas”.

 

20 Julho 2017 - Maria Emília / António Zambujo

21 Julho 2017 - Ângelo Freire / Raízes

22 Julho 2017 - Fábia Rebordão / Camané

 

Parque Palmela (Cascais)

20 a 22 de Julho 2017 | Abertura de portas às 19h30 / Início concertos 21h30

Bill Laurance apresenta projeto a solo em Portugal em Julho

Depois do sucesso que foram os concertos dos Snarky Puppy em Portugal no mês de Abril (LX Factory e Casa da Música, ambos esgotados), Bill Laurance, um dos membros do colectivo jazzístico, virá a a Lisboa, dia 16 de Julho, no Estúdio Time Out para uma actuação sob a insígnia do seu projecto a solo.

banner bill_laurence

Bill Laurance é um músico multi-instrumentista, compositor e produtor Até à data, Bill lançou 4 álbuns e viajou por todo o globo enquanto membro itinerante de vários projetos galardoados, com este seu colectivo e ainda enquanto pianista a solo. Este trajeto levou a que Bill Laurance ganhasse 2 Grammys e ainda o Prémio Revelação 2015, atribuído pela Jazz FM. A sua reconhecida qualidade fez com que fosse convidado para participar em trabalhos de algumas das maiores referências da cena musical das últimas décadas, tais como os Morcheeba, David Crosby, Salif Keita, Bobby McFerrin, entre muitos outros. O músico recolheu, assim, merecidos dividendos da sua associação aos Snarky Puppy enquanto membro fundador da banda que é hoje em dia, o maior fenómeno do Jazz do séc. XXI.

 

O último álbum de Bill Laurance, “Aftersun”, é um tributo à exploração espacial e à vida no cosmos. Neste bouquet repleto de aromas distintos, existem notas de dance music e percussão de origem Africana, numa conjugação que se poderia definir enquanto música do mundo, dada a versatilidade e a abrangência das criações de Bill.