Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Há fados e canções, baladas e sambas, bossas e tanto mais n' O Sol da Caparica!

Carlos do Carmo e Mariza são os grandes embaixadores do Fado, Património Imaterial distinguido pela Unesco, no festival que celebra todos os tons e sotaques da língua portuguesa. Mas António Zambujo ou Teresa Salgueiro também têm lugar num cartaz que procura outros caminhos para o cantar português.

01

Carlos do Carmo! Imperdível no Sol da Caparica!

O fadista que gravou o clássico “Um Homem na Cidade” apresenta-se no segundo dia d’O Sol da Caparica, a 11 de agosto, ocasião rara e por isso mesmo imperdível para ver um dos maiores tesouros da canção portuguesa no ambiente de um festival. A propósito da próxima edição de Debaixo da Língua, o livro de conversas sobre a relação do português com a música que o jornalista Rui Miguel Abreu assina, Carlos do Carmo revelou um par de importantes ideias. “Neste momento da minha vida, e exceção feita à minha família e amigos, o palco é a coisa mais fascinante que eu tenho”, confessou. “Eu adoro o palco, não porque me exibo, mas porque partilho. E como já vivi um bocado de vida, tenho assistido às metamorfoses dos públicos, o modo como o público se concentra, ou não. E constato com muita felicidade uma coisa: o público que vem aos meus concertos, vem para se concentrar. E devo dizer que apanho três faixas etárias: avós, pais e filhos”.

02

Mariza, grande embaixadora no mundo da nossa língua e do nosso património imaterial, subirá ao palco principal d’O Sol da Caparica, um dia antes, a 10 de agosto, outra oportunidade soberana para se fazer silêncio porque se vai cantar e de que maneira fados como “Rosa Branca” ou “Ó Gente da Minha Terra”. Sucessos maiores de uma carreira que tem recolhido aplausos nas mais importantes salas do mundo.

03

Teresa Salgueiro também se apresenta no cartaz 2017 d’O Sol da Caparica. A vocalista original dos Madredeus, grupo com que deu a volta ao mundo nos anos 90, também tem uma fulgurante carreira a solo,que em 2016 rendeu mais um excelente álbum de originais – “O Horizonte” - trabalho que certamente será apresentado neste Sol da Caparica, juntamente com outros grandes temas da sua notável carreira.

04

Finalmente há António Zambujo, outra voz que tem levado Portugal pelo mundo fora e que vai universalizando a nossa língua enquanto namora com o cancioneiro brasileiro, como acontece no trabalho que vai levar ao Sol da Caparica, “Até Pensei Que Fosse Minha”, em que homenageia Chico Buarque. Quando “aterrar” na Caparica, o autor dessa homenagem que é também a voz de Rua da Emenda, o álbum do grande êxito “Pica do 7”, terá na bagagem recordações do Japão onde irá apresentar-se para três concertos durante o mês de Julho, em Hyogo e Tokyo, incluindo uma passagem pelo cartaz do enorme World Jazz Festival. O concerto n’O Sol da Caparica será o primeiro depois da viagem ao país do sol nascente.

 

Paul Collins… Solo Acoustic Euro Tour 2017 em Lisboa

Paul Collins, esse mesmo que fez parte da mítica banda os The Nerves, que compuseram o hit "Hanging on the Telephone", celebrizada na voz da Debbie Harry dos Blondie, e sim, o original é dos The Nerves.
Hoje em dia os The Nerves tem o cunho de banda de culto, sendo venerada pela maioria dos coleccionadores e apreciadores do Powerpop e da New Wave. Banda que chegou a fazer uma tournée com os Ramones.

Paul Collins1

Paul Collins foi peça chave no evoluir da New Wave Americana. Após os The Nerves, forma juntamente com Peter Case, companheiro nos The Nerves, os The Breakaways, outra banda de culto do Powerpop Americano.

Acabada a aventura dos The Breakaways, foi altura de dar o grande salto, dessa vontade indómita em criar música nascem os The Beat. Uma banda com outra ambição e não foi preciso muito tempo para a CBS pegar na banda e lançá-la no mercado. Estávamos em 1979, numa altura em que a New Wave fervilhava em tudo que era pista de dança e top radiofónicos. O primeiro álbum dos The Beat atrai as atenções do público e dos media, recebendo boas criticas e bom airplay nas rádios. Fizeram uma tour com os The Jam e chegaram a tocar na Europa.

 

Em 1980 sai o segundo álbum Paul Collins'Beat "The Kids are the same", mais um marco dentro do powerpop Americano. Por essa altura gravam três videoclips de promoção ao disco, o qual consegue rodar com alguma regularidade nas rádios Americanas.Desde a altura dos The Beat, Paul Collins nunca parou, editando mais discos com os The Beat. Após essa aventura, ingressou numa carreira a solo que perdura até aos dias de hoje.

2017 marca o regresso de Paul Collins à Europa numa tour de promoção aos dois recentes discos editados: "One Night" e "To Beat or Not To Beat/ Longtime Gone". Dois registos que demonstram a vitalidade de um músico que não deixa por mãos alheias os seus créditos de 40 anos de música.

Para demonstrar essas mesma vitalidade criativa, Paul Collins virá somente com a sua guitarra e todas as músicas que o tornam num músico único nos dias de hoje.

 

Um espetáculo único onde podemos ouvir os novos temas, sem esquecer os clássicos que popularizaram o Paul Collins The Beat, clássicos tais como "Rock ‘n’ Roll Girl", "All over world", "Working Too Hard", "On the Highway", "Different Kind of Girl"...

A tour passará por vários países da Europa, e Portugal não vai ficar de fora, com um único concerto em Lisboa no dia 29 Junho no Popular Alvalade. Mas 5 dias antes de vir a Portugal Paul Collins irá tocar num festival "Fuengirola Pop Weekend" no qual os cabeças de cartaz são nem mais nem menos os Beach Boys.

Alexis Paul traz o Saudaá Group a Bragança…

O músico francês Alexis Paul traz Saudaá Group a Bragança para um concerto inserido nas Matinés ao Domingo dia 25 no jardim do Museu do Abade de Baçal por onde já passaram, Isasa, Mary Ocher, Alright Gandhi e Julie Doiron.

Saudaa-Group-©-Andro-Eradze--1030x686

photo: Andro Eradze

 

Criado em 2014 pelo músico francês Alexis Paul, Saudaá Group é um projecto dedicado a criar composições musicais num realejo (ou “órgão de rua”). O projecto mistura sound art, improvisações, uma abordagem poética e societal da música, tradições e novas formas de autoria. A essência deste projecto é a reinvenção completa do orgão de rua (repertório, técnica e uso), envolvendo texturas sonoras repetitivas e poderosas, fontes electroacústicas, músicos convidados, experimentação e nomadismo.

Em 2016 o Saudaá Group estabeleceu residências à volta do mundo para o projecto Street Organ Ritornellos. Trabalhou com mais de 30 músicos numa dezena de países diferentes, desde o Alto Atlas até aos países do Cáucaso, procurando renovar o instrumento com três séculos de existência e comunicar o seu legado para uma audiência mais ampla.

Cada passo nesta jornada gerou novos testemunhos, peças de rádio para a France Musique ou pequenos filmes. Dois documentários foram filmados na Arménia e no Líbano. Neste projecto, o Saudaá Group procura a inter-relação poética entre a música e o seu meio.

Fall Out Boy revelam novo single “Champion”

I am a champion of the people that don’t believe in champions." Foi com este lema que os Fall Out Boy revelaram ao mundo o seu mais recente single… “Champion”. O tema sucede-se a “Young and Menace” e fará parte do próximo álbum de estúdio do grupo norte-americano “M A N I A”, que será editado a 15 de setembro, sendo que já está disponível em regime de pré-venda.

18193967_10154317057140780_9002101074501101302_n

O lançamento do single é acompanhado de um trabalho de artwork repleto de caras conhecidas: Leonardo DiCaprio com um Óscar da mão, os condutores de Fórmula 1 Niki Lauda  e James Hunt, a personagem Barb da série “Stranger Things”, McLovin do filme “Superbad”, Buster Douglas e Mike Tyson no combate de boxe em 1990, entre outros.

Hoje foi revelado o novo vídeo criado para este “Champion”, que tem entre as suas frases de ordem: “If I could live through this I could do anything”.

 “M A N I A” é o sucessor do platinado sexto álbum de estúdio da banda, “American Beauty/American Psycho”, que entrou diretamente para o n.º 1 do Billboard Top 200, em janeiro de 2015.

Já nomeados para prémios Grammy, os Fall Out Boy, constituídos por Patrick Stump, Pete Weitz, Joe Trohman e Andy Hurley já foram capa da Rolling Stone e de outras publicações de prestígio. Atuaram também em programas televisivos como Saturday Night Live, The Today Show, America’s Got Talent, The Voice, Late Night with Jimmy Fallon, The Tonight Show with Jay Leno, Conan, The Late Show with David Letterman, Jimmy Kimmel Live!, entre outros..

"Ninguém Vê Nada" é o novo single de Dengaz

"Ninguém Vê Nada" é o novo single de Dengaz, produzido por Twins. O vídeo é filmado em Cascais, e realizado por Pluma e Pedro Dias. "Ninguém Vê Nada" é um tema que sobre o valor do que realmente importa numa época de likes e aparências.

Dengaz - Ninguem Ve Nada - Cover

"Ninguém Vê Nada" abre um novo caminho musical e artístico para Dengaz, mostrando uma nova sonoridade dentro do hip-hop.

Por certo, este tema será apresentado ao vivo na digressão que Dengaz se encontrar a fazer. Estará presente em alguns dos principais palcos nacionais

Galeria Municipal de Matosinhos apresenta “Arquipélagos e Sinais” de Francisco Laranjo

O Verão chega à Galeria Municipal de Matosinhos como uma nova exposição, a inaugurar pelas 17 horas do próximo sábado, 24 de junho. “Arquipélagos e Sinais”, de Francisco Laranjo, sucede a mostras de outros destacados artistas nacionais, como Julião Sarmento, José Emídio, Jorge Pinheiro, Carlos Marques, Fernando Lanhas ou Alberto Péssimo, confirmando Matosinhos como destino essencial da arte contemporânea portuguesa.

Laranjo2

Como esboços inaugurais da manhã do mundo, os trabalhos que compõem a exposição “Arquipélagos e Sinais”, de Francisco Laranjo, remetem o olhar para os valores essenciais do traço, da mancha de cor, do espírito inicial, caótico e delicado, que preside à formação das primeiras coisas.

 

“Quando os xamãs do Paleolítico produziram as suas séries de linguagem das formas, tão próximas e tão longe da realidade como a escrita pictográfica, teriam os seus cadernos de ensaios dinâmicos (mentais ou em suporte), como os que Francisco Laranjo expõe: são linhas e são gestos, são desenvolvimentos mentais do território e das envolventes, esquemas de objetos reais alterados,  signos de apropriação e da imaginação”, explica a crítica Maria do Carmo Serén no texto que escreveu para o catálogo da exposição.

Laranjo1

Reunindo um importante conjunto de obras recentes do artista, “Arquipélagos e Sinais” é sobretudo composta por desenhos e aguarelas de feição abstrata, os quais, segundo nota Rosa Alice Branco, noutro texto do catálogo, encetam “um ritual de iniciação ao diálogo entre o silêncio e a forma”. “Este desenho”, acrescenta, é o acontecimento que desvela, inequivocamente, que a figuração não se cinge à curvatura cinza, desenhando um elegante itinerário que retorna por um espaço diferido, deixando um lugar de respiração entre o ir e o voltar.”

 

Francisco Laranjo nasceu em Lamego e é professor catedrático da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto, expondo individual e coletivamente desde 1979 em países como Portugal, Holanda, Bélgica, Alemanha, Canadá, Índia e China.

Ermo… O regresso com “Lo-Fi Moda”

Os Ermo são a mais recente contratação da NorteSul. A dupla de Braga estreia-se com “Lo-Fi Moda”, um disco de electrónica pop, rompedor e impactante, que adopta o modelo da canção enquanto ponto de partida para um discurso inventivo, refrescante e surpreendente. A sua música já foi apelidada de ‘intervencionista’, descrevendo o estilo da banda como pop mergulhado em hip-hop e footwork com uma gíria pós-punk.

ermo_capa%20lo-fi%20moda

O novo álbum retrata o comportamento humano, engolido pelo mundo digital. Feito para intrigar, apresenta 9 faixas sobre dois humanos do lado de lá do espelho. ”Lo-fi Moda” funciona belissimamente como uma metáfora para vaidade, auto-validação e narcisismo.

 

Os Ermo começaram em 2012, com o lançamento do seu primeiro EP homónimo. No ano seguinte, “Vem por Aqu” o seu primeiro longa duração, é editado pela NOS Discos. Bem recebido pela crítica, o álbum recebeu largos elogios pelo seu carácter inovador e desprendido de género. Com o alargamento do seu público, a banda percorreu a Europa e Brasil durante os 2 anos seguintes, lançando um novo EP “Amor vezes Quatro” em 2015.

 

Agora, com “Lo-Fi Moda”, os Ermo marcam a produção nacional e confirmam-se como magnatas do incomum. À venda dia 30 de Junho

Depois de “Call Me Home” e “Earth Space” “Puzzles” é o novo Single de LINCE

No final do ano passado, LINCE a.k.a Sofia Ribeiro, a miúda loira de olhos azuis que conhecíamos enquanto teclista dos We Trust e dos There Must Be a Place, deu a conhecer 2 temas em nome próprio que rapidamente despertaram a curiosidade dos ouvidos mais atentos, dentro e fora de portas, como se pode ler na Les Inrockuptibles “c'est fin et délicat comme on aime.” A aventura LINCE havia começado.

19399292_428870667485055_6207291627498765200_n

Os primeiros meses de 2017 foram repartidos entre o estúdio, a compor, e os palcos (Sofar Sounds, Lisboa Dance Festival), a testar e a aprimorar as novas composições. “Puzzles” é uma dessas novas composições e antecede o EP de estreia de LINCE que sai dia 30. “Como grande parte dos temas que componho, “Puzzles” surgiu ao piano, com a linha melódica a definir-se a par da letra. Vejo no tema uma forte componente de carácter emocional – uma quase decifração de códigos, de juntar peças e descobrir a imagem de um tempo – aparentemente antagónica da leveza que sons e ritmos revelam, um espaço musical mais confortável do que o poético. Uma canção para dançar e sentir.", refere Sofia Ribeiro

Já para Vasco Mendes, o realizador, o desafio estava na tradução para imagens da ideia que “a relação entre os dois vai-se desconstruindo, o puzzle da relação vai-se perdendo em peças”. Rodado em vários espaços da cidade do Porto, o vídeo de “Puzzles” conta com a participação especial do actor Guilherme de Sousa que divide com Sofia Ribeiro o protagonismo no filme.

Lançamento do novo CD de António Pinho Vargas "Concerto para Violino"

O CCB acolhe o lançamento do novo CD de António Pinho Vargas, “Concerto para Violino”, que contará com a presença de Tamila Kharambura (violino) e Inês Andrade (piano), que irão interpretar “Quasi una Sonata” (estreada no CCB por Gareguin Aroutiounian e Miguel Henriques, em 2010) e No Art – quatro estudos para violino solo.

#LM Miguel Manso - António Pinho Vargas - 22 de julho de 2011

photo: MIguel Manso

 

Deste CD faz ainda parte o Concerto para Violino, “in memorian Gareguin Aroutiounian”, a obra principal deste disco, cuja composição durou dois anos, tendo sido estreado no CCB em 2016.

 

Centro Cultural de Belém / Sala Luís de Freitas Branco (Lisboa)

29 de Junho 2017 | 19.00h

Surma… “Hemma” ruma a “Antwerpen”

Depois de dois anos a contruir o seu próprio universo, eis que Surma chega com novo single, “Hemma”, em antecipação ao primeiro disco, “Antwerpen”, que tem data de lançamento marcada para Outubro de 2017. 

039ad178-3fb7-4d55-a7ca-7714308c2d54

Se muitos perguntam pela origem do nome Surma, em “Hemma” vão encontrar um dos imaginários possíveis dessa origem, sendo inevitável também constatar que estamos perante uma nova fase da artista leiriense. Um renascimento que marca o início de uma nova viagem, tão introspectiva quanto bela. 

No disco “Antwerpen”, não encontrarão nenhum dos temas tocados nos últimos dois anos, mas antes temas inéditos e compostos de raiz. A produção áudio e os vídeos deste trabalho estão a ser desenvolvidos pela Casota Collective e a masterização está a cargo de Paulo Mouta Pereira. 

 

Nos próximos dias 29 e 30 de Junho, Surma junta-se à brasileira LaBaq nos palcos do Maus Hábitos, no Porto, e no Popular Alvalade, em Lisboa. Estes concertos marcam a entrada de “Hemma” no alinhamento da artista portuguesa.

Agora, ruma a "Antwerpen". E a viagem ainda mal começou.

“Re use” de Zélia Évora…

A partir de umas calças de ganga condenadas ao lixo pode nascer, pelas suas mãos, uma minissaia ou um saco de causar inveja; de uma t-shirt antiga, um gorro de bebé a que nenhuma mãe ficará indiferente; de um casaco furado pelas traças, umas calças giríssimas para rapaz; de um vestido, uma túnica que a sua filha irá adorar.

untitled

Neste livro, a talentosa Zélia Évora, autora do bestseller A Terapia do Tricot, apresenta-lhe mais de 50 projetos de costura surpreendentes para transformar o velho em novo, com indicações passo-a passo e ilustrações explicativas.

 

Uma edição: A Esfera dos Livros