Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festival Matéria apresenta-se no Base a 2 de Julho no Porto

No próximo dia 2 de Julho brota no Base, na Baixa do Porto, o ano zero do Festival Matéria, que verá a sua primeira edição em 2018. O compromisso é a realização de um autêntico festival de com forte atração gravítica pela sua maior estrela: a música eletrónica.

6afb8b59-1e0d-4c4e-a7b9-200fcd02fc72

Com estreia absoluta em Portugal, chegam-nos os Kamaal Williams Ensemble em Live, com o álbum “Black Focus” considerado pela crítica um dos melhores álbuns de 2016. Outro nome que promete libertar boas energias no Matéria é Tosca, com um Live de pureza num concerto integrado na tour de apresentação do álbum “Going Going Going”.

Há ainda o DJ Set de Richard Dorfmesteir, membro integrante de Tosca e figura incontornável do universo eletrónico musical. Os investigadores de som e imagem também estão convidados - Mr. Herbert Quain funde trilhas sonoras com visuais num percurso já rico e em ascensão.

Celeste Mariposa vem fazer colidir dois protões, Portugal e África, enquanto Marco Coelho promete aquecer as lamparinas onde se vão deparar todos estes elementos.

Salva a Terra… um Festival pela Conservação da Natureza

Este ano o Salva a Terra acontece de 22 a 25 de Juho 2017, em Salvaterra do Extremo, aldeia do concelho de Idanha-a-Nova, dentro do Parque Natural do Tejo Internacional. É um Eco Festival bienal, que vai para a sua quarta edição, sendo na sua génese um evento 100% "Pro-Bono", no qual toda a organização, artistas, formadores, guias, e restante equipa trabalham de forma voluntária com vista a contribuir para a angariação de fundos para o CERAS - Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens

cartaz salvaaterra17 final

São cerca de 150 artistas em 4 dias que abraçaram esta causa !

Para além dos concertos nos 4 palcos, haverá teatro e animação de rua. Vamos contar com uma intervenção do artista plástico, Bordalo II, perto do Palco Pôr-do-sol, e uma exposição da Plasticus Maritimus.

As manhãs começam com atividades de yoga, concertos meditativos, e diversos workshops e oficinas para as famílias. No decorrer da tarde, para além dos concertos no Palco Igreja, no Palco Pôr-do-sol e no Quintal da Fafá (uma moradora que recebe artistas na sua casa e acolhe diversas atividades no seu espaço desde a primeira edição do Festival), haverá atividades de observação de vida selvagem, construção de caixas de ninho e abrigos para fauna, construção de fornos solares, cinema documental e palestras/conversas sobre diversas temáticas ambientais, percursos pedestres, banhos e garimpo no rio Erges e, entre outros, oficinas de tecelagem vegetal. O CERAS irá ensinar como proceder ao encontrar um animal ferido, e estarão também presentes outras entidades como é o caso do Grupo Lobo com o qual os mais novos poderão ser biólogos por um dia, ou a Associação Circuito Explosivo, Planeta Azul ou a Pano ou Palha, entre outras, com várias exposições, teatro de fantoches, palestras e oficinas!

Este festival é um encontro de troca e sensibilização, no que diz respeito à conservação da Natureza. Uma aposta na sensibilização através da componente de cariz pedagógico presente nas atividades desenvolvidas. No que diz respeito aos resíduos e à energia, na cantina do festival existe uma ementa vegetariana com produtos produzidos local e regionalmente, dando naturalmente prioridade aos de produção em modo biológico; promovendo a redução do consumo de embalagens e a reciclagem de todos os resíduos da cantina (embalagens e resíduos orgânicos), apelando à não utilização de plásticos e loiça descartável; promovendo o uso da caneca do festival e pratos reutilizáveis na cantina onde os detergentes são ecológicos; São reutilizados materiais de outros festivais, iluminação eficiente nos parques de campismos (leds) e casas de banho secas (compostáveis) nos campismos. Quanto à mobilidade, é fomentada a partilha de boleia (grupo no Facebook) e uso de bicicleta para chegar ao Salva a Terra e a utilização de bicicletas pela organização durante o evento; após o festival, realiza-se sempre a compensação das emissões e da pegada ecológica da organização, artistas, formadores, guias e restante equipa, através da plantação de árvores autóctones pelo projeto “Criar Bosques” da Quercus ANCN no Parque Natural do Tejo Internacional.

 

As receitas obtidas revertem efetivamente a 100% para o CERAS, fazendo do Eco Festival Salva a Terra o seu principal mecenas.

João Caetano apresenta novo projeto…

Filho de pais portugueses, João Caetano nasceu e cresceu em Macau. Finaliza o Conservatório de Macau na disciplina de violino e, aos 18 anos, parte para a Universidade de Chichester, em Inglaterra, com uma bolsa para estudar percussão. Em início de carreira, é convidado para integrar os Incognito como percussionista, com quem gravou quatro álbuns e participou em seis tours mundiais.

m_03

Colaborou também com nomes como Chaka Khan, Mario Biondi, Anastasia, Leona Lewis, Jessie J e Dione Bromfield. Decide entretanto lançar-se num projeto a solo de raízes portuguesas. Músico da moderna Lusofonia, João Caetano constrói um projeto que, apreciando o passado, busca pistas dos novos caminhos e influências que a música pode tomar no mundo lusófono.

O projeto assenta numa cultura de preservação da tradição popular portuguesa, reinventando a tradição e valorizando a estética moderna

 

Teatro do Bairro (Lisboa)

22 de Junho 2017 | 21.30h

“Purple Rain” de Prince em novas versões…

A NPG Records e a Warner Bros. Records anunciaram a edição, para 23 de junho de 2017, da obra-prima de PrincePurple Rain”, galardoada com um Óscar e dois Grammy e certificada disco de Diamante, em novos formatos: Deluxe e Deluxe - Expanded Edition. Os dois CD de “Purple Rain Deluxe” incluem a remasterização feita em Paisley Park, em 2015, das gravações originais da banda sonora, apresentando uma versão inédita do álbum supervisionada por Prince. O disco “From The Vault & Previously Unreleased” oferece ainda onze pérolas desenterradas das profundezas do arquivo de Prince. Além de “Electric Intercourse,” o alinhamento inclui raridades muito procuradas como “Our Destiny / Roadhouse Garden” (1984) e o instrumental “Father’s Song” (1983).

Prince_PurpleRain_LP_SetUp.indd

“From The Vault & Previously Unreleased” inclui ainda 6 temas nunca editados ou pirateados: “Possessed” – versão a solo inédita de Prince (1983); “Electric Intercourse” - versão de estúdio cuja existência era desconhecida até ser descoberta em Paisley; “Father’s Song” – versão ao vivo com mais de cinco minutos, até agora disponível apenas num excerto de minute e meio no filme; “We Can Fuck” – um tema nunca editado na versão completa de 10 minutos com esta letra; e “Katrina’s Paper Dolls” – um master acabado da canção que só circulou como demo. Todos os temas foram retirados da fonte e masterizados por Bernie Grundman, o engenheiro de som que trabalhou no álbum original.

 

Além de “Purple Rain” (2015 Paisley Park Remaster) e “From The Vault & Previously Unreleased”, a versão “Purple Rain Deluxe - Expanded Edition” inclui um terceiro CD, “Single Edits & B-Sides”, e o DVD do concerto Prince And The Revolution Live at the Carrier Dome, Syracuse, NY, March 30, 1985.  Com o áudio e o video restaurados a partir da gravação original, oferece um retrato exclusivo da emoção e da potência das lendárias atuações ao vivo de Prince durante uma das melhores fases da sua carreira. 

 

O ADN de “Purple Rain” sente-se em toda a cultura pop. É uma obra intemporal e a sua ressonância immortal é exemplificada por grandes sucessos como “Let’s Go Crazy,” “When Doves Cry,” “Darling Nikki,” “Purple Rain” e muitos outros. “Purple Rain”, lançado em 1984, foi um dos pontos marcantes da carreira de Prince e mudou o mundo do cinema e da música. Na primeira temporada, o musical, que teve um orçamento de 7,2 milhões de dólares, gerou mais de 220 milhões de dólares em receitas de bilheteira em todo o mundo, e recebeu o Óscar de “Melhor Banda Sonora Original.” O álbum, com mais de 13 milhões de cópias vendidas, foi disco de Diamante e é a sexta banda sonora mais vendida da história, com mais de 22 milhões de cópias vendidas. A Vanity Fair chamou-lhe “melhor banda sonora de sempre” e a Time Magazine classificou-a de 15.º melhor álbum de sempre. O álbum ganhou dois Grammy em 1985, nas categorias de “Best Rock Vocal Performance by a Duo or Group with Vocal” e “Best Album of Original Score Written for a Motion Picture or Television Special,” e depois da morte de Prince foi galardoado, em 2016, com a distinção “Favorite Soundtrack” nos American Music Awards. Em 2017, foi nomeado para um Billboard Music Award na categoria de “Top Soundtrack/Cast Album.”

Minta & The Brook Trout na Sala Estúdio do Teatro Aveirense

Os Minta & The Brook Trout são de Lisboa.

Slow”, lançado no início de 2016 pela editora mais antiga do país, a Valentim de Carvalho, é o terceiro disco da banda.  

GLAM - Minta.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

A história de Minta começou em 2006 – quando tudo acontecia no MySpace – enquanto veículo de gravações caseiras das canções de Francisca Cortesão. O nome Minta & The Brook Trout, enquanto o projeto a solo se foi transformando numa banda, no coração da qual estão, desde então, as canções sucintas de Francisca Cortesão e os arranjos minimais de Mariana Ricardo. Em torno deste duo, em gravações e concertos, tem girado um elenco de músicos extremamente talentosos, tanto como membros de Brook Trout como enquanto convidados especiais.

 

Hoje em dia Minta & The Brook Trout é um quinteto

 

Teatro Aveirense
22 de Junho 2017 | 21.30h

“Terra Chã”… de Nélia Pinheiro pela Companhia de Dança Contemporânea de Évora

A expressão da terra, a voz dos homens, a força que os une, o peso, a densidade do ar, o vazio, o silêncio, o grupo e a solidão. Os extremos e os seus limites. Os amores e os desamores. Os sonetos de Florbela Espanca que falam da beleza e da alma do Alentejo.

CDCE - terra chã#6 - autor-telmo rocha

photo: Telmo Rocha

 

Através de um olhar contemporâneo trabalha-se a fusão entre a música de Ólafur Arnalds e as modas do Cante Alentejano. A coreografia percorre diferentes ambientes na voz do Cante Alentejano e no Alentejo.

A tridimensionalidade das cenas, a teatralidade e cumplicidade dos corpos, as

personagens retiradas de histórias da terra, as construções de movimentos entrelaçados e ligados em teia, carregados de emoção, numa energia contínua que percorre os corpos dos bailarinos. Um CORPO coletivo, uma única voz, a força de uma região.

 

Centro Cultural de Belém / Pequeno Auditório (Lisboa)

23 e 24 de Junho 2017 | 21.00h

“American Dream”… o novo álbum dos LCD Soundsystem em Setembro

No passado dia 5 de Maio, os LCD Soundsystem lançaram os temas “Call the police” / “American dream” e, no dia seguinte, apresentaram ao vivo estas canções no ‘Saturday Night Live’, ao mesmo tempo que esgotavam em 10 minutos as sete noites de residência na sala Brooklyn Steel. Agora o grupo confirma detalhes do muito aguardado quarto álbum e respectiva digressão mundial.

Cvr 'call the police''american dream'

American Dream” será lançado a 1 de Setembro via Columbia Records/DFA

 

Os LCD Soundsystem acabam também de anunciar das datas da extensa digressão mundial, no seguimento das residências já marcadas (e esgotadas) na sala Brooklyn Steel: uma série de 7 actuações, de 16 a 24 de Junho, às quais se adicionam agora 10 datas de 11 a 23 de Dezembro. Nos meses em torno destas datas, os LCD Soundsystem percorrerão vários países, actuando em arenas, teatros e festivais a nível mundial – incluindo as já anunciadas participações como cabeças-de-cartaz no Pitchfork, Forecastle, Voodoo Music + Arts Experience, entre outros.

Há Samba no maior Arraial de sempre na Casa das Artes

A iniciativa veio para ficar e semana após semana junta cada vez mais fãs. O Pôr-do-Sol nas Artes, conceito criado no início de Junho deste ano, celebra na Casa das Artes do Porto o maior Arraial de S.João alguma vez existente no Espaço.

A organização mostra-se confiante na aposta diferenciadora no mercado colocando o espetáculo musical a cargo de Samba sem Fronteiras, grupo que iniciou as festividades da cidade do Porto no último ano.

ssf1

A partir das 17h00 do dia 23 de Junho, o Pôr-do-Sol nas Artes inicia aquela que será a edição mais longa desde a sua abertura. No Pôr-do-Sol mais tardio do ano, a Casa das Artes recebe uma edição especial para celebrar as festividades de S.João na cidade do Porto. A organização prevê a adesão significativa dos Portuenses face ao que tem acontecido nas últimas edições. Num menu onde não poderiam faltar as Sardinhas, Fêveras e Caldo Verde, estarão também presentes Barraquinhas de Street Food para aqueles que pretendam adoçar o final da refeição com um doce ou salgado.

A música, essa fica a cargo do grupo Samba sem Fronteiras. Cada vez mais enraizados na cultura portuense, o grupo apresentará temas como “Samba do Guri”, “Samba do Pedrinho” e “Como dois Camaleões”.

 

A 3 Km da baixa do Porto, a Casa das Artes é sem dúvida uma ótima escolha para quem pretende iniciar a noite mais longa do ano perto do centro do Porto.

Quando o sol se põe, há sardinha nas artes

Dog’s Bollocks apresentam o EP "Single Malt Blues"

Duas guitarras, meia bateria, um monte de Blues e Rock'n Roll. São estes os ingredientes base para este projecto movido a whiskey nascido em 2014 em Torres Novas.

19029643_867899606700486_3414792947496555519_n

Em Julho de 2015 lançaram o primeiro trabalho de originais (editado independentemente), o EP "Single Malt Blues", que têm vindo a apresentar em concertos por todo o país. Com influencias que vão desde os clássicos do Blues ao Punk Rock , os Dog's Bollocks dão, á sua maneira, uma abordagem moderna ao Rock'n Roll de antigamente.

Os Dog’s Bollocks são dois… Luís Leitão na Guitarra elétrica, voz, bateria, e Daniel Martins na Guitarra elétrica, voz, e em Julho vão andar a promover o seu disco de estreia...

Resurrection Fest Estrella Galicia 2017… Já são conhecidos os horários

Acabam de ser divulgados os horários e distribuição de palcos do Festival Resurrection Fest Estrella Galicia 2017, que acontece mais uma vez em Viveiro (Lugo) na Galiza.
Vai ser assim a distribuição de concertos nos 4 palcos do Festival...

35240190112_2a90883294_c

 

5 de Julho 2017

Ritual Stage

18:00 - 18:35 Parazit

18:55 - 19:40 Aphonnic

20:00 - 20:45 We Ride

21:05 - 21:50 Here Comes The Kraken

22:10 - 23:00 CJ Ramone

23:30 - 00:30 Soziedad Alkoholika

01:15 - 02:15 Sepultura

 

6 de Junho 2017

Main Stage

16:50 - 17:25 Bastards

18:00 - 18:45 The Devil Wears Prada

19:25 - 20:20 Airbourne

21:05 - 21:55 Suicidal Tendencies

22:40 - 23:50 Anthrax

00:50 - 02:00 Dropkick Murphys

Chaos Stage

17:25 - 18:00 Noctem

18:45 - 19:25 Benighted

20:20 - 21:05 Deserted Fear

21:55 - 22:40 The Black Dahlia Murder

23:50 - 00:50 Eluveitie

02:00 - 02:50 Korpiklaani

Ritual Stage

14:00 - 14:30 Late To Scream

15:00 - 15:30 The Wax

16:00 - 16:30 Trashnos

17:05 - 17:45 Brothers Till We Die

18:45 - 19:30 Malevolence

20:15 - 21:05 Comeback Kid

21:50 - 22:40 Snapcase

23:25 - 00:25 The Menzingers

01:15 - 01:50 Wolf Down

02:50 - 03:50 Bulls On Parade

Desert Stage

14:30 - 15:00 Kitai

15:30 - 16:00 Blaze Out

16:30 - 17:05 El Altar Del Holocausto

18:00 - 18:40 Bala

19:30 - 20:15 Guerrera

21:05 - 21:50 Stray Train

22:40 - 23:30 The Vintage Caravan

00:10 - 01:00 Karma To Burn

01:50 - 02:50 Red Fang

 

7 de Julho 2017

Main Stage

16:55 - 17:30 Killus

18:05 - 18:45 Northlane

19:20 - 20:05 Annihilator

20:45 - 21:40 Architects

22:20 - 23:15 Enter Shikari

00:15 - 01:45 Rammstein

Chaos Stage

17:30 - 18:05 Teething

18:45 - 19:20 Legacy Of Brutality

20:05 - 20:45 Vita Imana

21:40 - 22:20 Warbringer

23:15 - 00:00 Lost Society

01:45 - 02:45 Napalm Death

Ritual Stage

14:30 - 15:00 Vice Presidentes

15:30 - 16:00 Holocausto Canibal

16:30 - 17:00 Reality Slap

17:30 - 18:05 The Inspector Cluzo

18:45 - 19:20 Crim

20:00 - 20:45 Wisdom In Chains

21:25 - 22:20 Terror

23:20 - 00:15 Deez Nuts

00:50 - 01:45 Obey The Brave

02:45 - 03:45 Display of Power

Desert Stage

14:00 - 14:30 Ravenblood

15:00 - 15:30 Tragic Vision

16:00 - 16:30 Ånima

17:00 - 17:30 Böira

18:05 - 18:45 One For Apocalypse

19:20 - 20:00 Adrift

20:45 - 21:25 Truckfighters

22:20 - 23:20 Alcest

01:45 - 02:45 Animals As Leaders

 

8 de Julho 2017

Main Stage

16:25 - 16:55 Morphium

17:30 - 18:15 Bury Tomorrow

19:05 - 20:00 Arch Enemy

20:50 - 21:50 Mastodon

22:40 - 23:55 Rancid

01:00 - 02:15 Sabaton

Chaos Stage

16:55 - 17:30 Mutant

18:15 - 19:05 Krisiun

20:00 - 20:45 Lords of Black

21:50 - 22:40 Taake

23:55 - 01:00 Mayhem

02:10 - 03:00 Obituary

Ritual Stage

14:00 - 14:30 Heart Attack

15:00 - 15:30 The Blackjaw

16:00 - 16:30 Revolution Within

17:00 - 17:40 Adhesive

18:10 - 18:50 D.Y.S.

19:25 - 20:10 All Out War

20:50 - 21:40 Undeclinable Ambuscade

23:55 - 00:55 Agnostic Front

01:30 - 02:20 Talco

03:00 - 03:50 WTF? Parties Show

Desert Stage

14:30 - 15:00 Bolu2 Death

15:30 - 16:00 Degraey

16:30 - 17:00 Quaoar

17:35 - 18:10 Besta

18:45 - 19:25 Conan

20:00 - 20:50 Mantar

21:40 - 22:20 Ufomammut

22:55 - 23:55 Orange Goblin

01:00 - 01:45 Porco Bravo

 

Noticia de última hora a pouco menos de 20 dias para o Festival é o cancelamento do concerto dos Pentagram

O “Baile” já conhecido dos MGDRV agora em vídeo (ou notícia)

Uma sonoridade e uma expressão muito familiares foram o mote do tema “Baile”. Numa altura de Santos Populares, é esperado que a taxa de bailes aumente bastante, contudo, este trio fala de uma realidade não tão feliz que acontece 365 dias por ano.

18425377_1371118309644822_2144341877770669306_n

No videoclipe, editado por um dos membros do trio YoClichê (André Madeira), um noticiário dos próprios MGDRV onde Inês Aires Pereira dá o início a este tema: fala-se de representantes e intervenientes sociais que todos os dias colocam obstáculos nos sonhos da população, de um sistema educacional que necessita de ser adaptado e de evoluir e de uma sociedade que ainda olha de lado para certas escolhas de vida.

Apesar de ser um tema alegre, com a energia que os MGDRV já nos habituaram, a mensagem é séria e este trio mostra que quem leva baile, também pode dar.

"Mortalhas" é o novo Single de ProfJam…

"Mortalhas" é o novo single de ProfJam. O sucessor de "Matar o Game" conta com a produção de Here's Johnny e Benji Price, e instrumental da Internet Money. O vídeo, gravado em Londres e produzido por Gerssis David, já pode ser visto.

16e3c1f6-f0df-4801-8311-9cc90dea1e6d

Depois de "Xamã" e "Matar o Game", ProfJam volta a mostrar a sua versatilidade e a surpreender ao dar continuidade à afirmação estabelecida nos últimos dois temas, sendo já considerado uma das referências a seguir no hip hop nacional.

Há três anos atrás, ProfJam decidiu criar um novo universo no Hip-Hop nacional com “Big Banger Theory” e desde aí não tem parado. 2016 marcava o seu regresso com “Mixtakes”, marcado pelo sucesso do tema “Queq Queres”. Depois de estudar a lição em Londres no curso de produção musical, ProfJam voltou a Portugal em Setembro de 2016, onde atualmente já conta com uma carreira ao vivo nos melhores palcos nacionais, tendo regresso marcado ao Meo Sudoeste 2017, assim como vários espetáculos de norte a sul do país.

Terras sem Sombra… Produtos do Alentejo protagonistas em Madrid

Pela mão do Terras sem Sombra, o pão, o queijo e o vinho – três elementos fundamentais da alimentação tradicional do Alentejo – vão ser os protagonistas, a 22 de Junho, da Escuela de Artes, num dia consagrado ao Alentejo de um dos principais encontros de chefs, críticos e líderes da opinião gastronómica de Espanha. A iniciativa faz parte do curso Entre a Tradição e a Vanguarda: Uma Viagem pelo Mundo dos Sabores, que se realiza no Circulo de Bellas Artes em Madrid e que dá cartas para interpretar criticamente as novas correntes na culinária e as práticas criativas a elas associadas, um fenómeno muito em voga e que pode trazer um contributo decisivo para o turismo sustentável, alicerçado na cultura e na natureza.   

9247cbaf-9fc0-48de-9815-c0e22c502cb7.jpg

A apresentação destes activos do paladar alentejano, aptos a conquistarem outros mercados, será feita por quem conhece bem os seus segredos. O antropólogo Carlos Pedro revelará a tradição artesanal do fabrico do pão em Castro Verde e os desafios de uma industrialização que procura respeitar a essência da manufactura. O empresário José Guilherme, da Queijaria Guilherme, trará a Madrid, terra com pergaminhos na degustação de queijo, o testemunho dos queijos de Serpa, cada vez mais procurados pela restauração espanhola. Os enólogos Luís Leão, da Adega Cooperativa da Vidigueira, e Luís Mota Capitão, da Herdade do Cebolal, em Santiago do Cacém, destacarão as particularidades dos vinhos do Alentejo e da região de Setúbal, mostrando as complementaridades de duas áreas vinícolas cujos terroirs convergem em solo alentejano.

 

Fruto de um diálogo iniciado em 2016, a parceria com a Escuela de Artes reflecte as preocupações do Terras sem Sombra em torno da afirmação do Alentejo como um destino internacional de arte e natureza”, assinala José António Falcão, director do Terras sem Sombra. “O património gastronómico é uma marca forte da nossa identidade e ajusta-se à perfeição ao objectivo de proporcionar, com o festival, uma experiência única do território em que itineramos.”, realça o director da iniciativa de património, música e biodiversidade. O crítico musical e professor universitário Juan Ángel Vela del Campo, responsável artístico pelo Terras sem Sombra, é um grande entusiasta desta ideia. Membro da Real Academia Espanhola de Gastronomia, tem sido um embaixador activíssimo na promoção do que de melhor se come e bebe no Alentejo: “Espanha está finalmente a ultrapassar o desconhecimento que teve de Portugal, ao longo de gerações, e isto traduz-se numa abertura à cultura lusa que merece reflexão; mas torna-se indispensável captar as novas gerações, cujo interesse pela cozinha tradicional é palpável”.

 

No Terras sem Sombra, o desafio prende-se sobretudo com a autenticidade dos patrimónios dados a conhecer, com a qualidade da programação e com a mobilização das comunidades locais. A visão de fundo defendida pelo festival é que se torna fundamental vinculá-lo ao desenvolvimento cultural, mas também social e económico, do Alentejo. Daí a atenção posta na valorização dos produtos de excelência da região

 

Beatbombers lançam hoje álbum de estreia homónimo

Os bicampeões mundiais de scratch em título lançam hoje o seu disco de estreia homónimo, que conta com uma capa assinada por Vhils. O álbum, que será apresentado ao vivo a 14 de Julho no Super Bock Super Rock, já está disponível para download gratuito no Soundcloud de Beatbombers e encontra-se também nas principais plataformas de streaming.

As colaborações são uma das especificidades deste trabalho, das quais se destacam Slow J, Maze (que estarão presentes no espectáculo do SBSR) e dois dos melhores DJs do mundo: D-Styles e DJ Kentaro.

untitled

O D-Styles e o DJ Kentaro são lendas vivas do turntablism internacional. Tê-los no disco foi um sonho tornado realidade, algo que há uns anos achávamos impossível. Um é o melhor scratcher, o outro é o melhor beat juggler. Foi isso que ambos fizeram nesta faixa. São referências máximas para nós, ouvimos e estudámos muito o trabalho deles. É uma honra enorme!”… Beatbombers, em Rimas e Batidas

 

Para celebrar o lançamento de um álbum que terá uma edição física limitada a 500 unidades, DJ Ride e Stereossauro irão responder hoje às questões do público através de um livestreaming no Facebook onde o disco poderá ser ouvido na íntegra, a partir das 19h00

Cante d’Alma em Évora…

O que dizer quando se juntam 3 vozes e 6 músicos, tão distintos entre si?

Quando se juntam raízes lisboetas, alentejanas, ribatejanas, brasileiras?

Quando se junta o jazz, o Cante, o Fado?

Quando se misturam géneros e estilos, com um fio condutor de coerência, que fazem do palco um sítio em que a música entrelaça em si, o que de melhor há no Amor e na Amizade?

Nova imagem.jpg

Dia 29 de junho, às 21h30, na Feira de S. João, vai acontecer um espetáculo único e indescritível. Inserido nas festividades anuais da cidade de Évora, Carlos Leitão, Carlos Menezes, Custódio Castelo, Henrique Leitão, Luis Pontes, Mara, Pedro Calado e Walter Areias sobem ao palco num alinhamento com o compromisso de enlear o público numa teia contagiante de boa música, instrumental e cantada.

Está completo o cartaz da 23ª edição do Super Bock Super Rock…

Falta menos de um mês para o Super Bock Super Rock. De 13 a 15 de Julho, o Parque das Nações em Lisboa vai receber mais uma celebração da melhor música autêntica. Com nomes tão gigantes como Red Hot Chili Peppers, Future, Deftones, Fatboy Slim, entre outros, o cartaz completa-se com umas melhores bandas portuguesas das últimas duas décadas: The Gift vão espalhar a sua magia dia 14 de Julho, no Palco Super Bock.

Newsletter_SBSR_PT_600x270px

De Alcobaça para todo o país – e também para o mundo! É esse o percurso dos The Gift, verdadeiros pioneiros da música independente em Portugal. Especialista em juntar o melhor pop-rock à música eletrónica, a banda de Sónia Tavares, Nuno Gonçalves, John Gonçalves e Miguel Ribeiro, conta, com vários discos, com a rara capacidade de conquistar tanto o grande público como a crítica especializada. Os concertos são um dos pontos fortes da banda, marcados por uma energia contagiante e um desejo constante de surpreender o público. Já se apresentaram um pouco por toda a Europa, mas também nos EUA, Canadá, Austrália e até na Ásia. No Brasil e em Espanha os fãs são tantos que a banda portuguesa já se sente em casa.

 

Depois de alguns discos produzidos por Howie B e Ken Nelson, apresentam-nos agora aquele que a própria banda considera o álbum de uma vida: “Altar”. Produzido por Brian Eno e misturado por Flood, o disco tem dez canções, “feitas durante dois anos, pensadas ao longo de três e sonhadas ao longo de vinte e dois”. Canções que convidam à celebração do presente. Um convite para dançar muito e vibrar à luz de uma banda que não perde o entusiasmo de sempre. Lugar ideal para viver tudo isso? Dia 14 de Julho, no Palco Super Bock. Os The Gift são, assim, a peça que faltava de um convite irresistível. Está tudo a postos para que se realize mais uma edição histórica do Super Bock Super Rock.

 

13 de julho

Palco Super Bock: Red Hot Chili Peppers, The New Power Generation feat. Bilal, Capitão Fausto

Palco EDP: The Legendary Tigerman, Kevin Morby, The Orwells, Boogarins,

Alexander Search

Palco Carlsberg: Tuxedo, Xinobi + Moullinex

Palco LG by SBSR.FM: Throes + The Shine, Manuel Fúria e os Náufragos,

Minta & The Brook Trout

 

14 de julho

Palco Super Bock: Future, London Grammar, The Gift

Palco EDP: Pusha T, Língua Franca (Capicua + Emicida + Rael + Valete), Akua Naru, Slow J, Jesse Reyez

Palco Carlsberg: Celeste/Mariposa, Rocky Marsiano & Meu Kamba Sound, Beatbombers

Palco LG by SBSR.FM: NBC, Octapush, Keso

 

15 de julho

Palco Super Bock: Fatboy Slim, Deftones, Foster The People

Palco EDP: Seu Jorge “The Life Aquatic”: Tributo a David Bowie, Silva,

James Vincent McMorrow, TaxiWars, Bruno Pernadas

Palco Carlsberg: Monki, Marquis Hawkes, Magazino

Palco LG by SBSR.FM: Sensible Soccers, Black Bombaim, Stone Dead