Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Digressão europeia de Elza Soares passa por Portugal em Junho

Elza Soares, a cantora do milénio regressa a Portugal dia 3 de Junho para um concerto no Coliseu dos Recreios, palco que esgotou no passado mês de Novembro. Dia 10 sobe ao Porto para actuar no NOS Primavera Sound, dia 14 vai ao Teatro das Figuras em Faro, e dia 17 despede-se do nosso país na Madeira, no Festival Raízes do Atlântico.

elza

photo: Paulo Homem de Melo

 

Na bagagem, Elza Soares traz o vencedor do Grammy Latino para Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, "A Mulher do Fim do Mundo", um disco apocalíptico, de samba sujo experimental, onde aborda temas como o racismo, a violência doméstica, transsexualidade e drogas.

Composto exclusivamente por temas inéditos escritos para Elza Soares, do samba ao rock, sem esquecer o rap e a electrónica, este 34.º disco é a consagração da cantora que, com quase 80 anos, tem vindo a conquistar o Mundo.

Imaginarius apresenta… De repente, ao entrares naquela porta, deparas-te com o encanto da beleza

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira chega à sua 17ª edição com foco na sociedade, na criação artística contemporânea e na capacitação criativa.

Num ano único de afirmação internacional de Santa Maria da Feira como a Cidade das Artes de Rua e de Portugal como um país emergente no centro da dinâmica de circulação europeia no setor, o Imaginarius coorganiza e acolhe o FRESH STREET#2, o maior seminário internacional para profissionais das Artes de Rua.

poesia no corpo 02

O homem que engordou quando engoliu a arte mantinha a esperança de nunca mais emagrecer. Passou a existir evitando os movimentos excessivos, como se o corpo imobilizado aprisionasse toda a arte do mundo. E assim morreu, morto de arte em si, pois nunca mais ninguém o viu a comer, a beber ou mesmo a pensar. Consta que morreu com 104 anos.

poesia no corpo 01

A Casa dos Choupos – Cooperativa Multissectorial de Solidariedade Social, CRL foi fundada em 2008 e tem como objetivo apresentar respostas inovadoras e atípicas a necessidades e áreas de interesse da comunidade em que se insere e da sociedade civil, fomentando o progresso e a sustentabilidade social. A criação do grupo intergeracional Poesia no Corpo. Corpo na Poesia, existente desde fevereiro de 2012, teve como objetivo central potenciar a participação e a cidadania da comunidade deste território e fomentar o desenvolvimento de competências sociais, psicológicas e culturais dos participantes, através da arte, com recurso ao movimento, à expressão corporal e a obras literárias, alinhados com a aposta que a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira faz na inclusão e desenvolvimento social, através de projetos que utilizam ferramentas artísticas e metodologias inovadoras.

 

Este projeto experimenta e desafia a (re)criação individual e coletiva, considerando o intérprete como um indivíduo total, cheio de vivências e de experiências. Procura também estimular a (re)ação, a opinião e a transformação relativamente àqueles que participam e ao contexto envolvente.

O grupo Poesia no Corpo. Corpo na Poesia, promovido pela Casa dos Choupos – Cooperativa Multissectorial de Solidariedade Social, CRL junta um grupo de cidadãos que encontraram no corpo a forma mais pura de participação e de expressão. Mostram que a dança pode ser tudo. E que todos dançamos. E que a dança tem um poder enorme de transformação individual e coletiva. São eles a Sabina, a Celeste, o Marcos, a Sónia, a Tatiana, a Lua, a Constança, o Totona, a Armanda, a Mariana, a Ana Maria, o Cristiano e o Carlos. Todos com raízes no concelho de Santa Maria da Feira. Todos cidadãos.

 

Dança / Performance em estreia absoluta / 45’

 

26 maio | 21h40 | Casa do Moinho

27 maio | 22h00 | Casa do Moinho

Imaginarius apresenta… “[de]fragmentation” de Frederico Dinis

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira chega à sua 17ª edição com foco na sociedade, na criação artística contemporânea e na capacitação criativa.

Num ano único de afirmação internacional de Santa Maria da Feira como a Cidade das Artes de Rua e de Portugal como um país emergente no centro da dinâmica de circulação europeia no setor, o Imaginarius coorganiza e acolhe o FRESH STREET#2, o maior seminário internacional para profissionais das Artes de Rua.

defragmentation

[de]fragmentation é uma performance sonora e visual inspirada na história e nos valores naturais e culturais da Terra de Santa Maria e do Museu Convento dos Lóios, cuja importância histórica nos transporta para novas representações e significados deste local, com recurso à exploração de aspetos sonoros e visuais.

A performance centra-se num diálogo entre os meios sonoro e visual, mediado pelo performer que se enquadra como narrador, lembrando e imaginando outros lugares possíveis através da construção das narrativas sonora e visual em tempo real.

Em [de]fragmentation altera-se o tempo e o espaço, remetendo para tantos outros lugares (des)fragmentados, transformando momentaneamente o Museu Convento dos Lóios num espaço cheio de novas materialidades, procurando desencadear uma experiência figurativa e uma releitura do contexto do lugar e da sua identidade.

 

Multimédia / Música em estreia absoluta [selo de apoio à criação Imaginarius] / 30’

 

26 maio | 22h20 | Claustro do Convento dos Lóios

27 maio | 22h45 | Claustro do Convento dos Lóios

Cartaz completo MOCHE X Spot no MEO Sudoeste…

Na edição em que se celebram os 20 anos do MEO Sudoeste, assinala-se a estreia do novo palco MOCHE X Spot. De 2 a 5 de agosto, a programação do MOCHE X Spot traz para o MEO Sudoeste as maiores festas da noite e do secundário pela mão da equipa do “Festival Village”, para um reencontro épico com a tribo do maior festival de verão.

Festas “conceito” das maiores discotecas do país, DJs internacionais, novos valores  e nomes consagrados do hip hop nacional têm lugar no MOCHE X Spot, no final de cada noite.

aa.png

Dia 2 agosto - Noite Swag On

A célebre festa das quartas-feiras à noite do Lust in RIO de Lisboa, traz o hip hop e o R&B para o MEO Sudoeste com a Liga Knock Out, o swag de A- Gold, o novo hip hop “sujo” e “cru” de Piruka que apresenta o seu álbum “Aclara”, a revelação da “nova escola” Andrezo, o produtor e fundador da Rood Hype Myke, os swags do Jêpê, e ainda um dos nomes incontornáveis da “bass music”, Cri$e, que completam em ON a primeira noite de Swag no MOCHE X Spot.

ab.png

Dia 3 de agosto – Noite Glow Party

Com o brilho a tomar conta da pista e o fluorescente à flor da pele, nos corpos, cabelos e caras de todos os que tiverem coragem de fazer o Kit Glow no MOCHE X Spot. A festa arranca com as battles da Liga Knock Out, que lançam o ProfJam dos mixtakes para o palco com o seu hip hop xamânico e isotérico. A noite Glow Party carrega com bling angolano do DJ Leandro 300 e o byte de hip hop genuíno de Malabá, e fecha em alta com a “Favela Rave” dos Putzgrilla.

ac.png

Dia 4 de agosto – Noite Legends

É a noite da tradição na casa da MOCHE, com Curadoria Orelha Negra, de hip hop e scratch português e atuações de Kappa Jotta, Think Music Experience, Supa Squad, Wet Bed Gang, Bispo, DJ Stikup, DJ BIG e Sensi. A programação é selecionada por Fred Ferreira, que para além de ser o “dono” da música da “MOCHE”, dá também corpo e alma a projetos como os Buraka Som Sistema, Orelha Negra, 5-30 e Banda do Mar. A noite segue em festa até de manhã com Karetus e a “Hasta mañana MOCHE” special after hours party.

ad.png

Dia 5 de agosto – Noite Back to Festival Village

Abrem-se as portas ao maior festival de finalistas do secundário, o Festival Village, com a Liga Knock Out a fazer “estragos” na abertura para a estreia dos suecos Dimitri Vangelis & Wyman no MEO Sudoeste. Trazem à Zambujeira do Mar o original "Payback", uma das músicas mais tocadas, remixadas e aclamadas em festivais e clubes nos quatro cantos do mundo. A noite Back to Village conta ainda com a música e os habituais desafios dos mestres da interação com o público Saídos da Casca, com hip hop swag do DJ Van Breda e com a criatividade sem limites de Stereossauro nos samples e à frente dos pratos.

 

O Verão Agitado de Medeiros/Lucas

Vai ser agitado o Verão da dupla Medeiros/Lucas. A tour de apresentação do segundo disco de originais, “Terra do Corpo”, cruzará os principais festivais de música do mundo do país, assim como palcos europeus. A marcha arranca já a 2 de Junho, com a apresentação no MIL, o evento que pretende ser uma mostra da cultura lusófona para a indústria musical europeia. A dupla actuará no B'Leza pelas 22h00.

357707fc-48a8-48e9-8853-46dc34e1c52d

Para Junho, Carlos Medeiros e Pedro Lucas rumam ao Porto, para se apresentarem no Serralves em Festa. A actuação, em formato quarteto, terá lugar no campo de ténis. Com a entrada em Junho, presenças garantidas no Festival Raízes do Atlantico, a 17 no Funchal, Madeira. Em Julho poderão ouvir Terra do Corpo no MED, em Loulé, no Festival Rudolstadt (Alemanha), e no Festival de Músicas do Mundo de Sines (26 de Julho).

Para Agosto entrada no alinhamento do Festival Bons Sons (12 de Agosto). A tour de Verão encerra a 2 de Setembro com a actuação na ilha de São Miguel nos Açores.

 

2 Junho 2017 - MIL (Lisboa)

4 Junho 2017 - Serralves em Festa (Porto)

17 Junho 2017 - Festival Raízes do Atlântico (Funchal)

1 Julho 2017 - Festival MED (Loulé)

8 e 9 Julho 2017 - Festival Rudolstadt (Alemanha)

26 Julho 2017 - FMM Sines

12 Agosto 2017 - Festival Bons Sons (Cem Soldos)

2 Setembro 2017 - São Miguel (Açores)

NOS Primavera Sound programa festa da criança no Porto com Palco Mini NOS

Com arranque no Dia da Criança, 1 de Junho, Mão Verde (Capicua e Pedro Geraldes), Throes + The Shine e a comemoração dos 50 anos de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band dos Beatles são as propostas do NOS Primavera Sound para a Festa da Criança, nos Jardins do Palácio Cristal, no palco Mini NOS. No âmbito da iniciativa da Câmara Municipal do Porto, o NOS Primavera Sound vai oferecer uma programação musical dedicada a todas as crianças da cidade, de dia 1 a 4 de Junho. Desde o primeiro momento que o público mais novo é acarinhado pelo festival, algo que se tem materializado nas passadas edições, com a forte aposta em ações paralelas especificas e pensadas para este target. As propostas assentam nos pilares musicais do festival que se adapta a contextos e formatos próprios.

NPS17_Mini_NOS_Web_Site_Header_851x315px_PN_201705

Os concertos do NOS Primavera Sound da Festa da Criança vão ter lugar no Palco Mini NOS (conhecido como ‘Concha Acústica’) e propõem ser uma oferta singular e complementar à restante programação prevista.

 

Mão Verde (Capicua e Pedro Geraldes)

1 Junho – 11h30 / Palco Mini NOS

 

Mão Verde é, além de um livro e de uma forma de sensibilização e intervenção, um concerto temático, em torno das plantas, da agricultura, da alimentação, dos cheiros das ervas aromáticas, da cor das flores e com uma clara motivação ecológica. Durante cerca de uma hora, com muitos momentos de interação com o público, há canções alegres e com importantes mensagens. A abordagem é tão inteligente quanto divertida, e envolve vários temas quotidianos e do universo verde que nos rodeia, com rimas, histórias, rap e jogos de palavras, sobre batidas coloridas e acompanhadas por diversos instrumentos tocados ao vivo. Capicua e Pedro Geraldes vão estar acompanhados por Francisca Cortesão (Minta & The Brook Trout) e António Serginho (Retimbrar).

 

Throes + The Shine

2 Junho – 12h00 - 17h00 / Palco Mini NOS

 

Os Throes + The Shine são uma banda luso-angolana cujo percurso se iniciou em 2011. Misturam a música de dança africana com elementos da música ocidental. O grande objetivo desta escolha do NOS Primavera Sound é proporcionar a todas as crianças e pais momentos lúdicos que irão juntar a música, dança e alguma interação, com componentes tecnológicas e interativas.

 

Beatle Battle - 50 anos de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band

4 Junho – 11h30 - 16h30 / Palco Mini NOS

 

Não pretendendo a reprodução integral dos temas dos Beatles, e tendo como ponto de partida o álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, a banda, em confronto direto, desconstrói os temas mais famosos da mais icónica banda do mundo, trazendo para a cena o público, num espetáculo dinâmico e interativo. Entre o baixo-elétrico, guitarra, bateria, teclado e vozes, o público é envolvido na narrativa de forma descomprometida, integrando ambientes sonoros heterogéneos, melódicos e rítmicos, bem característicos da banda, entrando assim numa viagem misteriosa e numa batalha musical de sons e sensações. É sem se aperceber que o espectador se torna também músico, cantando melodias simples, percutindo ritmos e tocando instrumentos, transfigurando o espetáculo numa oficina, e, portanto, num workshow. O mundo do fantástico está aberto e pronto a ser descoberto.

 

 

Teresa Salgueiro, Virgul e Fogo-Fogo juntam-se ao Sol da Caparica!

É verdade que a música é o prato forte d' O Sol da Caparica, mas está longe de ser o único, num verdadeiro "banquete" recheado de "entradas" e "sobremesas" de total requinte. São quatro dias em que os mais crescidos e os mais novos vão poder dançar e cantar, apaixonar-se e sonhar ao som de uma alargada amostra de música portuguesa, mas também com muita dança, poesia, pintura, cinema. Teresa Salgueiro, Virgul e Fogo-Fogo são três das mais singulares propostas de um cartaz muito diversificado, multicultural e musicalmente ambicioso.

609eec38-c258-49ca-a083-f49bb285c6c7.jpg

Teresa Salgueiro estende o seu olhar até ao "Horizonte", título do seu mais recente trabalho, mas também terá oportunidade de se focar nalguns dos mais importantes momentos da sua carreira que, como se sabe, ganhou enorme dimensão internacional com os Madredeus.

 

Virgul, prepara-se para levar a sua "Rainha" até ao palco d'O Sol da Caparica. O cantor com um percurso longo ligado aos Da Weasel e aos Nu Soul Family prepara-se para lançar o seu álbum a solo e deverá apresentar algum material pela primeira vez no concerto da Caparica onde, tendo em conta a sua história, "joga" sempre em casa.

 

Os Fogo-Fogo, colectivo onde militam músicos de diversas origens, como Francisco Rebelo (Orelha Negra), João Gomes (Orelha Negra) ou o cantor David Pessoa que tem um percurso a solo, acabam de editar vídeo para o clássico caboverdiano "M'Bem Di Fora" que mostra claramente que cada concerto que fazem é um pretexto para festa!

No Sol da Caparica nada será diferente: a sua aproximação ao funana de Cabo Verde e a demais ritmos dançantes africanos assim o impõe.

 

Kappa Jota… "Pela Cidade" é o single que antecipa a saída do segundo álbum "Ligação"

Kappa Jotta, é um nome sonante e influente no mundo do Hip-Hop/Rap/Urban Music português, um dos nomes mais falados da nova escola, tendo ganho o prêmio de “artista revelação 2014” por um dos sites mais conceituados de hip-hop português (HipHopWeb).

Kappa Jotta

Kappa Jotta já passou por alguns dos grandes palcos como o Mítico Hard Club, tendo partilhado palco com nomes como, Sam the Kid, Mundo Segundo, ou Allen Halloween, Kappa Jotta garante um Show bastante intenso , com uma enorme interação com o público. Em outubro de 2015 lança o seu álbum de estreia “Virus” em formato físico, e plataformas digitais, Itunes, Spotify e MeoMusic, “Virus” leva-nos a uma viagem entre o “Boom Bap” e as novas tendências do “TRAP”, 16 faixas que contam com participações muitos convidados especiais como, Carolina Deslandes, Bispo, Lhast, Jackpot BCV, João Tamura, Khapo, Dj BIG, entre outros.

2017 é o ano de Kappa Jotta. Depois do grande sucesso do primeiro single do segundo álbum, o rapper da linha de Cascais volta agora com "Pela Cidade", tema produzido por dois nomes grandes do Hip Hop nacional, Lhast e Slow J e que antecipa o tão aguardado lançamento do álbum "Ligação". "Pela Cidade" fala das rotinas habituais das relações mal acabadas e das segundas oportunidades que frequentemente aparecem nestes momentos. Durante o tema, Kappa Jotta concluí também sobre o conforto que a Cidade lhe dá na resolução de todas duvidas e problemas. 

 

Com lançamento previsto para o Outono de 2017, "Ligação" será certamente momento de afirmação de Kappa Jotta e um dos grandes registos do ano.

Imaginarius apresenta… LUDO CIRCUS SHOW

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira chega à sua 17ª edição com foco na sociedade, na criação artística contemporânea e na capacitação criativa.

Num ano único de afirmação internacional de Santa Maria da Feira como a Cidade das Artes de Rua e de Portugal como um país emergente no centro da dinâmica de circulação europeia no setor, o Imaginarius coorganiza e acolhe o FRESH STREET#2, o maior seminário internacional para profissionais das Artes de Rua.

LudoShow-02.jpg

LUDO Circus Show é um espetáculo alegre que brinca através de números circenses, numa atmosfera ritmada, num estado lúdico. Quando sete personagens decidem ocupar o espaço cénico com vontade de jogar, assumir-se como vencedores e vencidos, numa dicotomia entre gestos voluntários e involuntários, numa sintonia entre o desencanto e a diversão. Um espetáculo para assistir em família, pelos de números de circo, e uma dramaturgia que nos faz recuar às atividades do nosso quotidiano.

 

Circo / Performance em estreia nacional / 60’

 

26 maio | 19h30 e 22h45 | Igreja Matriz

27 maio | 17h50 e 21h50 | Igreja Matriz

Ana Bacalhau anuncia álbum de estreia a solo para 20 de Outubro…

Tenho bichos-carapinteiros. Também são carpinteiros, claro, mas, sobretudo, carapinteiros." Ana Bacalhau anunciou hoje a sua estreia a solo, após uma década a dar voz às canções da Deolinda.

ciume.png

Quando era miúda, ouvia os graúdos a apontar-me o excesso de energia e inquietação e, sem perceber nada de carpintaria, convenci-me que o que me diagnosticavam era um caso bicudo de bichos que cara-pintavam.(...) Houve um dia que pediram um palco para si”, diz Ana Bacalhau sobre o chamamento de se lançar em novas direcções, de dar voz a novos autores e às suas próprias composições.

 “Dei ao resultado deste trabalho de cara-pintaria o título de “Nome Próprio”. Para isso, contei com a preciosa ajuda de queridos e talentosos amigos, que entenderam tão bem aquilo que queria dizer.”

O anúncio fez-se com “Ciúme”, um tema composto por Miguel Araújo, estreado hoje e com videoclipe a condizer. Realizado por Sérgio Rosário e Igor Fioravanti, com direcção criativa de Joaquim Albergaria, o vídeo replica o conceito de várias Anas Bacalhau a falar entre si, o mesmo que se vê na capa do disco.

Nome Próprio” teve produção de João Bessa e Ana Bacalhau, foi masterizado nos estúdios de Abbey Road e está disponível, a partir de hoje em pré-venda. Samuel Úria, Jorge Cruz, Nuno Prata, Afonso Cruz, Nuno Figueiredo, Capicua, Márcia, Carlos Guerreiro e Francisca Cortesão são os nomes que constam de “Nome Próprio” e que ajudam Ana Bacalhau a dar voz aos seus bichos-carapinteiros, os mesmos que a levaram também a escrever e compor. As letras “Só Eu” e “Menina Rabina” (ambas com música de Henrique Janeiro) e “Deixo-me Ir”, escrita e composta por Ana Bacalhau são disso exemplo.

 

Na gravação do disco, Ana Bacalhau contou com a preciosa mestria de Luís Figueiredo (piano, teclados), Luís Peixoto (cavaquinho,bouzouki, banjo), Zé Pedro Leitão (contrabaixo, baixo), Alexandre Frazão (bateria, percussão), músicos que a acompanharão ao vivo. Em “Ciúme”, o primeiro single agora estreado conta ainda como músicos convidados Mário Delgado (guitarra eléctrica) e Amadeu Magalhães (cavaquinho).

Nome Próprio” assinala, para alegria da sua autêntica legião de fãs, a estreia a solo de uma das mais aclamadas intérpretes portuguesas. Após o lançamento do álbum, Ana Bacalhau transportará estas canções para o palco numa digressão que promete passar por todo o país.

“Olé Olé Olé! A Trip Across Latin America”

Esta sexta-feira será lançado “Olé Olé Olé! A Trip Across Latin America”, dos The Rolling Stones, um documentário de Paul Dugdale. Lançado em DVD e Blu-ray, o filme estreou num número limitado de salas de cinema na Europa em setembro do ano passado e foi exibido no Channel 4 em dezembro do mesmo ano. “Olé Olé Olé! A Trip Across Latin America” serve de complemento perfeito a “Havana Moon”, lançado também no ano passado. Este DVD e Blu-ray serão acompanhados de sete temas bónus registados ao vivo na digressão do grupo pela América Latina.

Rolling_Stones_Ole_DVD_cover_hr_.jpg

Olé Olé Olé! A Trip Across Latin America” segue os The Rolling Stones na digressão que os levou até 10 cidades da América Latina, ao mesmo tempo que se preparavam para fazer o seu primeiro concerto em Havana, Cuba, um espetáculo gratuito ao ar livre que foi um momento histórico como Cuba nunca tinha visto até então.

O filme capta a química única que existe entre os The Rolling Stones e os seus fãs da América Latina, um laço que tem perdurado ao longo de muitos anos.

Cláudia Leal apresenta "Quarto Crescente" o seu álbum de estreia nos palcos nacionais

Cláudia Leal no seu disco de estreia "Quarto Crescente" apresenta fundamentalmente fados tradicionais aos quais se juntam inéditos criados para a singularidade da sua voz. O álbum “Quarto Crescente” possui uma particularidade inovadora. Em vez de um produtor comum, cada tema tem uma produção própria: ou do compositor ou do músico executante.

46056435-b160-4268-8249-08431bf05a35

Neste álbum Cláudia Leal apresenta-se pela primeira vez não só como autora e compositora com o tema "O Sal Vem da Saudade" mas também como executante de guitarra clássica no fado "Fado e Lisboa".

Para além de contar com a participação de grandes músicos como: Pedro Jóia, Rão Kyao, José Manuel Neto, Carlos Manuel Proença, Rogério Ferreira, Rodolfo Godinho, Pedro Henriques, Daniel Pinto e Vicky Marques, conta também com os grandes Poetas: António Botto, Mario Rainho, Guilherme Pereira da Rosa, António Calém, José António Sabrosa, Rui Manuel, Fernando Girão, António Laranjeira e Ricardo Maria Louro.

 

Primeiras datas da digressão…

2 Junho 2017 | 21.30h - Auditório Zona Livre (Vila Real)

3 Junho 2017 | 21.30h - Teatro Ribeiro Conceição (Lamego)

10 Junho 2017 | 21.00h - Festas de Proença a Nova

12 Julho 2017 - Festas da Charneca de Caparica

6 Outubro 2017 | 22.00h - Casa das Artes (Arcos de Valdevez)

 

MIL Lisbon International Music Network… falta 1 semana

MIL é um festival e uma convenção internacional de música que tem por missão a valorização e a divulgação da música popular contemporânea com origem nos países de língua portuguesa, tendo em vista a sua internacionalização. A primeira edição do MIL Lisbon International Music Network terá lugar nos dias 1 e 2 de Junho.

63818d3d-84c7-406f-95f8-b2372ffc3ac0

O MIL promove uma plataforma de intercâmbio para profissionais da industria musical e propõe dois tipos de programa... O programa PRO é reservado aos profissionais de todos os sectores da indústria musical, nacional e internacional, e propõe um programa de apresentações, debates e palestras que lançam a discussão e a reflexão sobre alguns temas que afectam hoje os diferentes sectores da indústria musical. Este é também um espaço de oportunidade para agentes, artistas, promotores, jornalistas e formadores de opinião apresentarem o seu trabalho e estabelecerem contactos em reuniões e encontros de networking.

a8911593-f9ca-410c-a31d-10597d88add8

O programa artístico é aberto ao grande público e consolida a componente ao vivo do festival. Durante dois dias, mais de cinquenta showcases vão decorrer no Musicbox, Tokyo, B.Leza, Roterdão, Sabotage e Lounge, no Cais do Sodré, em Lisboa.

Por que é que as Bailarinas não Ficam com a Cabeça a andar à Roda?

Sabe porque temos às vezes sensações de déjà vu?

E por que temos falsas memórias?

Por que é tão difícil deixar de fumar?

Ou o que é a inteligência?

untitled-1

O elo comum a todas as perguntas que vai encontrar neste livro – e às respectivas respostas – é o nosso cérebro. É dele, dos seus cerca de 85 mil milhões de neurónios, mais de cem mil milhões de outras células e dos muitos biliões de conexões que se estabelecem entre elas, que emanam as explicações para todos os nossos comportamentos, gostos, humores e emoções. Ou não fosse o cérebro a sede de tudo o que somos, percebemos, inventamos ou criamos. É sobre isso este livro: sobre essa complexidade que faz de nós o que somos, e que nos é desvendada pela ciência através dos muitos estudos feitos por neurocientistas de todo o mundo, incluindo de Portugal.

As perguntas estão aí, com as suas respostas. Em muitos casos, elas são ainda provisórias, incompletas, mas a ciência e o conhecimento são mesmo assim: nascem de um processo de construção permanente, que nunca está verdadeiramente terminado.

 

Uma edição A Esfera dos Livros à venda 26 de Maio

“A Grande Epopeia dos Judeus em Portugal”… de Esther Mucznik

“Numa manhã fria de Dezembro de 1931, um homem cumpria um sonho: embarcava no cais de Lisboa para Eretz Israel, Terra de Israel, nome que os judeus nunca deixaram de chamar à Palestina. Esse homem era o rabino Samuel Hirsh Mucznik, meu avô, e com ele seguiam a mulher Ethel e a filha Esther…”

untitled

Entre os séculos XIX e XX, o povo judeu decidiu mudar o seu destino e iniciar uma caminhada em busca de um lugar onde pudesse finalmente “viver livre na sua própria terra e morrer pacificamente na sua casa”. Para os pioneiros esse lugar só podia ser o berço dos seus antepassados, a terra em nome da qual, ao longo de séculos de atrocidades e perseguições, os judeus nunca haviam deixado de rezar com o mesmo fervor: no ano que vem em Jerusalém...

 

Este é o relato extraordinário de um pequeno povo que, sem outros meios além de uma vontade férrea e uma crença inabalável nas suas capacidades intelectuais, conseguiu transformar, no curto espaço de setenta anos, um território desértico e pantanoso numa das sociedades mais desenvolvidas do planeta. Esther Mucznik relata-nos nestas páginas o longo, atribulado e espinhoso caminho dos judeus até ao «milagre» de Israel e fala-nos dos perigos que cercam essa incrível realização – desde logo o das expectativas anormais em relação a um povo que um dia se atreveu a sonhar com a normalidade.

 

Uma Edição A Esfera dos Livros

Pedro Junot apresenta “Pedro Maior” ao vivo…

Pedro Maior” é o primeiro trabalho discográfico do fadista Pedro Junot editado no corrente mês pela Música Unida. Após o grande sucesso do tema “O Fadinho do Tuk Tuk” chegou o momento de Pedro Junot dar a conhecer o seu primeiro álbum: “Pedro Maior”.

Pedro Junot Maior

Pedro Maior” é um dos 14 temas que compõem este álbum e, ao mesmo tempo, é uma homenagem a um dos fados tradicionais mais antigos que continua a ser um dos mais cantados, o Fado Pedro Rodrigues. Este fado tradicional é executado em modo menor e geralmente cantado em Sextilhas ou Quintilhas.

A melodia de “Pedro Maior” nasce da transposição que o músico Carlos Fonseca fez do Fado Pedro Rodrigues para modo maior e conta com letra de Custódio Magalhães. Com este tema, Pedro Junot presta homenagem ao grande Pedro Rodrigues atribuindo o nome do tema “Pedro Maior” ao seu primeiro trabalho discográfico.

 

Sob a direcção e produção musical de Carlos Fonseca, também viola de Fado neste trabalho, com Hugo Edgar na guitarra portuguesa e Múcio Sá na viola baixo, “Pedro Maior” apresenta um repertório dinâmico e apaixonante de fados tradicionais e musicados do universo fadista de Alfama, do Bairro Alto e da Mouraria. Pedro Junot canta Lisboa, o amor e o Fado, prestando homenagem aos grandes fadistas, como Fernanda Maria, Beatriz da Conceição, Florinda Maria, Maria Armanda, e aos músicos, como Armandinho, Júlio Proença, Miguel Ramos, Raúl Pinto, António Correeiro, António Parreira, Carlos Alberto França, Manuel Paião, Edgar Tavares e Eurico Machado, pelas palavras dos poetas Maria de Lourdes Silva, Manuela de Freitas, António José, Domingos Costa, Eduardo Damas, Edgar Tavares, Carlos Faria, Francisco Radamanto, José Fernandes Castro e Carlos Alberto França.

 

Pedro Junot apresenta “Pedro Maior” à sua cidade de Almada no dia 25 de Maio às 21h30m, no Auditório Fernando Lopes-Graça no Fórum Romeu Correia em Almada. Este concerto conta com a participação especial de Conceição Ribeiro, Emma, Florinda Maria, Maria da Nazaré, Maria Passarinho e Tiago Conceição, tendo na guitarra portuguesa Pedro Marques, na viola de fado Carlos Fonseca e na viola baixo Miguel Silva.