Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Pozzo… O Porco que dança…

Estranhamente surreal, um intérprete desdobra-se em diferentes personagens, numa performance que privilegia a investigação sobre o clown contemporâneo e o trabalho de máscara, além da música tocada ao vivo. Pozzo é um espetáculo cómico, interativo, interventivo e absurdamente cheio de sentido.

15589715_10154173160313059_7655068267786360421_n

Este é o ponto de partida para o novo espetáculo dos criadores de “Lullaby”, que percorreu o país em 2015 e recebeu vários prémios no Imaginarius (Portugal), Circada (Sevilha) e Fringe Festival (Edimburgo).

 

Criação e dramaturgia: Carlos Reis e Rui Paixão,

Interpretação: Rui Paixão

Música ao vivo e sonoplastia: Carlos Reis

Desenho de luz: Manu

Cenografia: Cristóvão Neto

Co-produção residência criativa: d’Orfeu AC / Cão à Chuva, Fafe Cidade das Artes

 

Cine-Teatro de Estarreja

13 de Janeiro 2017 | 21.30h

Edu Mundo… de regresso a Estarreja

Depois de ter aberto o apetite ao assegurar a primeira parte do concerto de Raul Mídon, Edu Mundo, regressa ao Cine-Teatro de Estarreja para desvendar algumas das suas músicas inéditas num registo despido à viola e voz.

13151720_1772008073033141_3436835491021080119_n

photo: Sara Silva / Glam magazine

 

Músico participante de vários projetos, agora a solo, desenvolve em paralelo a sua veia de compositor, de onde se destaca "Pantomineiro", música que integra "Rua da Emenda", de António Zambujo e "Eu Entrego", que faz parte do novo disco de Ana Moura.

Edu Mundo é…para descobrir já dia 7 em Estarreja.

 

Cine-Teatro de Estarreja / Café-Concerto

7 de Janeiro 2017 | 22.00h

Vai ser assim o mês de Janeiro no Theatro Circo

Com o aproximar de 2017, vamos conhecendo a programação de alguns espaços culturais emblemáticos em Portugal. É o caso do centenário Theatro Circo em Braga que já divulgou as linhas gerais da sua programação para o inicio do ano.

15179040_10154877654829781_28964928559018708_n

Música, cinema e Teatro são os destaques culturais de um mês que promete para a sala de Braga. A 5 de Janeiro, a Orquestra Filarmonia das Beiras acompanhada por Mário Laginha e António Vassalo Lourenço apresentam o já tradicional Concerto de Ano Novo e Reis, que constitui um dos momentos marcantes da temporada musical da orquestra. Tal como em Viena, soarão as mais conhecidas Valsas, Polcas e Marchas de Strauss, selecionadas para fazer entrar o Novo Ano de 2017 em ritmo festivo.

No dia 7 e para os mais novos chega “Mão Verde”, espetáculo infantil com música de Pedro Geraldes e lenga lengas originais cantaroladas por Capicua. Um concerto temático, em torno das plantas, da agricultura, da alimentação, dos cheiros das ervas aromáticas, da cor das flores e com uma clara motivação ecologista.

Daniel Pereira Cristo, músico e compositor bracarense, apaixonado pela música de identidade e instrumentos tradicionais, apresenta o seu primeiro trabalho a solo, tendo o cavaquinho e o canto como personagens principais de um todo, no dia 14 de Janeiro na Sala principal.

15095440_10154877743324781_4345173179210847140_n

A música continua a 21 do mesmo mês com os You Can’t Win Chalie Brown. Quase três anos depois de “Diffraction/Refraction”, regressaram com “Marrow”, o terceiro trabalho de originais de onde foram extraídos os temas “Above the Wall” e “Pro Procrastinator”.

As escolhas musicais para o mês de Janeiro encerram a 28 com Yael Naim. Duas vezes Artista Feminina do Ano no Prémio Les Victoires de la Musique, o equivalente francês dos Grammys, Yael Naim é uma verdadeira cidadã do mundo. Lançou recentemente o terceiro álbum, “Older”, juntamente com o seu companheiro, o músico e produtor David Donatien.

 

O Teatro esta igualmente em destaque. “Ainda o Último Judeu e os Outros” estreia a 24 de Janeiro no Pequeno auditório e segue em cena até 2 de Fevereiro. Na semana antes, “O Corvo”, Ópera de câmara, sobe ao palco principal nos dias 19 e 20. Através de uma notável arquitectura poética, que se assemelha a uma composição musical, Edgar Allan Poe criou um universo sombrio, onde um homem enfrenta a perda, o medo, a solidão e o vazio.

 

O cinema complementa a programação para o primeiro mês do ano. Filmes como “Saint Amour” a 9 de Janeiro, “Até Nunca” (16 de Janeiro) e “Ela” a 30 de Janeiro, são os destaques deste mês que promete em Braga.

Chateaux Réveillon… O Conto dos Três Salões

“Juntemo-nos para celebrar tudo que de incrível nos deu o Planeta Terra em 2016 e carregar juntos a nossa bateria de amor para um 2017 grandioso…” é este o lema do Chateaux Réveillon - O Conto dos Três Salões.

A Casa Bô, Sol Em Movimento, Espaço Compasso, Bolha Do Amor e todas as suas familias, colaboram para criação de um espaço de convívio e celebração único, envolvendo organicamente concertos em três salões, com diferentes sons, num cenário de uma casa e um jardim.

15740802_572336552891167_4214490604783751166_n

Para encerrar este ciclo que este ano representa da melhor forma, e abrir um novo numa energia de amor e união, as bandas de reggae e world music Jah Radio e Terra Livre farão as honras da casa. Para além disso contam com diversos djs nos 3 salões que oscilam entre musica balcã, funk, techno, trance progressivo, folk, forro, lindy hop, etc...

O espaço, uma casa majestosa na avenida da boavista com um jardim lindíssimo, digno da presença de todos

“Hear The Lions Roar” o regresso dos Half Japanese

 

Surgiram em 1975 pelas mãos dos irmãos Jad Fair e David Fair. Bateria, voz e guitarra são as bases da banda que ecoa as sonoridades rock à mais de 40 anos.

a2799413355_10

Ao longo dos mais de 40 anos de atividade, os irmãos Fair apresentam um legado de cerca de 2 dezenas de discos e uma legião de fãs incondicional, principalmente nos Estados Unidos, entre os quais segundo consta, Kurt Cobain. Nos anos 80 David Fair deixou Jad sozinho mas regressa sempre que é “preciso”.

Regressam às edições discográficas no inicio de Janeiro com o álbum “Hear The Lions Roar”, a editar no próximo dia 13 pela Fire Records. Um disco cheio de energia que traz uns Half Japanese de regresso ao passado, onde a sua irreverencia musical sempre foi uma constante.

O disco esta diponivel em pré-venda aqui

10 Anos da Temporada Darcos no CCB

Neste concerto inaugural dos 10 anos da Temporada Darcos, a Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola (Orquesta de Extremadura), sediada em Badajoz e grande impulsionadora cultural da região estremenha espanhola, interpretará o Duplo Concerto de J. Brahms, com os solistas Johannes Lorstad, no violino, e Filipe Quaresma, no violoncelo. Escrita para dois grandes virtuosos da época, o violinista Joachim e o violoncelista Haussmann, esta obra, a última composta por Brahms no género concertante, foi estreada em Colónia no ano de 1887 sob a batuta do compositor. Revisitados serão também os compositores W. A. Mozart, com a Abertura da ópera Don Giovanni, e M. Falla, com a célebre Dança do Fogo, retirada da sua obra capital O Amor Bruxo.

OE

Em estreia absoluta, ouviremos ainda a obra de N. Côrte-Real, Welligton Suite, cujas partes concertantes de piano e gaita-de-foles conferem um timbre singular a esta música celebrativa do bicentenário da edificação das Linhas de Torres Vedras, esse monumento militar que determinou o fim das invasões napoleónicas na Península Ibérica. Entre as sonoridades líricas nas páginas de Brahms, e as sonoridades mais rudes e populares da gaita-de-foles na Wellington Suite, inicia-se a décima edição da Temporada Darcos, 10 anos de música clássica na Região Oeste e em Lisboa

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

8 de Janeiro 2017 | 17.00h