Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Roque” o projeto musical de João Roque

Seguindo os caminhos do folk mas com desvios na área do rock e umas 'pitadas' de jazz, João Roque acaba de lançar o seu disco de estreia “Roque”. Trata-se de um projeto de canções originais dinamizado pelo compositor e guitarrista João Roque, que neste seu trabalhi conta com a participação dos músicos João Capinha (saxofone alto e soprano, clarinete baixo), Xico Santos (contrabaixo) e David Pires (bateria).

a2894397112_10

O disco já esta disponível no Bandcamp do músico e a versão física já espreita a edição muito em breve. Para 2017, “Roque” mostra-se ao público para já com 4 datas agendadas para Lisboa.

Paul McCartney reedita “Flowers in the Dirt” a 24 de Março de 2017…

O 10.º lançamento da série de reedições de discos a solo de Paul McCartneyArchive Collection – já está confirmado: a 24 de março de 2017 será reeditado “Flowers in the Dirt”, disco que atingiu o 1.º lugar dos tops de vendas em 1989, sendo um dos grandes clássicos que fazem parte de um dos mais louváveis catálogos discográficos da história da música. “Flowers in the Dirt” será reeditado em vários formatos.

paulcapa

Este lançamento de “Flowers in the Dirt”, que faz parte do Paul McCartney Archive Collection, foi, como sempre, supervisionado pessoalmente pelo próprio músico.

Um dos álbuns mais aclamados pela crítica nos anos 80, nomeado para prémios Grammy e BRIT, “Flowers in the Dirt” foi o disco em que McCartney decidiu colaborar com Elvis Costello na escrita de várias canções (nomeadamente “My Brave Face”, “You Want Her Too”, “Don’t Be Careless Love” e “That Day is Done”), além de ter recrutado produtores como Mitchell Froom, Trevor Horn, David Foster, Steve Lipson, e novamente Elvis Costello. David Gilmour, uma das grandes lendas dos Pink Floyd, colaborou no tema “We Got Married”, enquanto o arranjo de cordas de George Martin em “Put It Here” está entre os grandes destaques deste álbum.

 

A edição deluxe será sem dúvida o produto mais apetecido na coleção de qualquer fã de Paul McCartney. Além do muito conteúdo áudio e vídeo, esta edição exclusiva inclui um livro de notas com 32 páginas que contém letras escritas à mão pelo próprio músico e várias anotações, um catálogo da exposição de fotografia de Linda McCartney “Flower in the Dirt”, um livro fotográfico de 64 páginas e um outro livro de 112 páginas no qual se conta toda a história deste álbum com entrevistas a Paul McCartney, Elvis Costello e outros dos mais importantes colaboradores. Além de informação extensiva sobre cada tema, o livro contém fotografias até hoje inéditas de Linda McCartney.

EP de estreia de Maggie Rogers, “Now That The Light Is Fading”… lançado a 17 de Fevereiro

O EP de estreia de Maggie Rogers, intitulado “Now That The Light Is Fading”, será lançado a 17 de fevereiro do próximo ano. O disco contém quatro canções originais escritas, produzidas e interpretadas pela multi-instrumentista de 22 anos, incluindo os singles “Alaska” e “Dog Years”, que têm, em conjunto, mais de 25 milhões de streams em todo o mundo.

Captura_de_ecra_2016_12_21_a_s_10_40_31

Alaska”, o seu single de estreia, entrou para o top Viral 50 do Spotify em 40 países e alcançou o 1.º lugar em 23 países, incluindo os EUA. Com mais de 20 milhões de streams no Spotify, Maggie Rogers conquistou um lugar no top Best of 2016 do Spotify, estando entre os artistas emergentes do canal Vevo e foi incluída na lista da BBC Sound of 2017, além de ter sido nomeada um dos artistas favoritos de 2016 para a NPR e uma das cantoras a ter em atenção em 2017 para a Pandora. No próximo ano Maggie Rogers vai também andar em digressão pelos Estados Unidos e Canadá, sendo que fará a sua estreia na televisão no programa “The Tonight Show Starring Jimmy Fallon” a 20 de fevereiro.

O vídeo oficial para “Dog Years” já foi lançado no canal Vevo. Rodado no campo de férias de verão da infância da cantora, em Maine, o vídeo foi realizado pela cineasta Zia Anger, também responsável pelo vídeo de “Alaska”, que soma mais de 1,8 milhões de visualizações. A imprensa especializada já se rendeu às canções de Maggie Rogers, que tem recebido rasgados elogios da Paste, NPR Music, do site Stereogum ou da Billboard.

 

Uma versão não finalizada do tema “Alaska” mostrou Rogers ao mundo no início do ano. A jovem artista, que cresceu a tocar banjo em Maryland, estava então a trabalhar na sua música no The Clive Davis Instititute of Recorded Music na Tisch School of Arts da Universidade de Nova Iorque. Na altura, interpretou uma primeira versão da canção durante uma master class dada por Pharrell Williams. Depois de ter sido disponibilizada no YouTube, rapidamente a canção ganhou grande aclamação na imprensa, recebendo louvores do revista Spin ou do site Pitchfork.

 

A NPR Music incluiu “Alaska” no Top 100 de Canções de 2016 e a revista New Yorker elegeu-a uma das três canções mais ouvidas do ano. O tema foi ainda incluído no top das melhores canções do ano do Gorilla vs. Bear, além de Maggie Rogers ter sido nomeada uma das artistas mais promissoras do ano pelos sites Pigeons & Plances, Baeble Music ou pela Variance Magazine.

 

Maggie Rogers gravou este “Now That The Light Is Fading” em Nova Iorque e produziu todos os temas com os colaboradores Doug Schadt e Nick Das.

Rui Paixão é GODOT, a revelação do novo clown

Sob o mote de opresso liber, Rui Paixão – a revelação do clown em Portugal, selecionado para o Cirque du Soleil – apresenta o seu novo projeto que trilha um percurso de continuidade e sustentação da personagem em desenvolvimento ao longo dos últimos anos. GODOT representa um marco ímpar na história da performance de rua em Portugal, ao apresentar uma proposta artística sustentada e integrada desde a experimentação, passando pela formação e obviamente terminado na apresentação de propostas artísticas para o grande público.

GODOT_1

O novo projeto artístico tem por base a personagem, agora batizada, que ao longo dos 2 últimos anos foi a cara de LULLABY, provavelmente o maior fenómeno das últimas décadas na performance contemporânea portuguesa para o espaço público. GODOT nasce, assim de uma reflexão que pretende extrair o imortal do que é transitório e ter a consciência de que estamos aprisionados nas nossas perceções. GODOT pretende conservar a crença na transcendência enquanto ingrediente importante da nossa humanidade, porque há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia. Há muito mais do que energia dentro dele, o que quer que seja, GODOT é a essência interior que está escondida na raiz do cerne de tudo e que é sempre a mesma. Nunca muda. Mas revela-se num milhão de formas diferentes e vem sempre em ondas.

 

GODOT prepara uma tour internacional para o ano 2017, com foco no espetáculo LULLABY que surge com novidades cénicas, o workshop ESTADO OMNIUM que promete oportunidades de capacitação e aproximação às técnicas do clown e, obviamente, uma nova criação com estreia prevista para o Verão. 2017 ficará marcado pelo nascimento de GODOT, com o objetivo de estruturar o pensamento e expor novas possibilidades para o clown contemporâneo, alicerçando a investigação na criação artística para o espaço público. Assim, a nova criação SAMSARA surge com um registo inovador, altivo e inquieto, numa proximidade absurda a uma figura que poderia ser um Deus.

Miguel Amado "The Long Rest" no CCB

Na área do jazz e da música improvisada, Miguel Amado (baixista, contrabaixista e compositor) já colaborou, em palco ou em estúdio, em projetos como Kolme, Spill, Ficções, Underpressure, Septeto do Hot Clube, LUME, Brutus, entre outros.

untitled

Ao Pequeno Auditório do CCB traz “The Long Rest”, o quarto disco em nome próprio, que conta com a participação dos companheiros habituais como Vicky (bateria) e Ruben Alves (piano). O quinteto é completado por Desidério Lázaro (saxofones) e Ricardo Pinheiro (guitarra). Há ainda a participação especial de outros músicos, entre os quais Lúcia Moniz e Paulo Ramos, enriquecendo tanto o nível de arranjos como a dinâmica.

 

Noutras áreas musicais as suas colaborações incluem nomes como Fausto, João Gil, Janita Salomé, André Sardet, Lúcia Moniz ou Nuno Guerreiro, entre outros. Desenvolve também atividade como docente. Lecionou na escola de Jazz do Hot Clube de Portugal, na licenciatura de Jazz da Universidade Lusíada, no mestrado em Jazz da Universidade de Aveiro. Presentemente é professor na escola de música Musicentro.

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

6 de Janeiro 2017 | 21.00h

Jorge Palma & Sérgio Godinho… “Juntos” em Ovar

Dois nomes maiores da música reúnem-se em palco para um espetáculo especial concebido em conjunto.

Inédito! - Ainda que ao longo das suas carreiras se tenham cruzado inúmeras vezes, nunca o propósito havia sido este: “juntos”.

 

juntos_Jorge_Palma_Sergio_Godinho.jpgphoto: Promo /DR

 

Juntos, porque se apresentam num espetáculo uno, ainda que idealizado a dois, para ser o melhor de dois… num. Juntam-se as ideias, as viagens e as histórias feitas canções. Junta-os a música, a estrada, os palcos, o público e a vontade de escrever, cada um a seu jeito, cada um com tanto jeito, a liberdade.

 

Centro Arte (Ovar)

21 de Janeiro 2017 | 22.00h