Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

TOY… A digressão de “Clear Shot” passa por Portugal em 2017

Os britânicos TOY vão atuar no Sabotage Club, em Lisboa, no dia 7 de Março do próximo ano. A data integra a digressão europeia de "Clear Shot", o terceiro álbum da banda de Brighton, editado em Outubro de 2016 pela Heavenly Records.

TOY photo-1

Depois da recente tour de "Clear Shot" por países como Reino Unido e França, os TOY confirmam a passagem por Portugal em 2017 apresentando-se a 7 de Março no Sabotage Club, naquela que é a sua data única em Lisboa - com organização do Sabotage Club.

O grupo de Brighton regressa a Portugal para um concerto muito especial, certamente o mais intimista, depois de atuações em palcos como o Super Bock Super Rock e o Armazém F.

A 8 de Março, os TOY atuam no Hard Club, no Porto, com organização da Muzik is My Oyster.

“Life is long” este sábado leva Rodrigo Leão & Scott Matthew a Ílhavo

Rodrigo Leão e Scott Matthew cruzaram-se de novo em estúdio, daí resultando um álbum de originais, “Life is Long”, que agora apresentam em palco. Um compositor português com os olhos postos no mundo, um canto-autor australiano com vivências em Nova Iorque. Mundos separados, ainda assim tão quimicamente sintonizados. Quando se juntam, a voz grave e doce do australiano entrelaça-se nas melodias e orquestrações encantadoras de Rodrigo, recriando-se em momentos unidos pela perfeição.

14910276_1862414723992475_2140641095062481931_n

photo: Paulo Homem de Melo

 

Rodrigo sempre foi um colaborador ávido, tendo trabalhado com diversas vozes do panorama musical internacional, como Beth Gibbons (Portishead), as cantoras brasileiras Adriana Calcanhotto e Rosa Passos, Stuart Staples dos Tindersticks, Neil Hannon, o homem dos Divine Comedy, e os portugueses Camané e Sónia Tavares (Gift) entre tantos outros.

 

Casa da Cultura (Ílhavo)

17 de Dezembro 2016 | 22.00h

Os Quatro e Meia… “Acústico como sempre” e com novo video

Em Maio de 2013, um grupo de amigos com gosto comum pela música juntavam-se para uma pequena actuação num Sarau de Gala no TAGV, em Coimbra. Estava feita a primeira apresentação d’Os Quatro e Meia.

Os Quatro e Meia - foto.jpgActualmente formado por seis elementos, Os Quatro e Meia procuram de uma forma descontraída e bem-disposta conferir novas sonoridades e olhares sobre a música portuguesa.

A formação estreia-se na Casa da Música com o espectáculo "Acústico Como Sempre", integrado na digressão “P’ra frente é que é Lisboa”, expressão que dá nome ao single da avanço do projecto e que já se pode ouvir nas principais rádios nacionais.

 

João Cristóvão Rodrigues: violino e bandolim

Mário Ferreira: acordeão e voz

Pedro Figueiredo: percussão

Ricardo Liz Almeida: guitarra e voz

Rui Marques: contrabaixo

Tiago Nogueira: guitarra e voz

 

Casa da Música (Porto)

15 e 16 de Dezembro 2016

Noite Super Nova leva Ghost Hunt aos Maus Hábitos

Os Ghost Hunt são uma das bandas escolhidas para a próxima noite Super Nova.

dobre_ghost

photo: Carolina Sepúlveda

 

O conceito é simples: um cabeça de cartaz, duas bandas emergentes e um DJ para prolongar a noite. São assim as noites de Dezembro no Maus Hábitos, no Porto.

Pedro Oliveira (ex-Spider, Blarmino) e Pedro Chau (baixista dos The Parkinsons), levam assim, pela primeira vez ao Porto, o extraordinário conjunto de temas incluídos no álbum de estreia, todos construídos à volta de sintetizadores e guitarras, exercício estético de acumulação e transfiguração de inúmeras referências musicais.

 

Maus Hábitos (Porto)

16 de Dezembro 2016 | 22.30h

O regresso a Portugal de Ryan Adams no NOS Alive!

O cantor norte-americano Ryan Adams é a mais recente confirmação para a 11.ª edição do NOS Alive. O músico sobe ao palco Heineken, dia 6 de julho, primeiro dia do festival. Conhecido pelas suas múltiplas facetas artísticas, que lhe garantem uma sensibilidade única, o compositor traz a Portugal o mais recente trabalho, que será apresentado aos fãs já no próximo dia 17 de Fevereiro de 2017.

Screen Shot 2015-09-21 at 10.46.46 AM

Sucessor do álbum de originais homónimo, “Ryan Adams" editado em 2014, “Prisoner”, irá contar com 12 canções, todas elas escritas durante o seu processo de divórcio com a atriz Mandy Moore. Neste 15.º álbum de estúdio os fãs vão encontrar sonoridades com vincadas influências do rock dos anos 80.

Fortemente reconhecido pela indústria, Ryan Adams tem vindo ao longo dos anos a ver o seu nome na lista de nomeados do mais importante prémio da indústria, o Grammy, não tendo, no entanto, ainda levado o galardão para casa. Até à data, o músico já produziu álbuns para nomes como Jenny Lewis, La Sera, Fall Out Boy, Willie Nelson, Jesse Malin, e colaborou com artistas como Norah Jones, America, Cowboy Junkies, Beth Orton e mutios outros.

 

O NOS Alive regressa ao Passeio Marítimo de Algés nos dias 06, 07 e 08 de julho de 2017. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais.

 

Artistas já confirmados:

Alt-J, Depeche Mode, Foo Fighters, Ryan Adams, The Kills e Warpaint.

Luísa Sobral apresenta "Luísa" em digressão nacional

Luísa Sobral está de regresso aos concertos para a digressão de apresentação de "Luísa", o último álbum de originais editado há cerca de um mês e em que, segundo a artista, "o piano cede o seu protagonismo à guitarra."

foto

Com Mário Delgado na guitarra, João Salcedo nos teclados e piano, João Hasselberg no baixo e contrabaixo, e Carlos Antunes na bateria, a cantora, guitarrista e compositora percorrerá o país de norte a sul, visitando algumas das mais emblemáticas salas do país, como é o caso do Tivoli BBVA, em Lisboa, da Casa da Música, no Porto, e do Theatro Circo, em Braga.

Depois de "Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa", um trabalho que surpreendeu por conseguir agradar a miúdos e graúdos, surge "Luísa", um álbum que reflecte a maturidade da artista e invoca as suas influências primordiais que passam pelos grandes nomes do jazz e do folk. Do novo trabalho já se conhece "My Man", que conta com um vídeo realizado por Filipe C. Monteiro, retirado de um especial de 6 temas do novo disco que, mais tarde, será disponibilizado em televisão e em LuisaSobralVEVO.

O quarto álbum de estúdio, gravado nos United Recording Studios contou com a participação de músicos de excepção, como Marc Ribot (guitarra), Greg Leisz (guitarra), Jay Bellerose (bateria), Patrick Warren (teclados), David Piltch (contrabaixo) e Levon Henry (saxofone, clarinete).

 

Datas da digressão:

27 Janeiro 2017 – Teatro Aveirense (Aveiro)

1 Fevereiro 2017 – Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

8 Fevereiro 2017 – Casa da Música (Porto)

11 Fevereiro 2017 – Centro Cultural (Benedita)

14 Fevereiro 2017 – Theatro Circo (Braga)

23 Fevereiro 2017 – Teatro José Lúcio da Silva (Leiria)

11 Março 2017 – Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima)

18 Março 2017 – Cineteatro Louletano (Loulé)

22 Abril 2017 – Casa da Cultura Teatro Stephens (Marinha Grande)

6 Maio 2017 - Cineteatro Alba (Albergaria-a-Velha)

27 Maio 2017 – Teatro Municipal Joaquim Benite (Almada)

17 Junho 2017 – Teatro Municipal (Guarda)

22 Julho 2017 - Teatro de Vila Real

16 Setembro 2017 – Auditório Municipal (Lousada)

23 Setembro 2017 – Centro de Arte (Ovar)

13 Outubro 2017 - Teatro das Figuras (Faro)

Frank Carter & The Rattlesnakes na primeira parte de Biffy Clyro

A banda britânica Frank Carter & The Rattlesnakes vai ser responsável pela primeira parte do concerto dos escoceses Biffy Clyro dia 27 de janeiro no Coliseu de Lisboa. O coletivo liderado por Frank Carter, fundador e primeiro vocalista dos britânicos Gallows, estreia-se em Portugal na emblemática sala lisboeta, onde apresentará os seus dois álbuns de originais.

fc&trs_1

O disco de estreia “Blossom” foi apresentado ao público em 2015 e o segundo longa-duração, “Modern Ruin”, já está finalizado e será divulgado já no próximo mês de janeiro.

Um concerto a não perder que será marcado pela energia única do frontman mais carismático do punk.

Juanes foi o convidado de honra no Concerto do Prémio Nobel da Paz

Juanes, um dos maiores artistas da música latina, foi o convidado de honra no concerto do Prémio Nobel da Paz. O artista colombiano atuou pela terceira vez neste evento especial que reconhece a nível global todos aqueles que lutam pela paz, sendo que este ano atuou como como convidado especial do Presidente da Colômbia Juan Manuel Santos, laureado com o Prémio Nobel da Paz.

juanesnobel

Juanes brilhou no Telenor Arena, em Oslo, na Noruega, tendo partilhado o palco com músicos como Sting, Halsey, Highasakite e Icona Pop. Já o comediante Conan O’Brien foi o mestre de cerimónias. A defesa pelo direito de se viver em paz tem sido um dos pilares da carreira de Juanes que, através da sua música, tem-se encarregado de quebrar fronteiras e unir povos que estavam divididos. Juanes junta-se assim aos 50 milhões de colombianos que sonham com uma Colômbia em paz.

 

Grandes sucessos como “A Dios Le Pido”, “Fuego” e “La Camisa Negra” foram cantadas por mais de 8 mil pessoas que estiveram presentes no evento onde se prestou homenagem ao presidente Juan Manuel Santos, que subiu ao palco para agradecer a Juanes pelo seu espetáculo, tendo realçado os esforços do artista na busca pela paz na Colômbia.

 

Nesta noite tão especial quero felicitar o presidente Juan Manuel Santos e a sua equipa pelo trabalho que têm feito para tornar realidade este sonho (…) é a oportunidade para podermos construir a paz com que tanto sonhamos”, disse Juanes. Acenando a bandeira nacional da Colômbia em palco, Juanes deu o toque rockeiro a esta gala, tendo encerrado este tributo ao Prémio Nobel da Paz.

CINANIMA chega à Culturgest….

O CINANIMA – Festival Internacional de Cinema de Animação é o mais importante festival de cinema de animação português. Realiza-se em Espinho desde 1976, tendo este ano a sua 40.ª edição, o que o torna um dos mais antigos festivais deste tipo de cinema em todo o mundo. É organizado pela Cooperativa NASCENTE e pela Câmara de Espinho. O Festival tem uma Secção Competitiva (Competição Internacional e Competição Nacional) e uma Secção Não-Competitiva (Retrospetivas, Sessões para Escolas, Programas de Autor).

cinanima

A Competição Internacional abrange as categorias de Curtas-metragens e Longas-metragens. Da Competição das Curtas-metragens fazem parte duas subcategorias, nomeadamente Filme de Fim de Estudos e/ou Filme de Escola e Publicidade e Informação. Na Competição Nacional há dois concursos: Prémio António Gaio, para o melhor filme português em competição e Prémio Jovem Cineasta Português. Para além do Grande Prémio CINANIMA 2016 e do Prémio Especial do Júri CINANIMA 2016, são ainda atribuídos Prémios às várias subcategorias em competição.

 

À semelhança do que vem acontecendo desde há anos, a Culturgest tem o prazer de se associar ao CINANIMA projetando uma seleção de filmes premiados, feita pela organização do Festival.

 

Culturgest (Grande Auditório) (Lisboa)

18 de Dezembro 2016 | 17.00h

Cândido Lima no Understage do Rivoli…

Pioneiro em Portugal da música por computador, foi o primeiro compositor português a utilizar em simultâneo, entre outros meios, computador, electroacústica e orquestra.

DEZ2016_BANNERS_SITE__01

Diplomou-se em Piano e Composição nos Conservatórios de Música de Lisboa e Porto e em Filosofia e Humanidades na Faculdade de Filosofia de Braga. Doutorado pela Universidade de Paris I - Sorbonne, estudou composição com Xenakis, Stockhausen, Ligeti, Pousseur e Boulez e direcção de orquestra com Gilbert Amy e Michel Tabachnik. Estudou Electroacústica e Informática Musical nas Universidades de Vincennes e Panthéon-Sorbonne, tendo estagiado no IRCAM e no CEMAMu. É professor de composição na Escola Superior de Música do Porto, é diretor do Grupo Música Nova, do qual foi fundador em 1975.

 

Colaborou na imprensa, televisão e rádio e com o Ministério da Educação em reformas no ensino da música. Foi responsável pela visita de alguns grandes músicos a Portugal, como o “Encontro com Xenakis” no Porto, no Cinema Trindade, em 1973. Apresentou com Xenakis, em Lisboa, o UPIC/CEMAMu. Cândido Lima, regressa ao Rivoli para reinterpretar uma das suas composições mais celebradas (Oceanos), decorridas que foram três décadas da sua estreia, precisamente no Teatro Rivoli. 

 

Teatro Rivoli / Understage (Porto)

16 de Dezembro 2016 | 23.30h

Momo… Novo álbum previsto para 2017

Momo é um mistério, um enigma que intriga e atrai, exigindo a nossa atenção tal a profundidade das suas canções. A viver actualmente em Lisboa, cidade por que se quedou de amores, com quatro álbuns editados, Momo assinou contrato com a Universal Music Portugal. O cantor e compositor brasileiro tem novo álbum está previsto ser editado no início de 2017 e conta com a produção de Marcelo Camelo, outro compatriota apaixonado pela luz do Tejo.

momoo

No passado, Momo lançou “A Estética do Rabisco” (2006), “Buscador” (2008), “Serenade of a Sailor” (2011) e “Cadafalso” (2013), álbuns que também serão editados, em breve, digitalmente, pela Universal Music Portugal.

Cadafalso”, é uma nua e crua colecção de canções de voz e violão que arrepiam tal a sua verdade e honestidade. O mesmo justificou os aplausos de gente como David Byrne ou Patti Smith, gigantes que partilharam a sua música em playlists e murais de facebook, como quem quer fazer chegar um segredo aos amigos mais chegados.

 

Os discos de Momo têm atraído aplausos da imprensa internacional e reconhecimento de publicações de referência do Brasil como O Globo que fez Serenade of a Sailor ombrear com discos de Chico Buarque e Criolo nas suas escolhas para melhores trabalhos de 2011. O canal de TV Multishow também distinguiu Momo com um prémio revelação no mesmo ano.

 

Em 2012, Momo participou a convite da Universal no álbum A tribute to Caetano ao lado de artistas como Marcelo Camelo, Beck, Jorge Drexler, Chrissie Hynde, Ana Moura ou Seu Jorge. Entretanto, a sua música viajou na sua garganta, pelos Estados Unidos e pela Europa, sempre com as plateias rendidas ao encanto das suas canções.

Até lá, para perceber um pouco do que aí vem, pode fazer download gratuito do tema "Esse Mar" aqui

 

George FitzGerald, Hunee, Batida e RIOT confirmados no Lisboa Dance Festival 2017

Techno, house, afro e bass. O Lisboa Dance Festival revela nomes de várias frentes da música electrónica. Do britânico residente em Berlim, George FitzGerald, ao mui requisitado Hunee, recentemente incluído no top 20 de DJs mundiais da Resident Advisor, o Lisboa Dance Festival apresenta um cartaz focado nas mais recentes tendências da música electrónica. O DJ set inédito que Pedro Coquenão (aka Batida) prepara para o Festival revela por si uma vontade única de desafiar o público para novas experiências sonoras.

Na já revelada “Sala B2B” apresentam-se dois nomes incontornáveis da cultura bass nacional: RIOT e Nuno Forte. O desafio é colocá-los durante 1h30 num B2B em que os graves vão sobrepor-se a toda e qualquer outra sonoridade.

george

George FitzGerald, começou protegido pelo selo de Scuba, Hotflush, mas rapidamente a label indie Domino pegou no seu talento e trabalhou de forma a dar a conhecer ao mundo uma forma de produzir viagens personalizadas entre o techno e o house. O LP “Finding Love” conquistou críticas da Mixmag à Pitchfork, do The Guardian à Clash, numa aclamação generalizada

hunee

Hunee, o público da Resident Advisor elege-o como #19 do mundo. Destaca-se como um dos melhores a ler pistas de dança e a perceber o line-up em que está inserido. Inteligência e visão, portanto. Hunee (lê-se “hani” – “honey”) está cada vez mais a destacar-se em momentos especiais como foi a sua presença na Amsterdam Dance Event de 2016, com um set super concorrido por público, media e agentes a assistirem à “next big thing” desta viagem house-disco-techno

batida

BATIDA, o estado do grave no planeta!”. Foi assim que, há 10 anos, na Antena 3, Pedro Coquenão começou um programa em que apresentava as novas tendências da música Luso e Afrotrónica, misturadas com produções próprias, antecipando muito do que ouvimos hoje. Batida passou a alter-ego e foi com esse nome que assinou também 3 discos, variadas remixes e colaborações internacionais. No Lisboa Dance Festival recua uma década e recria o começo de tudo na 3, numa emissão especial feita para a pista de dança.

riot

Depois de 10 anos de Buraka Som Sistema, RIOT tem vindo a trabalhar no seu disco de estreia, sucessor do EP “Originator” (Enchufada), de 2015. RIOT é frequentemente chamado para apresentar a sua visão específica sobre a bass culture, destacando-se o templo Fabric (Londres) ou as suas noites Fala Baixo (Musicbox, Lisboa). Para a edição de 2017 do Lisboa Dance Festival, junta-se a outro nome que tem feito a história do drum’n’bass juntamente consigo: Nuno Forte. O drum’n’bass português tem em Nuno Forte um dos bastiões maiores da sua cultura. Anos de estrada e de festas memoráveis (com os parceiros Kalimodjo) fazem de Nuno Forte um dos mais requisitados artistas na área musical. Espécie de rótulo de qualidade de qualquer festa que se preze de drum’n’bass em Portugal, Nuno Forte vai ter mais de uma hora para deslocar o cimento das paredes do The Dorm (Sala B2B), na Lx Factory, num B2B que tem tudo para ficar na memória com o parceiro de longa data: RIOT.

nuno

A fasquia está elevada e só um público exigente poderá vincar ainda mais a visão 360º da música electrónica que o festival apresenta para 2017.

 

Artistas já anunciados:

Hercules & Love Affair / Marcel Dettmann

Mount Kimbie / George FitzGerald / Hunee

Tokimonsta / Jessy Lanza / Dekmantel Soundsystem

Branko /// Moullinex – curadorias

Holly Hood / Mai Kino

Corona / Rui Maia / Holy Nothing – Clube Antena 3

RIOT vs Nuno Forte / Stereossauro vs Kwan / Sam the Kid vs DJ Big – Sala B2B