Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Blind Zero esgotam concerto de sexta-feira no Fundão…

Os Blind Zero fazem uma pausa nas gravações do próximo disco de originais para voltar aos palcos na sexta-feira, para um concerto já esgotado no "Sons à Sexta", no Fundão. Sábado, Miguel Guedes, Nuxo Espinheira, Bruno Macedo, Vasco Espinheira e Pedro Guedes são os convidados do último "Palavras Soltas" de 2016, no Cine-Teatro Eduardo Brazão. Um serão de conversa com música à mistura onde a banda aceita o desafio de rever os quase 23 anos de carreira.

blind_zero_agenda

O ano que começou com um concerto muito especial na Casa da Música, com lotação esgotada, onde os Blind Zero tocaram na integra o álbum de estreia, "Trigger", termina em grande, no palco maior do Porto: a Avenida dos Aliados. Convidados para tocar na passagem de ano, os Blind Zero estão a preparar um concerto único, de celebração com a cidade que os viu nascer e que representam há mais de duas décadas.

No final de Janeiro de 2017, e depois de festejarem o 23.º aniversário, os Blind Zero editam o esperado sucessor de "Kill Drama" e "Kill Drama II". Ainda sem nome, o oitavo disco da banda será apresentado ao vivo no Teatro Municipal de Vila do Conde dia 4 de Fevereiro. 

 

9 Dezembro 2016 - Sons à Sexta - A Moagem (Fundão)

10 Dezembro 2016 - Palavras Soltas - Cine-Teatro Eduardo Brazão (Vila Nova de Gaia)

31 Dezembro 2016 - Passagem de Ano - Av. dos Aliados (Porto)

4 Fevereiro 2017 - Apresentação do novo disco - Teatro Municipal Vila do Conde

Cristina Branco ao vivo em Braga e Aveiro…

Cristina Branco é sinónima de sofisticação. Dentro de uma área de fortes raízes conservadoras e tradicionalistas como é o caso do fado, Cristina Branco apresenta sempre uma alternativa alicerçada no profundo conhecimento dos poetas e poemas que interpreta, em compositores requintados e em músicos de excelência que transpõem uma aura única ao vivo.

GLAM - Cristina Branco.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

“Menina” é o título do seu novo trabalho com temas originais de autores como Filho da Mãe e André Henriques (Linda Martini), Cachupa Psicadélica, Mário Laginha e António Lobo Antunes.

Um disco de novas abordagens, de novos compositores de várias latitudes da música portuguesa como os já referidos.

 

Theatro Circo (Braga)

7 de Dezembro 2016 | 21.30h

 

Teatro Aveirense

8 de Dezembro 2016 | 21.30h

Salvador Sobral arranca 2017 com novas datas de apresentação do álbum de estreia “Excuse Me”

Na semana em que viu o single “Excuse Me”,  que dá nome ao seu álbum de estreia ser nomeado para a categoria de Melhor Música Portuguesa 2016 pela Fantastic TV, ao lado de nomes como Deolinda, Rita Redshoes, Carlão ou Richie Campbell, Salvador Sobral anuncia as primeiras datas da digressão 2017.

Torres Vedras (14 de Janeiro), Évora (25 de Fevereiro), Sintra (4 de Março), Olhão (17 de Março) e Seixal (29 de Abril) são os primeiros palcos confirmados pelo cantor que em 2016 se habituou a plateias generosas e salas cheias.

DSC_0261 (Cópia).jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

A voz sempre no lugar certo e um controlo absoluto e irrepreensível sobre a mesma, associado ao magnetismo com que cativa as pessoas em palco, têm-lhe valido as melhores críticas por parte da imprensa especializada, de colegas de profissão e, mais importante que tudo, do juiz final: o público.

 

Excuse Me”, lançado em Março passado pela Valentim de Carvalho, é o disco de estreia de Salvador Sobral e representa todo um universo de canções compostas pelo próprio em colaboração com o talentoso compositor venezuelano Leonardo Aldrey. O jazz, a música brasileira e as sonoridades da américa latina em que mergulha para se inspirar, são também fortes influências na narrativa do disco, que oferece versões reinventadas de standards como "Autumn in New York" ou de preciosidades da música brasileira como "Nem Eu" de Dorival Caymmi, apresentado recentemente como segundo single do disco

JP Simões è BLOOM e "Tremble like a Flower" chega às lojas em Janeiro

Bloom é o nome da mais recente aventura musical do cantor e compositor português JP Simões e “Tremble like a Flower” é o seu primeiro disco. São dez temas tensos e luminosos que, a partir de uma base intimista e de escrita confessional, se vão abrindo em paisagens eletrizantes e feéricas, algo que começa por desenhar uma viagem interior e sai a sobrevoar o mundo. 

a0429205999_10

A composição deste disco foi-se alicerçando no blues mais primordial, passando pela folk dos anos 60 (Dylan, Cohen e Nick Drake). Com a introdução de outras afinações, a procura de espaços mais vastos e serenos e a aglutinação de um certo modo “bossa nova” de tocar guitarra com um fingerpicking mais percussivo, a música começou a tomar o seu próprio rumo e as canções foram nascendo.

 

A partir daí entrou em jogo o guitarrista e compositor Miguel Nicolau (Memória de Peixe), que compôs quase todos os arranjos e partilhou a produção artística até ao fim do processo: o trabalho entre os dois músicos traduziu-se numa empenhada fusão de muitas das suas referências musicais. Alguns exemplos: os arranjos de sopros foram muito inspirados pelo saxofone de Donny McCaslin, o músico que participou no último disco de Bowie, Blackstar.

 

As guitarras, por seu turno, tanto evocam o som e o modo da música dos Velvet Underground e de Sonic Youth como de Jim O’Rourke ou dos Deerhoof. O trabalho de composição dos ambientes do disco, dos mais abstractos aos mais paisagísticos, encontrou inspiração em músicos como Brian Eno, Robert Wyatt ou António Carlos Jobim. Finalmente, o baterista e compositor Marco Franco, com o seu melódico ritmo, trouxe a pulsação cardíaca certa para o disco respirar em plenitude.

Bloom teve a sua estreia absoluta ao vivo no Festival Maré de Agosto, em Santa Maria, Açores, num concerto que contou com a presença de Carlos Bica no contrabaixo. Entretanto já passou pelo Jameson Urban Routes, festival que decorreu em Lisboa, no Music Box, na última semana de Outubro; e em Novembro, esteve no Teatro de Vila Real e no Auditório de Espinho. “Tremble like a Flower” está já disponível no Bandcamp para quem quiser ouvir e comprar em formato digital.

Plataformas de distribuição digital em foco no terceiro workshop AMAEI

Na sequência do trabalho de capacitação dos Músicos Artistas e Editoras Independentes, a AMAEI (Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes) promove um novo workshop no Porto, local onde todas as sessões de esclarecimento e workshops AMAEI têm tido uma larga adesão.

Este novo workshop acontece no dia 10 de dezembro, sábado, na Casa da Música a partir das 15H00 e aborda um dos temas mais centrais no panorama atual da indústria da música, nomeadamente, de edições independentes e de autor: “Plataforma de distribuição digital: como navegar as águas digitais maximizando as fontes de rendimento.

11d859e4-00a3-49cb-87c8-9bc2ad536028

O workshop destina-se a capacitar todos os artistas, profissionais e entidades que atuam na indústria da música independente do país e que têm nas plataformas digitais uma das suas principais fontes de rendimento. Ana Figueiredo, coordenadora executiva da AMAEI, explica que existem "cada vez mais pessoas interessadas em profissionalizar a sua atividade musical, que querem editar discos, explorar o mercado nacional e internacional, e que o querem fazer de forma informada e organizada" e que estas ações podem ajudar essas pessoas a penetrar no mercado e a fazer com que o mesmo "cresça de uma forma organizada e sustentável".

 

"A AMAEI comprovou, no seu primeiro workshop no Porto, que há uma enorme procura de informação profissional sobre a indústria musical, nomeadamente no norte do país" - continua Ana que teve a oportunidade de acompanhar os dois primeiros workshops realizados naquela cidade e que justifica assim a realização de um terceiro. A sessão é aberta ao público e tem o custo de 5€ a pagar no local. Os associados da AMAEI têm acesso gratuito.

 

Os interessados em participar neste workshop devem reservar lugar por e-mail para ana@amaei.org até ao dia 9 de dezembro às 17H00, uma vez que o número de lugares é limitado e dependente de inscrição prévia.

DA CHICK… "Go Funk Yourself"

Da Chick quer, pode e manda, e manda mesmo pois o ano de 2016 é prova evidente desse poder muito próprio. Desde representar Portugal no Eurosonic, o festival de showcase mais conceituado da Europa, a uma mini tour em França. Concertos em salas míticas espanholas como Joy Eslava e Apolo, a um showcase parisiense no Mama Festival. Viagens de onde resultaram colaborações e exploração de sons nunca antes trabalhados.

15232164_1245603842178410_4390320257048668430_n

Depois de um verão intenso com espetáculos no NOS Alive, Bons Sons, Festival F, participações no Super Bock Super Rock, Vodafone Paredes de Coura, homenagem à Dina entre outros, a vontade de um concerto em nome próprio em Lisboa, é óbvia.

Dia 21 de Dezembro, no Musicbox, Da Chick conduz o soul train, numa noite especial, rodeada de convidados onde se pode esperar de tudo em palco... musicalmente falando.

Porto/Post/Doc 2016 ultrapassa marca dos dez mil espectadores e regressa em 2017

A 3.ª edição do Porto/Post/Doc – Festival Internacional de Cinema, que decorreu entre 26 de novembro e 4 de dezembro, ultrapassou a marca dos dez mil espectadores, ao longo de nove dias, com uma média de 100 espectadores por sessão e incluindo diversas lotações esgotadas nas quatro salas do Festival (Grande Auditório Manoel de Oliveira e Pequeno Auditório Isabel Alves Costa no Teatro Rivoli, Cinema Passos Manuel e Maus Hábitos).

Vandoma Pic01

O Festival cresceu também como plataforma profissional, com mais de 200 convidados que passaram pelo porto, incluindo realizadores e produtores de filmes em competição e das diferentes secções; a imprensa nacional e internacional; e outros festivais e organismos nacionais e internacionais.

 

Desde a sua génese o Porto/Post/Doc assumiu o compromisso de criar e educar novos públicos através do projeto educativo School Trip. Cientes da escassez de audiências nos cinemas da cidade, o Porto/Post/Doc procurou educar para e pelo cinema, preenchendo uma lacuna ao nível de projetos pedagógicos nesta área e, com iniciativas próximas dos jovens, levar o cinema até às escolas e os estudantes às salas. Este ano, o Festival foi ainda mais longe, inventando o Mini, um espaço dedicado a um público infanto-juvenil, promovendo oficinas, sessões e aulas de cinema para crianças e adolescentes, com uma adesão promissora.

 

Em 2016, foram apresentados dois focos: um dedicado ao Sensory Ethnography Lab, transformando o cinema sensorial no centro temático do festival, e um outro dedicado ao brasileiro Eryk Rocha e ao seu cinema poético, em que o cineasta reinventa o olhar sobre a realidade brasileira.

 

Nesta edição do festival, foi reforçada a identidade do Porto/Post/Doc como um festival de fronteira, que desafia as convenções de género e que promove os filmes novos e ousados. No entanto, como nos filmes vencedores e da competição, como nos filmes que o festival deu a descobrir – do Sensory Ethnography Lab, a Jana Sevcíková ou Eryk Rocha – o cinema é também uma arma política: uma arma contra o esquecimento e pela dignidade do ser humano. Esta continuará a ser também uma marca distintiva do Porto/Post/Doc.

 

Nos próximos meses o Porto/Post/Doc continuará a atividade de exibição regular, através do programa de ciclos do Há Filmes na Baixa!, no Cinema Passos Manuel. Será dada também continuidade ao projeto educativo, reforçando os laços do festival com as escolas da região, desde os mais pequenos até ao ensino universitário.

“Para nós, fazer um festival é participar no espaço público, resgatar a memória e provocar o debate. Somos um espaço de encontro, de criatividade e de agitação cultural. Estamos cansados, mas felizes. Fazemos um festival com paixão e queremos que essa paixão seja partilhada com o público. É com esse público que podemos ser melhores”, refere a Direção do Festival.

 

Vencedores Porto/Post/Doc 2016:

O Grande Prémio Porto/Post/Doc by Vinhos Verdes foi atribuído ao documentário “Eldorado XXI” da realizadora portuguesa Salomé Lamas. Trata-se da primeira vez nos três anos do Festival que o Prémio principal é atribuído a um filme português.

O Júri Oficial, constituído por Cornelia Lund (teórica e curadora de arte e média), Isabel Capeloa Gil (reitora da Universidade Católica Portuguesa), Leonor Teles (realizadora) e Joana Pimenta (artista visual), atribuiu ainda uma Menção Honrosa ao filme “Les Sauteurs” corealizado por Abou Bakar Sidibé, Estephan Wagner e Moritz Siebert. A Abou Bakar Sidibé foi também atribuído o Prémio Biberstein Gusmão para autores emergentes com menos de 36 anos.

O Júri da Competição School Trip, composto por Eryk Rocha (realizador), Andrés Duque (realizador) e Joana Machado (designer) atribuiu o Prémio para o melhor filme da competição School Trip ao filme “Vandoma” (2015) de Bernardo Bordalo, Bruno Lança e Rui Oliveira da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. O Prémio Teenage foi atribuído a “Ama-San” de Cláudia Varejão. Este Prémio tem como Júri um conjunto de alunos de Escolas Secundárias do Grande Porto (Academia Contemporânea do Espectáculo; Escola Artística de Soares dos Reis; Escola Artística e Profissional Árvore; Escola Secundária Clara de Resende e Escola Profissional de Matosinhos).

 

O Porto/Post/Doc – Festival Internacional de Cinema estará de regresso de 25 de novembro a 3 de dezembro de 2017.

EDPCOOLJAZZ lança GOLD TICKET EDPCJ Fã pack Fnac

O EDPCOOLJAZZ lança um voucher especial para a edição de 2017: GOLD TICKET EDPCJ Fã pack Fnac. Disponível em todas as lojas Fnac de Lisboa a partir de dia 8 de dezembro. Trata-se de um pack que contém um voucher no valor de 45€, que contém um voucher no valor de 45€ que garante, mediante disponibilidade, um lugar na Plateia VIP de uma das 7 noites de concertos do EDPCJ 2017, em Oeiras. Existem 60 Fã pack Fnac que contêm um bilhete adicional, que dá direito a um convite Plateia VIP ou 1 Parking com zona reservada de estacionamento para Fã Pack Fnac GOLD TICKET EDPCOOLJAZZ.

GOLD TICKET_edpcj

De acordo com Karla Campos, organizadora do EDPCOOLJAZZ, “muito em breve vamos anunciar os primeiros nomes da edição 2017, mas antes disso quisemos disponibilizar a todos os que nos acompanham ao longo destes 13 anos de festival esta novidade que poderá ser um presente ideal para a próxima quadra natalícia”.

 

A edição 2016 do EDPCOOLJAZZ, que recebeu grandes nomes como Omara Portuondo, Jill Scott, The Cinematic Orchestra e Stacey Kent, entre outros, contou com a presença de 35 mil pessoas a assistir às 8 noites de concertos, onde se destacou também o grande espetáculo de Seal que quase esgotou a lotação do Estádio Municipal/Parque dos Poetas, onde estiveram cerca de 10 mil pessoas nesta noite. E ainda o concerto “Marisa Monte convida Carminho”, que encerrou a edição de 2016, nos Jardins Marquês de Pombal, Oeiras, tendo esgotado com 6 mil pessoas a assistir ao tão esperado encontro em palco das duas cantoras de língua portuguesa.

 

Ao longo destes 13 anos, o EDPCOOLJAZZ já produziu mais de 130 concertos, juntando mais 300.000 pessoas que num ambiente intimista, perto dos palcos, e sem o aglomerado das grandes multidões, pôde assistir a espetáculos individuais numa junção única entre música cool, história, património e natureza, o verdadeiro conceito do EDPCOOLJAZZ, Cool Energy

Concerto Por um Novo Futuro…

Em 2017, o Concerto por um Novo Futuro traz-nos uma homenagem às Canções de Jorge Fernando. Nome maior da Música, o fadista, guitarrista e também compositor celebra quatro brilhantes décadas de carreira. No dia 4 de maio de 2017, no MEO Arena em Lisboa, a noite será de homenagem e contará com um cartaz de luxo: Ana Moura, Agir, Camané, Expensive Soul, Fábia Rebordão, Fausto, José Gonçalez, Jorge Fernando, Sam The Kid e Virgul + Dino D’ Santiago.

NovoFuturo_600x260px

De mãos dadas, a Música e a solidariedade juntam-se pelo sétimo ano consecutivo para ajudar a Associação Novo Futuro. Alguns dos nomes mais reconhecidos do panorama musical nacional unem as suas vozes num concerto sempre único e especial, para proporcionar uma noite de muita música e boa disposição e contribuir para a melhor das causas – ajudar as crianças institucionalizadas. De diferentes estilos e gerações, as músicas de Jorge Fernando ecoarão numa noite em que ajudar é um espetáculo.

 

A Associação Novo Futuro é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) , fundada em Portugal em 1996, sem fins lucrativos e considerada de superior interesse social . Providencia nos seus 8 Lares Residenciais localizados nos concelhos de Lisboa, Cascais, Sintra e Gaia, cuidados físicos, emocionais e sociais a 73 crianças e jovens entre os 5 os 21 anos, privados de meio familiar seguro, privilegiando os grupos de irmãos.

 

Até hoje, a Novo Futuro já acolheu 176 crianças/jovens em risco, das quais 103 seguem os seus projetos de vida integrados na família de origem, em famílias adotivas ou em autonomia plena.

 

MEO Arena (Lisboa)

4 de Maio de 2017

Festival do Dia dos Namorados regressa com mais dias, mais artistas e mais cidades!

O primeiro festival do ano regressa reforçado em 2017!

‘Montepio às vezes o amor’ apresenta-se nos dias 11 e 14 de Fevereiro em 12 cidades, de Viana do Castelo a Faro, com 12 concertos especiais em que renova a sua aposta na música nacional. Rui Veloso, Jorge Palma, Deixem o Pimba em Paz (com Bruno Nogueira e Manuela Azevedo), Amor Electro, Aurea, HMB, Gisela João, Raquel Tavares, André Sardet e João Pedro Pais são os primeiros nomes anunciados para quebrar o frio de Fevereiro e aquecer 12 palcos nacionais com as suas emblemáticas canções.

8cc794c9-e93c-46b2-aef4-2af3ff8601a8

Depois de esgotados todos os concertos nas edições anteriores, nesta que será a 3ª, o festival do Dia dos Namorados promete espalhar o amor por mais cidades: Aveiro, Beja, Coimbra, Faro e Viana do Castelo são algumas das novas capitais do amor que se juntam a Castelo Branco, Leiria, Lisboa, Porto e Vila do Conde, que recebem o festival mais uma vez.

Em 2017 todos os corações apaixonados e os amantes de boa música, poderão celebrar o dia de São Valentim duas vezes e em algumas das mais belas cidades portuguesas. Agora só tem que escolher a que concertos vai levar a sua cara metade!

 

11 de Fevereiro 2017 – Centro Cultural Viana do Castelo – Rui Veloso

11 de Fevereiro 2017 – Teatro Aveirense – Jorge Palma

11 de Fevereiro 2017 – Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco) – Áurea

11 de Fevereiro 2017 – Teatro Municipal (Vila do Conde) – HMB

11 de Fevereiro 2017 – Cine-Teatro Pax Júlia (Évora) – Raquel Tavares

 

14 de Fevereiro 2017 – Coliseu dos Recreios (Lisboa) – Deixem o Pimba em Paz

14 de Fevereiro 2017 – Coliseu (Porto) – Amor Electro

14 de Fevereiro 2017 – Convento São Francisco (Coimbra) – Gisela João

14 de Fevereiro 2017 – Teatro José Lúcio da Silva – André Sardet

14 de Fevereiro 2017 – Teatro das Figuras (Faro) – João Pedro Pais

 

 

Thievery Corporation apresentam novo album em Portugal…

Thievery Corporation, o duo de Washington formado por Rob Garza e Eric Hilton, acaba de anunciar um concerto em Portugal, dia 15 de fevereiro. A banda sobe a palco do Coliseu de Lisboa para apresentar o oitavo disco de originais “The Temple of I & I”, com data de lançamento agendada para dia 10 de Fevereiro de 2017.

thieverycorporationtop5

O mais recente trabalho viaja do Brasil para a Jamaica e ao contrário de “Saudade”, editado em 2014, “The Temple of I & I” é inspirado no espírito e no poder da música da ilha do Caribe. No mapa musical, a dupla considera a Jamaica um continente inteiro de inspiração onde poderiam ter, dizem, passado mais de um ano a beber influências. Os sons exóticos do oitavo álbum de estúdio contam com a voz da jamaicana Racquel Jones.

A dupla é conhecida pela fusão de várias influências e estilos nas suas músicas, tais como o dub, reggae, jazz ou o bossa nova, assim como por trazer a palco atuações únicas e contagiantes. Os bilhetes serão colocados à venda dia 9 de dezembro, sexta-feira, nos locais habituais.

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

15 de Fevereiro 2017 | 21.00h