Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Samuel Úria apresenta novo single/vídeo…

É preciso que eu diminua”, tema retirado do seu mais recente trabalho de originais - o aclamado “Carga de Ombro” - é lançado hoje acompanhado por um videoclip de animação. Em jeito de celebração do Dia Internacional da Animação, Samuel, também ele com formação em artes visuais, dá a conhecer o resultado do convite efectuado ao realizador Pedro Serrazina para uma leitura criativa de umas das canções mais representativas do universo sonoro de “Carga de Ombro”.

unnamed__2_

O resultado não poderia ser mais surpreendente: o realizador interpreta o surrealismo poético de Samuel, elevando e explorando novos caminhos para o tema que, para além de viagem interior, inaugura uma nova sonoridade do cantautor (ou como alguém referia “como se Manu Chao tivesse parado em Tondela para tomar uma bica”). “É preciso que eu diminua” é assim um filme de animação de forte impacto visual e de uma delicadeza emocional rara.

A colaboração com Pedro Serrazina era algo que Samuel desejava há muito, tal a impressão que tinha da obra do realizador, nomeadamente do seu filme de estreia “Estória do Gato e da Lua”. Do currículo do realizador destacam-se o já referido e premiado “Estória do Gato e da Lua”, “Gatofone”, “Canção distante” ou “Os olhos do farol” bem como o seu percurso académico efectuado entre Portugal e Inglaterra com formação no Royal College of Arts, em Londres. Como professor, passou pela University ForThe Creative Arts, Universidade Católica do Porto e Universidade Lusófona. Aliás, para esta aventura de “É preciso que eu diminua”, Serrazina foi acompanhado na execução por alguns dos seus alunos dos cursos nacionais.

 

“É preciso que eu diminua” é o segundo single retirado de “Carga de Ombro” e sucede a “Dou-me Corda

Bathroom Music Festival em Lisboa...

A Uniplaces, plataforma online para alojamento de estudantes universitários, está a organizar, em parceria com as startups Tradiio e EatTasty, o primeiro Bathroom Music Festival de todo o mundo, que será lançado a 8 de novembro, no âmbito do Web Summit, em Lisboa.

A startup portuguesa convidou vários artistas portugueses para cantarem debaixo do chuveiro, através de concertos que vão decorrer em diferentes casas de banho da East Lisbon Residence, no Intendente, a partir das 19h00. Esta será uma oportunidade para empreendedores portugueses e internacionais conhecerem, num ambiente único e descontraído, investidores provenientes de todo o mundo.

Bathstage-Festival

O Bathstage Festival integra uma colaboração com o Bathstage Sessions, um projeto promissor da criativa portuguesa Carolina Caldeira, no qual vários artistas são convidados a fazer um concerto online a partir de uma casa de banho aleatória.

"O projeto está agora a começar, é uma ideia em que tenho trabalhado bastante, desde o último ano, para se tornar realidade", explica Carolina Caldeira. "Pode este projeto tornar-se numa startup? Talvez. Estamos à procura de patrocínios para ajudar a dar o passo seguinte, mas se o investidor certo surgir, será certamente algo a considerar”. O Bathstage Festival, organizado pela Uniplaces, conta ainda com a colaboração da Tradiio, plataforma de streaming que potencia artistas musicais, a EatTasty, que entrega nos escritórios refeições home-made a baixo custo, e a Beta-i, aceleradora de startups.

 

"Estamos muito animados em ser os anfitriões deste evento", refere Miguel Santo Amaro, co-fundador da Uniplaces. "De todos os programas oficiais e não oficiais criados no âmbito do Web Summit, acredito que este possa ser um dos mais disruptivos”. "Esta é uma oportunidade para um conjunto de startups se reunirem e organizarem algo diferente, onde a atual cultura portuguesa possa ser apresentada. É também um momento único para a Uniplaces apresentar o seu produto de uma forma inovadora: é uma forma diferente de ficarem a conhecer como é uma residência exclusiva da Uniplaces”, explica ainda o co-fundador da Uniplaces.

Musa Oporto tour… com muita música

Depois da “tour” pela capital e uma grande festa de lançamento na antiga Casa moura, a Musa segue em digressão pelo Porto com muita vontade de surpreender quem ainda não se fez a ela. Ao volante leva uma enorme vontade de democratizar a cerveja artesanal, na retaguarda uma mala cheia de espaço para quem quiser entrar nesta viagem. O rádio só toca música da boa….

musa

photo: Ana Viotti

 

#1 Farofa / Pedro Tenreiro (DJ set)

Catraio Craft Beer Shop

15 Outubro 2016

Cerveja musa à pressão

 

#2 Tomás Wallenstein / Salvador Seabra (Capitão Fausto DJ set)

Bop Café

12 Novembro 2016 | 18h00 – 01h00

Cerveja musa à pressão… lançamento oficial da twist and stout – porto.

Moderno e Capitão, Tomás Wallenstein não tem os dias contados. Muito pelo contrário. O jovem que “saiu das saias da mãe” com um disco brilhante, volta a vir fumar carradas de cigarros e beber uns bons litros de ipas connosco. Desta vez desafia um outro capitão, El Salvador, para partir uns pratos e comer uns bagels no sítio onde só o café é filtrado. Vai ser do best….

 

#3 A Boy Named Sue (DJ set)

Embaixada do Porto

25 Novembro 2016 | 23h59 – 05h00

 

Dj A Boy Named Sue é provavelmente o mais icónico e versátil DJ do mundo do rock'n'roll em Portugal. Braço direito de Paulo Furtado (The Legendary Tigerman) nos seus vários projectos, há 15 anos que agita as pistas de dança por todo o país nos mais variados eventos e festivais. Já fez a primeira parte dos Jon Spencer Blues Explosion numa tour em Itália, já passou música no Festival de Cannes, Oslo, Madrid, Marselha e Macau. Em 2016 lançou-se numa tour em Portugal e o resultado são 4 meses sem uma única noite de fim de semana livre. No sábado, dia 25, na Embaixada Lomográfica vai procurar encontrar o melhor enquadramento para os seus discos.

 

#4 Sininho B2B ED (Best Youth) (DJ set)

Maus Hábitos

7 Dezembro 2016 | 23h59 – 04h00

 

Ed Rocha Gonçalves (Best Youth) e Francisca Rocha Gonçalves (DJ Sininho) são irmãos. Irmãos de sangue. A melhor Juventude foi, portanto, passada juntos. Depois de 33 anos de coexistência e mais de 10 de carreiras paralelas no mundo da música, encontram-se finalmente a partilhar uma cabine de DJ pela primeira vez. Esperamos, pois, que se torne um Hábito… e dos bons.

Cuca Roseta nos Coliseus

Cuca Roseta actua pela primeira vez e em nome próprio nos Coliseus de Lisboa e do Porto. Para além de percorrer os temas mais fortes da sua carreira, a fadista promete um concerto repleto de surpresas onde desvendará alguns dos temas do seu próximo álbum. Os Coliseus de Lisboa e do Porto vão receber em Novembro o fado de Cuca Roseta. A fadista irá subir pela primeira vez e em nome próprio, aos palcos destas prestigiadas salas do país, percorrendo os temas mais fortes da sua carreira, num espectáculo de consagração.

newsletter_cuca

O talento de Cuca Roseta nunca passou despercebido aos olhos dos maiores produtores mundiais. Foi Gustavo Santaolalla – reconhecido produtor argentino, detentor de dezenas de Grammy’s e dois óscares de Hollywood - que viu em Cuca ‘uma artista única, rara e ultra talentosa’ ao ouvi-la numa casa de fados em Lisboa. A partir desse dia a sua vida viria a mudar. Para sempre. Gustavo convidou-a para gravar o seu primeiro disco homónimo, disco este que viria a receber os mais elevados elogios por parte do público e da crítica nacional e internacional.

Desde então Cuca Roseta não tem parado de surpreender e de se afirmar no panorama do fado, sendo hoje uma das mais aclamadas e prestigiadas vozes da nova geração. Cuca surpreende no canto e também na escrita e na composição, afirmando-se igualmente neste campo, desafiando-se a si mesma ao decidir criar um segundo disco totalmente de originais, intitulado “Raiz”. E mais uma vez a critica e o público aplaudiram.

O seu mais recente álbum “Riû”, com produção de Nelson Motta, foi uma das maiores surpresas do ano passado e confirma Cuca Roseta como uma das artistas portuguesas de maior projecção internacional. Só no ano passado realizou mais de uma centena de concertos em Portugal e no estrangeiro, tendo mostrado a sua voz em inúmeros países espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Cuca sempre pensou que a chegada aos Coliseus teria de ser desejada, mas também merecida. E sente que chegou a hora. A hora em que quer retribuir ao público todos os elogios e reconhecimento que lhe têm dado. Quer agradecer, prometendo um espectáculo intenso, repleto de surpresas e de momentos especiais, onde apresentará também alguns dos temas do seu próximo álbum.

“Back from The Edge” é o novo disco de James Arthur… lançado hoje

“Say You Won’t Let Go” é o tema de apresentação do segundo disco de James Arthur, “Back From the Edge”.  O artista define esta canção como “um tema de amor com o qual todos se podem sentir identificados”. Apesar desta música, em particular, “não ter nada a ver com a minha própria história”, o mesmo não acontece com o restante álbum editado hoje, que James Arthur define como “muito honesto e real”.

James Arthur - Cover

Neste trabalho, o estilo musical do artista mantém-se “versátil”, influenciado pelos seus diferentes géneros favoritos: soul, rock e hip hop. James Arthur remete para os seus pais a responsabilidade pelo seu gosto musical eclético: “Gosto de explorar diferentes géneros e misturar tudo. Cresci a ouvir música soul, com a minha mãe, e o meu pai gostava de heavy rock, como Black Sabbath, AC/DC e Thin Lizzy. Neste álbum, temos um pouco de tudo”.

Entusiasmado com o novo álbum, o artista mostra-se expectante em relação ao futuro: “Estou satisfeito com o álbum que fiz. Amei cada minuto em estúdio e, agora, o que será, será”.

Avenged Sevenfold lançam de surpresa novo álbum: “The Stage”

Os Avenged Sevenfold acabam de anunciar o lançamento de um álbum surpresa, “The Stage”, que já está disponível física e digitalmente. Este é o sétimo álbum de estúdio da banda e o primeiro pela Capitol Records. O quinteto do sul da Califórnia (M. Shadows, Synyster Gates, Zacky Vengeance, Johnny Christ e Brooks Wackerman) revelaram o lançamento deste álbum surpresa durante uma atuação no terraço da Capitol Records Tower, em Hollywood, que foi transmitida em direto online.

avengedsevenfoldthestagealbum

Este evento inovador levou a banda a transmitir o concerto online em 3D e em 360º, através da plataforma de realidade virtual VRTGO VR, lançada recentemente pelo Universal Music Group e que recorre à tecnologia avançada da VRLIVE. Esta iniciativa permitiu aos fãs experienciar o concerto de forma verdadeiramente imersiva, como se estivesse no palco com a banda.

The Stage” é o sucessor de “Hail To The King”, de 2013, que entrou em n.º 1 do top Billboard 200. Coproduzido pela banda com Joe Barresi (Queens of the Stone Age, Tool), “The Stage” é um trabalho de uma enorme abrangência e ambição, incluindo 11 temas que estão interligados pela temática da inteligência artificial. Inspirado pela escrita de Carl Sagan e Elon Musk, o álbum é o disco temático do grupo.

A faixa que encerra este álbum, um tema épico de 15 minutos intitulado “Exist”, conta com a presença do premiado astrofísico Neil deGrasse Tyson, dando uma performance em spoken word criada propositadamente para o álbum dos Avenged Sevenfold. Este lançamento surpresa foi sendo preparado ao longo de meses, sendo que nas últimas semanas o símbolo da banda foi aparecendo misteriosamente em vários locais de todo o mundo, de Paris a Sydney, Londres ou Berlim, o que fez surgir vários rumores e teorias da conspiração quanto ao título do novo álbum e até quanto à sua data de edição.

 

Há duas semanas a banda lançou o vídeo do single que dá título ao disco, “The Stage”. Realizado por Chris Hopewell (Radiohead, The Killers) o vídeo já soma mais de seis milhões de visualizações no YouTube. Este é também o primeiro álbum da banda com o aclamado baterista Brooks Wackerman, conhecido pelo seu trabalho com os Bad Religion, Tenacious D e Suicidal Tendencies.

 

Duas “Noites à Flor da Pele” com os UHF

Se a carreira dos UHF continua a ser uma das mais marcantes da música moderna portuguesa, à beira dos 40 anos consecutivos, há discos cujo estatuto o tempo engrandece. É o caso dos LP “À Flor da Pele” (1981), primeiro álbum do grupo, e “Noites Negras de Azul” (1988), do final da década. Curiosamente, cada um dos LP incluía 3 singles de sucesso e 2 canções tribais: "Rapaz Caleidoscópio" e "Sonhos na Estrada de Sintra".

uhfbanner-copia

Nos dias 2 (Hard Club, Porto) e 3 (CC Olga Cadaval) de Dezembro próximo, os UHF inauguram outro percurso na sua longa carreira com dois concertos temáticos designados por “Noites à Flor da Pele”. Estes espectáculos serão o somatório daqueles dois LP tão marcantes para a música portuguesa. E vão ser tocados na íntegra, lado A e lado B, como se houvessem músicos sobre o vinil no prato do gira-discos.

Acresce aos alinhamentos os temas inéditos que foram editados em single, e canções que nunca foram tocadas em palco:

- “(Vivo) na Fronteira” (1981), lado B do single “Rua do Carmo”

- “Noite Dentro” e “Quem Irá Beber Comigo (desfigurado)” (1981), do single oferta com os primeiros 12.500 discos do “À Flor da Pele”

- “Foi no Porto” (1993)

- “Cavalos de Corrida” (1980)  

E, em exclusivo para os dois concertos, haverá um disco inteiramente novo. Será colocado à venda no Porto e em Sintra um EP de originais guardado a sete chaves. A edição é limitada a 2.000 exemplares, a lotação máxima para os dois concertos.

 

Hard Club (Porto)

2 de Dezembro 2016

 

Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra)

3 de Dezembro 2016

“Post Pop Depression: Live At The Royal Albert Hall”, de Iggy Pop, em DVD já disponivel

Foi editado hoje em DVD, Blu-ray, DVD 2CD e em formato digital para download “Post Pop Depression: Live At The Royal Albert Hall”, de Iggy Pop. O filme-concerto capta uma das mais aclamadas atuações de Iggy Pop, sendo, por isso, este lançamento muito aguardado pelos fãs do músico norte-americano. “Post Pop Depression: Live At The Royal Albert Hall” inclui, maioritariamente, canções retiradas dos álbuns “The Idiot”, Lust For Life” e, claro, “Post Pop Depression”. No alinhamento foram intepretados temas como “The Passenger”, "Lust for Life”, “Sister Midnight, “Gardenia”, “China Girl”, “Nightclubbing”, “Break Into Your Heart”, entre outros.

iggy-pop-live-album

O álbum “Post Pop Depression” foi uma colaboração entre Iggy Pop e Joshua Homme (dos Queens of the Stone Age), sendo um dos discos de Iggy Pop mais aclamados pela crítica e bem-sucedidos comercialmente em muitos anos. A 13 de maio, Iggy Pop levou o concerto centrado neste álbum à mítica sala londrina Royal Albert Hall e conquistou tudo e todos. Além de Joshua Homme, ao vivo Iggy Pop contou ainda com o apoio de Dean Fertita e Troy Van Leeuwen, dos Queens of the Stone Age, Matt Helders, dos Actic Monkeys, e o guitarrista e produtor Matt Sweeney (Skunk, Chavez, Zwan).

O músico chegou a passar por Portugal este verão, no festival Super Bock Super Rock, ainda que na altura sem Homme. A partir de hoje fica finalmente disponível uma atuação que ficará certamente na história como um dos melhores concertos de Iggy Pop

 

Espaço para artistas emergentes… Candidaturas abertas ao Mais Imaginarius

Estão abertas, até 6 de janeiro de 2017, as candidaturas ao Mais Imaginarius, secção do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira que dá espaço a artistas emergentes com vontade de mostrar o seu trabalho, através de um concurso de criações artísticas dirigidas ao espaço público. Esta secção desafia os artistas para a apresentação de propostas que abordem o espaço público nas suas mais diversas perceções, testando formatos e modelos, rumo à construção de novas identidades artísticas.

A diversidade, quantidade e qualidade dos projetos que têm sido apresentados a concurso no Mais Imaginarius, ao longo dos últimos anos, revelam a vontade dos artistas em ocupar o espaço público de Santa Maria da Feira e de se expressarem através múltiplas linguagens.

iii

photo: Paulo Homem de Melo

 

Na edição 2017, o Mais Imaginarius assume-se como um espaço de experimentação artística dentro da programação oficial do festival Imaginarius, explorando dois eixos distintos de intervenção no espaço público, que permitem a participação de diversas linguagens artísticas: Teatro; Dança; Música; Circo; Performance; Intervenção; Instalação; Arte Digital; Novos Media; Graffiti; e Multidisciplinar.

 

Todos os projetos admitidos ao Mais Imaginarius serão candidatos a um prémio final a atribuir pelo júri, através de votação, que se contextualiza pela realização de uma criação em residência a estrear na edição de 2018 do festival Imaginarius.

O júri do programa Mais Imaginarius 2017 será composto por: Alexandra Moreira – DECA, Universidade de Aveiro; Christine Zurbach – Departamento de Artes na Universidade de Évora; Bruno Pereira – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE); Jong Yeoun Yoon – diretor do Korea Street Arts Center e diretor artístico do Ansan Street Arts Festival (Coreia do Sul); Jordi Duran – diretor artístico da Fira Tàrrega (Espanha); e József Kardos – diretor-geral e de programação do Sziget Festival (Hungria).

Caixa de Pandora apresenta “Rota de Afinidades”

Cais de partidas e chegadas é como se traduz Rota das Afinidades, o novo disco do projecto Caixa de Pandora editado no início de Outubro. Desde o lançamento do primeiro disco “Teias de Seda”, em finais de 2014, Caixa de Pandora pisou inúmeros palcos, quer em Portugal onde se destacaram concertos memoráveis para o grupo, como na Fundação Oriente, o convite do TEDx 2015, o Palácio da Bolsa, quer lá fora entre variadíssimas apresentações em festivais e centros culturais.

425c5851-ad81-4133-8551-891133c90bb9

As afinidades foram acontecendo e as rotas estenderam-se a participações e concertos pelo Oriente, nomeadamente pela Índia e China. Na Índia, através de experiências com nomes como Gulraj Singh e Manoj Yadav, com quem compuseram e interpretaram temas em colaboração. Na China, o encontro com o produtor, letrista e compositor Joe Lei -, que resultou em diversas parcerias com cantores e instrumentistas tradicionais como Kit Lam, Michele Ng ou Wong Kin Wai. Em Portugal colaboraram com nomes como Amélia Muge.

A “Rota das Afinidades” traz 16 novas canções e vem afirmar a consolidação artística do trio e reflecte a cumplicidade dos seus elementos. Dia 11 de Novembro apresentam-se ao vivo no Centro Cultural Olga Cadaval às 22H, com alguns convidados e várias surpresas

… 2 noites, 6 concertos com We Bless This Mess, Neev, Holy Nothing, Surma, Glockenwise e DJ Ride

A plataforma de internacionalização WHY Portugal apresenta dois eventos no Musicbox Lisboa que integram 6 artistas que representam a nova vaga de talentos portugueses. Nas noites de 9 e 10 de novembro, seis artistas portugueses sobem ao palco do Musicbox, sendo que quatro deles se inserem na missão de internacionalização no festival Eurosonic Noordeslag, evento que tem Portugal como país de destaque ("country focus") em 2017.

91e1264a-7fb6-4c95-b25c-6004e6ad2ab8

Os artistas envolvidos nestes eventos são representativos de várias missões de internacionalização desenvolvidas pela plataforma WHY Portugal e já tiveram a oportunidade de apresentar os seus projetos junto de públicos internacionais, aumentando o seu potencial de exportação.

 

We Bless This Mess, Neev e Holy Nothing atuam na primeira noite, dia 9 de novembro, a partir das 22:00 horas. Já no segundo dia desta apresentação WHY Portugal, o evento conta com atuações de Surma, Glockenwise e DJ Ride no mesmo espaço da noite lisboeta.

 

Musicbox (Lisboa)

9 Novembro 2016 | 22h00 (We Bless This Mess, Neev e Holy Nothing)

10 Novembro 2016 | 22h00 (Surma, The Glockenwise e DJ Ride)

 

Livro… “Corre sem Lesões” de Ernesto Ferreira

Há mais gente a correr. Novos, velhos, homens, mulheres, cada vez mais gente adere ao running e a modalidade tornou-se uma verdadeira tendência. Isso é, sem dúvida, uma boa notícia. A má é que cada vez mais gente o faz sem preparação e até sem noção do que a corrida implica em termos de impacto no nosso corpo. Até que um dia vamos a meio dos nossos 10k – que fazemos 3 vezes por semana – e sentimos primeiro uma dorzinha no joelho e depois, com o passar dos dias, uma dor insistente e chata que não se vai embora.

untitled

As lesões podem ser altamente desmotivantes para quem corre e, por isso, a prevenção e o tratamento são fundamentais. Como é mais fácil prevenir do que tratar, Ernesto Ferreira, fisioterapeuta especialista em running, indica-nos o que devemos fazer – e não fazer – para evitar uma lesão, sublinhando, entre outros factores, a importância do aquecimento e dos alongamentos, o fortalecimento dos músculos, o planeamento do treino, a melhoria da técnica de corrida ou a escolha das sapatilhas certas. Além de nos ajudar a correr melhor, Ernesto Ferreira coloca-nos ao dispor a sua vasta experiência de mais de 20 anos nesta área para nos explicar também as causas, os sintomas e os tratamentos das lesões mais comuns provocadas pela corrida. Tudo para que possamos chegar cada vez mais longe. 

 

Ernesto Ferreira formou-se em Fisioterapia pela Escola Superior de Saúde de Alcoitão em 1994. Entre 1995 e 2003, foi fisioterapeuta da Seleção Nacional de Seniores Masculinos de Basquetebol e coordenador das restantes seleções. Entre 1994 a 1996 e 1998 a 2001 foi fisioterapeuta do Clube Atlético de Queluz. De 1996 a 1998, foi fisioterapeuta do Basquetebol do Sport Lisboa e Benfica. Tornou-se especialista em análise e tratamento biomecânico de lesões na corrida, pelo Running Therapy Center. Atualmente é diretor técnico do GFD - Gabinete de Fisioterapia no Desporto

 

Edição: Esfera dos Livros