Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festa de Halloween no Popular Alvalade

Dia 31 de Outubro celebra-se mais um Halloween. A Infected Records vai recriar a festa que aconteceu há um ano e torná-la ainda mais memorável.

a46f24d4-9e00-4457-878d-b4cb55be9487

O João (Decreto 77), o Gonçalo (Decreto 77), o Pedro (Piss!!), o Bruno (Acid Lizard) e o Diogo (Rebels in Packages) vão entoar, juntamente com alguns amigos, clássicos de MISFITS com muitas outras surpresas pelo meio. Prendas para as melhores máscaras, alinhamento especial, muita alegria obscura e sensações boas.

A noite abre com os Fighter, recente banda Punk-Rock nascida no Bairro de Alvalade. A festa prolonga-se até às 4 da manhã com a dupla Noise Dolls Club, com um DJ Set especial cheio de Rock'n'Roll.

 

Popular Alvalade (Lisboa)

31 de Outubro 2016

Misty Fest 2016… Rodrigo Leão & Scott Matthew

Rodrigo Leão e Scott Matthew cruzaram-se de novo em estúdio, mas desta vez a colaboração para uma provável canção, resulta num álbum de originais com estreia agendada para o Coliseu Porto, no festival Misty Fest.  Um compositor português com os olhos postos no mundo, um canto-autor australiano com vivências em Nova Iorque. Mundos separados, ainda assim tão quimicamente sintonizados. Silenciosamente, foram “negociando” melodias e palavras, durante 2016 e dessa troca de ideias nasce o álbum colaborativo a editar no final do ano, de nome “Life is long”.

Image5

Aqueles que viram o australiano e o português em palco sabem o quão ricos esses encontros podem ser; como voz grave e doce do australiano se entrelaça nas melodias e orquestrações encantadoras de Rodrigo, recriando-se em momentos unidos pela perfeição.

Rodrigo conheceu Scott Matthew em 2011, quando este aceitou o seu convite para participar no álbum "A Montanha Mágica". O songwriter emprestou a sua suave, melancólica e inimitável voz ao tema "Terrible Dawn", abrindo assim caminho para a sua participação em alguns shows e trabalhos de estúdio com o português. Rodrigo sempre foi um colaborador ávido, tendo trabalhado com diversas vozes do panorama musical internacional como, Beth Gibbons (Portishead), as cantoras brasileiras Adriana Calcanhotto e Rosa Passos, Stuart Staples dos Tindersticks, Neil Hannon, o homem dos Divine Comedy, e os portugueses Camané e Sónia Tavares (Gift) entre tantos outros..

 

Coliseu (Porto)

4 de Novembro 2016 | 21.30h

 

Arena (Évora)

5 de Novembro 2016 | 21.30h

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

6 de Novembro 2016 | 21.00h

 

Convento de São Francisco (Coimbra)

10 de Novembro 2016 | 22.00h

 

Cine-Teatro Louletano (Loulé)

13 de Novembro 2016 | 21.30h

Misty Fest 2016… Cass McCombs

Cass McCombs é um dos mais aplaudidos singer-songwriters da sua geração. A sua discografia, de "A", de 2003, a "Wit's End", de 2011, tem atraído os mais arrebatados adjetivos da imprensa que nunca poupou elogios a uma escrita inteligente que se tem combinado com uma abordagem musical inconformada, sempre disposta a explorar as mais interessantes regiões que se estendem entre a folk e o rock e que em palco rendem invariavelmente momentos de rara beleza.

Image3

Agora, Cass McCombs prepara-se para editar "Mangy Love", disco de baladas soul torturadas, mas sempre pontuadas por humor negro, de pormenores de uma deliciosa piscadela de olho ao psicadelismo e acusando o toque do mais contemporâneo hip-hop em temas em que praticamente declama o que lhe vai na alma.

Angel Olsen dá uma ajuda. E as canções soam a consagração definitiva. Em palco vão, certamente, resultar ainda mais intensas e arrebatadoras.

 

Cinema São Jorge (Lisboa)

3 de Novembro 2016 | 21.00h

Misty Fest 2016… Dino d'Santiago

Pode muito bem ser uma das estrelas futuras da música de Cabo Verde: Dino d'Santiago possui uma perspectiva única porque o seu percurso musical não tem paralelo. O artista que acaba de editar novo EP acústico de onde saiu o enorme tema "Dentu Bó" começou no hip-hop, trabalhou com os Expensive Soul e ao lado de Virgul (Da Weasel) nos Nu Soul Family.

Image4

Juntos, Dino e Virgul gravaram também uma fantástica versão de "Desespero" com Jorge Fernando. Hip-hop, soul, fado... nenhum destes universos é estranho a Dino d'Santiago, mas a sua versatilidade tem um expoente na forma como abraça as suas raízes cabo-verdianas. O álbum "Eva" lançado pela Lusafrica em 2013 levou-o a ligar-se ao som que o tinha acompanhado na infância, ao som da sua família e do seu povo. O disco foi muito aplaudido internacionalmente e apresentado em vários palcos de referência e em importantes festivais do circuito da world music, incluindo, pois claro, em Cabo Verde. A sua versão do clássico dos Tubarões "Djonsinho Cabral", por exemplo, é extraordinária.

E agora, Dino acaba de lançar mais uma preciosidade, um EP em que aprofunda ainda mais a sua visão da música de Cabo Verde, com originais que traduzem a sua alma e o seu pensamento e o respeito pela cultura ancestral daquelas ilhas que tanto ama. O balanço especial desse som vai marcar a sua apresentação: música quente, voz doce e profunda e uma alma do tamanho do oceanos.

 

Centro Cultural de Belém / Pequeno Auditório (Lisboa)

3 de Novembro 2016 | 21.00h  

 

Casa da Música (Porto)

6 de Novembro 2016 | 21.00h

PISTA, Alek Rein e Fugly são as novas confirmações do Cellos Rock

A 18 & 19 de novembro, Barcelos receberá melhor da nova música moderna portuguesa. A juntar aos já anunciados Tó Trips (Dead Combo) & João Doce (Wraygunn) e HHY & The Macumbas, chegam agora PISTA, Alek Rein e Fugly.

GLAM - Alek

photo: Paulo Homem de Melo

 

Desde as primeiras gravações caseiras a solo até ao iminente primeiro longa-duração com banda, as canções de Alek Rein surgem entre a confissão, o protesto e o sonho. Alinhado na tradição do psicadelismo folk anglo-saxónico, este projecto tem o nome do heterónimo de Alexandre Rendeiro. Natural de New Jersey (EUA), Rendeiro respira, sem reverência, a bizarria de Syd Barrett ou Marc Bolan, o classicismo de John Lennon e a intensidade rock n ́roll de Ty Segall. “Mirror Lane”, o primeiro LP, foi finalmente editado e apresenta-o a 18 de novembro em Barcelos.

Os PISTA são três homens-festa. A génese desta banda do Barreiro aconteceu aliando as bicicletas à música, mas a pedalada agora é outra. É rock tropical e bem-disposto, uma comemoração que promete levar o calor do Verão a todas as estações do ano. Depois do lançamento do EP (“Pista”), lançaram-se à estrada, apresentaram o single “Puxa”, continuaram as viagens de norte a sul do país, entre bares, clubs e os mais diversos palcos e fazem agora nascer o primeiro álbum, “Bamboleio”. Atuam a 19 de novembro.

 

Fugly é rock, é feedbacks, é proto-pizza e banana-punk, rock-lobster e tartarugas ninja. É garage de um miúdo da escola secundária, misturado com psicadelismos e a complexidade de quem passou da vida a ouvir tudo o que foi feito nos anos 60 e 70. Em 2016, lançaram “Morning After”, um disco em que a temática presenta é a ressaca. Aquela manhã seguinte em que acordamos e não sabemos bem para onde ir, o momento de reflexão e as recordações de toda a destruição causada a nós próprios e aos que nos rodeiam. Fugly é essa destruição, é aquilo que nos vamos arrepender amanhã (ou não), mas que durante foi bom demais para se esquecer

 

O último nome dos seis nomes que compõem o cartaz será anunciado na próxima semana. O preço dos bilhetes, assim como locais de venda, será avançado em breve. Em 2014, o festival Cellos Rock mudou-se para uma nova casa, apresentando uma aposta no melhor da nova música moderna portuguesa, num line-up 100% nacional, esgotando por completo os dois dias do festival. Em 2015, nesta mesma nova casa, e pelo segundo ano consecutivo, o feito repetiu-se, esgotando em uma edição de sucesso.

 

O festival Cellos Rock é uma organização da Associação Rock Na Barragem, com apoio da Câmara Municipal de Barcelos e da Casa da Juventude, e produção da promotora covilhete na mão. A curadoria artística está pelo quinto ano consecutivo a cargo de Ilídio Marques, jornalista, programador e promotor cultural natural de Barcelos.

A conceção gráfica está, também pelo quinto ano consecutivo, a cargo do ilustrador local Bruno Albuquerque.

Misty Fest 2016… Melingo

Poeta e multi-instrumentista, do saxofone, guitarra e clarinete, com uma carreira no teatro, musico de rock com incursões no punk, é hoje um dos nomes maiores do tango e milonga.

Os seus espectáculos são cénicos e intensos, incapazes de deixar indiferente quem assiste.

Image6

Para a edição de 2016 do Misty traz um novo álbum “Anda”, onde o tango renasce , sob forma de ficção neo-rock arty, como numa galeria de personagens que caracterizam Erik Satie e Serge Gainsbourg.

 

Teatro José Lúcio da Silva (Leiria)

3 de Novembro 2016 | 21.30h

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

4 de Novembro 2016 | 21.30h

Hot Air Balloon nomeados para os Independent Music Awards lançam novo single "the space between"

Os Hot Air Balloon banda composta pelo Luso Tiago Machado e pela irlandesa Sarah-Jane foram nomeados para os prestigiados Independent Music Awards, cujo o júri conta com nomes como Tom Waits ou Suzane Vega, na categoria de Melhor Álbum de Folk/Cantautor assumindo-se como uma das grandes revelações do panorama da música nacional do ano de 2016.

Hot Air Balloon 2

O primeiro trabalho da banda, o nomeado "Behind Walls", está disponível desde abril e caracteriza-se por soar profunda e delicadamente, fundindo a doce e calorosa voz de Sarah-Jane com a com a musicalidade técnica de Tiago complementando-se numa performance harmoniosa, íntima e inesquecível.

Também lançado em abril, o primeiro avanço, “Worms” já tem sucessor. Com saída prevista para dia 7 de novembro, “The Space Between” promete continuar a convencer e a mostrar o porquê de “Behind Walls” ser um dos álbuns de 2016. Os Hot Air Balloon formam-se no verão de 2013 e acolhem, desde então, a atenção cuidada de audiências de diferentes países europeus, como Portugal, Espanha, França, Irlanda, Bélgica e Holanda. O seu percurso compreende participações em festivais como: Galway Fringe Festival, Irlanda; Braga Music Week, Portugal; Noite Branca e Festival nun local, Vigo, Espanha; On Summer Fest Famalicão, Portugal, e Greenface Fest, Joane, Portugal. Também contam com a realização de um concerto ao vivo numa estação de rádio Belga – Radio Central –, em Antuérpia. Em 2014 a canção “The Space Between” foi votada música do mês na plataforma musical Portuguesa Tradiio.

 

Sarah-Jane nasceu no Oeste Irlandês e teve desde sempre um gosto especial pela música, mas foi apenas quando conheceu Tiago que canalizou esse amor pela música para uma carreira como letrista e cantora. A Norte de Portugal, Tiago abraçou a guitarra aos 14 anos de idade, tornando-se num músico multidisciplinar. Neste percurso, Tiago reuniu performances em múltiplos quadrantes musicais, desde o clássico ao rock e do jazz à world music, sendo (re)conhecido pelo seu projeto de world music “Gnomon”.

O mesmo instrumento de cordas e duas abordagens distintas… Julia Kent + Joana Guerra

Julia Kent é uma compositora e violoncelista nascida no Canadá, a viver actualmente em Nova Iorque. Escreve música para filmes, teatro, dança, já editou três álbuns de violoncelo com loops e electrónica, tendo realizado diversas tours pela América do Norte e Europa, incluindo atuações no Primavera Sound de Barcelona, Meltdown de Londres, Reeperbhan em Hamburgo e o Unsound Festival de Noa Iorque. O seu mais recente trabalho, “Asperities”, editado pela Leaf, em Outubro de 2015, servirá de base para o seu concerto.

julia

Joana Guerra, servindo-se do violoncelo, voz e de loopstation, é uma cantautora cuja música transita entre a canção, a experimentação acústica e a improvisação com um lado ruidoso gentil. O canto afirma-se como extensão, mas também como conflito à cadência do violoncelo. Surgem assim ambientes insólitos, dignos de uma folk impressionista!
Em 2013, edita o seu primeiro disco a solo, “Gralha”. Para 2016, prepara o lançamento de novo disco a solo. Joana Guerra integra o trio de livre improvisação Bande à Part que edita o seu disco de estreia pela Creative Sources em 2014, tendo sido aclamado pela crítica nacional e internacional, e faz parte do duo com o violinista Gil Dionísio. Colabora em diversos contextos artísticos (na dança/movimento com a coreógrafa Madalena Victorino, no cinema com João Botelho e outros documentaristas, nas artes visuais) através da criação e interpretação musicais.

 

Igreja dos Inglesas (Lisboa)

16 de Novembro 2016 | 21.30h

“Madame Butterfly” em Novembro…

A comovente história de uma bela e jovem gueixa que sacrifica a família, religião e a própria vida por amor ao marido americano, é uma das mais emblemáticas óperas de Giacomo Puccini.

Com libreto de Luigi Illica e Giuseppe Giacosa, "Madame Butterfly" destaca-se pelo poder dramático da sua composição, característica da obra de Puccini, e estreou no Teatro alla Scala, Milão, a 17 de Fevereiro de 1904. Em Lisboa, foi apresentada pela primeira vez a 10 de Março de 1908, no Teatro Nacional de São Carlos.

Image1

Dia 25 de Novembro, a Ópera del Mediterraneo, dirigida pelo maestro Fernando Alvarez, apresenta "Madame Butterfly" no Campo Pequeno, e dia 26 segue para norte para a apresentação no Multiusos de Guimarães

 

Elenco…

Cio-Cio San: Gema Scabal - Soprano

Benjamin Franklin Pinkerton: Carlos Silva - Tenor

Sharpless: Carlos Andrade - Barítono

Suzuki: Ana María Ramos - Mezzo-Soprano

Benjamin Franklin Pinkerton: Carlos Silva - Tenor

Goro: Angel Walter - Tenor

Bonzo: Carlos London - Baixo

Kate: Sara Rapado - Mezzo Soprano

Príncipe Yamadori: Javier Díez - Barítono

MAPPA apresentam novo single "Mundo Novo"

Os MAPPA apresentam no dia 4 de novembro, no Cinema São Jorge, o seu single de estreia "Mundo Novo".

O concerto marca o lançamento do novo single “Mundo Novo”, um tema pop/rock. A banda de Cascais irá também apresentar os temas que integram o primeiro álbum de originais, a ser lançado na primavera de 2017. As composições são de criação própria, mas o repertório da banda conta  também com duas músicas com letras de grandes poetas portugueses: Fernando Pessoa e Eugénio de Andrade. Os temas procuram fundir sonoridades que vão desde o Pop ao Rock, passando pelo Reggae e com um toque de Jazz.

O resultado é este: música eclética e original.

Concerto Mappa

Os MAPPA surgem depois de um trabalho intenso de composição iniciado há dois anos pelos mentores do projecto: Pedro Güerne e João Lucena. Os 5 elementos da banda serão acompanhados ao saxofone por Ricardo Branco, no próximo concerto, dia 4 de Novembro às 22h no Cinema São Jorge.

 

Cinema São Jorge (Lisboa)

4 de Novembro 2016 | 22.00h

“Comédia Por Uma Causa Séria”… O stand-up comedy de Pedro Tochas e Mário Daniel

No próximo dia 31 de Outubro, o Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, recebe a sétima edição do ‘Comédia por uma Causa Séria’, o evento que desafiou os portugueses a aliar o humor à solidariedade por uma causa nobre, este ano com o stand-up comedy de Pedro Tochas e a magia de Mário Daniel.

LOGO CCS 16-01.jpgPedro Tochas apresenta “Um Tempo”, um espetáculo cheio de pequenas aventuras, acidentes, trapalhadas, conquistas, fracassos, amores e ódios envolvidos em muito humor. Uma boa oportunidade para rir e esquecer os momentos menos bons da vida… pelo menos durante “Um tempo”.

Magia e humor são os ingredientes chave do “Stand Up Magic” de Mário Daniel. Um espetáculo de palco que envolve efeitos de grande espetacularidade e fortes sensações visuais, acompanhados por um discurso cheio de humor. Esta é uma atuação de atmosfera envolvente, onde Mário Daniel aposta na grande comicidade e interação com o público tão características do seu trabalho.

 

Por cada presença confirmada no evento, a Pfizer Oncology volta a oferecer um donativo no valor de 10 euros à Liga Portuguesa contra o Cancro, entidade que muito tem contribuído para o esclarecimento e apoio aos doentes oncológicos e familiares em Portugal. Recorde-se que há sete edições que este evento tem lotação esgotada. No ano passado foram doados 15.000 euros, aos quais a Pfizer Oncology somou mais 35.000 para projeto de apoio domiciliário a doentes oncológicos. O ‘Comédia por uma Causa Séria’ é um espetáculo gratuito e qualquer pessoa pode assistir, sendo que por esta iniciativa já passaram nomes como: ‘Commedia a la Carte’, Aldo Lima, Nilton, Bruno Nogueira, Salvador Martinha, ‘The Boy with tape on his face’, Marco Horácio, Eduardo Madeira, Luís Franco Bastos e Luís Filipe Borges.

 

O ‘Comédia por uma Causa Séria’ é uma iniciativa da Pfizer Oncology apoiada pela Associação Portuguesa de Urologia, Grupo Português Génito-Urinário, Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão, Grupo de Investigação do Cancro Digestivo, Grupo de Estudos de Tumores Neuroendócrinos, Intergrupo Português do Melanoma, Sociedade Portuguesa de Senologia e a Sociedade Portuguesa de Oncologia.

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

31 de Outubro 2016 | 21.00h

The Chemical Brothers, 2manydjs e Erol Alkan ao vivo em Santiago de Compostela

Os The Chemical Brothers atuam em Santiago de Compostela no domingo, no âmbito do ciclo de concertos Latitudes, promovido pelo Turismo da Galiza para marcar o Ano da Misericórdia.

Espera-se o concerto do ano na Galiza, com um espectáculo de luzes e lasers impressionante!

1e7d1836-a6ac-4f9b-9f32-6f951493ff00

Depois de Barcelona, Madrid e Bilbao, Tom Rowlands e Ed Simons despedem-se da Península Ibérica no Multiusos Fontes do Sar. Oportunidade única para os portugueses seguidores do big-beat, house, techno, trip-hop, rock electrónico e dance alternativa da dupla britânica que conta já com 25 anos de carreira e nove álbuns editados. Cabeças de cartaz nos maiores festivais do mundo, como Glastonbury, Creamfields, Coachella, Benicassim, Sónar e NOS Alive, os The Chemical Brothers vão apresentar o mais recente "Born in the Echoes", mas do alinhamento não vão faltar os hits "Hey Boy Hey Girl", "Galvanize", "Go", "Block Rockin' Beats" e "Out of control", entre outros.

Antes dos The Chemical Brothers, os 2manydjs fazem um DJ set.

O início da noite está a cargo de Erol Alkan, fundador e responsável pela editora Phantasy Sound, um dos DJs mais influentes na cena electrónica das últimas décadas

Porto/Post/Doc – Festival Internacional de Cinema apresenta… MINI

A próxima edição do Porto/Post/Doc – Festival Internacional de Cinema apresenta, pela primeira vez, um programa dedicado a crianças e jovens: o Mini. O projeto educativo do festival, o School Trip, já deu mostras de ter um papel fundamental na articulação do Porto/Post/Doc com as escolas, mostrando filmes e promovendo masterclasses e workshops. Desta vez, o School Trip abre uma nova frente de batalha, o Mini, onde será dedicada uma programação pensada ao pormenor para os mais pequenos, com sessões de cinema e oficinas.

schooltrip6

O cinema é uma arte contemporânea. Por isso, é importante consolidar a literacia visual dos mais novos, uma vez que eles são inundados diariamente por imagens. O Mini pretende ser uma porta de entrada para o festival, promovendo iniciativas pedagógicas, orientadas por uma equipa de profissionais. Em 2016, o Mini é composto por sessões de cinema e oficinas. A cineasta convidada desta edição do Mini é Leonor Teles, vencedora do Urso de Ouro para a Melhor Curta-Metragem no último Festival de Berlim, com Balada de um Batráquio, que será exibido conjuntamente com Rhoma Acans, o seu primeiro documentário. Leonor Teles conversará com o público depois da exibição dos seus filmes. Estão também previstas três oficinas sobre cinema e documentário.

 

O projeto educativo Schooltrip, para além da habitual sessão com filmes da Escola Artística de Soares do Reis, terá também, pela primeira vez, uma competição de filmes de escola, representantes de universidades e politécnicos portugueses, mas também escolas estrangeiras. Serão cerca de uma dezena de filmes a concurso.

cinemanovo

O projeto educativo Schooltrip é também a casa da programação Teenage, uma nova secção criada no ano passado, e por onde passarão filmes que se concentram nesse momento mágico do crescimento, em que a identidade instável permite dar novas asas à imaginação. Assim, serão exibidos documentários protagonizados por adolescentes e jovens, num género que assume a cultura pop como uma identidade central, mas permitindo outros grupos sociais desviantes. Estas sessões são um radar do futuro da humanidade. Como complemento a esta ideia, o Porto/Post/Doc assume como central a sua preocupação com os públicos mais jovens. Por isso mesmo, haverá também um júri Teenage composto por diversos alunos de escolas do Porto. Como habitualmente, o festival irá voltar a centrar-se numa competição de treze filmes, várias secções paralelas, dois focos e o Fórum do Real.

 

O Porto/Post/Doc decorrerá de 26 de novembro a 4 de dezembro, no Rivoli – Teatro Municipal, Cinema Passos Manuel e Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural. Como nos anos anteriores, o festival irá abrir-se a público eclético, composto por cinéfilos, estudantes e jovens, aproveitando a eletrizante vida da Baixa do Porto, tanto de dia como nas noites longas