Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

O Sons à Sexta levam os Best Youth ao Fundão

Uma vez por mês, o auditório do Centro Cultural do Fundão – A Moagem será palco da música portuguesa. Em parceria com a Antena 3, o Sons à Sexta apresenta as bandas mais tocadas e em destaque no atual panorama musical português. Com uma programação diversificada e para todos os gostos, pretende-se a divulgação, o convívio entre o público e a celebração da música!

ss.jpgExclusivamente durante o mês de Novembro os Best Youth vão percorrer o país com a “Demo Tapes Tour”. Num formato pensado para salas intimistas, a banda apresenta as suas músicas em versão “demo”, despindo as canções das suas várias camadas, para que o público consiga experienciar o seu processo de criação e as respectivas histórias das etapas de composição.

A “Demo Tapes Tour” decorre após o sucesso da digressão de apresentação de “Highway Moon”, o disco de estreia dos Best Youth, que passou por Londres, Manchester e Budapeste, tendo ainda esgotado o Hard Club, no Porto, e o Cinema São Jorge, em Lisboa.

No verão, a digressão levou a banda a alguns dos maiores festivais portugueses, como o Vodafone Paredes de Coura, Super Bock Super Rock, Bons Sons ou o Festival F.

 

Sons à Sexta / Moagem (Fundão)

11 de Novembro 2016

Pink Floyd… “The Early Years 1965-1972”

Os Pink Floyd vasculharam o seu vasto arquivo musical até ao início da sua carreira para produzirem uma caixa com vinte e sete discos, áudio e vídeo, arrumados cronológicamente em sete volumes individuais tipo digibook, um dos quais é bónus e exclusivo da caixa. No mesmo dia é também editado um duplo CD de título “The Early Years 1965 – 1972 Cre/ation” com 27 temas selecionados entre o vasto repertório incluido na Super Deluxe Edition.

image010.jpg

 “The Early Years 1965-1972” oferece aos colecionadores a oportunidade de ouvirem a evolução da banda e de constatarem o seu papel nas revoluções culturais desde as suas primeiras gravações e sessões de estúdio nos anos que antecederam a edição de “The Dark Side Of The Moon”.

Desde o single “Arnold Layne” ao épico de 20 minutos “Echoes”, os fãs assistirão à invenção do rock psicadélico através de uma antologia bem concebida que explora a história dos Pink Floyd desde que Roger Waters, Richard Wright, Nick Mason e Syd Barrett se conheceram na Regent Street Polytechnic, em Londres, até à partida de Syd e à entrada de David Gilmour para a banda.

 

Cada um dos volumes que constituem “The Early Years 1965-1972”, excepto ‘Bonus Continu/Ation’ que é exclusivo da caixa, será editado separadamente no início de 2017.

 

A caixa “The Early Years 1965-1972” contém:

- 130 faixas, que representam mais de 12 horas e meia de áudio, incluindo 7 horas de  gravação ao vivo e vários temas de estúdio nunca editados, outtakes, demos e mais de 20 temas inéditos como “Vegetable Man” e “In The Beechwoods”, ambos de 1967, que foram remisturados para esta edição;

- Total de 15 horas de vídeo, incluindo gravações da TV, nomeadamente, sessões na BBC, mais de 5 horas de filmagens raras de concertos, entrevistas e 3 longas metragens;

- Versões remisturadas e atualizadas da música do filme 'Zabriskie Point';

- 5 singles de 7” meticulosamente produzidos com réplicas das capas originais;

- Variada memorabilia.

 

20 anos de “Romanza” celebrados com reedição a 18 de Novembro

Para celebrar os 20 anos desde o seu lançamento, chegará às lojas a 18 de novembro uma edição especial do 20.º aniversário do aclamado álbum “Romanza”. Considerado um disco de viragem do percurso de Andrea Bocelli, sendo ainda hoje o álbum italiano mais vendido de sempre, esta reedição conta com o disco original remasterizado, mais três temas bónus, entre eles duas novas versões do lendário “Com Te Partirò (Time To Say Goodbye)”.

 

“Para mim ‘Romanza’ é, acima de tudo, um compêndio da minha história pessoal e da minha história enquanto artista – é um pedaço do meu coração que, através do milagre da música, tenho tido a possibilidade de partilhar com o mundo”, diz Andrea Bocelli.

“Com Te Partirò (Time To Say Goodbye)” foi interpretada por Andrea Bocelli e a soprano britânica Sarah Brightman em 1996, no final do campeonato de boxe que sagrou Henry Maske campeão. O duelo, que foi transmitido para 21 milhões de espectadores em todo o mundo, revelou Andrea Bocelli (que até então já era um herói local) ao mundo. Rapidamente a canção alcançou os tops de vendas em todo o mundo e tornou-se mesmo o single que mais rapidamente vendeu na história. Até hoje mantém-se entre os singles mais vendidos de sempre, com 12 milhões de cópias em todo o mundo.

romanza.jpgRomanza – The 20th Anniversary Edition” também inclui versões remasterizadas de algumas das canções preferidas de Bocelli, como “Vivere”, “Vivo Per Lei”, “Miserere” e a canção que dá título ao disco. “Foi remasterizado para melhorar a qualidade sonora, tornando a sua audição mais clara e imersiva, sendo que acrescentei novos conteúdos musicais que espero que sejam uma agradável surpresa para todos aqueles que gostam do álbum”, diz Andrea Bocelli.

Para celebrar o seu 20.º aniversário, o artista gravou duas novas versões surpreendenes de “Com Te Partirò (Time To Say Goodbye)”, uma acompanhado de uma orquestra completa e outra em formato acústico, sendo o cantor acompanhado somente pelo piano. Bocelli também regravou “Il Mare Calmo Della Sera”, belíssimo tema que faz parte do primeiro álbum de estúdio do tenor. A versão digital do álbum também inclui uma versão instrumental orquestrada de “Com Te Partirò (Time To Say Goodbye)”.

 

Entretanto, o tenor já tem data marcada para um novo encontro com os seus admiradores portugueses: a 25 de março de 2017, atuando na MEO Arena, em Lisboa, a propósito das comemorações dos 80 anos da Rádio Renascença.

Esta a chegar… "A mais divertida noite de ballet de sempre!"

À seriedade e rigor da performance juntam-se abundantes doses de humor.

Les Trocks, nome carinhoso pelo qual são conhecidos os seus bailarinos, é a companhia de ballet mais original e divertida de sempre. Nasceu há 42 anos, off-broadway, e rapidamente conquistou o público com uma apurada técnica e graciosidade de movimentos dos seus bailarinos. No seu repertório estão os clássicos mas também originais, e dançar “em pontas” não assusta.

Image5.jpgA mais divertida noite de ballet de sempre”, diz o Sunday Times, “Ideal para quem não percebe ballet e absolutamente imperdível para quem acha que conhece os clássicos”, escreve o Sydney Star Observer. O que diremos nós? Que os Troks são sempe bem vindos.

Prepare-se para o inesperado com Les Ballets Trockadero de Monte Carlo.

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

2 a 6 de Novembro 2016

O EP de estreia dos Wild Apes…

O João e o Pedro juntaram-se no Verão de 2013 para participar no Concurso de Bandas do JN. Apesar de terem poucos ensaios nas pernas e não terem baterista, foram convidados a ir à final no MusicBox em Lisboa. Com o Fábio na formação para “tapar o buraco” e três canções feitas “à pressa”, foram informados que a atuação tinha de ser de 25 minutos. Assim, o primeiro concerto dos Wild Apes consistiu em extender o seu parco repertório de 10 minutos em 150%, muito através do ‘Outro’ da canção “From Summer to Fall”, publicada no EP homónimo. A banda saiu vitoriosa e conquistou um lugar no Vodafone Paredes de Coura 2013, “Palco Jazz na Relva”.

Wild Apes EP.jpgA vida musical dos Wild Apes tem levado o trio pelos mais diversos palcos: a perder-se em territórios desconhecidos; a confirmar que o baixista Pedro será eternamente um ilustre desconhecido para os fãs que nunca o identificam como membro da banda; a trazer uma recordação de cada atuação que fazem (cerveja, bolachas, peúgas usadas, palhetas, cartazes, etc), apesar de os consumíveis já estarem provavelmente fora de validade. Durante o percurso receberam elogios do Rui Reininho (apenas pela tenacidade em se manterem em palco enquanto a luz elétrica no bar em Leça da Palmeira ia abaixo constantemente) e caíram em exageros quando, por cederem à tentação alcoólica dos excelentes anfitriões do Club de Vila Real, chegaram ao ponto de o vocalista não se lembrar das músicas.

 

Some Kind Of Soma”, com duração de 38 minutos e um total de 9 músicas, sai para as plataformas digitais no mês de Novembro. Gravado no histórico AmpStudio em Viana do Castelo por Paulo Miranda (Glockenwise, Peixe-Avião) e masterizado no SDB Mastering no Porto por Miguel Marques (Capitão Fausto, Sean Riley & The Slow Riders), é o compilar de 2 anos de estrada e muitos ensaios frustrantes ao Domingo de manhã; é o culminar de muitas ideias absurdas e ao mesmo tempo o inicio de uma nova história; é acima de tudo um álbum rock como é suposto ser, nem mais nem menos.

 

João, 24 anos, guitarrista e vocalista, biólogo de profissão, é o ADN da banda pelo seu monopólio na composição musical e lírica.

Pedro, 26 anos, baixista e faz-tudo, é um perfecionista e artista nato. Podia ter enveredado pelo design de jardins suspensos mas preferiu dedicar-se aos graves.

Fábio, 22 anos, é baterista, percussionista e amante (salvo seja) de cavalos. É alto e chega às prateleiras de cima, o que pode dar jeito mas não é trabalho remunerado.