Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Ceci N'est Pas Un Film”… Dueto Para Maçã e Ovo de Paulo Ribeiro

Não ilustramos um filme.

Dialogamos com imagens, imagens com passado mas futuro incerto. Imagens que se vão habitando de gente, de vida, de vivências, de histórias suspensas... Imagens que caminham para o dueto da maçã e do ovo, que sugere a elevação do amor.

Amor que se torna possessivo, exigente, dependente, desesperado, exaltado, sufocante. Amor que derrapa nos fantasmas da negritude da alma, da hiperatividade como forma de exorcizar!

Amor, imagem entre o tempo que se arrasta rodopiando sobre si próprio e o dueto que de tanto querer voar, se amarra ao seu próprio chão.

Image1a.jpgAutoria Coreografia e Espaço Cénico: Paulo Ribeiro

Colaboração e Seleção de Filmes: Cine Clube de Viseu

Interpretação: Ana Jezabel e João Cardoso

Figurinos: José António Tenente

Desenho de Luz: Cristóvão Cunha

Assistente de Produção e Técnica: Tomás Pereira

Produção: Companhia Paulo Ribeiro

 

Cine-Teatro de Estarreja

29 de Outubro 2016 | 21.30h

Memória de Peixe… Lançamento de “Himiko Cloud”

Depois de óptimas referências nacionais e internacionais ao primeiro disco, os Memória de Peixe estão de volta. Com Miguel Nicolau na Guitarra e Marco Franco na bateria, “Himiko Cloud” é o nome da viagem cósmica e fantástica da banda, inspirada num espaço remoto e misterioso do cosmos. “It’s a fantasy world, made of adventures, final bosses, super-heroes, lonely comets, and angry quarks falling in love with dead pixels”.

memoria.jpgÉ um disco de canções em forma de pequenas bandas-sonoras; desde cavalos mágicos a transportarem aviões, a odes aos videojogos. Um parque de diversões no cosmos, em que as histórias se cruzam e se interligam entre si.

Este é um álbum assente também numa forte componente estética e visual; Carlos Gaspar, o pintor da capa, criou vários quadros que estarão presentes numa edição especial em vinil, a ilustrar todas as histórias. Também Andy Singleton, artista plástico inglês, criou uma obra única em redor de Himiko, um peixe-voador, que simboliza e unifica todas as histórias.

Musicalmente, Marco Franco trouxe uma roupagem jazzy e expressionista à percutividade do disco enquanto Miguel Nicolau explora uma linha mais caótica e agressiva nos seus loops, mantendo a singularidade melódica que caracteriza o projecto. Este disco promete ter várias camadas de leitura pela multidisciplinaridade que caracteriza este trabalho.

O disco sai em Outubro, com o selo da Cultural Trend Lisbon.

 

Musicbox (Lisboa)

4 de Novembro 2016 | 23.00h

Bob Dylan… “No Direction Home” nas lojas a 28 de Outubro

Depois de ter sido agraciado pela Academia Sueca com o distinto Prémio Nobel da Literatura, agora celebra-se também o 10.º aniversário do documentário “No Direction Home: Bob Dylan”, realizado por Martin Scorsese, com uma reedição deluxe em Blu-ray, sendo que também estará disponível uma versão standard em DVD.

no-direction-home.jpgEstas novas edições do 10.º aniversário chegam às lojas a 28 de outubro e incluem duas horas e meia de material bónus e conteúdo até hoje nunca visto, nomeadamente cenas alargadas do filme e grandes entrevistas com Scorsese, Dave van Ronk e Liam Clancy.

Ambos os formatos estarão também disponíveis numa caixa deluxe de edição especial que inclui tanto as versões em DVD como em Blu-ray e o conteúdo bónus, bem como uma revista exclusivamente produzida pelo próprio Bob Dylan que inclui reproduções de artigos históricos sobre o músico, e três fotografias litográficas de alta qualidade, reunidas num portfolio de luxo. Todas as versões de “No Direction Home” estão disponíveis em regime de pré-venda na loja oficial do documentário: www.ndh10.com.

Souq apresentam ao vivo… The Dynamite Sisters - Volume Three Of The Red Desert Saga

Os aveirenses Souq editaram em 2014 o aclamado álbum de estreia “At La Brava - Volume Two Of The Red Desert Saga” (FLOP/SASG Records), que foi considerado por diversos orgãos de comunicação como um dos melhores daquele ano, sendo ainda eleito o melhor álbum português pelos leitores da revista Arte Sonora e pela publicação online Imagem do Som. “At La Brava..." foi também destacado pela australiana Heavy Magazine e pelos sites Altwire.net (EUA) e Desert Highways (Australia), que classificaram os Souq como uma das mais originais e interessantes surpresas da cena musical independente.

Image3.jpg2016 marca o regresso com “The Dynamite Sisters - Volume Three Of The Red Desert Saga”, um disco ainda mais arrojado que o anterior, e que terá a sua estreia absoluta no Teatro Aveirense.

 

Teatro Aveirense (Aveiro)

27 de Outubro 2016 | 21.30h

Emeli Sandé lança novo single… “Garden"

Estreou recentemente uma das novas canções de Emeli Sandé, intitulada “Garden” e na qual participam Jay Electronica e Áine Zion. Uma canção repleta de emoção e que é uma verdadeira surpresa. O tema faz parte de “Long Live the Angels”, novo álbum de estúdio da cantora britânica, com data de lançamento marcada para o próximo dia 11 de novembro.

emeli.jpg’Garden’ é uma das minhas canções preferidas do álbum”, diz Emeli. “É uma expressão de liberdade e paixão, duas partes importantes da vida que não explorei até há poucos anos atrás. Foi uma honra enorme poder trabalhar com um génio como Jay Electronica e estou muito entusiasmada de mostrar um novo talento muito especial, Áine Zion.”

Garden” tanto é reminiscente das raízes urban de Sandé, ao mesmo tempo que também leva a cantora por territórios musicais ainda por explorar. A canção não só nos dá uma visão mais profunda da personalidade musical de Emeli Sandé, como continua a representar um sentido de liberdade sem compromissos que já distinguia o single “Hurts” e que é o grande foco do novo álbum, “Long Live the Angels”.

Long Live the Angels” é um dos lançamentos mais aguardados do momento, tendo entrado diretamente para o 1.º lugar do top de pré-vendas aquando do seu anúncio e um mês depois mantém-se no top 5. O single “Hurts” está no top 10 de vendas do iTunes, sendo que a digressão de Sandé irá fazer por uma série de locais mais intimistas esgotou em apenas nove minutos.

Oozing Wound regressam a Portugal para apresentar “Whatever Forever”

É com um novo álbum na calha que os norte-americanos regressam a Portugal. “Whatever Forever” é selado pela Thrill Jockey e servirá de mote para o trio actuar em Lisboa, no Porto e em Barcelos.

untitled.jpgContam-se parcos meses desde que os Oozing Wound passaram por Barcelos para curvar as espinhas dos presentes no Milhões de Festa, mas o novo álbum exige um regresso, desta feita para sessões de estalada thrash em sala fechada. De 23 a 25 de Novembro, os norte-americanos passam pelo MusicBox de Lisboa, pelo Cave45 do Porto e pelo CCOB de Barcelos.

Na calha dos Oozing Wound vem o novo álbum, “Whatever Forever”, que serve de mote para a digressão actual dos norte-americanos. Editado pela Thrill Jockey, trata-se de mais uma prova de que a banda é uma das forças mais avassaladora dos riffs sujos actuais, a juntar às já dadas na sua mais recente passagem pelo nosso jardim

 

No Porto (24/11), as entradas vão custar 8€, enquanto que os preços para o concerto de Barcelos (25/11) se ficam nos 5€. Em Lisboa (23/11), onde o trio promete fazer uma aterragem em modo "fat boy" na sala do Cais do Sodré, as entradas ficam-se nos 6€.

Sunya… o novo projeto na musica nacional

Kaddy Xavier (voz), Andreia Ferreira (bateria), Nuno Valente (teclados), Hugo Alexandre (baixo), César Byne e Sérgio Clemente (guitarras), que há muitos anos partilham juntos a paixão pela música juntaram-se e criaram os Sunya.

No universo Rock/Metal, a banda encontra-se neste momento a promover o seu disco de estreia. Além da sua sonoridade particular, este grupo de amigos tenta diferenciar-se pela dinâmica e energia em palco, que promove uma imediata ligação com o público, deixando na memória, grandes momentos dos concertos.

untitled-1

A diversidade de influências musicais de cada elemento, ajuda o grupo a promover a originalidade sonora, pela qual sempre pautou. Estas influências vão desde Anouk, a Lacuna Coil, de Paramore a Nine Inch Nails, Guano Apes, Faith no More e muitas mais... EPs como, "Reflection”, “Time”, “Sweet Revenge” e “Zodiac”, marcaram o percurso do grupo até à edição de “Missing Piece”, o 1º álbum

O primeiro video já foi lançado. "Sombras" foi o tema escolhido, escrito em português, e com a presença da vertente mais Rock de Sunya.

Marvel Lima… Apresentação de “Marvel Lima”

Os Marvel Lima, quinteto oriundo de Beja, são a prova que existe uma aura diferente na região do Alentejo. O seu single de apresentação “Mi Vida”, um groove synth-prog-pop-rock, serviu de cartão-de-visita para o primeiro álbum da banda, levando os primeiros concertos a diversos pontos do pais e com “Fever”, o seu segundo single embebido em martini, a banda tornou-se uma aposta para o futuro dentro da música alternativa portuguesa.

Após “Fever”, a banda bejense apresenta o seu álbum de estreia na totalidade. Composto por 9 músicas, este trabalho espelha a identidade da banda de forma coesa e cheia de dinamismo, com muito groove à mistura.

GLAM - Marvel.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

Entre vozes, percussões, sintetizadores, guitarras, baixo e bateria, este projeto recria a ambiência distorcida de uma viagem temporal entre os anos originais do rock psicadélico e a música contemporânea de hoje, com um forte tempero mediterrâneo e assumida influência latina. Uma mistura de géneros, onde rock psicadélico, congas e groove são hashtags para o álbum que foi lançado pelo quinteto de Beja no passado dia 14 de Outubro.

Marcada pela sua criativa secção rítmica e pelas suas texturas sintetizadas influenciadas pelos 70’s, Marvel Lima tornou-se uma banda “sui generis” que facilmente nos põe a dançar no deserto ou num moche durante um concerto de YES.

 

Musicbox (Lisboa)

21 de Outubro 2016 | 22.30h

“Miopia”… o regresso de Ana Deus e Alexandre Soares

Ana Deus e Alexandre Soares, que cruzaram as suas experiências musicais nos Três Tristes Tigres, voltam a encontrar-se em disco e em palco. Na busca incessante de uma nova perspectiva que oriente as suas criações, assim surge “Miopia”, o segundo e tão aguardado álbum de originais da dupla, que será editado a 11 de Novembro.

osso.jpgDepois de “Animal” (2011), mais despojado, imediato e visceral, “Miopia” não pretende ser ouvido como uma continuação de algum momento que já tenha existido. Aspira ao que está para se ouvir de novo. Esta nova selecção de canções vai beber de outros poetas consagrados, incluindo duas canções com letra de Ana Deus. É o caso de “Dramo-Me”, a primeira canção a descobrir deste novo trabalho (ouvir acima). Fala sobre o acordar, o fazer de novo e as suas dúvidas. O vídeo, que será conhecido em breve, foi registado no local de ensaios e de gravação do disco.

Ao vivo, o Osso Vaidoso vai exibir-se no Festival Utopia no dia 22 de Outubro. Quem sabe se irá desvendar alguns dos novos temas deste novo trabalho?

A descobrir no próximo sábado, às 20h00, no Jardim da Amnistia Internacional.

Omnichord Records…. Edição de Vinis na Independent Label Market em Londres

First Breath After Coma e Few Fingers com edições em vinil que a Omnichord Records vai apresentar na Independent Label Market em Londres, a 26 de Novembro. Na noite anterior, First Breath After Coma e Few Fingers sobem ao palco do mítico Paper Dress Vintage, na capital do Reino Unido.

rrr.jpgEm Dezembro é a vez das apresentações chegarem a Leiria. Dia 23 de Dezembro, no Teatro Miguel Franco, os First Breath After Coma darão um concerto em que tocarão integralmente os dois discos. Já os Few Fingers tomarão de assalto o Teatro d'O Nariz no dia 30 de Dezembro.

 

Os discos a editar são:

- First Breath After Coma - "The Misadventures Of Anthony Knivet/Drifter"

(Duplo vinil colorido com capa dupla que reúne os dois àlbuns dos First Breath After Coma)

- Few Fingers - "Burning Hands" (Edição em vinil colorido do disco de estreia)

“Nunca é bom demais” é o cartão de visita de Enoque…

Enoque nasceu em 1993 em Belo Horizonte no Brasil, e chegou a Portugal ainda muito novo, com 3 anos, onde cresceu rodeado pelo soul/R&B de Marvin Gaye e Stevie Wonder.

enoque_capanuncabomdemais.jpgCom ligações familiares à Igreja, Enoque acaba com naturalidade por ser juntar ao coro, aperfeiçoando as suas reconhecidas qualidades. Mais recentemente, Enoque deu-se a conhecer devido às muitas colaborações com a Banda HMB, com quem divide o êxito “Naptel Xulima”.

Em 2017 Enoque apresenta o seu primeiro trabalho a solo. Definitivamente um nome a seguir…

Nunca é bom demais” é o primeiro single de um disco de estreia que será apresentado no primeiro trimestre do próximo ano.

BINNAR 2016… em Famalicão

Com a primeira edição a acontecer em 2016, BINNAR é um festival de arte nascido em Vila Nova de Famalicão, Portugal. É organizado pela plataforma com o mesmo nome, com o apoio da Câmara Municipal. Agrega várias parcerias e diferentes espaços da cidade (museus, galerias, fundações, escolas e outros) para apresentar um programa que junta artistas consagrados e emergentes.

BINNAR2.jpg

Programação:

Ana Deus (Performance) + Coração de Cão (Documentário)

Ana Deus apresenta “Colo”…

Colo: Um solo de Ana Deus ao colo de ruídos e imagens falantes.

Colo: É um solo de Ana Deus. Loops de filmes (som e imagem) alimentam a base sonora que acompanha textos ou canções quase a nascer. Ana Deus nasceu em Santarém, vive no Porto, trabalha onde conseguir. Canta desde sempre. Depois de ter feito parte da banda pop Ban, desde 1988, e de em 1993 ter iniciado com Regina Guimarães os Três Tristes Tigres, em 2010 volta à carga das canções com Alexandre Soares no projecto Osso Vaidoso. Em 2015, começa com Nicolas Tricot o projeto Bruta, com poesia de autores outsiders. Também fez canções para teatro e cinema.

 

“Coração De Cão” De Laurie Anderson

Com assinatura de Laurie Anderson, uma das mais reconhecidas artistas norte-americanas, um filme-ensaio sobre a vida, a morte e a linguagem que resulta numa reflexão íntima e pessoal sobre a perda. Narrado com a sua própria voz, mistura histórias de infância, teorias filosóficas e políticas com algumas das suas experiências mais íntimas, desde a relação com Lolabelle, a sua adorada cadela “rat terrier”, à morte da mãe – que lhe deixou alguns sentimentos ambivalentes –, ou o trágico falecimento de Lou Reed, o seu companheiro de anos, falecido a 27 de Outubro de 2013.

Parceria: Cineclube de Joane

 

Casa das Artes

3 Novembro de 2016 | 21h30

 

Cró! + Madrasta (Concertos)

Cró! Nasceu no ano 2007 nas profundezas da ria de Vigo. Banda de rock de difícil classificação e que não é possível de descrever com as etiquetas comerciais habituais. Alternativo? Psicadélico? Progressivo? Vintage? O que são os Cró!? Cró! é música instrumental, canções e improvisação. Neste Outono apresentam o seu último trabalho, o LP chamado “Mounstros”, gravado no Verão e que promete trazer novas sonoridades e mais surpresas. Porque se há uma coisa que define os Cró! é a sua capacidade de evolução.

 

Madrasta é a banda de Hélio Rafael Soares (guitarra), Manuel Molarinho (baixo) e Paulo Santos (bateria), onde o rock serve de base exploratória para paisagens cinematográficas histórias sem voz. Gostam de ensaiar de dia e de criar descomprometidamente.

Lançam em primeira mão, no BINNAR, o disco “Matiné”.

 

Cru – Espaço Cultural

4 Novembro de 2016 | 22.00h

 

Cintaadhesiva (Concerto / Performance)

Projecto literário e musical, que sobre o fio condutor da música de Jesús Andrés Tejada e Pablo Muñíz e o vídeo de Area Erina, os textos de Silvia Penas vão dotando de significado as melodias, os ritmos, a cadência e as imagens. Trata-se de uma totalidade orgânica onde texto, música e vídeo não se acompanham, mas sim tratam de se fundir e confundir-se. Às vezes, o recitado converte-se em canção.

 

Fundação Cupertino De Miranda

5 Novembro de 2016 | 18.00h

 

Vid-Nar (Exposição)

Vid-Nar é uma exposição colectiva internacional de vídeo inserida no festival BINNAR. Os artistas representados são:

Johanes Christopher Gerard, Müge Yildiz, Sandrine Deumier + Alx.P.Op, Francois Knoetze, Nicole Rayburn, Shuai Cheng Pu, Coalfather Industries, Joas Nebe E Tiago C.

 

Galeria Soledade Malvar

7-20 Novembro 2016

 

Ghost Hunt + Pantis (Concertos)

Ghost Hunt é ruído feito com muitas máquinas, mas é ruído feito com paredes e paredes de som meticulosamente combinadas. Com Pedro Chau a servir-lhe linhas de baixo, Pedro Oliveira instala em palco um estúdio de som. Há no modo de tocarem, uma grande afinidade pelas técnicas de assemblage da geração do Krautrock. Temos de fazer marcha atrás por muito daquilo que os formou, acima de tudo a música dos anos 80: o som “shoegazer”, a techno de Detroit, o acid, o electro industrial, o synthpop. Mas este arsenal de correntes estéticas, na praia de Ghost Hunt, dissolve-se em rochas sedimentares e areia muito fina. A música está nas ondas. Na zona de rebentação.

 

Pantis traz consigo “Pranto”, o seu disco de estreia. Rubén Dominguez é uma das mais inquietas figuras da cena underground galega. Músico e criador audiovisual. Tão importantes como as programações (hipnóticas, evocadoras, envolventes ou frenéticas) são uns textos que desprendem melancolia e violência, desassossego e desespero. [com o disco “Pranto”] confirma-se o melhor momento histórico do pop galego e esta é uma obra maior, muito importante. (in Rockdelux)

 

Museu Da Indústria Têxtil

12 Novembro de 2016 | 21h30

 

[ Mit ] Me There (Exposição)

[ MIT ] ME THERE é uma exposição colectiva internacional de pintura, fotografia, gravura, instalação e escultura inserida no festival BINNAR. Os artistas representados são:

Nuria Figueiredo, Irina Ghenu, Daniel González, Sarah Jansen, Júlia Rodrigues, Filipe Coelho, Konstantin Klementsov, Anna Tea, Reem Jubran E Liliana Trigueiros + Filipe Miranda

 

Museu Da Indústria Têxtil

12-20 Novembro de 2016

 

Fat Freddy (Concerto / Performance)

Dando continuidade à génese diversa que caracteriza a sua obra desde 1998, os Fat Freddy entram numa nova fase da sua… sobrevida. ‘Atirem o meu Cadáver para uma Valeta’ é o nome do seu terceiro álbum, que trouxe como grande novidade ao trabalho da banda a palavra. A matriz rock que sempre caracterizou os Fat Freddy mantém-se, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista. Os ambientes enigmáticos, mas simultaneamente realistas, têm tradução musical na pulsão rítmica do baixo e bateria, que dão coração a todo o conjunto, que é colorido pela guitarra, teclados e demais electrónica, em que a palavra dita emerge como guia na viagem por cenários que têm tanto de real, como de negritude!

 

Mosteiro de Arnoso (Sta. Eulália)

18 Novembro 2016 | 21h30

 

Ozo (Concerto)

O que acontece quando um pianista clássico, que gosta de jazz e de música improvisada (Paulo Mesquita) se junta a um baterista proveniente da pop, mas com um especial interesse pelo experimentalismo electroacústico (Pedro Oliveira)? Acontece o que ouvimos neste tão surpreendente quanto cativante disco de estreia do duo OZO. Não se pense, porém, que o que apresentam é o simples cruzamento do que já antes faziam: a música resultante demarca-se da especialização de Mesquita na linguagem e nos processos de certa música erudita Americana ou do que ouvimos de Oliveira com o já bem conhecido grupo Peixe:Avião e na sua colaboração com Old Jerusalem. É outra coisa, tão outra que desafia quaisquer catalogações. O foco está no ritmo, mas, se por vezes parece que estamos a ouvir The Bad Plus, não se trata propriamente de jazz. Os temas seguem o formato da canção, mas se tal significa que há afirmativas abordagens melódicas o destaque vai para o trabalho harmónico. Por sua vez, os desenvolvimentos narrativos e a permanente dramatização sonora remetem-nos para Erik Satie e para os impressionistas e, no entanto, trata-se de algo que só poderia existir nos dias de hoje. O que é então? É OZO e basta dizer isso…

 

Fundação Castro Alves

19 Novembro 2016 | 18.00h

 

Experienciar a Cidade: Da Arte à Emancipação Colectiva (Oficina / Acção Artística)

A oficina, de Inês Barbosa e Miguel F, funcionará em parceria com a Academia Contemporânea do Espectáculo e decorre durante todo o festival com várias acções. A apresentação final será no Museu Ferroviário, às 18h.  Esta oficina parte do desejo de experienciar e transformar a cidade pelas próprias mãos. Pela deambulação e contemplação, pela confrontação e mestiçagem de ideias, pelo debate aberto sobre o espaço público enquanto casa colectiva, abdicando das fronteiras entre a particularidade das emoções e pontos de vista de cada um e a necessidade de uma projecção colectiva. Recorrendo a experiências e técnicas comuns à fotografia social ou ao teatro do oprimido propõem-se a materialização de uma criação colectiva assente em três fases: a recolha fotográfica na cidade, o debate a partir das imagens criadas e a construção de uma acção performativa.

 

Museu Ferroviário

20 Novembro 2016 | 18.00h

 

A entrada é sempre gratuita em todos os eventos e actividades.

 

VALAS lança single “As Coisas”

As Coisas”, o primeiro single de Valas depois de ter assinado contrato com a Universal Music Portugal, é hoje lançado em todas as plataformas digitais e o videoclipe, realizado por Ricardo Reis, já está disponível. Com letra do próprio e produzido por Lhast (produtor do grande sucesso de Richie Campbell ‘Do You No Wrong’), “As Coisas” surgiu do processo criativo que Valas mais gosta: estar em estúdio com um produtor e, enquanto a música se compõe, a letra vai surgindo.

capavalas.jpgValas diz: “Esta música, a letra, representa uma mudança na minha vida. Deixar para trás coisas menos positivas, alguns maus hábitos, e concentrar-me naquilo que realmente importa. E essa mudança está a acontecer tanto a nível profissional como pessoal”.

Valas, Johnny Valas - ou João Valido no Cartão de Cidadão - só descobriu que tinha vocação para a música uns anos depois de ter começado a escrever os primeiros versos e a gravá-los no seu quarto. Com o tempo foi ganhando consciência musical e criando um estilo muito próprio, o mais original possível.

O rapper foi sempre, desde muito novo, um ávido consumidor de todo o tipo de música mas era no hip-hop que se encontrava, que se identificava. Rappers portugueses ou americanos, como Sam The Kid, Boss AC, Halloween, Fuse e VRZ, foram sempre as suas maiores influências. A parceria com Lhast já é antiga. De todos os projectos em que já esteve envolvido, Nébula, o projecto que desenvolveu em conjunto com o produtor, foi o que mais prazer lhe deu.

 

Valas, já deu mais de 100 concertos em Portugal sendo a grande maioria com o seu grupo Matilha 401 e quase todos eles no Alentejo. O que é natural, uma vez que nasceu, cresceu e reside actualmente em Évora. Em 2016 assinou contrato com a Universal Music Portugal, uma oportunidade que há muito esperava, e logo de seguida entrou em estúdio com Lhast para trabalhar no seu primeiro single com o selo da editora multinacional: “As Coisas”.

A canção, que já roda nas principais rádios nacionais, abre caminho para outros singles e para um álbum que se prevê editar em 2017.

 

Santa Maria da Feira convoca artistas e companhias locais para novas criações Imaginarius…

O Município de Santa Maria da Feira abre, até 30 de novembro, uma chamada pública aos artistas e companhias locais – Call de Apoio à Criação Local – na qual desafia esta massa criativa concelhia a apresentar propostas para estreia absoluta na programação principal do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de 2017.

im.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

As propostas a submeter deverão ser criações originais, focadas na interação com o espaço público e aptas para apresentação em qualquer estrutura de apoio cénico, tendo em vista a sua difusão nas rotas nacionais e internacionais de festivais congéneres, sempre com a referência “Criação Imaginarius”. São dois os projetos de criação artística a concurso, na vertente performativa, em contextos fixo e deambulante.

 

A direção do Imaginarius avaliará as propostas com base na originalidade, interação com o público/espaço público, multidisciplinaridade dos coletivos artísticos, capacidade de circulação nas rotas de difusão nacionais e internacionais, e cumprimento das normas de participação, disponíveis em www.imaginarius.pt.

As propostas deverão ser apresentadas, até 30 de novembro, através do e-mail programacao@imaginarius.pt. No dia 9 de novembro, às 21h30, realiza-se uma sessão de esclarecimento, no Cineteatro António Lamoso, aberta a todos os interessados.

Os Brasileiros Monoclub com novo vídeo….

Os Brasileiros Monoclub lançaram o seu primeiro álbum “Romperia” de forma independente este ano, o que acabou ‘rendendo’ uma segunda digressão pelos Estados Unidos. Dessa vez, a banda aproveitou para gravar um videoclipe, “Jean Balmont”, um folk animado cantado em português.

untitled-1

“O disco fala sobre um personagem que tenta romper certos padrões em sua vida e ao seu redor, traçando uma longa caminhada, praticamente uma romaria, até sua redenção.’ Jean Balmont’ é onde tudo começa, quando o personagem entende que existe um problema que precisa ser resolvido, mas ele ainda não sabe como e tenta usar várias maneiras para sanar essa sua crise. Essa primeira tentativa é de certa forma uma violência, mas logo ele percebe que aquilo não resolveria nada, só o encheria de mais tristeza. Aí ele começa a perceber que nem sempre nosso instinto é feroz, que o amor e a compaixão são inatos e podem/devem ser usados para seu benefício. E assim segue caminhando”, palavras do vocalista da banda, Fabio Baddini.

O video foi gravado pelo fotógrafo/videomaker Rafael Côvre durante a tour que passou por cinco cidades num total de 11 apresentações em 12 dias.

 

“Foi bastante surpreendente. Claro que sempre imaginamos o melhor, mas a receptividade, a curiosidade e o interesse em ouvir nosso som e procurar nosso trabalho nos deu bastante combustível durante esse percurso de mais de 3.000km pelo noroeste dos EUA. Na verdade acho que só tivemos coisas boas, nos divertimos demais e conseguimos aproveitar cada segundo da viagem, dos lugares, dos festivais que tocamos, as longas estradas. Enfim, aprendemos muita coisa!”, refere ainda Fabio.

 

”Madrugada”… O novo álbum de Pedro Alsama

Depois dos singles “Sinking The Pleasure” e “A Wish”, chegou a vez das atenções se virarem para a edição digital do novo álbum de Pedro Alsama, “Madrugada”. O disco, que combina influências indie e folk, vem com o selo da Music In My Soul, e está disponível para escuta nas principais plataformas de streaming

Pedro Alsama_Madrugada

Pedro Alsama é um projeto a solo existente desde 2000 – quase 15 anos de histórias musicadas e espalhadas ao longo de mais de 100 temas feitos pelo compositor de Rio Maior.

O Rock, o jazzístico, a poesia cantada, entre outros estilos, são experiências que Pedro leva a cabo na já sua longa carreira, pretendendo fazê-las chegar a um público mais abrangente. Na primeira metade do milénio o cantautor assinou uma trilogia de discos a que chamou “The Anti-Music Machine”. “Childhood Stereotype” (2000), o capítulo inicial – obra ambiciosa de 20 temas construídos com guitarra acústica, elétrica, baixo e percussão - nasce do seu fascínio por “Kid A” dos Radiohead.

No segundo tomo, “The Dark Light at the End of the Tunnel It’s Growing” (2004), deixa-se abraçar pelas trevas, em temas que priveligiam a voz e o asbtrato. Com o último “Hard on End” (2009), o título mais descomprometido e ambivalente da trilogia, o músico explora universos díspares que vão desde a pop, jazz e rock até ao experimentalismo.

Em 2015 Pedro Alsama edita um novo registo homónimo, que proporcionou canções como “Health” e “Shine”, num espetro mais derivativo da indie e folk rock. No último trimestre de 2016 o músico edita o seu mais recente álbum, “Madrugada”, antecedido pelos singles “Sinking the Pleasure” e “A Wish

Experimenta Extremadura leva património, cultura e gastronomia da região espanhola da Extremadura até Lisboa

De 24 a 28 de outubro a Extremadura fica ainda mais perto de Lisboa com Experimenta Extremadura, um projeto do Governo Regional da Extremadura que pretende despertar o interesse e conhecimento da Extremadura em Portugal, partilhando o que de melhor se faz nesta região espanhola. Ao longo da semana estão previstas várias iniciativas culturais e gastronómicas, ações promocionais e até um passatempo no Facebook com o objetivo de mostrar os atrativos que fazem da Extremadura um destino único.

LOGO EXPERIMENTA EXTREMADURA.jpgGuillermo Fernández Vara, Presidente do Governo Regional da Extremadura convida “A Extremadura é a região espanhola que mais quilómetros de fonteira partilha com Portugal e fez desta vizinhança um dos pilares fundamentais da sua estratégia de futuro: aprofundar na cooperação, torná-la mais eficiente e que beneficie a cidadania. Para que esta colaboração prospere é fundamental conhecermo-nos mais e melhor, razão pela qual a Extremadura traz a Lisboa uma pequena amostra de uma região por descobrir, uma terra para desfrutar com todos os sentidos. Uma experiência com a que pretendemos reforçar ainda mais as nossas relações e convidar os portugueses a conhecer-nos melhor”.

 

No dia 25 de outubro, pelas 18h30, terá lugar o XIV Encontro de Vinhos Extremadura-Alentejo, no restaurante do piso 7 do El Corte Inglés de Lisboa. Trata-se de um concurso de vinhos no qual participam produtores de duas regiões fronteiriças de Portugal e Espanha com grande tradição vitivinícola. Os melhores vinhos do Alentejo e da Extremadura serão selecionados por enólogos de ambos os países e distinguidos com os prémios Arabel, organizados pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola e a Extremadura Avante.

Print

No dia seguinte, 26 de outubro, pelas 18h00, acontece o Encontro de Escritores Extremadura - Portugal, na Fundação José Saramago. Será levada a cabo uma mesa redonda que abordará as relações atuais e históricas entre as literaturas portuguesa e extremenha. Participam neste encontro Antonio Sáez, escritor e professor da Universidade de Évora; Juan Ramón Santos, escritor e presidente da Associação de Escritores Extremenhos; María Jesús Fernández, professora da Universidade da Extremadura; Fernando Pinto do Amaral, poeta, crítico literário e professor; João de Melo, escritor, professor e colaborador de publicações literárias; Inês Pedrosa, escritora, tradutora e colaboradora em diversos meios de comunicação. O moderador será Eduardo Moga, escritor e diretor da Editora Regional da Extremadura e coordenador do Plano de Fomento da Leitura da região.

Em seguida, pelas 19h20, será feita a Apresentação do n.º 6 da Revista Suroeste, uma publicação única e singular que se tem vindo a consolidar como ponto de encontro e de união das diferentes expressões da literatura ibérica. Participam neste momento Antonio Sáez, diretor da revista Suroeste, Javier Rioyo, diretor do Instituto Cervantes de Lisboa e Ângela Fernandes, professora da Universidade de Lisboa. Imediatamente terá lugar uma atuação musical, ainda na Fundação José Saramago, do músico e poeta extremenho José Manuel Diez, Duende Josele.

Este dia encerra com chave de ouro, com a atuação de Javier Conde, o “miúdo revelação” da guitarra flamenca, que apresenta no Teatro da Trindade o espetáculo “El flamenco y su vibrante mundo”. Reconhecido pelo seu respeito pelos mestres e pelo seu próprio “compás” flamenco, adivinha-se que Javier Conde venha a ser um dos grandes pilares da guitarra e do flamenco no mundo. No espetáculo que apresenta pela primeira vez em Lisboa serão interpretados alguns dos estilos mais representativos do flamenco.

 

Dia 27 de outubro, na ação “De la cocina extremeña tradicional a la vanguardia” a Extremadura apresenta-se na Escola de Hotelaria de Lisboa como destino gastronómico pela mão do Chef estremenho Juan Manuel Salgado, vencedor do concurso Bocuse D’or Espanha em 2015. Masterclass, showcooking e outras atividades vão mostrar a cozinha desta região, as suas tradições, a sua cultura e a passagem a uma cozinha de vanguarda. Tudo isto com produtos “Alimentos de Extremadura”.

 

Para os internautas, de 24 a 28 de outubro, vai estar a decorrer um passatempo na página de facebook da Turespaña, que vai levar o vencedor numa viagem por “Los Barruecos”, Cáceres e Trujillo, cenário das gravações da 7ª temporada da série norte americana Game of Thrones. Ainda inserido na Experimenta Extremadura realizam-se, de 21 a 30 de outubro no Supermercado El Corte Inglés em Lisboa, ações de promoção e degustação de produtos da região.

 

O projeto Experimenta Extremadura é da responsabilidade do Governo Regional da Extremadura e conta com as colaborações da Embaixada de Espanha, Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola, Instituto Cervantes, TurEspaña, El Corte Inglés, Escola de Hotelaria de Lisboa,

Livros…. “Cinco Homens que Abalaram a Europa” - Biografias Cruzadas de Jaime Nogueira Pinto

À partida, nada parecia irmanar o filho do sapateiro georgiano, o primogénito do ferreiro italiano, o rebento do funcionário das alfândegas austríacas, o varão do feitor português e o descendente do intendente geral da Armada espanhola. Mas a História vai encarregar-se de juntar Estaline, Mussolini, Hitler, Salazar e Franco.

untitled.jpgNascidos entre 1878 e 1892, todos, à excepção do Duce, crescem muito ligados às mães e com más ou frias relações com os pais. São homens solitários, que mesmo quando têm família, ou amantes, ou amigos, marginalizam os afectos e os bens materiais embora não dispensem a pompa da vida pública. E todos, uma vez no poder, tratam de controlar o instrumento que ali os levou, seja o Partido, o Exército, ou as “forças rebeldes”. Jaime Nogueira Pinto cruza as vidas destes cinco homens que marcaram os anos decisivos do princípio do século XX ajudando-nos a compreender o que os une e os separa, o que os levou ao poder e o rasto que deixaram nas Europas do presente, nos fantasmas que as assombram, nas ideias que as inspiram.

 

Edição: Esfera dos Livros