Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Banco Caixa Angola apresenta… Caixa Luanda'16

O Fado. Palavra curta, carregada de alma lusa, de poetas, de Saudade. Em 2011, foi elevado à categoria de Património Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Quem ouve, não lhe fica indiferente. Quem conhece e está atento, sabe que em 2013 surgiu em Lisboa a primeira edição do Festival que homenageia a identidade de um país através da sua música – o Caixa Alfama. Desde então, e já por quatro edições, o Festival orgulha-se em ser um dos maiores acontecimentos enaltecedores do Fado no nosso país.

GLAM - Ana Moura 2016.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

As edições esgotadas indicaram o norte e as guitarras ecoaram no Porto, no Caixa Ribeira, que já por dois anos embala o Rio Douro. Sucesso reforçado com uma equação simples: dar voz à bela arte de cantar o Fado. O amor pela canção lusa ecoou alto, chegou além-fronteiras pela mão do Banco Caixa Angola e aterrou, também em 2015, em Luanda, com a primeira edição do Caixa Luanda, provando que o Fado tem muitas moradas e é dono de quem o sente.

 

O êxito foi retumbante e, no dia 27 de outubro, o Cine Atlântico de Luanda recebe a segunda edição do Caixa Luanda e prepara o coração para receber algumas das melhores vozes com alma de fadista: Ana Moura, Gisela João, José Gonçalez, Maria Ana Bobone, Marco Rodrigues e Raquel Tavares. Uma noite mágica que une um amor maior em palco.

Mas porque a Língua Portuguesa é tão vasta e também naturalmente enaltecida, o encerramento desta noite especial estará a cargo da doce e jovem Ary, considerada já um dos nomes sonantes da música angolana. Tudo a postos para que esta noite perdure na memória de quem por lá passar.

Susan Palma-Nidel edita o CD "lisboa Íntima"

Lisboa Íntima” é o resultado da fortíssima ligação da extraordinária flautista Americana Susan Palma-Nidel com Portugal, com a música tradicional portuguesa e com outros incontornáveis nomes da música lusófona com quem a relação profissional e pessoal torna possível a entrega à arte da forma que neste álbum temos o privilégio de testemunhar.

tr.jpgSusan Palma-Nidel, flautista principal da mundialmente reconhecida orquestra Orpheus Chamber Orchestra, vencedora de um Grammy, criou assim este álbum com convidados de luxo - Carlos do Carmo, Ivan Lins, Né Ladeiras, Júlio Pereira entre outros grandes nomes da música de excelência.

O repertório viaja por diferentes caminhos: grandes temas clássicos como Alfama e Verdes Anos, nos quais o trabalho de Susan é iluminado por dois guitarristas fora de série – José Manuel Neto e Pedro Jóia; temas da música tradicional de Trás-os-Montes onde Susan conta com a inigualável Né Ladeiras; Júlio Pereira, o grande génio do cavaquinho, que toca com Susan o seu tema original Ler Devagar, do seu trabalho mais recente - Cavaquinho Pt; ou ainda o tema Iluminados de Ivan Lins que conta com Susan na flauta transversal e Ivan Lins ao piano, entre outros músicos do mais alto nível.

 

Mas há mais... “Lisboa Íntima” apresenta ainda o primeiro dueto alguma vez gravado entre dois gigantes musicais - Carlos do Carmo e Ivan Lins. Os dois amigos gravam juntos pela primeira vez e brindam-nos com o tema Fado Ultramar. O produtor e arranjador Robert Sadin, vencedor de três Grammys, criou um ambiente sonoro único em todo o álbum. Cada tema tem uma instrumentação própria, abrindo diferentes portas que nos levam diretamente ao âmago da música acústica portuguesa. Lisboa Íntima mistura a tradição da música clássica europeia com a sonoridade e ritmos da música tradicional portuguesa.

 

“Lisboa Íntima” leva-nos através de uma floresta sonora em que a música, como a natureza, é avassaladora e nos deixa sem palavras, sentindo-nos apenas gratos por viver o momento em que a música nos invade. "Lisboa Íntima" estará à venda nos locais habituais a partir de 11 de Novembro. A flautista americana visita o nosso país em promoção de 7 a 14 de Novembro

Billy Lobster anuncía o lançamento do single “Homemade Blues”

Billy Lobster ataca de novo com mais um blues que pode bem lembrar o Seasick Steve ou Scott H. Biram. O terceiro single do one man band foi gravado, juntamento com mais 10 musicas, no inicio deste ano no "Menos Um Studios" e tem o João Luz na harmonica.

a2883139843_10.jpgO album de estreia "Boogie on the fly" será lançado pela Raging Planet Records e terá 11 musicas originais. Billy Lobster tocava há 5 anos quando descobriu o John Lee Hooker, e a partir daí começou a explorar o Blues. Durante quase meio ano só ouviu discos do pai do boogie e, como resultado, surgiu a musica Boogie on the fly, fortemente influenciada pelo bluesman.

A partir daquele momento estava claro que o one man band ia tocar o blues, e passado algum tempo começou a preparar o seu album de estreia.

Faustin Linyekula de regresso a Lisboa para mais 5 espetáculos, 1 palestra e 1 documentário

A terceira edição do Artista na Cidade 2016, bienal dedicada à apresentação de diversas propostas artísticas de um artista estrangeiro, numa iniciativa única no panorama nacional e internacional, volta a ganhar destaque no último trimestre de 2016. Esta edição do Artista na Cidade trouxe a Lisboa o bailarino e coreógrafo congolês Faustin Linyekula.

Desde janeiro, Faustin Linyekula apresentou já nove espetáculos na zona da Grande Lisboa que passaram pelos principais teatros e centros culturais da capital, espaços exteriores e bairros de fronteira entre a cidade e a periferia, como a Cova da Moura, a Amoreira e Chelas. Até dezembro, há ainda a oportunidade de assistir a vários eventos do Artista na Cidade 2016: cinco espetáculos – no São Luiz Teatro Municipal, na Fundação Calouste Gulbenkian e no Centro Cultural de Belém – uma conferência e um documentário no contexto do Festival Temps d’Images Lisboa.

24012016-Photo.José FradeDSC09889_341993

photo: José Frade

 

Nos dias 28 e 29 de outubro, chega ao Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal o espetáculo de dança O Festival das Mentiras (Le Festival des Mensonges) em que Faustin Linyekula convida o público a “ouvir histórias, pequenas histórias colhidas no quotidiano, mas também a grande história de um país, reescrita vezes sem conta ao sabor dos nomes (República Democrática do Congo, ex-Zaire, ex-Congo belga, ex-Estado Independente do Congo…) e dos reinos. Mudar de nome como se se apostasse num futuro melhor.”

 

Também no Teatro São Luiz, na Sala Luís Miguel Cintra, a 2 e 3 de novembro, Sem-Título (Sans-Titre) de Raimund Hoghe, coreógrafo que convida Faustin Linyekula a interpretar uma dança-manifesto sobre aqueles que “não têm o direito de estar presentes: sem patente, indocumentados, sem títulos de permanência, em trânsito entre dois países, dois mundos, duas culturas…”

 

O Artista na Cidade 2016 segue depois para a Fundação Calouste Gulbenkian onde será apresentado, nos dias 10 e 11 de novembro, no Grande Auditório, o espetáculo More more more future, uma metáfora para o conjunto do trabalho político e artístico desenvolvido pelo artista Faustin Linyekula: um grito sobre a miséria, a fome, o Estado falido em que se encontra o seu país e um apelo a mais (e melhor) futuro, ao som de Ndombolo, um género de música e dança que anima as noites Kinshasa, na República Democrática do Congo.

 

A 18 e 19 de novembro é a vez do Centro Cultural de Belém apresentar dois espetáculos numa só sessão e Tryptique sans Titre e Statue of Loss. Tryptique sans Titre é um espetáculo que explora a submersão de Faustin Linyekula nas culturas e subculturas do seu país natal em ruínas, com referências ao ambiente noturno de Kinshasa com as suas várias personagens e sonoridades. Statue of Loss apresenta uma homenagem à memória dos soldados africanos que combateram nas duas Guerras Mundiais, dando um rosto e um nome a alguns desses veteranos, uns 30 soldados congoleses, que se alistaram para combater na Bélgica por uma nação que os escravizara.

 

No festival Temps d’Images Lisboa, no dia 20 de novembro, no Palácio Príncipe Real, tem lugar a conferência African Bodies European Looks, com Isabelle Danto e Faustin Linyekula, e a antevisão do documentário Faustin e Lisboa de Miguel Munhá.

 

Embaixador apresenta o álbum "Sombra”…

Depois do EP “OS Dedos e os Anéis” também editado pela Farol Música em Fevereiro de 2015, os Embaixador estão de regresso com o álbum “Sombra”. “Sombra” foi gravado no AMP Studio do produtor Paulo Miranda (The Legendary Tiger Man, The Poppers, Old Jerusalem…).

embaixador.jpgphoto: Tiago SantaRosa

 

O anterior EP “Os Dedos e os Anéis”, gravado nos Blacksheep Studios, também contou com a produção de Paulo Miranda. A evolução na composição e performance está bem patente neste disco, evidenciando o crescimento e entrosamento dos Embaixador ao longo dos últimos anos e mostrando que estão “aqui ” para ficar!

O 1º single de “Sombra” chama-se “Sufoca a Meus Pés”.

 

Outono em Jazz… Maria João & Guinga e Dino Saluzzi

Guinga é um dos compositores mais originais e sofisticados da música popular brasileira, que explora como ninguém as formas tradicionais, impregnando-as de novas cores harmónicas e com uma extraordinária inventividade melódica. Há um restrito conjunto de cantoras que se tem destacado na interpretação deste repertório ao lado do compositor e guitarrista, a que se juntou recentemente a voz flexível e poderosa de Maria João. Depois de uma participação da cantora portuguesa no álbum “Porto da Madama” (2015), os dois músicos juntaram-se recentemente para um disco em dueto. Apenas guitarra e vozes dão todos os contornos necessários a Mar Afora, onde todo o mar se apaga para juntar os universos criativos de dois músicos fora de série. O repertório inclui várias das canções mais memoráveis de Guinga, com natural prevalência das parcerias com o grande letrista Aldir Blanc, entre as quais as irresistíveis “Chá de Panela”, “Catavento e Girassol” e “O coco do coco”.

12.jpgFigura-chave da música latino-americana contemporânea, Dino Saluzzi é um dos ícones da música argentina e do seu instrumento mais emblemático, o bandonéon. Com 60 anos de carreira musical, vem à Casa da Música apresentar o seu álbum El Valle de la Infancia, inspirado nas paisagens da sua infância no norte da Argentina, e possivelmente alguns temas inéditos do projecto Mozart por Saluzzi. A acompanhá-lo está o grupo que lidera desde 1991, formado por Félix Saluzzi (saxofone e clarinete), José María Saluzzi (guitarras), Matías Saluzzi (baixo) e U. T. Gandhi (percussão). Passando por ritmos populares de dança como a zamba, o carnavalito e a chacarera e por momentos mais melancólicos, Dino Saluzzi não esquece também as emoções fortes do tango de Buenos Aires e da milonga..

 

Casa da Música (Porto)

18 de Outubro 2014 | 21.00h

Sara Tavares… “Coisas Bunitas” é o novo Single…

O tema “Coisas Bunitas” é lançado hoje. Este tema é da autoria de Sara Tavares, e a artista assume também a produção do mesmo. O videoclip do tema foi gravado em Cabo-Verde, terra natal de Sara, que actualmente se encontra em estúdio a gravar o quinto disco de originais com edição prevista para o início do próximo ano.

Nas palavras de alguém que tão bem conhece a personalidade artística e cultural de Sara Tavares, Kalaf, fica aqui o testemunho sobre esta nova fase da vida da artista…

Sara Tavares - Capa do Single - Coisas Bunitas.jpg“Do silêncio que me acontece e que antecede o nascimento de uma canção, surgiu o COISAS BUNITAS, confessa Sara Tavares. Num sussurro delicioso, a cantautora levanta assim o véu e nos convida a regressar ao seu mundo, a entrar debaixo da pele e encontrar-lhe a pulsação. E cá estamos nós, regressados, só que para descobrir que sempre estivemos aqui, no mesmo lugar em que nos deixou quando nos deu a ouvir o seu “Xinti” (2009). Só nos apercebemos o quão nos fazia falta, quando a sua voz delicada toma conta dos nossos sentidos e o corpo cede ao balanço, sem esforço, como se voltássemos à casa de infância, a um lugar familiar, a uma doce memória feliz para descobrir que tudo se manteve intacto.”

COISAS BUNITAS é também o tema que volta a colocar a Mana Sara, (nome como é chamada pelos que lhe têm afecto), na cadeira do produtor, lugar onde se sente confortável, não fosse o seu platinado "Balancé" (2005) ter desbravado o caminho para que as sonoridades vindas de África se tornassem hoje na banda sonora oficial da cidade de Lisboa. E embora tivesse ficado 7 anos longe do estúdio, foi surgindo aqui e ali, partilhando as suas ideias musicais numa variedade de projectos, fosse emprestando a voz em cumplicidades musicais com Buraka Som Sistema, Carlão(ex Da Weasel), Antonio Chainho, Ferro Gaita...etc ou como compositora, colhendo do seu violão, parceiro de longas caminhadas, canções para Ana Moura, Dina Medina, Cuca Roseta, Rita Seidi...E claro, sem esquecer o palco, que é uma extensão de si, tanto diante do público da primeira hora, do “Mi Ma Bô” (1999) como também daqueles que tomaram contacto com a sua música pela primeira vez na peça-musical “Bom Feeling” (2015), para crianças e não só, criada em parceria com o actor/encenador Fernando Nobre e apresentada no Teatro-Estúdio Mário Viegas.

 

O novo álbum ainda não tem data marcada, mas tal como nos tem vindo a acostumar ao longo desses 22 anos de carreira, a autora de Nha Cretcheu (Meu Amor), deixa claro nas entrelinhas de cada nota tocada pelo teclado mestiço de João Gomes (lisboeta Moçambicano) a ginga do baixo e guitarra de Manecas Costa (lisboeta Guineense)e a batida inconfundível do N'Du(Angolano)neste COISAS BUNITAS, na primeira audição, ao que vem. Espera-nos um brinde a simplicidade e a beleza. E, a voz desta cabo-verdiana lisboeta, tão necessária, vem mais uma vez reforçar que os instantes mais marcantes da natureza estão mais perto do que julgamos, não precisamos correr mundo em busca do impossível para impressionar quem amamos, as COISAS BUNITAS estão ao alcance da mão.

 

Espera-nos um disco abençoado, piscando olho a uma sonoridade mais urbana da lisboa de hoje, o quinto, e que as suas canções comecem sem começo e terminem sem fim.”

 

“Sahu” é o disco estreia de Nial

Já está disponível para audição e download gratuito “Sahu” (aqui), o disco de estreia de Nial. Conjurado em segredo e envolto em mistério, o disco conta com 8 faixas de pura exploração auditiva, propícias a uma escuta profunda.

Conjurado em segredo e envolto em mistério, pouco sabemos de “Sahu” além das poucas palavras que se liam num curto documento de apresentação. Uma das coisas que aprendemos foi que terá sido inspirado numa viagem à Índia. Na mesma medida, pouco sabemos de nial, entidade omnipresente em todo o processo de descoberta, criação e produção, que nos deixou com 45 minutos de música para depois se refugiar discretamente na composição do que esperamos vir a ser um novo disco.

a1062087886_10.jpgNão podíamos ter ficado mais felizes com esta oferta, ou com a carta branca que nos foi dada para lhe decidirmos o futuro. Composto por oito faixas – esta é uma peça em que o todo é maior que a soma das partes entre si, “Sahu” encerra uma exploração auditiva por várias fronteiras, visões e estados de espírito. A cereja no topo do bolo são as inspiradas contribuições de AM Ramos no saxofone, e a mistura e masterização de Ricardo Cabral.

 

Sahu” é assim uma obra completa, influenciada em partes iguais (mas formas diferentes) pela tradição dos ragas indianos, a abordagem ambiental de Brian Eno e o vanguardismo e - acima de tudo - o jogo de silêncios sublimado pelos Talk Talk no final da década de 80 e início de 90. A partir daqui, deixámos as coisas nas mãos do João Pedro Fonseca, que aproveitou o onirismo dos samples para criar algo a que chama “as ruínas de uma cidade imaginária”. Agora, essas ruínas - criadas a pensar nos quatro elementos básicos da natureza - povoam a capa e a todo o imaginário visual de nial e deste seu “Sahu”.

Maroon 5 lançam novo video com Kendrick Lamar… “Don’t Wanna Know”

A multiplatinada banda norte-americana Maroon 5, vencedores de três prémios Grammy, anunciaram o lançamento do novo single, “Don’t Wanna Know”, que conta com a participação do célebre rapper Kendrick Lamar. A canção já está disponível em todas as lojas digitais.

Dont-Wanna-Know-feat.-Kendrick-Lamar-Single-2-1000x600

Os Maroon 5 vão ainda estrear o vídeo de “Don’t Wanna Know” no programa “Today Show,” no canal norte-americano NBC, esta sexta-feira. O novo vídeo da banda é novamente único e inesquecível. Para este vídeo o grupo voltou a juntar-se ao aclamado realizador, produtor e argumentista David Dobkin (“Wedding Crashers”), que já tinha realizado para os Maroon 5 o vídeo do multiplatinado single “Sugar”, que conta com mais de 1,4 mil milhões de visualizações no YouTube, sendo até hoje o vídeo mais visto do grupo.

Don’t Wanna Know” assinala a primeira colaboração oficial com o rapper, vencedor de sete prémios Grammy, Kendrick Lamar e é a prova de mais uma evolução para ambos os artistas. Os Maroon 5 vão interpretar este single pela primeira vez na televisão a 3 de novembro, no programa “Ellen”.

A banda encontra-se de momento em digressão pelos EUA e Canadá.

Vodafone Band Scouting vai selecionar bandas para atuarem no Vodafone Mexefest

Mantendo a contínua e consistente aposta da Vodafone no apoio aos novos talentos nacionais, o Vodafone Band Scouting regressa este ano para mais uma edição. Até ao dia 9 de novembro estão abertas as inscrições para o casting que vai dar a oportunidade a duas bandas ainda desconhecidas do grande público para atuar no Vodafone Mexefest, que decorre nos dias 25 e 26 de novembro.

Vodafone-Mexefest.jpgAs candidaturas devem ser submetidas através do preenchimento do formulário disponível aqui, dando a conhecer o nome da banda, uma pequena biografia sobre o projeto e, ainda, um link do YouTube ou Vimeo com um vídeo da formação a interpretar um tema original de sua autoria. O casting é aberto a qualquer residente no país, desde que os candidatos não tenham nenhum tipo de contrato com uma editora. Para mais informações, o regulamento da iniciativa está disponível no site do festival. Terminado o período de candidaturas, o júri do Vodafone Band Scouting – composto por membros da Vodafone, da Música no Coração e do coletivo HAUS – vai selecionar seis finalistas.

Segue-se um casting ao vivo, na estação de metro da Alameda, em Lisboa, no dia 18 de novembro. As bandas apuradas terão de atuar durante 15 minutos perante o júri, que vai escolher duas bandas para abrir o palco Vodafone FM, integrando assim a programação do Vodafone Mexefest. A avaliação do júri terá em conta a originalidade das bandas, a competência técnica de execução e o alinhamento musical com o Festival e a rádio Vodafone FM.

 

Depois das atuações, o júri vai escolher o grande vencedor do Vodafone Band Scouting, que será anunciado a 28 de novembro. A banda eleita ganha a oportunidade de gravar o seu primeiro longa duração no estúdio HAUS. A descoberta de nova música portuguesa é uma das premissas do Vodafone Mexefest e com esta iniciativa a Vodafone reforça, na edição de 2016, o seu compromisso na aposta de novas sonoridades. Em edições passadas, o Vodafone Band Scouting ajudou a promover algumas das mais recentes bandas-sensação da música nacional como, entre outros, os Cave Story, os Pista, os Galgo ou os Flying Cages.

Luísa Sobral… “My Man” o primeiro single do novo disco já disponível

Quando escrevi esta canção, tinha em mente aqueles espirituais que os escravos americanos cantavam nos campos de algodão, e que no fundo foram o início do blues”, conta Luísa Sobral. “Sempre gostei muito desse som e do sentimento que há em cada palavra”, continua.

foto

Luísa”, o 4.º álbum de Luisa Sobral, chegará às lojas a 18 de novembro e foi gravado em Los Angeles, nos United Recording Studios, por Joe Henry.

“Quando ouvi a música do produtor deste disco, o Joe Henry, ouvi nela não só o cru do blues mas também o quente do folk, e foi uma das razões que me fez querer tanto trabalhar com ele. Esta canção demonstra bem o ambiente deste disco. Um disco onde o piano cede o seu protagonismo à guitarra. Um disco que mal posso esperar por tocar ao vivo.” 

“An Evening with Dave Matthews & Tim Reynolds” em Portugal na Primavera…

Na próxima primavera os fãs dos Dave Matthews Band terão uma rara oportunidade de testemunhar ao vivo a química especial entre Dave Matthews e Tim Reynolds, numa digressão que passará pelas mais intimistas salas europeias. Em Portugal, a dupla atuará dia 10 de abril no Coliseu de Lisboa e no dia seguinte, 11 de abril, no Coliseu do Porto.

eee.jpgDurante estes concertos acústicos Matthews e Reynolds irão descortinar a essência de cada música, bem como revelar a sua história. A digressão arranca com duas noites na emblemática sala Londrina Eventim Apollo nos dias 21 e 22 de março. “An Evening with Dave Matthews & Tim Reynolds" passará por 14 cidades, com início no Reino Unido, Irlanda, Holanda, Dinamarca, Alemanha, Áustria, República Checa, Itália, terminando em Portugal, com dois concertos nos Coliseus.

 

Dave Matthews, líder e vocalista da banda Dave Matthews Band, lançou o seu primeiro álbum a solo, “Some Devil”, em 2003, do qual o single “Gravedigger” foi vencedor de um Grammy na categoria “Best Male Rock Vocal Performance”. Tim Reynolds é um autodidata mestre de cítara, guitarra de jazz, djambé, guitarra de 12 cordas, violino e bandolim, bem como de guitarras acústicas e elétricas. Para além do trabalho que realiza com Dave Matthews Band, integra o trio elétrico TR3, que fundou em 1984. Como duo, Dave Matthews & Tim Reynolds já lançaram três DVD duplos ao vivo, “Live At Luther College” (1999), “Live At Radio City” (2007) e “Live In Las Vegas” (2010).

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

10 de Abril 2017 | 21.00h

 

Coliseu (Porto)

11 de Abril 2017 | 21.00h

Livro: “Imagem Profissional - Guia de Estilo” de Rita Carvalho

Se aposta na sua formação académica e profissional, dedica todo o empenho às suas tarefas e projectos, dá atenção aos seus clientes e passa a maior parte do seu tempo no trabalho, então por que não investe também na sua imagem? E sabe que novos desafios surgiram com as inovações tecnológicas e o aumento da importância das redes sociais?

A realidade é que as pessoas formam até 90% da sua opinião ao fim dos primeiros 4 minutos, e que 60 a 80% do impacto que causa é de natureza não verbal.

Imagem_Profissional_convite

Se está a iniciar a sua carreira, pretende saber o que usar numa entrevista de emprego ou quer melhorar a sua imagem profissional, então é essencial ter orientação nesta área. Este é um Guia Prático de Estilo Profissional, que aborda os vários contextos empresariais. As orientações e as recomendações deste livro são úteis e simples de aplicar no dia-a-dia. E não se esqueça que as pessoas não deviam julgá-lo pela sua aparência, mas é o que fazem. Sempre.

 

A consultora de comunicação e imagem Rita Carvalho explica tudo o que precisa de saber em Imagem Profissional - Guia de Estilo, um manual prático com conselhos que, eles e elas, podem usar no dia-a-dia.

Na próxima sexta-feira, dia 21 de outubro, às 18h30, estará no El Corte Inglés, para demonstrar como nos devemos maquilha e vestir para o emprego que gostariamos de ter (e não para o que já temos)

 

Edição: Casa das Letras

Exposição de fotografia “Círculos de Emoção”…

A Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira inaugura no próximo sábado, 22 de outubro, às 17h00, a exposição de fotografia “Círculos de Emoção”, de Humberto Barbosa. São 55 momentos congelados no tempo, em dias de felicidade e afetos, que contam estórias de vida e emoção. A receita da venda das obras reverte a favor do Instituto Português de Oncologia do Porto.

Círculos de Emoção_imagem 2

Um olhar cúmplice, um aperto de mão nervoso, um abraço emocionado. A recusa em ver o habitual, a procura em si próprio da irreverência. A diferença transportada em partículas de luz para a sua lente e daí para as gerações vindouras. A sua abordagem da fotografia social pretende mostrar como num dia se juntam duas estórias de vida para criar uma nova. Também essa nova estória tem espaço no olhar e coração do fotógrafo, que gosta de registar o maior fruto das suas estórias de amor. São estórias cíclicas que começam e nunca acabam – sendo o Amor o que as cria e desenvolve.

Humberto Barbosa nasceu e vive em Santa Maria da Feira. Com a fotografia sempre presente no seu quotidiano, adotou-a como modo de vida.

“Sou um espectador da realidade e quando fotografo procuro, com um olhar diferente, registar momentos de afetos, cumplicidades, sentimentos garantindo que as fotografias sejam como uma expansão da memória que permitem voltar a tempos idos e longínquos, possibilitando recordações nítidas de detalhes que, por terem sido vividos tão intensamente, não queremos que se desvaneçam no tempo”, escreve o fotógrafo no catálogo da exposição.

 

Biblioteca Municipal (Santa Maria da Feira)

22 Outubro a 26 de Novembro 2016

FAUP acolhe lançamento do livro “Álvaro Siza / Museu Nadir Afonso”

A sessão de apresentação do novo livro da editora Monade, “Álvaro Siza / Museu Nadir Afonso”, vai ter lugar a 20 de Outubro de 2016, Quinta-feira, às 18:30, no Auditório Fernando Távora, FAUP. A sessão contará com a presença dos Arquitectos Álvaro Siza e dos autores do livro: Jorge Figueira, Paulo Tunhas, João Carmo Simões e Daniela Sá.

Museu Nadir Afonso, Álvaro Siza (c) João Carmo Sphoto: João Carmo Simões

 

O Museu Nadir Afonso é a "mais significativa obra da última década do percurso do arquitecto Álvaro Siza, Prémio Pritzker 1992. No planalto à beira-rio, na cidade romana de Chaves, no interior do seu país natal, Siza constrói o Museu Nadir Afonso. Entre a modernidade de o elevar do chão (sobre as águas) e o vernacular recorte da sua planta, o edifício revela a excepcional maestria deste arquitecto e a própria condição contemporânea da arquitectura".

 

O livro contém um texto ensaístico de Paulo Tunhas (filósofo), um ensaio crítico de Jorge Figueira (arquitecto), um ensaio fotográfico de João Carmo Simões (arquitecto), Memória Descritiva do Arquitecto, um Panorama de Esquissos e Fotografias, uma Lista de Obras seleccionadas, Bibliografia seleccionada, Lista de Materiais, Lista de Dimensões do projecto e um Desdobrável com desenhos técnicos do edifício, Cortes Construtivos e Fotografias de Obra.

Trata-se de uma edição bilingue em português e em inglês. A entrada na sessão de lançamento é livre, sujeita à lotação da sala.

 

Monade é o nome da nova editora portuguesa independente fundada e dirigida pelos arquitectos Daniela Sá (Docente Convidada da FAUP) e João Carmo Simões, que funcionará como "uma plataforma para criação de livros de arquitectura, fotografia, arte e pensamento". É objectivo da Monade ser uma editora "atenta à repercussão da arquitectura portuguesa no estrangeiro e empenhada em devolver a espessura do contexto de cultura e pensamento portugueses na construção dessa identidade", referem os editores. O lançamento da editora foi assinalado com a apresentação do livro 'Museu Nacional dos Coches. Paulo Mendes da Rocha' da autoria de Ana Vaz Milheiro, Gonçalo M. Tavares e João Carmo Simões.