Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Musa… A Cerveja independente chega ao Porto com muita música

Depois da aventura em Lisboa, calçada fora com guitarras e amplificadores na mala, e a espalhar a mensagem da cerveja artesanal pela capital, chegou a hora de começar a digressão da Cerveja Musa pelo Porto com uma festa de lançamento.

A primeira festa está marcada para o dia 30 de Setembro, das 21 às 4 da manhã​, na Antiga Casa Moura, e conta com todos para sacarem a boina (carica, para quem ainda não está familiarizada com o vocabulário Musa) às mais afinadas criações cervejeiras artesanais.

Flyer_Post_WEB.pngUma viagem que vai ser guiada pela mão do Duquesa, pelos pés dos Sensible Soccers e pelo coração exótico do Nicola Cruz. A descarga muscular fica a cargo da fina flor da electrónica nacional dos coletivos da Extended Records / con+ainer / FUGA (Terzi b2b Ludovic b2b Marco Coelho).

 

A Musa é uma cerveja para pessoas que pensam, “está-me mesmo a apetecer beber uma cerveja”. Feita por pessoas que pensam “está-me mesmo a apetecer fazer Uma cerveja”. Usam receitas antigas e métodos artesanais para criar uma cerveja revolucionária. Tão revolucionária que em vez de uma carica devia ter uma boina na garrafa. Esta disponível em 3 variedades, “Mick Lager”, “Red Zeppelin Ale” e “Born in the Ipa”

 

Antiga Casa Moura (Porto)

30 de Setembro 2016 | 21.30h

Julianna Barwick, Sarah Neufeld (Arcade Fire) e Norberto Lobo apresentam novos discos no gnration até ao final do ano

De outubro a dezembro, o gnration receberá apresentações de novo discos de Julianna Barwick, Sarah Neufeld, a violonista dos Arcade Fire, e Norberto Lobo. A somar, André Gonçalves dará a conhecer “Música Eterna”, os bracarenses Máquina Del Amor vão ao Trabalho da Casa e Michael Rother (NEU!, Harmonia, Kraftwerk) irá relembrar os melhores temas da sua carreira.

f-i-13-08-barwick.jpgA programação cultural para o próximo trimestre contará com apresentações de novo discos de Julianna Barwick, Sarah Neufeld e Norberto Lobo. Julianna Barwick apresentará “Will”, o terceiro disco de originais, concebido e produzido pela própria em vários locais durante o ano passado. Em “Will“ poderemos ouvir ecos da noite de Lisboa em “Sta. Apolónia” ou Mas Ysa (nome artístico do multi-instrumentista Thomas Arsenault) que empresta riqueza vocal a “Same e “Someway”. O disco conta ainda com colaborações da violoncelista alemã Maarten Vos e do percussionista Jamie Ingalls (Chairlift, Tanlines, Beverly), atua a 28 de novembro.

sarahneufeldpress.jpgViolinista e compositora, Sarah Neufeld é conhecida por integrar os Arcade Fire, mas também por ser fundadora dos aclamados Bell Orchestre. No novo disco, “The Ridge” (2016), que apresentará em Braga, Neufeld afasta-se do minimalismo clássico e abraça um mundo rítmico da pop minimalista, dando mais enfase às vocalizações. O disco conta com o Jeremy Gara, dos Arcade Fire, na bateria, atua a 12 de novembro.

Norberto Lobo, umas das figuras principais da música portuguesa do nosso tempo, tem novo álbum de originais. “Muxama”, de seu nome, é o sexto disco de estúdio em nome próprio e o seu segundo lançado no editora suíça Three:Four Records, sucedendo a “Fornalha” (2014). Atua a 25 de novembro.

André Gonçalves opera em diversas áreas artísticas, nomeadamente nas artes plásticas, música, instalação e performance. “Música Eterna” (2015) é uma edição sem duração e sem formato fixo. Um “álbum” fechado dentro de uma aplicação para iOS que funciona apenas em iPhone/iPad/iPod, e conta com a participação especial de Alex Zhang Hungtai (Dirty Beaches) e Casper Clausen (Efterklang). Atua a 3 de dezembro, dia em que também dará uma masterclass de introdução aos sintetizadores modulares.

Michael-Rother-2.jpgAntes de se lançar a nove trabalhos a solo, Michael Rother foi membro dos Kraftwerk em 1971 e fundou os lendários grupos NEU! (com Klaus Dinger) e Harmonia (com Hans-Joachim Roedelius e Dieter Moebius, dos Cluster). Para muitos fãs, músicos e críticos, o guitarrista e multi-instrumentista foi figura-chave na inovadora cena musical que originou na Alemanha no início da década de 70. No gnration, Michael Rother apresentará temas de NEU!, Harmonia e ainda canções favoritas do seu trabalho a solo, a 16 de outubro.

 

A iniciativa Trabalho da Casa coloca artistas locais em residência artística e posterior concerto. Depois de Gonçalo, dos Ermo e da editora con+ainer, o Trabalho da Casa receberá os bracarenses Máquina del Amor a 17 de dezembro.

 

De 26 a 30 de outubro, o gnration junta-se ao festival SEMIBREVE para acolher instalações concebidas por alunos da Universidade Católica Portuguesa, Universidade do Porto, Engagelab/Universidade do Minho, Museu Zero e Instituto Politécnico de Castelo Branco. No que toca a música, o festival receberá a estreia do inglês Andy Stott para apresentar o novíssimo “Too Many Voices”, álbum que o confirma como uma das figuras maiores da eletrónica atual. Nídia Minaj é um nome proeminente da Príncipe discos e, cada vez mais, um fenómeno internacional com passagens por palcos de festivais como Unsound e CTM ou clubes como o Berghain. O sucessor de “Danger”, a editar em 2016, é já considerado uma das edições do ano pela crítica especializada e será o primeiro LP de Nídia Minaj. Laurel Halo, em rara aparição em 2016, apresentará um espetáculo especial que incluirá material do aguardado novo longa duração, a ser editado em 2017. Ron Morelli, homem do leme na influente editora L.I.E.S., apresenta-se em DJ set no SEMIBREVE, uma passagem em dose dupla pelo festival onde também estreará o seu primeiro concerto para auditório, um exercício não rítmico baseado no disco A Gathering Together, editado na Hospital Productions.

Ainda este mês, a 23 de setembro, o gnration apresentará Bruno Pernadas em concerto. O músico português passará pela Blackbox para dar a conhecer o mais recente disco, “Those who throw objects at the crocodiles will be asked to retrieve them”.

The Sunflowers… Apresentação de “The Intergalactic Guide To Find The Red Cowboy”

Há uma energia fulgurante na música dos The Sunflowers. É a do rock (ou do punk), com aquela voracidade que parece eterna, insaciável. Que alegra os corpos e o espírito. Afinal, mais do que mudar o mundo ou chocar a tradição, esta foi sempre a sua grande promessa: trazer uma alegria indescritível e contagiosa a todos os que o encontram. Ora eis o que Carol Brandão e Carlos de Jesus fazem desde 2013, celebrando a beleza da guitarra e da bateria quando apaixonadas.

GLAM - The Sunflowers.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Os The Sunflowers são um duo e, como todos os duos do género musical mencionado, sabem fazer crescer o som com economia. Paradoxo? Pelo contrário, nesse exercício de síntese, cada canção explode num fragor de melodias e ritmos, de tal forma que só nos resta correr atrás delas. É o que acontece em “The Intergalactic Guide to Find the Red Cowboy”, o novo disco que os The Sunflowers interpretarão neste concerto, comunicando-o ao mundo. Nele resplandece toda uma narrativa do rock: aquela revolvida pelos The Sonics, pelos The Cramps, pelos The Gun Club, pelos U-men, pelos White Stripes e tantos outros. Em que a fúria do punk electrizou (ainda mais) o blues, o rock & roll, a surf-music, a country, orockabilly. É dela que vêm os The Sunflowers.

 

Mas desenganem-se os sisudos. Carol e Carlos fazem mais do que rever, deslumbrados, a história. Entre os dois, há uma relação que equilibra o seu (punk) rock, tanto quanto o move ou o faz dançar. Ouvem-se um ao outro, sem centelha de egoísmo. São um casal em relação, como se constata em The Witch: os riffs a pularem ao lado da bateria e as vozes a correrem juntas, em coro, a caminho de uma clareira. Não que num momento ou noutro, a guitarra não se destaque da bateria, e vice-versa (como acontece amiúde), mas é o prazer da interacção, a troca de olhares, a construção de uma certa intimidade (tornada pública em nome do artificio musical) que os conduz. Ponham os ouvidos no duplo contentamento que alimenta e acelera “Mountain” ou “Hasta la Pizza Rest in Pepperoni”.

 

É em “Post Breakup Stoner” e no tema que dá o título ao novo álbum que os The Sunflowers melhor sublimam este “método”. Na primeira, uma notável balada pop, quando a voz de Carlos parece soberana, a de Carol irrompe num lamento que oferece à canção uma inesperada pungência. O rock também sabe comover e consolar? Sim, sabe. “The Intergalactic Guide to Find the Red Cowboy” ilustra a capacidade de reinvenção do duo, num desfile de máscaras sonoras que o consagra como compositor de grandes canções. É o tema que encerra o disco, revelando uma banda que, sem poupar a energia, sabe transcender, com inteligência e panache, fronteiras estéticas. Dançar com os ouvidos sensíveis, tal é o repto que os The Sunflowers nos deixam neste disco e neste concerto.

A abrir a apresentação de “The Intergalactic Guide to Find the Red”, estarão o garage-rock desinibido dos 800 Gondomar e o punk oleado dos Moon Preachers. Uns de Rio Tinto, os outros de Lisboa, atestam a saúde do rock feito em Portugal e espelham a mesma energia que ilumina os The Sunflowers (JM)

 

Galeria ZDB (Lisboa)

23 de Setembro 2016 | 22.00h

Shawn Mendes em Portugal a 10 de maio de 2017…

Shawn Mendes, o artista revelação e uma das vozes mais elogiadas de 2015, acaba de anunciar a digressão mundial de apresentação do segundo disco de originais, que será apresentado aos fãs no próximo dia 23 de setembro. “Illuminate World Tour” passa por Portugal dia 10 de maio, no MEO Arena, em Lisboa.

shawn_mendes_album_is_titled_illuminate.jpgIlluminate”, sucessor do aclamado álbum de estreia “Handwritten”, veio comprovar o sucesso de Shawn Mendes, filho de pai português.  O cantautor já revelou aos fãs o primeiro single do novo disco, “Treat You Better”, e em apenas algumas horas o tema já era #1 em 36 países. O novo disco foi produzido por Gosling e pelo compositor Tobias Jesso Jr. e conta com o especial contributo do músico John Mayer. Mendes tornou-se um fenómeno pop após ter sido descoberto na internet e ter passado a ser um dos músicos mais seguidos online. Hoje conta com uma verdadeira legião de fãs, uma digressão mundial completamente esgotada em 2015, e atuações ao lado de nomes como Taylor Swift e Ed Sheeran.

O músico foi ainda eleito pela revista Time como um dos mais influentes adolescentes da atualidade, por dois anos consecutivos, foi nomeado pela Forbes como uma das 30 personalidades com menos de 30 anos mais influentes, e foi ainda vencedor do prémio “Favorite New Artist” em 2016, no People’s Choice Awards.

A pré-venda de bilhetes exclusiva para os membros do Fan Club arrancou no dia 12 de setembro. A venda ao público em geral teve início às 10h00 do passado sábado, dia 17 de setembro.

 

MEO  Arena (Lisboa)

10 de maio de 2017 | 19.30h

Abdullah Ibrahim a Solo… na Culturgest

Abdullah Ibrahim é um grande da história do jazz. Revelado por Duke Ellington, na Europa e nos Estados Unidos, a sua longa carreira, registada em dezenas de discos e em centenas e centenas de concertos por todo o mundo, deram-lhe esse lugar.

Veio a Lisboa várias vezes. Em setembro de 2011 esteve na Culturgest num concerto memorável a solo. Volta agora. Entretanto, em 2014, quando completou 80 anos, gravou, também sem acompanhamento, o álbum magnífico “The Song Is My Story”, um CD e um DVD.

abdullahibrahim

Nesse álbum, para além de improvisações, toca temas seus de 1954, 1960 e 1970. Com uma única exceção, são peças muito curtas, de breves minutos ou de menos de um minuto. Direito ao essencial, com uma extrema depuração. O recital desta noite não deve andar longe da estrutura desse álbum. Mas será o que este enorme músico quiser que seja. O que decidir no momento em que se sentar ao piano.

 

A sua arte continua a refinar-se, paira numa serenidade sábia. Os seus concertos, raros pela sua beleza, são escassos. Também por isso esta é uma oportunidade excecional para o ouvirmos.

 

Culturgest (Lisboa)

23 de Setembro 2016 | 21.30h

ModaLisboa Together….

Está a chegar ModaLisboa Together… Estão a chegar os desfiles Together. De 6 a 9 de outubro, no Pátio da Galé, com a apresentação das coleções para o verão 2017 dos nossos criadores.

Uma oportunidade para continuar a mostrar os valores que nos têm inspirado ao longo de 25 anos de ModaLisboa, a plataforma de excelência para divulgação de melhor produção de moda nacional. Com a assinatura, a forma, o design, o equilíbrio, a harmonia, a personalidade, a liberdade e o respeito que permitem a um criativo reinventar-se e a uma instituição estabelecer os seus laços de confiança. ModaLisboa continuará a ser este ponto de encontro entre a vontade de procurar, o desejo de criar e a alegria de produzir.

ML_Together2.jpgOs desfiles da celebração Together inauguram no dia 7 de outubro, com as onze coleções dos talentos Sangue Novo, e encerram domingo, 9 de outubro, com as propostas de Luís Carvalho para o próximo verão.   

Nuno Gama, em ano de celebração dos 30 anos da sua marca, mostra as propostas para o próximo verão no Pavilhão das Galeotas do Museu da Marinha, em Belém, dia 8 de outubro. Ricardo Preto apresenta 2 coleções: Homem no dia 7, no Pátio da Galé, e Senhora no dia 9, no Showroom Maserati, na Rua Nova de São Mamede.

 

Calendário de desfiles...

 

6 Outubro 2016

18h00 - FAST TALKS (Paços do Concelho)

 

7 Outubro 2016

18h00 - SANGUE NOVO (Pátio da Galé)

20h30 - CATARINA OLIVEIRA | LAB (Praça do Município / nº31)

21h30 - MORECCO | LAB (Praça do Município / nº31)

22h30 - RICARDO PRETO [Homem] (Pátio da Galé)

 

8 Outubro 2016

14h30 - NUNO GAMA (Museu de Marinha)

16h30 - DAVID FERREIRA | LAB (Praça do Município / nº31)

17h30 - AWAYTOMARS | LAB (Praça do Município / nº31)

18h30 - VALENTIM QUARESMA (Pátio da Galé)

19h30 - CIA MARÍTIMA (Pátio da Galé)

20h30 - CHRISTOPHE SAUVAT (Pátio da Galé)

21h30 - SAYMYNAME (Pátio da Galé)

23h00 - DINO ALVES (Pátio da Galé)

 

9 Outubro 2016

12h30 - RICARDO PRETO [Senhora] (Showroom Maserati)

14h30 - OLGA NORONHA | LAB (Praça do Município / nº31)

15h30 - PATRICK DE PÁDUA | LAB (Praça do Município / nº31)

16h30 - FILIPE FAÍSCA (Pátio da Galé)

17h30 - RICARDO ANDREZ (Pátio da Galé)

18h30 - NADIR TATI (Pátio da Galé)

19h30 - KOLOVRAT (Pátio da Galé)

20h30 - LUÍS CARVALHO (Pátio da Galé)

 

ModaLisboa Together

Apresentação oficial das Coleções dos Criadores Portugueses.

Uma organização conjunta da Câmara Municipal de Lisboa e da Associação ModaLisboa.

2016 marca o regresso dos Octa Push às lides discográficas com “Língua”

Língua” tem apresentação oficial marcada para dia 23 de Setembro no Musicbox Lisboa.

A primeira parte é assegurada por Cátia Sá (ex-Guta Naki): “Pode partir-se de qualquer coisa, dum erro de gramática, dum tsunami que leva as plantas do terraço, da grua que nunca sobe nem desce, dum grito lá em baixo na rua, dessa fotografia da buganvília. O risco está nisso. Toda a ciência suspensa. Plantação indiscriminada — hoje daninhas, amanhã arbustos. Brecha no brejo. Farei de todos os meus cadernos uma mata selvagem e densa. Um baldio de canções porvir, um armário de fragmentos — mamutes do futuro, alforrecas da saúde, cachalotes do destino.”

Image1a.jpgO Clubbing fica a cargo de Mr Stephens e Mr Gasparov da Iberian Records, DJ Carie das Wicked Girls de Lyon, e da DJ, radio host e curadora, Rita Maia que nos visita de Londres.

 

O vídeo do tema “Gaia Cósmica” nasceu há cerca de 1 ano, após uma viagem à ilha de São Vicente e Santo Antão. Dessa viagem surgiu o conceito para a temática da música, uma música que fala de pessoas e da sua energia. Na mitologia Grega, Gaia é a mãe-terra, e daí a utilização também de referências a esta. Gaia Cósmica” conta com a colaboração de Cachupa Psicadélica na voz e viola e João Gomes (Orelha Negra, Cais Sodré Funk Connection, Fogo Fogo) nas teclas adicionais. Num álbum (“Língua”) que fala de Liberdade, “Gaia Cósmica” é dedicada a quem a vive.

Gaia Cósmica” foi realizado e editado por Leonardo Guichón com ilustrações adicionais da autoria de Sara Feio.

 

 

Musicbox (Lisboa)

23 de Setembro 2016 | 23.00h

The Discotexas Band… Residência Artística no Funchal

“A história da residência artística é longa e tem já barba branca. Desde que criámos o Aleste que é nosso objectivo convidar bandas/ colectivos a encontrar inspiração na nossa ilha para a criação do trabalho artístico.

Desde a experiência piloto com os Liima em 2015 que andamos cheios de ganas de fazer este formato viver e respirar por si, sem âncora, sem rede, e focando toda a atenção nos artistas em residência.

Tendo isto em mente, decidimos desafiar a The Discotexas Band a compor parte do seu disco de estreia no Funchal, junto a nós e com vocês no coração. Todos os membros da banda passaram ao longo do último ano pela Madeira: Moullinex numa memorável Dancetaria, Xinobi no Aleste e Da Chick no Nos Summer Opening, todos eles com admiráveis actuações e grande impacto no público regional.”

Image1.jpgO resultado desta residência artística, que decorre de 19 a 24 de Setembro, pode ser ouvido no último dia, sábado, na Capela de Santa Catarina, das 18h às 01h, estando as hostes de abertura entregues a Jibóia & Ricardo Martins.

No dia 24 de Setembro, preparem os vossos melhores sapatos porque a tarde/ noite será de baile!

Dead Combo e as Cordas da Má Fama esgotam concerto único

Os Dead Combo têm percorrido o país (e o mundo), atuando sempre para plateias que aplaudem entusiasticamente este que é um dos projetos mais originais da música portuguesa contemporânea. Agora os Dead Combo e as Cordas da Má Fama apresentam no Museu Arqueológico do Carmo (Ruínas do Carmo) um espetáculo único, pensado exclusivamente para este espaço emblemático.

dc.jpgO concerto realiza-se no próximo dia 22 de setembro, às 21h00, estando já completamente esgotado. 

Ainda este ano o duo formado por Tó Trips e Pedro Gonçalves conquistou o Disco de Ouro com "A Bunch of Meninos”, o mais recente álbum dos Dead Combo, por vendas superiores a 7.500 exemplares.

Com as Cordas da Má Fama (trio de cordas composto por Denys Stetsenko no violino, Bruno Silva na viola e Carlos Tony Gomes no violoncelo) os Dead Combo continuam a surpreender com novas roupagens da sua música, e o concerto nas Ruínas do Carmo será um momento particularmente especial para experienciar a criatividade do duo.

“Um Diário de Preces” a partir de Flannery O’Connor

Este “Um Diário de Preces”, da arrebatadora Flannery O'Connor, é um precioso texto descoberto recentemente (2013), onde a já mítica autora de culto do "gótico sulista", da "bible belt" dos E.U.A meridionais, se dá em diálogo com Deus. Ou melhor, em solilóquio. Outros dirão monólogo. O que nele é teatro é antes de tudo o surpreendente relato de uma alma em convulsão com os limites da criação artística, de si enquanto corpo vivo e espírito interrogador, do poder da oração e, sobretudo, do sentido do Absoluto nas nossas vidas.

Isabel Abreu (c) Silverbox.PNGphoto: Silverbox

 

Para este "trabalho de câmara", íntimo, dilacerado e "a caminho", Miguel Loureiro pedirá ajuda, na conceção e execução, da carismática artista Isabel Abreu.

 

Autoria Flannery O’Connor

Tradução Paulo Faria

Encenação Miguel Loureiro

Interpretação Isabel Abreu

Desenho de luz Nuno Meira

Direção de produção Nuno Pratas

 

Centro Cultural de Belem / Sala de Ensaio (Lisboa)

22 a 25 de Setembro 2016

Emeli Sandé… novo álbum a 11 de novembro

Long Live The Angels” é uma viagem cativante pelos triunfos e tragédias vividas por Emeli Sandé ao longo dos últimos quatro anos da sua vida extraordinária. Exultante na entrega e arriscado na intenção, o disco está imerso num sentido de liberdade e autodescoberta.

 

Foi a partir desse sentimento de liberdade que foi criado o novo single, “Hurts”, uma canção cheia de alma e coração. “Todo o álbum é sobre não esconder mais nada e não me censurar. ‘Hurts’ é uma explosão, é algo muito sério”, explica Sandé.

emile.jpgMuito aconteceu a Sandé nos quatro anos que passaram desde que lançou o muito bem sucedido e aclamado álbum de estreia “Our Version of Events”. Não só foi o álbum mais vendido de 2012 e o segundo mais vendido de 2013, como também atingiu 7 platinas, esteve sete semanas consecutivas em 1.º lugar no Reino Unido e ultrapassou os Beatles ao estar 63 semanas consecutivas no top 10 vendendo mais de 4,6 milhões de cópias em todo o mundo.

A cantora teve três singles em 1.º lugar no top do Reino Unido, incluindo “Next to Me”, que chegou à platina nos EUA, com mais de 1,5 milhões de singles vendidos. Sandé foi também amplamente premiada, incluindo três Brit Awards, e distinções pelas revistas Q, Elle, Harpers e GQ. Inicialmente a multi-instrumentista estreou-se como compositora no meio urbano britânico, colaborando com artistas como Wiley, Wretch 32 e Chip, tendo-se mais tarde tornado numa compositora muito requisitada para grandes estrelas como Alicia Keys, Rihanna e Katy Perry.

 

Gravado entre Nova Iorque, Los Angeles, Londres e Oxford, e disponível nas versões Standard (15 temas) e Deluxe (18 temas), “Long Live the Angels” é uma explosão de energia e euforia tanto para o ouvinte como para a artista. Algumas canções podem soar lentas, mas são extremamente dinâmicas na sua entrega. “Fiz questão que a produção não estivesse demasiado trabalhada”, assinala Emeli Sandé. “E entreguei-me mesmo a nível vocal!” A voz incrível de Sandé é o coração deste álbum, destacando-se a mestria técnica e formal da cantora, mas também o seu natural espírito intuitivo enquanto vocalista.

Long Live The Angels” assinala um novo capítulo na vida de Sandé. “Estou orgulhosa do meu primeiro álbum e agradecida pelas experiências que me deu.”