Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Noites Ritual 2016… CRU

Os CRU são uma conquista… A conquista da improbabilidade, das distâncias geográficas, sobre o conforto do habitual. O grupo é formado por quatro músicos distantes entre si em quilometragem e em currículos musicais.

André Hollanda na bateria (Zen, fez parte dos Demitidos, banda de Jorge Palma), Nuno Carneiro na voz (Ace dos Mind da Gap), Pedro Santos no baixo (faz parte da banda de Miguel Araújo) e Sérgio Freitas nas teclas (Zany Dislexic Band e Old Jerusalem, tocou também nos We Trust).

CRU promo email.jpgphoto: Promo

 

O som que praticam é uma viagem ora calma, ora frenética onde o combustível é a inspiração. Tudo com uma linguagem estética que tem, curiosamente, tanto de tipicamente nacional como de ambiciosamente internacional. Se na parte musical os ritmos e as melodias são claramente inspiradas pela classe e luxúria do passado e presente da música negra, há nas letras uma identidade lusitana.

Algo que deixa a nítida sensação de que só em português a poesia soa assim, quando cantada. Dos ambientes mais melódicos aos momentos mais dançantes, a música dos CRU tem um efeito físico real. Crua mas refinada, subtil mas avassaladora, metafórica mas honesta, é assim a música dos CRU.

Com o primeiro video premiado pelo P3/Público como Videoclip3 do ano 2015, os CRU arrancam 2016 com concertos e apresentações ao vivo enquanto gravam o seu primeiro álbum com lançamento previsto para este mês de Setembro.

Dia 24 marcam presença na edição de 2016 das Noites Ritual na Concha Acústica pela meia-noite.

Noites Ritual 2016… The Black Zebra

Quando em 2015 os irmãos Hugo e Nuno Machado resolveram juntar-se na bateria e na guitarra, nasceu o pós-rock explosivo tão característico dos The Black Zebra.

TBZ promo email.jpgphoto: Promo

 

Em palco são apenas 2, mas quando fechamos os olhos podemos pensar que são 4 ou 5. Depois do E.P. "The Worst Shit Demo", lançado em 2015, e de uma extensa tour de promoção da banda, preparam já a edição do seu primeiro longa duração "Nonsquare”.

O single de avanço "Children" já roda em algumas rádios e nas redes sociais.

 

Dia 23 marcam presença na edição de 2016 das Noites Ritual na Concha Acústica pelas 22h.

Heroes just for one evening… O legado de David Bowie

Celebrando a criatividade transgressiva e a inovação sem limites que associamos a David Bowie, o congresso interdisciplinar David Bowie Interart|text|media culmina numa mesa-redonda com convidados de várias áreas artísticas, seguida por uma sessão de DJing.

davidbowie.jpgModerada pela radialista e crítica de música Isilda Sanches, a mesa-redonda conta com a presença do cineasta Manuel Mozos, dos músicos Rui Pregal da Cunha e Vítor Rua e do jornalista e crítico de música Vítor Belanciano, para dar início a um diálogo aberto ao público sobre o multifacetado universo bowiano. A sessão de DJing inclui versões e misturas de temas de Bowie apresentadas por Miguel Sá (curador do evento, músico e DJ), Rui Pregal da Cunha (ex-vocalista da banda Heróis do Mar, DJ e músico) e Svenska (DJ). O dress code (opcional) será de inspiração bowiana.

 

David Bowie Interart|text|media decorre na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa entre os dias 22 e 24 de setembro de 2016, com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia e da Culturgest. Informações adicionais podem ser consultadas em davidbowieconference.org.

 

Bem-vindos e... Let's dance!

 

Culturgest / Pequeno Auditório (Lisboa)

24 de Setembro 2016 | 17.00h

12º Circular Festival de Artes Performativas de 23 de Setembro a 1 de Outubro em Vila do Conde e Porto

Com Setembro chega mais uma edição do Circular - Festival de Artes Performativas, este ano entre 23 de Setembro e 1 de Outubro de 2016, em Vila do Conde. Da dança ao teatro, da performance às artes visuais, o programa do festival inclui estreias absolutas e nacionais, apresentações em processo de criação, intervenções em espaço público, explorando diversas possibilidades de diálogo entre as propostas artísticas, a cidade e o público. Mantendo um forte compromisso com a produção artística contemporânea, o Circular é também terreno de trabalho e experimentação. Residências artísticas decorrem em Vila do Conde, convocando o território e fortalecendo relações com o contexto local. Ao público, o festival propõe uma aproximação aberta à obra de arte e ao discurso autoral sob várias perspectivas e formatos que se estendem à conferência e à documentação.

Image1

A 23 de setembro, pelas 18:00, a Praça de São João, em Vila do Conde, aproveitando a entrada da Feira Municipal da cidade, que se realiza todas as Sextas-feiras, Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristóvão apresentam o espectáculo "Veleda" (em referência è republicana e feminista Maria veleda A peça, que conta com a participação do Grupo Ronda Típica de Carreço, foi uma encomenda da Comissão Nacional para o Centenário da República, 2010, com programação de Madalena Vitorino.

 

O jovem coreógrafo brasileiro Volmir Cordeiro regressa com "Rua" ao Circular, depois de em 2015 ter trazido "Inês aos palcos de Vila do Conde. A 24 de setembro, às 21:30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, o espectáculo "Rua" conta com a presença em palco de um percussionista com o qual Volmir Cordeiro estabelece um diálogo sobre o imaginário da rua, num trabalho que continua, no seguimento dos anteriores, a abordar os gestos considerados marginais na dança contemporânea.

 

No mesmo dia, 24 de Setembro, pelas 22:45, nua da Praia, Vila do Conde/Caxinas, ocorrerá a apresentação da criação em processo "Pescadores" de João Sousa Cardoso, livremente inspirado na obra homónima de Raúl Brandão, que conta com interpretação do português Ricardo Bueno e do brasileiro Vinicius Massucato e é o resultado de uma residência artística que decorreu nas Caxinas, em Vila do Conde.

 

A meio da semana, o Circular vai até ao Porto para a apresentação a 28 Setembro, pelas 19:00, no Café Concerto do Rivoli Teatro Municipal do Porto, da publicação "Intermitências" de Joclécio Azevedo. O livro reúne toda a documentação produzida à volta do projecto “Intermitências”, realizado através de uma série de curtas residências artísticas intermitentes e interligadas, seguidas de apresentações em processo em vários espaços do Rivoli - Teatro Municipal do Porto entre Maio de 2015 e Fevereiro de 2016. A sessão vai contar com a participação de Joclécio Azevedo (coreógrafo), Jérémy Pajeanc (artista plástico), Tiago Guedes (Diretor do Teatro Municipal do Porto) e Paulo Vasques (co-director do Circular Festival de Artes Performativas)

 

A 29 Setembro, às 22:00, a mala voadora.porto (Rua do Almada 277, Porto) acolhe a Conferência/Performance/Instalação de João dos Santos Martins "Dança da crise ou talvez ele pudesse pensar primeiro e dançar depois ou como fazer coisas sem dança ou oldschool#40 (2015)". Trata-se de uma conferência-performance-instalação em modo auto-biográfico de e com João dos Santos Martins a convite de Susana Pomba, com coreografia de Cyriaque Villemaux.

 

A partir de 30 de Setembro, o Circular regressa a Vila do Conde com o projecto "Air-Condition" do Iñaki Alvarez que prevê várias acções em diversos locais da cidade nos dias 30 de Setembro e 1 de Outubro (programa e percurso detalhados anunciados brevemente). "Air-Condition" propõe a criação de acções e situações nas quais o ar pode ser protagonista/performer e em Vila do Conde vão ser criadas diferentes situações/acções em torno da tensão entre comportamento climático e espaço público, alargando as relações entre o interior, o exterior e além. Este trabalho foi desenvolvido em Residência Artística em Vila do Conde a convite do Circular Festival de Artes Performativas.

 

A 30 de Setembro, há dupla sessão no Teatro Municipal de Vila do Conde com "Boca Muralha" de Catarina Miranda (21:30) e a estreia nacional de "Pulse Constellations" de Gabriel Schenker (22:45). Em "Boca Muralha", Catarina Miranda retoma a pesquisa cénica que parte de protocolos de confronto e de regulamentações entre dois corpos e um vazio, naquela que constitui a última peça da trilogia REI na qual aborda a divinização do estado de confronto e o desejo ontológico de disrupção, a partir do protocolo das artes do espectáculo. Gabriel Schenker, que já passou por diversas vezes pelos palcos portugueses como intérprete de coreógrafos como Anne Teresa de Keersmaeker/Rosas ou Alexandra Bachzetsis, apresenta-se na sua estreia nacional como criador com "Pulse Constellations". O espectáculo parte da composição electrónica Pulse Music III de John McGuire, de 1978, uma peça complexa em multi-camadas criada a partir uma imagem sonora de movimentos no espaço. Com a sua performance, Schenker explora os limites entre a matemática e o orgânico, a precisão digital da música electrónica e a imprecisão analógica da dança, as fronteiras entre o dançável e o audível

 

O Circular 2016 encerra a 1 de Outubro, pelas 21:30, com a estreia absoluta do trabalho "A Caçada" de Filipe Caldeira que parte da figura primitiva do caçador, de alguém que se prepara para o encontro com a sua subsistência.

Filipe Caldeira, Joana von Mayer Trindade, João dos Santos Martins e Joclécio Azevedo integram o projecto “Artista Residente”, iniciado em 2012 pela Circular – Associação Cultural, entidade promotora do festival de artes performativas em Vila do Conde. Este projecto propõe repensar possibilidades de colaboração entre artista e estrutura numa perspectiva de maior estabilidade, criando processos de diálogo que enriqueçam mutuamente as práticas de trabalho e tem o seu enfoque na difusão nacional e internacional dos criadores.

 

O Circular Festival de Artes Performativas conta com direcção artística de Paulo Vasques e Dina Magalhães. O Festival terá lugar no Teatro Municipal de Vila do Conde, Auditório Municipal de Vila do Conde, Praça de São João (Mercado Municipal), Rua da Praia (Vila do Conde/Caxinas), Teatro Municipal Rivoli (Porto) – Café Concerto, mala voadora.porto (Porto, Rua do Almada nº 277) e vários locais públicos de Vila do Conde.

 

O Circular conta com o Alto Patrocínio da Câmara Municipal de Vila do Conde e é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal/ Ministério da Cultura/ Direção-Geral das Artes.

Sara Serpa e André Matos editam “All the dreams”

A dupla de jazz Sara Serpa e André Matos acaba de lançar o seu segundo álbum de estúdio, “All The Dreams”, com o selo da norte-americana Sunnyside Records. “Espelho”, “Story of a Horse” ou “Estado de Graça” são alguns dos temas já conhecidos que integram este novo registo. Para o sucessor do aclamado “Primavera” (2014), a dupla mantém o entusiasmo da experimentação, refina processos e da criatividade vivida em comunhão sai um conjunto de canções que nos fazem sonhar todos os sonhos do mundo, que afinal é só um.

All the Dreams_Sara Serpa

Magia, encanto, sintonia. Cumplicidade e audácia. Calmo e deslumbrante. Assim se pode descrever o trabalho da dupla lisboeta - agora-nova-iorquina - Sara Serpa e André Matos. A colaborarem desde 2005, a cantora e o guitarrista criaram um mundo sonoro muito pessoal e único, comprometendo-se numa música de atmosferas, sons puros com recurso à melodia e poesia. Juntos, revelam-se numa identidade que combina a sua cultura portuguesa com a criatividade de Nova Iorque.

 

Nascidos em Lisboa, mas radicados em Nova Iorque, Sara Serpa e André Matos conheceram-se em Boston e actuam juntos há mais de dez anos, tendo vindo a apresentar a sua música em países como o Brasil, Argentina, Uruguay, Estados Unidos, Alemanha, Holanda, Espanha e claro está, Portugal. Sara Serpa (nos últimos dois anos destacada pela prestigiada revista Downbeat como Rising Star Vocalist, numa votação dos críticos) e André Matos estão em ascensão na cena musical Nova Iorquina, sendo ambos músicos activos,  que têm vindo a colaborar colectiva e individualmente com músicos proeminentes como Ran Blake, John Zorn, Leo Genovese, Tony Malaby, Pete Rende, Thomas Morgan, Greg Osby, Danilo Perez, Guillermo Klein entre outros.

 

Primavera” (Inner Circle Music), o álbum de estreia do duo, saiu em 2014, sendo um trabalho desenvolvido maioritariamente em torno de música original, criada especificamente de um para o outro, dando ênfase à melodia e poesia e criando um arco de magia para quem ouve o disco do princípio ao fim. As palavras, através de letras originais ou recorrendo a poemas de Alberto Caeiro, e.e. Cummings ou Jeanne Lee, são perfeitamente ilustradas com um ambiente musical que nos envolve na história de cada canção.

No novo trabalho do duo, “All The Dreams”, Serpa e Matos continuam e aprofundam o uso da palavra na língua Portuguesa com poemas de Álvaro de Campos (seguindo nessa viagem Pessoana), Luís Amaro e ainda letras originais quer de Matos, quer de Serpa. O novo álbum é uma afirmação reforçada da individualidade e originalidade destes dois músicos. O rigor dos arranjos, a criação de camadas sonoras, em que a voz e a guitarra se confundem, e a carga emocional dos poemas selecionados, revelam em Serpa e Matos uma contínua procura e empenho em assumirem a sua música de uma forma natural e honesta.

Para o novo álbum, “All The Dreams”, Serpa e Matos, mantendo o entusiasmo da experimentação, refinaram processos e da criatividade vivida em comunhão sai um conjunto de canções que nos fazem sonhar todos os sonhos do mundo, que afinal é só um.

The Symphony of the Goddesses estreia em Portugal a 14 Outubro

Depois do grande sucesso alcançado nos maiores teatros do mundo com concertos esgotados desde o Madison Square Garden em Nova York, ao Palais des Congrès de Paris, do Hammersmith Apollo em Londres, ao Auditório Nacional da Cidade do México e ao Teatro Grego de Los Angeles, Portugal está no roteiro deste grande evento que se realiza no dia 14 de Outubro de 2016, no Coliseu de Lisboa.

zelda11

"the legend of Zelda" é um grande concerto com uma orquestra sinfónica e coro interpretando as bandas sonoras originais da mais famosa saga de videojogos de todos os tempos. Um espectáculo único, com projecções de vídeo em grande ecrã evocativas do percurso da lendária história da galardoada série de videojogos produzida pela Nintendo e considerada uma obra-prima pela crítica mundial.

Esta produção já incorpora música e visuais da nova edição “The Legend of Zelda”: Tri Force Heroes

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

14 de Outubro 2016 | 21.30h