Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Tu não sabes o que é o amor”… Novo single de Pierre Aderne

"Tu não sabes o que é amor” é o primeiro tema do novo disco do franco-brasileiro Pierre Aderne, gravado entre Madrid e Lisboa, e serve como canção de apresentação do trabalho com estreia agendada ainda em 2016. Uma canção que fala de uma eterna procura sem respostas no campo do amor. Dúvidas, certezas, correntezas, calmaria, euforia, silêncio e solidão.

2222.pngO disco "Da Janela de Inês" foi criado a partir de textos de Pierre para a sua personagem Inês, alguns escritos em prosa, outros em poesia, fragmentos de um “romance “ inacabado de Pierre, que nasceu com o intuito de servir e descrever o imaginário, onírico e fantasioso de Inês.

Ao todo são 10 dias na vida de sua personagem, cada canção, representada por um dia. "Tu não sabes o que é o amor" é uma primeira janela aberta para esse imaginário e abre caminho para a descoberta de outras facetas de Inês que serão reveladas com o lançamento do novo trabalho de Pierre Aderne. Por ter criado uma personagem feminina como protagonista deste álbum, o trabalho promete homenagear as mulheres portuguesas que o próprio artista admite terem sido a sua fonte de inspiração. A sua sonoridade é caracterizada pelo próprio como “uma música do mundo da lusofonia que flerta com o jazz e a bossa nova".

Papillon ao vivo no Croka’s Rock

Os portuenses Papillon têm concerto agendado na próxima sexta, dia 5 de Agosto, no palco principal do Festival Croka’s Rock, em Castelo de Paiva, que celebra este ano a sua oitava edição. A banda do laçarote apresentará ao vivo algumas canções que farão parte do seu EP de estreia, a ser editado ainda este ano com o selo da Music For All, e do qual já é conhecido o primeiro single, “Engraçado (Já Não Há Pai P’ra Mim)”.

Papillon_Flyer Crocka's Rock.pngPapillon é um laço. Ponto um.

Ponto dois: também é um grupo de gente que faz música sem juízo. Os Papillon são feitos de gente e gostam de laços, porque os laços são coisas que ligam. Além disso os laços lembram qualquer coisa fora do tempo e os Papillon gostam disso: de não haver tempo, nem etiquetas, nem juízos. Nem juízo. Os Papillon são gente de laços. Com música de perder o juízo.

Compostos por Joana Manarte (voz), Pedro Silva (baixo), João Mascarenhas (teclas), Rui Ferreira (bateria), Raul Manarte (guitarra), Tiago Ferreira (trombone), Luís Macedo (trompete) e Pedro Gomes (saxofone)), estrearam-se ao vivo em 2014, no Porto.

Resultado de múltiplas influências estéticas, os Papillon proporcionam um espetáculo cheio de energia, significado e vitalidade, sendo comum o concerto acabar com o público a dançar. Os elementos da banda juntam-se trazendo a experiência de outros projetos, desde a música clássica ao jazz, dos blues ao funk, do pop ao rock, entre outros estilos, em trabalhos de composição, interpretação e performance.

Entre a sua estreia em palco no Plano B (Porto) e, mais recentemente, a passagem pela final do EDP Live Bands, têm tido concertos no Porto e em Guimarães, com destaque para o Hard Club, uma das principais casas de música ao vivo da Invicta. Também foram convidados para integrar o Porto Swing Jam por dois anos consecutivos, onde tiveram a oportunidade de participar num evento de Lindy Hop (novamente no Hard Club), em concertos pensados para dançar. A destacar também as atuações televisivas no Porto Canal e no palco do programa “Portugal 3.0” da RTP2.

As letras são um dos pontos fortes do projeto, chamando a atenção até do ouvido mais desatento e as reações dos ouvintes têm sido de surpresa e identificação com os textos e as músicas. No palco vê-se uma banda que transparece uma relação cúmplice entre os elementos e um compromisso comum: criar uma atmosfera positiva, contagiante e envolvente com o público e com a música.

Para o segundo semestre de 2016 está prometida a chegada do EP de estreia.

First Breath After Coma regressam a Lisboa

Os First Breath After Coma, que acabaram de lançar "Drifter", estão a preparar novidades e prestes a pisar o palco de Paredes de Coura e do festival alemão Reeperbahn.

GLAM - First Breath.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Glam Magazine

 

Depois dos singles "Salty Eyes", da colaboração com Noiserv em "Umbrae" e de um CCBeat cheio, regressam a Lisboa

O cruzamento da influência post-rock com o formato canção que fez do seu disco uma surpresa auspiciosa era apenas o início de uma viagem que agora tem um segundo capítulo. Gravaram sons de quase tudo o que os rodeava, perderam-se nas discografias da evolução do rock e da música eletrónica e o resultado, “Drifter”, carrega o ADN dos First Breath After Coma mas aponta ainda mais caminhos para o presente e para o futuro desta jovem formação leiriense.

 

Musicbox (Lisboa)

5 de Agosto 2016 | 22h30. 

Nice Weather For Ducks abrem Festival Citemor em Coimbra

O Festival Citemor, na sua 38ª edição, começa em Coimbra e no primeiro dia leva ao palco do Salão Brazil os Nice Weather For Ducks para apresentarem o recente "Love Is You And Me Under The Night Sky".

20160512122950.jpg

 

O single "Marigold" tem rodado insistentemente, ocupando o pódio nas últimas semanas do Índice A3-30 da Antena 3.

Ao longo dos últimos quatro anos, os Nice Weather For Ducks viajaram de furgoneta e de avião, apaixonaram-se em Punta Caña, geraram descendência e deram conta que "Love Is You And Me Under The Night Sky". Este novo disco conta com produção, mistura e masterização dos Few Fingers - André Pereira e Nuno Rancho. Quem já ouviu já se apaixonou e desfez em elogios. 

“Bullshit”… de Funk I.D.

O rapper Funk I.D. apresenta “Bullshit”, monumento à integridade artística e hino de resiliência contra as agruras da vida e os desmoralizadores do dia-a-dia. Este é o primeiro passo que o jovem MC dá a solo, depois de vários trabalhos colaborativos e independentes. O single será o cartão de visita do EP “Ideias à Prova de Bala”, que lançará digitalmente este mês de agosto com o selo da Music In My Soul.

Funk ID_promo.JPGphoto: Promo /DR

 

Funk I.D. é o nome de código de Ruben Almeida, um artista de Odivelas bastante versátil que se constrói a partir de variadas influências, criando a sua identidade a partir destas. Apresenta-se como rapper apesar de a sua música ser muito mais do que isso. Tenta conjugar a sua experiência no rap com a de artistas de outros géneros de forma a criar algo novo e que não imponha barreiras à criatividade. Nas letras que escreve estão impressas experiências, vivências, opiniões, desgostos ou alegrias, tudo aquilo que está a sentir em determinado momento. Tem como objetivo fazer chegar a sua música ao maior número de pessoas possível, mas sem nunca mudar a sua identidade.

Começou por escrever letras e só mais tarde passou a recitá-las para o microfone. A música que faz pretende passar sempre uma mensagem positiva e fazer com que quem a oiça se identifique com ela de algum modo. Neste momento, para além de uma maquete que foi o começo desta aventura em 2008, já conta com 4 trabalhos editados digitalmente e inúmeras participações e colaborações com outros artistas. Já deu vários concertos, principalmente de promoção dos seus trabalhos editados.

É um artista que pretende deixar o seu cunho na música nacional, principalmente no movimento hip hop. Para isso vai trabalhar sempre a 200%, como tem feito até agora. O importante é superar os obstáculos, acreditar naquilo que se faz e nunca desistir. Sempre envolvido em novos projectos, Funk I.D. está a trabalhar no seu primeiro trabalho a solo.

UHF cancelam concerto da Festa do Avante…

Os UHF decidiram cancelar o concerto na Festa do Avante deste ano, por motivos que se prendem com a utilização distorcida do nome do grupo na divulgação do evento, que não teve o seu acordo contratual. A prestação dos UHF estava marcada para o sábado, dia 3 de Setembro.

Seria a oitava vez dos UHF no palco da Festa do Avante. Começámos em 1981, há 35 anos, no Casalinho da Ajuda, e os números oficiais dessa noite apontavam para 120.000 pessoas a cantar “Cavalos de Corrida” e “Rua do Carmo”, entre outras. Lamento termos chegado a este impasse, que nos transcende. Aos fãs e a todos os que amam a música portuguesa, apresentamos o nosso pedido de desculpas”, palavras de António Manuel Ribeiro, cantor do grupo.

uhf.jpgphoto: Promo /DR

 

A digressão “O Melhor de 300 Canções“, que arrancou a dia 8 de Janeiro, em Ponte de Lima, continua a cruzar o país. Próximo destino: Flower Power Fest de Vila Nova de Santo André, a 11 de Agosto.

No passado sábado, os UHF encerraram o 9.º festival da Orquestra Nacional de Jovens, acompanhados por uma orquestra sinfónica de 140 músicos no CAE da Figueira da Foz

Telmo Pires canta inédito de António Variações e apresenta concertos na Lituânia

Depois de "Fado Fantasma", Telmo Pires apresenta agora o segundo single extraído do seu novo álbum "Ser Fado". Nada mais nada menos do que um inédito absoluto de António Variações, "Ao Passar por Braga Abaixo", que este mítico cantor, poeta e compositor nunca chegou a gravar e que ficou perdido entre o seu espólio até ser resgatado pela voz única do fadista Telmo Pires.

telmo1.jpgphoto: Ismael Prata

 

Nas próprias palavras de Telmo Pires: "Sempre fui um enorme fã de António Variações. E, paralelamente, sempre desejei cantar um tema que remetesse para a tradição musical portuguesa e que não fosse de fado. E tive a felicidade de, através de um irmão de António Variações -- o Dr.Jaime Ribeiro -- ter chegado a este belíssimo tema que tão bem representa a cultura musical do norte de Portugal, a que eu também pertenço. O António do Minho, eu de Trás-os-Montes".

 

Entretanto, na sequência da digressão de apresentação do álbum "Ser Fado", Telmo Pires chega neste mês de Agosto à Lituânia para concertos em Siauliai (dia 4), Kaunas (dia 5), Sakiai (dia 6) e à capital Vilnius (dia 7).