Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Imaginarius apoia difusão internacional de companhias de Santa Maria da Feira

O Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira marca presença no Greenwich International Marketplace e nos showcases XTRAX Shorts, eventos profissionais paralelos ao Greewich + Docklands International Festival, o maior festival de rua do Reino Unido. Com esta participação, o Imaginarius pretende apoiar a difusão internacional das companhias e artistas de Santa Maria da Feira e reforçar as dinâmicas do festival no mercado internacional.

GLAM - Vertico.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Glam Magazine

 

O evento conta com a acreditação de cerca de 250 delegados profissionais de todo o mundo, que acompanharão os eventos durante o próximo fim de semana. No dia 24 de junho, o festival terá um stand no Greenwich International Marketplace, para promoção das companhias de Santa Maria da Feira, nomeadamente as criações em estreia no Imaginarius, num ambiente dinâmico criado pela presença de 56 entidades internacionais.

 

No dia 26 de junho, a criação de grande formato VERTICO – coprodução das companhias Décadas de Sonho e Persona com o Imaginarius – será apresentada em showcase para uma plateia de programadores, após a seleção dos curadores da XTRAX entre centenas de propostas de toda a Europa.

 

Esta participação será, seguramente, mais um momento de afirmação internacional de Santa Maria da Feira e do seu potencial criativo”, considera o presidente da Câmara Municipal, Emídio Sousa.

 

Rock On! Party… Super Bock Super Rock Warm up…

O Teatro do Bairro associa-se ao Super Bock Super Rock e apresenta um concerto com os Chibazqui, num warm up pré-festival.

O nome da banda começou com um erro: era para ser Chinaski, um roubo descarado a Bukowski, mas alguém se enganou a teclar e escreveu “Chibaski”.

Daí ao aportuguesamento desavergonhado foi um pequeno passo. Ficou Chibazqui, nome estranho e sem significado, e em seu redor formou-se a banda, partindo do princípio de que é preciso lidar tranquilamente com o erro.

GLAM - Chibazqui.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

A tranquilidade é um elemento fundamental na história ainda curta dos Chibazqui, um quarteto cuja ambição maior é fazer tudo com vagar, evitando ao máximo a preocupação e a ansiedade.

E foi assim que, calmamente, Diego Armés (ex-Feromona), C de Croché, Filipe Sambado (Cochaise) e Silas Ferreira (Pontos Negros, Os Náufragos) foram construindo um álbum, sem forçar a música nem obrigar a lírica: tudo fluindo naturalmente.

Se não fluiu, deixou-se a descansar, a amadurecer, e um dia destes talvez se volte lá. O segredo é não planear demasiado.

 

Teatro do Bairro (Lisboa)

25 de Junho 2016 | 23.30h

No Damn Good lançam novo single “Sold my soul” em Junho

Os No Damn Good são um projecto que nasceu em Fevereiro de 2015 fundado pelo guitarrista Jaime Jordán após um convite a Renato Espada para a gravação de um EP composto por temas originais de Jaime Jordán.

À falta de vocalista e baterista juntaram-se a irmã do guitarrista, Luísa Jordán e Artur Ricardo na bateria.

O primeiro EP da banda foi produzido pelo guitarrista Luís Moreno (ex-Doutores & Engenheiros).

ndg.jpgphoto: Gonçalo Reis

 

Em 2016 a formação mudou com a entrada de João Bettencourt na bateria.

Com várias influências, desde o pop, pop-rock ao hard-rock, a banda encontra-se de momento a preparar novos trabalhos. O single “Sold My Soul”, o segundo da banda, será lançado dia 10 de Julho.

O tema acústico está disponível para download gratuito aqui

The Miami Flu… ao vivo em lisboa no Sabotage Club…

The Miami Flu é a nova aventura musical de Pedro Ledo e Tiago Sales, metade da alma e coração dos Lululemon, que já lançou no mercado dois discos: “The Flying Fortress” (2012) e “Sinharaja” (2013), ambos em registo instrumental. Após o lançamento do disco “Too Much Flu Will Kill You” os The Miami Flu arrasaram com a sua estreia ao vivo no Festival Party Sleep Repeat recolhendo ótimas críticas junto da blogosfera e público.

_PIX1036-Edit.jpgChegou agora a vez de Lisboa receber a banda de Vale de Cambra num concerto, dia 1 de julho, no Sabotage Club,  uma noite de psychrock no Cais do Sodré

 

Sabotage Club (Lisboa)

1 de Julho 2016

Milhões de Festa fecha a programação…

Com menos de um mês a separar o dia D, o Milhões de Festa fecha a programação dos quatro palcos, desta feita com o grime arrastado e decadente de GAIKA, o party hard-rock dos Oozing Wound e as distorções abusadoras em ritmo d-beat de Aggrenation, pela mão do SWR Barroselas Metalfest.

gaika.jpgPara além dos supramencionados, é fechado o grosso da programação do Milhões de Festa (ficando, ainda, algumas novidades por revelar) com PO+AL, que junta Pedro Oliveira dos peixe:avião num vaivém de improvisação com o exímio Alexandre Soares, membro fundador dos GNR e o, como não podia faltar, o sempre essencial e cada vez mais robusto Ensemble Insano fecham o grosso da programação do Milhões de Festa.

À residência dos Marshstepper com HHY, que decorrerá na cidade do Porto, no Café Au Lait, junta-se o sueco Varg, uma das mentes obscenas da Northern Recordings a melhor trabalhar as linguagens techno com outputs drone, noise e IDM.

 

O alinhamento já se encontra distribuído por dias:

 

21 de Julho

Jibóia

10 000 Russos

MADA TREKU

Eat the Turnbuckle

Aggrenation

PO+AL

 

22 de Julho

Goat

The Bug presents ACID RAGGA wth Miss Red

Sons of Kemet

Marshstepper + HHY + Varg

Nicola Cruz

Goth Money Records

Ensemble Insano

Nan Kolè

Cheryl

Wume

Malandrómeda

Vozzyow

Uppercut

Surma

 

23 de Julho

The Heads

Adrian Sherwood

Sun Araw

Islam Chipsy & EEK

GAIKA

Bixiga70

Domenique Dumont

Big Naturals

Riding Pânico

Filho da Mãe + Ricardo Martins

Discos Extendes

We Are Match

Quelle Dead Gazelle

Marvel Lima

 

24 de Julho

Dan Deacon

El Guincho

Ho99o9

Part Chimp

Evil Blizzard

Legendary Tigerman DJset

Nídia Minaj

Tomaga

Extraperlo

Orchestra Elastique

Barrio Lindo

Qer Dier

My Expansive Awareness

Ghost Hunt

 

Com os quatro palcos fechados, os bilhetes diários para o Milhões de Festa já se encontram, assim, à venda por 20€.

Elliphant… ao vivo no Sumol Summer Fest 2016… este sábado

Elliphant, voz inconfundível por detrás de temas como “Down on Life” e “Love Me Badder” atua este sábado, 25 de Junho, no Sumol Summer Fest, que tem lugar no Ericeira Camping em Ribeira d’Ilhas. Vem apresentar o álbum de estreia “Living Life Golden”, editado no passado dia 25 de Março, que também inclui os temas “Where is Home” (feat. Twin Shadow), “Spoon Me“ (feat. Skrillex), entre outros.

Elliphant_PR Shot 3 Photog - Dan Monick-81841541 -photo: Dan Monick

 

Elliphant já trabalhou com nomes como Skrillex, Dr Luke, Diplo, Major Lazer e Joel Little (o homem responsável pelo álbum de estreia de Lorde). A sua diversidade e coragem de fazer o que quer musicalmente, é o que faz tão apetecível. Ellinor Olovsdotter cresceu num bairro no sul de Estocolmo, naquela que chama uma “very classic modern liberal Swedish family”, e aos 18 começa a viajar pelo mundo de mochila às costas e um bloco de notas e um desejo rebelde de experiência de auto-expressão. Durante esse tempo, Elli (o nome pelo qual prefere ser chamada) descobriu a música como outro canal criativo super aberto para o seu cérebro.

Passados uns anos, adoptou a alcunha de Elliphant, assinando pela companhia discográfica sueca Company TEM e posteriormente pela Kemosabe Records de Dr. Luke, editando vários EPs. Finalmente, a 25 de Março 2016 edita o seu longa-duração de estreia “Living Life Golden”. Sobre o seu percurso muito pouco convencional, Elli afirma "The thing that makes my project special is that I never had a favorite genre and I never had a pretentious idea of my music”. E reforça, “People have their sound. They have their magic that they're holding onto, their way of doing things. If I looked at myself like that, I could have been broken really quickly. Instead, I am very free”.

 

Tem sido comparada a Mia, já andou em digressão mundial com Charli XCX e já contou com a colaboração e co-conspiração de nomes como Diplo, Skrillex, Dave Sitek (TV On the Radio) e, obviamente, Dr. Luke. Para Elli, tudo o que faz, de manhã à noite, acontece por instinto e feeling. Como resultado, não existem limites à creatividade. E é essa a diversidade que podemos encontrar em “Living Life Golden”, onde podemos encontrar temas como o tema-título, co-escrito e produzido por Dave Sitek, “Thing Called Life” (T Collar, Nick Ruth), “Love Me Badder” (Dr. Luke, Cirkut, Tommy Tysper), “Everybody”, também produzida por Dr. Luke e Cirkut e que conta com a participação de Azealia Banks, “Where is Home” (feat. Twin Shadow) ou ainda  “Spoon Me“ (feat. Skrillex).

Two Mirrors junta James Borges e Jonny Abbey

“Falling” é o single de apresentação da banda portuguesa Two Mirrors, que conta com um aliado de peso… Tom Coyne reconhecido na indústria musical por trabalhar com artistas de renome mundial como Adele ou Sam Smith.  James Borges, finalista do programa The Voice (Alemanha) e Jonny Abbey, antigo guitarrista dos Fingertips, formam o dueto Two Mirrors e acabam de lançar “Falling”, o single de apresentação, que foi ilustrado num vídeo que tem a cidade do Porto como pano de fundo, produzido pela Ideias com Pernas. O vídeo mistura imagens icónicas da cidade portuense em timelapse e slow motion com um resultado surpreendentemente belo e sedutor.

2.jpgA produção do álbum dos Two Mirrors, que chega ao mercado em Setembro, conheceu inspiração em Berlim onde o dueto trabalhou com o produtor Tim Tautorat (The Kooks, Manic Street Preachers, Eagles of Death Metal) nos estúdios de gravação Hansa Tonstudio por onde já passaram entre outros U2, Depeche Mode e David Bowie.

 

James Borges foi finalista do programa The Voice, na Alemanha. James tem um espírito aventureiro. Frequentou o conservatório de música em Luxemburgo e França, cantou nas ruas, em bares, casinos e outros espaços em vários países, razão pela qual fala cinco línguas fluentemente. Em 2016 voltou à terra natal dos pais, Portugal, para prosseguir a carreira musical.

 

João Abrantes que no universo musical foi batizado de Jonny Abbey, é neste meio onde se sente um cidadão pleno e livre de amarras comuns. Desde cedo ligado à música, não teve dúvidas em abraçar uma carreira e inscreveu-se em Produção de Tecnologias da Música, na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, no Porto. Após concluir a licenciatura Jonny ingressa nos Fingertips onde para além de participar na produção e gravação de temas também pisou palcos distantes e díspares, como na China ou Brasil.

 

Sei Miguel… Lançamento “(Five) Stories Untold”

Mente essencial na criação sonora produzida por cá, a obra de Sei Miguel não cessa de fascinar. São quase três décadas de estudo em tempo real, apuro estético natural e genuína comunhão cósmica.

Símbolo maior de uma música profundamente comprometida com uma linguagem própria, nele também vemos um pedaço de história injustamente esquecida ou pouco partilhada. Com a benção da Ama Romanta de João Peste, concebeu “Breaker”, um dos momentos mais cruciais do jazz – e da música portuguesa, em termos gerais – de que há memória.

Um autêntico statement em 1988, pleno de visões e sensações que viriam não só a abrir novos quadrantes para si como para toda uma geração de músicos e de público atento às novas expressões musicais que viriam a surgir. Ainda hoje, “Breaker” é objecto raro, física e conceptualmente falando, soando tão enigmático, sedutor e luxuoso quanto se poderia desejar. Contudo, este foi apenas o início de um trabalho maior, ainda e sempre em constante evolução. Consigo, foi-se cercando de alguns dos melhores, como Rafael Toral ou Manuel Mota. O eléctrico e o acústico, o ruído e o silêncio, foram algumas dicotomias que vieram a alimentar muito do seu percurso posterior (com especial ênfase no último elemento).

smserr1.jpgConhecido e reconhecido pela metodologia de composição única, a sua compreensão musical encontra-se muito além dos dois habituais pólos representados pela tradição do academismo e pelo experimentalismo puro.

A expressão de Sei Miguel acontece num cenário ongoing, sustentado por liberdade estética sim, mas portadora de uma ética de trabalho, e de ampla existência, não menos que poética. Se o papel do silêncio fora para John Cage causa de vida e legado, escassos foram aqueles que realmente a entenderam e adoptaram enquanto ‘outro lado das coisas’, no que respeita a origem, possibilidades e destinos artísticos.

Admirar e comunicar com essa suposta ausência, representando-a através do concreto pelo meio do abstracto tornou-se a magia do trompetista. Token ou Ra Clock ofereceram importantes acréscimos para que o público pudesse acompanhar então este admirável universo em suspensão. Tal ousadia valeu-lhe um misto de incompreensão e desconfiança por parte de alguns ouvidos que no entanto nunca abrandaram ou desmotivaram a continuidade de um laboro que só e apenas mereceria delapidar o desconhecido e assim encontrar o belo e o profano, lado a lado.

Nos últimos anos rodeou-se de um núcleo duro, embora variável, composto pela companheira de larga data Fala Mariam, pelo percussionista César Burago e pelo guitarrista Pedro Gomes – com quem gravou o excelso “Turbina Anthem”, disco de escuta obrigatória.

De notar ainda o capítulo do ensemble rock “O Carro do Fogo”, outra figuração ímpar no seu maravilhoso mundo em constante expansão. Nesta deslocação ao Aquário, Sei traz o novo álbum “(Five) Stories Untold”. Com edição da imparável Clean Feed, este é mais um capítulo chave na sua discografia, mais uma peça para melhor entender a linguagem transversal e ímpar de um artista que já dispensa apresentações de maior. Imperdível, como não poderia deixar de ser.

 

Galeria ZDB (Lisboa)

23 de Junho 2016 | 22.00h

Festa 2016… Convocatória Aberta para o projeto/espetáculo “Phonambient”

Phonambient é um dos projetos/espetáculos da edição da Festa 2016, que decorrerá nos dias 22, 23 e 24 de julho em Ovar, que envolverá a comunidade local, com o objetivo de levar o público a descobrir os sons que fazem de Ovar um território especial.

mural_phonambient1.pngAssim, a Câmara Municipal de Ovar lança uma convocatória aberta para a participação neste projeto/espetáculo que decorrerá no dia 23 de julho, pelas 18 horas, em várias ruas do centro da idade. A convocatória é dirigida a todos os que têm um gosto especial pela música e pelas sonoridades, músicos ou não, maiores de 16 anos, devendo os interessados candidatar-se, enviando os dados pessoais para caovar@cm-ovar.pt, ou dirigindo-se ao Centro de Arte de Ovar.

 

Os ensaios decorrerão de 18 a 22 de julho, entre as 10 e as 13 horas e as 14h30 e 18 horas e, durante os dias de trabalho, serão abordados vários temas relacionados com as tecnologias musicais, as gravações de campo e a soundscape composition, numa abordagem prática onde os participantes serão determinantes para a descoberta dos sons que definem a cidade. Os participantes serão também encorajados a utilizar o software de música generativa Transarkiv, que irá ser programado para gerar música a partir do arquivo sonoro de Ovar.

Caixa Alfama 2016… Novas confirmações Madur, Marina Mota e Marco Rodrigues

Setembro é mês de regressos e, com eles, regressa também o Caixa Alfama. Juntam-se ao cartaz três novas confirmações de valor inegável: Marco Rodrigues, Marina Mota, em estreia no Caixa Alfama e Madur.

GLAM - Madur.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

Madur é o nome artístico de Cláudia Madureira. Em 2016 comemora 10 anos de carreira e, para o celebrar, edita “Madur”. O registo, ainda que com o cunho tradicional do disco de estreia, conta com autores credenciados e reconhecidos do Fado moderno como Tiago Torres de Silva ou Fernando Gomes dos Santos, e uma banda de luxo com Ângelo Freire e Guilherme Banza na guitarra, Diogo Clemente na viola de Fado, António Quintino no contrabaixo, Valter Rolo no piano e André Silva na bateria.

 

Marina Mota, conhecida atriz de televisão e do Teatro de Revista, estende desde tenra idade o seu talento artístico para o Fado. São muitos os discos que editou desde menina, fruto de um reconhecimento manifestado por nomes como Alfredo Marceneiro ou Maria da Fé. Dona de uma enorme voz, a carismática artista estreia-se em 2016 no Caixa Alfama.

 

O fadista e violista Marco Rodrigues é já um dos grandes nomes da nova geração do Fado. Apesar da carreira relativamente recente, lançou já uma mão cheia de edições, colaborando com nomes grandes do Fado e com outros do mundo pop, como a brasileira Maria Gadú. Em 2013 lançou “EntreTanto” registo onde Marco Rodrigues assume de forma sublinhada o seu lado autoral, responsabilizando-se pela maioria das composições e pela execução da viola de Fado. Em 2015 editou “Fados do Fado”, disco dedicado aos homens do Fado e que contém temas como "Ai Se os Meus Olhos Falassem", "Trigueirinha", "Vendaval" ou "A Rosinha dos Limões".

 

 

Temples encerram Cartaz do Atlantic Fest...

Os britânicos Temples são a mais recente confirmação do Atlantic Fest, que vê assim completo o cartaz da primeira edição. O festival galego, que tem lugar no primeiro fim de semana de Julho, convida o público a perder-se num recinto idílico ao som de artistas de peso como os Tindersticks, José González, Alex Cooper, Xoel López, Temples, Be Forest, entre outros nomes consagrados e emergentes do panorama musical.

GLAM - Temples.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Durante três dias a Ilha de Arousa será convertida num gigante recinto de concertos, com outras ofertas culturais e gastronómicas a mostrar o melhor das tradições da Galiza. Haverá um espaço pensado para as crianças, um mercado discográfico, uma zona gastronómica com especialidades locais e conferências organizadas em torno dos principais temas da indústria musical. Tudo isto num cenário de beleza única, banhado por águas cristalinas e por uma natureza quase intocável, características que valeram à Ilha de Arousa a distinção de Reserva Natural atribuída pela União Europeia.

 

Cartaz Completo:

1 de Julho

D'Tascas Jägermusic: Malandrómeda, Pantis, Bala

Palco Turismo Rías Baixas (Auditório): Niño de Elche

 

2 de Julho

Palco Son Estrella Galicia: Temples, José González, Tindersticks, Xoel López, Nacho Vegas, Alex Cooper, Be Forest

 

3 de Julho

Plaza de Abastos: Best Boy

D'Tascas Jägermusic: Músculo!, Pálida, Diola

 

O passe geral para os três dias do festival está disponível pelo preço de 45€ e garante acesso ao campismo, equipado com uma zona especial para as famílias. Os menores de 12 anos não pagam entrada.

O regresso da Noite Branca a Braga em 2016...

Foi apresentada na passada terça feira, 21 de Junho, no Largo João Peculiar, a edição de 2016 da Noite Branca de Braga. Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, “A Noite Branca de Braga 2016 irá ´reforçar a ligação à Cidade, ao património e aos cidadãos com propostas culturais imperdíveis que envolvem o comércio e várias estruturas locais, num ambiente que, ao longo das 48 horas de duração do evento, queremos que seja percepcionado como criativo, dinâmico e inovador”.

noite.jpgConforme referiu o Autarca, na Noite Branca de Braga, que se realiza nos dias 2, 3 e 4 de Setembro, são esperados mais de 300 mil visitantes. “Os Bracarenses, em especial os mais jovens, têm dado sucessivas mostras da sua energia, talento e apego à cultura. Esta é uma marca que se afirma a cada Noite Branca que passa e estou certo de que temos todos os requisitos para que o evento seja um enorme sucesso, capaz de atrair vários visitantes de fora do Concelho e até do país”, sublinhou, destacando a capacidade da iniciativa para mobilizar os jovens a avançarem com os seus próprios projectos artísticos, colorindo e preenchendo a programação destas 48h com um “cunho distintivo”.

 

No que se refere ao cartaz musical, o palco principal, localizado na Praça do Município, recebe no dia 2 de Setembro as actuações de Carminho, Miguel Araújo e DJ´s da Rádio Comercial. Já no dia 3 será a vez de Sérgio Godinho e Jorge Palma partilharem o palco com o projecto “Juntos”, seguindo-se o concerto dos The Gift e HMB.

No palco gnration, na Avenida Central, que esta edição tem como principal novidade o facto de funcionar durante as duas noites do evento, a Sexta-feira será preenchida com os concertos dos Brasileiros Boogarins e Midnight. No Sábado, 3 de Setembro, actuam Linda Martini, Branko e Matias Aguayo.

 

Outra das novidades desta edição está relacionada com a programação dedicada às famílias com propostas especiais durante todo o evento, principalmente no domingo, e através de um espaço próprio onde pequenos e grandes podem dar dá asas à imaginação e desenvolver atividades artísticas em conjunto. Para que todos possam desfrutar da grande variedade de propostas, a Noite Branca de 2016 concentra as instalações e performances nas ruas e edifícios históricos da cidade no Sábado e Domingo (3 e 4 de Setembro) e durante o dia. Com o mesmo objectivo, os museus de Braga alargam o seu horário de funcionamento, abrindo as portas até às 22h00 de sexta, até às 24h00 sábado e até ao final da tarde de domingo.

Bastille lançam vídeo surrealista para "Good Grief"

O single tem dado cartas no Reino Unido. Na passada quinta-feira, “Good Grief” foi Hottest Record no programa de Annie Mac na Radio 1, tendo sido ainda a faixa do dia na mesma rádio, no dia seguinte. Desde aí que a canção tem subido nos tops do iTunes ao alcançar a 10ª posição e está agora nos lugares cimeiros do Shazam.

bastille_cover.pngO tão aguardado “Wild World”, sucessor do aclamado disco de estreia “Bad Blood”, mantem a riqueza das letras, mas é um passo em frente na maturidade e som da banda. O álbum é sobre “tentar entender o mundo, tanto como é visto através dos nossos olhos, como através do que nos é apresentado pelos media. É também sobre ter a capacidade de questionar o que se passa à nossa volta”, acrescenta o vocalista.

O vídeo do single de avanço do segundo álbum da banda inglesa, “Wild World", já está disponível. Inspirado em temáticas dos filme “Inland Empire” e nos sonhos psicóticos da personagem Sara Goldfarb de “Requiem For a Dream”, o novo vídeo de Bastille é uma verdadeira viagem pelo bizarro, mas sem nunca perder o humor.

“KL - A História dos Campos de Concentração Nazis” vence Wolfson History Prize

“KL – A História dos Campos de Concentração Nazis”, do historiador britânico Nikolaus Wachsmann, obra editada em Portugal pela Dom Quixote, venceu o prestigiado Wolfson History Prize, um dos mais importantes prémios de não-ficção no Reino Unido, galardão com um valor pecuniário de 30 mil libras.

_KL Uma Historia dos Campos de Concentracao Nazis.O júri distinguiu a “impressionante monumentalidade daquela que será a versão final da História dos campos de concentração” e explicou que “a obra de Nikolaus Wachsmann conseguiu dar novas perspectivas a um assunto que todos julgávamos encerrado.” Nikolaus Wachsmann é professor de História Moderna europeia no Birkbeck College, na Universidade de Londres.

 

Em “KL – A História dos Campos de Concentração Nazis” não sintetiza apenas o trabalho académico de uma geração de académicos, mas faz revelações surpreendentes, baseadas em muitos anos de pesquisa arquivística, sobre o funcionamento e a extensão do sistema de campos. Ao examinar, em detalhe, a vida e a morte dentro dos campos, e ao adoptar uma abordagem mais panorâmica para mostrar que o sistema era moldado pela evolução das várias forças políticas, legais, sociais, económicas e militares, produz uma imagem unificada do regime nazi e dos seus campos de concentração nunca antes vista.

O Prémio Wolfson History, atribuído desde 1972, distingue a excelência na escrita de obras de História para grandes audiências. Antony Beevor, Ian Kershaw, Antonia Fraser, David Reynolds, Richard Overy e Mary Beard foram alguns dos premiados no passado.