Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Ciclo de concertos Cânticos da Sereia iniciam-se com Isaura

O ciclo de concertos “Cânticos da Sereia”, que marcarão, no feminino, os fins de tarde das sextas-feiras do mês de julho, na praia da Costa Nova, iniciam-se com Isaura, já no dia 1

nd-isaura.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Useless” deu a partida para a carreira musical de Isaura que imediatamente conseguiu um apoio inesperado e imediato nas redes sociais.

Depois do sucesso do EP “Serendipity” e dos temas “Useless” e “Change It”, a nova cara da música electrónica em Portugal apresenta o single “8” e respectivo vídeo.

 

Centro Sociocultural da Costa Nova (Ílhavo)

1 de Julho 2016 | 19.00h

Heineken Starlight… Orelha Negra, Sequin, Best Youth, PZ no Cinema Batalha

A Heineken Starlight está de volta e desta vez com uma edição muito especial fora de portas. A 18 de junho, celebra-se a melhor produção da música nacional no antigo Cinema Batalha.

orelha.jpgphoto: Paulo Homem de Melo

 

Com um alinhamento 100% nacional, a Heineken Starligth by Plano B traz concertos que revelam as novas promessas da música actual. 2016 marca o regresso dos Orelha Negra à estrada. A estreia aconteceu em Lisboa e no Porto com dois espectáculos esgotados no qual foram apresentados temas inéditos que integrarão o próximo disco de originais da banda a editar ainda este ano. Neste concerto no Cinema Batalha vão apresentar os temas inéditos e ainda alguns dos dois primeiros álbuns, não faltando os medleys surpreendentes aos quais a banda já nos habituou.

 

A abrir a noite, a pop eletrónica de Sequin, que lançou recentemente o seu segundo álbum de originais "Eden" que será apresentado em exclusivo nesta edição especial da Heineken Starlight. Para além dos concertos, os DJ's sets de Best Youth, PZ, João Semedo e ainda os live acts de Roger Plexico e Lasers assegurarão que a música não deixará de se ouvir no Cinema Batalha.

 

Palco Heineken

22h00 - Sequin

23h00 - Orelha Negra

Terraço Strogbow

Best Youth (Dj Set)

PZ (Dj Set)

Salão

Roger Plexico (Live Act)

Lasers (Live Act)

Foyer

João Semedo (Dj Set)

 

Cinema Batalha (Porto)

18 de Junho 2016 | 22.00h

Samuel Úria em Torres Vedras

O Margem volta a abrir portas no dia 1 de Julho para apresentar Samuel Úria, que traz o disco "Carga de Ombro", e vem acompanhado por Miguel Ferreira (Clã)

Anuncio-Samuel.png"Carga de Ombro” é o título do novo álbum de Samuel Úria. Que vem confirmar a profecia de que estamos perante alguém “meio homem, meio gospel, mãos de fado e pés de roque enrole”.

Para muitos será já uma redundância destacar as singularidades na escrita, nas melodias ou até na sua relação com o público, mas a verdade é que Carga de Ombro é quase uma epifania sobre estas distinções na sua personalidade artística – a distância que Samuel Úria nos faz percorrer entre o “amparo” e a “provocação” é tão tenuemente grande que mais do que nunca nos reveremos no verso da canção que dá título ao disco “põe o teu ombro junto ao meu, carga de ombro é legal”.

 

O Margem (Torres Vedras)

1 de Julho 2016

A Jomsviking European Tour 2016 dos Amon Amarth chega a Portugal

Por esta altura, após as muito bem recebidas passagens por Lisboa, Vagos, Almada e Porto, já não há como negar a ligação forte que, ao longo dos anos, se desenvolveu entre o público nacional e os Amon Amarth. Não é, por isso, de estranhar que as audiências lusas estejam novamente na mira dos vikings suecos, 7 anos depois de uma atuação colossal no Vagos Open Air e dois após uma explosiva dupla-data, que abanou as estruturas de salas em Lisboa e no Porto com a intensidade do seu viking metal. 2016 marca o regresso de Johan Egg e companhia a solo nacional para mais um espetáculo que promete ficar cravado na memória de quem se atrever a enfrentar a fúria majestosa dos autores de discos icónicos como “Fate Of Norns” ou “Twilight Of The Thunder God”. Desta vez com uma paragem única no Coliseu do Porto, a 10 de Novembro, esta é mais uma data da gigantesca digressão mundial apoiada em “Jomsviking”, o mais recente trabalho.

amon-amarth-4df6207231e1e.jpgNão são muitas as bandas que, ao décimo álbum, podem gabar-se de estar a atravessar o momento mais poderoso, dinâmico e agressivo da sua carreira. Os suecos Amon Amarth são, no entanto, uma rara exceção à regra e, consistentemente, têm conseguido elevar o jogo a cada novo passo que dão. Tendo explodido na cena do death metal melódico sueco em 1998, com “Once Sent From The Golden Hall”, cada novo disco tem chegado ao público a rebentar pelas costuras de muito poder, melodia e narrativas envolventes, centradas na riqueza da cultura local.

Prestes a atingir a meta do quarto de século de carreira, a longevidade e reputação inabalável no que toca a assinar bons álbuns uns atrás dos outros sem grandes paragens pelo meio, atiram os Amon Amarth para uma trajetória semelhante à dos muito aplaudidos e influentes Slayer e Cannibal Corpse. Uma posição digna de respeito. Estoicamente fiéis às regras que estabeleceram no início de carreira, espalhando a mensagem dos seus antepassados a uma horda de fiéis que tem crescido a olhos vistos desde que se estrearam nas edições com o EP “Sorrow Throughout The Nine Worlds”. Uma banda que ninguém quer que mude demais, com a consistência da mensagem igualada apenas pela força que entregam às suas atuações e pela tenacidade que domina os seus registos de estúdio. “Jomsviking”, o álbum mais recente, produzido por Andy Sneap e editado em Março deste ano, capta o quinteto no auge de seus poderes. Um colosso de death metal melódico injetado de riffs enérgicos e melodias tão orelhudas que se tornam pegajosas, tão épico quanto poderoso, com o rugido imponente de Johan Egg a comandar as tropas com punho de aço.

 

Coliseu (Porto)

10 de Novembro 2016 | 20.00h

“Chick To Chick Remixes" EP com Pete Herbert, Mason and True Blood

O EP de remixes de Da Chick já está à venda!

Os veteranos Pete Herbert e Mason e True Blood são os produtores convidados!

untitled-1.jpgPete Herbert fez duas remixes para o actual single de “Chick to Chick”, “Chick-a-Boom”, duas autênticas vibes de Verão! Parece mesmo que estamos numa das residências do DJ em Bali. Música ideal para ouvir enquanto se observa o pôr-do-sol. 

Por sua vez, o produtor alemão Mason pegou no primeiro single de “Chick to Chick”, “Do The Clap”, e remisturou-o de forma contundente, transformando-o num verdadeiro tema de pista!

A escolha de True Blood recaiu sobre “Until Night is Day” dando-lhe um mood etéreo-doce, música perfeita para os amantes.

 

 

 

Maze edita o primeiro longa-duração….

No ano em que os Dealema, um dos mais raros casos de longevidade no hip-hop português, comemoram o seu vigésimo aniversário, o MC do colectivo estreia-se no formato longa-duração com um álbum homónimo editado de forma repentina com o selo 2ºPiso/Banzé.

O muito aguardado disco é composto por 15 temas onde Maze expõe as suas entranhas, verte sentimentos nos seus poemas de confiança, debitados sobre o Boom Bap dos 90, que por sua vez se alimenta do jazz, soul, disco, reggae e funk que sempre foram a banda sonora da sua vida.­ Maze leva-nos numa viagem ao seu âmago, interpreta a condição humana, transmuta como um alquimista e injecta esperança nos que o acompanham enquanto percorre o seu caminho.

maze.jpgA produção executiva ficou a cargo do seu companheiro de armas Mundo Segundo (Dealema) e foi gravado pelo mesmo no 2º Piso. O disco conta com produções de vários nomes da cena rap nacional como Ace (Mind da Gap), Mundo Segundo, Sam the Kid, Tombo, Raez, DJ Suprhyme, Reis, Sair e Virtus.

 

Paralelamente à sua carreira com os Dealema, Maze sempre esteve bastante activo no panorama musical nacional, desde as múltiplas participações em projectos underground aos palcos pisados em tours dos Mind da Gap ao activismo como agente divulgador em rádio com a Oblá Fm e presentemente com o Ginga Beat da Red Bull Music Academy. Depois do sucesso da participação no disco de Serial com o tema "Brilhantes Diamantes", que se tornaria num clássico do hip hop nacional em 2005, disponibiliza apenas em formato digital o Ep "Homem em Missão" pela Ace Produktionz em 2007. Em 2012 lança o Ep de electrónica "Micromegas" com o alter ego Spaced Out no selo Faca Monstro do qual é membro fundador. No ano passado apresenta o projecto Subverso com o produtor Soma, e músicas que estavam há "10 anos em gaveta" veem finalmente a luz do dia.

 

Maze apresentará o álbum ao vivo no dia 25 de Junho no Hard Club no Porto e a 30 de Junho no Musicbox em Lisboa, marcará presença no dia 5 de Agosto no palco com curadoria dos Orelha Negra no Festival Meo Sudoeste.

Paulo Flores apresenta… “Bolo de Aniversário”

Paulo Flores, autor, compositor e intérprete, é uma das principais referências na música de Angola e um defensor incansável do Semba. Flores tem 30 anos de carreira pontuados por mais de uma quinzena de discos. A voz de Paulo Flores inspira-se na tradição urbana de Luanda e conta-nos histórias de ontem, de hoje e de amanhã.

Capa_PauloFlores.jpgPaulo Flores através de um olhar que demonstra um profundo amor pelo seu povo de Angola, apresenta-nos neste seu novo disco Bolo de Aniversário as vivências e experiências musicais que mais o marcaram ao longo dos anos. Estes novos temas encontram as palavras certas para falar da extraordinária capacidade de resistência do povo angolano e da sua energia que se expressa numa enorme vitalidade musical

“Sempre me perguntei da razão da nossa festa, da nossa alegria combustiva, que nos faz delirar sobre qualquer Calema que a Kianda nos mande, sobre qualquer problema. É lá nos momentos difíceis que a gente se reúne e encontra nas coisas pequenas. Não tem como, é irresistível, o nosso direito a ser feliz superior a qualquer conceito ou sistema, sempre a dançar, sempre a subir, como criatividade roubada de uma liberdade calada, censurada, tive vontade de criar os sons de abusar dos ritmos que freneticamente derrubam todas as amarras, todas as fronteiras quis fazer um disco assim com a vertente da dança para falarmos sobre nós, para mais uma vez nos reencontrarmos, este disco ele dança sobre coisas sérias que nos separam e juntam, que nos odeiam e amam, esse disco é uma conversa apaixonada sobre o direito a celebrar, a sonhar a ser feliz, mesmo na confusão dos dias em que nos deitamos com medo e celebramos com coragem, e esse disco é um pouco de todas essas variantes que nos tornam únicos na nossa imitação do mundo. Este bolo de aniversário é uma homenagem ao bailarinos irmãs e irmãos do corpo e da ginga, Este bolo de aniversário é o dever de exercermos a ilusão num passo de dança que desafia uma palavra que nos faz chorar porque nos junta. A todos, tanto na miséria que ri, como na fome que canta. quis fazer um bolo pondo em cima o queimado doce do fundo, porque no fundo somos festa, porque do fundo vem bem rapado o que presta.

Mesmo quando a dor batuca e enfurece a besta. Quis dúzir um bolo que fosse pra lá de fermento.

Fosse também vento do que leva toda a mágoa.

A cada provada fatia.

Esse bolo renovador como água.

Em tons, luz e melodia.” Paulo Flores

 

Casino (Estoril)

15 de Junho 2016

"Passa a Outro e Não ao Mesmo"....

São 11 artistas portugueses e estão juntos num projecto de solidariedade pensado pela Rádio Comercial, no âmbito da sua plataforma Eu Ajudo!.

O disco “Passa a Outro e Não ao Mesmo!” acaba de ser anunciado esta manhã e vai ser editado já a 24 de Junho em todas as lojas físicas e digitais, em parceria com a Universal Music Portugal.

CAPA-DISCO.PNG

O projecto inclui 11 temas inéditos de David Fonseca, Diogo Piçarra, Black Mamba, Àtoa, Dengaz, Márcia, João Só, Amor Electro, AGIR, HMB e D.A.M.A., compostos e gravados por cada um num período de 24 horas, no auditório da Rádio Comercial.

O ponto de partida era a última frase do tema do artista anterior e todas as canções estão a ser apresentadas nas Manhãs da Comercial até ao dia de lançamento do disco.

Os videos podem ser vistos aqui

 

100% das receitas deste disco serão entregues a 11 associações de solidariedade, escolhidas por cada um dos artistas.

 

David Fonseca = Aldeias SOS

Diogo Piçarra = Acreditar

Black Mamba = Cais

ÀTOA = UniãoZoofila

Dengaz = APAV

Márcia = PAR

João Só = Ajuda berço

Amor Electro = Fundação do Gil

AGIR = Banco Alimentar

HMB = Re-food

D.A.M.A. = Just a change

Lukas Graham anuncia digressão mundial para Fevereiro 2017 e passagem por Portugal….

Lukas Graham, banda autora do tema “7 Years”, acaba de anunciar uma digressão mundial com data de arranque agendada para o próximo dia 25 de fevereiro no Reino Unido, onde terminaram recentemente uma pequena digressão com todas as salas esgotadas. O grupo estreia-se em Portugal dia 12 de abril, no Coliseu de Lisboa.

photo-credit-danny-clinch-extralarge_1464119964635photo: Danny Clinch

 

A banda, liderada pelo vocalista e compositor Lukas Graham Forchhammer, é hoje considerada uma das revelações de 2016. O single “7 Years” atingiu o #1 em 33 países, chegou aos tops das rádios americanas Top 40 e Hot AC, atingiu o #2 na Billboard Hot 100, e já conta com mais de 430 milhões de streamings no Spotify.

O grupo acabou de lançar o videoclip do segundo single “Mama Said”.

O disco de estreia homónimo foi fortemente aclamado pela crítica desde o seu lançamento em 2012, entrando diretamente nos principais tops de países como canadá, Austrália, Reino Unido, Nova Zelândia e EUA. No entanto, foi o segundo registo de originais editado no passado mês de junho, que veio confirmar o sucesso da banda com temas como "7 Years" a galoparem as tabelas mundiais.

 

Os bilhetes serão colocados à venda no próximo sábado, dia 18 de junho.

 

Coliseu (Lisboa)

12 de Abril 2016 | 21.00h

Documentário “Grandes Esperanças” estreia nos cinemas a 16 de Junho

“Grandes Esperanças” dá-nos uma visão de conjunto, única dos mecanismos de legitimação do indivíduo perante o estado, mostrando como toda a nossa existência depende, do nascimento à morte, da Instituição que organiza a vida em sociedade e que aqui aparece exposta num somatório de casos individuais que, em conjunto, tomam uma dimensão abstrata e coerciva.

Entrar nos meandros da burocracia é uma aventura inesperada e no mínimo cómica. Um filme onde os cidadãos são os protagonistas.

GrandesEsperanças_cartazoficial.jpgSegundo o realizador, “Ao contrário duma estatística, este filme está preocupado em mostrar casos particulares: uma escuta dos ruídos do tempo, com toda a ambiguidade possível e distância das dicotomias tudo vai mal ou tudo vai bem”.

 

Produzido pelo Cine-Clube de Avanca, neste filme intervieram António Osório e Filipe Ribeiro na imagem, Ana Roseira, Joana Peixoto e Júlia Rocha na produção, Jonathan Saldanha e Fernando Augusto Rocha no som, Luísa Marinho e Leonor Areal na montagem. António Costa Valente e Miguel Marques produziram o filme, tendo o realizador intervindo em todas as fases de produção da obra. Miguel Marques é autor de documentários como Pots, Pans and Other Solutions (2012), Mulheres Traídas (2007), Porque é que Clara se Apaixona? (2005), Ruptura (2003), para além de Grandes Esperanças. Várias vezes premiados no Festival de Cinema de Avanca, a sua obra procura intervir no espaço que está expresso no cartaz do filme “Grandes Esperanças”, “A vida de hoje é muito complicada”.

 

O Cine-Clube de Avanca (CCA), que mantém uma produção ininterrupta de filmes desde 1988, ultrapassando uma centena de obras produzidas, viu os seus filmes serem objeto de 1056 nomeações e 125 distinções em festivais de todo o mundo, nos últimos 4 anos. O CCA é também organizador do festival de cinema “AVANCA – Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia”, que este ano comemora a sua 20ª edição.  “Grandes Esperanças” foi produzido num contexto de formação, tendo na altura recebido um apoio do ICA / Ministério da Cultura, que agora volta a apoiar a estreia do filme. Este filme é o resultado de um mês de filmagens contínuas na Loja do Cidadão do Porto e estreia a 16 de Junho