Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

A.R. Kane e Cate Le Bon juntam-se ao cartaz do NOS Primavera Sound

Os ingleses A.R. Kane e a galesa Cate Le Bon juntam-se ao cartaz da 5ª edição do NOS Primavera Sound, que acontece no Parque da Cidade, no Porto, de 9 a 11 de Junho de 2016.

cate-le-bon-2012-colour-4-hi-res-c-angel-ceballos.photo: Angel Ceballos

 

Cate Le Bon está confirmada, para sábado, 11 de Junho, no Parque da Cidade, para substituir a banda Loop que, por motivos alheios à sua vontade, não vão participar no NOS Primavera Sound 2016.

Foi em 2009, com a edição do seu aclamado álbum de estreia, “Me Oh My”, que a galesa Cate Le Bon viu o seu nome e a sua música, nas bocas do mundo, mas o seu percurso já tinha começado a ser desenhado dois anos antes, com o lançamento do single “No One Can Drag Me Down / Disappear” e a gravação do EP “Edrych yn Llygaid Ceffyl Benthyg”. A sua voz frágil, ligeiramente assustadora, as letras obscuras e as guitarras esparsas que habitam nas suas composições voltariam a ver a luz do dia em 2012, no longa duração “Cyrk” e com “Mug Museum”. Com Tim Presley, sob o pseudónimo DRINKS, deu, já em 2015, vida a “Hermits on Holiday”. Ao NOS Primavera Sound, Cate Le Bon traz “Crab Day”, descrito pela própria como sendo fruto de uma junção das pessoas certas no momento certo, numa colisão de sentimentos inevitáveis e de absurdos.

A.R. Kane vêm substituir os Bardo Pond que, por razões logísticas, tiveram que cancelar a presença no sábado, 11 de Junho. Antes de Primal Scream levar o rock rumo ao hedonismo com "Screamadelica", Rudy Tambala e Alex Ayuli já lá tinham estado, misturando pop com dub, noise e gospel. Os artistas britânicos foram pioneiros antes de seu tempo, mas "69”, o seu álbum de estreia em 1988, é visto ainda hoje como vanguarda esplêndida e pop negro com flashes de branco, independentemente de como se olha para ele. Mais tarde veio o dançante e épico "i", mas foi a colaboração com Colourbox em M/A/R/R/S e o sucesso instantâneo de ”Pump Up The Volume", lançado em 1987, que mais marcaram a carreira da banda. Considerada por muitos como a primeira a fundir house com pop, a banda britânica está de regresso para se reivindicar como uma parte essencial da banda sonora dos anos oitenta.

 

 

 

Na semana do concerto em Coimbra… Birds are Indie apresentam novo single/vídeo e edição em vinil

No dia em que apresentam a edição em vinil de “Let’s pretend the world has stopped”, a banda lança também novo single/vídeo

a2149947025_10.jpgHoje é um dia de sonhos realizados para os Birds Are Indie. Passados 6 anos de edições em MP3, CD-R, Cassete e CD chegou a altura de acrescentar uma linda edição em vinil transparente à discografia da banda. Não bastasse, apresentam também o novo single/vídeo de "Let's Pretend the World has Stopped", disco que a banda tem apresentado numa extensa tour por Portugal e Espanha e que chega, esta semana, finalmente, à cidade natal.

No próximo dia 28 de Maio, às 21h30, o Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra recebe a Joana, o Jerónimo e o Henrique para mais uma irresistível celebração ao vivo, como já nos habituaram.

 

Teatro Académico de Gil Vicente (Coimbra)

28 de Maio 2016 | 21.30h

Festival Rádio Faneca… onde os preparativos começam cedo… 28 de Maio

Há um jardim, becos, vielas e ruas que se transformam em espaços de encontro, de brincadeiras e de ver e de ouvir histórias e músicas. Há uma comunidade que participa ativamente nos projetos artísticos que se constroem inspirados na biografia da cidade e das pessoas. Há uma emissão de Rádio que traz histórias antigas e novas de amor e desamor, receitas do mar e da terra e uma playlist feita de dedicatórias.

GLAM - The Lemon Lovers.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

The Lemon Lovers… Limão fica bem com tudo… até com Rock´n´roll! O coletivo já foi duo, já foi trio e agora é “quarteto fantástico”, preparado para conduzir os vossos passos de dança! Os The Lemon Lovers apresentam “Watching the dancers“, gravado em fita e sem fitas.

Travessa da Filarmónica Ilhavense (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 16.00h

 

Os Nobody’s Bizness surgiram para resgatar ao pó dos tempos e às estrias de velhos 78 RPM  as lendas dos blues. Em 2014 lançam o segundo álbum de estúdio, “Donkey“, que nasceu da vontade da banda de ajudar a Burricadas – Associação para a Preservação do Burro.

Viela do Professor (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 17.00h

 

Quiné Teles e Ela Vaz juntam energias para “DaCorDaMadeira”, projeto fruto das vivências musicais e extra-musicais do autor, que reflete um universo muito personalizado da música tradicional, portuguesa e do mundo, transportada para a contemporaneidade.

Beco da Malha (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 18.00h

mar2.jpgPhoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Minta & The Brook Trout tem-nos dado um sem número de belas canções, dessas que o tempo se encarrega de perpetuar. Apresenta agora o álbum “Slow”, com momentos intimistas de desconstrução de uma herança country, carregados de modernidade e de personalidade.

Travessa da Filarmónica Ilhavense (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 19.00h

 

SENZA é um projeto com uma mensagem de profunda união, não só na estética musical, como cultural. Num estilo a que chamam fusão-lusófona, recebem influências de Portugal, Brasil e Cabo-Verde.

Viela do Professor (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 20.00h

GLAM - Old Jerusalem.jpgPhoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Old Jerusalém… Francisco Silva, músico, intérprete e escritor de canções tem desenvolvido trabalhos com artistas como Carlos Bica, Bernardo Sassetti, Alla Polacca, Mandrágora ou Kubik. Apresenta agora o novo trabalho, “A rose is a rose is a rose”.

Jardim Henriqueta Maia (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 21.00h

GLAM - Marcia (5).jpgPhoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Márcia apresenta o novo disco “Quarto Crescente“, uma obra em crescimento, um percurso de descobertas que convida  o público para uma viagem entre as histórias que conta através das letras e da música. Em 2009 estreou-se em nome próprio com o EP “Márcia”. Algum público mais atento já a reconheceria como uma das vozes do Real Combo Lisbonense, banda da qual fez parte. Entretanto, gravou duetos de grande popularidade com J. P. Simões e Samuel Úria.

Jardim Henriqueta Maia (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 22.30h

 

Antonio Bastos é músico, compositor, produtor e DJ. Músico desde que nasceu, com formação em jazz, percussão, novas tecnologias e música clássica. A sua música esteve presente com diferentes formações em alguns dos principais palcos, clubs e eventos à volta do mundo. António Bastos & YOU band, apresenta todas as suas experiências de vida e influências, num som que viaja entre a eletrónica intimista, jazz, clássica, música do mundo e house.

Jardim Henriqueta Maia (Ílhavo)

28 de Maio 2016 | 23.30h

 

 

 

Sean Riley & The Slowriders com novo vídeo… “Greetings”

Sean Riley & The Slowriders apresentam o video para o último single "Greetings" que sucede a "Dili", semanas depois de terem editado um novo álbum de originais, homónimo, que teve entrada directa para 4º lugar do TOP Nacional de Vendas. O videoclipe, idealizado, produzido e realizado por Mike Ghost reflete o ambiente quente e desprendido do tema que ilustra.

IMG_20160207_0018_PROMO.jpgphoto: Promo /DR

 

Há uns anos, o grupo embarcou nesta viagem pelo sentimento que os une de criar música e editou 3 discos em menos de 4 anos. Sean Riley & The Slowriders pisaram quase todos os palcos que há para pisar de Norte a Sul do país, editaram internacionalmente e apresentaram a sua música inúmeras vezes fora de portas. Após a tour de promoção do último registo, quis o destino que todos os membros da banda se dedicassem a outros projetos. Até bater a saudade do que sentiam juntos. Daí aos telefones tocarem e começarem a surgir, de forma errática, algumas sessões de composição em longos fins-de-semana de comunhão, foi um segundo.

Aquele que viria a ser o próximo corpo de trabalho da banda ficou definido em meia dúzia dessas sessões. De forma rápida, intuitiva e, acima de tudo, livre de qualquer ideia preconcebida. Era necessário que assim fosse, a música uma vez mais a falar mais alto, para que tudo fizesse sentido. Explorar e seguir o instinto ao ritmo da máxima Beat/Budista "first thought, best thought". O quarto álbum, e o primeiro de um novo ciclo - encerrada a trilogia “Farewell”, “Only Time Will Tell”, “It's Been a Long Night”, nasce dessa necessidade de comunicar notas e sentimentos da forma que Sean Riley & The Slowriders o fazem. É um mergulho no desconhecido, com os pés bem assentes em terra firme. De certa forma, este é o disco mais direto do ponto de vista da criação, uma homenagem ao espírito impulsionador das primeiras gravações. Por outro lado, nunca nenhum disco de Sean Riley & The Slowriders foi tão conceptual, seguindo por novos caminhos sem nunca perder de vista a essência da banda.

 

E se três anos são uma sabática considerável, a noção de tempo é sempre assente numa perspectiva subjectiva. E esta é uma banda que nunca pertenceu a um tempo. Nem ao seu nem a nenhum outro.

 

Próximos concertos:

28 de Maio 2016 - Festival A Leste, Funchal

17 de Junho 2016 - Cine Teatro Avenida, Castelo Branco

1 de Julho 2016 - Festival Rock Nordeste, Vila Real

2 de Julho 2016 - Vagos Sensation Gourmet

7 de Julho 2016 - Festival NOS Alive, Oeiras

peixe : avião apresentam "Peso Morto" ao vivo...

Após a edição de “Peso Morto” no passado mês de fevereiro, assinalado por concertos de apresentação no Porto (Rivoli), Lisboa (Lux Frágil) e Braga (Theatro Circo), a banda Bracarense prepara-se para levar o seu quarto disco para a estrada.

GLAM - peixe avião.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Entre as datas anunciadas incluem-se as estreias nos Jardins Efémeros em Viseu, no festival Super Bock Super Rock em Lisboa, e a primeira atuação nos Açores, Ponta Delgada, materializada através de uma encomenda do Walk & Talk 2016.

Em “Peso Morto” o quinteto explora a subversão do formato canção, o recurso a uma instrumentação de caraterísticas cada vez mais singulares e a exploração de uma lírica simultaneamente abstrata e introspetiva, características reforçadas em formato concerto através de um espetáculo com uma forte componente visual.

 

26 Maio 2016 - Auditório FEUP, Porto

17 Junho 2016 - Teatro Miguel Franco, Leiria

18 Junho 2016 - Cineteatro Louletano, Loulé

2 Julho 2016 - Ponte Party People, Braga

9 Julho 2016 - Jardins Efémeros, Viseu

14 Julho 2016 - Super Bock Super Rock, Lisboa

30 Julho 2016 - Walk&Talk, Ponta Delgada

6 Agosto 2016 - Crocka’s Rock, Castelo de Paiva

3 Novembro 206 - Guarda

Alcântara Toca Discos… com muita música e não só

Nos próximos dias 17 e 18 de Junho, a freguesia de Alcântara, em Lisboa, irá ser palco de uma iniciativa especial em que se celebra a música e os discos. Concertos, DJs, street food e muita animação será a receita para dois dias que resultam de uma iniciativa conjunta da Freguesia de Santo Amaro e do Village Underground com curadoria Rimas e Batidas.

tocadiscos_A2.jpgO programa arranca no dia 17 de Junho pelas 18 horas com um concerto gratuito na Capela de Santo Amaro em que se promove um encontro da música de Surma com uma das mais belas vistas panorâmicas da cidade. Esta jovem artista, que cruza um sentido muito particular de pop, guitarras e electrónica, tem sido alvo de uma assinalável atenção e já garantiu presença nalguns importantes festivais em 2016.

 

Ainda no dia 17, o Village Underground será palco de um concerto muito especial onde se reúnem 5 importantes nomes do Hip Hop nacional que editaram alguns dos melhores discos do ano. Classe de 2016 com Keso e Pro’Seeds do Porto e ainda Beware Jack & Blasph e Króniko & SP Deville de Lisboa.

Trata-se da estreia em Lisboa de Keso com o álbum “KSX2016”, um dos mais importantes registos deste ano, dentro e fora do hip hop. Os Pro’Seeds de Berna, Score e Dj Serial têm em “Softpower Sagrado” um dos mais desconcertantes, divertidos e energéticos registos do ano. Esta será a estreia do grupo em Lisboa com um concerto integral depois da passagem pelo Festival Rimas e Batidas a que trouxeram um showcase mais curto.

De Lisboa chega a dupla Beaware Jack & Blasph que lançou “O Processo” há um par de meses para aplausos generalizados da comunidade hip hop. É um dos mais intensos e criativos álbuns do ano, um registo que reúne dois MCs em estado de graça que em palco conseguem ter uma química muito especial. E, finalmente, a dupla de artistas do colectivo Familli Bizno, Króniko & SP Deville, responsáveis por outros dois dos grandes álbuns lançados em território nacional este ano, “Retrxpectiva” e “Sou Quem Sou”, respectivamente: ambos passaram igualmente em formato showcase pelo Festival Rimas e Batidas e terão aqui oportunidade de apresentar ao vivo os seus incríveis espectáculos em toda a sua extensão.

 

A noite contará ainda com música a cargo de DJs seleccionados pelo Rimas & Batidas que debitarão algum do melhor hip hop nacional e internacional.

 

No dia 18 de Junho, entre as 11h00 e as 20h00 o Village Underground recebe a Feira de Vinil de Santo Amaro: discos novos e de colecção com uma série de especialistas, de lojas e diferentes editoras, presentes. Durante o dia haverá ainda programação de DJs, bancas de Street Food, sombra e boa disposição para todos. A entrada é livre!

 

Dois dias de discos e música, de hip hop e street food, de celebração e devistas largas no Village Underground….

HOUSE… Our House is Your House… GLOVE + X-Man

Todos nós temos perfeita consciência que trocar lençóis por uma pista de dança, a uma quarta-feira, não é a situação ideal para qualquer jovem que se esteja a entregar ao trabalho e ao mundo das contribuições fiscais. É por isso que temos a certeza de que as novas noites HOUSE vão dar-vos a alegria de estar ressacado no escritório ou nas aulas, absolutamente felizes.

glove.jpgphoto: LX Music

 

Acreditado como uma das referências do movimento da música electrónica em Portugal, Glove tem-se revelado ao longo dos anos um artista pleno, em evolução constante, combinando técnica com um estilo muito próprio de djing. Marcou presença recentemente em clubs europeus como Egg Uk, Bora-Bora Ibiza, Pacha Uk, Kheops Ch, Underground Fr, Crucifix Lane Uk, Cargo Uk e actua regularmente nos melhores clubs portugueses tais como: Gare, Europa Sunrise, Hard Club, Lx Factory, Ministerium, Capitulo V, Op Art, Kadoc e alguns festivais: Boom Festival, Refresh Festival, Freedom Festival, Azurara Beach Party entre outros, tocando ao lado de alguns dos melhores artistas do mundo como Richie Hawtin aka Plastikman, Booka Shade, Pan-Pot, Chris Liebing, Vitalic, Matador, Max Cooper, Domink Eulberg, Truncate, Steve Rachmad, D-Nox & Beckers, Gaiser, Extrawelt, Steve Bug, Alan Fitzpatrick, Popof, Barem, Stephan Bodzin, Julian Jeweil, Boris Brejcha, Paul Ritch, entre muitos outros. A sua carreira começou em 2001 evoluindo como dj residente em diversos clubs até á criação da Flux, uma plataforma para novas concepções musicais apresentando com regularidade djs nacionais e internacionais com uma sonoridade inovadora e alternativa. Glove é também o mentor do Refresh, festival de artes e musica electrónica. Assumiu ainda a gestão de alguns clubs conceituados até 2012, ano em que integra a equipa da LXMUSIC. Musicalmente, Glove, é um pioneiro constante, na procura e divulgação das mais inovadoras tendências da música electrónica, aplicando nos seus sets meticulosos critérios no que toca à selecção musical, cruzando vários estilos de House e Techno, surpreendendo constantemente com complexos ritmos carregados de groove e energia.

Dedicado a explorar os seus talentos, Glove é o perfeito exemplo do mais vanguardista que se encontra no território nacional, oferecendo-nos sempre uma perfeita selecção musical.

 

 

X-Man… Bom gosto e conhecimento musical são duas características fundamentais que alguém que pretenda ser deejay deve possuir. A isto, deve ainda juntar uma técnica apurada e um expedito raciocínio na interpretação da pista de dança. Ora, Mário Roque é um deejay que, não só congrega todas estas qualidades, como ainda lhe junta uma experiência de 30 anos, o que lhe confere uma bagagem musical e técnica, que lhe permite lidar com qualquer público. Porém, o caminho que desde cedo trilhou na dance scene portuguesa colocam-no num patamar onde poucos se podem orgulhar de figurar, integrando um restrito lote de deejays que, não apenas marcaram o aparecimento da dance scene em Portugal, como a consolidaram. Nome maior da primeira promotora de eventos de música de dança em Portugal, X-Man, Como era conhecido na altura, afirmou-se desde logo como um dos principais disc-jockeys da cena nacional. Neste último quarto de século, em que Mário Roque tem levado o seu som quente e afrodisíaco por todo o Portugal e a algumas paragens no estrangeiro, muita água passou debaixo das pontes e a dance scene sofreu muitas alterações, com modas a surgirem e a passarem. Porém, sem cristalizar, Mário Roque tem-se mantido fiel a um conceito de música de dança que continua a agradar a uma vasta faixa do «party people», pois com ele atrás dos pratos a festa está garantida. A sua música bem-disposta, alegre, quente e afrodisíaca não deixa ninguém indiferente, constituindo um apelo constante à dança e ao livre convívio inter pares, num ambiente marcado pela boa onda. Mário Roque assenta as suas actuações em sets muito bem estruturados e baseados em construções rítmicas afro-tribais, perfumadas com vocais quentes que emprestam às pistas de dança uma atmosfera única, de pura animação e movimento, sem nunca esquecer o diálogo musical e emocional com o público. Aliás, a empatia que consegue estabelecer com o «party people» é uma das suas características mais apreciadas.

As compilações "afroDISIAK", editada pela Zona Música, e “X-Club mixed by X-Man”, onde assinou uma brilhante remistura do tema "Desert Storm", e “Liquid”, editadas pela Universal-MCA Records, perpetuam o seu trabalho junto dos amantes de música de dança. Considerado por muitos como o melhor deejay nacional de after-hours, open spaces e beach parties, Mário Roque protagonizou uma "POTENTE" prestação no ROCK In RIO LISBOA 2008, numa noite em que dividiu a cabine com TONY HUMPHRIES, DAVID MORALES e DIMITRI FROM PARIS, fortalecendo grandemente a sua posição no Djing nacional e internacional.

 

MusicBox (Lisboa)

25 Maio 2016

Concerto de Benjamin Clementine em Coimbra esgota em menos de 24 horas

Mais de 1100 bilhetes para o espectáculo de Benjamin Clementine em Coimbra, dia 3 de Junho, no Convento de São Francisco, esgotaram em menos de 24 horas após terem sido colocados à venda na sexta-feira passada. Restam agora os últimos bilhetes para os concertos nos Coliseus de Lisboa e do Porto, a 1 e 2 de Junho, respectivamente.

GLAM - Benjamin Clementine.jpg

photo: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Recorde-se que, em Novembro do ano passado, Benjamin Clementine esgotou todas as datas em Portugal, tendo passado por Braga (Theatro Circo), Aveiro (Teatro Aveirense), Porto (Casa da Música), Lisboa (Coliseu dos Recreios) e Faro (Teatro das Figuras).

“At least for now” foi um dos álbuns de 2015, tendo-lhe valido o Mercury Prize desse ano. Este reconhecimento da crítica consagra ainda mais o artista, num caminho que não tem sido senão ascendente desde o lançamento dos seus Eps, “Cornerstone” e “Glorious You”.

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

1 de Junho 2016

 

Coliseu (Porto)

2 de Junho 2016

 

Convento de São Francisco (Coimbra)

3 de Junho 2016

Concerto SPA… Novas Bandas, Novas Músicas…

Barbante é um quarteto de rock cantado em português com uma sonoridade arrojada em distorções e con(tradições).

Bom Marido investiu num pop rock alternativo-psicadélico, com laivos de música eletrónica e resquícios de tudo o que tinham feito até então.

Gamaleão é uma banda constituída, que quer ser o que não é, porque até lá chegar se passa por algum sítio. Minhas senhoras e meus senhores, é noite de Rock!

03m.jpgBarbante: André Goes, André Rosado, Paulo André Ferreira e Pedro Sousa

 

Bom Marido: Miguel Raposo, João Galelo, Tomás Borralho e Luísa Lisboa

 

Gamaleão: Francisco Vistas, David Liebermann, Miguel Santos, Francisco Menezes e Dinis Costa

 

Teatro do Bairro (Lisboa)

27 de Maio 2016 | 23.30h

NEOPOP FESTIVAL '16 Launch Parties e Jonas Kopp

A começar esta semana, e ao longo das próximas, o Neopop Festival percorre o país organizando uma série de eventos promocionais daquele que é o mais relevante evento nacional dedicado à música electrónica. Dias 27 e 28 Maio, o argentino Jonas Kopp é convidado de honra de uma jornada dupla que visita a Covilhã, sexta-feira dia 27 no Companhia Clube, e Lisboa, sábado 28, no Musicbox.

Jonas-Kopp-Press-Pic-2.jpgphoto: Press Photo /DR

 

Ao longo dos últimos 10 anos, Jonas Kopp tem vindo a figurar em catálogos de algumas das mais relevantes editoras da actualidade, como a Deeply Rooted House (Dj Deep), Stroboscopic Artefacts (Lucy), Ilian Tape (irmãos Zenker), Warm Up Recordings (Oscar Mulero) ou CLR (Chris Liebing), e as suas actuações têm percorrido mundo. Atento a toda a dinâmica do movimento techno, os seus sets cruzam os diversos trajectos do género, com uma vitalidade e energia arrebatadora.

Da sua Buenos Aires natal para as cabines e editoras internacionais, Jonas Kopp tem levado consigo o talento inato, quer enquanto produtor como Dj, reconhecido unanimemente pelo público e imprensa especializada. O seus temas, ora inspirados no deep house de Chicago ora focados num techno cerebral e introspectivo, começaram por ser acolhidos em 2006 pela MindTrip de Pfirter, e desde aí têm passado pela Deeply Rooted House (Dj Deep), Stroboscopic Artefacts (Lucy), Ilian Tape (irmãos Zenker), Warm Up Recordings (Oscar Mulero) ou CLR (Chris Liebing). Sem nunca olvidar as suas raizes, Jonas Kopp funda em 2008 a Traut Muzik, editora dedicada à divulgação do trabalho de artistas argentinos, tendo nos anos seguintes criado a Manze e Untidy, destinadas a receber os seus projectos homónimos.

Com um muito aplaudido 1º álbum (“Beyond the Hypnosis” - Tresor 2014) Kopp atinge outros patamares, mas é com os pés bem assentes na terra que continua a brindar as audencias, utilizando 3 pratos e percorrendo as diversas sensibilidades da música de dança.

 

Companhia Clube (Covilhã) / Gusta-vo + Midi & Andy Burton

27 de Maio 2016

 

Musicbox (Lisboa) / Ruuar + Nelson Lobo

28 de Maio 2016

Programação MOCHE ROOM dias 6 e 7 de agosto no MEO Sudoeste

Anunciadas as festas e a programação para os dias 4 e 5 de agosto, a Circus Edition do MOCHE ROOM, tem ainda mais surpresas para desvendar. Assim, no dia 6 de agosto quem faz a festa em palco será Landrick, Dj Overule, Von Di Carlo, Deejay Telio, Pete Kingsman e Ben Ambergen confirmados para 6 e 7 de agosto, completam a sua programação.

Unknown(2).png6 de agosto:

MOCHE Battle Royale

Os artistas atuarão entre uma batalha de almofadas, mas não serão umas almofadas quaisquer. Lá dentro, em vez de penas, pó colorido para dar ainda mais cor à festa.

Landrick: Angolano, dono de hits kizomba como “Me Agarra Só No Uhm”, “Segunda Mão”, “Há Mulheres e Mulheres” e, mais recentemente, “Mr. Confuso” e “Fila da Goda”.

 

DJ Overule: Um dos DJs portugueses mais requisitados, não deixa os seus créditos por mãos alheias com sets recheados de Hip-Hop, RnB, Dubstep ou Drum’n’Bass.

 

Von Di Carlo: Uma recomendação da plataforma digital Tradiio: Responsável por sets explosivos onde desfilam géneros como o Progressive House, EDM, House, Hip-Hop, entre outros géneros, estará no Festival com a chancela de qualidade Tradiio.

 

7 de agosto:

MOCHE Push the Button “Quim is Back”

A conhecida festa do “Push the Button”, mas com um registo… circense!

Deejay Telio: Nomeado para os Prémios PALOP Music Stars nas categorias de "Melhor Produção Musical", "Revelação do Ano", "Afro-House - Tema do Ano" e "Hit do Ano”, passa em todas as pistas de dança com os hits “Que sa Foda” e “Eu não Atendo”.

 

Pete Kingsman: Jovem DJ, tem colaborado com variadíssimos produtores nacionais e internacionais e é apoiado por vários artistas de renome, de entre os quais se destacam Diego Miranda​, Maurice West, Timmo Hendriks ​e Cody Holmes.

 

Ben Ambergen: Lançou o ano passado "Katoa", "Shudder", “DILT" e "Earthquake" os dois últimos com honra de destaque no “Hardwell On Air”, radio show do DJ Hardwell. "Earthquake" lançado em colaboração com o Americano Exodus e com o vocal do Holandês NICCI que também foi tocada pelo Ummet Ozcan e Deorro!. O tema "Shudder" foi premiered por QUINTINO.

 

Yami Aloelela apresenta disco no B.Leza

“Não é fácil falar de um músico tão completo como o Yami.  sua própria história reflete-se na sua forma de tocar e cantar. Essa mistura entre Portugal e África sente-se em cada nota.

A inteligência de dar o ritmo certo com o sabor correto não é fácil , mas a sabedoria do encantamento da voz, não é para qualquer um. Por isso nele tudo ser único!

Yami tem a luz que aquece as almas com o seu ritmo e voz de encantar. Poder partilhar palcos, música, história, sorrisos e emoções com um músico tão especial faz com que eu também seja contemplada com o seu talento.

Como ser humano é maravilhoso e por isso a música que constrói ter uma energia que nos faz querer sentir mais e mais desse dengoso embalar das suas notas.

Espero que as estrelas estejam sempre contigo e te acompanhem nessa caminhada, a tua voz e a tua música sabe aquecer os nossos corações e alimentar as nossas almas.

E muito obrigada por nos presenteares com a tua arte.

Mas mais uma vez digo, falar de um músico como o Yami, não é fácil.

Parabéns!”  Mariza

956780.jpgphoto: João Portugal

 

"Beijo de Luz" será apresentado na noite de 25 de Maio pelas 22h no B.leza.

 

Melanie Martinez em Portugal no mês de Novembro…

Melanie Martinez estreia-se em Portugal dia 5 de novembro na Aula Magna, em Lisboa. A impressionante e provocadora cantora nova-iorquina de 21 anos apresenta pela primeira vez aos fãs portugueses o álbum de estreia “Cry Baby”, editado no passado mês de agosto. O disco conquistou na primeira semana de vendas a sexta posição na tabela Hot Shot Debut da Billboard Top 200.

melanie.jpgTambém o primeiro EP da artista, “Dollhouse”, divulgado em maio de 2014, rapidamente mostrou que Melanie Martinez viria a ser um sucesso. Este registo, que contou com a participação de Kinetics & One Love (B.o.B), estreou-se em #4 na tabela Heatseekers Chart da Billboard e o single “Dollhouse” foi certificado Disco de Ouro pela RIAA.

Em poucos meses os números já comprovam o crescente sucesso do disco de estreia da norte-americana. Os videoclips “Dollhouse”, “Carousel”, “Pity Party”, “Soap”, “Training Wheels”, “Sippy Cup” e “Cry Baby”, produzidos e realizados pela própria, geraram mais de 275 milhões de visualizações no Youtube e os 13 temas do disco acumularam mais de 240 milhões de streams até à data. As críticas por parte da imprensa não poupam elogios à artista que é hoje considerada por muitos como uma das promessas para 2016.

 

Aula Magna (Lisboa)

5 de Novembro 2016 | 19.00h

O casal vegetariano mais conhecido do mundo em Portugal…

Ele é sueco, ela finlandesa. Ele é director artístico, ela nutricionista. Conheceram-se em Roma há sete anos. David Frenkiel era um vegetariano pouco saudável graças a uma dieta rica em massas e pizas. Luise Vindahl comia carne. No primeiro jantar ele comeu “rigatoni”, ela salmão. Namoraram e mudaram-se para Estocolmo onde progressivalmente mudaram os hábitos alimentares e criaram um blog – Green Kitchen Stories – que os transformou nos novos rostos da cozinha vegetariana.

1507-1.jpgCom uma legião de seguidores inspiram pessoas em todo o mundo a cozinharem refeições vegetarianas saborosas e saudáveis, usando apenas ingredientes naturais. Este livro tem mais de 100 receitas desse blog: aprenda a fazer uma fritatta de Ervas e Espargos para o pequeno-almoço, um falafel de ervas e pistáchio no forno com arroz selvagem para o almoço e uma siciliana para um jantar de convívio com os amigos. Delicie-se com um Bolo de Beterraba e Chocolate e um Cheesecake Gelado de morango.Descubra um leque de sopas, saladas, sumos e snacks simples de fazer mas impressionantes em sabor e apresentação.

 

David Frenkiel & Luise Vindahl estarão, em Lisboa, no domingo, 29 de maio, para um cookshow na Feira do Livro.

Grupo Porto Editora lança novos livros e recupera a coleção Vampiro na Feira do Livro de Lisboa

A poucos dias do início da 86.ª Feira do Livro de Lisboa, o Grupo Porto Editora anuncia a sua programação, que conta com a participação de diversos autores portugueses e estrangeiros e com a realização de vários lançamentos. Sob o lema “Autores que nos unem”, o objetivo é reforçar envolvimento entre leitores e escritores, promovendo o livro e a leitura junto de todos os públicos, com especial atenção para os mais novos.

CabecalhoFeiraLivro2016.jpgDa vasta programação, destaca-se a presença de escritores como Alberto S. Santos, José Eduardo Agualusa, José Luís Peixoto, Francisco José Viegas, Teolinda Gersão, Mário de Carvalho, Bruno Vieira Amaral, Manuel Jorge Marmelo, José Rentes de Carvalho e Patrícia Müller.

 

O espaço do Grupo Porto Editora acolherá o lançamento de vários livros:

- “Terra Fresca” de João Leal, com apresentação de Samuel Úria (26 de maio, 18.30)

- “A Guitarra Azul” de John Banville, com participação de Helena Vasconcelos (28 de maio, 18.00)

- “Caminhar por Lisboa” de Anísio Franco, com apresentação de Paula Moura Pinheiro e seguido por um breve percurso guiado pelo autor, (29 de maio, 11.00)

- “A Falácia do Empreendedorismo” de Adriano Campos e José Soeiro, com apresentação de Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita Nunes (30 de maio, 18.30)

- “O cão que comia a chuva” de Richard Zimler, com ilustrações de Júlio Pomar (4 de junho, 18.00)

- “História de um cão chamado Leal” de Luís Sepúlveda, com ilustrações de Paulo Galindro (11 de junho, 18.00).

 

A merecer a atenção dos leitores estará, certamente, o regresso da emblemática coleção Vampiro, da Livros do Brasil, que se iniciará com dois livros, numerados, em formato de bolso e com um preço acessível:

- “Os Crimes do Bispo” de S.S. Van Dine (n.º1)

- “Vivenda  Calamidade” de Ellery Queen (n.º 2)

 

Os mais novos têm um programa especial. Para além da presença de Luísa Ducla Soares a propósito do seu novo livro “A Fada dos Dentes”, poderão também contar com Maria Inês Almeida e Joaquim Vieira, Inês Pupo e Gonçalo Pratas, Isabel Ricardo, entre outros. De sublinhar ainda a realização de quatro showcookings com Rita Nascimento e Gabriela Oliveira, e de uma mesa redonda em que Patrícia Müller, Maria do Rosário Pedreira, Andréa Zamorano, Ana Cássia Rebelo, Helena Vasconcelos, Filipa Martins e Tânia Ganho vão debater e ler excertos do livro de Rebecca Solnit, “As Coisas que os Homens me Explicam”, a moderação estará a cargo da jornalista Isabel Lucas.

 

Lançamentos em agenda:

- “Terra Fresca” de João Leal, com apresentação de Samuel Úria (26 de maio, 18.30)

- “A Guitarra Azul” de John Banville, com participação de Helena Vasconcelos (28 de maio, 18.00)

- “Caminhar por Lisboa” de Anísio Franco, com apresentação de Paula Moura Pinheiro e seguido por um breve percurso guiado pelo autor, (29 de maio, 11.00)

- “A Falácia do Empreendedorismo” de Adriano Campos e José Soeiro, com apresentação de Mariana Mortágua e Adolfo Mesquita Nunes (30 de maio, 18.30)

- “O cão que comia a chuva” de Richard Zimler, com ilustrações de Júlio Pomar (4 de junho, 18.00)

- “História de um cão chamado Leal” de Luís Sepúlveda, com ilustrações de Paulo Galindro (11 de junho, 18.00).

- “Naus” (2ª livro da série) de Patrícia Faria e Mariana de Melo, com um debate entre representantes de várias comunidades religiosas (4 de junho, 17.00, no auditório da APEL)

 

Mais de 40 escritores preenchem a agenda do Grupo Porto Editora na maior festa do livro do país.

Sessões de autógrafos em destaque:

- Alberto S. Santos, 26 de maio e 4, 5, 10, 11 e 12 de junho, às 15:30;

- Patrícia Müller, 26 de maio e 5 de junho, às 16:00;

- José Eduardo Agualusa, 26, 28 e 29 de maio, às 16:00;

- José Luís Peixoto, 28 e 29 de maio, às 16:00;

- Mário de Carvalho, 29 de maio e 4 de junho, às 15:30;

- José Rentes de Carvalho, 28 e 29 de maio, às 16:00;

- Mikaela Övén, 4 de junho, às 15:30;

- Filipa Leal, 4 de junho, às 16:00;

- José Miguel Sardica, 4 de junho, às 17:00;

- Francisco José Viegas, 5 de junho, às 15:30;

- Ana Zanatti, 29 de maio e 5 de junho, às 15:30;

- João Pedro Marques, 28 de maio e 5 de junho, às 15:30;

- Teolinda Gersão, 5 e 12 de junho, às 15:30;

- Bruno Vieira Amaral, 5 e 12 de junho, às 16:00;

- Nuno Costa Santos, 28 de maio e 5 de junho, às 16:00;

- Frei Bento Domingues, 5 de junho, às 17:00;

- António José Seguro, 10 de junho, às 17:00,

- Dorothy Koomson, 11, 12 e 13 de junho, às 15:30;

- Luís Sepúlveda (com Paulo Galindro), 11 e 12 de junho, às 15:30;

- Manuel Jorge Marmelo, 11 e 12 de junho, às 16:00;

- Helena Vasconcelos, 11 de junho, às 17:00;

- Lara Morgado, 12 e 13 de junho, às 15:30;

- Álvaro Laborinho Lúcio, 12 de junho, às 16:00;

- Mafalda Pinto Leite, 11 e 12 de junho, às 15:30;

- José Soeiro e Adriano Campos, 13 de junho, às 16:00