Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Rogério Godinho lança novo video "Vivências" do album “Eterno Regresso”

“Eterno Regresso” é muito mais do que um simples conjunto de músicas.

É um projecto multi-artístico, de cariz intimista, em que a música, o Cinema (estilo curtas metragens), a poesia, a fotografia (com exposição itenerante associada), a dança e a pintura se unem para contar uma história. Essa história ficcionada fala de uma viagem, que tem Lisboa e o Fado como pontos de partida, feita por alguém que pretendia dar um novo rumo à sua vida, espreitando novas oportunidades. No fundo, a personagem é alguém que sentia “saudades do futuro”, daquilo que não viveu.

Assim, com esta necessidades de mudança, decidiu rumar ao Brasil, ao Rio de Janeiro, fazendo essa viagem de barco, inspirado pela força e coragem dos navegadores portugueses, buscando novos desafios e novas sensações.

rogerio.pngTrata-se também de um projecto luso-brasileiro, na medida em que contou com a participação de artistas do Rio de Janeiro e São Paulo, na área do cinema e da fotografia, que captaram imagens nessas cidades brasileiras.

Rogério Godinho apresenta agora o novo video para o tema "Vivências" relacionado com o CD "Eterno Regresso". Um vídeo onde fica claro o caráter multi-artístico do projecto

Nascido em Lisboa em 1976, Rogério Godinho iniciou os seus estudos musicais aos 8 anos de idade. Pianista, cantor e compositor, com formação no Hot Clube de Portugal, na Universidade de Évora e no Lemmensinstituut (Bélgica), tem vindo a definir um estilo muito próprio, com a sua música original, harmonicamente rica, e em que é dada muita importância à interpretação das palavras. As suas composições são o reflexo das suas grandes influências - o Fado, o Jazz, a MPB (Música Popular Brasileira) e a música clássica, sendo Amália Rodrigues, Carlos do Carmo, Bernardo Sassetti, Ryuichi Sakamoto, Esbjorn Sevensson, Chico Buarque, Maria Bethânia, Tom Jobim, Caetano Veloso, Puccini, Plácido Domingo, alguns dos artistas que mais o marcaram. Para além da música, fazem parte do seu universo artístico, como criador, a poesia, a fotografia e as filmagens. A comunicação resultante do envolvimento destas diversas formas de arte conduz a um trabalho que se pretende inovador. Em cada espectáculo, pretende-se proporcionar uma experiência sensorial abrangente e envolvente.

A ligação da sua música à obra de Fernando Pessoa tem despertado interesse junto da “comunidade pessoana”, nomeadamente, através da Casa Fernando Pessoa, onde já actuou por duas ocasiões.

Eric Clapton… Guitarrista lança hoje o novo álbum, “I Still Do”

Chega hoje às lojas o 23.º álbum de estúdio de Eric Clapton, I Still Do”, no qual o lendário músico contou com a colaboração do célebre produtor Glyn Johns. Clapton e Johns (que no passado produziu nomes como The Eagles, The Rolling Stones, Led Zeppelin ou The Who), já tinham trabalhado juntos, nomeadamente no icónico álbum “Slowhand”, que foi tripla platina no mercado norte-americano, além de ter alcançado o topo das listas de vendas em todo o mundo. Esta nova coleção de 12 temas conta com várias canções originais escritas por Clapton.

eric.jpgO álbum sucede a “Eric Clapton & Friends: The Breeze, An Appreciation of JJ Cale”, também ele um sucesso de vendas.

 

“Foi uma grande oportunidade poder trabalhar uma vez mais com Glyn Johns, acidentalmente no 40.º aniversário de ‘Slowhand’ ”, disse Eric Clapton. Os dois foram entrevistados pela revista  Rolling Stone que captou alguns dos momentos de gravação de “Still Do

O artwork deste “I Still Do”, uma cuidadosa ilustração de Clapton, é da autoria do reconhecido artista Sir Peter Blake, cujos trabalhos artísticos incluem o co-design das capas de “ Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, dos The Beatles, bem como do single “Do They Know It’s Christmas?”, de “Stanley Road”, de Paul Weller, e ainda do álbum “Face Dances”, dos The Who. “I Still Do” conta com a assinatura de Blake no canto inferior direito da capa.

 

Depois de ter formado os Yardbirs, em 1963, Clapton iniciou o seu percurso como músico profissional, tendo pertencido a diversas bandas antes de se ter aventurado a solo, além de, desde então, ter lançado muitos álbuns de sucesso, feito digressões esgotadas em todo o mundo, recebido aclamação da crítica especializada e do público pelo seu trabalho único enquanto guitarrista. Ao longo da sua carreira Eric Clapton venceu 18 prémios Grammy, além de ser o  único músico a ter sido induzido três vezes ao Rock & Roll Hall of Fame.

NOS Primavera Sound 2016… “Restauração e mercado da Primavera”

O NOS Primavera Sound 2016 volta a contar com alguns dos espaços de petiscos mais carismáticos do Porto. Às presenças habituais no festival, como as emblemáticas Padaria Ribeiro, Casa Guedes, Conga, Lado B ou A Badalhoca, juntam-se, na quinta edição do festival, outras célebres casas da cidade Invicta, como o Snack-bar Gazela, onde podemos degustar os afamados “cachorrinhos”, a Chiparia, com as suas irresistíveis batatas fritas belgas, a Fresca Inspiração, com propostas de sopas nutritivas e as saladas frescas, ou o Prazeres da Bairrada, imbatível na arte de bem assar o leitão.

GLAM - Nos 2.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

O NOS Primavera Sound vai, igualmente, receber a visita da The Wrepe Van, com sugestões para uma alimentação saudável, dos sabores e texturas do Subenshi, dos apetecíveis crepes e hamburgers do Creperia School Bus, ou dos Vegetas Sobre Ruedas, que trazem de Barcelona alternativas 100% vegetarianas. Os Douro Boys, à semelhança das últimas edições, vão estar igualmente no recinto com a selecção de alguns dos melhores vinhos da região demarcada do Douro. O Reitoria, vai marcar presença com as focaccias e outros petiscos do menu, num espaço exclusivo na zona de convidados NOS.

 

Este ano, o festival vai também estrear uma zona dedicada exclusivamente à street food, onde vai ser possível provar as saborosas pizzas do Hand Go, a autenticidade da comida mexicana do La Catrina, as diversas sandes do Vira Lata, os gelados artesanais com sabores tradicionais dos Gelados de Portugal, ou as crocantes patas de calamar da La Rabaneta.

 

“Mercado da Primavera”

GLAM - Nos 1.jpgphoto: Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

São 22 as marcas que vão exibir as suas peças e serviços no Mercado do Primavera que, desde a sua primeira edição, aposta na criatividade artística. Além das presenças já conhecidas no festival, as novidades da quinta edição do NOS Primavera Sound incluem a roupa masculina de inspiração marítima da Litoral, as singulares pranchas de surf da Feelflows, as elegantes bicicletas da Velo Culture, a irreverência das peças da PORTOBRANDS ou a tradição da Barbearia Porto.

O Mercado do Primavera está aberto ao público das 16h às 02h durante os três dias do festival.

 

Zona de Restauração…

A Badalhoca, Cacau, Snack-bar Gazela – Cachorrinhos da Batalha, Casa Guedes, Central dos Pregos, Chiparia, Conga, Creperia School Bus, daTerra, Dom Peixe, Food On Tour, Fresca Inspiração, Lado B, Maria Wurst, Máximo, Oatmill, Orlando Martins, Padaria Ribeiro, Prazeres da Bairrada, Quinta dos Fumeiros, Rota do Chá, Santini, Sr. Showriço, Subenshi, A Tachadinha, The Wrepe Van, Tomatino, Vegetas Sobre Ruedas.

 

Zona de street food…

A Portuguesinha, Cereja do Fundão, Comida de Rua, Culto da Nata, GB-Sweet House Gourmet, Gelados de Portugal, Gomas e Lambarices, Hand Go, Juice Up, La Catrina, La Rabaneta , Ma Petite Creperie, Perrito Bravo, Porto Chips, Puorto Honest Food, Temako, Vira Lata, Zé da Tripa.

 

Mercado do Primavera…
8 MM RECORDS, Barbearia Porto, Feelflows Surfboards, Fotosport, IllustrART, Jewels don’t Shine, La Veille, Laroca, Le Love, Litoral, Mão Esquerda, Matéria Prima, Mon Père, Nervo Tattoo, Pajaro Malandro, PORTOBRANDS, Runaway Records, Screenadelica, Skog EyeWear, Tubitek CDV, Ui’s, Velo Culture

Throes + The Shine e Moullinex dão música no palco do Grande Auditório do CCVF

O palco do Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, vai receber dois concertos numa noite em que os decibéis vão rebentar com a sala. A energia será contagiante, não fosse a festa começar pelas mãos dos vibrantes Throes + The Shine para, a seguir, sermos invadidos pelo entusiasmo de Moullinex, veterano nestas andanças. E sim, a festa faz-se mesmo nas tábuas do palco.

Throes + The Shine _2016-01.jpgphoto: Promo /DR

 

Nesta noite não há aquecimentos. Há apenas a garantia de boa energia e boa música para fazer todos os corpos dançar.

A noite começa a todo o gás com os Throes + The Shine a abrir as festividades. Os Throes + The Shine englobam aventura e vitalidade. Usam cada grama da sua criatividade para originarem algo singular e que se concentra numa energia completamente efusiva em palco. Oriundos do Porto e de Luanda, a sua génese prendeu-se com a fusão do kuduro com o rock, mas que entretanto alargou horizontes de forma a albergar uma multitude de culturas que podem ir de África à Europa ou da América do Sul aos Estados Unidos. Depois de lançarem dois álbuns e de criarem uma presença regular pelos palcos europeus, os Throes + The Shine apresentam, agora, no Centro Cultural Vila Flor o novo álbum, “Wanga”, cujo lançamento acontece precisamente no mês de maio, com produção de Moullinex e com o selo da Discotexas.

Moullinex-2.jpgphoto: Promo /DR

 

A estes rapazes segue-se Moullinex, nome que já dispensa apresentações. Não é música de dança. É apenas música. Apesar da intensa atividade nesse mundo, Moullinex, o alter-ego do viseense Luis Clara Gomes, quer ser, e é, muito mais do que uma mera máquina de fazer dançar. Não que não seja bom a pôr pessoas a abanar, é só que se move igualmente bem entre vários géneros e ambientes, sejam eles a pista, o sofá ou a rua.

 

Em “Elsewhere”, o seu segundo disco de originais, Moullinex vinca isso ainda mais. Soul e funk do passado, com garage rock, MPB – especialmente nas percussões e na flauta, cada vez com mais destaque aqui – e psicadelismo à mistura, bem como sintetizadores carregados de nostalgia pelo futuro, tudo a conviver de maneira perfeita e a deixar bem vincado o facto de a música vir toda da mesma pessoa. Isto, claro, além da sempre presente dança e o objetivo de dar um toque humano às máquinas.

 

Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

28 de Maio 2016 | 22.00h

A MPB Brasileira em Concerto…. Roberta Sá

Nasceu em Natal (Rio Grande do Norte), em 1980.

Aos 24 anos editou o primeiro álbum, "Braseiro", uma declaração de amor à MPB, contando com a participação de Ney Matogrosso. Elogiada pela crítica, pares e público, Roberta Sá rapidamente passou de “revelação” a nome consagrado da música brasileira.

Image1.jpgCom "Que Belo Estranho Dia P’ra Se Ter Alegria" (2007), o seu segundo álbum, foi nomeada para os Grammy Latinos nas categorias de Artista Revelação e Melhor Álbum de Música Popular Brasileira e ganhou o prémio de Melhor Cantora, atribuído pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). "Delírio", de 2015, é o seu sexto álbum e conta com temas inéditos de Adriana Calcanhoto, Moreno Veloso e Martinho da Vila.

Dia 23 de Junho, Roberta Sá apresenta "Delírio", e temas de álbuns anteriores, no Teatro Tivoli BBVA.

Em palco, estarão também Alberto Continentino (baixo), Marcos Suzano (percussão), Luis Barcelos (bandolim e cavaquinho) e Rodrigo Campello (guitarra e violão tenor).

 

Teatro Tivoli BBva (Lisboa)

23 de Junho 2016 | 21.30

“Caminho D’Alma”… o álbum dos D’Alma a 27 de Maio

Os D’Alma são uma banda de Pop/Rock originária do Porto. O álbum “Caminho D’Alma” surge na sequência do primeiro álbum,  cujo principal objectivo é perpetuar grandes poetas: Florbela Espanca, José Saramago, Ricardo Reis e Álvaro de Campos (Fernando Pessoa), Miguel Torga, Rita Margaret, António Aleixo, António Carlos Santos, Sofia de Mello Brayner Anderson, Ester Cid e Joaquim C. Silva, Machado de Assis, Cristina lebre, Isabel Ferreira e Etelvina Diogo.

d'a.jpg“Caminho D’Alma” tem a participação especial do compositor brasileiro Michael Sullivan. Michael Sullivan é autor da música do tema “O Amor é Lindo”, Joaquim C. Silva é o autor da letra e cantam o tema em dueto.

 

Da escrita de cada poema foi criado pelo compositor Joaquim C. Silva uma musicalidade própria, transformando-o com a sua própria Alma. Cada tema representa a individualidade e unicidade existente em cada um de nós. A magia das palavras com a música. “Caminho D’Alma” na leveza e sensibilidade que nos movimenta.

O single de apresentação é o tema “Falo de Ti às Pedras das Estradas” (Florbela Espanca / Joaquim C. Silva).

OneRepublic… regressam com "Wherever I Go"

Dirigido por Joseph Kahn (responsável pelos vídeos de Taylor Swift, Maroon 5, Eminem, Robbie Williams ou Katy Perry), o vídeo, que já está disponível no VEVO oficial da banda, foi revelado no programa americano The Voice e conta com a participação do ator Kenneth Choi (de American Crime Story, Sons of Anarchy ou Wolf of Wall Street).

00.jpgWherever I Go” é o primeiro avanço para o próximo trabalho da banda de Ryan Tedder, que deverá chegar depois do verão, e sobre o qual o vocalista tweetou: “é novo, moderno, diferente de tudo o que já fizemos”. Em declarações à Entertainment Weekly, adicionou que as influências para este disco surgem de lugares distintos e cita Daft Punk, Miike Snow, LCD Soundsystem ou Prince: “ele é grande parte da razão pela qual eu gosto tanto de ir aos agudos – quando saiu o “The Most Beautiful Girl in the World” eu fiquei abismado pelo alcance da voz dele naquela canção, e sempre quis fazer algo assim”.

Este será o sucessor de “Native”, o álbum que atingiu o número 1 em 54 países e que motivou a mais recente passagem dos OneRepublic por Portugal (em 2014, no MEO Arena).

Por lá estão canções como “If I Lose Myself”, “Love Runs Out” ou “Counting Stars”, sucessos globais que são parte de uma história que começou já em 2007, com o single de estreia, “Apologize