Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

“Cantando… eu mando a tristeza embora…” Caetano e Gil no Coliseu (Reportagem)

Caetano Veloso e Gilberto Gil são sem dúvida os dois maiores nomes da música Brasileira, bem como uma referência mundial da world music.  Na primeira noite de 4 concertos em Portugal, em palco, um século de talento e de cultura tropical, de ritmos quentes e sentidos, de emoções fortes e de muito carinho por um público vibrante, caloroso que os recebeu, e bem, estes dois génios envelhecidos pelo tempo mas não pela música. Um concerto que ao longo de 30 canções, traçou uma linha introspectiva da carreira de ambos.

DSC_0843 (Cópia).jpgA entrada em palco fez-se descontraída, antevendo uma clara empatia dos músicos com o público, iniciando-se o concerto com “Back in Bahia”. Não foi preciso muito para que um Coliseu esgotado fizesse sentir a sua voz junta com a dos cantores em palco.

 

“Coração vagabundo” surgia num alinhamento que prometia uma revisitação da carreira de ambos, seguindo-se 2 temas avassaladores de 1968, “Tropicália” de Caetano e “Marginália II” de Gil.

Apenas acompanhados pelas guitarras, a mestria de ambos preenchiam a sala com sonoridades extraídas das guitarras, de uma forma exímia, com uma percussão assente nos próprios instrumentos, como na canção de Ary Barroso, “É luxo só”. De seguida, Caetano recupera o tema “É de manhã”, escrito para a irmã.

DSC_0384 (Cópia).jpgSampa” seria o ponto alto do concerto com a plateia em coro a acompanhar a canção.

Terra”, “Nine out of ten” e “Odeio Você” seguiram-se no desenrolar de canções, sempre acompanhados por uma plateia que não dava tréguas e que se juntava à cumplicidade em palco dos dois músicos.

“Tonada de luna llena (do venezuelano Simón Diaz, do disco de Caetano “Fina Estampa”) passou a palavra a Gil, com “Eu vim da Bahia”, seguida de “Super-homem”, a canção, primeiro na voz de Caetano e depois na de Gil, naquele que foi um dos melhores momentos da sintonia de ambos em palco.

DSC_0402 (Cópia).jpgCaetano recorre a um tema alheio no alinhamento da noite com “Come prima” e depois Gil com “Tres palabras”, de Osvaldo Farrés. Pelo meio, surge “Esotérico” e juntos se mantiveram em “Drão”, mais um tema bem conseguido, demonstrando uma vez mais a empatia existente entre ambos. “Não tenho medo da morte”, cantado em tom excepcionalmente grave e depois em tons mais altos de uma forma criativa, vibrante e absolutamente excepcional. “Expresso 2222” chegou ao alinhamento já em ambiente de festa, “festa” essa que continuou ao som de “Toda menina baiana” acompanhada pelo público a cantar e a bater palmas de uma forma ritmada. “São João”, “Xangô”, “Menino e Nossa gente” foram os temas seguintes.

A fé, as crenças sempre presentes nos temas de Gilberto Gil, “Andar com fé” e “Filhos de Gandhi”, mas interpretadas em duo a encerrar o alinhamento antes do primeiro encore.

DSC_0396 (Cópia).jpgRegressam com “Desde que o samba é samba”, do disco “Tropicália 2” de Caetano Veloso, canção que a audiência replicou palavra a palavra, num sussurro que se espalhou pela sala do Coliseu. Ainda tempo para “Domingo no Parque” e, a fechar, “A luz de Tieta”, lembrando a rítmica baiana da obra literária de Jorge Amado.

Regressam novamente a palco para satisfazer os pedidos da plateia que ansiava pela canção de Caetano Veloso, “Leãozinho” motivando uma euforia generalizada na sala. A encerrar a noite, recuperam mais um tema alheio, de Bob Marley, “Three Little Birds”.

DSC_0397 (Cópia).jpgCaetano e Gil demonstraram em palco o porque da sua longevidade musical e sobretudo da sua amizade. Mestres um do outro, o poder das suas canções é evidente, abrangendo os vários períodos que ambos viveram ao longo destes 50 anos de carreira. O cariz politíco, religioso, profano mas assente na tropicalidade sonora são a marca de identidade destes dois génios da cultura e da música Brasileira.

 

Reportagem: Sandra Pinho
Fotografias: Paulo Homem de Melo

 

 

 

 

 

De regresso aos discos e aos palcos... De La Soul

Pelo Palco Super Bock do 22º Super Bock Super Rock passarão alguns dos maiores nomes da música atual que, durante três dias, prometem oferecer alguns dos melhores concertos do ano. Está confirmado o último nome do palco, um dos coletivos mais importantes da história da música, que passará pelo Festival no último dia, o mesmo de Kendrick Lamar e Orelha Negra. Dia 16 de julho, no Palco Super Bock: De La Soul.

de-la-sould-sec.jpgphoto: DR

 

O trio De La Soul é considerado um dos coletivos mais reconhecidos e icónicos do mundo da música. Formados em 1987, são constituídos por Kelvin Mercer (Posdnuos, Mercenary, Plug Wonder Why, Plug One), David Jude Jolicoeur (Trugoy the Dove, Dave, Plug Two) e Vincent Mason (P.A. Pasemaster Mase, Maseo, Plug Three). Inovadores, sempre na margem alternativa do género, fundiram o hip hop com o jazz e o funk e o seu lado criativo revelou-se pela genialidade no uso de samples. Durante 20 anos editaram 8 LPs. O de estreia, “3 Feet High and Rising” (1989), foi considerado uma obra-prima e votado Álbum do Ano pela revista NME. Em 2008 foram homenageados na quinta edição do VH1 Hip Hop Honors, e contam ainda no seu currículo com a colaboração com os Gorillaz, na música “Feel Good Inc.”, uma das mais reconhecidas e apreciadas de sempre. Do seu vasto currículo constam também digressões conjuntas com nomes como A Tribe Called Quest, Nas, The Pharcyde, entre outros. 

2016 marca o seu regresso. 11 anos depois do último álbum “The Grind Date”, os De La Soul voltarão este ano com o seu novo disco “And The Anonymous Nobody” e com parceiros de luxo. Damon Albarn, Usher, Snoop Dog ou David Byrne são alguns dos nomes que irão participar no estrondoso regresso do trio norte-americano.

 

Já confirmados:

 

14 de julho

Palco Super Bock - Disclosure, The National, The Temper Trap

Palco EDP - Jamie XX, Kurt Vile, Villagers, Lucius, Surma (artista recomendada Tradiio)

Palco Carlsberg - DJ Shadow, Bomba Estereo

 

15 de julho

Palco Super Bock - Iggy Pop, Massive Attack & Young Fathers, Bloc Party

Palco EDP - Mac DeMarco, Rhye, Kwabs, Petite Noir, Pás de Problème

Palco Carlsberg - Lion Babe

 

16 de julho

Palco Super Bock - Kendrick Lamar, De La Soul, Orelha Negra

Palco EDP - GNR - Psicopátria, FIDLAR, Capicua, Kelela, The Parrots

Palco Carlsberg - DJ Ride

Viviane… Concertos no Porto, Faro e Lisboa, comemorativos 10 anos de carreira a solo

Viviane é uma cantora, compositora e letrista portuguesa que se deu a conhecer com o grupo pop-rock Entre Aspas nos anos 90. Na última década, Viviane iniciou a sua carreira a solo traçando um percurso firme e coerente, um percurso em que Viviane espelhou a sua ideia muito pessoal de uma música nova, sem fronteiras. Uma música em que a tradição e a modernidade, o apelo das raízes e da invenção livre, onde o fado, chanson française, jazz manouche, bossa-nova ou música latino-americana são revistos à luz de uma sensibilidade pop apurada, elegante e sofisticada.

VIVIANE_CARTAZFISICO3abril.jpgNo seu espetáculo Viviane apresenta-se num formato essencialmente acústico onde se cruzam os sons da guitarra portuguesa, da guitarra acústica, do contrabaixo, da melódica,da flauta, do piano e da bateria. No seu concerto, Viviane convida-nos para uma viagem através das suas memórias pessoais e musicais onde têm encontro marcado canções profundas e sentimentais, e temas alegres e divertidos em que o público é frequentemente convidado a participar.

Viviane é uma das vozes mais carismáticas da música portuguesa com uma já longa experiência musical e uma voz unica e inconfundivel. A sua atitude singular e o seu registo envolvente, irá proporcionar um excelente momento musical através de um concerto que será certamente inesquecível

 

Viviane nasceu em França e veio para Portugal aos 13 anos de idade. Aí, iniciou a sua carreira musical em 1990 quando formou juntamente com Tó Viegas o grupo Entre Aspas, que após ter alcançado o 3º lugar no concurso de música moderna da Câmara Municipal de Lisboa, assinou contrato com a multinacional BMG tendo gravado 6 álbuns através dessa mesma editora.

 

Em 2016 a comemoração dos 10 anos a solo continua com os espectáculos “Confidências” nas seguintes datas:

 

Casa da Música (Porto)

2 de Junho 2016

 

Teatro das Figuras

4 de Junho 2016

 

Cinema São Jorge (Lisboa)

9 de Junho 2016

 

Noite Pano de Xita... no Sabotage Club

As “Noites Pano de Xita” são noites de curadoria entre o Sabotage e a Xita Records como modo de celebração às bandas, cantautores ou projetos que se têm vindo a destacar na sua turma ao longo dos meses, estas noites podem também contar com convidados, amigos e obviamente contar com boa vibe.

777.jpgA primeira edição contará com os concertos de João Raposo, Ninaz e Grand Sun. João Peste, dos Pop Dell'Arte, ficará encarregue do DJ Set

 

João Raposo é um adolescente lisboeta que desde sempre aprendeu e esteve próximo da música como sua componente criativa. Influenciado por nomes da clássica cantautoria lisboeta e cantada em português como José Mario Branco, Chico Buarque, Zeca Afonso ou até com o passar dos anos B Fachada, este rapaz dos Salesianos de Lisboa decidiu pegar na guitarra e tocar as suas canções. João Raposo promete cantar sobre o seu dia-a-dia questionando a sua existência e a dos que o rodeiam tendo em conta as suas relações amorosas e de amizade pura. Fazendo parte da turma da Xita Records, João Raposo mostrou-nos até agora “Capitão” na mais recente compilação da companhia discográfica prometendo-nos deixar marca num futuro mais do que próximo.

ninaz.jpgphoto: Diogo Rodrigues

 

As Ninaz surgiram bem antes de surgirem as canções, como uma designação para um grupo de amigas, tudo num tom irónico. A partir de Setembro de 2015, começaram os ensaios e as canções a acontecer, ao mesmo tempo que pegavam pela primeira vez nos instrumentos.

Lucía Vives na bateria, Margarida Lalanje na guitarra, Beatriz Peres no baixo e Joana Peres nas vozes. Assim as Ninaz trazem-nos as primeiras canções. Cruas e diretas.

 

João Simões (ou Simon) é desde muito cedo um rapaz musicalmente curioso – muito influenciado pelo meio envolvente e consequente necessidade de experimentação sonora, integra vários projetos desde muito novo. 

Decide no final de 2014 formar uma banda para responder à constante mutação do panorama musical e decide também fugir às salas de ensaio e ir para os Nirvana Studios (a casa das divagações Grand Sun desde então). Entre as suas influências e necessidades musicais encontra-se o psicadelismo e seu revivalismo assim como o rock progressivo, o rock dos sintetizadores e dos deselegantes anos 80 e o Indie, e é isso que o liga ao António, um virtuoso e extrovertido pianista e incansável criador de aveludadas linhas melódicas que emergem tanto do seu lado mais clássico como da sua criação pura e experimental.

Depois de alguns meses nos Nirvana a ensaiar com outro projeto, encontram o Miguel, o ponto de equilíbrio da banda com uma forte pulsação Jazz, Dixie e Bossa e o Manel, uma alma naïve que traz muito à-vontade à criação sonora com elementos surfy, stoner e hard-rock.

E é nesta altura que se juntam à recém- criada Xita Records. Gravam a sua primeira canção em estúdio, “Apolo” para a compilação da label: “Um EP Xita Records”

 

Sabotage Club (Lisboa)

28 de Abril 2016

Selena Gomez encerra em Portugal “The Revival Tour”

A multiplatinada cantora e actriz Selena Gomez anuncia a digressão europeia que começa em Helsínquia, no dia 10 de Outubro, e termina em Lisboa, no MEO Arena, no dia 16 de Novembro.

selena.jpgphoto: Promo /DR

 

“The Revival Tour” é a tour assente no seu último álbum “Revival” que vendeu quase 7 milhões de cópias e mais de 22 milhões de singles em todo o mundo. Os singles “Same Old Love”, “Good For You” e “Hands to Myself” atingiram o primeiro lugar do top de dezenas de rádios em todo o mundo.

“Investi de alma e coração para tornar esta tournée em algo muito especial. Mal posso esperar por chegar à Europa e estar cara a cara com os meus fãs.” diz Selena, para quem este novo álbum “marca um novo e importante capítulo” da sua vida. “Estou ansiosa para subir ao palco e apresentar estas canções!”.

 

O novo álbum da artista valeu-lhe boas críticas por parte da imprensa que considerou este novo disco como o símbolo e a imagem de uma artista pop em ascensão e “com uma força nunca antes vista”, segundo a Rolling Stone, que considera que este álbum vai “converter alguns cépticos do seu instagram e levá-los para a pista de dança”. A voz de Same Old Love, Good For You, Hands to Myself, Like You Like a Love Song entre outros êxitos, estará no MEO Arena a 16 de Novembro.

Tiago Silvestre… Vira o disco e toca o Lado B

Depois de, em Novembro passado, ter disponibilizado o “Lado A” do seu primeiro álbum a solo, Tiago Silvestre apresenta-nos agora o “Lado B”. Constituído por 3 novos temas, todos eles originais, o “Lado B” de "Stª Apolónia" remete-nos para o lado mais alternativo e experimental do jovem compositor. O tema inicial é um inédito, "Ode à Vida", seguido por "Rua D'Amargura", uma nova colaboração (desta feita com Tiago Cruz) e "Joalharia II", uma nova versão do tema que encerra o Lado A.

Stª Apolónia (Lado B).jpg

A versão física de "Stª Apolónia" será disponibilizada para venda ao longo do próximo mês de Maio, até lá, "Stª Apolónia" encontra-se disponível para streaming ou download gratuito

 

Decorria o ano de 2009 quando Tiago Silvestre iniciou o seu percurso musical, como baixista, numa banda de Rock N' Roll de originais, "Arcanis". Nos anos que se seguiram pertenceu ainda a outros projectos, desta feita como vocalista/guitarrista nas bandas “Sujeitos a Reboque” (banda de covers) e “Teddy Picker” (banda de tributo a Arctic Monkeys).

No final de 2012, decide abandonar os Arcanis e embarcar numa aventura de um projecto a solo onde pudesse explorar as suas maiores influências, como o Country e o Rock em português.

 

Desde o início de 2014 que tem vindo a pisar os seus primeiros palcos a solo, divulgando assim os primeiros temas da sua autoria, tendo até agora disponibilizado o seu primeiro single - "Cavaleiros da Távola Redonda" (Maio de 2014) e mais recentemente o Lado A do seu primeiro álbum - "Stª Apolónia" (Novembro de 2015).

Vinhos do Tejo em Workshops e Harmonizações Enogastronómicas na Alemanha

A Comissão Vitivícola Regional do Tejo - CVR Tejo organiza um conjunto de Workshops sobre o Vinho do Tejo em várias cidades alemãs entre Abril e Maio, reforçando assim a sua aposta no mercado alemão.

Vinhos do Tejo na Alemanha.JPG

Sendo o 8º mercado de exportação para os Vinhos do Tejo, a Comissão Vitivinícola e Regional do Tejo ruma novamente ao mercado alemão que recebe, assim, um novo programa sobre vinhos do Tejo que contempla e reforça o know how e conhecimento dos vinhos portugueses. Este programa é levado a cabo em parceria com a Insider Cooking, uma agência especializada em promover a gastronomia portuguesa e que assim assegura as harmonizações enogastronómicas entre os vinhos propostos e o melhor da gastronomia de Portugal.

A selecção de vinhos a apresentar nesta acção conta com a participação dos seguintes dez prestigiados produtores do Tejo: Adega de Alcanhões, Adega do Cartaxo, Casal Branco, Fiuza, João M. Barbosa Vinhos, Quinta da Alorna, Quinta da Lapa, Quinta da Ribeirinha, Quinta do Casal Monteiro e Casa Cadaval. As várias acções contam com a participação do Embaixador dos Vinhos do Tejo para o mercado alemão, o reconhecido Sommelier Sebastian Bordthäuser e terão lugar em galerias, restaurantes e escolas de culinária alemãs em várias cidades da Alemanha.

WorkShop_Alemanha_1.JPGO primeiro workshop realizou-se em Colónia no Marieneck no passado dia 4 de Abril, o segundo em Hamburgo no Kochschule, a 6 de Abril e o terceiro em Berlim no Goldhahn & Sampson, a 7 de Abril. Também em Berlim, no dia 8 de Abril, teve lugar a prova comentada por Sebastian Bordthäuser numa galeria de vinho. Após o sucesso da participação dos Vinhos do Tejo na Prowein, em Dusseldorf, a CVR Tejo continua assim a fazer um trabalho de sensibilização no mercado alemão, para a qualidade dos Vinhos do Tejo, bem como dar a conhecer as características diferenciadores desta região vitivinícola.

 

Este ano o mercado alemão será ainda alvo de mais dois worshops em Maio, nas cidades de Munique, no Kustermann (10 de Maio) e em Estugarda no Zauberlehrling (11 de Maio), bem com uma visita inversa em Junho e participação na Feira Fórum Vini em Munique a ocorrer em Novembro.