Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Lisboa Dance Festival…Horários para o dia 4

Será já nos próximos dias 4 e 5 de Março que o Lisboa Dance Festival tomará conta de 4 salas dentro da Lx Factory e ainda, em regime “after hours”, do Clube Ministerium, no Terreiro do Paço. Presentes estarão mais de 60 artistas nacionais e internacionais, com 16 editoras portuguesas de vários quadrantes da música electrónica a apresentarem showcases especiais que sublinham o momento particularmente vibrante que se vive.

lisboa_dance_festival_2016_dr.jpgAo todo, o Lisboa Dance Festival oferece mais de 36 horas de música divididos por dois dias que prometem ficar na memória de todos.

 

Horários e alinhamento para o dia 4 de Março

 

Fábrica XL:

Johan: 17.30 – 19.00

Cardia: 19.00 – 20.30

Pedro Aguiar (live): 20.30 – 22.00

Rompante (live): 22.00 – 23.00

Cruz: 23.00 – 00.30

Magazino: 00.30 – 02.00

Ame: 02.00 – 04.00

 

Zoot:

RMA: 17.30 – 19.00

Dj Spot: 19.00 – 20.50

Keso (live): 21.00 – 22.00

Dj D-One: 22.10 – 23.30

Bison & Squareffekt: 23.30 – 01.00

Doutorado Pro: 01.00 – 02.30

Rastronaut: 02.30 – 04.00

 

BI+CA:

Fidélio: 19.00 – 20.30

Ludovic: 20.30 – 22.00

Miguel Torga (live): 22.15 – 23.15

Ondness (live): 23.30 – 00.30

Discos Extendes: 00.45 – 02.45

Citizen Kane (live): 03.00 – 04.00

 

Normajean:

Just Jaeckin: 19.00 – 20.00

Sonja: 20.00 – 21.30

De los miedos: 21.30 – 23.00

Vakula: 23.00 – 01.00

Black: 01.00 – 02.30

Tiago: 02.30 – 04.00

 

Ministerium Club:

Fusco: 00.00 – 03.00

Amulador: 03.00 – 05.00

Norman Nodge: 05.00 – 09.00

Lisboa Dance Festival…Horários Lectures & Talks

Será já nos próximos dias 4 e 5 de Março que o Lisboa Dance Festival tomará conta de 4 salas dentro da Lx Factory e ainda, em regime “after hours”, do Clube Ministerium, no Terreiro do Paço. Presentes estarão mais de 60 artistas nacionais e internacionais, com 16 editoras portuguesas de vários quadrantes da música electrónica a apresentarem showcases especiais que sublinham o momento particularmente vibrante que se vive.

lisboa_dance_festival_2016_dr.jpgAo todo, o Lisboa Dance Festival oferece mais de 36 horas de música divididos por dois dias que prometem ficar na memória de todos.

 

Horários Talks – Espaço ACT para Todos

 

Lectures:

- “Como abrir e gerir uma editora?” por Rui Torrinha - 15.00 – 15.50

- “Como editar um disco de vinil: passos, questões, dicas práticas” por Bruno Cardoso, Luis Clara Gomes - 16.00 – 16.50

- “Direitos para artistas e editoras” por Nuno Saraiva - 17.00 – 17.50

 

Talks:

- “Hip Hop: do underground à força de mercado. A evolução de uma cultura em Portugal”. Moderador Rui Miguel Abreu. Nomes confirmados: Bruno Martins, Fred Ferreira, Darksunn - 15.00 – 15.50

- “Vinil, lojas e a realidade do consumo de música electrónica”. Moderador Luís Oliveira. Nomes confirmados: José Moura, Jorge Caiado, Magazino - 16.00 – 16.50

- “O som das periferias e a Batida de Lisboa”. Moderador Manuel Rodrigues. Nomes confirmados: Dj Satélite, NK e Francisco Sousa - 17.30 – 18.30

- “A propagação do sinal: o papel da rádio no mapa musical português”. Moderador Isilda Sanches. Nomes confirmados: Nuno Reis, Henrique Amaro e Carlos Cardoso - 19.00 – 19.50

 

Masterclasses:

- Slow J (mistura, masterização) – 15.00 – 16.00

- DJ Ride (scratch, produção) – 16.30 – 17.30

- Moullinex (sintetizadores) – 18.00 – 19.00

Diana Martinez & The Crib no Salão Brazil

Apesar de ser ainda muito jovem, Diana Martinez revela já uma definitiva maturidade como artista, tendo colaborado com músicos como os Expensive Soul ou Pedro Abrunhosa.

IMG_0918 (Cópia).jpg(c) 2015 Sara Silva / Arquivo Glam Magazine

 

Autora e vocalista dos singles de sucesso "That's Just How We Do It" e "Reverie", encontrou a visão e o conceito para “Diana Martinez & The Crib” com o apoio do produtor João André, cuja sonoridade reflete a sua verdadeira paixão: o R&B, o Soul e o Hip Hop.

Durante a composição, Diana Martinez aborda e questiona os desafios diários característicos da sua geração, particularmente sobre o ponto de vista das mulheres, permitindo a quem ouve fazer uma viagem emocionante ao interior da artista. Em Coimbra, apresenta o álbum de estreia, que conta com colaborações com Orelha Negra, The Black Mamba e We Trust.

 

Salão Brazil (Coimbra)

3 de março 2016 | 22.00h

Jorge Palma e Sérgio Godinho… "Juntos" agora no Porto

Depois das apresentações realizadas na semana passada no Coliseu de Lisboa, Jorge Palma & Sérgio Godinho apresentam o espetáculo "Juntos" no Coliseu do Porto nos dias 3 e 4 deste mês.

O entusiasmo que as apresentações em Lisboa despertaram foi correspondido por parte dos artistas com dois memoráveis concertos que lotaram a sala lisboeta.

juntos.jpg(DR)

 

No Correio da Manhã, Pedro Rodrigues Santos destacava no título "Palma e Godinho juntos em noite de celebração". Já no texto, descrevia as suas impressões sobre a noite "constituído por várias gerações, o público que esgotou a sala lisboeta apenas confirmou a intemporalidade dos temas cantados em dueto por Palma e Godinho. Num ambiente ora íntimo, ora efusivo, os dois artistas desfilaram canções como 'Dá-me Lume', 'O Elixir da Eterna Juventude', 'As Horas Extraordinárias' e 'Deixa-me Rir' (…)".

 

No altamont.pt, Inês Linhares Dias dissertava sobre as suas desconfianças anteriores ao concerto - "quando dois nomes tão gigantes da música popular portuguesa, como Jorge Palma e Sérgio Godinho, se juntam (…) a primeira reação natural de qualquer pessoa (…) é de um enorme entusiasmo. Contudo, a mastigação da ideia levanta dúvidas (…). Ainda assim, confiamos nos mestres e, esperançosos, lá vamos ver como é que duas mestrias distintas, resultam juntas. E resultam. Como não poderia deixar de ser."

 

Para Carlos Ferreira no artigo publicado na infocul.pt importava destacar o papel da banda que acompanha Jorge Palma & Sérgio Godinho: "que os dois artistas são de um talento extraordinário, já todos sabíamos. Mas a banda que os acompanha não lhes fica atrás. Nuno Rafael, Sérgio Nascimento, João Cardoso, Pedro Vidal, Nuno Lucas e João Correia mostraram qualidade e virtuosismo."

 

Amanhã e depois, dias 3 e 4, será a vez do Coliseu do Porto viver noites emocionantes que serão seguramente diferentes das vividas em Lisboa..

 

Coliseu (Porto)

3 e 4 de Março 2016

João Pedro Pais em concerto especial...

João Pedro Pais volta às grandes canções e aos grandes discos. “Passo a Passo” é a primeira canção de apresentação daquele que é o sétimo disco de originais de João Pedro Pais, produzido por Luís Jardim e gravado entre Londres e Lisboa.

Jo_o_Pedro_Pais_1_720_2500.jpg

“Cada momento meu e de tudo o que aprendi e vi, está aqui nesta canção. É isto que eu sou e que muitos de vocês também são, momentos e acontecimentos. Vivemos um dia de cada vez, “Passo a Passo”. Construímos e desconstruímos relações, até nos encontrarmos nas mesmas. A nossa identidade!”

 

No dia 5 de março, João Pedro Pais visita pela primeira vez o Teatro Municipal de Vila do Conde, apresentando um espectáculo dedicado a todas as mulheres, no âmbito da celebração do Dia Internacional da Mulher, com um alinhamento intimista e de “olhos nos olhos”, onde as suas canções (as novas e também os grandes êxitos) são abordadas de uma forma simples e mais próximas da sua essência. Este será um encontro inédito com o público vilacondense, que, no mínimo, se espera que seja muito especial.

 

Teatro Municipal (Vila do Conde)

5 Março 2016 | 21.30h

“Slow Move” é o album estreia dos Grandfather’s House

Slow Move” é o primeiro álbum dos bracarenses Grandfather’s House com edição agenda para 4 Março 2016 nas plataformas digitais. Em 2014 editaram o EP “Sketelon” que acabou por passar despercebido junto da imprensa, mas o público não... O público dos concertos que fizeram por Portugal e Espanha não ficou indiferente à sua proposta. Seria difícil. O som da banda, alternativo, viaja entre o rock e o blues. Convida a uma escuta atenta. Nesta casa mora talento, autenticidade e entrega.

99.jpgGravado no Bug Studio, produzido pela banda, por Márcio Décio e João Figueiredo (também responsáveis pelas misturas), o álbum é composto por 10 canções. O tema “Sweet Love Making” foi escolhido para single, com honras de videoclip. GrandFather’s House surge em 2012 como uma one-man band de Tiago Sampaio. Em 2013, Rita Sampaio (sua irmã) junta-se como cantora e mais tarde assume também os teclados. Depois da edição de "Skeleton" João Costeira entra para a bateria formando o actual trio. As influências da banda vão desde o Blues ao Rock, de Buddy Holly, White Stripes, PJ Harvey, Alabama Shakes, até à música eletrónica e nomes mais recentes tais como, peixe:avião, Sensible Soccers, entre outros.

A apresentação ao vivo do novo disco acontece numa tour que já tem data marcada para Braga, a 11 de março no Sé la Vie. Os Grandfather’s House são: Rita Sampaio (voz e sintetizadores), Tiago Sampaio (guitarra e voz) e João Costeira (bateria e voz).

 

Concertos de apresentação:

Sé la Vie (Braga)

11 de Março 2016 | 22.30h

 

C.R.U (Famalição)

26 de Março 2016 | 23.00h

 

CCOB (Barcelos)

8 de Abril 2016 | 22.00h

 

Sabotage (Lisboa)

15 de Abril 2016 | 22.00h

Carvin Jones, o génio da guitarra em Portugal

Considerado por muitos o Jimi Hendrix dos nossos dias, Carvin Jones nasceu em Lufkin, Texas (EUA), e vem ao Vadia BrewPub em trio, para espalhar o seu brilhantismo, num concerto a 11 de Março que vai surpreender tudo e todos com os seus dotes na guitarra.

CarvinJones.jpgDesde muito jovem, influenciado pelo avô, amante de blues e do BB King, começou a tocar guitarra aos 11 anos, mantendo-se afastado de um bairro problemático onde vivia, dedicando o seu tempo à sua guitarra. Aos 19 anos muda-se para o Arizona onde deu início à sua carreira. A sua capacidade única de tocar guitarra, fizeram dele uma das referências atuais da música no universo dos blues e a sua fama tornou-se mundial, tendo já partilhado palcos com as lendas BB King, Santana, Jeff Beck, Albert King, Albert Collins, The Animals, REO Speedwagon entre outros

 

O guitarrista, que também tocou com Joe Cocker e com o grupo Fabulous Thunderbirds, fez, nos últimos dois anos, digressões pelo mundo inteiro e em países como o Iraque e o Kuwait… A Guitarrist Magazine considerou-o como um dos 50 melhores guitarristas do Blues que já viveram e cumpriram a sua missão na música.

 

Vadia BrewPub (Oliveira de Azeméis)

11 de Março 2016 | 23.00h

 

Lion Babe estreiam-se ao vivo em Portugal e mostram o primeiro álbum "Begin"

A cantautora e performer Jillian Hervey e o produtor e instrumentalista Lucas Goodman formam os Lion Babe, duo nascido em Nova Iorque que foi, indiscutivelmente, uma das estreias mais entusiasmantes de 2015. O projeto continua a dar que falar, na altura em que lançaram o primeiro álbum, "Begin", a 5 de fevereiro.

lion.JPGDR

 

Foram agora um dos nomes anunciados para atuar na edição deste ano do festival Super Bock Super Rock, a 15 de julho. A estreia ao vivo entre nós deverá ser baseada em “Begin”. O disco conta com 14 canções com uma sensibilidade soul e colaborações com artistas como Pharrell Williams, Childish Gambino (no já conhecido single "Jump Hi"), Andrew Wyatt e Al Shux. Além do já referido "Jump Hi", farão ainda parte do álbum temas já bastante aclamados pela crítica como "Wonder Woman", "Impossible", "Jungle Lady" ou a primeira canção composta pelo duo, "Treat Me Like Fire", lado a lado de algumas novidades que serão futuros clássicos, entre eles "Stressed OUT!", "Satisfy My Love" ou "On the Rocks".

Nos últimos meses os Lion Babe têm também apresentado a sua música em alguns dos mais importantes festivais europeus e dos Estados Unidos, tendo atuado no Lollapalooza, Lovebox, Bestival, Parklife ou Wild Life. O duo foi também convidado pelos britânicos Disclosure para participar no single "Hourglass" e para atuar nos concertos que os irmãos Lawrence deram no Madison Square Garden, em Nova Iorque, e no Alexandra Palace, em Londres. Somando mais de 15 milhões de streams em diversas plataformas de streaming áudio e visuais, como o Spotify e o canal Vevo, em 2015 todos os olhos estiveram postos nos Lion Babe. 2016 prepara-se para ser mais um ano estelar para estas estrelas em ascensão.

Captain Boy apresenta o seu EP em Viana do Castelo

Captain Boy é o alter ego do músico Vimaranense Pedro Ribeiro.

Vagabundo com voz rouca e guitarra a tiracolo Captain Boy canta histórias que transcendem o tempo. A sonoridade ferrugenta acompanha-o em todas as actuações remetendo-nos para um ambiente como se nós próprios estivéssemos a bordo de um barco imaginário.

GLAM - Captain Boy.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

O primeiro EP do Artista foi editado em 2015 com a distribuição digital da Universal Music Portugal. No mesmo ano, e resultado da parceria com a plataforma Tradio, Captain Boy chegou ao Top50 das mais de 1200 bandas a votação na Tradiio e foi o primeiro artista a ser escolhido para abrir o palco EDP do Festival Super Bock Super Rock em Julho de 2015.

Neste momento o artista encontra-se a preparar o seu primeiro trabalho de longa duração que será conhecido ainda em 2016.

 

Museu de Artes Decorativas (Viana do Castelo)

5 de Março 2016

Diogo Piçarra revela convidados para concertos especiais na próxima semana

É já no final da próxima semana que Diogo Piçarra atua, pela primeira vez, nos prestigiados palcos do Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, no Theatro Circo, em Braga e na Sala Suggia da Casa da Música, no Porto.

DSC_2820.jpg(c) 2015 Filipe Limen / Arquivo Glam Magazine

 

Para estes concertos, com os quais se celebra um ano desde a edição de "Espelho", Diogo Piçarra convidou Isaura, a artista com quem canta em dueto no tema "Meu é Teu", o inédito gravado especialmente para a reedição do disco, lançada no Natal passado; e Real Punch, o rapper algarvio da banda Tribruto, que participou no disco na música "Falso Espelho".

Antes disso, no dia 9 de março, Diogo Piçarra atuará, a convite de Marcelo Rebelo de Sousa na sua tomada de posse como Presidente da República. O concerto está marcado para as 20h00, na Praça do Município, em Lisboa, para o qual, o novo Chefe de Estado selecionou para além de Diogo Piçarra, Pedro Abrunhosa, os HMB, Mariza, Paulo de Carvalho, José Cid e Anselmo Ralph.

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

10 de Março 2016 | 21.00h

 

Theatro Circo (Braga)

12 de Março 2016 | 21.30h

 

Casa da Música (Porto)

13 de Março 2016 | 21.00h

 

Caixa Ribeira'16… novas confirmações: Gisela João, Hélder Moutinho e Maria da Fé

A três meses do seu início, o maior evento de Fado do Porto continua a apresentar aqueles que são aos dias de hoje os melhores fadistas nacionais. Entre os quais os três nomes que se anunciam hoje. São de gerações distintas, mas têm na voz a essência do Fado: Gisela João, Hélder Moutinho e Maria da Fé.

gisela.jpegGisela João é, provavelmente, o nome maior da nova geração de fadistas. Irreverente, audaz, com uma postura certeiramente diferente, trouxe o Fado para mais público, tamanho é o seu talento. Minhota de berço, editou o seu disco de estreia em 2013, um título homónimo que marcou a sua carreira. Os 14 temas que constituem a sua primeira aventura discográfica são canções personalizadas e sem espartilhos artísticos forçados pela tradição. Gisela canta as coisas dos dias, sem pruridos, pendurando-se na temática do amor (e desamor), com a coragem dos destemidos.

helder.jpegHélder Moutinho é um fadista ponderado e instruído do chão que pisa. Tem editado comedidamente, mas sem timidez, no que há competência diz respeito. Em 1999, lançou “Sete Fados e Alguns Cantos”, quatro anos depois, “Luz de Lisboa”, e “Que Fado É Este Que Trago”, em 2008. Tem sido assim, a mapear o tempo de quatro em quatro anos, que Hélder Moutinho tem cimentado o seu talento no universo do Fado. Em Janeiro de 2013 oferece o disco mais conceptual da sua carreira, “1987”. Volta em 2016 com “Manual do Coração” que conta, em exclusivo, com poemas de João Monge. Nas composições, convidados distintos como Carlos Barretto, João Gil, Manuel Paulo, Marco Oliveira, Mário Laginha, Pedro da Silva Martins, Ricardo Parreira, Vitorino ou Zeca Medeiros.

 

Com mais de 50 anos de carreira, Maria da Fé é uma das mais importantes intérpretes da arte de bem cantar o Fado. Maria da Fé começou a cantar aos 9 anos e a partir daí nunca mais parou. É uma das artistas portuguesas com mais trabalhos editados, com 30 LPs e 20 CDs nas ruas desde o início da sua carreira, e sucessos como “Cantarei até que a voz me doa” serão para sempre cantados por toda a gente e entoados em uníssono no dia 3 de junho, na Ribeira do Porto.

 

Já Confirmados...

Aldina Duarte; António Chainho com Paulo de Carvalho e Mafalda Arnauth; António Zambujo; Gisela João; Gonçalo Salgueiro; Hélder Moutinho; Joana Amendoeira; Jorge Fernando; José Manuel Neto; Maria da Fé; Pedro Moutinho; Raquel Tavares; Rodrigo & Florência; Sara Correia; Simone de Oliveira; Kiko

 

Orelha Negra, Rhye e Lion Babe… 3 confirmações Super Bock Super Rock

A diversidade de estilos e origens dos artistas que compõem o cartaz do Super Bock Super Rock foi desde sempre uma das suas marcas.

Hoje apresenta-se o primeiro nome nacional anunciado para o Festival e duas duplas internacionais: Orelha Negra, Rhye e o primeiro nome confirmado para o Palco Carlsberg, Lion Babe em estreia no nosso país

orelha.jpg(c) 2016 Paulo Homem de Melo

 

Juntos desde 2010, os Orelha Negra, Cruzfader (Dj), Sam The Kid (MPCs), Fred Ferreira (bateria), Francisco Rebelo (baixo) e João Gomes (teclas), editaram dois LP homónimos, alguns singles e duas Mixtapes de enorme sucesso. Não têm par em Portugal e os membros constituintes condensam no projeto, de forma inigualável, a experiência e o saber-fazer conquistado noutras aventuras artísticas - coletivas ou em nome individual. A música é-lhes coração e alma, e nela - com ela - as portas têm-se aberto para colaborações porque o universo dos Orelha Negra é também feito de partilha. Em 2016 estão de volta à estrada com novo disco e o Super Bock Super Rock será o lugar de eleição para ouvirmos os temas novos e todos os outros que fazem dos Orelha Negra um dos melhores projetos musicais portugueses. Dia 16 de Julho no Palco Super Bock.

Os Rhye são uma dupla Californiana que resulta do génio de um canadiano, Milosh, e de um dinamarquês, Robin Hannibal. Depois de um passado feito de projetos a solo ou com outros coletivos, os dois juntaram-se para criarem música feita com muita elegância. Quem não se apaixona por temas como “Fall” ou “Open”? Têm um LP de originais chamado “Woman”, recheado de pérolas que encantam infalivelmente. Encherão o Palco EDP no dia 15 de Julho

De Nova Iorque, os Lion Babe. A música da cantautora e performer Jillian Hervey e do produtor e instrumentista Lucas Goodman é feita de muito groove, soul e disco que soa a retro, mas claramente virado para os nossos dias. Entre 2012 e 2013, com os singles "Treat Me Like Fire” e "Jump Hi", ganharam o mundo, e este não mais os largou. Este ano chega o LP “Begin”, com hits para dançar como "Where Do We Go", "Wonder Woman" e "Impossible". Imperdíveis, em estreia no nosso país, dia 15 de Julho, no Palco Carlsberg

 

14 de julho

Palco Super Bock - Disclosure, The National

Palco EDP - Jamie XX, Kurt Vile, Villagers

 

15 de julho

Palco Super Bock - Massive Attack & Young Fathers, Bloc Party

Palco EDP - Rhye, Mac DeMarco, Kwabs, Petite Noir

Palco Carlsberg - Lion Babe

 

16 de julho

Palco Super Bock - Kendrick Lamar, Orelha Negra

Palco EDP - FIDLAR

Primeiro EP dos Manos… "Fui ao Céu e Voltei"

Manos são de Santo Tirso e apresentam um noise rock frenético cantado em português e inglês fazendo lembrar outras "Eras" do punk e do rock cadavéricos dos anos 80 misturado com sons espaciais transbordando o ácido e o psicadélico que nos faz levar para uma curta e intensa viagem alucinante.

manos.jpgO EP de estreia, "Fui ao Céu e Voltei", tem edição agendada para 15 de Março de 2016 pela mão da Slowdriver Productions.

 

O disco pode ser encomendado aqui

Portuguese Deep Frequencies Vol.2

A editora e promotora Mais Baixo orgulhosamente apresentou ontem, 1 de março, o segundo volume da compilação Portuguese Deep Frequencies, no qual prefiguram dezanove talentosos artistas do panorama nacional, sob o estandarte da Bass Music. A edição exclusiva e limitada em CD terá uma reduzida tiragem e o download gratuito pode ser feito no site Bandcamp a partir de dia 1 de Março. As dezasseis faixas constituem uma oportunidade excecional para conhecer novos artistas e tendências e, ao mesmo tempo, um contributo valoroso para a o cenário bass português.

a3863354967_10.jpgA primeira compilação foi recebida com vasta aceitação, tendo esgotado a sua tiragem e contou com o apoio das rádios Antena 3 e Oxigénio. Foi um projeto de sucesso, dinamizador e enriquecedor para a cultura Bass Music em Portugal e que vê agora a suasegunda edição.

Fundada em 2010, Mais Baixo é uma editora e promotora que pretende a divulgação da Bass Music, apostando na exclusividade artística e procurando, através dos seus eventos distintos, promover e estimular esta vertente da música eletrónica. Os seus méritos são reconhecidos, contando com milhares de seguidores e aparições em rádios, podcasts e sites.

TREMOR 2016… Concertos, filmes, workshops e toda a programação revelada

São dezenas de concertos para adultos e crianças, projecção de filmes, workshops, e momentos de pura descoberta de algumas das mais bonitas maravilhas naturais do Atlântico: é isto o TREMOR, o abalo cultural que assolará a ilha de São Miguel, nos Açores, entre os dias 15 e 19 de Março. Aos concertos já anunciados para dia 19, nos quais se destacam Bitchin Bajas & Bonnie ‘Prince’ Billy, Dan Deacon, Black Mountain, Suuns, Julianna Barwick, PAUS, HHY & the Macumbas e tantos, tantos mais, acrescentamos os detalhes que enriquecerão o festival entre os dias 15 e 18 de Março.

tremor2016.jpgNo capítulo dos filmes, Mário Patrocínio projectará o seu “I Love Kuduro”, com o selo da Red Bull Music Academy haverá “What Difference Does it Make”, e António Júlio Duarte exporá os seus exercícios visuais recolhida na ilha de São Miguel nos dias que precedem o TREMOR. Fernando Almeida, escultor, apresentará os frutos do workshop que tem vindo a desenvolver com os alunos das Escola Secundária Antero de Quental e com a associação A.R.R.I.S.C.A. E SONJA, enquanto prepara o DJ set de encerramento desta edição, adiciona mais um mural ao Circuito de Arte Urbana de São Miguel em colaboração com o festival Walk&Talk.

 

Para os mais pequenos não ficarem esquecidos, haverá o mini-TREMOR, com concertos dedicados às audiência de palmo e meio e respectivos progenitores, protagonizados por O Gringo Sou EU, Alex & Les Japonaises, Luís Senra & Yves Decoster e King John. No que a residências artísticas diz respeito, os escoceses Happy Meals estarão em retiro no paraíso Micaelense a cozinhar novas iguarias para os nossos ouvidos, os ZA! criam um concerto com a Escola de Música de Rabo de Peixe, Pedro Augusto (Live Low, Ghuna X) veste a pele de maestro para dirigir os Equations em Kobaïan. O TREMOR acontece nos Açores, com epicentro na cidade de Ponta Delgada, entre os dias 15 e 19 de Março. Os horários completos para os cinco dias de abalos na ilha de São Miguel estão disponíveis para consulta AQUI.

 

Lineup: Bitchin Bajas & Bonnie ‘Prince’ Billy, Dan Deacon, PAUS , Capitão Fausto, Black Mountain, Suuns, Julianna Barwick, Filho da Mãe, Clinic, Lost Tapes DJ7, Liverpool Psychfest Soundsystem, Bitchin Bajas, Zeca Medeiros, HHY & The Macumbas, Sturle Dagsland, Happy Meals, Modernos, Equations, Filho da Mãe & Ricardo Martins, Killimanjaro, Landforms, Spank Lord, Rafael Carvalho, O Gringo Sou EU, Rapeciâz Trio, Sara Fontán, , Ricardo Martins, El Salvador, Alek et les Japonaises, #hiphopaçoriano (Fred Cabral, DJ Rush Rap, Swift Triiga, DML), Luís Senra & Yves Decoster, TIO, Nuno Cabral, SONJA, Sara Cruz,

 

Filmes e exibições: “I Love Kuduro” by Mário Patrocínio, “What Difference Does it Make” by Red Bull Music Academy, António Júlio Duarte

Residências Artísticas: Happy Meals, ZA! + ESMUSICA.RP, Joana Gama & Luis Fernandes, Kobaïan (Pedro Augusto + Equations), Fernando Almeida (escultura), SONJA apresentada por Walk&Talk

Mini-Tremor: O Gringo Sou Eu, Alec & Les Japonaises, Luís Senra & Yves Decoster, King John

 

TREMOR 2016

Ponta Delgada / São Miguel (Açores)

15 a 19 de Março 2016