Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Blasted Mechanism em tributo a David Bowie… + Música + Ajuda

O convite aos Blasted Mechanism para a participação neste evento da Associação Caís + Música + Ajuda surgiu exatamente no dia da morte de David Bowie.

Blasted_26.jpgA banda aceitou esta missão de recriar alguns dos seus temas mais emblemáticos como "Space Oddity " e "Starman" pintando-os à Blasted, como homenagem a um Artista que os inspirou ao longo dos tempos. E não só os inspirou pela sua abordagem aos diversos estilos musicais mas também pela sua paixão pelas artes cénicas e pela capacidade camaleónica de se expressar.

 

Para os Blasted Mechanism é uma grande oportunidade poder fazer parte desta onda de solidariedade que é o projecto + Música + Ajuda, que seja um bom exemplo de economia solidária no panorama musical e que traga muitas outras iniciativas neste e noutros âmbitos.

 

Estúdio Time Out (Lisboa)

26 de Fevereiro | 21.30h

36ª edição do Fantasporto… Programação diária

A 36ª edição do FANTASPORTO - Festival Internacional de Cinema do Porto, decorrerá entre os dias 26 de Fevereiro a 5 Março de 2016

87.jpgProgramação diária / Retrospectiva Milcho Manchevski

 

Segunda, 22 de Fevereiro

 

21.45h – “Dust” de Milcho Manchevski (2001)

Retrospectiva Milcho Manchevski

Duas histórias paralelas de redenção. Um ladrão é obrigado a sentar-se e a ouvir uma história. Na volta do século XX, dois irmãos lutam por uma mulher. Com Joseph Fiennes (Shakespeare in Love) e Vera Farmiga (The Judge).

Grande Auditório / Teatro Rivoli

 

21.30h – “Children of the Night” de Ivan Noel (Argentina)

Não é um remake do filme de Wolf Rilla “ A Aldeia dos Malditos”, mas...o terror está lá. Realizado pelo mesmo realizador de “They Returned” (a concurso), neste filme uma jornalista vai investigar um orfanato e descobre que as crianças são todas vampiros. Deverá protegê-las?

Pequeno Auditório / Teatro Rivoli

 

 

Terça, 23 de Fevereiro

 

21.45h – “Before the Rain” de Milcho Manchevski (1994)

Retrospectiva Milcho Manchevski

Na Guerra da Bósnia, os cristãos perseguem uma jovem albanesa que pode ter morto um dos seus. Com Rade Serberdzija de “Downton Abbey”, este multi-premiado filme foi Leão de Ouro do Festival de Veneza e nomeado para os Óscares.

Grande Auditório / Teatro Rivoli

 

21.30h – “El Infierno de Gaspar Mendoza” de Julián Balam (Venezuela)

Um latifundiário usa os seus poderes para dominar as mulheres da casa. Até um certo dia. Dias de horror num latifúndio.

Pequeno Auditório / Teatro Rivoli

 

 

Quarta, 24 de Fevereiro

 

21.45h – “Mothers” de Milcho Manchevski (2010)

Retrospectiva Milcho Manchevski

Três histórias - todas verdadeiras, uma real. Com uma estrutura inovadora, as três histórias do filme realçam a delicada relação entre a ficção e a verdade, o drama e o documentário. Qual é a natureza da verdade? Três relatos de uma realidade muito dura mas não isenta de ternura.

Selecção dos Festivais de Berlim e Toronto

Grande Auditório / Teatro Rivoli

 

21.30h – “Vampiro 40 Graus” de Marcelo Santiago (Brasil)

Ser vampiro nem sempre é ser elegante. E ter zombies na cidade também não é nada bonito. Usando um estilo muito livre, Marcelo persegue a noite brasileira como um autêntico carrossel se tratasse.

Do realizador de “Lula, o Filho do Brasil”.

Pequeno Auditório / Teatro Rivoli

 

Quinta, 25 de Fevereiro

 

21.45h – “Shadows” de Milcho Manchevski (2007)

Retrospectiva Milcho Manchevski

O filho de um médico luta por corresponder ao que esperam dele. Tem tudo a seu favor. Mas quando se envolve num acidente de carro e é salvo misteriosamente, a sua vida começa a mudar.

Grande Auditório / Teatro Rivoli

 

21.30h – “The Entity/ La Entidad” de Eduardo Schuldt (Peru)

Ao verem um filme, uns estudantes descobrem que podem morrer só porque o viram. Com forte influência da vaga de terror vinda do Japão, em particular do The Ring, e até de Blair Witch Project, os jovens vão descobrir o poder da Dark Web e o que realmente se passa num estranho cemitério.

Pequeno Auditório / Teatro Rivoli

 

O pop de Mikkel Solnado em digressão

Mikkel Solnado cresceu e viveu entre Portugal e a Dinamarca.

Filho do actor Raul Solnado e de Hanne Louise, o contato com a música surgiu ainda em criança e, a partir de 1995, em Copenhaga, começou a compor para músicos, mas também canções infantis para programas de televisão, assim como dobragens e temas para jogos infantis online.

MIKKEL SOLNADO6590_ritacarmo.jpg(c) Rita Carmo

 

Atualmente a residir em Portugal, e inspirado por nomes como Bon Iver, Jeff Buckley, Coldplay e John Mayer, Mikkel lançou, em 2014, “Daisy Chains”, o seu segundo álbum. Com temas como “E Agora?” com Joana Alegre e “Get Up” com Tom Enzy, Mikkel Solnado é um dos artistas mais requisitados nas rádios nacionais. Em 2015, lançou o tema dançante “Turn The Lights Out” com Diego Miranda para celebrar os 12 anos da MTV Portugal.

 

Cine Teatro António Lamoso (Stª Maria da Feira)

27 de fevereiro 2016 | 22.00h

Black Bombaim & Peter Brötzmann na próxima semana… no Hard Club

Com alguns trabalhos debaixo da manga, tendo sido o último o "Live @ casazul" (com Isaiah Mitchell, Rodrigo Amado e Shela), os Black Bombaim descem até ao Porto para uma aparição que não vemos há muito, para nos levarem mais uma vez para um stoner psicadélico que nos promete fazer mexer e ao Hard Club também.

GLAM - Black Bombaim.jpg(C) 2015 Paulo Homem de Melo / Arquivo Glam Magazine

 

Quem se junta a este certame, numa colaboração que se demonstrará inédita, é o alemão Peter Brötzmann, sem deixar de lado nunca o que o distingue dos demais: o seu saxofone. Reza a lenda que já faz parte de si, como um braço ou uma perna. Fica lançado o desafio, para quem o aceitar, de tentar provar que não é, de facto, verdade.

De recordar, ainda, que a colaboração se estenderá a Lisboa no dia 26 de Fevereiro, onde os barcelenses e o alemão actuarão no Festival Rescaldo.

 

Hard Club (Porto)

27 de Fevereiro 2016

III Mostra de Robertos e Marionetas – “Punch & Judy” + Marionetas da Feira

No âmbito da “III Mostra de Robertos e Marionetas”, no dia 27 de fevereiro (sábado), apresentam-se três espetáculos. O primeiro da tarde, mais internacional, é "Punch & Judy", pela The Puppetree Company, que traz ao Centro Cultural da Gafanha da Nazaré um espetáculo tradicional do Reino Unido, que é apresentado há cerca de 30 anos, dentro e fora do país de origem. De seguida, já em português, estreiam dois espetáculos das Marionetas da Feira, que, pelas mãos de Rui Sousa, recriam duas novas histórias em fortalecimento do espólio da Companhia, bem como do património imaterial deste legado. As novas sagas de aventuras trazem de novo aos palcos o personagem "Dom Roberto", em "Castelo Assombrado", e um justiceiro de outras épocas, o "Zé do Telhado".

Marionetas1_1_770_9999.jpgDR

 

"Punch & Judy"

O espetáculo “Punch & Judy” faz parte da herança inglesa folk e tem sido apreciado de geração em geração. Qual a origem deste espetáculo? Quando foi apresentado pela primeira vez? Poderá nunca se saber… alguns dizem que começou em épocas medievais ou mesmo em período pré-cristão. A primeira referência registada foi realizada por Samuel Pepys, em 1662. Samuel Pepys assistiu a um espetáculo de marionetes italiano com um personagem chamado "Policinella", em Covent Garden, Londres. Depois escreveu sobre "Punchinello", acabando por abreviar para "Punch". Há primos de Punch em muitos outros países, mas o boneco vestido de vermelho e amarelo, como os bobos da corte é verdadeiramente britânico.

Marionetas_da_Feira_-_Z__do_Telhado__6__1_770_9999DR

 

“Zé do Telhado”

Conta-se que o “Zé do Telhado” era uma espécie de Robin dos Bosques, que tirava aos ricos para dar aos pobres. Mas, na verdade, ele como pobre apenas tirava aos ricos para si e para os seus. Este personagem irá ter inúmeras peripécias, que passam pelo romantismo com a sua bela e amada esposa até robustas pancadarias com a guarda. Pelo meio, ainda conheceremos o seu bando, um rico impiedoso e o seu grande amigo Camilo, que o ajudou a fugir da prisão.

Castelo_Assombrado__2__1_770_9999.jpgDR

 

 “Castelo Assombrado”

No castelo de Santa Maria da Feira vivia a bela princesa Rosa, vigiada por um terrível dragão e prisioneira de um homem gigante, que a tinha fechado a sete chaves numa das torres. O nosso herói “Dom Roberto”, que por ali passava, ouviu os seus gritos de socorro e foi logo em seu auxílio. O pior ainda estava por acontecer… Será que o nosso valente Roberto conseguirá desenvencilhar-se do gigante, do dragão e de outras terríveis ameaças? Salvará a Rosa e ficará ele dono do Castelo?

 

CC Gafanha da Nazaré (Ílhavo)

27 de fevereiro 2016 | 16.00h

Alma, Amor e Suor… foi assim o concerto de Myles Sanko

Soul, love & sweat”….

Assim se pode definir o que se passou na noite da passada sexta feira na Casa da Música no Porto. O regresso de Myles Sanko à sala de espetaculos do Porto por excelência, não poderia ter sido melhor.

myles01.jpgDono de uma voz única e de uma presença em palco a lembrar as velhas estrelas da soul music norte americanas, o Inglês cedo conquistou um público exigente e conhecedor das canções de Myles Sanko.

Com muita alma (soul), Myles entra em palco ao som de “High on you”, incluído no disco de 2015, num ritmo frenético e animado, marcando logo desde o inicio, o ritmo do concerto da noite de sexta feira, seguindo-se o tema “Shooting star” do primeiro álbum do artista inglês.

myles02.jpgQuebrado o “gelo” do inicio do concerto, e já com muito suor (sweat), Myles mostrou-se agradecido pela presença do público naquela noite, elogiando a cidade do Porto e confessando que gostava de morar na cidade invicta, que era um dos locais da sua preferência. “Quem sabe um dia venho mesmo morar aqui…”

Com “My inspiration” regressava ao seu primeiro disco “Born in black & White” alternando os temas entre os seus dois registos discográficos.

myles03.jpgAlinhando o ritmo dançavel, Myles mostrou ser um romântico. Primeiro recupera o tema de Edwyn CollinsA girl like you”, tema esse que passou num anuncio televisivo, segundo o artista, no fim de semana antes do concerto no Porto e que motivou o cantor a fazer a sua própria versão deste clássico de 1994.

No alinhamento volta aos seus temas originais para mais “alma e suor”, mas o amor surge novamente no ar… “9 years ago I found love” diz Myles apresentando o tema “So much indeed”, dedicado a todas as mulheres mas especialmente aquela que o conquistou à nove anos atrás.

myles04.jpgRecupera o fôlego, voltando novamente ao fim de semana antes do concerto do Porto, segundo o próprio, um fim de semana de descanso, sem concertos, “coisa rara” como referiu… mas o mais importante desse domingo, foi uma “visita” especial, a visita de Mr. Marvin Gaye, “visita” essa que o inspirou a fazer uma versão muito própria de 2 classicos, “Mercy Mercy, Me” e “What’s going on”.

A energia em palco era contagiante, rapidamente replicada num público que dançava e cantava e ao mesmo tempo encantado pela presença em palco de Myles e dos seus músicos, cúmplices dessa mesma energia. “So hard to stop”, tema do mais recente disco, é cantando juntamente com o público que para surpresa de Sanko, conhecia a letra levando o artista a referir “you done the homework”.
Forever Dreaming”, tema que dá titulo ao primeiro disco de Myles encerrava o alinhamento antes de encore muito apetecido pelo público e que fechava com o inédito “Hard to handle

myles05.jpgNo final, e sempre irradiando a sua natural simpatia, Myles agradeceu a todos a presença estando disponível para fotografias e autógrafos por parte do público. Sem dúvida que mostrou no concerto ser uma das grandes vozes emergentes da soul music, recuperando a alma de artistas como Otis Redding e de James Brown em palco.

 

Alinhamento:

- high on you

- Shooting star

- My inspiration

- Don’t let me down

- Girl like you

- Save my soul

- Come on home

- So much indeed

- To my surprise

- Mercy me / Going on

- So hard to stop

- Forever dreaming

encore

- Light in my hand

- Hard to Handle

 

Reportagem: Sandra Pinho
Fotografias: Paulo Homem de Melo

 

Mais fotografias do concerto aqui

Maria Anadon & Davide Zaccaria apresentam ao vivo (Re)Cantos da Alma

“(Re)Cantos da Alma” é o novo disco da cantora e autora Maria Anadon e do violoncelista, guitarrista e compositor Davide Zaccaria.

Este álbum apresenta entre os temas originais, uma revisitação ao que se pretende que seja os recantos da alma coletiva, integrando alguns dos nossos grandes compositores e letristas: Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Chico Buarque, Florbela Espanca, João Gil, Amália Rodrigues, Carlos Gonçalves.

555.jpgCom uma sonoridade especial, criada a partir dos arranjos de Davide Zaccaria para quatro violoncelos e guitarra portuguesa, a voz quente de Maria Anadon e a sua formação jazzística, sobressaem nas dinâmicas necessárias para que se perceba cada palavra que canta, transmitindo assim, toda a emoção do sentir a música portuguesa.

 

Fábrica Braço de Prata (Lisboa)

4 de Março 2016 | 22.00h

Camélias em Vila do Conde

Camélias em flor, chá de camélia, camélias em exposição, camélias na gastronomia, camélias no artesanato, camélias para graúdos e miúdos, camélias para tudo e para todos! Falamos da segunda edição do evento “Camélias em Vila do Conde”, que ninguém vai querer perder.

É já no próximo dia 26 de fevereiro que inicia a segunda edição das “Camélias em Vila do Conde”, um evento que procura fomentar a animação cultural da cidade e diversificar a oferta turística do concelho, em torno de uma marca do concelho e da região norte: As camélias em flor. O evento estende-se ao longo de todo o fim-de-semana com programação diversificada, transversal a um público heterógeno.

Camelias_2016_1_1280_720.jpgA programação inicia no dia 26, sexta-feira, nos Paços do Concelho, com a exposição de camélias das casas vilacondenses, que se prolonga durante o dia de sábado, com entrada livre. Também no sábado, dia 27, no Centro de Memória de Vila do Conde, decorrerá, a partir das 14h30, um mercado de camélias, bem como a exposição de camélias a concurso, com a atribuição do prémio para a melhor camélia “Paulino Curval”. Ainda neste dia, também no Centro de Memória, decorrerá a inauguração da exposição documental “Chá – Camellia sinensis” seguida de um workshop Camellia sinensis - origem e sabor do Chá, promovido pela produtora Nina Gruntkowski, seguida de uma prova de chá a todos os presentes.

 

No domingo, dia 28, a partir das 11h, o Centro de Memória abre portas para acolher o evento “Camélias para todos”. Um dia para toda a família, onde a camélia é a rainha da festa. Mercado de produtos gastronómicos e artesanais alusivos às camélias, mercado de camélias, ateliers para todas as idades, fado, um conto musicado e muita animação, são as nossas sugestões para este domingo. A encerrar a edição deste ano, está programada, para o sábado seguinte, dia 5 de março, uma caminhada à Quinta Niepoort, em Fornelo, para conhecer a plantação de chá de Nina Gruntkowski e Dirk Niepoort.

 

Este é um evento promovido pela Câmara Municipal de Vila do Conde que pretende destacar e celebrar a cultura das camélias, a flor de inverno que tão marcadamente embeleza o nosso território. Pretende-se, igualmente, estimular o interesse de novos produtores e colecionadores de camélias, fomentando o envolvimento da comunidade Vila-condense na participação ativa no evento, afirmando ainda este acontecimento como um produto turístico de excelência na região.