Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

The Parkinsons + Dirty Coal Train

Em 2000, Victor Torpedo e Pedro Chau mudaram-se para Londres e formaram The Parkinsons, com Afonso Pinto e Chris Low. Os ares londrinos de uma Inglaterra avançada musicalmente, nomeadamente no movimento punk, deram-lhes uma agitação que acabaria por vir a ser muitas vezes polémica e controversa.

GLAM - Victor Torpedo.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

Entre o frenesim de concertos, festas e empregos detestados, lançam o primeiro álbum em 2002, intitulado “A Long Way to Nowhere”, que é bem recebido pela crítica britânica. Dois anos mais tarde é a vez de “New Wave” e em 2005 regressam às origens para editar “Down with the Old World”, pela Rastilho. Em 2012, a banda punk-rock luso-inglesa, que chegou a ser catalogada pelo NME como “the next big thing”, regressou às edições discográficas com “Back To Life” e agora, com Paula Nozzari na bateria, encontram-se em tour de apresentação do documentário sobre a banda.

 

Concertos integrados no 30º aniversário da RUC

 

Salão Brazil (Coimbra)

6 de fevereiro 2016 | 22.00h

Caixa Ribeira'16… Primeiras confirmações: António Zambujo, Raquel Tavares, Simone de Oliveira e Kiko

O Festival Caixa Ribeira regressa à Invicta, nos dias 3 e 4 de Junho, com um cartaz de excelência. António Zambujo, Raquel Tavares, Simone de Oliveira e Kiko são os primeiros artistas confirmados. Durante dois dias, mais de 40 fadistas vão atuar em 10 palcos distintos, situados na Ribeira do Porto, numa iniciativa da Caixa Geral de Depósitos e da Música no Coração, com o apoio da Câmara Municipal do Porto, através da Porto Lazer.

222.jpgFotogarfia: José Gonçalez

 

Depois do êxito da primeira edição, que levou à Ribeira, do Porto, alguns dos mais consagrados fadistas e onde se viveram momentos únicos e emocionantes, com enorme adesão do público, era obrigatório, sem dúvida, o regresso desta celebração em 2016. E os primeiros nomes anunciados deixam antever uma segunda edição que não só repetirá o êxito da primeira, como contribuirá para a consolidação do Festival na cidade. Para além dum cartaz promissor, o Festival Caixa Ribeira voltará apresentar 10 palcos singulares numa das zonas mais icónicas da Cidade, a Ribeira. A novidade deste ano será a inclusão da Casa do Infante no roteiro do Festival, um espaço que constitui uma referência histórica e cultural da cidade, enriquecendo assim o conjunto de espaços que receberão os mais de 40 concertos nestas duas noites de Fado. O Festival decorrerá assim no Salão Árabe e no Pátio das Nações do Palácio da Bolsa, no Hard Club 1 e 2 no Mercado Ferreira Borges, na Igreja de São Francisco, na Escadaria da Igreja de São Francisco, no Palco Caixa (palco principal localizado no estacionamento da Alfândega), na Cave no Cais da Estiva, na antiga Junta de Freguesia de São Nicolau, o Fado à Janela no Cais da Estiva, e na Casa do Infante

GLAM - Antonio Zambujo 5.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

O alentejano António Zambujo é hoje uma das vozes mais queridas do público português. Antes do reconhecimento musical, representou durante quatro anos em “Amália” de Filipe La Féria. Com uma série de discos editados, onde funde o Jazz, o Fado e o Cante Alentejano foi vencedor, em 2006, do prémio Amália Rodrigues na categoria de "Melhor Intérprete Masculino de Fado". Canta com enorme sucesso dentro e fora de Portugal. Em 2014, lança “Rua da Emenda”, registo que funde numa harmonia imaculada todos os géneros que lhe são paixão e que lhe valeu mais um disco de platina, 2 Globos de Ouro e a aclamação unânime da crítica. Vem ao Caixa Ribeira no dia 3 de junho para um dos concertos mais esperados do Festival.

 

Raquel Tavares representa de jeito único e cintilante o Fado moderno. Aos 12 anos, em 1997, venceu a Grande Noite do Fado no Coliseu de Lisboa e, desde então, o êxito não mais a largou. Com dois discos editados, “Raquel Tavares” (2006) e “Bairro” (2008), garantiu um lugar na história do Fado, palmilhando palcos pelo mundo inteiro. Em 2016, nove anos depois do último disco, regressa às edições discográficas com um muitíssimo aguardado novo álbum com edição prevista para esta Primavera. No Caixa Ribeira desfilará a dia 4 de Junho as canções do novo disco para privilégio da sua enorme legião de admiradores

 

Simone de Oliveira dispensa apresentações. Canta e representa com uma garra inigualável há quase seis décadas, e é um dos nomes mais conhecidos da canção portuguesa, do teatro, do cinema e da televisão. A carreira de Simone de Oliveira teve os seus primeiros momentos quando venceu o Festival RTP da Canção de 1965 com o tema "Sol de Inverno", de Nóbrega e Sousa e Jerónimo Bragança, e em 1969 com o maior êxito da sua carreira, "Desfolhada Portuguesa", da autoria de José Carlos Ary dos Santos e Nuno Nazareth Fernandes. Editou vários LPs e EPs, com a colaboração de nomes como José Cid, Paulo de Carvalho, Carlos do Carmo, entre tantos outros. Condecorada com a Ordem do Infante, é uma das artistas portuguesas mais admiradas e consagradas. Nome imperdível, atuará no dia 4 de Junho no Festival.

GLAM - Kiko.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

Kiko tem apenas 15 anos, mas as suas qualidades já são conhecidas por muitos. Em 2012 venceu, na categoria Infantil, o Grande Prémio do Fado RTP/Rádio Amália. Em 2016 edita disco novo que vai apresentar pela primeira vez, em exclusivo, no dia 3 de Junho no Caixa Ribeira.

Cavalheiro edita “Mar Morto” e ruma aos concertos…

Foi em 2009 que Tiago Ferreira decidiu esconder-se atrás do nome Cavalheiro e começar a lançar regularmente discretas edições musicais. Depois do EP “Cavalheiro” lançado em 2009 pela Lovers & Lollypops, do LP “Primeiro” lançado em 2010 também pela Lovers & Lollypops, do EP “Farsas” saído em 2011 pela Honeysound, do EP “Ritmo Cruzeiro” lançado em 2012 também pela Honeysound, do EP “Trégua” lançado em 2013 pela PAD, regressou em 2015 com um longa duração, novamente lançado pela PAD. "Mar Morto" aponta a uma afirmação calma no panorama musical Português.

GLAM - Cavalheiro.jpg(c) 2014 Paulo Homem de Melo

 

Cavalheiro renova a tripulação e volta a fazer-se ao mar. A placidez do registo anterior dá agora lugar a um rock direto, pujante e incisivo, executado com um foco e segurança ainda sem precedentes no percurso do músico. O maior cuidado na construção, arranjo e produção dos temas, sem sacrificar o tom urgente e espontâneo do disco, revela a mão calejada de quem há muito deixou a água doce.

Esgotadas as metáforas náuticas, sobra dizer que, apesar de tudo o que de novo consegue, "Mar Morto" nos traz a quinta-essência de Cavalheiro: o assumir do desconforto que é estar vivo e a forma que Tiago Ferreira tem de o traduzir para a sua música – o diálogo sincero, a voz áspera e despida e, sobretudo, a fé inabalável na amargura como arma de sedução.

 

Um ‘Mar Morto’ que será apresenta em várias salas de espetáculo:

 

5 de fevereiro - Charenton (Vigo)

6 de fevereiro - Contemplarte (Joane)

25 de Março - Convívio (Guimarães)

27 de Março - Teatro Gil Vicente (Barcelos)

30 de Julho - CAE (Figueira da Foz)

Filho da Mãe de volta aos discos com “Mergulho”

Mergulho” sucede ao aclamado “Cabeça” e é o terceiro disco de longa-duração do guitarrista Filho da Mãe. A faixa de avanço “Um dedo a menos” encontra-se já disponível em stream.

untitled11.jpgFilho da Mãe dá continuidade a “Cabeça” quebrando-a: é de fronte que Rui Carvalho, guitarrista exímio, se atira para “Mergulho”, o seu mais recente registo de longa-duração, com edição prevista para o dia 7 de Março e que rompe com a urgência intempestiva dos seus primeiros esforços discográficos. Ouça-se, para começar, a faixa de avanço “Um dedo menos”. “Mergulho”, gravado no Mosteiro de Rendufe, em Amares, fragmenta Filho da Mãe num registo unificador com o espaço, o tempo e as pessoas que o rodearam durante a gravação, trazendo um conjunto de músicas ora bucólicas, ora em turbilhão, uma representação perfeita da capacidade dos dedilhados rendilharem moléculas e alterar a sua relação, transformando pedra em água e água em ar.

 

O novo álbum de Rui Carvalho foi produzido por João Brandão e é fruto de uma residência artística proporcionada pela associação Encontrarte - Amares. Filho da Mãe apresentará o novo repertório em concerto no Teatro Maria Matos, em Lisboa, a 18 de Março e no Teatro Helena Sá e Costa, no Porto, a 21 de Abril, actuações em que contará com os convidados especiais Cláudia Guerreiro (Linda Martini, Asneira), João Nogueira (Cruzes Credo, Riding Pânico) e João Brandão (produtor do disco). A 22 de Abril actuará no Mosteiro de Rendufe, que de forma indelével se tornou parte da história de “Mergulho”, para encerrar esta relação com Amares.

Eis as datas completas dos próximos concertos de Filho da Mãe, já com o novo disco como objecto:

 

11 de Março - Claustros da Igreja de São Domingos (Viana do Castelo)

18 de Março - Teatro Maria Matos (c/ Cláudia Guerreiro, João Nogueira e João Brandão) (Lisboa)

19 de Março – TREMOR (Ponta Delgada)

21 de Abril – Teatro Helena Sá e Costao (c/ Cláudia Guerreiro, João Nogueira e João Brandão) (Porto)

22 de Abril - Mosteiro de Rendufe (Amares)

 

De sublinhar, ainda, que a residência de Filho da Mãe cruzou-se com a do realizador de "Alto do Minho", Miguel Filgueiras, que documentou a gravação e gestação de "Mergulho". Dessa causalidade sairá, em breve, um retrato visual do disco.

Surma + Whales + Azul-Revolto + Dj A Boy Named Sue… vai ser assim o 7º Aniversário do BranMorrighan no Porto

Depois da festa de grande sucesso em Lisboa, no Musicbox, o 7º Aniversário do BranMorrighan volta a subir ao Porto, cidade do coração de Sofia Teixeira, para levar consigo três projectos emergentes e o conceituado Dj A Boy Named Sue.

Bran Portocopy.jpgSe por um lado a festa em Lisboa reflectiu a confirmação de três talentos em 2015, a festa no Porto espelha as grandes apostas da nova música portuguesa para 2016. Em concerto, a noite passa por três variantes de música electrónica. Começa com o exotismo e noise de Surma, mergulha nas profundezas com Whales, para acabar numa pluralidade aveludada e lânguida com Azul-Revolto. Porém há mais e acabadas as actuações, a música continua por sonoridades Rhythm & Blues, Soul, Surf, 60’s, Latin Grooves, Exotica, Garage, Punk Rock, ou Vintage Electronics, através das escolhas requintadas e impregnadas de rock’n’roll do Dj A Boy Named Sue.

Surma_ débora umbelino_2.JPGSurma… Débora Umbelino é original de Leiria mas o que nos traz vem de paisagens bem mais exóticas. Surma é o seu projecto a solo onde mistura sonoridades do jazz com post-rock, electrónica e noise em composições invulgares. Nos rituais desta nova tribo, combinam-se os poderes de cordas, samplers, sintetizadores, e harmonias, que nos levam para algures entre o noise e o experimental. Inovação e minimalismo exótico, ninguém sabe muito bem onde começa e acaba, nem mesmo a senhora que segue ao volante, mas é precisamente aí que reside a beleza da viagem

Whales_11.jpgWhales… Ainda não fizeram um ano de existência mas já venceram a mais recente edição do Festival Termómetro. Dizem que o seu nome foi escolhido por causa do paralelismo que há entre o processo de composição e o trajecto que a baleia faz no oceano: “É um animal que anda devagar, mas com firmeza”. Entre as novas correntes do vasto oceano da música indie (tanto no rock como na electrónica) começamos a avistar, cada vez mais perto, um caso sério nas novas bandas nacionais.

azul.jpgAzul-revolto… Desde que lançou o seu primeiro trabalho “Ouija” (ZigurArtists, 2014) azul-revolto tem-se revelado um dos mais cativantes projectos da música electrónica a emergir de Lisboa. Um ano depois de em “Ouija” nos ter brindado com quatro temas que privilegiavam a introspecção (não só do autor, mas também do ouvinte), o novíssimo “S O M A” (ZigurArtists, 2016) é um exercício de esplendor rítmico que encerra uma fisicalidade quase palpável. “S O M A” é uma colecção de temas groovados com traços leftfield, passando por um ambiente house e garage, que apontam certeiramente à entrega e a recompensa do corpo.

dj.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

Dj A Boy Named Sue… Os seus sets caracterizam-se por uma forte vertente rock’n’roll, nos quais visita sonoridades Rhythm & Blues, Soul, Surf, 60’s, Latin Grooves, Exotica, Garage, Punk Rock, ou Vintage Electronics, uma espécie de máquina do tempo, que cria laços entre os grandes clássicos e as novas vertentes da música contemporânea.

Playlists ou sets pré-definidos não têm espaço neste universo caracterizado por ambientes dançáveis e festivos, intensos e imprevisíveis, recheados de hits do passado e do presente. Sinal dos tempos ou desígnio dos deuses, A Boy Named Sue baralha e volta a dar a História da Música Popular, sem quebras de ritmo nem tiros no escuro, como só um verdadeiro mestre-de-cerimónias é capaz.

 

Maus Hábitos (Porto)

6 de Fevereiro 2016 | 21.30h

Marta Ren lança novo single: "I'm Not Your Regular Woman"

É verdade, Marta Ren não é uma mulher normal…

A sua marcante presença na cena nacional não é de agora.

O seu talento foi decisivo para tornar os Sloppy Joe numa banda de culto, para nos fazer ter saudades dos Bombazines ou para ter ajudado os Dealema a arrancarem para uma sólida carreira, ao participar de forma vincada num dos seus temas bandeira.

marta.jpgE apesar de terem sido muitas as oportunidades de seguir por caminhos mais fáceis, mais seguros, nunca desistiu de fazer a música que a apaixona. Talvez por isso, agora que se estreia em nome próprio, acompanhada pelos Groovelvets, a sua marcante presença não esteja limitada à cena nacional.

 

Assinou pela marcante editora italiana Record Kicks, um dos mais prestigiados selos europeus de Soul / Funk, para editar o seu primeiro sete-polegadas, “Summer’s gone / Two kinds of men”, e imediatamente chamou a atenção da comunidade internacional especializada no género. Foi-lhe lançado o desafio de gravar um álbum e Marta agarrou-o com paixão. O trabalho foi duro e exigente mas, finalmente, “Stop, look, listen” está pronto para ser editado e está a ser aclamado nos quatro cantos do planeta: do programa de referência da BBC, assinado por Craig Charles, à mítica rádio de L.A., KCRW, passando por publicações essenciais como a Shindig!, entre muitos exemplos.

O single de avanço deste seu primeiro longa-duração, “I’m not your regular woman” é uma poderosa versão da obscura canção de Lucille Mathis que, para além de mostrar porque é que a voz de Marta Ren está na linha da frente da cena Soul clássica europeia e não deve nada aquilo que de mais significativo se faz do outro lado do Atlântico, prova que a sua maturidade é fruto de muita dedicação e pesquisa.

Two Door Cinema Club… mais uma confirmação no NOS Alive’16

Os irlandeses Two Door Cinema Club são a mais recente confirmação do NOS Alive’16. A banda liderada por Alex Trimble sobe ao Palco Heineken dia 8 de julho, onde atuarão igualmente Hot Chip, Father John Misty, Courtney Barnett e Jagwar Ma.

two-door-cinema-club-2DCC-TDCC.jpegOs Two Door Cinema Club trazem na bagagem dois discos de sucesso, “Tourist History” e “Beacon”, sendo que já revelaram estar a trabalhar num terceiro registo de originais. A banda de indie rock é composta por Alex Trimble, Sam Halliday e Kevin Baird.

 

Nomes já anunciados:

Arcade Fire, Courtney Barnett, Father John Misty, Foals, Grimes, Hot Chip, Jagwar Ma, John Grant, José González, M83, Paus, Pixies, Radiohead, Robert Plant, Tame Impala, The 1975, The Chemical Brothers, Two Door Cinema Club, Vintage Trouble, Wolf Alice e Years & Years.

Moonspell com novas datas em Portugal...

O ano de 2015 foi nada mais que um dos anos mais intensos da história dos Moonspell. Após o lançamento do seu disco mais recente, “Extinct”, a banda embarcou numa tour com cerca de 120 datas, que os levou a toda a Europa, Estados Unidos, México, Colômbia e Brasil, com destaque para uma prestação fulgurante no Rock in Rio, no Rio de Janeiro, edição comemorativa dos 30 anos do festival, que colheu os melhores elogios do público e Imprensa brasileira.

Moonspell1 (Cópia).jpg(c) 2014 Paulo Homem de Melo


2016 inicia-se já na estrada, com os Epica, de volta ao território Norte-Americano. Confirmada está já a presença da banda em festivais como Graspop (Belgica); Brutal Assault (Rep.Checa) ou Amphifest (Alemanha) bem como duas digressões: uma por Inglaterra, Escócia, Irlanda, França, Holanda e Bélgica; outra que os levará ao Leste da Europa, Rússia,Ucrânia e Bielorússia. Até ao final do ano serão confirmadas mais datas.

Aproveitando o ensejo desta longa tourné, a banda irá gravar e editar em 2016 o seu segundo DVD ao vivo, numa edição que se prevê bem especial para todos os fãs da banda mais Internacional de sempre da música Portuguesa.  


Datas em Portugal:


23 Março - Quinzena da Juventude (Almada)
22 Julho - Laurus Nobilis Music (Famalicão)
23 Julho - Carviçais Rock 
25 Agosto - Festas da Vila (Corroios)

Moullinex é o primeiro convidado de Magazino a “marchar” para o Musicbox

Glorificar o passado é coisa de português e por isso vale a pena lembrar que Magazino celebrou vinte anos de carreira durante todo o mês de Fevereiro em 2015. Uma marcha imparável de convidados e madrugadas que se despertaram à beira-rio (como é bonito o amanhecer de Fevereiro!) deixaram marcas e saudades.

marcha.jpgMas foi-se o aniversário, e tinha obrigatoriamente que ficar a MARCHA.Assim, convocam-se todos os bailarinos a reservar as manhãs de sexta-feira, o mês vai ser intenso. Muito intenso! Se não, vejamos:

 

- Um dos patrões da label Discotexas, Moullinex, é o primeiro a posicionar-se entre os arcos de pedra do Musicbox, dia 4

- Os omnipresentes do clubbing nacional Freshkitos (Gustavo e Philly) marcham do Porto a Lisboa, dia 11

- O peregrino - e companheiro da Bloop Recordings - Cruz junta-se à aminhada a 18 de Fevereiro.

- Não há melhor maneira de fechar: DJ Vibe a 25 de Fevereiro. É isso mesmo… D-J- V-I-B-E!

Rock in Rio… EDP Rock Street inspirada no Brasil tem “samba como ninguém”, capoeira e Mart’nália

Cor, calor, ritmo e alegria! No Rock in Rio – Lisboa 2016, a rua mais eclética da Cidade do Rock “tem samba como ninguém” e muita animação. Depois do sucesso alcançado nas edições anteriores, a organização do maior evento de música e entretenimento do mundo traz para Lisboa a EDP Rock Street dedicada ao Brasil.

Rock_street_abril_201418820ae8.jpg(DR)

 

A apresentação do EDP Rock Street decorreu está tarde de 3 de Fevereiro e contou com a presença de Roberta Medina (Vice Presidente executiva do Rock in Rio), Zé Ricardo (Diretor Artístico da EDP Rock Street) e Paulo Campos Costa (Diretor de Coordenação Global de Marca, Marketing e Comunicação da EDP)

 

Durante os cinco dias de evento, das 16.15h às 22h, os visitantes da rua mais animada da cidade do Rock podem “viajar” até ao Brasil, vivendo, durante quase seis horas, um pouco da música, da cultura e do folclore do país que viu o Rock in Rio nascer. Para além dos espectáculos de baianas, dança e apresentações de capoeira, são vários os artistas que, ao subir ao palco, vão dar vida a esta rua com as suas próprias músicas, mas também com as raízes que inspiraram os seus estilos. No palco Mart’nália vai cantar o reportório do seu pai, Martinho da Vila, Léo Gandelman vai fazer soar as melodias de Tom Jobim e Noel Rosa, Simoninha darárock com o “suingue” do samba e de Jorge Ben Jor, e Toni Garrido não vai deixar ninguém “morrer de saudade” de Tim Maia.

 

Zé Ricardo, director artístico da EDP Rock Street, referiu que “a carga de energia da EDP Rock Street Brasil é imbatível! Fomos beber o que de mais autêntico a cultura brasileira tem, e juntamos o melhor dos dois mundos em cada artista: o nosso palco vai ser inundado por um artista em forma de dois. Mart’nália não será só Mart’nália, mas também Martinho. Simoninha, “Que maravilha”, vai ser o showman a que nos habitou, mas também um clássico ao sambar rockando ao som de Jorge Ben Jor! E muitos mais artistas serão dois em um, ao cantarem os seus próprios álbuns mas também os clássicos mais autênticos do Brasil, que não poderiam ficar de fora deste ambiente tão tipicamente brasileiro. Pelas ruas, alegria e muito calor é o que queremos que todos os visitantes da Cidade do Rock sintam. No fundo,muito “suingue” brasileiro e uma vontade enorme de voltar à rua mais ecléctica do maior evento de música e entretenimento do mundo”

 

Para Paulo Campos Costa, Diretor de Coordenação Global da Marca, Marketing e Comunicação da EDP, “esta parceria inédita vem reforçar a estratégia do Grupo na música nacional e internacional. Dar o nome à EDP Rock Street é a prova da confiança no Rock in Rio e no potencial que este grande evento tem para tornar a marca mais próxima dos nossos clientes proporcionando-lhes emoções únicas”

“Miragem”, mais uma antevisão de “Peso Morto” dos peixe : avião

O novo single dos peixe : avião chama-se “Miragem” e é o segundo avanço para o seu 4º album, intitulado “Peso Morto”. De acordo com Vasco Mendes e André Tentúgal, que assinam a realização do vídeo através do coletivo Tarzan, “a rotina e o isolamento presentes no vídeo de Quebra, tem agora continuidade na solidão da personagem, perdida e derrotada, nas paisagens geladas e fabris”. O vídeo foi filmado em Wroclaw (Polónia).

pa.jpg(c) 2015 Liliana Mendes e Duarte Costa

 

Este disco do quinteto, intitulado “Peso Morto”, foi gravado entre Maio e Outubro de 2015 em Braga e nos Estúdios Valentim de Carvalho, com produção da própria banda e Nélson Carvalho, colaborador de longa data. A subversão do formato canção, o recurso a uma instrumentação de caraterísticas cada vez mais singulares e a exploração de uma lírica simultaneamente abstrata e introspetiva, são as pedras basilares de “Peso Morto”, com lançamento agendado para 19 de Fevereiro de 2016.

Em 2013 os peixe : avião editaram o seu terceiro disco, de título homónimo, rompendo abruptamente com uma trajetória pop alicerçada em trabalhos como “Finjo a fazer de conta feito peixe : avião” (2007), “40.02” (2008) e “Madrugada” (2010). Consensual entre a crítica especializada e os seguidores da banda, “peixe : avião” (2013) revelou-se o regresso perfeito da banda bracarense aos discos.

A trajetória de exploração de novas abordagens sonoras foi continuada com a composição de música original para o clássico “Ménilmontant” de Dimitri Kirsanoff, filme de 1929, após encomenda do Curtas Vila do Conde - Festival Internacional de Cinema, com reposição no Teatro Maria Matos em Lisboa. A experiência revelou-se fundamental para o período de composição que se seguiu, durante o ano de 2015. “Peso Morto” será transposto para o palco em 3 datas de apresentação iniciais, às quais se seguirá um conjunto mais alargado de concertos. Porto, Lisboa e Braga acolherão os concertos de lançamento do quarto disco do quinteto bracarense que decorrerão, respetivamente, no Rivoli ( 6 de fevereiro) já esgotado; Lux Frágil (18 de Fevereiro) e Theatro Circo (20 de Fevereiro).

O acesso ao concerto no Lux Frágil será feito mediante compra da edição CD de “Peso Morto” numa loja FNAC ou à porta na noite do concerto.

“Manual de uma Conquista”... o novo single dos Klepht

Klepht acabam de lançar o mais recente single “Manual de uma Conquista”, um tema directo e sem grandes metáforas, que representa o regresso dos Klepht em grande forma ao pop/rock que os caracteriza.

k.pngFormados em 2000, os Klepht foram granjeando público e crítica, até lançarem o seu disco homónimo de estreia, já em 2008. Desse álbum, nasceram quatro singles: “Por Uma Noite”, “Embora Doa”, “Antes e Depois” e “Erros por Defeito”, que ficaram durante mais de um ano no top das rádios nacionais. Em 2010, o grupo viaja para os Estados Unidos para gravar o segundo disco de originais “Hipocondria”, com Sylvia Massy, produtora de bandas como Foo Fighters, System of a Down, Tool ou Johnny Cash. Deste disco, lançaram os singles “Tido de Novo”, “Explicação”, “Idade da Estupidez” e “Calma”.

No mesmo ano, foram os autores do primeiro filme-concerto em 3D em Portugal, gravado na Casa da Música. Em 2011, fizeram a abertura do concerto dos Bon Jovi, em Lisboa. Foram, também, nomeados para Best Portuguese Act, nos MTV Music Awards, em 2012. Diogo Dias, Marco Reis e Mário Sousa formam os Klepht e estão de regresso aos discos, com um novo fôlego, sendo o melhor momento para se juntarem à família Glam

Salto… e o “Passeio das Virtudes” em Coimbra

A vida de um músico pode nascer de várias formas, os Salto tiveram a sorte de nascer na mesma família e de desde cedo terem vivido a música em conjunto. Os primos portuenses Guilherme Tomé Ribeiro e Luís Montenegro rapidamente perceberam que juntos poderiam ser uma banda e em 2006 pisam o palco pela primeira vez.

salto.jpgEditaram, em 2012, o primeiro longa-duração, que inclui o single “Deixar Cair” e em 2014 surgem dois novos elementos na banda, Tito Romão e Filipe Louro.

Considerados uma das grandes revelações da nova música portuguesa, os Salto apresentam “Passeio das Virtudes”, novo disco onde se podem ouvir os singles “Mar Inteiro” e “Lagostas”.

 

Salão Brazil (Coimbra)

4 de fevereiro 2016 | 22.00h

Cícero traz “A Praia” do Brasil para Portugal já em Março....

Depois da passagem pelo festival NOS Primavera Sound em 2015, o cantor e compositor brasileiro Cícero regressa a Portugal trazendo na bagagem o seu mais recente disco, intitulado "A Praia".

cc1.jpg(c) 2014 Paulo Homem de Melo

 

O Estúdio Time Out, no Mercado da Ribeira, em Lisboa, receberá o celebrado ícone da nova música popular brasileira no dia 2 de Março. Seguem-se apresentações em Ovar (Escola de Artes e Ofícios), Braga (Theatro Circo) e Castelo Branco (Cine Teatro Avenida), nos dias 3, 4 e 5 de Março, respectivamente.

O álbum A Praia, que foi recentemente editado também no Japão, serve assim de mote para estes espectáculos de Cícero em Portugal.

 

2 Março – Estúdio Time Out (Lisboa)
3 Março – Escola de Artes e Ofícios (Ovar)

4 Março – Theatro Circo (Braga)

5 Março – Cine Teatro Avenida (Castelo Branco)

Irmãos Catita… ao vivo e a cores no Maus Hábitos

Eis que, num Fevereiro que se previa calmo e sereno, o Maus Hábitos recebe Irmãos Catita para um concerto que certamente será revolucionário.

catita.jpgEste que é um dos projectos de Manuel João Vieira, também vocalista e fundador de Ena Pá 2000, e distingue-se deste último pelo carisma "popular" ainda mais forte e radical que vive do tão português sentimento saudosista em tom irónico e provocador.

A banda promete desbravar as cortinas coloridas e arrebatar corações e as almas mais retraídas

 

Maus Hábitos (Porto)

5 de fevereiro 2016 | 22.00h

Caetano Veloso e Gilberto Gil ao vivo nos Coliseus em Abril

A digressão “Dois Amigos, Um Século de Música” que junta Caetano Veloso e Gilberto Gil chega finalmente aos Coliseus, as salas mais emblemáticas de Portugal, após 44 espectáculos esgotados em 35 cidades de 21 países, totalizando uma audiência superior a 135.000 pessoas. O Porto recebe a estreia no dia 24 de Abril, seguido de Lisboa, a 27 de Abril. Os bilhetes vão estar disponíveis a partir de sexta-feira, dia 5 de Fevereiro.

CAETANO E GIL _ MarcosHermes-8-96872571 (1).jpg(c) Marcos Hermes

 

Esta digressão, que contemplou o nosso país no verão passado com um concerto esgotado no festival EDP Cool Jazz, regressa agora com duas datas em salas fechadas e encontra-se documentada num CD + DVD recentemente editado. “Dois Amigos, Um Século de Música” é o testemunho de um encontro histórico entre dois amigos de sempre e a celebração dos 50 anos de carreira de ambos.

Cantores, compositores, escritores e guitarristas, vencedores de Grammy, activistas de causas políticas e sociais, Caetano Veloso e Gilberto Gil desempenharam um papel central na modernização da MPB com a criação do Tropicalismo nos anos 60 do século XX, movimento mundividente que mescla as suas deambulações pelo universo pop global com o contexto local de turbulência e repressão política então vivido no Brasil, que culminaria com a prisão e exílio de ambos os músicos. A intimidade que se sente entre as vozes e guitarras de Caetano e Gil parece transportar-nos a essa década de 60, a Salvador, na Baía. Muitas coisas foram então experimentadas, entre os concertos históricos no Teatro Vila Velha, as actuações em festivais de música, a chegada ao Rio de Janeiro e São Paulo, a prisão, o exílio em Londres. O facto é que a forma como olham um para o outro e a forma como cantam os versos, revelam nitidamente as inúmeras alegrias, tristezas, acordos, desacordos e músicas que estes dois artistas partilharam nas suas vidas e que somos convidados a revisitar ao vivo, em comunhão, em cada noite sempre única e irrepetível.

 

Coliseu (Porto)

24 e 25 de Abril 2016 | 21.30h

 

Coliseu dos Recreios (Lisboa)

27 e 28 de Abril 2016 | 21.30h

 

 

 

Capitão Capitão de regresso com o single “Sessenta e Quatro”

Depois de um primeiro auto-intitulado EP, onde se incluía o tema “O Lugar” (Novos Talentos FNAC 2012), e de um segundo EP, “II”, produzido e gravado por Bernardo Barata (Diabo na Cruz) e José de Castro, que continha o tema "Memórias Curtas", aparece agora "Sessenta e Quatro", tema de avanço de “32”, primeiro disco de longa duração de Capitão Capitão, pseudónimo de J.P. Mendes.

capitao.jpg"Sessenta e Quatro”, tema póstumo de um alinhamento que contará com dez canções, serve de justo single de apresentação para este disco co-produzido por João Gil (Vitorino Voador, Diabo na Cruz, You Can’t Win Charlie Brown). A repetição continua a dominar a palavra, como quem fala com pouco para tentar dizer tudo.

O tema conta com a participação de J.P. Mendes nas vozes, guitarras e teclas, João Gil no piano e António Vasconcelos Dias na bateria e foi gravado por João Gil e Manuel San Payo. As misturas do tema foram feitas por José Arantes e a masterização por Tiago de Sousa.

Duas companhias feirenses preparam criação Imaginarius para estreia no festival

A primeira residência artística das companhias feirenses Décadas de Sonho e Persona, que preparam um espetáculo urbano para estreia no festival Imaginarius, decorre até 15 de fevereiro, em Santa Maria da Feira. Centrado numa imponente estrutura cénica, VERTICO cruza teatro, performance, música e multimédia.

VERTICO_imagem gráfica espetáculo.pngO espetáculo será desenvolvido em três residências artísticas, no âmbito do Imaginarius 365, nos meses de fevereiro, março e maio, culminando com a estreia absoluta no festival. Para a segunda residência, a realizar em março, serão recrutados voluntários locais, que terão uma participação efetiva no espetáculo. VERTICO conjuga múltiplas linguagens artísticas: movimento, acrobacia, música ao vivo, videomapping e parkour. Uma imponente estrutura cénica, composta por uma torre de 10 metros, ladeada por torres gradualmente mais pequenas, vai invadir o espaço público, como metáfora de uma sociedade movida apenas pelo desejo de ascensão.

 

Este espetáculo é uma coprodução Décadas de Sonho, Companhia Persona e Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira, com o apoio da Direção Geral das Artes. VERTICO tem estreia marcada para 20 de maio, no festival Imaginarius, e estará disponível para difusão, nacional e internacional, a partir de junho.

 

A 16ª edição do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira realiza-se nos dias 20 e 21 de maio, no centro histórico de Santa Maria da Feira.

Um Carnaval com muito Chocolate em Lisboa....

O Campo Pequeno e o Cacau Clube de Portugal voltam a organizar “O Chocolate em Lisboa”. O evento decorre de 4 a 7 de fevereiro e conta com várias atrações e novidades que animarão a 3.ª edição daquele que é considerado o melhor evento de chocolate realizado em Portugal. Um dos destaques deste ano é a presença do Peru como País Produtor Convidado. A cultura do cacau neste país remonta à época dos Incas, que consideravam as suas sementes fonte de poder, utilizando-as também como moeda. Todo o imaginário cultural da civilização Inca e a sua relação milenar com o cacau marcará a edição deste ano de “O Chocolate em Lisboa”.

chocolate.jpgAtuações de homens estátuas, música peruana e muitas outras atrações animarão continuamente os quatro dias desta grande festa à volta do chocolate. Repetem-se, ainda, alguns dos pontos altos que marcaram as outras duas edições, nomeadamente o Choco Cooking, os workshops e palestras, as exposições temáticas e o espaço Cacau Lounge. Para além disto, há ainda chocolates da Bélgica, França, Suíça, Espanha, Inglaterra, Itália, Peru, São Tomé e Príncipe, México, Vietnam, Portugal, entre outros. São milhares de tabletes, bombons, brigadeiros, trufas, macarons, eclairs, brownies, crepes, chocolate quente, gelados, bolos, mas também harmonizações de chocolate com vinhos, frutos secos, especiarias, chás, frutas e até mesmo com gin.

 

Campo Pequeno (Lisboa)

4 a 7 de fevereiro 2016 | 10.30h às 21.30h

O regresso a Portugal de Mark Lanegan…

Mark Lanegan passará por Portugal com dois espetáculos intimistas. O cantor e compositor norte-americano irá atuar dia 29 de maio no Theatro Circo em Braga e dia 30 do mesmo mês ruma a Lisboa onde subirá ao palco do Cinema São Jorge.

ml.jpgA voz grave de Mark Lanegan, bem como a forte presença que apresenta em palco não têm deixado ninguém indiferente. Com uma longa carreira de sucesso, o músico já passou por bandas como The Screaming Trees e Mad Season e participou em vários álbuns dos Queens of the Stone Age. A juntar a isso contam-se as colaborações com artistas como Isobel Campell, Layne Staley, PJ Harvey, Melissa Auf der Maur, entre outros.

A primeira parte do espetáculo estará a cargo do músico Duke Garwood, com quem Mark Lanegan lançou em parceria o álbum “Black Pudding”, editado em 2013.

 

Theatro Circo (Braga)

29 de maio 2016 | 21.00h

 

Cinema São Jorge (Lisboa)

30 de maio 2016 | 21.00h

Deolinda anunciam digressão de apresentação de "Outras Histórias"

Os Deolinda anunciam hoje a digressão do novo álbum "Outras Histórias" que tem data de lançamento prevista para 19 de Fevereiro. A partir deste mês, as canções de "Outras Histórias" vão ganhar vida em vários palcos nacionais e internacionais. A estreia decorre uma semana após o lançamento do álbum, nos dias 26 e 27 de Fevereiro, em dose dupla, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

foto1.jpgEm Lisboa o concerto de apresentação do disco está marcado para o dia 22 de Abril, no Teatro Tivoli e no Porto, para o dia 6 de Maio, na Casa da Música. A nova digressão será ainda apresentada fora de portas, com os primeiros concertos já anunciados, em Espanha e na Bélgica.

"Corzinha de Verão", o novo single da banda, já se encontra a passar nas rádios nacionais, o vídeo tem estreia marcada para a primeira quinzena de Fevereiro. "Outras Histórias", que chega às lojas dia 19 de Fevereiro está disponível em pré-venda no itunes (onde os fãs recebem de imediato o primeiro single) e na FNAC (onde a compra dá acesso imediato à oferta de uma reprodução da capa, assinada pela banda).

Este novo trabalho, gravado em co-produção com João Bessa, traça alguns caminhos que ainda não haviam sido explorados no repertório da banda. Destaque para as participações de Manel Cruz (Ornatos Violeta), no tema "Desavindos", e de Riot (Buraka Som Sistema) em "A Velha e o DJ". A Orquestra Sinfonietta de Lisboa, conduzida pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo, com os arranjos para cordas escritos por Filipe Melo, é outra das presenças no disco.

 

26 e 27 Fevereiro – Casa das Artes (Famalicão)

18 Março – Casino (Póvoa do Varzim)

19 Março - Pax Julia - Teatro Municipal (Beja)

23 Março - Teatro Municipal de Bragança

26 Março - Cineteatro Alba (Alvergaria)

31 Março - Teatro José Lúcio da Silva (Leiria)

08 Abril - Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco)

22 Abril - Teatro Tivoli (Lisboa)

24 Abril - Lagoa Wine Show - Centro Congressos do Arade (Lagoa)

06 Maio - Casa da Música (Porto)

19 Maio - CC Zwaneberg (Heist od Berg – Bélgica)

20 Maio - Palais de Beaux Arts (Bruxelas – Bélgica)

21 Maio - CC Ter Vesten (Beveren – Bélgica)

28 Maio - Cine Teatro António Lamoso (Feira)

04 Junho - Cineteatro Louletano (Loulé)

02 Julho - Teatro Micaelense (São Miguel – Açores)

29 Julho - Theatro Circo (Braga)

29 Outubro - Centro Cultural (Viana do Castelo)