Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Los Waves no CCBeat em Fevereiro…

Os Los Waves são um projeto único no seu género no panorama nacional, fundindo uma abordagem etérea e envolvente com uma sonoridade pop viciante. Começaram a carreira em Londres, em 2011, onde deram os primeiros concertos partilhando palco com bandas como Savages, Yuck, Horrors ou Aluna George. Ainda em Londres, lançaram os primeiros EP e começaram assim a conquistar o público internacional.

Polaroid Los Waves.jpgEditaram no ano passado o seu primeiro álbum, “This Is Los Waves So What?” Este trabalho marca o culminar de uma viagem marcada pela eletrónica new wave e por uma pop que funde a natureza, psicadelismo e tribalismo com uma sonoridade urbana e ambiciosa, resultante de meses a viver numa tenda em praias desertas e de longas viagens pela América do Sul e Oceano Índico.

 

Centro Cultural de Belém – Pequeno Auditório (Lisboa)

13 de Fevereiro 2016 | 21.00h

Carnaval 2016… Vila do Conde

A pouco menos de 1 semana do Carnaval, são vários os municípios que apostam cada vez mais numa programação de animação, aliando a musica com as festividades populares que a quadra estabelece.

Carnaval - Vila do Conde.jpgUm espetáculo com o Real Combo Lisbonense e o habitual Desfile de Espontâneos, desta vez com a apresentação de diversas animações, marcam a celebração do Carnaval este ano em Vila do Conde. O concerto dos Real Combo Lisbonense tem lugar no Teatro Municipal, no dia 6 de fevereiro, às 21h30, num alinhamento centrado na figura mítica de Carmen Miranda e com uma animada seleção musical de sambas, marchinhas e outros ritmos tropicais, intitulada “Saudade de Você - às voltas com Carmen Miranda”, e na qual é feito uso de elementos tecnológicos, instrumentais e cénicos, que estabelecem uma ponte entre passado e presente.

 

No tocante ao Desfile de Espontâneos, que atrai habitualmente largas centenas de mascarados ao centro da cidade, vai acontecer no próprio dia de Carnaval (terça feira), 9 de fevereiro, entre as 21h30 e as 23h30, no trajeto compreendido entre a Rua 25 de Abril e a Avenida Dr. João Canavarro, registando-se, desta vez, a novidade da participação de uma troupe de animação de rua, composta por músicos e bailarinos/coreógrafos, a que se junta um DJ no Largo dos Artistas, que animará a zona com muitas músicas típicas da quadra carnavalesca. De referir ainda que, ao longo do Concelho, serão localmente promovidas várias outras iniciativas, que, darão um contributo para a animação do Carnaval em Vila do Conde.

 

The Weeknd atua…. na cerimónia de entrega dos Óscares

Depois de ter visto a sua canção "Earned It" nomeada para o Óscar de Melhor Canção, agora foi anunciado que o canadiano The Weeknd participará na cerimónia dos mais importantes prémios da indústria cinematográfica norte-americana.

pictureCAIA3CSL.jpgA canção faz parte da banda sonora do filme "50 Sombras de Grey", sendo que The Weeknd concorre nesta categoria ao lado de Sam Smith (com a canção "Writing’s On the Wall", do filme "007: Spectre") e de Lady Gaga (com "Til It Happens To You", do filme "The Hunting Ground"). Smith e Gaga também estão entre o leque de personalidades que participará na próxima cerimónia dos Óscares, que se realizará a 28 de fevereiro. "Earned It" faz ainda parte de "Beauty Behind the Madness", o álbum com que The Weeknd chegou ao grande público, tendo alcançado o primeiro lugar do top de vendas dos Estados Unidos, mas também do iTunes e Spotify de Portugal.

 

A respeito da confirmação de The Weeknd, Sam Smith e Lady Gaga nos Óscares, os produtores David Hill e Reginald Hudlin disseram em comunicado: "Cada um destes artistas traz um elemento distintivo para o palco dos Óscares. Juntos representam as formas muito entusiasmantes com que podem ser partilhadas as experiências humanas e estamos muito orgulhosos que façam parte desta celebração."

Terceiro disco de originais consagra Jimmy P como talento maior da nova geração da música urbana

Essência”, o terceiro longa duração de Jimmy P chega às lojas a 1 de Abril e o primeiro concerto de apresentação está já agendado para uma semana depois, a 8 de Abril, no Hard Club, Porto.

1454329671.jpgDeste “Essência”, o cantor, compositor e letrista que nasceu no sul mas que vive na invicta desde os seus 17 anos, já mostrou “Valer a Pena”, o primeiro single, a que deverá suceder um segundo, ainda no primeiro trimestre do ano. Figura central da nova geração da música portuguesa, Jimmy P representa o que de melhor se faz na música urbana actual, espaço largo para onde faz confluir uma fusão perfeita entre o Rap e o R&B. O poder da rima, bem como a prevalência da palavra longe de estereótipos misóginos e lugares comuns, nunca deixará de ser central no seu trabalho que, mais do que nunca, atinge em “Essência” uma sofisticação melódica que já se adivinhava e que está reservada apenas aos clássicos.

Com cerca de 168 mil seguidores no seu facebook oficial e vídeos com mais de três milhões de visualizações, Jimmy P é um caso sério de popularidade.

We Are Open Season (4ª edição) no Maus Hábitos....

We Are Open Season é um colectivo artístico que promove eventos incidentes no Hip-Hop e na Electrónica. Os dois produtores portuenses (Pedro Rafael e David Félix), que dão a cara pelo conceito, comprometem-se a celebrar os novos tempos em que vivemos, na sua casa, o Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural. Até agora, as edições WROS já contaram com nomes como: No Future, Maze, Expawn, White Haus, Ontem Sound System, Gusta-vo (Freshkitos / NEOPOP).

8888.jpgDia 5 de Fevereiro preparam-se para a sua quarta aparição no Porto, levando desta vez na bagagem:

DJ SlimCutz (Woofer | Monster Jinx | Numark), 4x campeão de scratch, DJ oficial de Mind da Gap e colaborador com Taseh, num dos mais criativos projectos do momento, Roger Plexico; O produtor / beatmaker Raez (Cosmonostro | Biruta | Monster Jinx), já com 10 anos de música, lançou pela editora francesa Cosmonostro, o álbum colaborativo "Connecting Miles" (2014) e vários singles destacados em imprensa de renome internacional ("Do It Well" na BBC Radio 1Xtra).

O evento irá começar às 23h30, com a dupla residente, Drop the Saiyan, a acolher o público com o seu auto-denominado, Namekian Trap.

 

Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural (Porto)

5 de fevereiro 2016 | 23.30h

“Lisboa” é o novo disco dos LST - Lisboa String Trio

Lisboa” o novo disco do grupo LST - Lisboa String Trio, conta com recentes composições de José Peixoto e uma do contrabaixista Paulo Paz, bem como de temas extraídos do universo da Guitarra de Lisboa dos autores Jaime Santos, José Nunes, Domingos Camarinha, Casimiro Ramos e Francisco Carvalhinho, numa clara homenagem à guitarra portuguesa e seus clássicos instrumentais, aqui interpretados com nova roupagem e marcados com a identidade do LST.

4829853.jpegNo seguimento do caminho traçado no seu primeiro e bem recebido CD, “Matéria” vencedor do Prémio Carlos Paredes´15 atribuido pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, “Lisboa” é um disco em que património antigo e temas recentes se sucedem, resultando num todo equilibrado e harmonioso.

 

Bernardo Couto - guitarra portuguesa

José Peixoto - guitarra

Carlos Barretto – contrabaixo

 

O disco estará disponivel a partir de 8 de fevereiro e a sua apresentação esta agendada para o dia 19 no Estúdio Time Out.

 

Estúdio Time Out / Mercado da Ribeira (Lisboa)

19 de Fevereiro 2016 | 21.30h

Carmen Souza & Theo Pascal… “Epistola” ao vivo (Reportagem)

Carmen Souza & Theo Pascal fizeram a abertura do ciclo de concertos íntimos 2016 no cine teatro de Estarreja no passado dia 30 de janeiro, onde apresentaram o seu mais recente álbum intitulado “Epistola”, mas não esquecendo igualmente os temas dos seus 6 álbuns anteriores.

CZ01.jpgApresentam-se em palco acompanhados por Shene Forbes na bateria e Nathaniel Facey no saxofone. Carmen Souza além de cantar, toca guitarra e piano, já Theo Pascal toca baixo e contra baixo.

Carmen faz as honras da sala, apresenta-se com um “está frio lá fora”, mostra-se bastante tímida nas suas abordagens com o público, que contrasta quando começa a cantar com o seu timbre e uma técnica vocal únicos, e com uma grande amplitude de voz, que torna o seu som inconfundível, e que todos na sala se surpreendem a cada música.

CZ02.jpgNasceu em Lisboa, no seio de uma família Cabo Verdiana e com as raízes e cultura de Cabo Verde, onde aprendeu a falar criolo e português, e onde os ritmos tradicionais africanos estão muito presentes,fazem de Carmen uma cantora do mundo, com uma voz camaleónica. Juntos na música há 14 anos, Theo Pascal dá os acordes e deixa os seus companheiros brilharem, o saxofone tem um papel preponderante, não fosse este um álbum em que a influência do jazz é a mais marcante da carreira dos artistas, não admira que se diga que é world jazz.

Na segunda metade do concerto, a luz vira-se para Nathaniel Facey e a solo enche a sala com os acordes do saxofone.

CZ03.jpgO álbum “Epistola”, que regista temas em crioulo, português, francês e inglês, é cheio de estórias, e a cada música Carmen explica à audiência o que está por detrás das palavras e leva-nos a “viajar por este mundo fora” como ela diz, até ao comboio que passa em Estarreja “como é que o som do combio faz?”

Angola não é esquecida com “Quamundos”, cantada num dialecto angolano muito próprio, uma música de um dos álbuns de Theo Pascal, o quente de África reflete-se na cor vermelha projetada como pano de fundo e aquece a sala, assim como Cabo Verde cada vez que é referida o azul enche a tela como se do mar se trata-se.

CZ04.jpgA sua música tem uma simplicidade e uma claridade rara, que deriva de uma mistura única entre a voz, o jazz, a soul, que se torna vibrante, intimo e sensual. As versões de outros compositores não são esquecidas como “Moonlight Serenade”, “Donna Lee”, de Miles Davis, “My Favorite Things” ou, não podia faltar, “Cape Verdean Blues”, de Horace Silver onde se “inventa” um jazz cabo-verdiano.

CZ05.jpgEm jeito de tributo a Thelonious Monk, a quem Carmen chama de “monge africano” com “Afro Monk”, é um dos temas que canta em francês tal como “Oui ou non” escrito pela própria.

Um encore após uma ovação de pé da plateia e termina com “Afri Ka” onde Carmen pede a todos que não se envergonhem de dançar e para se levantarem afinal o “carnaval é dentro de dias e vai estar um dia e sol fantástico” diz. Termina com uma enorme ovação de pé, após 90 min cheios de estórias e viagens.

CZ06.jpg

Alinhamento do concerto:

- Song for my father

- Twenty Choices

- Cv Railways

- Cape Verdean Blues

- Oui or non

- Kutequatekessa Quamundos

- Ligria

- Moonlight Serenade

- Donna lee

- Afro Monk

- Wpfl/ My favourite things

- Thursday

- Extra

Encore : Afri Ka

 

Mais fotografias aqui

 

Reportagem e fotografias: Sara Silva

Rui Estevão convida José Acid para o Musicbox esta 4ª feira

“Todos nós temos perfeita consciência que trocar lençóis por uma pista de dança, a uma quarta-feira, não é a situação ideal para qualquer jovem que se esteja a entregar ao trabalho e ao mundo das contribuições fiscais. É por isso que temos a certeza de que as novas noites HOUSE vão dar-vos a alegria de estar ressacado no escritório ou nas aulas, absolutamente felizes.

untitled11.jpgSair à noite é um passatempo, sair para dançar e divertir é statement e nada melhor que evocar as míticas noites do Studio 54 ou o eterno Larry Levan, enquanto pregador máximo da libertinagem. Só que aqui haverá um convidado por mês que ficará encarregue de encontrar 4 parceiros e distribuí-los pelas quartas-feiras do mês. O conceito é simples e pouco inovador, mas fica a promessa de que estas noites não serão indicadas aos agentes da autoridade moral, porque sexy e sexo podem confundir-se facilmente. Estando em casa, é desfrutar da mesma.Todos os meses convidamos um ilustrador para fazer o design com base num layout nosso. A convidada do mês é a Lara Luís”.

 

3 fevereiro 2016 - José Acid + Rui Estevão

10 fevereiro 2016 - Tiago Marques + Rui Estevão

17 fevereiro 2016 - Brutus (all night set) feat. NBC

24 fevereiro 2016 - Jorge Caiado + Rui Estevão

 

Musicbox (Lisboa)

Biblioteca Municipal de Vila do Conde recorda David Bowie

A Biblioteca Municipal de Vila do Conde vai recordar a partir de hoje, David Bowie, o cantor que se imortalizou com hits como "Let's Dance" ou "Fame", numa mostra que estará patente durante o mês de fevereiro.

db.jpg(DR)

 

David Bowie era o nome artístico de David Robert Jones, foi um músico, produtor e ator inglês, considerado um dos maiores pop-rock stars do ocidente. Ficou conhecido como o camaleão do rock pelas mudanças de estilo musical e por encarnar personagens temáticas em alguns de seus álbuns. Criou músicas que ficaram conhecidas como "Space Oddity”, "Life on Mars", "Heroes" e "Ziggy Stardust".  Também participou em alguns filmes: "Christiane F." (1981) (sendo ele mesmo numa banda de rock); “Fome de Viver" (1983) fazendo personagem de vampiro e contracenando com Catherine Deneuve e “A Última Tentação de Cristo” (1988) de Martin Scorsese.

 

Foi um dos artistas mais influentes do Rock e Pop do século XX. A entrada é livre

 

Biblioteca Municipal (Vila do Conde)

1 a 29 de Fevereiro 2016 | 9.30h às 19.30h

Birds Are Indie estão de regresso com novo single e novo álbum

Depois de "How Music Fits Our Silence", de 2012, e "Love Is Not Enough", de 2014, estes três adoráveis fora-da-lei de Coimbra preparam-se para mostrar “Let’s pretend the world has stopped”, o novo disco com data de edição prevista para o próximo dia 10 de Março pela Murmürio Records.

BirdsAreIndie_by_FranciscaMoreira-e-JoanaCorker_02(c) 2016 Francisca Moreira & Joana Corker

 

O single de avanço chama-se “Partners in Crime” e não podia ser mais que um conto delicodoce, uma espécie de manifesto-pop em que os Birds Are Indie dizem ao que vêm.

 

 

 

Márcio Faraco apresenta novo CD "Cajueiro” em digressão

Márcio Faraco é um dos maiores talentos da Música Popular Brasileira (MPB). Compositor, letrista, cantor, instrumentista e produtor, editou em agosto de 2014, pela editora francesa World Village/Harmonia Mundi, o seu oitavo trabalho “Cajueiro”.

pjz3_MarcioFaracosite2_1.jpgRadicado há mais de vinte anos em França, Márcio não é um nome estranho à música nacional, nem aos nossos palcos: “Guia” (2010) é a faixa-título feita pelo brasileiro para o quarto álbum de António Zambujo. Em “Quinto” (2012), Zambujo canta o hit “Fortuna”, letra e música de Márcio Faraco e ainda “Nau-Frágil”. Na sua longa carreira Márcio Faraco acumula ainda parcerias com Chico Buarque – “Ciranda” de 2000 – e Milton Nascimento, no álbum “Um Rio” editado em 2008 e ainda com Nana Caymmi, entre outros.

Sobre “Cajueiro” a revista francesa Les inRockuptibles escreveu:

“Les arrangements sont tellement légers qu’on a vu ces chansons s’envoler, ramenées à la gravité par la voix douce et fragile de Màrcio Faraco (…) Majoritairement chanté en portugais, son huitième album s’inscrit dans la lignée d’une chanson brésilienne effleurée, acoustique, élégante et languide."

 

16 Março 2016 / 21.00h - Centro Cultural de Belém – Pequeno Auditório (Lisboa)

17 Março 2016 / 21.00h - Quintas do Conservatório (Coimbra)

18 Março 2016 / 21.30h -  Auditório (Espinho)

20 Março 2016 / 21.30h -  Cine-Teatro (Alcobaça)

 


 

 

Waste Disposal Machine regressam aos concertos no próximo dia 6 de Fevereiro

Os Waste Disposal Machine são um trio de rock/metal industrial, que se divide entre Torres Novas e Tomar. Entre 2002 e 2007, a banda lançou três CDrs e integrou várias colectâneas, tendo rodado por diversos palcos (em Portugal, mas também em Espanha) cuidadosamente seleccionados e alguns festivais. O primeiro álbum de originais "Interference" foi editado em 2008, com selo Thisco. Na sequência deste álbum, e do álbum de remisturas "Recycled", os Waste Disposal Machine percorreram Portugal de norte a sul e regressaram também a Espanha, num período de intensa actividade que se prolongou até 2010.

WDM_DRAC_FF.jpegEm 2010, os Waste Disposal Machine começaram a preparar o seu segundo álbum de originais, um longo processo que terminaria apenas em 2014. Pelo meio, a banda sofreu a maior e mais drástica alteração na sua formação, tendo passado de quinteto a trio e cessou completamente os concertos que apenas seriam retomados em 2014, com a edição de "Debris".

 

Pensado como um álbum com duas “faces” (uma preenchida com temas integralmente compostos e executados pela banda e outra com temas compostos ou executados em colaboração com artistas de diversas origens e diferentes géneros musicais), “Debris” foi editado, novamente, pela Thisco e marcou o início de uma nova fase no trajecto dos Waste Disposal Machine. Um novo ciclo de concertos levou a banda, agora em formato trio, a palcos de norte a sul do país. Actualmente, os Waste Disposal Machine preparam o seu terceiro álbum de originais, ainda sem data de edição prevista, e retomam os concertos em 2016, com mais uma série de datas que se prolongará até ao final do primeiro semestre, altura em que a banda se concentrará exclusivamente na composição de novos temas.

 

João Gonçalves: voz/textos/programações

Miguel Silva: guitarras, teclados e programações

Rui Jorge: guitarras

 

DRAC / Direito de Resposta - Associação Cultural (Figueira da Foz)

6 de Fevereiro 2016