Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Festival Rescaldo em 2016

A 9.ª edição do Festival RESCALDO, a realizar nos habituais espaços da Culturgest e da Galeria Zé dos Bois, volta a oferecer a oportunidade de testemunhar algumas das mais destacadas e das mais promissoras músicas "sem rede" e sem género do panorama nacional.

rescaldo.pngA celebração de mais um ano de extrema riqueza, a nível autoral e da consolidação de percursos, da criação e do experimentalismo em terras lusas, é assinalada pela presença de projetos e músicos cuja dimensão internacional tem vindo a conhecer um salutar fortalecimento (casos de Norberto Lobo, Filipe Felizardo ou Gala Drop, por exemplo), ou, como é também norma, de novos valores (casos de Papaya, Ozo ou Acid Acid).

 

Depois de, na edição anterior, o norte do país ter merecido especial destaque, é para Lisboa que se volta o principal foco deste RESCALDO, prova de que a capital continua a ser um polo de invulgar dinamismo, qualidade e sentido de busca nas franjas da música; no entanto, o norte continua a ser representado e representativo de uma também intensa dinâmica criativa, sendo que é das mais altas latitudes que provém um dos momentos mais aguardados desta edição, que dá também sequência a uma das marcas já indeléveis do RESCALDO, a promoção de colaborações inéditas e fora de todas as zonas de conforto – com o encontro em palco dos psicadélicos Black Bombaim e da luminária do jazz vanguardista mundial, o saxofonista alemão Peter Brötzmann.

 

O RESCALDO volta para espelhar da forma mais fiel possível o privilégio que é ter, em Portugal, tantos e tão inspirados aventureiros sonoros nos mais variados quadrantes estéticos.

 

Programa

19 de Fevereiro 2016

- Filipe Felizardo

- Ozo

 

20 de Fevereiro 2016

- Timespine

- Norberto Lobo

 

25 de Fevereiro 2016

- Acid Acid

- Plus Ultra

 

26 de Fevereiro 2016

- Papaya

- Black Bombaim + Peter Brotzmann

 

27 de Fevereiro 2016

- HHY & The Macumbas

- Tren Go! Soundsystem

- Gala Drop

Momo convida Rita Redshoes e Mitó em Janeiro 2016

O cantor e compositor brasileiro Momo, alcunha musical de Marcelo Frota, regressa a solo ao nosso palco em Janeiro depois da actuação conjunta com They're Heading West em Maio. Com ele traz quatro discos de originais: “A Estética do Rabisco” (2006), “Buscador” (2008), “Serenade of a Sailor” (2011) e “Cadafalso” (2013), todos eles elogiados pela imprensa brasileira e internacional.

GLAM - Momo.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

Muito acarinhado pelo público português pelo seu trabalho a solo, e também pela sua participação n' “O Clube” (encontro do brasileiro com os artistas portugueses Fred Ferreira (Banda do Mar, Orelha Negra), Diego Armés (Feromona, Chibazqui), Bernardo Barata (Diabo na Cruz) e Alexandre Bernardo (Laia)), Momo prepara-se para trazer a sua atmosfera intimista e minimalista na qual diversifica músicas de todos seus discos, além de tocar algumas releituras como “Munguengo”, de Waldemar Bastos. Contará em palco com a ajuda preciosa de Rita Redshoes e de Mitó de A Naifa num concerto que vai revelar também temas do novo álbum de originais.

 

Casa Independente (Lisboa)

29 de Janeiro 2016 | 22.00h

22º Super Bock Super Rock... Kendrick Lamar

O Super Bock Super Rock orgulha-se de nas suas 21 edições anteriores ter trazido aos seus palcos alguns dos maiores nomes da música de sempre. Na 22ª edição a tradição mantém-se e o nome que se anuncia é uma das maiores estrelas do ano de 2015… Kendrick Lamar.

GLAM - Kendrick.jpg(c) 2014 Paulo Homem de Melo

 

O norte-americano é um dos nomes mais fortes da música, atualmente. Em 2015 editou o seu último e quarto de originais “To Pimp A Butterfly”. A edição, extraordinária, funde o rap ao jazz, com soul e funk e algumas guitarradas como é o caso dos sucessos “King Kunta” ou “I”. Aclamado pela crítica e público, foi nomeado para os mais variados prémios da indústria mas a consagração deu-se com as 11 nomeações para os Grammy Awards, entre outras para álbum do ano, e música do ano com o brilhante “Alright”. Foi também considerado álbum do ano para algumas das maiores publicações da especialidade como a Spin, a Uncut, a Rolling Stone ou a Pitchfork e uma das pessoas do ano pela NME. Como se isto não bastasse para 2015 ser o melhor ano de sempre de Kendrick Lamar, o norte-americano viu ainda o Presidente Barack Obama considerá-lo o seu artista favorito do ano elevando o artista aos píncaros do panorama musical.

Kendrick Lamar, seguramente um dos concertos do ano que acontecerá no dia 16 de Julho no Palco Super Bock

Choque em Cadeia anunciam o lançamento do seu trabalho mais recente, “Tête-à-Tête”

Os 4 jovens lisboetas editam o EP composto por 4 temas originais cantados em Português. Um som verdadeiramente original e que promete dar que falar. A banda irá certamente contribuir para a renovação dos paradigmas da música portuguesa.

Choque em Cadeia.jpg"Finalmente encontrámos o nosso som". Carlos Noronha, responsável pela voz da jovem banda (os 4 elementos têm idades a rondar os 20 anos), acredita que o EP marca o início da longa viagem musical que querem fazer: pretendem inovar e surpreender, pondo a música acima de tudo e cantando sempre em português. Com uma linguagem própria, a banda sente que as músicas surgiram de uma forma muito "solta", dando mesmo a impressão de que se escreveram sozinhas. "Não queremos contar histórias, nem ser demasiado concretos. Queremos apenas que as palavras façam mesmo parte da música.", dizem em relação às letras do EP, que foram surgindo livremente, à medida que foram compondo as músicas.

 

Os Choque em Cadeia formados por: João Costa (guitarra), Luís Morais (bateria), Manuel Parreira (baixo) e Carlos Noronha (voz e guitarra) resultaram de um grupo de amigos de infância que começou a tocar em conjunto com apenas 13 anos e que foi procurando a sua identidade. Agora, depois do disco de estreia, chegam a este "Tête-àTête", que marca o início da sua maturidade musical.

O EP vai estar disponível a partir do dia 10 de Janeiro de 2016, mas antes o grupo faz a apresentação do disco já no dia 29 de Dezembro no Teatro do Bairro, em Lisboa

Teatro do Bairro (Lisboa)
29 de Dezembro 2015

 

Concerto de Primavera da Smooth FM no Coliseu do Porto

A Smooth FM anuncia o primeiro concerto de 2016, que terá lugar no Coliseu do Porto, no dia 19 de abril, pelas 21 horas. Uma noite de Jazz com a Smooth FM, que marcará o primeiro espetáculo da estação a norte do país. Depois de um grande espetáculo em Lisboa, onde celebrou o seu 4º aniversário, a Smooth FM vai brindar a cidade do Porto com um concerto especial e único, com a participação de vários artistas nacionais e internacionais.

SFM_COLISEUv0_1024x768.jpgConcerto de Primavera Smooth FM, um espetáculo aberto ao público, que recebe em palco cinco artistas de renome e uma Big Band.

Alexander Stewart, considerado como um dos mais precoces e talentosos vocalistas da nova geração, e tendo esgotado espetáculos em quase todas as salas de Jazz de Londres, é um dos artistas desta noite de Primavera. Neste grande elenco estão também Tokunbo, a cantora do aclamado grupo de jazz Tok Tok Tok, e dona de uma voz delicada mas poderosa; Isabella Lundgren, a jovem sueca que se tem afirmado como uma nova e promissora voz do Jazz; Cherry, dona de uma voz incrível e de um enorme talento, que cruza o Folk com sonoridades mais clássicas, e ainda, mas no panorama nacional, Maria Ana Bobone, com créditos firmados no fado e já a conquistar no mundo do Jazz, de forma surpreendente.

Esta noite de Jazz completa-se ainda com Claus Nymark Big Band, a orquestra liderada pelo próprio Claus Nymark, um dos músicos mais ativos e mais experientes no meio jazzístico, em Portugal.

 

Coliseu (Porto)

19 de Abril 2016 | 21.00h

Chris Brown acaba de lançar o seu sétimo álbum de estúdio a solo… “Royalty”

Royalty”, editado na passada sexta-feira 18 de Dezembro, sucede a “X”, de 2014, que estreou em #1 da Tabela de Álbuns R&B DA Billboard e em #2 do Top 200 da Billboard. Com este trabalho, Chris Brown recebeu inclusivamente 3 nomeações para os prémios Grammy, incluindo na categoria de ‘Best Urban Contemporary Album’.

ROYALTY - CVR - CHRIS BROWN.jpgChris Brown chegou à cena musical em 2005, com apenas 16 anos e um êxito intitulado “Run It!”, retirado do seu álbum de estreia. Desde então, já vendeu mais de 10 milhões de álbuns em todo o mundo, teve seis singles em número 1, 11 no top 10 ‘Hot 100’ e 22 no top 10 ‘Hot R&B/Hip-Hop Songs’. Entretanto, as vendas dos seus singles atingiram 69 milhões e o artista conta com mais de mil milhões de views no VEVO. Com um prémio Grammy no seu currículo pelo álbum F.A.M.E., Chris Brown recebeu mais de 40 prémios, incluindo o da Billboard para ‘Artist of the Year’ (2006) e ‘Top R&B Artist’ (2012), quarto prémios BET para ‘Best Male R&B Artist’ e o ‘MTV Video Music Awards’ na categoria de ‘Best Male Video’ e ‘Best Choreography’ para “Turn Up the Music” (2012). Em 2014, Chris Brown lançou o seu sexton álbum de estúdio “X”, que inclui o platinado single “Loyal” (feat. Lil Wayne & Tyga), com o qual recebeu 3 nomeações para os Grammy.

No decorrer deste ano (2015), o sucesso de muitos dos seus êxitos, incluindo “Zero,” “Liquor,” e “Ayo,” levaram Brown a ser considerado o 5.º ‘Rhythmic Artist of The Year’ e o 6.º ‘Urban Artist Of The Year’, de acordo com a tabela fornecida pela Mediabase.

Monster Jinx apresenta... “Jonster Minx na K7”

Depois de 8 anos de actividade enquanto editora, a Monster Jinx apresenta finalmente o seu primeiro disco produzido colectivamente, “Jonster Minx na K7”, encabeçado pelo single “Michael Jordan”, que se sucede ao avanço “Tinto Cão” (2013) e à curiosidade “Venera o Diabo, Faz Festas a Gatinhos” (2012). Elaborado ao longo de 3 anos, “Jonster Minx na K7” dá voz aos rappers Stray, J­K e Pulso e conta com produções dos representantes da casa DarkSunn, Taseh, Roger Plexico, OSEB, NO FUTURE e Raez e, ainda, do internacional Keyboard Kid (mais conhecido como produtor de Lil B).

monster.jpgPensado­ como um “verdadeiro álbum de rap de grupo”, homenageando até a antiga tradição dos interlúdios abundantes, Stray e Spark funcionaram como produtores executivos do disco, supervisionando a marca sonora para garantir o tom unificador da identidade da Monster Jinx.

Ace (Mind da Gap), Maze (Dealema), Dom Rubirosa e Philly Gonzalez (Governo Sombra) e RealPunch (Tribruto) são os convidados do disco. Surgem, no entanto, numa única faixa, “Monstro Roxo”, uma verdadeira posse cut, pensada em modo “dream team” dos anos 90. “Jonster Minx na K7 Vol.1” é uma viagem livre pela matéria que une todo o universo roxo, mostrando os seus artistas como nunca os vimos antes: sem censura e nos seus registos mais honestos, lembrando a paixão do rap pelo rap e sem medo de esmurrarem o que tiverem de esmurrar.

O disco esta disponivel para audição e download aqui