Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

De Coimbra… para Coimbra… d3ö

Os d3ö nasceram em Coimbra, em 2002, pela mão de Toni Fortuna, Tó Rui, e Miguel Benedito, das cinzas dos Tédio Boys. O trio conta com três EPs lançados entre 2003 e 2005, uma compilação (2008), um vinil 7’’ com os temas “Wanna Hold You” e” Go”, lançado pela Dirty Water Records, que proporcionou a entrada no mercado internacional, o disco “Exposer” (2009) e o mais recente “Love Binder” (2013), ainda gravado com o baterista inicial.

d3oLOVEBINDERfotopromo5.jpgJá com Nito na bateria, “Love Binder” levou a banda a uma extensa digressão

que passou pelos principais clubes de rock nacional e também por vários festivais portugueses e espanhóis.

 

Salão Brazil (Coimbra)

18 de Dezembro 2015 | 22.30h

Cage the Elephant… novo álbum a 18 de Dezembro

Os Cage the Elephant anunciaram a edição do quarto álbum de estúdio, “Tell Me I’m Pretty”, que será lançado a 18 de Dezembro 2015 via RCA Records. “Tell Me I’m Pretty” foi produzido por Dan Auerbach dos The Black Keys e The Arcs (Lana Del Rey, Ray LaMontagne, The Black Keys, The Arcs), misturado por Tom Elmhirst (Adele, Arcade Fire, Florence + the Machine) e gravado nos Easy Eye Sound em Nashville, TN, perto da cidade-natal do grupo, Bowling Green, KY.

Cage The Elephant_Cvr - VÁRIOS ARTISTAS.jpgAtravés da pré-venda do álbum já disponível, os fãs terão acesso a itens exclusivos, incluindo postais da banda, posters assinados e instrumentos, bem como folhas com letras escritas à mão, entre outros.

Com “Tell Me I’m Pretty”, os Cage the Elephant inovaram desde o último álbum “Melophobia” (2013), que foi nomeado para os Grammy na categoria de Best Alternative Album – preservando simultaneamente as sonoridades que inicialmente inspiraram o grupo a fazer música.

 

“With this record, we wanted to be more transparent”, revela o vocalista Matt Shultz. “We wanted to capture the sentiment of each song, and whatever emotional response it provoked, to be really honest to that”.

O resultado traduz-se nas canções mais poderosas, enérgicas e intensas da banda até à data, um set pungente de garage-pop e melodias inspiradas nos anos 70, com um sentimento que o guitarrista Brad Shultz descreve como “John Wayne at an Iggy Pop show on acid”. O grupo gravou a maior parte das 10 canções que compõem o novo álbum em apenas um take, capturando a energia crua e frenética da banda em palco.

Melophobia” elevou o estatuto da banda na cena musical, ao ter dois singles a conquistar o primeiro lugar no Top Alternativo, “Come a Little Closer” e “Cigarette Daydreams”, e com a Rolling Stone a descrever o álbum como “Kentucky's Cage the Elephant warp Sixties garage rock, Seventies punk and Eighties alt-rock into excellently weird new shapes”.

O segundo álbum “Thank You Happy Birthday” (2011) estreou em #2 da tabela Billboard Top 200 e foi considerado como “one of the best rock albums of the year”. Há muito celebrada como uma das mais explosivas bandas do mundo, os Cage the Elephant fizeram digressões extensas, esgotando salas e encabeçando vários festivais ao lado de nomes como The Black Keys, Foo Fighters, Muse e Queens of the Stone Age.

Cage The Elephant: Matt Shultz (voz), Brad Shultz (guitarra), Daniel Tichenor (baixo), Jared Champion (bateria).

 

 

Festa de São Nick na Casa Independente

No dia de Natal, dia 25 de Dezembro para não haver dúvidas, a Casa Independente recebe um concerto especialíssimo da Nicotine's Orchestra na sua versão "orquestra de um só homem". Neste caso, é ele Nick Nicotine dos sete ofícios que irá passar em revista os 6 álbuns já editados e que já adoptaram tantas, ou mais, formas.

nick.jpgA natividade continua com DJ Set Puxa Litro Suave com Cláudio Puxa, dos Pista, Luis Miguelitro, do Universo e Mano Suave, da Mana Street.

Dizem-nos os intervenientes desta peculiar festa que este três reis mitras não trazem prendas, levam-vos a dar uma volta.

Por isso, venham daí!

 

Casa Independente (Lisboa)

25 de Dezembro 2015 | 23.00h

Thriller, de Michael Jackson, é o primeiro álbum certificado pela RIAA a atingir a marca de multiplatina por 30 vezes

A RIAA (Associação Norte-americana da Indústria Discográfica), o Legado de Michael Jackson, a Epic Records e a Legacy Recordings anunciaram hoje que “Thriller” de Michael Jackson é o primeiro álbum na história do programa de ouro e platina da RIAA a atingir a marca certificada de 30 vezes multiplatina por vendas nos EUA, continuando assim o reinado do Rei da Pop como o artista mais bem-sucedido a nível de vendas com números acima dos 100 milhões no mundo inteiro referentes ao álbum “Thriller” e mil milhões no plano geral.

719E61zZCZL._SL1500_.jpgA RIAA atribui discos de ouro e platina em nome da indústria musical há quase 60 anos, mas esta é a primeira vez que um artista ultrapassou a marca de 30 vezes multiplatina”, afirmou Cary Sherman, Presidente e CEO da RIAA. “Estamos muito honrados por comemorar o estatuto único do álbum Thriller na história dos discos de ouro e platina. Que feito notável e um verdadeiro tributo à posição duradoura que o álbum Thriller ocupa nos nossos corações e na história da música.”

Thriller”, a obra-prima de Michael Jackson com produção de Quincy Jones e Michael Jackson, conquistou um número recorde de 8 Grammys, mais do que qualquer álbum até à data, continuando a receber prémios e a definir novos padrões de sucesso desde o seu lançamento a 30 de Novembro de 1982. “Thriller”passou quase 2 anos e meio na tabela de álbuns da Billboard e detém o recorde contemporâneo de 37 semanas no n.º 1. Foi o primeiro álbum na história a passar cada uma das suas primeiras 80 semanas no Top 10 da tabela de álbuns, um feito conquistado apenas por outro álbum 30 décadas depois do acontecimento. Durante a sua 112.ª semana na tabela de álbuns da Billboard, o álbum tornou-se no primeiro a registar a marca certificada de 20 vezes multiplatina pela RIAA (30 de Outubro de 1984). A nível mundial, “Thriller” esteve no n.º 1 em praticamente todos os países do mundo, incluindo Reino Unido, França, Itália, Austrália, Dinamarca, Bélgica, África do Sul, Espanha, Irlanda, Nova Zelândia, Canadá e África do Sul ainda sob o regime de apartheid.

 

O álbum foi aclamado pelo seu alcance e profundidade. A revista Rolling Stone referiu-se ao álbum como um momento “marcante” para Michael e a Newsweek escreveu, de forma algo profética, que “a voz de Michael assombra estes temas, dá-lhes emoção… É isso que irá fazer esta música perdurar.” Sete faixas do álbum tornaram-se singles do Top 10 e três temas, “Beat It”, “Billie Jean” e “Thriller”, chegaram ao n.º 1. Todos os nove temas assumiram um lugar permanente nos corações e memórias de todas as pessoas do mundo.

Sendo mais do que um simples álbum, “Thriller” permaneceu um fenómeno multimédia cultural a nível global durante os séculos XX e XXI, quebrando barreiras musicais e alternando as fronteiras da pop para sempre. A música presente em Thriller é tão dinâmica e singular que desafiou qualquer definição de rock, pop ou soul existente. O tema “Beat It” era um novo híbrido de pop/rock e demoliu a segregação há já muito existente entre música branca e negra com a guitarra incendiária de Eddie Van Halen. No tema “The Girl Is Mine”, um homem negro e um homem branco lutam pela mesma mulher. No mesmo álbum, existem temas como “Wanna Be Startin’ Somethin’”, com ritmos africanos de base, e “Billie Jean”, com sonoridades mais R&B. Nunca se tinha ouvido um álbum com material de tamanho alcance.

 

“A maior inovação protagonizada por Michael talvez tenha surgido com os vídeos musicais”, escreveu Joe Vogel em Man in the Music. Fascinado por esta forma de arte, Michael queria contar uma história e entreter em grande escala. Apesar da cinematografia deliciosa, narrativa dramática e coreografia espectacular de “Billie Jean”, uma novata MTV, que tinha como programação quase exclusiva de artistas rock brancos, recusou-se a passar o vídeo. A editora Epic persistiu. Após a queda do muro, as audiências da MTV dispararam e uma porta foi aberta para uma geração de artistas afro-americanos. “Ele foi o Jackie Robinson da MTV”, afirmou o crítico cultural Touré. Seguiu-se a inesquecível curta-metragem de “Beat It” onde Michael aproximou dois gangs através do poder da música e dança. E depois, surgiu “Thriller”. Com estreia no AVCO Theatre em Los Angeles em 1983, esgotou todas as noites durante três semanas. Nenhum outro vídeo antes ou desde então gerou tamanho entusiasmo e tem tanto poder sobre a nossa atenção, pelo que, 30 anos mais tarde, todos partilhamos este vídeo na nossa memória colectiva e o mesmo permanece o único vídeo a ser eleito para a elite do National Film Registry pela Library of Congress.

A importância de “Thriller” foi reconhecida pelos pares da indústria de Michael Jackson nos Grammys. “Thriller” recebeu um número recorde de nomeações em 12 categorias e venceu um número recorde de oito prémios, o que constitui o maior número de prémios Grammy conquistados por um álbum. Sete destes Grammys que nesse ano foram atribuídos ao artista foram para as seguintes categorias: Álbum do Ano, Disco do Ano ("Beat It"), Melhor Interpretação Vocal Pop Masculina ("Thriller"), Disco com Melhor Engenharia, Não clássico (“Thriller”), Melhor Interpretação Vocal Rock Masculina ("Beat It"), Melhor Interpretação Vocal R&B Masculina ("Billie Jean"), Melhor Canção R&B ("Billie Jean"). (O oitavo Grammy conquistado por Michael nesse ano foi atribuído para categoria Melhor Gravação para Crianças - Single ou Álbum, Musical ou Spoken Word para o tema "E.T. The Extra-Terrestrial"). Nesse mesmo ano, Michael Jackson conquistou oito American Music Awards e três MTV Video Music Awards. No ano seguinte, "The Making of Michael Jackson's Thriller" arrecadou o troféu para Melhor Álbum de Vídeo na 27.ª edição dos Grammys.

 

Durante a sua carreira extraordinária, Michael Jackson vendeu mais de mil milhões de discos no mundo inteiro, lançou 13 singles que chegaram ao n.º 1 e tornou-se num de poucos artistas a ser eleito por duas ocasiões para figurar no Rock and Roll Hall of Fame. O Livro dos Recordes do Guinness reconheceu o artista como o Artista Mais Bem-sucedido de Sempre e “Thriller” como o Álbum Mais Vendido de Sempre. A sua arte, coreografia e música continuam a inspirar gerações de artistas e fãs de pop, soul, R&B e hip-hop.

 

"É óbvio que Michael Jackson foi simplesmente o melhor e maior artista de sempre", afirma LA Reid, Presidente e CEO da Epic Records. "Os seus êxitos de tabelas e de vendas são notáveis mas a sua musicalidade pura era doutro mundo. Thriller foi inovador e electrizante. Era pura perfeição. Sinto-me extremamente orgulhoso que Michael seja a alma e o coração da Epic Records e irá permanecer para sempre como o único e verdadeiro Rei da Pop."

100 milhões de álbuns e a contagem continua. Nunca existiu um fenómeno como Thriller”, afirmaram John Branca e John McClain, co-executores do Legado de Michael Jackson. “Michael abriu os portões da sua criatividade, explorou profundidades emocionais e quebrou as fronteiras da inovação sonora. Durante o percurso, destruiu barreiras na indústria musical e uniu literalmente o mundo através da sua música: não existe nenhum local no mundo que não se tenha sentido radiante com a música de Michael Jackson. 30 anos após o seu lançamento, Thriller continua a ser uma revelação.

 

A música de “Thriller” e de outros álbuns de sucesso de Michael Jackson está presente no espectáculo de sucesso de Las Vegas, Michael Jackson ONE, produzido pelo Cirque du Soleil e o Legado de Michael Jackson. Michael Jackson ONE está a esgotar datas e a espantar os fãs no Michael Jackson ONE Theatre em Mandalay Bay, Las Vegas.

Eagles of Death Metal… Banda reagenda digressão, chega a Portugal em Março

Os Eagles of Death Metal vão regressar à Europa em 2016 para completar a digressão que ficou a meio depois dos trágicos eventos de 13 de Novembro, no Bataclan, em Paris. Agora renomeada de "The Nos Amis Tour", inclui uma passagem por Paris, que será certamente um momento histórico, bem como uma prova de força e de resistência por parte da banda.

edm.jpg(c) 2015 manuwino - live photography

 

Os fãs da banda que estavam no concerto do Bataclan têm direito a um bilhete gratuito para a data de Paris, que acontecerá a 16 de Fevereiro no Olympia. No resto da Europa, incluíndo Portugal, o resto dos fãs terão um período especial de pré-venda para recuperarem os bilhetes que já tinham comprado, precisando apenas de entregar uma prova da compra original. Jesse Hughes, o co-fundador e frontman da banda explicou:

 

"As pessoas de Paris foram sempre incríveis connosco. O nosso amor por elas e pela cidade reforçou-se um milhão de vezes neste último mês. Ouvir as histórias dos sobreviventes, dos feridos e dos que perderam pessoas próximas foi avassalador e nós sabíamos que deixar tudo isto a meio não era uma opção. A nossa missão e trazer rock’n’roll ao mundo, e mal podemos esperar."

 

O itinerário completo da digressão dos Eagles of Death Metal segue assim:

13/02/16 / Suécia / Stockholm - Debaser Medis

14/02/16 / Noruega / Oslo - Sentrum Scene

16/02/16 / França / Paris - Olympia

18/02/16 / Alemanha / Munich - Tonhalle

19/02/16 / Croacia / Zagreb - Tvornica Kulture

20/02/16 / Hungria / Budapest - Akvarium

22/02/16 / Austria / Vienna - Arena

23/02/16 / Suiça / Zurich - Komplex

24/02/16 / França / Lille - Le Splendid

25/02/16 / Belgica / Brussels - Forest Club

27/02/16 / Itália / Treviso - New Age

28/02/16 / Itália / Turin - 10100

29/02/16 / Itália / Rome - Orion

02/03/16 / França / Nimes - La Paloma

03/03/16 / Espanha / Barcelona - Apolo

04/03/16 / Espanha / Madrid - Joy Eslava

05/03/16 / Portugal / Lisboa - Coliseu

 

09/08/16 / Polónia / Katowice - Mega Club

11/08/16 / Dinamarca / Copenhagen - Amager Bio

15/08/16 / Alemanha / Bremen - Aladin

16/08/16 / Alemanha / Koln - Live Music Hall

Cambien + Miguel Pipa esta quinta feira no Salão Brazil

Constituído por Jonas Cambien (piano), André Roligheten (saxofone) e Andreas Wildhagen (bateria), Cambien é um trio acústico formado em Oslo. Este é um projeto influenciado por músicos como Ernst Rijesiger, Christian Wallumrød, Sidsel Endresen e Bill Orcutt, mas também por especialistas escandinavos do free-jazz como Mats Gustafsson e Pål-Nillsen-Love, e por compositores contemporâneos como Ligeti e Scelsi.

cambien.jpgAs composições simples do pianista belga Jonas Cambien são intensificadas com a espontaneidade e improvisação no momento de reunião do grupo.

 

Miguel Pipa nasceu em 1980 em Vila do Conde. O primeiro contacto com música foi com guitarra passando depois pela bateria. Interessado desde cedo em descobrir novas sonoridades passou para a exploração da música eletrónica (software). A partir daí começou a explorar diferentes abordagens

(hardware), Hacking, Circuit-Bending, DIY e Glitch. Frequentou workshops e seminários destacando “Construção de instrumentos” com Rolf Gehlhaar, “Software Bending” com Angel Faraldo e o seminário “Connected Making” com Peter Kirn.Como formador tem desenvolvido workshops de Circuit-Bending (Casa da Música, Porto; LCD, Guimarães CEC). Em 2000 nasce Kanukanakina, projeto performativo.

 

Salão Brazil (Coimbra)

17 de Dezembro 2015 | 22.00h

22º Super Bock Super Rock | Bloc Party

Até julho do ano que vem, o cartaz do Super Bock Super Rock vai encher-se de nomes infalíveis e a prova disso confirma-se com os já anunciados The National, Jamie XX, Mac DeMarco e Kurt Vile.

Hoje, mais um grande nome se confirma para 22ª edição: Bloc Party.

GLAM - Bloc Party.jpg(c) 2013 Paulo Homem de Melo

 

A banda inglesa liderada pelo vocalista Kele Okereke, abanou o mundo em 2005 com o disco de estreia “Silent Alarm”. Temas como “Banquet” foram ouvidos e dançados um pouco por todo o globo, com a emoção de quem recebe com surpresa um som novo que soube beber dos tempos punk os ingredientes certos para uma sonoridade indie rock vibrante e absolutamente viciante. Os Bloc Party mantiveram-se ativos até 2012, lançando quatro discos de sucesso que os levaram aos melhores palcos do planeta e a serem nomeados para os mais reconhecidos prémios musicais. Depois do último “Four”, os Bloc Party anunciam, depois de uma paragem de quatro anos, “HYMNS” (2016). Os temas já disponíveis, “The Love Within” e “The Good News”, confirmam a capacidade reinventiva dos britânicos, juntando mais eletrónica e uma outra melodia ao som sempre contagiante da banda. No dia 15, no Palco Super Bock, os Bloc Party desfilarão muitos dos temas do novo disco e os hinos do reportório mais antigo que fizeram deles uma das mais reconhecidas bandas independentes da última década.

 

Mais novidades a anunciar brevemente…

 

14 de julho

Palco Super Bock - The National

Palco EDP - Jamie XX, Kurt Vile

 

15 de julho

Palco Super Bock - Bloc Party

Palco EDP - Mac DeMarco

 

There must be a Place…. O regresso em concerto solidário

Em 2012 duas novas bandas surgem no panorama musical português e crescem rapidamente sobretudo graças a dois singles que inundaram o airplay nacional atingindo os primeiros lugares dos tops: "Hang Out", dos Best Youth, e "Time (better not stop)", dos We Trust.

theremustbeaplace_1024x768.jpgForam consideradas as bandas revelação em Portugal e conseguem ainda alguns destaques significativos a nível internacional. Marcam também presença nos festivais mais importantes da especialidade: Paredes de Coura, Sudoeste TMN, Optimus Alive, Optimus Primavera Sound, Vodafone Mexefest, etc. Coincidência ou não os projetos reúnem amigos de longa data e inclusive têm músicos comuns.

Num quarto de hotel onde ambos ficaram instalados durante as respectivas tours de verão, tiveram a ideia de se juntar para partilhar o palco num espectáculo único criado especificamente para locais fechados. O concerto, mais do que a soma das partes, resulta em algo único. As canções das duas bandas são tocadas por todos e com novos arranjos.

Entre Outubro de 2012 e Março de 2013, There Must Be A Place percorreu o País de Norte a Sul, e regressa agora para um espectáculo único na Casa da Música, por uma causa especial: os lucros reverterão na sua totalidade para a APDES - Agência Piaget para o Desenvolvimento. A APDES tem como objectivo principal a realização de intervenções que visem a melhoria do acesso à saúde, emprego e educação de comunidades e públicos em situação de vulnerabilidade, uma causa que merece toda a atenção.

André Tentúgal, Catarina Salinas, Ed Rocha Gonçalves, Fernando Sousa, Nuno Sarafa e Sofia Ribeiro juntam-se assim mais uma vez em palco.

 

O album esitado pela NOS Discos encontra-se aqui disponivel para download gratuito e legal

 

Casa da Música – Sala Suggia (Porto)

26 de Março 2016 | 22.00h

Johnny Cash… “Man in black: Live in Denmark”

Johnny Cash é um dos maiores ícones da música norte-americana.

Tudo o que se possa dizer ou escrever sobre Johnny Cash nunca fará a devida justiça ao contributo fundamental que teve para o posicionamento e reconhecimento da canção ‘americana’ como um género global.  

Man In Black Live in Denmark_Cvr - VÁRIOS ARTISTA“Man In Black: Live in Denmark” é editado em CD pela primeira vez e capta toda a essência de o porquê Johnny Cash ser considerado um dos maiores cantautores do séc XX.

Este concerto fez parte da sua digressão pela Escandinávia em 1971.

O Reverence Festival Valada apresenta as primeiras 12 confirmações…

São doze as primeiras confirmações para o Reverence Festival, a 3ª edição do festival que em 2016 volta a realizar-se em setembro, nos dias 8, 9 e 10, sendo que nove das doze bandas tocam em Portugal pela primeira vez, nomeadamente, Ozric Tentacles que em 28 anos de carreira nunca passaram por cá.

Killing Joke, Ozric Tentacles, With The Dead, Silver Apples, Yawning Man, Nik Turner's New Space Ritual Band, The Papermoon Sessions, Farflung, Papir, Radar Men from the Moon, Zone Six e Øresund Space Collective são os nomes agora apresentados

Killing joke.jpgKilling Joke, banda pós-punk do Reino Unido atualmente composta por Jaz Coleman, Kevin "Geordie" Walker, Martin "Youth" Glover e Paul Ferguson. Uma das referências no Reino Unido nos anos 80 e 90. O álbum “Pylon” foi lançado em outubro de 2015 e tem sido recebido da melhor forma pela crítica internacional - Uncut, Classic Rock e Drowned in Sound atribuíram 8/10; Vive le Rock, Louder Than War e Exclaim atribuíram 9/10 a este disco que já integra o TOP10 de publicações para os melhores do ano.

Ozric Tentacles é uma banda de rock instrumental de Somerset, Reino Unido que pode ser descrita como psicadélica e space rock. Formada em 1983, a banda lançou 28 álbuns, e já vendeu milhões de cópias no mundo inteiro sendo que, ao longo dos anos tem desenvolvido digressões extensivas pela Europa, Ásia e América do Norte e Sul. Acabam de lançar um novo trabalho, “Technicians of the Sacred”, que será apresentado no Reverence Festival, no âmbito da mais recente digressão da banda.

With The Dead, banda de Doom Metal formada por ex-membros de bandas de referência como Cathedral e Electric Wizard. Tim Bagshaw (guitarrista), Mark Greening (baterista) e Lee Dorrian (vocalista) compõem o trio que rejeita ser designado de super grupo mas que, inevitavelmente, se tem tornado uma referência.

Silver Apples nasceu como uma dupla de música eletrónica e psicadélica, formada em Nova Iorque, composta por Simeon Coxe III no sintetizador e Danny Taylor na bateria. Foi um dos primeiros grupos a utilizar a música eletrónica no contexto do rock, antecipando não somente a música eletrónica experimental, o krautrock e o space rock da década de 1970, mas também a dance music e o indie rock da década de 1990. Apesar da morte de Danny Taylor, Simeon Coxe III continua a dar cartas em palco.

Yawning Man é uma banda de stoner rock formada no ano de 1986 em Palm Desert, Califórnia nos Estados Unidos. A banda influenciou muitas das bandas que surgiram na região como Kyuss, Fu Manchu e Brant Bjork and The Bros.

Nik Turner's New Space Ritual Band, um projeto de Nik Turner, fundador e frontman dos Hawkwind.

The Papermoon Sessions, um ponto de encontro entre Papir e Electric Moon. Tocaram juntos, pela primeira vez, em 2014 num encontro casual no festival Roadburn. Desde então, nunca mais tocaram ao vivo o que torna o concerto marcado para o Reverence Festival muito especial. No total, encontraram-se duas vezes, tocaram duas vezes e gravaram dois discos a partir disso, o que demonstra o potencial que têm em conjunto.

Il Divo: Amor & Pasion Tour 2016

A primeira e a melhor banda mundial de música clássica de “fusão” lançou recentemente o disco “Amor & Pasion”, que reúne alguns dos mais emblemáticos temas do tango tradicional, temas clássicos de boleros e de mambas. O produtor deste disco foi o colombiano Julio Reyes Copello, vencedor de vários “Latin Grammy”.

Il Divo - Photo.jpgAmor & Pasion” conta com temas oriundos de Espanha, Cuba, Argentina e México e com ritmos da América Central e América Latina.

Os temas revisitados pelos Il Divo são alguns do mais conhecidos êxitos deste género de música, tais como: “A Las Mujeres Que Yo Ame (To All The Girls I’ve Loved” de Julio Iglesias, “Si Voy A Perderte (Don´t Wanna Lose You) de Gloria Estefan, No disco pode ainda ouvir-se uma versão “latina” do Hino da Alegria de Beethoven, primeiro single deste álbum e um dos mais clássicos tangos de todos os tempos “Por Una Cabreza”, que foi escrito em 1935 e faz parte da banda sonora de “A Lista de Schindler” e do “Perfume de Mulher”.

 

Este é o sétimo disco de estúdio da banda e o mais ambicioso até ao momento, um disco cheio de amor e romance. Urs afirma: “Depois de 11 anos, para mim é fantástico encontrarmos algo que genuinamente nos excita. Muitas das músicas deste disco eram completamente desconhecidas para mim e são músicas lindas.”.

Os Il Divo já venderam mais de 30 milhões de discos, conquistaram mais de 50 nº 1 das tabelas e contam com mais de 160 discos de ouro e platina correspondentes a vendas em mais de 33 países.

A banda vai passar por Portugal em 2016 com dois concertos agendados para Gondomar e Lisboa.

 

Multiusos de Gondomar

11 de Junho 2016

 

MEO Arena (Lisboa)

12 de Junho 2016

“The Ties That Bind: The River Collection” de Bruce Springsteen

The Ties That Bind: The River Collection” mostra um olhar extenso e profundo à era “The River”, o icónico álbum de Bruce Springsteen.

The Ties That Bind The River Collection_Cvr - VÁRSão 52 faixas em 4CD, com material nunca antes editado e mais de 4 horas de material vídeo também nunca publicado.

Todo este material inclui o duplo álbum “The River”, o lançamento original “The River: Single Album” na sua edição original, um cd de outtakes de 1979/1980, dois DVD com o concerto em Tempe (Arizona) nunca editado, assim como o documentário “The Ties That Bind” sobre o álbum “The River”.

Todo este material vem inserido de uma luxuosa caixa, com um livro de 148 páginas que contém mais de 200 fotos de estúdio e de concertos.

“Screamadelica” dos Primal Scream em edição de luxo

Oriundos de Glasgow e originalmente formados por Bobby Gillespie (ex-baterista dos The Jesus and Mary Chain) e Jim Beattie, os Primal Scream tiveram um papel fundamental no aproximar de estilos tão distintos como o Techno/Rave e o Rock/Pop.

Primal Scream - Screamadelica - 20th Aniversary EdO início dos anos 90 foram ricos no surgimento de novas sonoridades, que contribuíram para o romper de barreiras culturais entre as tribos urbanas permitindo esta fusão de sonoridades e o aparecimento de muitos e novos valores no panorama musical Europeu.  

Para celebrar os 20 anos sobre o lançamento de “Screamadelica”, a Sony Music reedita este álbum marcante numa edição de luxo com 4CD e um booklet de 20 páginas, contendo material nunca antes editado.

"Pouco de Sol"... O novo single e vídeo dos Átoa

Menos de um mês após o lançamento do seu álbum de estreia "Idade dos Inquietos", os Átoa, um dos maiores fenómenos recentes da música portuguesa, lançaram ontem "Pouco de Sol", o seu novo single e video. "Pouco de Sol" é uma balada épica produzida por Dan McCalister (produtor da equipa de RedOne responsável pelas gravações de Kika) e co-produzida por João Bessa (Pedro Abrunhosa, Miguel Araújo).

O video foi realizado por Ricardo Reis, que já tinha trabalho com os ÁTOA nos videoclipes de "Falar a Dois" e "Distância".

GLAM - Atoa.jpg(c) 2015 Paulo Homem de Melo

 

"Pouco de Sol", que faz já parte da banda sonora da telenovela "Poderosas" da SIC, sucede a um dos maiores hits do ano da música portuguesa, "Distância", que conta com mais de 1 milhão e 150 mil visualizações no YouTube e foi durante semanas a música portuguesa mais procurada no Shazam. "Falar a Dois", o single que serviu de apresentação à banda de Évora, conta já com mais de 500.000 visualizações no YouTube e faz parte da banda sonora da telenovela da SIC "Coração D'Ouro".

Formados por Guilherme Alface (voz, guitarra, piano), João Direitinho (guitarra, voz, piano), Rodrigo Liaça (bateria, percussão, voz, piano) e Mário Monginho (baixo, guitarra), os Átoa deram mais de 30 concertos em 2015, entre os espetáculos mais emblemáticos que os Átoa já deram em tão pouco tempo contam-se concertos no Festival MEO Sudoeste, na MEO Arena (onde fizeram a primeira parte de Jessie J), na discoteca Bliss, e várias Semanas Académicas e Recções ao Caloiro um pouco por todo o país.

Na passagem de ano vão marcar presença em Famalicão, na festa WIN 2016, mas antes vão continuar a apresentação de "Idade dos Inquietos" nas Fnac's.

 

19 Dezembro – 17.00h / Fnac Almada

19 Dezembro – 21.30h / Fnac Oeiras

NOS Alive ’16!... The 1975

A banda britânica The 1975 é a nova confirmação do NOS Alive’16.

O quarteto de Manchester vai subir ao Palco NOS dia 7 de julho para apresentar o novo disco de originais, “I Like It When You Sleep For You Are So Beautiful Yet So Unaware Of It”, que já tem data de lançamento agendada para fevereiro do próximo ano. É o regresso da banda ao festival depois da passagem pelo palco Heineken em 2014.

GLAM - The 1975.jpg(c) 2014 Paulo Homem de Melo

 

O aclamado álbum de estreia homónimo, editado em 2013, estreou em primeiro lugar no Reino Unido e viu o single “Chocolate” dominar as tabelas europeias. Este primeiro trabalho de estúdio garantiu à banda o reconhecimento do jornal The Guardian que os considerou como uma das promessas da nova geração. O grupo nasceu em 2002 e é formado por Matthew Healey (vocalista e guitarrista), Adam Hann (guitarrista), Ross MacDonald (baixista) e George Daniel (baterista).

 

Nomes já anunciados: Father John Misty, Foals, José González, M83, Pixies, The 1975, Wolf Alice e Years & Years.