Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

CCBeat em Dezembro com Paus + Pop Dell’Arte (Panoptical Days)

Desde o último espetáculo dos Paus no CCB que muita coisa mudou na sua carreira. A banda editou mais um LP, “Clarão”, e juntou-se à El Segell del Primavera, estrutura de edição, booking e management, criada pelo festival Primavera Sound, naquele que seria o momento chave do início da sua internacionalização.

Em outubro de 2012 celebrava-se um ano da edição de “Paus”, o primeiro LP. Volvidos três anos, a banda volta ao Grande Auditório para marcar o fim de ciclo do seu disco mais recente e para apresentar algumas músicas do novo álbum, com previsão de edição para meados de 2016.

pop11.jpgOs Pop Dell’ Arte são um projeto musical criado por João Peste, em 1985, e que nesse mesmo ano concorreu à 2.ª edição do Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vous, tendo ganho não só o prémio de originalidade, mas a atenção da crítica e de uma legião de seguidores. “É preciso amar as contradições”, assim diziam na canção “Illogik Plastik”. E era este o espírito deste projeto transgressivo, que misturava as influências musicais mais díspares e contraditórias com poemas fonéticos de inspiração dada e futurista, evocações de Warhol, Duchamp e Picabia, referências cinematográficas a Fassbinder, Antonioni e Fellini. Em cerca de 30 anos de carreira, os Pop Dell’ Arte deram vários concertos históricos por Portugal e no estrangeiro.

Em 2015 estão de volta com temas novos e um espetáculo diferente, mas o mesmo idealismo de sempre e as tão amadas contradições destes tempos e doutros

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

5 de Dezembro 2015 | 21.00h

Vai ser assim o Vodafone Mexefest 2015… (III)

A 4 dias da edição de 2015 do Vodafone Mexefest estes são alguns dos nomes que vão marcar a Avenida já dos próximos dias 27 e 28 de Novembro…

 

Da Chick     

Com paixão e frontalidade Da Chick quer, pode e manda.

da chick.jpg

Ela traz o Funk da velha escola, o groove eterno da Soul e salta ao balanço rítmico do Disco com um cocktail na mão, debitando letras açucaradas sobre deliciosas batidas desde 2009. Colaborou com Cavaliers of Fun e Memória de Peixe, partilhou o palco com Peaches, Hercules and Love Affair e Who Made Who, editou o EP “Curly Mess”, com o single e vídeo para “Cocktail”, em junho de 2012 e nesse mesmo ano juntou-se aos seus produtores, irmãos escolhidos, Moullinex e Xinobi na The Discotexas Band. Há um par de anos, saiu “Lotta Love” mais um single de Da Chick e um dos cinco temas inéditos que compuseram a compilação “Discotexas Picnic II”. Em 2015, todo este histórico materializou-se magicamente no disco LP de estreia “Chick To Chick”.

 

Tanque

28 de Novembro 2015 | 22.20h

 

Demob Happy       

Demob Happy.jpgOs Demob Happy chegam-nos de Brighton, Inglaterra, e são formados por Matthew Marcantonio (baixo e voz), Thomas Armstrong (bateria) e pelos guitarristas Matthew Renforth e Adam Godfrey. Formados em 2008, só em outubro se estrearam com “Dream Soda”, um incrível disco de rock ‘n’ rol, feito de muitos anos de estrada e concertos e de óbvias influências como os The Queens Of The Sone Age ou Nirvana. A fusão entre o som depurado e direto são a marca do quarteto.

Preparados para uma actuação explosiva?

 

Atneu Comercial de Lisboa

27 de Novembro 2015 | 22.10h

 

Do Amor      

0.jpgDo Rio de Janeiro chegam os Do Amor. Constituídos por Gabriel Mayall (guitarra e voz) - Los Hermanos , Banda do Mar, entre outros -, Gustavo Benjão (guitarra e voz) - Totonho e Os Cabras, Nina Becker, Lucas Santana -, Ricardo Dias Gomes (baixo e voz) e Marcelo Callado (bateria e voz) - os dois, Ricardo e Marcelo, para além de terem participado noutros projetos, são membros da banda que acompanha Caetano Veloso. Os quatro músicos do quarteto têm um percurso rico de colaborações e de muitas experiências e o som da banda forma-se dessa profusão de palcos, estúdios e de muita partilha. Com um registo que harmoniza a melodia baiana com o rock-pop tropical e géneros como a cumbia, baião, lambada, ou carimbó, os discos dos Do Amor são contagiantes, frescos e irresistíveis.

 

Cinema S.Jorge – Sala Montepio

27 de Novembro 2015 | 22.10h

 

 

Ducktails     

Ducktails é o projeto do guitarrista dos Real Estate, Matt Mondanile.

ducktails.jpgO músico, que com o seu invento tanto atua a solo como com banda (Luka Usmiani, Alex Craig, Samuel Franklin, entre outros), reinventa e experimenta a pop de uma forma criativa e singular. Tem cinco discos editados: “Ducktails“ (2009), “Landscapes” (2009), “Ducktails III: Arcade Dynamics” (2011), estes três gravados na cave de casa dos pais de Matt Mondaline, e “The Flower Lane” (2013) e “St. Catherine” (2015), ambos pela Domino. O estilo dos Ducktails não é definível e é isso que lhes garante invulgaridade e qualidade. Com a pop como traço eternamente vincado, juntam o psicadelismo e atmosferas barrocas para canções contagiantes.

 

Teatro Tivoli BBVA

27 de Novembro 2015 | 23.00h

 

El Salvador

Os Capitão Fausto são uma das bandas do momento. Versáteis, os seus elementos multiplicam-se para outras aventuras. As mais conhecidas: Modernos e BISPO.

El Salvador.jpgSalvador Seabra, baterista dos Capitão Fausto e dos Modernos, troca as baquetas pela guitarra e a voz para o seu projeto El Salvador. Com o músico Manuel Palha também nas seis cordas e Domingos Coimbra, seu colega em Capitão Fausto e BISPO, no baixo, a bateria é entregue a Diogo Rodrigues, elemento ligado aos Capitão Fausto que se encarrega das questões sonoras da banda surgida em 2011. Os El Salvador exploram o punk e o psicadelismo, e já têm uma edição que vale a pena ouvir.

 

Cinema S.Jorge – Sala Montepio

27 de Novembro 2015 | 20.00h

 

Flamingos

A geografia é elemento que pouco conta quando a cumplicidade emerge.

flamingos.jpgNo caso, Aveiro e Odivelas são apenas as cidades dos que se juntam para o cometimento Flamingos. Não há quilómetros que separem os escritores de canções João Sarnadas (Coelho Radioactivo) e Luís Gravito (O Cão da Morte). A amizade e o talento uni-os para o projeto que, com o single “Souvenir”, apresenta pop delico-doce, de cariz planante e que agarra o ouvinte à primeira. Com projetos próprios e reconhecidos, João e Luís, os Flamingos, fazem-se par que promete!

 

Sala Super Bock / Garagem EPAL

28 de Novembro 2015 | 21.00h

 

Georgia        

Georgia-009.jpg

Georgia Barnes é uma extraordinária música britânica que se estreou em Agosto com um título homónimo que faz jus a todo seu talento e criatividade. Multi-instrumentista, vocalista, produtora e compositora, junta inúmeros géneros num disco que funde o punk com o grime, o dub ao ragga, sempre com uma sofisticação pop rara para alguém que só agora se aventura nas andanças musicais.

 

Teatro Tivoli BBVA

28 de Novembro 2015 | 21.45h

 

Glockenwise          

De Barcelos, os quatro rapazes Nuno Rodrigues, Cristiano Veloso, Rafael Ferreira e Rui Fiusa.

the glockenwise.jpg

Depois da estreia “Building Waves” e do disco “lleches” de 2013, dois registos reveladores da paixão garage rock do quarteto, voltam com “Heat”. Editado pela Lovers & Lollypops e gravado em três sessões nos estúdios Sá da Bandeira, no Porto, a banda confirma com “Heat” que é um dos valores mais seguros e competentes do rock português atual.

 

Atneu Comercial de Lisboa

28 de Novembro 2015 | 22.30h

 

Júlio Resende - "Fado & Further" no CCB

Três países no mesmo palco: Júlio Resende, Sílvia Pérez Cruz e Moreno Veloso são três músicos apaixonados pela arte de fazer música, pela canção, pela invocação. Júlio Resende recebeu herança de Amália e dos seus dedos saiu uma nova abordagem ao Fado. Sílvia Pérez Cruz é neste momento referenciada como uma das mais extraordinárias cantoras que Espanha já conheceu, visceral, autêntica, como Amália em Portugal. Moreno Veloso é o herdeiro dos deuses do Samba entre eles, seu pai, Caetano Veloso. Moreno tem um talento notável para a composição de canções e para as fazer vibrar na voz de um modo tão carinhoso e profundo como os seus antepassados. Vinícius de Moraes dizia que Para fazer um samba com beleza/É preciso um bocado de tristeza. Quanta tristeza faz Samba? E a alegria, também faz Fado? 3 formas distintas de cantar e que a partir de Júlio Resende agora se juntam no mesmo palco, nessa pequena porção de espaço em que cada artista cria um mundo.

Julio Resende © Pedro Claudio.jpgJúlio Resende é um dos mais prestigiados pianistas portugueses. Criativo e virtuoso improvisador, o pianista que se afirmou no jazz, ao lado de Bernardo Sassetti ou Mário Laginha, desafiou as possibilidades da liberdade jazzística e quis cantar a canção portuguesa através do seu piano. Depois de três discos em formato de trio e quarteto de jazz, Júlio Resende deixa-se inspirar pela herança que recebeu Carlos Paredes e Amália Rodrigues, e dos seus dedos saiu uma nova abordagem ao Fado. “Sem rede”, sem partituras, improvisando sobre a melodia do fado e tornando cada apresentação num presente único que oferece ao público em cada espetáculo. O dueto que criou com a voz de Amália Rodrigues no tema “Medo”, que encerra o seu disco anterior, confere a Júlio Resende o lugar de um dos grandes embaixadores do Fado e de Amália em Portugal e no mundo, sendo o único músico autorizado a usar a voz da rainha do Fado em disco e em concerto. Galardoado com 5 estrelas "Choc-Disc" pela prestigiada revista CLASSICA FRANCE no seu último disco Amália por Júlio Resende, o pianista acaba de lançar o seu quinto álbum “Fado & Further”. Fado em Frente. Assim se poderia traduzir o mote para este concerto que parte do novo disco, em que Júlio Resende continua a revisitar o repertório do cancioneiro fadista português.

Silvia Perez Cruz © Igor Cortadellas.JPGSílvia Pérez Cruz, cantora catalã nascida em Palafrugell, estudou música, piano e saxofone na Escola Rita Ferrer de Palafrugell, onde conhece o maestro Manuel Mañogil que a inspira a dedicar-se mais aprofundadamente à música. Aos 12 anos integra a escola de arte Alart, fundada por sua mãe Glòria Cruz e canta pontualmente na taberna La Bella Lola, acompanhada de seu pai, o guitarrista e compositor galego Càstor Pérez.

Aos 18 anos muda-se para Barcelona onde estuda cajón, harmonia e combo jazz na prestigiada escola Taller de Músics. A paixão pelo jazz leva-a a integrar a Escola Superior de Jazz da Catalunha, onde conclui a licenciatura em canto jazz. Entre 2001 e 2011 canta em mais de dez grupos de diferentes estilos: flamenco, jazz, pop, música tradicional catalã, folclore ibérico e folclore sul-americano. Emprestou a sua voz a grupos como Las Migas, Immigrasons, Llama, En la Imaginación ou Coetus. Em 2011 finaliza esta intensa etapa de aprendizagem como intérprete e centra a sua energia num projeto muito pessoal: o seu primeiro disco em nome próprio, de homenagem ao seu pai, chamado “11 de novembre” foi lançado em abril de 2012. Neste disco Sílvia canta, coproduz, escreve e compõe. Este disco, também editado em França e Portugal, recebe vários prémios como o Prémio Internacional Terenci Moix 2012 e é Disco de Ouro com mais de 20 mil cópias vendidas. O seu segundo disco “Granada” é lançado em abril de 2014, tratando-se de um disco de versões pensado e criado conjuntamente com Raül Fernandez Miró, chamado "granada". O fascínio por explorar novas sonoridades e estéticas musicais traz Sílvia Pérez Cruz até ao Fado português e convidada por Júlio Resende, aceita participar no seu mais recente disco: “Fado & Further”.

Moreno Veloso  ©  Caroline Bittencourt.jpgMoreno Veloso é cantor e compositor brasileiro, filho de Caetano Veloso, um dos grandes expoentes da música popular brasileira. Apesar de ter formação na área da Física, foi na música que Moreno se descobriu, muito inspirado pelo contexto social e familiar em que cresceu. Especialmente dotado para a composição de canções, no Brasil trabalha com grandes nomes da MPB para quem já compôs, tais como Adriana Calcanhotto, Roberta Sá ou o seu pai Caetano Veloso.

Em 2000 gravou o seu primeiro disco em nome próprio “Máquina de Escrever Música” lançado no Brasil. Uma digressão pelo Japão em 2011 resulta num disco editado em exclusivo naquele país pela editora Hapiness Records – “Moreno Veloso Solo in Tokyo”. A doce simplicidade de Moreno Veloso está de novo patente no seu mais recente projeto discográfico, que o músico já apresentou em Portugal durante este ano de 2015. “Coisa Boa” é um disco que desperta os sentidos e que explora o universo infantil que há dentro de cada um. Moreno Veloso pisa pela primeira vez os palcos do Centro Cultural de Belém a convite do pianista Júlio Resende, cruzando os sons do Atlântico e da Bahia com o Fado português.

 

Três formas distintas de cantar e que, a partir de Júlio Resende, agora se juntam no mesmo palco, nessa pequena porção de espaço em que cada artista cria um mundo.

 

Centro Cultural de Belém – Grande Auditório (Lisboa)

28 de Novembro 2015 | 21.00h

 

Fotografias: Pedro Cláudio (Júlio Resende) / Caroline Bittencourt (Moreno Veloso) / Igor Cortadellas (Sílvia Pérez Cruz)

Disney in Concert - Magical Music from the Movies

Em Dezembro, Ana Margarida, Bruno Ribeiro, Diogo Pinto e Soraia Tavares acompanhados pelos 55 músicos da Lisbon Film Orchestra, sob direcção do maestro Nuno de Sá dão voz aos clássicos temas da Disney. O reportório escolhido, a sonoridade da Orquestra, as vozes dos cantores e as imagens dos filmes projectadas em tela constroem um cenário mágico para viver em família!

Cred Bianca Toledo_0036.jpgO Coliseu Porto e o Campo Pequeno, em Lisboa, vão transformar-se em anfiteatros mágicos, onde os clássicos temas dos filmes Disney resgatam do nosso imaginário sonhos, emoções e fantasias, num espectáculo musical único dirigido pelo maestro Nuno de Sá.Os temas de heróis como O Rei Leão, A Pequena Sereia, Piratas das Caraíbas, Mary Poppins, A Bela e o Monstro, Aladdin e Frozen, O Reino do Gelo, entre outros, são as grandes estrelas deste espectáculo. Sincronizados com as imagens dos famosos filmes da Disney projectadas em tela, proporcionarão uma experiência musical de orquestra verdadeiramente mágica e um Natal ainda mais especial a todas as famílias.

 

Conheça os protagonistas desta aventura....

Maestro Nuno de Sá: Licenciado em Direcção de Orquestra, pela Academia Nacional Superior de Orquestra, na classe de Jean Marc Burfin, e em Guitarra pela Escola Superior de Música de Lisboa, fez concertos como solista em Edimburgo (Escócia) e em Graz (Áustria), com a Orquestra da Universidade de Música de Graz. Trabalhou como guitarrista com Alberto Ponce, Dejan Ivanovic, Joaquim Clerch, Stëpan Rak e em música de Câmara com Olga Pratz e Fernando Fontes. Como ex-membro fundador do Quarteto Guitarras de Lisboa efectuou concertos por todo o país. Como guitarrista, trabalha regularmente com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e com a Orquestra Gulbenkian. Já dirigiu a Orquestra do Algarve, uma produção da ópera "Let's Make an Opera", de Benjamin Britten, para o Teatro de Almada e a Orquestra do Teatro da Malaposta, entre outros agrupamentos. É co-fundador, director artístico e maestro da Lisbon Film Orchestra, a única orquestra portuguesa a dedicar-se a bandas sonoras de filmes, que tem esgotado as várias salas, como Cinema S. Jorge, Aula Magna, Teatro da Trindade, Teatro Tivoli BBVA e, no último ano, no Campo Pequeno, onde se têm apresentado. Actualmente é professor de Guitarra e de Orquestra no Conservatório de Música D. Dinis, ao mesmo tempo que dirige a LFO e a Orquestra da Cidade, projecto da produtora UAU para o Teatro Tivoli BBVA.

01 Cred Bianca Toledo.jpgAna Margarida: Natural de Faro, nasceu em 1989. Formou-se no Conservatório Reg. do Algarve no Curso Complementar de Piano, tendo também frequentado o Curso Geral de Canto. Desenvolve uma carreira performativa como cantora, pianista, compositora e, muitas vezes, conjuga as três valências. É compositora e autora dos poemas das canções que escreve. Com seis anos criou a sua primeira canção e aos nove, quando entrou para o Conservatório, deu sinais mais significativos de uma profundidade musical e poética. Aos 17 anos, fez a sua estreia pública e, desde aí, algumas das suas peças foram apresentadas por diversos interpretes. Dos seus projectos mais recentes, destacam-se a participação no Concerto de Natal da Lisbon Film Orchestra, no Campo Pequeno, em Lisboa, a composição dos arranjos e orquestração da obra Cantata Mundi, composta a partir de músicas de Rodrigo Leão, a propósito da Inauguração do Museu Diocesano de Santarém; gravação das canções da personagem Elsa, na versão portuguesa do filme “Frozen”, da Disney; integração do elenco de cantores da peça “A Tempestade” do Teatro Praga, apresentado no CCB, em Lisboa, e no Teatro M16, em Paris; e colaboração na banda sonora da curta-metragem “Conto do Vento”, de Cláudio Jordão e Nelson Martins, premiada a melhor em competição no Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, em 2011. Desde 2010, é professora em cursos de ensino artístico em Lisboa.

 

Diogo Pinto: Natural de Lisboa, nasceu em 1992. Formou-se como músico na área de canto. Terminou a licenciatura em Terapia da Fala na Escola Superior de Saúde Egas Moniz e especializou-se na área de Voz, ao mesmo tempo que tirou o curso de 3 anos de Teatro Musical, certificado pela Trinity College London, obtendo o nível distinção. Teve aulas de canto com Rui Baeta, Raquel Alão, José Bruto da Costa, Maria João Serrão, Paulo Ramos, Carolina Segundo e Lia Alta Vila. Fez formação e especializou-se no método “Speech Level Singing”, método de canto utilizado por muitas das grandes estrelas mundiais da música, do professor Seth Riggs. Teve ainda formação na área das dobragens com Joaquim Alberto e José Jorge Duarte. No seu percurso profissional já fez musicais como “West Side Story”, “Legally Blonde”. Foi protagonista do espectáculo musical “Protagonistas por um Sonho”, no Pavilhão Atlântico, no qual fez o papel de Judas de “Jesus Christ Superstar” e Galileo de “We Will Rock You”. Trabalha como cantor para a Disney Portugal, tendo participado em filmes como “Frozen”, no papel de Hans, “O Patinho Lucky” e séries como o “Phineas e Ferb”, “Jake e os Piratas da Terra do Nunca”, “Henry e o Monstro Feliz”, “7 A”, “Princess Palace Pet Shops”, entre outros. Já gravou inúmeros jingles para publicidade. Em 2015 participou no Congresso Europeu de Terapeutas da Fala, em Florença, onde apresentou uma técnica inovadora de intervenção e aperfeiçoamento vocal nos cantores. É professor de canto, terapeuta da fala e Vocal Coach de vários cantores, empresários e jornalistas nacionais. Actualmente está a gravar o seu próprio projecto artístico denominado “Diogo Pinto e Ligação Trifásica”, ao mesmo tempo que prepara a peça musical “Primeiro Encontro”.

Cred Bianca Toledo 0012.jpgSoraia Tavares: Natural de Oeiras, nasceu em 1994. Estudou na Escola Profissional de Teatro de Cascais, onde foi distinguida com o Prémio Zita Duarte e com o Prémio de Mérito, pela EPTC. Apresentou a peça “Woyzck”, no Teatro Nacional D. Maria II, e durante 3 anos integrou o elenco do musical “Wojtyla”, com encenação e direcção de Matilde Trocado, Rui Melo, Artur Guimarães e Hugo Reis, acompanhando as digressões nacionais e internacionais. Trabalhou com a Elenco Produções como actriz e cantora no musical “Zorro”, onde foi novamente dirigida por Rui Melo, Artur Guimarães e Joana Quelhas. No ano de 2012, ingressou na Escola Profissional de Teatro e Cinema e, no mesmo ano, para além de ter trabalhado com o Mecanismo Criativo, fez um telefilme para a RTP e apresentou, no Teatro Rápido, “O Arquivo”, de Hugo Barreiros. Já em 2014 foi encenada por Renato Godinho na peça “Quatro Metades” e participou numa produção do Teatro do Eléctrico; com a [In]quietArte participou em “O Cornudo Imaginário”.; trabalhou com a Yellow Star no musical “A Bela e o Monstro”, no teatro da Trindade. No ano de 2015 terminou o curso de um ano de Teatro Musical da Academia INATEL e começou a fazer dobragens de filmes para a Angola e a participar em algumas séries de animação para Portugal, nomeadamente a série “Alvin e os Esquilos”. Voltou a trabalhar com Matilde Trocado e Artur Guimarães nos musicais “Godspell” e “Comédia Romântica”. Actualmente, integra o elenco do musical infantil "Uma História do Outro Mundo”, da Plano 6. 

Cred Maria Miguel_6465.JPGBruno Ribeiro: Natural de Santarém, nasceu em 1991. Começou, em 2012, a frequentar a Escola de Musicais e Artes de Palco - Primeiro Acto. No mesmo ano participa no musical “Miss Saigon - Highlights” e em 2013 entra em “A Ópera do Malandro”, no Teatro Ibérico , para a Encontro de Sons. Também em 2013 faz parte do elenco de “Zorro - O Musical”, no Teatro da Trindade. Em 2014 é solista no espectáculo “The Magic Concert”. No mesmo ano é finalista no programa “Rising Star”, na TVI, e faz de Judas em “Jesus Cristo Superstar”, para a ContraCanto - Associação Cultural. Por fim, em 2015 é convidado para back vocal do álbum “Quarenta”, de Carlão.

 

Coliseu (Porto)

9 e 10 de Dezembro 2015 | 21.30h

Campo Pequeno (Lisboa)

26 de Dezembro 2015 | 16.30h e 21.30h

 

Fotografias: Bianca Toledo

Galgo e Flying Cages são os vencedores do Vodafone Band Scouting

Já são conhecidas as duas bandas que vão integrar a programação do Vodafone Mexefest, abrindo o palco da Estação Vodafone FM nos dias 27 e 28 de novembro, respetivamente.  Galgo e Flying Cages foram selecionadas após terem atuado perante centenas de pessoas, na passada sexta-feira, na estação de metro do Cais do Sodré. O júri, composto por elementos da Música no Coração, da Vodafone FM e pela editora Pontiaq, destacou a qualidade musical do trabalho das duas bandas, mas também a originalidade e a presença em palco. No dia 2 de dezembro será revelada a banda vencedora do Vodafone Band Scouting, que terá como prémio a edição de um álbum pela editora Pontiaq.

galgo.jpgGalgo

Têm apenas um Ep editado mas o brado que os concertos que vão dado, e os temas que recheiam a primeira edição, faz dos Galgo uma banda que promete ser um caso sério no mercado musical português. São quatro, de Oeiras. Os seus nomes? Alexandre Sousa, João Figueiras, Miguel Figueiredo e Joana Batista. Ao vivo são incendiários, virtuosos, tocando numa geometria melódica irrepreensível sons que nos remetem para o psicadelismo, math rock e outros difíceis de catalogar. Os Galgo são já uma certeza.

Flying Cages.jpgFlying Cages

Os conimbricenses Zé Maria Costa, Rui Pedro Martins, Francisco Frutuoso e Bernardo Franco, juntos, dão pelo nome de Flying Cages. Depois do clamor alcançado com o tema "Nothing But a Hill" na plataforma Tradiio que os levou a alguns grandes palcos lusos, preparam-se para editar o primeiro LP, “Lalochezia”. Fazedores de um pop-rock com um sabor independente e muito cativante, prometem apresentar muitas das canções novas que constituirão o seu disco de estreia.

 

 

 

 

“Don't touch my soul"… o novo Single / Vídeo de Da Chick

“Don’t Touch My Soul” é o novo single / vídeo de Da Chick, depois de “Do Tha Clap”, tema com que deu a conhecer o álbum de estreia, “Chick to Chick”, editado este Verão pela Discotexas / Universal, e através do qual foi eleita a Melhor Atuação ao Vivo – Artista Revelação by Antena 3 na edição 2015 dos Portugal Festival Awards!da chick.jpgO vídeo, uma produção da Box Produções, mantém-se fiel ao universo da soul, seja ele contemplado pelo funk, disco ou hip-hop, tão característico de Da Chick. “Ao ouvir a música, visualizei de imediato cenas em que paralelismos narrativos psicadélicos se cruzassem em certo ponto com a origem soul e funk da música.”, diz o realizador Bruno Ferreira.

“Chick to Chick” continua na estrada e a próxima paragem é no Festival Vodafone Mexefest, no próximo sábado, dia 28 de Novembro. Da Chick vai subir ao palco improvisado no Tanque, a nova plataforma para eventos de Lisboa, palco esse que vai ser partilhado, mais uma vez, com Peaches!

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Vai ser assim o Vodafone Mexefest 2015… (II)

A 4 dias da edição de 2015 do Vodafone Mexefest estes são alguns dos nomes que vão marcar a Avenida já dos próximos dias 27 e 28 de Novembro…

 

Bombino     

DSC_0564 (Cópia).jpg

De Agadez, Niger, Omara “Bombino” Moctar.

Nasceu e cresceu numa comunidade nómada de Tuaregues, e o espírito guerreiro e revolucionário da sua gente desenhou-lhe a personalidade e a forma como se expressa como músico. Com uma vida geograficamente serpenteante, edita “Agadez”, em 2011. Com sucesso, durante o par de anos seguintes viajou pelo mundo inteiro apresentando com clamor a sua música, temas irresistíveis, cheios das suas origens e com o rock ‘n’ roll a sair disparado da sua guitarra. Virtuoso, de jeito único na execução do instrumento, a sua dimensão alcança reconhecimento mundial com o disco de 2013, “Nomad” gravado e produzido por Dan Auerbach dos The Black Keys no seu estúdio de Nashville. O registo chegou a #1 da Billboard (World Music) e foi alvo de excelentes críticas. Na música de Bombino, os sabores da sua cultura nunca são renegados, e chegam fundidos com riffs explosivos a fazer lembrar o som de nomes como Jimi Hendrix ou Neil Young.

 

Estação VODAFONE FM

28 de Novembro 2015 | 22.45h

 

Bully 

Os Bully, quarteto de Nashville, Tenesse, são constituídos por Alicia Bognanno, Stewart Copeland, Clayton Parker e Reece Lazarus.

bully.jpgInfluenciados por nomes como Liz Phair, Superchunk, Pavement e outros, transportam para o século XXI o som rock dos anos 90 com um carisma especial garantido pela produtora, compositora, guitarrista e vocalista, Alicia Bognanno. As canções são o seu corpo e vísceras e nos riffs das guitarras rock corre o ritmo da sua vida e nas letras a intimidade sem pudores. Estrearam-se em Junho com o elogiado “Feels Like”. Uma banda nova que promete deixar rasto na história

 

Sala Super Bock / Garagem EPAL

27 de Novembro 2015 | 23.30h

 

Cachupa Psicadélica    

cachupa.jpeg

Nasceu em São Vincente, Cabo-verde, mas as Caldas da Rainha foram o seu destino português. O primeiro disco de Cachupa Psicadélica chama-se "Último Caboverdiano Triste" e inclui, entre outros temas, “Amor d’1 Laranjeira”, tema que fez parte dos Novos Talentos FNAC 2014, e ainda a canção de avanço, "3/4 de Bô", com vídeo realizado por Basil da Cunha. A música de Cachupa Psicadélica resulta dos tempos em que deambulou no Mindelo por bandas rock fundida com os sons africanos e temperos experimentais e psicadélicos. De uma criatividade surpreendente, o disco "Último Caboverdiano Triste" vai ter honras de destaque no Vodafone Mexefest.

 

Sala Delta / Palácio Foz

28 de Novembro 2015 | 23.45h

 

Castello Branco  

castellobranco-1748x984.jpg

Nos últimos anos, Castello Branco emergiu na música brasileira como um dos maiores talentos da sua geração. Mesmo que o jornal O Globo não o tivesse dito nas suas páginas, o disco de estreia do músico brasileiro seria mais do que suficiente para confirmar isso mesmo. Com “Serviço”, editado em 2014, Castello Branco assinou um conjunto de canções em que parte dos ensinamentos da música tradicional brasileira para obter algo apenas seu, com um olhar necessariamente espiritual e curioso. “Serviço“ é um disco que procura uma verdade; uma verdade que não tem de ser necessariamente a de todos mas onde todos devem conseguir rever – nem que seja um pouco – a sua própria realidade. Em vésperas de lançar o seu segundo disco de originais, Castello Branco regressa a Portugal para, desta vez com banda, apresentar o seu disco de estreia, assim como algumas das suas novas canções.

 

Sociedade de Geografia de Lisboa

28 de Novembro 2015 | 21.00h

 

Cave Story

Das Caldas da Rainha: Cave Story.

cave sory.jpegA banda, formada por Gonçalo Formiga (Guitarra e Voz), Pedro Zina (Baixo) e Ricardo Mendes (Bateria), apresentou-se, em 2014 com o EP “Richman”, em homenagem a Jonathan Richman, referência icónica do rock ‘n’ rol e da new wave. Fazedores de sonoridades rasgadas por riffs hipnóticos de guitarra, ritmos infalíveis no baixo e uma bateria a galope, o punk e a música indie são os traços catalogáveis do coletivo português. Este ano lançaram mais um EP: “Spider Tracks”. Com ele, confirmam-se como um dos mais aconselháveis projectos musicais da atualidade musical alternativa lusa.

 

Sala Super Bock / Garagem EPAL

27 de Novembro 2015 | 20.40h

 

Chairlift        

Chairlift_100_club.jpg

A celebrarem uma década de carreira, a banda de Brooklyn, Nova Iorque, começou como duo, constituída por Aaron Pfenning (composições / voz / eletrónica / guitarra) e Caroline Polachek (composição / voz / tamborim / sintetizador). No entanto, dois anos depois do disco de estreia, “Does You Inspire You”, Pfenning seguiu caminho com os seus Rewards, juntando-se aos Chairlift Patrick Wimberly (bateria / baixo / teclados / produção). Com dois álbuns editados até ao momento, o último de 2012, “Something”, os Chairlift apresentam-se como uma das bandas mais reconhecidas do movimento independente que busca na eletrónica e no synth-pop as suas mais vincadas referências. Nomeados pela MTV para melhor vídeo e com o tema “Bruises” a servir de banda sonora a um anúncio da Apple, os Chairlift têm já uma dimensão planetária que lhes reconhece mérito e talento.

 

Coliseu dos Recreios

27 de Novembro 2015 | 22.00h

“Confidências” o primeiro best off de Viviane é editado dia 27

O primeiro “best of” da carreira a solo de Viviane, “Confidências”, é editado dia 27 de Novembro. O álbum inclui 12 temas escolhidos dos seus quatro álbuns de originais e ainda inclui 2 inéditos absolutos: o original “Fado do Beijo” (primeiro single) e uma versão do clássico “Cantoras do Rádio”, de Carmen Miranda.

viviane1.jpgParece que foi ontem, mas a verdade é que Viviane, cantora, compositora e letrista que se deu a conhecer com o grupo Entre Aspas, comemora neste ano de 2015 o seu 25º ano de carreira profissional na música. Primeiro com esta banda que já partilhava então com o seu cúmplice e companheiro de sempre, Tó Viegas, depois a solo ou em projectos paralelos que protagonizou com outros músicos de topo nacionais (Linha da Frente, Rua da Saudade, Camaleão Azul). Mas é do seu percurso a solo, firme e coerentemente traçado ao longo da última década, que importa falar aqui: um percurso em que Viviane espelhou a sua ideia muito pessoal de uma música nova, sem fronteiras. Uma música em que a tradição e a modernidade, o apelo das raízes e a invenção livre, onde fados, chanson française, jazz manouche, bossa-nova ou música latino-americana são revistos à luz de uma sensibilidade pop apurada, elegante e sofisticada.

Em “Confidências”, Viviane escolhe doze dos temas mais emblemáticos dos seus álbuns “Amores Imperfeitos” (2005), “Viviane” (2007), “As Pequenas Gavetas do Amor” (2011) e “Dia Novo” (2014) e junta-lhes dois docinhos: o divertido retro-fado “Fado do Beijo”, com letra de Hugo Costa e música de Viviane e de Tó Viegas e “As Cantoras do Rádio”, canção que Carmen Miranda e a sua irmã Aurora Miranda popularizaram no filme “Alô, Alô Carnaval”, em 1936.

.

The Cure anunciam digressão europeia 2016 com passagem por Portugal

A banda britânica The Cure vai realizar 30 espetáculos no próximo ano, em 17 países europeus, com passagem garantida por Portugal no dia 22 de novembro em Lisboa. Esta será a maior digressão europeia desde 2008.

cure.jpgDurante os últimos sete anos a banda realizou grandes espetáculos em Londres, tendo também sido headliner de alguns dos maiores festivais europeus entre os quais Roskilde, Werchter, Reading & Leeds, Optimus Alive!, Pinkpop, Hurricane & Southside, Paleo, Vieilles Charrues, BBK, Belfort, Frequency, Electric Picnic e Bestival.

"THE CURE TOUR 2016" irá explorar 37 anos de canções, desde os grandes hits aos temas menos conhecidos, bem como algumas músicas ainda não apresentadas aos fãs. A banda garante uma nova produção de palco que promete fazer deste um dos concertos obrigatórios do ano.  Em palco estarão Robert Smith (voz/guitarra), Simon Gallup (baixo), Jason Cooper (bateria), Roger O'Donnell (teclados) e Reeves Gabrels (guitarra).

The Twilight Sad será a banda de suporte em todos os concertos da digressão

 

MEO Arena (Lisboa)

22 de Novembro 2015 | 20.00h

Vai ser assim o Vodafone Mexefest 2015…

A 4 dias da edição de 2015 do Vodafone Mexefest estes são alguns dos nomes que vão marcar a Avenida já dos próximos dias 27 e 28 de Novembro…

 

Akua Naru

akua.jpgAkua Naru nasceu Latanya Hinton. Norte-Americana, teve uma infância difícil. Abandonada pelo pai, foi sobrevivendo com o estóico esforço de sua mãe, expurgando a dor da ausência paternal na literatura. Desde cedo interessada pelo poesia, fez do hip hop, arma melódica para, com soul dentro, disparar manifestos e palavras de ordem que fazem de Akua uma mulher única no panorama musical actual. Estreou-se em 2011 com “The Journey Aflame”, veio, um ano depois "Live & Aflame Sessions" e já em 2015, o magnífico "The Miner’s Canary". Potente, impactante, o estilo e a substância musicais de Akua Nura não deixam ninguém indiferente.

 

Estação VODAFONE FM

27 Novembro 2015 | 21.00h

 

Anna B Savage

anna.jpg

A Londrina Anna B Savage é toda ela uma espécie de segredo. Pouco se sabe da inglesa e a contenção veste igualmente a sua música. No entanto, com um EP lançado, chamado curiosamente “Ep”, as canções, embora subtis, soam fortes, entre a folk e uma espécie de rock dolente, quase sempre rasgadas numa guitarra elétrica. As canções de B Savage obrigam-nos, à primeira escuta, a querer ouvir, cada uma delas, nota a nota, palavra a palavra, mais e mais vezes.

 

Igreja S.Luis dos Franceses

27 Novembro 2015 | 20.30h

 

Ariel Pink

ariel.jpg

A música do Californiano Ariel Marcus Rosenberg (Ariel Pink) é um caldeirão pop peculiar e quase impossível de qualificar. Apadrinhado pelos Animal Collective, Ariel é o um dos exemplos mais paradigmáticos do Do It Yourself, produzindo, compondo e tocando as suas obras num jeito personalizado, lo-fi e individual, muito pendurado na cultura da cassete. Os seus primeiros registos foram apresentados como Ariel Pink's Haunted Graffiti. No entanto, com o disco de 2014 “pom pom”, Ariel escancara o seu psicadelismo pop e experimental, considerando a sua obra como, realmente, a primeira a solo.

 

Coliseu dos Recreios

28 Novembro 2015 | 22.00h

 

Beautify Junkyards

Beautify Junkyards.jpgOs Beautify Junkyards são: João Branco Kyron, João Paulo Daniel, João Moreira, Rita Vian, Sergue e António Watts. A maioria, a grande maioria, destes nomes têm um histórico forte e reconhecido na música portuguesa. Como Beautify Junkyards, exploram a folk e o psicadelismo, estreando-se em 2013 com um disco de versões de Nick Drake, Vashti Bunyan, Linda Perhacs, Donovan, entre outros. A rodela foi elogiadíssima, e foco da atenção de publicações como a Shindig, Its Psychedelic Baby, Classic Rock, Strange Brew figurando ainda na lista dos melhores álbuns do ano da revista americana Goldmine e da lusa Blitz. Este ano, finalmente o tão aguardado disco de originais. Saiu em Maio e chama-se “The Beast shouted Love”. Os géneros preferidos estão lá, mas o registo voa para outros meridianos sonoros, às vezes, e ainda bem, difíceis de qualificar.

 

Igreja S.Luis dos Franceses

28 Novembro 2015 | 20.15h

 

Benjamim

ND-benjamim.jpg

Benjamim é a nova identidade musical de Luís Nunes.

A primeira, Walter Benjamin, foi abandonada para que agora, em português, as canções de Luís Nunes pudessem soar livres de um passado vivido em Londres e que muito influenciou o artista. Agora, com “Auto Rádio”, disco de estreia de Benjamim, tudo é luso e muito a história familiar e de todos os que rodeiam Nunes. Antes do lançamento, Benjamim percorreu o país de norte a sul para apresentar as novas músicas numa digressão de 33 datas seguidas ao volante. Os seus passos são agora sabidos de cor por muitos. Brilhará, com certeza, na edição de 2015 de Vodafone Mexefest.

 

Estação VODAFONE FM

28 Novembro 2015 | 21.15h

 

Benjamin Clementine

benjc.jpgO londrino Benjamin Clementine é um dos nomes mais falados do momento. O músico, autodidacta, mas imensamente talentoso, é dono de uma voz tenor incrível, interpretando profundamente canções com uma carga poética fortíssima, quase sempre acompanhadas ao piano. A história da sua vida foi marcada por alguns anos sem morada, vivendo sem abrigo em Paris, tocando onde calhava para sobreviver. Descoberto por um agente, mais tarde trabalharia com um outro, gravou em 2013 o EP “Cornerstone”, e com o tema título apresentou-se na Tv no famoso “Later With Jools Holland”, causando um impacto tremendo entre os pares (Paul McCartney, por exemplo...) e em todos os que assistiram à prestação. Os incentivos para que continuasse na prossecução do seu “sonho musical” foram imensos e correspondentes ao génio de Clementine. A sonoridade do também poeta Benjamin Clementine é de uma intensidade difícil de catalogar mas que levita entre a soul e a pop, acrescentada de arranjos eletrónicos muito subtis e contemporâneos. Em 2015 estreou-se com “At Least For Now”. Um disco surpreendente que desfilará na edição de 2015 do Vodafone Mexefest.

 

Coliseu dos Recreios

27 Novembro 2015 | 00.15h

 

Best Youth  

DSC_0569 (Cópia).jpg

Ed (Rocha Gonçalves), composições e produção, e Kate (Catarina Salinas), letras e vocalizações, surpreenderam com o sucesso de 2011 em formato EP, “Winterlies”. Os Best Youth, fazedores de um indie-pop sofisticado, elegantemente eletrónico, estrearam-se este ano com o disco “Highway Moon”. O primeiro avanço fez-se com o single “Red Diamond”, logo seguido de “Mirrorball”, tema com destaque elogioso nas britânicas CLASH e BBC London.

 

Cinema S.Jorge - Sala Manoel de Oliveira

28 Novembro 2015 | 20.45h

Vodafone Mexefest… os locais dos concertos…

A 4 dias da edição de 2015 do Vodafone Mexefest, estes são os locais onde a música se vai fazer ouvir…. E sentir…

 

Cinema São Jorge – Sala Manoel de Oliveira, Sala Montepio e Sala 3

Apesar de ser originalmente um cinema, este início de século devolveu ao São Jorge o estatuto de ser uma das mais conceituadas salas de espectáculos do coração lisboeta. Com mais de 60 anos de história, uma das suas missões tem sido a criação e formação de novos públicos, pelo que não poderia ficar de fora deste festival, que é já um emblema da cidade.

Cinema São Jorge.jpgOs concertos acontecem na Sala Manoel de Oliveira e Sala Montepio.

 

Teatro Tivoli BBVA

Inaugurado em 1924 para fazer de Lisboa uma verdadeira capital europeia no roteiro dos espectáculos, o Teatro Tivoli é uma sala histórica. Entre o cinema, o teatro, o bailado e a música, as artes que por ali passaram ao longo dos tempos multiplicam-se pela diversidade de ambiências que a sua polivalência proporciona.

TeatroTivoli.jpg

Estação Vodafone FM // Estação Ferroviária do Rossio

Inaugurada em Maio de 1891, a Estação do Rossio é uma das mais emblemáticas estações ferroviárias da capital. Apesar de servir atualmente o serviço suburbano da Linha de Sintra, foi em tempos o principal ponto de transportes de Lisboa.

Estação VFM.jpgDepois das obras de remodelação, terminadas em 2008, o seu pendor artístico volta a ser realçado e integra o painel de salas do Vodafone Mexefest.

 

Sala Super Bock // Garagem EPAL

Herdeira de um vasto e valioso património arquitectónico por todo o país, a EPAL-Empresa Pública das Águas Livres, tem a sua sede localizada na Avenida da Liberdade.

Garagem EPAL.JPGEste edifício histórico abre as portas da sua garagem, local perfeito e surpreendente para as duas noites inesquecíveis do Vodafone Mexefest, ainda mais quando a ela se junta o nome Super Bock, garantia absoluta de qualidade.

 

Ateneu Comercial de Lisboa

Fundado em 1895, a organização instalou-se definitivamente na seda actual em 1895. Localizado na Rua das Portas de Santo Antão, o Palácio da Anunciada serve ainda hoje o propósito de ser uma sala dedicada ao saber, à ciência, ao desporto e às actividades culturais.

Ateneu Comercial de Lisboa.JPGDias 27 e 28 de novembro, alarga as suas portas ao público do Vodafone Mexefest.

 

Tanque

Tanque.jpgA piscina do Ateneu Comercial de Lisboa mudou de nome e ganhou nova vida. Inutilizada há quase dez anos, esta piscina semi-olímpica, depois de obras e com um palco instalado dentro, renasce com um novo objectivo: é o novo espaço perfeito para mergulhar (na música), e acolher concertos e espetáculos.

 

Sociedade de Geografia de Lisboa

Fundada em 1875, é uma das salas históricas que transita da edição do ano passado.

Sociedade de Geografia de Lisboa.jpgCom um espólio riquíssimo virado para a ciência, a sua inclusão nos espaços do Vodafone Mexefest faz com que os novos saberes da arte musical sejam o grande ponto de discussão.

 

Coliseu dos Recreios

Dos espaços mais históricos e emblemáticos de Lisboa, o Coliseu dos Recreios nasceu a 14 de Agosto de 1890 e é hoje uma das maiores e mais versáteis salas de espectáculos da cidade. Situado em pleno coração de Lisboa, o Coliseu dos Recreios já recebeu os maiores espectáculos de que há memória.

Coliseu dos Recreios.jpgO Vodafone Mexefest tem a honra de ter as portas abertas nesta sala especial com concertos que vão também eles ficar para a história.

 

Igreja de São Luís dos Franceses

Situada nas Portas de Santo Antão, é um espaço único e surpreendente, pronto a dar uma nova vida a qualquer concerto que tenha a sorte de lá calhar, reforçando a busca por novas ambiências que, num contexto urbano, valorizem simultaneamente a dinâmica do Festival.

Igreja de S. Luís dos Franceses.jpgDias 27 e 29 de novembro, a devoção é sobretudo musical.

 

Casa do Alentejo

Construído provavelmente nos finais do século XVII, acabou por se tornar no primeiro casino em Lisboa, no início do século passado.

Casa do Alentejo.jpgCom uma arquitectura requintada, de fortes influências árabes, a casa mãe das raízes alentejanas na capital deixa a planície de lado durante dois dias e torna-se uma sala de concertos.

 

Sala Delta // Palácio Foz

Concebido como projeto no século XVIII, apresenta uma fachada imponente setecentista. No entanto, seu interior espelha uma remodelação de caráter revivalista, típico da segunda metade do século XIX. Com espaços interiores nobres e belíssimos usados para eventos culturais, é hoje gerido pelo GMCS – Gabinete para os Meios de Comunicação Social e integra uma das salas do Vodafone Mexefest.

Palácio Foz.JPG

Vodafone Bus

Assumindo o compromisso de mexer na música, o Vodafone Bus é o autocarro de serviço. Para cima e para baixo, a festa faz-se do centro da Avenida da Liberdade até aos Restauradores, levando a música ainda mais perto do público. Lá dentro não há palco, mas recomendamos que se agarrem bem.

Vodafone Bus.jpg

Mercado de Música Independente // Picadeiro Real do Antigo Colégio dos Nobres

A segunda edição do MMI estará incluída na programação do Vodafone Mexefest, nos dias 27 e 28 de novembro no Picadeiro Real do Antigo Colégio dos Nobres, espaço integrado no Museu de História Natural e da Ciência, alargando a experiência do Festival tanto no tempo como no espaço. A iniciativa, promovida pela Junta de Freguesia de Santo António juntamente com Rui Miguel Abreu, jornalista e divulgador de música nova, volta a reunir algumas das mais importantes etiquetas independentes nacionais. Nestes dias o Picadeiro Real estará aberto ao público, com acesso gratuito, e as editoras presentes oferecerão descontos a todos os portadores de pulseira de acesso ao Vodafone Mexefest.

O Mercado estará aberto entre as 12 e as 19 horas, tornando-se no início perfeito para cada um dos dois dias de Festival, seguindo-se depois para os concertos que acontecem na Avenida.

 

Éden… 20 anos de carreira

Os Éden cultivam um Rock Alternativo, baseando-se em várias influências desde o Grunge até aos Riffs mais pesados do Metal, primando intrinsecamente pela originalidade e fazendo da língua de Camões o seu estatuto. Tentam sempre diferenciar-se pela singularidade e carisma pessoal através da composição temática e musical em várias atmosferas que visam a satisfação da alma e tendo como objetivo atingir a plenitude, degustar o belo, enfim, atingir o estado sublime.

eden_a3.jpgPassados 20 anos da sua génese, os Éden continuam fieis a sua razão de ser (musicar histórias) e expondo-as nas suas intensas… atuações, que são dos um dos pontos mais fortes desta banda, pois nunca sabemos a dimensão da mensagem para o momento em causa, direta concreta e por vezes hilariante é um dado adquirido, mas nunca podemos dizer antecipadamente e de forma consistente, até que ponto um concerto dos Éden nos deixa indiferente. Pois cada concerto é um concerto, cada momento é um momento. E só quem os presencia, é que tem fortes possibilidades de perceber o porque da longevidade desta banda. Para o comprovar a Casa das Artes abre as suas portas a esta mítica banda famalicense para lhes prestar a devida homenagem pelos seus 20 anos de carreira.

 

Aguiar (Voz)

Pedro Moniz (Guitarra)

Ângelo Santos (Baixo)

KiKa Santos (Bateria)

Lázaro (Guitarra)

 

Casa das Artes (Famalicão)

28 Novembro 2015 | 21.30h