Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Márcia Mah!... pela primeira vez em Portugal em 5 datas

A Music In My Soul tem o orgulho de apresentar, pela primeira vez em Portugal, Márcia Mah!

A artista paulista de MPB desloca-se ao continente para dar a conhecer o seu mais recente trabalho intitulado “La Lá Iá”. Com uma sonoridade tipicamente brasileira, bastante influenciada pelo samba de raiz, Márcia Mah promete atuações repletas de boa energia vindas, diretamente, do outro lado do Atlântico

marcia_mah-03.png “O canto desafia o emaranhado dos sentimentos / A voz é corpo, é sonho / (...) Cantar reunido, é feito costura entrelaçada de nós / Desenhando as notas / Cada ponto é um de nós”. Os versos do poema que abre o CD / DVD “La Lá Iá”, são claramente uma síntese do restante trabalho, convidando o espetador a fazer uma viagem que revisita diversas manifestações populares típicas da cultura brasileira, sob um olhar contemporâneo, destacando a sua pluralidade, étnica e estética. Com dois álbuns já lançados como intérprete, Márcia Mah, presenteia-nos neste novo trabalho com a sua faceta de compositora, aprimorada pelas pesquisas musicais respeitantes ao canto popular na cultura brasileira que se revelaram fontes de inspiração na criação das letras e melodias. A escolha dos arranjos segue o mesmo conceito, ao privilegiar instrumentos de couro e cordas. Norteada por uma estética que evidencia o simples, o essencial, alia som e imagem num retrato colorido de timbres e ritmos que dialogam com o canto e a dança.

No repertório, além das canções inéditas, faz questão de incluir autores consagrados que são fonte de inspiração do seu trabalho, como Pixinguinha, Tom Jobim, Gilberto Gil, Dominguinhos, Martinho da Vila e Dorival Caymmi. Ao vivo Marcia Mah faz-se acompanhar por músicos multi-instrumentistas, responsáveis pelos arranjos do álbum, o que permite que o seu espetáculo mantenha a mesma atmosfera do DVD gravado ao vivo.

 

Renovar a Mouraria (Lisboa)

20 de Novembro de 2015 | 19.00h

 

Auditório da Costa da Caparica

21 de Novembro de 2015 | 22.00h

 

B.Leeza (Lisboa)

25 de Novembro de 2015 | 22.30h

 

Casa Bô (Porto)

27 de Novembro de 2015 | 21.00h

 

Teatro São Mamede (Guimarães)

28 de Novembro de 2015 | 22.00h

 

Sexo? Sim, mas com orgasmo...

Com um texto acutilante e inteligente, a peça analisa, sem preconceito, a importância da sexualidade vivida com prazer e sem tabus. Composta por vários monólogos, aborda temas que raramente são falados, olhos nos olhos: a virgindade, a menstruação e o aborto, são apenas alguns deles, lançados com um sorriso a que o público corresponde com sinceras gargalhadas.

sexo_orgasmo_tl_1024x768_1_770_9999.jpgEscrito por Franca Rame, Dario Fo e Jacopo Fo, nomes incontronáveis da dramaturgia italiana, “Sexo? Sim, mas com Orgasmo” é protagonizado por Guida Maria, com uma elegância e ousadia invulgares.

 

CC Gafanha da Nazaré (Ílhavo)

14 de Novembro 2015 | 22.00h

Rodrigo Leão entra no 2º lugar do top nacional e 1º do top digital com o novo disco

Depois de ter conquistado um pouco por todo o lado a imprensa nacional, agora Rodrigo Leão vê o seu novo álbum, "o retiro", acolhido de braços abertos pelo público que fielmente acompanha o seu percurso há vários anos. O álbum entrou para o n.º 2 do top nacional de vendas e n.º 1 do top digital, numa altura em que estão também à porta os concertos nos coliseus de Lisboa e do Porto.

rl.jpgRodrigo Leão atuará no dia 18 no Coliseu do Porto e nos dias 20 e 21 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, sendo estas datas aguardadas com muita expectativa já que são as primeiras que servem de apresentação a este projeto tão especial que é o álbum "o retiro", editado com o selo da prestigiada Deutsche Grammophon. Os bilhetes para estes concertos nos coliseus estão quase a esgotar, o que mostra o quão especiais e únicas serão estas noites.

Depois dos espetáculos, Rodrigo Leão marcará presença numa conversa pública na FNAC Chiado, em Lisboa, no próximo dia 26, às 18h30, onde falará sobre este seu novo álbum com o jornalista Jorge Mourinha.

Sucesso de Eugénia Melo e Castro no Brasil com “SereiA Portuguesa”

Eugénia Melo e Castro tem uma relação especial com a música brasileira. Parceira de grandes nomes, como Tom Jobim, Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Chico Buarque, Adriana Calcanhoto, entre outros, a artista portuguesa viaja há 35 anos entre Brasil e Portugal, sempre cantando e gravando. Seu novo show, SereiA Portuguesa”, é inteiro dedicado à música do seu país. Mas, com letra inspirada na sua própria vida, canta pela primeira vez a inédita DEIXAEUENTRARNOSAMBAÍ, um samba enredo composto em parceria com o compositor Alemão do Cavaco da Mangueira, do Rio de Janeiro.

002.jpg"Eu queria mesmo fazer um samba enredo e a letra veio pronta na minha cabeça há pelo menos uns oito anos. E ficou ali na gaveta, esperando um momento certo para ser musicada. Mas, não poderia ser musicada por um compositor normal, teria de ter a linguagem musical de samba enredo, que é muito particular, tem regras próprias. Em DEIXAEUENTRARNOSAMBAÍ, o fado pede passagem, na mais alta linhagem, para entrar no samba", diz.

A escolha pela Mangueira no samba enredo não foi à toa. "É a minha Escola no Brasil, dos meus amigos desde o primeiro dia em que vim ao Brasil. Além disso, era a de Escola de Samba do Tom Jobim, que até escreveu a música Piano na Mangueira; e até já desfilei na Mangueira, e sempre torci pela Escola. São muitos anos de Mangueira no coração!", conta. E através do amigo comum e ator Ailton Graça fiz chegar a letra ao Alemão do Cavaco da Mangueira, que me devolveu esta maravilha.

003.jpgAlém deste samba enredo, “SereiA Portuguesa” tem uma pitada de Brasil. A música “Meia noite”, que abre o espetáculo, é de Chico Buarque e Edu Lobo. "A letra é o resumo de tudo o que eu quero dizer no show. É uma música que tenho sempre comigo, traduz o que eu sinto, é uma obra prima de poesia", comenta. “Escolhi-a e cantei-a na abertura programa de televisão Atlântico, que idealizei e produzi para a RTP em 1998, e transmitido no Brasil pela TV Cultura em 2000, em que reuni 13 artistas brasileiros e 13 artistas portugueses para conversar sobre música, tocar e cantar. Já era a busca das afinidades em grande andamento", recorda.

 

Ao longo dos 35 anos de carreira, com 26 discos já lançados no Brasil e em Portugal, Eugénia Melo e Castro sempre usou os dois universos musicais e poéticos para suas interpretações pessoais e recriações. Em “SereiA Portuguesa”, apresenta 20 canções escolhidas a dedo para um repertório de memórias. "Umas são do gosto e do ouvido popular, como o Fado da Açorda, ‘Não vás ao Mar Tóino’, ‘O mar enrola na areia’, coisas da infância de todos nós. As demais são fados e canções tradicionais portugueses que escolhi por estarem no imaginário afetivo dos brasileiros e dos portugueses que moram há muito tempo no Brasil. São canções da época em que a música portuguesa vinha muito ao Brasil pa ssar grandes temporadas, Amália Rodrigues, Francisco Jose, Esther de Abreu, nos anos 50 e 60, e com muito sucesso popular no Brasil".

 

Entre as canções tradicionais, estão “Foi Deus”, “Gaivota”, “Olhos castanhos”, “Perseguição”, “Nem às paredes confesso”, “Casa Portuguesa”. Também mostra um fado da nova geração, “Desfado”, entre outras canções. "É um fado extraordinário, uma letra absolutamente genial, feito por um novo e sensacional compositor em Portugal, que é o Pedro da Silva Martins, e gravado pela fadista Ana Moura, que é uma das grandes novas cantoras de Portugal. Gosto da criatividade e da novidade, que exercita a originalidade. “Estranha forma de Vida” foi escolhida também para poder dizer que Amália Rodrigues escreveu este poema, também era compositora.. “E Lisboa não sejas Francesa” é para brincar com a história dos ciúmes nacionais dos seus artistas, um clássico da personalidade possessiva latina. A letra é um tratado!".

000.jpg“SereiA Portuguesa” não é só um espetáculo de canções, mas também de histórias sobre a cultura de Portugal e lembranças pessoais de histórias vividas com grandes nomes da música brasileira. "Contar algumas coisas pessoais e específicas sobre Portugal, o meu Portugal, e avivar a memórias das pessoas que gostam do meu país, é importante, é interessante. Eu gosto de contar histórias sobre tudo o que é bom em Portugal. Sempre falei muito mais de Portugal nas minhas entrevistas, do que do meu trabalho específico! Tom Jobim, Caetano Veloso, Ney Matogross o, Vinícius de Moraes, Dorival Caymmi, e Helena Jobim são os seis nomes de artistas brasileiros que eu cito no show por terem referencias com as músicas que canto neste show, algumas vividas comigo, outras que ouvi dentro do lema 'reza a lenda'. Mas nos shows é sempre imprevisível. Eu poderia ficar 3 horas só contando histórias divertidas e verdadeiras que eu vivi, outras que quase só eu sei, em vez de fazer um show de música... Quase sempre, de uma apresentação para outra, eu me lembro de uma história nova, ao vivo, e conto, conto na hora o que me lembrar. Isso é o que mais me diverte. Também relembro alguns nomes de portugueses que se destacaram de verdade no Brasil no século XX, uma espécie de homenagem".

 

O espetaculo de Eugénia Melo e Castro “SereiA Portuguesa” acontece até ao dia 26 de Novembro no Teatro MuBE Nova Cultural em São Paulo, Brasil. O espetaculo tem direção musical de Swami Jr., que também assume os violões e conta com Olivinho no acordeom e direção cênica assinada pelo diretor Fernando Cardoso.

 

Mais fotografias aqui

 

Texto: Marina Telecki

Fotografias: Mila Maluhy

 

 

“Perfectly fine” é o novo single dos Vaarwell

Os Vaarwell são uma banda de indie pop nascida em finais de 2014, cujo EP de estreia, “Love and Forgiveness”, chegou às lojas online e plataformas de streaming em Maio deste ano. “Branches”, tema de avanço do EP, foi escolhido para integrar a colectânea Novos Talentos FNAC 2015 e chegou agora a vez da banda apresentar o videoclipe do segundo single do EP, “Perfectly Fine”, cuja realização ficou a cargo de Hugo Rosado.vaarwell-press-photo-4BR.jpgO EP “Love and Forgiveness” tem 5 temas e foi gravado e produzido pela própria banda, à excepção das baterias que foram gravadas no Black Sheep Studios, em Sintra. A mistura e a masterização do disco foi feita por Makoto Yagyu (PAUS).

Os temas do disco reflectem as influências da banda (que já prepara o seu primeiro disco de longa duração, com lançamento previsto para finais de 2016), que vão do folk à electrónica e ao indie pop

Ana Moura… novo álbum "Moura" é editado a 27 de Novembro

"Moura" é o nome escolhido para intitular o 6.º álbum de estúdio de Ana Moura. Uma escolha que evidencia o cunho pessoal que Ana Moura tem dado a todos os detalhes que envolvem este trabalho e que se revê no lettering do disco, que aqui aparece como uma assinatura. "Moura" é também o título da canção que encerra o disco, com letra do escritor José Eduardo Agualusa e música do artista angolano Toty Sa'Med.picture.jpgOutra das novidades hoje reveladas é o dueto de Ana Moura com Omara Portuondo no tema "Eu Entrego", de Edu Mundo. "Dia de Folga", da autoria de Jorge Cruz, foi o primeiro avanço do novo álbum e já toca nas rádios nacionais. Ficou hoje também disponível no canal VEVO, o primeiro dos quatros webisódios previstos até ao lançamento do álbum, com imagens da gravação do disco em Los Angeles, EUA, e uma breve entrevista a Ana Moura, em que desvenda um pouco mais do novo álbum.

Com data de edição prevista para dia 27 de novembro, "Moura" está, a partir de hoje, disponível em pré-venda

Kim and The Created + The Sunflowers

Com letras poderosas e uma atitude crua e potente, Kim and The Created apresentam-nos o seu cativante garage punk com um toque de grunge. As suas performances são eléctricas e envolventes, nada menos do que um completo exorcismo, que emana inspiração e a sensação de que és capaz de dominar o mundo! Não é de estranhar que se tenham juntado, recentemente, à família da Burguer Records.

01.jpgA acompanhar a Kim House, estarão os portugueses The Sunflowers: "são altos, tocam roque e role sujo e berram demasiado ao vivo. Celebram o rock de garagem ao seu mais alto nível - cheio de distorções descontroladas, feedbacks, baterias simples e letras com pouco mais que duas linhas." Garage surf punk desenfreado! No dia 11 de Novembro, Kim and the Created e The Sunflowers vão exorcizar o Cave 45

 

Cave 45 (Porto)

11 de Novembro de 2015 | 22.00h