Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Misty Fest 2015 apresenta... Mísia "para Amália”

O desejo de oferecer uma prenda “Para Amália” foi sentido por Mísia depois de mais de 20 anos de construção de um repertório e uma sonoridade próprios, em cumplicidade com os grandes escritores, poetas e músicos portugueses. Mísia já havia cantado temas do repertório amaliano, mas sempre pontualmente. Agora trata-se de um álbum duplo, gravado em Lisboa no final de 2014, ano em que se cumpriram os 15 anos da desaparição física de Amália Rodrigues.

misia.png“Para Amália” foi construído não só com o repertório amaliano mas também com temas inéditos criados especialmente para este trabalho. O primeiro disco, piano e voz, é constituído por músicas na sua maioria de Alain Oulman mas também de Carlos Gonçalves, Fontes Rocha. Poemas de David Mourão Ferreira, Amália, Afonso Lopes Vieira, Pedro Homem de Mello, etc. O segundo disco, guitarras de Fado, tem um ambiente musical mais tradicional, incluindo Fados muito populares e um tema de folclore. Inclui também textos inéditos de Amélia Muge, Tiago Torres da Silva, Mário Cláudio e Mísia escritos em tributo a Amália Rodrigues. Como no disco, em concerto, “Para Amália" apresenta-se em formato intimista, piano e voz, e com a formação completa na qual as guitarras se juntam ao piano. Um efeito visual da projecção em loop da jóia preferida de Amália Rodrigues, vai pulsando em várias cores palavras-chave do Fado: destino, voz, saudade, mulher.

“Amália tornou-se eterna e está mais viva do que nunca.” Mísia

 

Misty Fest 2015

Teatro Aveirense (Aveiro)

6 de Novembro 2015 | 21.30h

O “Tempo” de Adriana Queiroz no Pequeno Auditório do CCB

“Tempo” é o segundo álbum de Adriana Queiroz, no qual a cantora se debruça sobre a música francófona através dos seus cantautores mais representativos. Dando especial destaque a Jacques Brel e a Leo Ferré, viaja-se pelo mundo emocional de Barbara, o encantamento de Trenet, a loucura de Gainsbourg, o surrealismo de Boris Vian e a intemporalidade de Piaf, que não sendo cantautora é uma figura incontornável da música francesa do século XX.

Adriana Queiroz ©  Rodrigo de Souza.jpgAdriana Queiroz estará acompanhada ao piano por Filipe Raposo, que também é responsável pelos arranjos musicais. Este é um projeto marcado pela simbiose entre a música, a poesia, a dança e o cinema. O álbum materializa o espetáculo “Tempo” que, desde 2012, já foi apresentado em diversos pontos do país.

 

O Tempo de um passo,

O Tempo de um compasso,

O Tempo de um poema,

O Tempo de uma emoção,

O Tempo de um tema,

O Tempo destas gerações pós-guerra que ainda hoje parecem controlar o tempo de melodias para sempre enraizadas nas nossas memórias.

(Adriana Queiroz)

 

Centro Cultural de Belém – Pequeno Auditório (Lisboa)

30 e 31 de Outubro 2015 | 21.00h

 

Fotografia: Rodrigo de Souza

 

Stacey Kent apresenta-se ao vivo em Portugal em 4 concertos de 29 de Outubro a 1 de Novembro

Uma das mais aclamadas vozes do jazz da actualidade, Stacey Kent está de volta a Portugal. Após os espectáculos de 2013, onde mais uma vez se apresentou perante plateias esgotadas de um público que tanto a acarinha e que se deixa divagar ao som da melancolia deste inesquecível e poético espetáculo, Stacey Kent apresenta-se ao vivo em Portugal em 4 concertos de 29 de Outubro a 1 de Novembro. Nos dias a 29, 30 e 31 de Outubro Kent passa pelo Centro Cultural de Belém, pelo Coliseu do Porto e pelo Teatro das Figuras em Faro respectivamente. A mini termina no dia 1 de Novembro no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz.

STACEY KENT - promo photo.jpgStacey Kent iniciou a sua carreira musical como intérprete dos clássicos norte-americanos, aplicando o seu estilo inconfundível, intimista e emocionalmente inteligente a um vasto repertório. Sendo uma minimalista natural, conquistou uma legião de fãs com a sua abordagem “menos é mais”. Apesar de a sua música se ter envolvido mais com a música francesa e brasileira, a mesma intensidade tranquila que caracterizou a sua interpretação do Great American Songbook continuou a inspirar a sua prestação vocal. Mágica é um dos adjectivos mais utilizados para descrever a cantora norte-americana que num português irrepreensível celebra a música de alguns dos seus ídolos, interpretando temas de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Sérgio Mendes, Roberto Menescal e Marcos Valle, entre composições originais e alguns temas incontornáveis do jazz. A acompanhá-la estará o marido, Jim Tomlinson (tenor saxofone, soprano saxofone e percussão), Graham Harvey (piano), Jeremy Brown (contrabaixo) e Josh Morrison (bateria e percussão).

 

Centro Cultural de Belém (Lisboa)

29 de Outubro 2015 | 21.00h

 

Coliseu (Porto)

30 de Outubro 2015 | 21.30h

 

Teatro das Figuras (Faro)

31 de Outubro 2015 | 21.30h

 

Centro de Artes e Espectáculos (Figueira da Foz)

1 de Novembro 2015 | 21.30h

 

Três últimos álbuns de António Zambujo recebem quatro Platinas

António Zambujo alcança feitos assinaláveis com os seus últimos três discos. "Rua da Emenda" e "Lisboa 22:38 – Ao Vivo no Coliseu" atingiram, cada um, a marca de platina pelo respetivo número de vendas (vendas superiores a 15.000 unidades cada), enquanto que "Quinto", álbum editado em 2012, conquistou a dupla platina, por vendas superiores a 30.000 unidades.

GLAM - António Zambujo 3.jpgAntónio Zambujo encontra-se numa fase muito profícua. A tour de apresentação de "Rua da Emenda" tem sido dividida entre Portugal e o resto do mundo, passando por países como o Japão, Espanha ou França (onde deu 13 concertos em 12 dias, no início de 2015), seguindo agora para a Suíça, Alemanha, Austria, Polónia, Hungria e novamente França, para actuar em algumas das mais conceituadas salas europeias, como o CasinoParis, o Konzerthaus de Viena ou o Palace of The Arts em Budapeste. Em 2016, António Zambujo regressa aos Coliseus de Lisboa e Porto, que esgotou já por diversas vezes a solo, agora acompanhado por um amigo e cúmplice musical de longa data, Miguel Araújo. Juntos prometem fazer história, em oitos datas já esgotadas, munidos apenas das suas vozes e guitarras.

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

Hozier reedita álbum de estreia a 6 de Novembro

O álbum de estreia de Hozier estabeleceu o músico irlandês de 25 anos como um dos mais genuínos artistas revelação do ano. Agora o disco homónimo, é reeditado num duplo álbum que chega às lojas a 6 de novembro. Além das 13 canções originais, o álbum inclui gravações exclusivas de alguns dos concertos que Hozier deu ao longo do ano para salas esgotadas. O CD contém ainda quatro gravações nos estúdios da BBC, onde fez versões das canções "Do I Wanna Know?", dos Arctic Monkeys, de "Whole Lotta Love", dos Led Zeppelin, de "Lay Me Down", de Sam Smith, e um mash up entre "Problem", de Ariana Grande, e "Regulate", de Warren G.

hozier.jpg"Hozier", o álbum, foi também um dos maiores sucessos de vendas britânicos deste ano, permanecendo hoje como o sexto álbum mais vendido de 2015 no Reino Unido, num top que inclui discos de Sam Smith, Ed Sheeran, Taylor Swift, George Ezra e James Bay. O sucesso contínuo do álbum é um feito assinável para um artista que passou grande parte do ano em digressão a conquistar fãs um pouco por todo o mundo. Para o próximo ano Hozier já tem concerto marcado para Portugal, uma estreia em palcos nacionais que acontecerá no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, a 16 de janeiro. Entretanto o músico natural de Wicklow já conquistou dois Billboard Awards, um Ivor Novello, foi nomeado para os prémios Grammy e para os BRIT Awards, deu espetáculos muito aplaudidos em Glastonbury, Longitude, Red Rocks, entre outros festivais de verão.

O álbum de estreia de Hozier entrou ainda para o n.º 2 do top da Billboard (tendo sido a segunda melhor estreia do ano nesta lista), e para o n.º5 do top do Reino Unido, além de ter permanecido nove semanas em primeiro lugar no top irlandês. Os singles "Take Me To Church", "Someone New" e "From Eden" garantiram ao músico três singles no top 30 britânico. Hozier vendeu 1,5 milhões de cópias do seu álbum de estreia, soma 10 milhões de singles vendidos.

Inauguração oficial do TANQUE é dia 7 de Novembro ao som de Moullinex e Throes + The Shine

O projecto de Luís Clara Gomes levou o seu “Elsewhere” aos quatro cantos do mundo e vai findar os lançamentos de 2015 com o próximo single, “Things We Do”, e com um disco de remisturas intitulado “Elsewhere Remixes pt. 1” que irá contar com nomes como Miami Horror, Crackazat, Oma Nata, Savanna e Cut Slack .moullinex.jpgJá o colectivo luso-angolano Throes + The Shine pisou grandes palcos europeus, durante o Verão, como os festivais Lowlands ou Rock en Seine, e encontra-se a preparar um 2016 que promete ser ainda mais forte. Na próxima Primavera poderemos contar com um novo disco, já com o selo da Discotexas, com produção de Luís Clara Gomes (Moullinex) e um groove que promete não acabar.

O Tanque é a nova plataforma para eventos de Lisboa. Localizado em pleno centro da cidade, a antiga piscina do Ateneu é agora palco para todo o tipo de eventos.

 

Tanque (Lisboa)

7 de Novembro 2015 | 22.00h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

 

Mural Sonoro - Projecto de Investigação, Arquivo, Documentação multimédia

O Projecto Mural Sonoro, desenvolvido pela investigadora Soraia Simões, tem desde 2011 por objectivo o estudo e divulgação das Práticas Musicais e Manifestações culturais locais em Portugal, as associadas à migração e as ligadas à diáspora. Com um recorte cronológico que vai desde a segunda metade do século XX até ao início dos anos 2000 ele procura estabelecer, através de diálogos entre músicos, compositores, directores musicais, pedagogos e construtores de instrumentos, por via de debates, conferências e recolhas musicais uma leitura precisa sobre a música popular realizada em Portugal ou com uma ligação contínua a Portugal num contexto económico, político e social, colocando para isso o seu enfoque nos campos da composição, concepção musical, pedagogia, organaria/construção de instrumentos e interpretação. Em Fevereiro é constituída a Associação Mural Sonoro. Uma organização sem fins lucrativos, que tem por objectivo o alargamento dos estudos sobre música e cultura populares e as actividades do projecto a um maior número de pessoas.

mural.jpgEm Agosto de 2014 a sua autora foi distinguida com o Prémio Megafone Sociedade Portuguesa de Autores. Metodologicamente entrelaçamos o método etnográfico com a pesquisa documental, na produção bibliográfica e na constituição de um Arquivo que reúne documentos de ordem variada: entrevistas, colóquios, debates, encontros sobre Música Popular para memória presente e futura, que possa servir a aprendizagem, estudos, abordagem, nova leitura de todos os interessados. Este projecto faz parte desde 2015 do consórcio liderado pela The British Library Europeana Sounds.
Consulte os arquivos do Mural Sonoro aqui....

soraia.jpgSoraia Simões nasceu na cidade de Coimbra em 1976 e mudou-se para Lisboa no ano 2008, é autora do projecto Mural Sonoro (2011), do livro “Passado Presente. Uma Viagem ao Universo de Paulo de Carvalho” (Chiado Editora, 2012), ajudou a fundar e é membro de direcção da Associação Mural Sonoro, Investigadora do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, pós-graduada em Estudos de Música Popular pelo Departamento de Ciências Musicais da mesma universidade, em 2014 foi distinguida com o Prémio Megafone Sociedade Portuguesa de Autores. Mestranda na área de especialização em História Contemporânea a desenvolver a dissertação “Que Há-de Ser de Nós?: o percurso musical de Ivan Lins entre o Brasil e Portugal de 1981 a 1993”.

 

Fotografia: Vitorino Coragem

Vodafone Mexefest… Mercado de Música Independente

A 2ª edição do Mercado de Música Independente acontece em parceria com o Vodafone Mexefest. Príncipe Real recebe o evento entre as 12 e as 19 horas. Condições especiais para o público do Festival. A Música Independente faz parte do ADN do Vodafone Mexefest desde a sua génese. Como tal, a associação ao Mercado de Música Independente, enquanto enorme montra e também porta de conhecimento da nova música portuguesa, faz todo o sentido.

mmi.jpgÉ assim que a segunda edição do Mercado de Música Independente estará incluída na programação do Vodafone Mexefest, nos dias 27 e 28 de novembro no Picadeiro Real do Antigo Colégio dos Nobres, espaço integrado no Museu de História Natural e da Ciência, alargando a experiência do Festival tanto no tempo como no espaço. A iniciativa, promovida pela Junta de Freguesia de Santo António juntamente com Rui Miguel Abreu, jornalista e divulgador de música nova, volta a reunir algumas das mais importantes etiquetas independentes nacionais. Nestes dias o Picadeiro Real estará aberto ao público, com acesso gratuito, e as editoras presentes oferecerão descontos a todos os portadores de pulseira de acesso ao Vodafone Mexefest. Selos como a Enchufada, Lovers & Lollypops, Discotexas, Kambas, Hey! Pachuco, Monster Jinx, Mano a Mano, Golden Mist, Lux Records ou Tomorrow is Now Kid já garantiram a sua presença estando, até agora, confirmadas mais de duas dezenas de editoras.

 

O Mercado estará aberto entre as 12 e as 19 horas, tornando-se no início perfeito para cada um dos dois dias de Festival, seguindo-se depois para os concertos que acontecem na Avenida. Todas as editoras terão ainda para oferecer ao público edições novas, edições raras, títulos já esgotados nos circuitos convencionais de distribuição e até edições exclusivas que só estarão disponíveis durante estes dois dias. Além de toda a ação que se concentrará nas bancas dos diversos selos representados, há que contar com dois dias recheados com showcases, dj sets no palco que equipa o espaço do Mercado de Música Independente e por onde poderão passar também para mini-apresentações alguns dos nomes que se encontrarão no cartaz deste ano do Vodafone Mexefest.

Dom La Nena apresenta o novo álbum “Soyo” em Portugal (Espinho, Coimbra e Lisboa)

Dom La Nena, artista brasileira que tem merecido os mais rasgados elogios e que o público português bem conhece, até por causa da sua estreita colaboração em palco com o grupo Danças Ocultas em ocasiões anteriores apresenta o seu novo disco "Soyo". O disco encontra-se à venda desde o passado dia 23 de Outubro

dom 1.jpg

Os elogios não têm parado de distinguir a voz, a música, a postura e o trabalho de Dom La Nena. “Soyo” levou o conceituado New Yorker a escrever que todas as suas canções "soam sagradas". O disco conta com produção do grande Marcelo Camelo, ele mesmo um artista de méritos mais do que reconhecidos em Portugal, e o cantor e compositor só tem palavras lindas para falar de Dom La Nena: "Dom é exemplo raro das contradições que carregamos. Uma menina doce de rosto franco e olhos determinados, que compõe com frescor germinal as canções que ainda queremos ouvir, canções sobre os sentimentos que nos são tão verdadeiros que às vezes escapam despercebidos entre as luzes e presenças de apelo mais cintilante".

Dom la Nena, que também é violoncelista, tocou nas bandas de Jane Birkin e Jeanne Moreau, cantou com uma das mais apreciadas artistas do pop alternativo francês, Camille. A experiência adquirida em grandes palcos, como o do Festival de Jazz de Montreux, foi toda usada em “Soyo”, um disco trabalhado em Lisboa, com Marcelo Camelo que nos afiança que a sua música "tem carnaval e tem silêncio" e um "cello delicioso".

 

Auditório de Espinho - Academia (Espinho)

31 Outubro 2015 | 21.30h

 

Salão Brazil (Coimbra)

3 Novembro 2015 | 21.00h

 

Centro Cultural de Belem (Lisboa)

4 Novembro 2015 | 21.00h

Macklemore & Ryan Lewis pela primeira vez em Portugal em 2016

Macklemore & Ryan Lewis anunciam hoje a primeira digressão europeia em dois anos, onde realizarão os seus maiores espetáculos europeus, numa tournée que irá incluir concertos na O2 Arena, em Londres, Accor Hotels Arena, em Paris, e passagem garantida por Lisboa, no MEO Arena, no dia 30 de março. As 31 datas agendadas darão continuidade à digressão intimista que terá lugar nos EUA nos próximos meses de janeiro e fevereiro, em algumas das mais históricas salas norte-americanas.

Macklemore & Ryan Lewis.jpg

O duo está a realizar uma parceria com a companhia Plus 1, com o objetivo de reverter 1€ de cada bilhete vendido durante a digressão a favor dos projetos Partners in Health, Equal Justice Initiative, Youth Speaks e 30/30 Project. A banda irá utilizar as suas plataformas e recursos para promoverem a discussão sobre assuntos como igualdade e justiça, estando por isso a trabalhar em conjunto com organizações que se dedicam a estes temas.

O single, “Downtown”, continua a subir nas tabelas de rádio e da Billboard, prevendo-se tornar no terceiro hit da banda a atingir o Top 5. Este tema, que conta com a participação de Eric Nally e dos pioneiros do hip hop Grandmaster Caz, Kool Moe Dee e Melle Mel, foi apresentado ao vivo nos VMA e no Late Night com Jimmy Fallon. "Downtowon" é já disco de ouro nos EUA, onde vendeu mais de um milhão de faixas em todo o mundo.

“Downtown” é o primeiro single deste segundo registo de Macklemore & Ryan Lewis, sucessor do álbum de estreia “The Heist”, que foi disco de platina e vencedor de vários GRAMMYs. Em agosto deste ano foi lançado o tema "Growing Up", que conta com a participação especial de Ed Sheeran. Macklemore escreveu este tema antes do nascimento da primeira filha, Sloane Ava Simone Haggerty, a quem é dedicado.

 

MEO Arena (Lisboa)

30 de Março 2016 | 20.00h