Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glam Magazine

Glam Magazine

Lura apresenta a “Herança” de Cabo Verde em Lisboa

Nasceu e cresceu em Portugal, mas é Cabo Verde, terra natal da sua família, que Lura canta em todos os seus álbuns. Assim é em “Herança”, o seu mais recente trabalho, lançado no passado dia 2 de outubro e cujas sonoridades a cantora dá a conhecer, esta terça-feira, dia 13, num concerto em Lisboa no Teatro Tivoli BBVA.

lura.jpg“Escolho o título sempre no final e a palavra ‘herança’ englobava todo o espírito do disco, um trabalho feito de histórias que os meus antepassados deixaram”, explicou Lura numa entrevista concedida, recentemente, ao semanário Sol.

Apontada como a sucessora natural de Cesária Évora e como expoente máximo do funaná, do batuco e da morna, Lura surge acompanhada em “Herança” pela percussão do brasileiro Naná Vasconcelos, vencedor de seis Grammy e eleito várias vezes o melhor percussionista do mundo pela revista norte-americana “Down Beat”. O lançamento deste novo álbum, o sétimo da carreira, marca o regresso de Lura a estúdio, depois de um interregno de seis anos sem editar.

Gravado entre a Cidade da Praia, Paris e Lisboa, o muito aguardado disco de Lura, teve produção a cargo de Toy Vieira, maioritariamente, mas também de Hernani Almeida, Naná Vasconcelos e Richard Bona, tendo ainda a participação de Pedro Joia num tema de Mario Lucio e de Elida Almeida, a marcar uma nova geração.

 

Teatro Tivoli BBVA (Lisboa)

13 de Outubro 2015 | 21.30h

Marta Ren & The Groovelvets… leva o soul a Famalicão

Marta Ren é uma das mais carismáticas vozes da nova música portuguesa. Fundadora dos Sloppy Joe, que explorou, os territórios jamaicanos, partindo do Ska, do Reggae e do Dub. Fez ainda parte dos desconcertantes Bombazines e do coletivo Movimento, antes de se lançar, em definitivo, numa carreira em nome próprio.

Depois de, através das inúmeras colaborações que assinou no universo do Hip Hop, dos Dealema a Sam the Kid, passando por New Max, NBC ou Link, se ter afirmado como uma das grandes vocalistas Soul nacionais e de ter dado dezenas de concertos com os Funkalicious, banda que liderou e que se dedicava à recuperação dos grandes clássicos Funk dos 60 e 70, Marta Ren decide investir na sua grande paixão por estes grandes géneros da música negra.marta ren.jpgNeste momento, encontra-se a trabalhar no seu álbum de estreia a solo que vai sair pela editora italiana Record Kicks até ao final do ano. Enquanto esse tão aguardado disco não chega às lojas, lançou um single com dois excelentes temas, “Summer’s Gone” e “2 kinds of men”, a remeter para os anos dourados da soul e do funk, e mostram-nos Marta Ren na plenitude da sua espantosa capacidade vocal, acompanhada por uma banda coesa e com um gosto irrepreensível.

Todo o processo de gravação tem respeitado o método de produção oldschool dos anos 60/70, com microfones, gravadores e masterização em fita. Tudo orgânico, para preservar a sonoridade típica dos velhos tempos do funk. Além de soltar a sua voz selvagem, Marta Ren também é a autora das letras. New Max, dos Expensive Soul, assina as composições e é o produtor de serviço, numa escolha mais que óbvia que tem tudo para resultar

 

Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

24 de Outubro 2015 | 21.30h

 

Fotografia: Paulo Homem de Melo

El Salvador apresenta o EP de estreia no Musicbox....

O pilar rítmico dos Capitão Fausto.

O tipo que compassa tudo o que entra e quando entra em toda aquela viagem psicadélica, neste caso descompromete-se de uma responsabilidade e compromete-se com outra, a de frontman à guitarra e voz. Garageiro pop festivo purista de que as canções devem dizer aquilo que nós dizemos e não o que pensamos. Vida de estrada, estadias atribuladas, ressacas e outras cançonetas de temáticas que divertem como se diverte ele quando as canta.Ganso.jpgApresenta aqui então as primeiras 5 canções que juntou num EP. “Ganso”, nova gandulagem de Lisboa que começa a mostrar rock abandalhado com jeito para festa, e Izzy Bunny, crooner punk dona da palavra, fazem a primeira parte.

 

Musicbox (Lisboa)

17 de Outubro 2015 | 22.00h

Em Novembro, Portugal vai Bombar!

Nos dias 28 e 29 de Novembro realiza-se o 1º Congresso do Bombo na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa. Com o Alto Patrocínio da Presidência da República e sob a organização da Associação Tocá Rufar, este será um encontro de reflexão e partilha sobre o papel do Bombo enquanto instrumento e agente social na música tradicional portuguesa. As inscrições já se encontram abertas!

O 1º Congresso do Bombo pretende constituir-se como um lugar de encontro de diferentes pessoas, projectos e organizações relacionadas ou com intervenção no âmbito da percussão tradicional. Pretende ainda ser um espaço potenciador de reflexão e debate, de investigação, aprendizagens e conhecimento, de inovação e criatividade, de novas ideias e projectos, de partilha de experiências e boas práticas, e de implementação de novas redes de cooperação.

bombo.jpgProcurando uma visão abrangente e transversal, o programa do congresso estrutura-se em três debates complementares, que abordam, respectivamente, a dimensão educativa, económica e artístico-cultural, sob a orientação de uma comissão científica constituída pelo Dr. Domingos Morais, Prof. Dr. Augusto Mateus e Prof. Dr. Rui Vieira Nery. Estes debates contarão, igualmente, com a presença de reconhecidos agentes em diversas áreas culturais a nível nacional, sendo um espaço aberto à discussão e um convite dirigido a todos os interessados. Paralelamente haverá momentos musicais, actividades formativas para crianças e adultos, bem como espaços expositivos de construtores de instrumentos, proporcionando a proximidade e a familiaridade com o património instrumental e musical Português. É também de salientar que o Congresso está acreditado no âmbito da formação contínua de professores pelo Centro de Formação da Associação de Escolas do Seixal (CFAE Seixal), na modalidade de Curso de Formação com o total de 12 horas.

 

Enquanto entidade sem fins lucrativos, todas as receitas destinam-se a cumprir a missão social da Associação Tocá Rufar e reverterão para o ensino gratuito da percussão tradicional portuguesa a crianças de estratos sociais desfavorecidos.

As inscrições encontram-se já em aberto, estando a decorrer uma campanha de angariação colectiva de financiamento, mediante um donativo que dá direito a participar em todas as actividades do congresso e beneficia de majoração fiscal para efeitos de IRC ou de categoria B do IRS.

A inscrição é obrigatória e até dia 31 de Outubro pode-se beneficiar de um desconto de 50%. Os professores registados na formação contínua de professores pelo Centro de Formação da Associação de Escolas do Seixal, deverão inserir o código promocional fornecido pelo CFAE Seixal para efectuar a inscrição gratuita.

 

Mais informações e inscrições aqui

Oquestrada… a brisa atlântica mad’in portugal em digressão pela europa

Os OqueStrada, que este ano já encheram salas na Alemanha e em Portugal, regressam aos palcos internacionais para dar conhecer o seu novo álbum “AtlanticBeat Mad’in Portugal”, que inclui o tema “O Teu Murmúrio”, “Sweet Ol’ Country”, entre muitos outros.

A banda vai estar presente em 4 países europeus e conta já com 16 datas agendadas até ao final do ano.

Oquestrada - Promo foto.jpgO novo trabalho dá continuidade ao beat acústico do “TascaBeat o sonho português”, que alcançou platina e nos presenteou com temas como “Oxalá te Veja”.

Marta Miranda, Pablo e João Lima são autores, intérpretes e compositores das suas canções. O novo trabalho do trio, “AtlanticBeat Mad’in Portugal”, foi produzido com a colaboração com Sérgio Costa e direcção musical de Marta Miranda. Neste segundo registo de originais, OqueStrada apura a sua batida de filigrana, com uma sonoridade centrada na linha melódica da voz, nas harmonias, ritmos da guitarra portuguesa e na batida de alcance baixo bombo da contrabacia.

 “AtlanticBeat Mad’in Portugal” por OqueStrada

 

Um álbum com muito iodo e brisa atlântica que reposiciona Portugal não como porta dos fundos da Europa mas como entrada. Um varandim com a melhor vista para o mundo. E onde o antigo lema dos OqueStrada “partir para regressar” tem mais força que nunca, num piscar de olhos ao emigrante que há em todos nós.

Entre a força da batida atlântica e o peso da velha Europa, entre o que somos e o que podemos vir a ser, “AtlanticBeat Mad’in Portugal” lança o conceito de canção dançante, um dancing acoustic music bordado à mão.

Em palco… uma brisa atlântica conjugada com as suas novas canções dançantes!

 

16 outubro - Gentilly, França

17 outubro - Les arcades, França

31 outubro - Riga, Letónia

1 novembro - Ogre, Letónia

10 novembro - Bochum, Alemanha

11 novembro - Darmstadt, Alemanha

12 novembro - Lubeck, Alemanha

13 novembro - Aachen, Alemanha

14 novembro - Rietberg, Alemanha

15 novembro - Hamburg, Alemanha

18 novembro - Innsbruck, Aústria

19 novembro - Freiburg, Alemanha

20 novembro - Ravensburg, Alemanha

21 novembro - Marburg, Alemanha

22 novembro - Bonn, Alemanha

8 dezembro - Porte de Hainaut, França

 

Todos Santos... lançam novo EP "Problemas"

Foi lançado na passada sexta feira, 9 de outubro, o novo EP dos Todos Santos intitulado “Problemas”, já disponível nas principais lojas digitais.“A Vida Custa a Todos” é o título do single de apresentação deste novo trabalho, editado pela Music In My Soul. Com uma maturidade renovada este EP intimista foi inspirado num conceito autobiográfico e composto por melodias descomplicadas que abrem passagem para uma seleção de temas indie. “Problemas” é um disco que promete…TODOS SANTOS_FINAL.jpgNascidos no dia de Todos os Santos, em 2006, numa base experimental, os Todos Santos fluem por entre sonoridades do indie-rock, numa vertente alternativa bastante atual. Constituidos por Tiago Ferreira (voz e guitarra), Pedro Catita (bateria), Rodrigo Pereira (baixo), Bruno Silva (teclados e coros) e Gonçalo Silva (guitarra e coros), a banda sediada na Ericeira tem Tiago Ferreira como compositor e letrista. Em meados de 2007 iniciam o seu percurso no mundo da música com alguns concertos ao vivo, ainda como banda independente.

Em 2008 atuam diversas vezes na zona da Ericeira e Mafra e, em 2009, entre outros concertos, participam no concurso de bandas da FBAUL, onde alcançam o 3º lugar da competição. Mais tarde, em 2010, com a produção de Bernardo Barata (Diabo na Cruz), gravam 12 temas intitulados "O Preço do Vento". Nos dois anos seguintes tocam em vários espaços de renome de entre os quais o Auditório Beatriz Costa, as Quiksiver Sessions, o Elevador de Santa Justa, o Musicbox e o Lotus Bar.

Depois de uma paragem de dois anos, lança-se um respiro de alívio para o regresso de Todos Santos com a produção do EP, "Problemas", por Hugo Ginjas no Madgroove Studios e misturado por Bernardo Barata nos estúdios IÁ!.

“Nega Jaci canta Chico & Elis”… o disco de estreia

A cantora brasileira Nega Jaci edita em Portugal o seu primeiro álbum a solo, “Nega Jaci canta Chico & Elis”, em que revisita temas emblemáticos de Elis Regina e Chico Buarque, além de muitos outros clássicos do cancioneiro do Brasil popularizados por Rita Lee, Edu Lobo, Ivan Lins ou Tom Jobim. Um espectáculo com o mesmo nome está também a ser preparado.nega.jpgNascida em Salvador, Bahia, Nega foi convidada na adolescência para integrar o Grupo Cultural Bagunçaço (projecto direccionado às crianças em situação de risco social). O seu talento para a música foi logo percebido e Jaci tornou-se vocalista de duas bandas, Sucata Mania e Percucia. Com esta última gravou o CD “Toque Bahia”, cujo repertório se identifica com as raízes musicais africanas, um misto de ritmos afro-brasileiros e norte-americanos. O trabalho desenvolvido enquanto vocalista das duas bandas proporcionou a Jaci a abertura de grandes concertos, como o da cantora Maria Rita. Teve também a oportunidade de cantar para muitas figuras ilustres como o ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, e a rainha Sílvia da Suécia, num espectáculo produzido no próprio Castelo Real e onde Jaci se destacou pela sua voz particular. O timbre da sua voz e o seu carisma chamou a atenção e o interesse da célebre cantora brasileira Margareth Menezes, que a convidou para integrar a sua banda. Nega passou a acompanhá-la durante alguns anos como membro do coro, o que lhe proporcionou a presença em palcos como o Canecão, no Rio de Janeiro, Festival de Verão de Salvador, Micaretas e trios eléctricos em vários estados brasileiros, bem como a gravação de dois álbuns: “Tete a Tete Margareth” e “Festival de Verão Salvador ao vivo”. Nestes espectáculos, Jaci partilhou o palco com outros grandes nomes da MPB (Música Popular Brasileira) como Ivete Sangalo, Alcione, Cidade Negra, Gabriel O Pensador, Sandra de Sá, Elba Ramalho, Gilberto Gil e Caetano Veloso, entre outros

Numa das digressões pela Europa, Nega Jaci acabou por se apaixonar pela cultura europeia tendo ficando alguns anos em Londres onde se integrou em diversos projectos e atuou em locais como o Ronnie Scott Jazz Club, Primo Bar, Guanabara ou Coya Restaurant London’s. Ao visitar Portugal, ficou encantada com as terras lusas e decidiu ficar por cá durante uns tempos. Como qualquer bom artista, Nega não resiste a fazer umas performances aqui e ali, e foi aí que surgiu um contrato discográfico com o intuito de promover e difundir a cultura musical lusófona. Nega Jaci edita hoje, 12 de Outubro, o seu primeiro trabalho em Portugal revisitando os clássicos da MPB.

 

Tendo já actuado em locais como o Festival In, Fábrica Braço de Prata, Teatro do Bairro, Pensão Amor, Chapitô, Festival Festa da Música Lisboa, Mestre Afonso Batalha, Clube da Sertã, Aljustrel, Grémio Literário de Lisboa, Embaixada do Brasil em Portugal, entre outros, Jaci prepara-se agora para apresentar ao vivo o seu disco “Nega canta Chico & Elis”

 

Alinhamento do álbum:

  1. Partido Alto - Chico Buarque
  2. É com esse que eu vou - Pedro Caetano
  3. Samba e Amor - Chico Buarque
  4. Tragédia no Fundo do Mar (O Assassinato do camarão) - Zeré | Ibrahim
  5. Olhos nos Olhos - Chico Buarque
  6. Águas de Março - Tom Jobim
  7. Arrastão - Edu Lobo | Vinicius de Moraes
  8. O Samba da Minha Terra - Dorival Caymmi
  9. Maracangalha - Dorival Caymmi
  10. Cada Macaco no Seu Galho - Riachão

“La Golondrina y El Horizonte”… Teresa Salgueiro no México

Teresa Salgueiro esta a caminho do México onde vai fazer uma pequena digressão por 3 cidades, e lançar o álbum “La Golondrina y El Horizonte”.  Este trabalho é uma homenagem à canção latino americana e tem a sua estreia mundial no México, seguindo-se em breve outros paises.

O álbum vai ser apresentado no dia 13 de outubro em Guanahuato, seguindo-se o dia 17 de outubro com um concerto no âmbito do Festival Internacional de La Cultura Maya, em Yucatán, e finalmente no dia 20 de outubro Teresa Salgueiro atua na Cidade do México.

ts.jpgA ideia do álbum “La Golondrina y El Horizonte” surgiu através de alguns concertos de Teresa Salgueiro pelo México, onde para além de interpretar temas do álbum “O Mistério”, aventurou-se a apresentar novas roupagens de canções como “Paloma Negra”.

O novo álbum conta com composições de Violeta Parra, Chabuca Granda, Astor Piazzolla, Jo´se López Alavez, Agustin Lara, Cuco Sánchez, Álvaro Carrillo e Tomás Méndez.

A capa do disco foi feita a partir de uma aguarela de Lix Rangel, artista plástica Mexicana, de Morélia.

 

Para 2016 Teresa Salgueiro revela o lançamento do novo álbum “O Horizonte” em Portugal, seguido de uma digressão nacional.